Vous êtes sur la page 1sur 1

EVOLUO EM FOCO Jrio Eduardo Maia Evoluo e Cncer O Cncer a segunda doena que mais mata no mundo.

. S perde para doenas cardacas O estuda do genoma humano demonstrou que a predisposio ao cncer hereditria. Se hereditria, poderia algum perguntar o seguinte: como esta tendncia gentica, mortal para os seres vivos, passou pelo crivo da seleo natural? Por que a seleo natural no impediu a propagao de genes que tornam vulnerveis os seres vivos ao cncer? A resposta simples: A esmagadora maioria dos tipos de cncer ocorre em idade adulta, ou seja aps perodo reprodutivo. Portanto, a tendncia gentica ao cncer dribla o filtro da seleo natural, pois se um ser vivo bom o suficiente para chegar a idade adulta e se reproduzir ele passar pela seleo natural. Mas,como sabemos, nem todos que possam ter tendncia ao cncer iro desenvolver a doena. Vai depender da vida que a pessoa leva. Por exemplo, um fumante, com vulnerabilidade gentica ao cncer, ter muito mais probabilidade de desenvolver esta doena, que um no-fumante segundo Francis Collins , 87% dos portadores do cncer de pulmo so indivduos fumantes. O cncer uma doena do genoma. Existe de fato uma predisposio gentica. Mas podem tambm existir mutaes aleatrias que geram cncer . Na realidade, cada vez que uma clula se duplica ela tem que copiar 6,2 bilhes de pares de bases do DNA. Portanto, a vulnerabilidade ao erro razovel em uma s clula, imagine computando-se todas! J existe hoje testes que identificam, desde cedo, a tendncia gentica de indivduos a alguns tipos de cncer. Muitos cientistas que estudam o genoma humano esto engajados nesta luta contra este terrvel inimigo que, s vezes, passa furtivamente pelo "paredo" da seleo natural.