Vous êtes sur la page 1sur 5

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

FACULDADE DE BIBLIOTECONOMIA E COMUNICAÇÃO


DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO

PLANO DE ENSINO

CÓDIGO/DISCIPLINA
BIB 03060 – Metodologia da Pesquisa Aplicada às Ciências da Informação
PRÉ-REQUISITOS DOCENTE
Ana Maria Dalla Zen
ETAPA ACONSELHADA CRÉDITOS/CARGA HORÁRIA
4
4
PERÍODO LETIVO HORÁRIO
2009/2
Turma A Terças-feiras, 8h30min, 4 créditos
Turma B Quartas-feiras, 13h30min, 4 créditos
NATUREZA
Obrigatória
SÚMULA

Construção do Conhecimento Científico. Tipos de Pesquisa. Abordagens quantitativas e


qualitativas. Formulação de Problemas. Métodos e Técnicas de Investigação. Elaboração de
projetos de pesquisa. Coleta de dados. Análise e Relato dos Resultados de Pesquisas Teóricas e
Empíricas na área das Ciências da Informação.

1 OBJETIVOS

Traçar um perfil dos paradigmas do conhecimento contemporâneo, a fim de compreender as


condições sociais da produção do conhecimento no campo da Ciência da Informação.

Propor um modelo para a pesquisa em Ciências da Informação, que inclua estratégias de


planejamento, execução, relato e crítica de trabalhos científicos.

Discutir métodos, modelos e tipos de trabalho de pesquisa, de acordo com o problema,


objetivos, relevância e finalidades da investigação.

Analisar abordagens de pesquisa quantitativa e qualitativa, a fim de selecionar a mais


adequada às características e contexto do problema de pesquisa.

Aplicar informações obtidas em bases de dados, documentos científicos, fontes primárias e


secundárias e outras, na construção do conhecimento científico.
Avaliar o nível de qualidade de trabalhos científicos em relação aos objetivos da pesquisa, a
partir da análise dos aspectos teóricos e metodológicos envolvidos no processo de coleta e
análise dos dados e na apresentação e discussão dos resultados da pesquisa.
2 CO MP ET ÊN C IAS E HAB IL IDADES

Serão consideradas como competências: redação de textos científicos, definição de problemas


de pesquisa, seleção de instrumentos e técnicas de coleta de dados de acordo com os
objetivos da pesquisa. No que se refere às habilidades: a busca de base teórica em bibliotecas
tradicionais e virtuais, a utilização de fontes na construção textual, e, finalmente, a
organização do texto numa seqüência lógica em que se identifiquem uma fase introdutória,
uma de análise (desenvolvimento) e finalmente uma de conclusão.

3 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Ciência e conhecimento científico. A Ciência da Informação dentro da área das Ciências


Sociais Aplicadas. Os paradigmas da ciência contemporânea: estruturalista, pós-moderno e
emergente. A pesquisa bibliográfica como base para a construção do trabalho científico. O
acesso a bases de dados para obtenção de informações. As abordagens de pesquisa
quantitativa e qualitativa possibilidades e restrições. Pesquisas exploratórias, descritivas e
experimentais. Estudo de caso e pesquisa etnográfica. O uso das citações no trabalho
científico. Tipos de trabalhos científicos: teses, dissertações, monografias, ensaios, artigos,
resumos, resenhas. O fluxograma da pesquisa científica. Projetos e relatórios de pesquisa.
Técnicas e instrumentos de coleta de dados. Questionários. Entrevistas. Observação. Análise
de conteúdo. Análise do discurso. A redação do relatório científico. Estrutura. Estilo.
Apresentação gráfica.

4 METODOLOGIA

As aulas serão de caráter teórico-prático, incluindo palestras, seminários, visitas,


demonstrações e experimentações. Pelas características do conteúdo envolvido, será
enfatizada a exigência de leituras prévias à realização de cada encontro.
5 CRONOGRAMA DE ATIVIDADES

ATIVIDADES MÊS 1 MÊS 2 MÊS 3 MÊS 4


Apresentação da disciplina, do programa e
das atividades
Ciência e conhecimento científico. A
Ciência da Informação dentro da área das
Ciências Sociais Aplicadas.Filme “Quem
xxxxxxxxx
somos nós 2?” e “ O Ponto de Mutação” .
Os paradigmas da ciência contemporânea:
estruturalista, pós-moderno e emergente.
A pesquisa bibliográfica como base para a
construção do trabalho científico. O acesso
a bases de dados para obtenção de
informações. A busca de fontes em XXXXXX
bibliotecas digitais. O uso das citações no
trabalho científico. As abordagens de
pesquisa quantitativa: possibilidades e
restrições. As investigações quantitativas e
qualitativas: onde, quando e como utilizá-
la. .

O fluxograma da pesquisa científica.


Distinção entre monografias e projetos de
pesquisa. Roteiro para a construção de
projetos de pesquisa. Da definição do XXXXXXXX xxxxxxxx
problema à montagem do instrumento de
coleta de dados. Onde e como utilizar
planos de ação; da idéia inicial à
implementação. Construção dos projetos de
pesquisa e de ação; atividades práticas.

6 EXPERIÊNCIAS DE APRENDIZAGEM
As experiências de aprendizagem envolverão a redação de textos científicos, a montagem
de projetos de pesquisa, a elaboração de instrumentos de coleta de dados e a avaliação
qualitativa de relatórios de pesquisa.

7 AVALIAÇÃO

A avaliação incluirá o acompanhamento do interesse e qualidade da participação


individual e coletiva durante cada uma das atividades previstas no curso (interesse,
motivação, assiduidade, responsabilidade, respeito à dinâmica do grupo, entre outros
fatores) e, pela forma seqüencial e integrada como foi estruturado o programa, a
freqüência às aulas também será incluída como elemento de análise do desempenho dos
alunos. Como instrumentos objetivos de avaliação, serão considerados:
A) Redação de uma resenha e/ou artigo científico
B) Construção de um projeto de pesquisa
C) Realização de Seminários temáticos, em grupo, com responsabilidades individualizadas
previamente
7.1 Procedimentos

Todos os trabalhos solicitados terão como foco um tópico dentro da área da Ciência
da Informação, considerada numa dimensão interdisciplinar, ampla e abrangente (estudo
de usuários, ação cultural em bibliotecas, estratégias de motivação para a leitura, canais e
uso de informações científicas, entre toda uma diversidade de outros temas correlatos). O
projeto de pesquisa poderá ser sob abordagem quantitativa ou qualitativa, de acordo com o
interesse individual do aluno.
No caso dos seminários temáticos, a serem realizados em grupo, cada participante
deverá especificar o tipo de participação específica que teve na produção do trabalho.

7.2 Critérios

CONCEITOS OBJETIVOS ALCANÇADOS QUALIDADE DE ATINGIMENTO DOS


OBJETIVOS ALCANÇADOS
A PLENAMENTE, COM AVANÇOS EXCELENTE
B PLENAMENTE SUFICIENTE
C PARCIALMENTE SUFICIENTE
D MUITO PARCIALMENTE INSUFICIENTE

7.3 Atividades de Recuperação


Serão oportunizadas atividades de recuperação preventiva durante todo o
semestre, sendo dada a chance para que o aluno refaça o trabalho que o professor
considerar insuficiente, até que ele realmente represente o seu desempenho efetivo.

8 BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ACKOFF, Russel. Planejamento da pesquisa social. São Paulo: Herder/EDUSP, 1975..

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). Referências bibliográficas:


procedimento: NBR1520. [Rio de Janeiro] agosto 2002.

_____ NBR 10520 – Apresentação de citações em documentos – procedimento.


[RJ], ago 2002.

_____ NBR 6028 Resumos – procedimento. [RJ], mar 2003.

_____. NBR 6022 – Apresentação de artigos em publicações periódicas [RJ], maio


2003.

_____.NBR 6025 – Informação e documentação – Sumário – Apresentação. [RJ], maio


2003.

_____ NBR 6024 – Numeração progressiva das seções de um documento –


procedimento. [RJ], maio 2003.
_____.NBR 14724 – Informação e documentação – Trabalhos acadêmicos –
Apresentação. [RJ], dezembro de 2005.

_____. NBR 15287 - Informação e documentação – Projetos de pesquisa –


Apresentação [RJ], dezembro de 2005.

CRITICA Pós-Estruturalsita em Educação. Alfredo Veiga-Nego (org.) et alii. Porto Alegre,


Sulina, 1995.

DEMO, Pedro. Metodologia científica em ciências sociais. São Paulo: Atlas, 1981.

ECO, Umberto. Como se faz uma tese. São Paulo: Perspectiva, 1983.

FERRARI, Alfonso Trujillo. Metodologia da pesquisa científica. São Paulo: McGraw-Hill do


Brasil, 1982.

HAGUETTE, Teresa Maria Frota. Metodologias qualitativas na sociologia. 7.ed. Petrópolis:


vozes, 2000.

IBGE. Normas de apresentação tabular. 3.ed. Rio de Janeiro, 1993.

LAKATOS, Eva & MARCONI, Marina. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1982.

LUDKE, Menga & ANDRÉ, Marli. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São
Paulo: EDUSP, 1986.
.
MATURANA, Humberto. Emoções e Linguagem na Educação e na Política. Trad. José
Fernando Campos Fortes. Belo Horizonte, Ed. UFMG, 1998.

MORIN, Edgar. Complexidade e Liberdade. Thot. São Paulo, Palas Athena, julho 1997.

____. Ciência com Consciência. 2.ed. Trad. maria D. Alexandre e maria alice Sampaio
dória. Rio de Janeiro, Bertrand Russel, 1998.

RUDIO,, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica.. 5.ed. Petrópolis:


Vozes, 1981.

SELLTIZ, Claire et alii. Métodos de pesquisa nas relações sociais. São Paulo: EPU/EDUSP,
1976.

SEVERINO, Antonio J. Metodologia do trabalho científico. 18ª ed. São Paulo: Cortez,
1992.

SOUZA SANTOS, Boaventura. Introdução a uma ciência pós-moderna. Rio de Janeiro:


Graal, 1989.

_____. Pela mão de Alice. Lisboa: Afrontamento, 1995.

VASCONCELOS, Eduardo Mourão. Complexidade e pesquisa interdisciplinar: epistemologia


e metodologia operativa. Petrópolis: Vozes, 2002.