Vous êtes sur la page 1sur 1

O Estado Americano da Califórnia, décima econômica do mundo com PIB de us$ 1,5

trilhão, apresentou complexo documento contendo o resultado de pesquisas que não só


aponta os benefícios do etanol do milho, como ressalta falhas de produção do etanol
brasileiro a partir da cana-de-acúcar. As pesquisa foi desenvolvida pela universidade de
Purdue, Indiana, a partir dos dados do Grupo de Estudos e Trabalhos Agropecuários
(GETAP).

O estudo demonstra as falhas de sustentabilidade da produção a partir da cana-de-acúcar


no Brasil, tais como: o avanço da cana sobre áreas de pastagens, remoção de cobertura
vegetal, invasão do espaço de outras culturas, além de seqüestro de carbono inferior ao
do etanol de milho.

A favor do etanol a partir do milho destaca-se o fato de o resíduo do milho ser utilizado
para alimentação de bovinos, além de poupar áreas de outras culturas. De acordo com o
relatório, apesar de mais caro, no balanço energético global, oetanol do milho tem
vantagens sobre o etanol de cana-de-acúcar.