Découvrez votre prochain livre préféré

Devenez membre aujourd'hui et lisez gratuitement pendant 30 jours
Saved by a SEAL: Portuguese Edition: Hot SEALs

Saved by a SEAL: Portuguese Edition: Hot SEALs

Lire l'aperçu

Saved by a SEAL: Portuguese Edition: Hot SEALs

Longueur:
166 pages
2 heures
Éditeur:
Sortie:
Aug 8, 2017
ISBN:
9781386039235
Format:
Livre

Description

Hot SEALs #2

Zane Alexander nasceu com uma colher de prata na boca, mas o menino mal e rebelde se tornou um SEAL da Marinha.

Agora, os companheiros de Zane estão dependendo dele obter o capital inicial de que necessitam para abrir sua empresa de segurança, e ele está apostando em suas habilidades em operações secretas. Por um milhão de dólares, ele vai ter que se casar com Missy Greenwood, a filha do senador, seu pai quer que ele marque a data do casamento em troca do investimento.

Mas quando Missy é sequestrada e Zane e sua equipe são enviados à Nigéria para resgatá-la e as colegiais sendo escravizadas, balas, bem como faíscas de atração começam a voar. Não há mais fingimento, quando tanto o perigo e as emoções são todos muito reais.

Éditeur:
Sortie:
Aug 8, 2017
ISBN:
9781386039235
Format:
Livre

À propos de l'auteur

New York Times & USA Today bestselling contemporary romance author Cat Johnson. Sign up at catjohnson.net/news to get new release and sale alerts.


Lié à Saved by a SEAL

Titres dans cette série (18)

Catégories liées

Aperçu du livre

Saved by a SEAL - Cat Johnson

reais.

CAPÍTULO 1

Zane Alexander observava enquanto seu companheiro de equipe Jon atravessava o bar em direção a ele.

- Bem. Você está aqui. Jon despejou uma pasta sobre a mesa.

Os papéis dentro eram pesados o suficiente para fazer a cerveja da caneca de Zane esparramar enquanto a pasta pousava.

Zane levantou uma sobrancelha enquanto ele pegava sua caneca.

- O que você tem aí, cara?

- Isto é um plano de negócios e marketing concluídos, todos juntos. Jon puxou uma cadeira e sentou-se. - Rick e Darci já olharam e eu já corrigi isso duas vezes, por isso deve estar pronto para apresentar ao seu pai.

Grato que ele tinha sido deixado de fora dessa fase incrivelmente chata deste projeto, Zane olhou para o tempo. - Nada mais? Isso é tudo?

Franzindo a testa, Jon abriu a pasta. - Eu acho que sim. A arte final da Brody para o logotipo está lá, junto com uma seção completa de branding da empresa. Eu também citei e inclui todos os materiais que eu usei para fazer a pesquisa da ideia. Você sabe, como prova de que há uma necessidade para este tipo de operação. Jon olhou para cima e depois fez uma careta com os ombros caídos. - Você está brincando comigo.

- Eu estou. Achando graça que Jon finalmente o desmascarou, Zane ergueu sua caneca em um brinde a seu amigo ingênuo. Aparentemente, Jon foi um pouco lento na detecção de sarcasmo hoje.

Zane tomou um gole da bebida que já estava ficando quente. Ele chegou cedo para essa reunião com seu companheiro de equipe e muito em breve seu parceiro de negócios.

Verdade seja dita, ele precisava da bebida. Zane tinha enfrentado o inimigo com menos ansiedade do que se sentia agora a caminho para ver seu pai e o inimigo estava carregando armas automáticas com a intenção de matá-lo no momento.

Seu pai utilizou armas que eram mais sutis do que metralhadoras e explosivos, mas não menos destrutivas. Zane o conhecia. Ele vinha esquivando disparos verbais de seu pai durante o tempo que ele poderia se lembrar.

Ele ainda não entendia como sua mãe, abençoe seu coração, tinha sobrevivido tanto tempo casado com seu pai. Mantendo sua cabeça baixa e permanecendo abaixo do radar, o mais provável.

Zane tem uma tendência para acertar o rosto de seu pai, ou ele tinha até aquele dia que ele anunciou que estava se juntando à Marinha e saiu com nada, apenas o que cabia em sua bolsa.

Graças a Deus, seu avô materno tinha criado um fundo fiduciário. O pai de Zane poderia e o tinha cortado da riqueza familiar e o apoio, mas ainda não tinha o poder de tirar o fundo em nome do Zane ou o subsídio mensal que lhe rendeu.

Não que as despesas de Zane eram enormes, vivendo no quartel, solteiro, enquanto estava implantado não era barato, mas, Zane gostava de ter coisas boas. Caminhões grandes. Carros velozes. Mulheres gostosas. Isso tudo levou uma boa quantidade de dinheiro. Mais do que ele fez com seu salário de militar, de modo que o cheque era certamente bem-vindo quando aparecia em sua conta a cada mês.

- Você não quer dar uma olhada no que eu coloquei? Jon parecia um pouco desapontado. Quase cabisbaixo que Zane não tinha saltado para devorar página por página da pasta.

Mesmo com o excelente nome da empresa e logotipo alado da âncora que vinha na frente, à pasta parecia muito com o trabalho escolar que ele sempre odiou.

Zane sabia que ele deve revisar o material antes de ele se reunir com seu pai mais tarde naquele dia, mas poderia aguardar. - Eu irei. Mais tarde.

Procrastinação era uma das muitas coisas que se destacava em Zane. Ele tomou outro gole de cerveja e ignorou a pasta que Jon tinha empurrado em direção a ele.

Ele estaria bebendo uísque, se ele não tivesse de ter que ficar atrás do volante e deixar o seu carro na região da capital em uma hora ou assim.

Quando Jon parecia pronto para rastejar para fora de sua pele, Zane decidiu aliviar a dor de seu amigo.

- Olha, Jon, eu sei que você é incapaz de dar menos de cem por cento para qualquer coisa que você faz. Confio em você que tudo o que você precisa está naquela coisa e mais um pouco. Mas a verdade é que, não importa o que está em seu plano. Meu pai vai nos dar o dinheiro para esta empresa.

Jon pressiona seus lábios e parece infeliz. - Gostaria de ter tanta certeza.

- Você pode ter. Confie em mim. Quando meu pai vê que eu estou disposto a deixar a Marinha para isso, saltará em investir tanto dinheiro quanto precisarmos para começar o GAPS.

GAPS — Guardian Angel Protection Services— foi uma invenção de Jon e foi uma ótima ideia. Uma empresa formada por um grupo de homens com a melhor formação do Naval Special Warfare Development Group tinha para oferecer. Com os agentes experientes da SEAL combatendo, eles seriam experientes especialistas para alugar cada vez que a segurança de precisão fosse uma necessidade crescente em muitas áreas ao redor do mundo.

Com seus amigos e antigos colegas de equipe Chris e Rick já fora e com Jon e Zane com atuais contratos prestes a expirar, eles tinham uma equipe de quatro homens para funcionar a GAPS, com a promessa de mais um de seus companheiros de equipe juntando em poucos anos... eles conseguiriam fazer seu trabalho por lá.

Zane traçou a ponta do dedo sobre as letras do slogan impresso no papel que deslizou sob a frente do plástico transparente da pasta.

Cobrimos seus seis anos, quando Deus está muito ocupado.

Ele estava cobrindo agora seis de seu amigo, ou levando-os todos a um caminho de esperança inútil para baixo?

Nada estava certo quando ele veio para seu pai. Bem, nada além do fato de que a única coisa que George Zane Alexander Jr. nunca poderia superar era seu filho entrar para Marinha contra a sua vontade. E Zane não tinha parado lá. Ele levou um passo adiante, tentando ir para fora para os SEALs. Então, assim que ele provou a si mesmo, ele foi para a seleção e treinamento da equipe verde do DEVGRU e formou o infame Seal Team Six que a mídia gostava de gritar sobre.

A verdade é que até mesmo aqueles nas unidades de elite que não gostavam ou não queriam a fama, a mídia tinha-lhes imposta após o ataque de Bin Laden, Zane estava de fato entre os melhores dos melhores, apesar da vontade de seu pai. O problema foi que quando ele alcançou o topo nada restou para irritar seu pai.

Zane viu a visão de Jon para GAPS como uma oportunidade certa na hora certa.

Para ser capaz de tomar suas habilidades e usá-las como eles acharam por bem e serem seus próprios patrões era tentador. Um sonho se tornando realidade.

Claro, isso só era possível se Zane atravessasse este encontro com o bom e velho George sem tomar um soco do homem, que foi o que quase aconteceu no último Natal que ele tinha tentado ir para casa para brincar de ser uma família feliz. Você não fala mal sobre as tropas ou faz observações depreciativas sobre a guerra a um homem que tenha visto seus amigos ser destruídos. Zane apertou a mandíbula e guardou a raiva que a memória gerou.

Sem nada mais, Zane sabia que ele devia ver a mãe dele. Graças à sua recente implantação de seis meses no Afeganistão tinha sido muito tempo desde que ele tinha a visitado.

Não era culpa dela que o homem com quem se casara tinha se tornado um idiota. George provavelmente tinha algum encanto nos velhos tempos que se escondia sob o idiota. Zane tinha que acreditar nisso, ou então isso significava que sua mãe era incrivelmente pobre juiz de caráter.

- Onde está a garçonete? Jon olhou por cima do ombro e depois de volta para Zane.

- A única vez que eu realmente preciso de uma cerveja para acalmar meus nervos, ela está longe de ser encontrada.

- Nervoso? Zane soltou um bufo. - Eu vi você enfrentar um cano de uma arma sem piscar um olho.

- É verdade, mas morrer é mais fácil do que falhar. Pelo menos para mim.

Zane sabia exatamente o quão importante esta empresa era para Jon, e iniciá-la dependia dele recebendo o capital inicial de seu pai bastardo. Depois que Zane teve esse pensamento ele precisava de outra cerveja, tanto quanto Jon.

Ele empurrou sua cadeira para trás da mesa e se levantou. - Eu vou até o bar e obter uma rodada.

Jon apoiou as palmas das mãos contra a borda da mesa. - Não. Sente- se. Eu posso ir.

Zane ergueu a mão para parar Jon. - Não. Deixa comigo. A garçonete está provavelmente nos ignorando por causa de mim de qualquer maneira.

Jon ergueu as sobrancelhas. - O que você fez agora?

- Eu meio que a abandonei na outra noite e fui para casa com outra pessoa. Zane deu um encolher de ombros. - Não é minha culpa. Eu nunca prometi a ela algo mais do que um bom tempo.

- Você nunca promete. Um sorriso curvou-se num canto da boca de Jon. - Você realmente não deveria comprometer-se seu retorno se havia uma chance que você levaria alguém para a casa.

- Eu não esperava. Esta ruiva entrou perto da hora de fechar, fumegante, quente e pronta para a ação. O que eu deveria fazer? Você sabe que uma nova garota sempre terá preferência sobre uma que eu já tive.

Respirando fundo, Jon balança a cabeça. - Então você continua dizendo, mas eu estou perfeitamente feliz com a mesma garota noite após noite, então . . .

Jon julgou isso com um movimento de sua mão. - Você e Ali não contam. Você só está namorando o quê? Algumas semanas? Menos que um mês. Isso ainda é o período de lua de mel quando você está feliz por estar recebendo o sexo regular sem ter que trabalhar por isso. Você deixará para trás essa fase rápido o suficiente. Você vai ver.

- Obrigado pela previsão e pelo voto de confiança. - Jon revirou os olhos. - E, sim, você pode subir e me compre uma bebida desde que você irritou a garçonete. Obrigado.

- Bem. - Zane girou em direção ao bar. Felizmente, o bartender era do sexo masculino e não parecia dar a mínima para quem eram seus clientes à esquerda esta noite.

Zane poderia facilmente a cerveja entregar a seu amigo. Um milhão de dólares em dinheiro dependendo da generosidade de seu pai? Isso ia ser um pouco mais difícil, mas ele faria qualquer coisa que tivesse que fazer para obter esse dinheiro. Ele só esperava que não custasse um pedaço de sua alma.

Infelizmente, acordos com o diabo geralmente envolviam isso.

CAPÍTULO 2

A condução não foi incrivelmente longa da base até onde Zane tinha crescido nos arredores dos subúrbios de Washington D.C.. O município afluente que sua família residia era permutável com capital, mas longe o suficiente para permitir grandes casas em propriedades ainda maiores, apelando para os ricos e os politicamente inclinados.

Embora o tráfego pudesse facilmente duplicar a duração da viagem, ele não saberia disso, a única vez que Zane havia atrasado no tráfego estava suave o levando até a estrutura de estacionamento do prédio de seu pai.

Zane tirou seus óculos escuros enquanto entrava, facilitando o seu conversível a uma parada. Ele chegou à máquina e retirou o bilhete dando lhe acesso para entrar. Ele cruzou um nível acima e encontrou um local agradável e espaçoso para estacionar

Vous avez atteint la fin de cet aperçu. Inscrivez-vous pour en savoir plus !
Page 1 sur 1

Avis

Ce que les gens pensent de Saved by a SEAL

0
0 évaluations / 0 Avis
Qu'avez-vous pensé ?
Évaluation : 0 sur 5 étoiles

Avis des lecteurs