Vous êtes sur la page 1sur 23

Escola Secundaria do Bocage

Curso Técnico de Apoio á Infância

Trabalho Realizado por:


Ana Brito nº2 /10ºI
Miriam Delgado nº13 / 10ºI
Com este trabalho temos o objectivo de dar a
conhecer um pouco sobre o tema a família.
Este tema é considerado bastante importante
pelo facto de ser a unidade básica da sociedade,
formada por indivíduos com ascendentes em
comum ou ligados por laços afectivos.
A família tem como
objectivo representar um
grupo social primário
que influencia e é
influenciado por outras
pessoas. É um grupo de
indivíduos ligados por
descendência a partir de
um antepassado
comum, matrimónio ou
adopção.
No interior da família,
os indivíduos podem
constituir subsistemas,
podendo estes ser
formados pela geração,
sexo, interesse, função,
havendo diferentes
níveis de poder, e onde
os comportamentos de
um membro podem
afectar e influenciar os
outros membros.
Parentesco é a ligação que une duas ou mais
pessoas por vínculos de sangue ou sociais,
principalmente pelo casamento.
O parentesco estabelecido mediante o
antepassado é comum e denominado parentesco
consanguíneo, enquanto o criado pelo casamento e
outras relações sociais tem o nome de parentesco por
afinidade. É denominado de parentesco em linha recta
quando as pessoas descendem umas das outras
directamente tais como, filho, neto, bisneto, tetraneto,
entre outros, e parentesco colateral quando os
indivíduos não descendem uns dos outros, mas
possuem um antepassado em comum.
Os Parentes por consanguinidade em
Primeiro grau são:

• O Pai, o nome que se dá ao progenitor de um filho


ou mais filhos. É a pessoa do sexo masculino que
gera uma vida, como consequência de fertilização.
Pode ser também quem adopta uma criança, que
por alguma razão não pôde ficar com seus pais. É
também o equivalente masculino à mãe.
O pai cumpre o papel masculino na geração
de um filho, na sua educação e criação como
responsável legal paterno por uma criança ou
adolescente. Há famílias nas quais o pai faz tanto
o papel de pai como o de mãe. Já outras famílias
são compostas por duas mães ou por dois pais.
• A Mãe é o ser do sexo
feminino que origina uma vida
no útero como consequência
de fertilização ou que adopta
uma criança, que por alguma
razão não pôde ficar com seus
pais. É também o equivalente
feminino do pai.
Mãe é considerada,
também, aquela pessoa do
sexo feminino que cria, adopta
e cuida de uma criança.
Em Segundo grau:
• O Irmão, aquele que tem o mesmo pai e/ou
mesma mãe, biológica ou adoptiva.
Pode-se chamar irmão, também, aquele
que se tem laço forte de amizade ou também
para aquele que possui a mesma crença
religiosa.
• Os avós são membros
da família, sendo os
avós maternos pais da
mãe e os avós
paternos pais do pai.
Os avós são parte
essencial do que se
entende por família
extensa. Nas culturas
tradicionais, têm um
importante papel na
educação das
crianças, mas nas
sociedades modernas,
este papel é menos
Em Terceiro grau:
• Os Sobrinhos, são um sobrenome,
derivado da relação familiar
correspondente ao filho do irmão ou
da irmã.
Fazendo também parte do terceiro
grau os tios e as bisavós.
E para finalizar em quarto grau:
• os primos e os Trisavós.
Os parentes por afinidade em segundo
Grau são:
• Sogra/sogro que é designada mãe do
cônjuge. Na cultura popular moderna, a
sogra é vista como uma carga a ser
“aturada” muitas vezes.

• O Padrasto/ madrasta que consiste em


quando uma mulher se divorcia do pai de
seus filhos ou se torna viúva, o homem com
quem ela se casa passa a ser o padrasto de
seus filhos. Os filhos, neste caso, são, em
relação ao padrasto, denominados
"enteados".
As famílias como uniões sociais,
ao longo dos tempos, adoptam
funções de protecção e socialização
dos seus membros, como resposta às
necessidades da sociedade. As
utilidades da família dirigem-se por
dois objectivos, um de nível interno,
como a protecção psicossocial dos
membros, e outro de nível externo,
como a acomodação a uma cultura e
sua transmissão.
Quanto à criança, a necessidade básica
desta, remete-se para a figura materna,
que a alimenta, ensina e protege, assim
como cria um apego individual seguro,
contribuindo para um bom
desenvolvimento da família e
logicamente para um bom
desenvolvimento da criança. A família
para a criança é um grupo significativo
O matrimónio é o enlace criado
entre duas pessoas, mediante a
verificação social, religiosa ou até
governamental que prevê uma
relação interpessoal de intimidade.
Por vezes, as pessoas casam-se
por variadas razões, mas por norma
fazem-no para dar visibilidade á sua
relação afectiva, para terem uma
estabilidade económica e social
melhorada, para formar família,
legitimar o relacionamento sexual e
obter direitos como a nacionalidade.
• Casamento aberto – possibilitando os
cônjuges ter outros parceiros sexuais
por consentimento mútuo.

• Casamento arranjado – celebrado antes


do envolvimento afectivo dos
contraentes e usualmente combinado.
 
• Casamento civil – celebrado sob os
princípios da legislação vigente em
determinado Estado.
• Casamento morganático – efectuado
ente duas pessoas de estados sociais
diferentes no qual o cônjuge de posição
é ponderada inferior não recebendo os
direitos normalmente atribuídos por lei.

• Casamento nuncupativo – realizado


oralmente e sem as formalidades de
praxe.

• Casamento putativo - contraído de boa


fé mas passível de anulação por
motivos legais.
• Casamento religioso - celebrado
perante uma autoridade religiosa.

• Casamento poligâmico - praticado


entre um homem e várias mulheres

• Casamento poliândrico - executado


entre uma mulher e vários homens.
• Casamento homossexual - realizado
entre duas pessoas do mesmo sexo.

• Casamento de conveniência –
efectuado por motivos económicos e
sociais.
“Toda a doutrina social que visa
destruir a família é má, e para mais
inaplicável. Quando se decompõe
uma sociedade, o que se acha como
resíduo final não é o indivíduo mas
sim a família.”
Victor Hugo
“Observa o teu culto a família e
cumpre teus deveres para com teu
pai, tua mãe e todos os teus
parentes. Educa as crianças e não
precisarás castigar os homens.”
Pitágoras
“Estupram de lá, esquartejam de cá,
mas o pior crime que eu vi foi um pai
de família se matando... todos os
dias... indo trabalhar sem saber pelo
quê.”
Hiago Rodrigues Reis de Queirós
 
 
Com este trabalho concluímos que todas as
pessoas deveriam ter o direito á uma família que lhes
de carinho, amor e dedicação.
Gostámos de fazer este trabalho pelo facto de ser
um tema que toca a todos, e que é aplicado entre
todas as sociedades.
Este trabalho fez-nos reflectir sobre a sorte que
temos em ter liberdade, conforto, comida, pais,
educação, amor, escola e etc., enquanto por vezes
outras sociedades sofrem de não o terem e sofrem
também de não ter uma família que lhes dedique todo
o tempo e carinho que deveriam dar.