Vous êtes sur la page 1sur 5

Psicologia de desenvolvimento

A Psicologia do desenvolvimento estuda o desenvolvimento humano do


nascimento até à morte.
Existem várias perspectivas, várias metodologias de abordar o
desenvolvimento humano.

 Sprintall e Sprintall 1993 relata que ”no desenvolvimento dos músculos e


da aquisição da mobilidade a criança típica de 2 anos é comparável a um chimpanzé
bebé de 2 meses, a um cavalo de 2 horas e a um coelho de 2 semanas“
(Wilson at al 1969 p. 165)

A criança demora mais tempo a desenvolver-se porque traça laços de


vinculação, são as relações de vinculação que permitem à criança demonstrar a sua
dependência das figuras maternas e paternas. A criança demora mais tempo a
desenvolver-se porque as vinculações demoram algum tempo.
Há crianças com melhor tratamento que outras, mas esse temperamento vai
ser moldado se houver boas respostas relacionais relativamente à criança.

O que é que está na base do deslizamento? O que é que nos levou a essa
tomada de decisão?
- O desespero
 face à separação das figuras protectoras há 3 fases: protesto,
desespero, desligamento.

Congénito  o que está presente à nascença

Inato  presente à nascença de origem hereditária

Adquirido: tudo aquilo que se aprende em relação com o meio (começa no meio intra
uterino).

Papousek faz uma experiência com recém-nascidos, se se aproximar uma luz


em feixe, devagar para a barriga da mãe o bebé tem tendência a aproximar-se da
luz, mas por outro lado, se se aproximar muito rapidamente a luz tem tendência a
retrair-se.
Concluiu que desde a tenra idade que há a necessidade de aprendizagem,
quando o conhecimento está adquirido a criança desinteressa-se.
O engano é uma defesa da realidade, mas não tem qualquer valor, o que
acalma e o que realmente tem valor é a verdade.

Maturação é um processo biológico


1. está ligada ao pólo funcional do desenvolvimento
2. significa atingir um nível particular de aptidão funcional que
possibilita a execução de determinados comportamentos (ex: mielinização de
certos centros é condição necessária ao domínio da linguagem falada pela criança).

Piaget veio dizer que não há uma idade para se fazer determinado tipo de
coisas. Há coisas que só se com o amadurecimento, com a maturação é que
aprendemos a falar.
Ex: Só aos 7 anos é que se aprende a lidar com as regras.

O processo maturacional dos homens é mais tardio que o das mulheres. Os


homens têm mais dificuldade em demonstrar os afectos. O processo de maturação
é um processo biológico. Havia teorias maturacionistas muito acentuadas que
resolviam negar todos os outros aspectos (amoroso).

Crescimento
1. refere-se ao desenvolvimento físico, ao aumento das dimensões do
organismo avaliados pela estatura, estrutura e pelo peso.
2. a consolidação do esqueleto com o desaparecimento das
cartilagens de conjugação dos ossos longos determina o final do crescimento
estrutural do indivíduo.

Os maturacionistas consideram que é o tempo que traz as competências,


defendem que a maturação intra-uterina focava aspectos em que diziam que o
indivíduo já estava competente mas que só se rendam mais tarde.

Desenvolvimento
1. relaciona-se com o ciclo completo de vida de um organismo, desde a
concepção até à morte.
2. relaciona-se com o conceito biológico de ontogenia (ontogenia é o
percurso que vai do desenvolvimento à morte, filogenia é o desenvolvimento das
espécies tendo o pressuposto de uma e o catabolismo dão lugar às outras.
3. pode ser avaliado no balanço entre o anabolismo (crescimento) e o
catabolismo (proximidade da morte).
4. Para Mazet e Houzel o desenvolvimento é ”um processo que faz
passar a criança de chorosa ao estado adulto”
5. o desenvolvimento depende, para estes autores, de factores:
- quantitativos: crescimento ponderal, evolução da estatura
- qualitativos: é um processo interrupto cujos ritmos podem
variar alternando progressões rápidas e períodos de estagnação (Delmine e
Vermeuln, 1997).

 desenvolvimento é um processo continuo, alguns dos que estudaram o


desenvolvimento estudaram-no como um processo continuo, por ex: Guesel, não
dividiu o desenvolvimento em estádios, ele estudava a criança mês a mês, defendia
que havia períodos críticos de aprendizagem sempre desenvolvendo-se
progressivamente.

Para Mazet e Houzel, o desenvolvimento depende do crescimento mas


também é um processo ininterrupto. Há momentos em que as mudanças são muitas;
podem ser provocadas pelo indivíduo ou pelos aspectos sociais (ex: há quem
considere que a 3ªidade começa com a reforma).
Estes autores defendiam que:
Na maturação intra-uterina os sistemas funcionais atingem a maturação antes de
terem funcionado (lei antecipatória de Carmichael).

A maturação funcional, na vida extra-uterina, relaciona-se fortemente com a


interacção estabelecida com o meio ambiente.
A maturação funcional relaciona-se com a estimulação do exterior.
Não é melhor pai ou melhor educador quem estimula muito; devemos
respeitar os ritmos das crianças, que devem ser respeitadas.
Os bebés nunca respondem de forma esteriotipada às relações; o que é bom
agora para os bebés, pode depois já não o ser.

Brazelton  gravou mãe e filho em interacção e depois mostrou a gravação


ao filho

Bowlby  Teoria da Vinculação

Período crítico: é um período em que o individuo aprende e fora do qual


dificilmente aprende.

Período sensível: período onde mais facilmente se pode aprender.

Inato:

1- É aquilo que existe à nascença… mas que pode sofrer influência do


meio ambiente.

2- Os pares inato/adquirido e genético/ambiental significam que


diferentes fenómenos devem ser entendidos em articulação e interacção.

Inato pode ser ambiental, tem é que estar presente à nascença.

(O pensamento é inato)
Período:

1- Período Crítico  não é definitivo


2- Período Sensível  período onde mais facilmente se poderia
aprender, não sendo definitivo nem exclusivo.

Estádio:

1. é um sistema funcional humano que é distinto, único e consistente com um


todo do funcionamento humano.

- todos os indivíduos processam activamente o conhecimento e atribuem-lhe


um ou mais significados
- a capacidade de reflexão é intrínseca à condição humana. Tentamos
sempre retirar significado das experiências
- em cada estádio o individuo processa diferencialmente as situações a
partir do conjunto de operações mentais que ele utiliza.

Nota: Gesel não falava em estádios, mas sim em períodos de


desenvolvimento

2. os estádios são sistemas de processamento que são qualitativamente


diferentes entre si

- a mudança de um estádio para outro é uma transformação (ex: como a


metamorfose das borboletas)

- as diferenças são de género (contradizem as teorias do homúnculo)



as crianças são adultos em ponto pequeno (miniatura)

3. os estádios de desenvolvimento são sequenciais

- ordenam-se por níveis de complexidade


- constituem uma hierarquia
- os estádios iniciais não podem ser omitidos
- após o estabelecimento de um estádio não poderá haver regressão
estrutural.

4. o desenvolvimento dos estádios depende do processo de interacção

Posição:

Melanie Klein defendeu duas posições no desenvolvimento humano:


- a posição esquizoparanóide (a criança utiliza a projecção, a
negação e a clivagem como modelo funcional);
- a posição depressiva.
(é um tipo mental, sequencial, prevê que a pessoa possa
regredir)

Fase: noção utilizada por Freud, encerra um modelo, um paradigma teórico


que é o paradigma psicanalítico.

- Enquanto na noção de estádio se aceite que, não se pode voltar atrás, na


posição os indivíduos podem voltar atrás para uma posição anterior; a posição está
ligada à questão afectiva, ao passo que os estádios desenvolvem a questão
cognitiva.