Vous êtes sur la page 1sur 144

������������

�����
Queremos Seguir Jesus

�������������������������
CATEQUESE 3º ANO

A Comissão Episcopal da Educação Cristã, por delegação da Conferência Episcopal


Portuguesa, publica o Catecismo “QUEREMOS SEGUIR JESUS”, correspondente ao 3º ano
do Programa de Catequese da Infância e Adolescência

Lisboa, 30 de Julho de 2009

.
QUEREMOS SEGUIR JESUS

Paginação e Ilustração
Zonadesign

Coordenação geral e edição


da Fundação Secretariado Nacional da Educação Cristã

Fotografia
Dreamstime, Lusa, Missionários Combonianos, Santuário de Fátima, Wikipédia

Agradecimentos
A todos aqueles que nos facultaram as suas fotografias

Impressão e Acabamento
Gráfica Almondina - Torres Novas

ISBN: 978-972-8690-46-5
Depósito Legal: 297998/09
1ª Edição: Agosto 2009

© Todos os direitos reservados para a FSNEC

Fundação Secretariado Nacional da Educação Cristã


Quinta do Cabeço, Porta D 1885-076 MOSCAVIDE
Telef.: 21 885 12 85 Fax: 21 885 13 55 E-mail: educacao-crista@sapo.pt
Queridos amigos/queridas amigas,

De novo, estais de regresso à catequese. Mais uma vez, sede bem-vindos!

Este catecismo, que ireis conhecer ao longo de mais um ano, tem o título “Queremos Seguir Jesus”. Que bela proposta para a vossa vida!
Agora que O conheceis melhor, certamente continuareis a dialogar com Jesus e a aprender a viver segundo o seu ensinamento, uma vida boa
e plena de meninos e de meninas que continuam a crescer e a esforçar-se por amar a Deus e ao próximo.

Caríssimos pais e familiares,

Eis que começa mais um ano de catequese, um ano importante e de grande envolvimento de todos: crianças, catequistas, comunidades de
fé e famílias! Um ano, portanto, de grandes desafios, de algum modo marcados, também, pelos intensos momentos celebrativos que estas
catequeses propõem a crianças e adultos. Diz o Catecismo da Igreja Católica (n.º 1146) que, “Sendo o homem um ser, ao mesmo tempo,
corporal e espiritual, exprime e percebe as realidades espirituais através de sinais e símbolos materiais”. A celebração corresponde a um
desejo e a uma necessidade natural da pessoa. Como somos seres sociais, temos necessidade de sinais e de símbolos para comunicar com os
outros, pela linguagem, por gestos e por acções, e o mesmo acontece nas nossas relações com Deus. Em cada celebração litúrgica tornamos
presentes acontecimentos e/ou mistérios da História da Salvação e essas realidades passam para a nossa vida. Assim acontecerá, este ano,
convosco e com os vossos filhos. Não deixeis de participar e de viver com eles este importante ano da sua formação humana e espiritual!

Lisboa, 30 de Julho de 2009

D. Tomaz Pedro Barbosa Silva Nunes

Bispo Auxiliar de Lisboa


Presidente da Comissão Episcopal da Educação Cristã
Contactos da Paróquia
Morada:
Telefone:
Correio electrónico:
Sítio:

Contactos do Catequista
Nome:
Morada:
Telemóvel:
Telefone:
Correio electrónico:

Contactos dos Pais / Educadores


Nome:
Morada:
Telemóvel:
Telefone:
Correio electrónico:
Índice .... .... .... .... .... .... ....................................................
................ 9
meio de nós. ....
1. Ele está no
uira m Jesu s"... .... .... .... .... .... .... .... .... ................................................ 13
2. "Deixaram tudo e seg .... ....................................................
......... 17
los anu ncia m-n os o Rein o de Deu s . ....
3. Os Apósto
to ..... .... .... .... .... .... .... .... .... .... .... ..................................................21
4. Eu creio que sois Cris .... ....................................................
............ 25
a fé". .... .... .... .... .... .... .... ....
5. "Esta é a noss
.... .... .... .... .... .... .... .... .... .... .... .... ................................................ 29
6. Celebração da Luz..... .... ....................................................
...........33
o Cam inho do Sen hor ..... .... .... ....
7. Preparemo s
o" . .... .... .... .... .... .... .... .... .... .... .... ................................................ 37
8. José - "um homem Just .... ....................................................
.......... 41
o Sen hor ..... .... .... .... .... .... ....
9. Maria glor ifica
a nós" - Cele bra ção de Nat al . .... .... .... ............................................. 45
10. "Um menino nasceu par .... ....................................................
........... 49
o Ren asc emo s do Alto ..... .... ....
11. Pelo Bap tism
Con firm ado s com o Cris tão s. . .... .... .... .... ................................................ 53
12. Pelo Crisma somos ....................................................
............. 57
os um só Cor po. . .... .... .... .... .... .... .... 1
13. Formam
po de Cris to.. .... .... .... .... .... .... .... .... ...................................................6
14. Comungamos o Cor Deus...............................................
.............65
dam os gra cas ao Sen hor Nos so
15. Na Euc aris tia
a Pala vra do Sen hor . .... .... .... .... .... ...............................................69
16. Na Eucaristia ouvimos .... ....................................................
............ 73
ama mos os doe ntes . .... .... .... ....
17. Com Jesu s,
.... .... .... .... .... .... .... .... .... .... .... .... .................................................. 77
18. Confesso que pequei. .... ....................................................
...........81
por que sois tão bom ...". . .... .... ....
19. "Meu Deu s,
de vos ter ofen dido ".... .... .... .... .... .... ................................................... 85
20. "Tenho muita pena do Sacramento da Reconciliação..............
...........89
a não tor nar a peca r"- Cele bra ção
21. "Ajudai- me
mos a ofer ta de Jesu s por nós. .... .... .... ..............................................93
22. Na Eucaristia celebra ."- Celebração da Primeira Comunhão .....
.............. 97
conv idad os par a a Ceia do Sen hor
23. "Felizes os
hor .
". .... .... .... .... .... .... .... .... .... .... .... ................................................ 101
24. "Fica connosco, Sen .... ....................................................
.......... 105
o Dia do Sen hor ..... .... .... .... ....
25. Celebre mos
. .... .... .... .... .... .... .... .... .... .... .... .... ............................................... 109
26. Padres para Servir. ....................................................
.............. 113
tão - Unid o no Amo r de Cris to .
27. O Cas al Cris
de Jesu s na noss a vida . .... .... .... .... ..............................................117
28. Os Sacramentos: A vida .............. 121
imo Sac ram ento da Euc aris tia . .... ....................................................
29. O San tíss
..... .... .... .... .... .... .... .... .... .... .... .... .................................................125
30. "Permanecei em Mim"
1. Ele está no meio de nós
Onde estiverem
dois ou três reunidos
em meu nome, eu estou
no meio deles.

9
«Se dois de entre vós se unirem, na terra, para pedir
qualquer coisa, hão-de obtê-la do meu Pai que está nos
Céus. Porque, onde estiverem dois ou três reunidos
em meu nome, eu estou no meio deles.»
Mt 18, 19-20

10
Rezamos a oração
que o Senhor nos ensinou.

11
Em Família,
«Sim, quero seguir Jesus» Caríssimos pais/educadores
Provavelmente ainda conservais bem viva, na me-
mória e no coração, a Festa do Pai Nosso, em que
participou o vosso filho, no final do passado ano
de catequese. Foi o culminar de uma caminhada em
que ele foi despertando para a importância e a bele-
za da oração, como expressão privilegiada da união
com Deus, imprescindível na vida do cristão.
Por isso, começámos este novo ano de catequese,
por ajudar o vosso filho a reviver essa festa e os seus
efeitos na sua vida pessoal, familiar e comunitária.
É, principalmente, na comunidade cristã de que ele
faz parte, mas também na família e na catequese,
que tem mais sentido chamar a Deus “Pai Nosso”.
E quanto mais O acolhemos como “Nosso”, mais
Ele faz de todos nós seus filhos e verdadeiros ir-
mãos uns dos outros.
Nessa mesma medida, Jesus “está no meio de nós”,
como tantas vezes proclamamos em celebrações li-
túrgicas e de acordo com a sua promessa: “Onde
estiverem dois ou três reunidos em meu nome, eu
estou no meio deles” (Mt 18, 20).
Foi este Jesus, com quem o vosso filho de novo
se encontrou na catequese, que o chamou pelo seu
nome e o desafiou a segui-lo. Como foi belo ouvi-
lo responder, com convicção e alegria: “Estou aqui!
Quero seguir Jesus.”
Ajudai-o, desde já, a manter-se fiel a esta promes-
sa. Ajudai-o, em colaboração com os catequistas e
outros intervenientes nos encontros de catequese,
a acolher os dons que o Senhor lhe vai oferecendo
P ara guardar na memória e no coração : ao longo do ano. Ajudai-o, tanto quanto possível,
saboreando, vós próprios, esses mesmos dons. E
Jesus disse: «Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, vereis como o vosso filho se sentirá feliz, no segui-
eu estou no meio deles.» mento de Jesus… tal como vós!

12
2. "Deixaram tudo e seguiram Jesus"

Cristo Jesus, tu
nos chamaste

Jesus também
me chama a mim!

13
«Faz-te ao largo e lançai as redes para a pesca.
Não temas. Daqui em diante serás pescador de homens.»
Tendo conduzido os barcos para terra, deixaram tudo e seguiram
Jesus.
Lc 5, 4.10-11

14
o para s eguir Jesus, numa visita
ar tud à igre
Deix ja.

Tu és _ ___ ______

15
Pescadores de homens e de mulheres Em Família,
Caríssimos pais/educadores
O título desta catequese “Deixaram tudo e seguiram
Jesus” é a conclusão do episódio contado no Evan-
gelho segundo S. Lucas, capítulo 5, versículos 1-11 (Lc
5, 1-11). Trata-se da pesca milagrosa, devida à inter-
venção de Jesus, que assim levou os três pescadores
nela envolvidos - Pedro, Tiago e João – a segui-lo, com
a promessa de fazer deles “pescadores de homens”.
Foram os primeiros de uma série incontável de cris-
tãos que, fascinados pelo poder e o amor de Deus
manifestados em Jesus, ainda hoje se entregam à obra
maravilhosa por Ele iniciada: o anúncio, pela palavra e
pela vida, do Reinado de Deus.
Alguns deles fazem-no de um modo pleno e radical.
A maioria, porém, não abandona, nem pode aban-
donar, o seu trabalho, haveres, família. Mas também
estes, como verdadeiros cristãos, deixam tudo, na me-
dida em que, como Jesus e com Ele, partilham os seus
bens e qualidades, o seu tempo e esforço, não apenas
pelas pessoas que deles mais dependem, mas também,
e na medida das suas possibilidades, por tantas outras
que Deus ama e dele precisam. E como são felizes
por isso! Uma felicidade contagiante - graças a Deus, a
quem tudo é possível!
O vosso filho, juntamente com os colegas do grupo,
indicou, nesta catequese, o nome de alguns desses
cristãos. Perguntai-lhe quais foram e as razões da sua
escolha.
Depois, à luz dessas razões, ajudai-o a ler de novo o
texto de Lc 5, 1-11, ouvindo as suas reacções e tentan-
do responder, com ele, à pergunta que certamente
também a vós interessa: que poderá significar ser
“pescador de homens”?
P ara guardar na memória e no coração : Com essa ajuda, talvez ele descubra, pelo menos,
parte da resposta: encontrando também em vós, com
Jesus chama cada um de nós e diz-lhe: o vosso amor e testemunho de fé, verdadeiros “pesca-
«Farei de ti um pescador de homens e de mulheres.» dores de homens”.

16
3. Os Apóstolos anunciam-nos o Reino de Deus

Ensinar “O Chamamento dos Apóstolos Pedro e André”,


obra do pintor Duccio Curar
Jesus chama os Apóstolos 17
Enviou-os a proclamar o Reino de Deus e a curar
os doentes. Eles partiram e foram de terra em terra,
a anunciar a Boa Nova e a realizar curas por toda a
parte.
Lc 9, 2.6

18
«Pai Nosso
Que estais nos Céus,
Santificado seja o vosso nome;
Venha a nós o vosso reino;
Seja feita a vossa vontade
Assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia
Nos dai hoje;
Perdoai-nos
As nossas ofensas,
Assim como nós perdoamos
a quem nos tem ofendido;
E não nos deixeis
Cair em tentação,
Mas livrai-nos P ara guardar na memória e no coração :
do Mal.» Senhor Jesus
Venha a nós o vosso Reino.

19
Em Família,
Caríssimos pais/educadores
Possivelmente, também vós estais entre aqueles pais
que reconhecem o muito que aprendem com os
seus filhos. Ou porque estes, com as suas questões
e as situações em que se vão encontrando, exigem

Compromisso: Para ti dos pais respostas e orientações para as quais eles


nem sempre estão (devidamente) preparados. Ou
então, sobretudo quando já crescidos e pelo que
quem é entretanto aprenderam, de facto sabem mais do

Jesus?
que os pais, principalmente nos campos do saber
em que entretanto se especializaram.
Muitos desses pais reconhecem-no com satisfação
e até orgulho. Não admira. Constatam como valeu
a pena “investir” nos filhos, para os quais vivem.
Vêem, como pais, como a sua própria vida cresce e
se alarga na vida dos filhos e, tantas vezes, daqueles
a quem os filhos, por sua vez, se dão.

Jesus é... Tudo isto acontece também no campo da fé e da


Jesus é... vida mais especificamente cristã. Há mesmo cada
vez mais pais que, através dos filhos, (re)desco-
brem o caminho para Deus, sentindo-se desafiados
a seguir a Cristo com mais intensidade.
Por isso, o título desta catequese - “os Apóstolos
anunciam-nos o Reino de Deus” - não se aplica
apenas aos Doze a quem o Senhor, ainda durante a
sua actividade messiânica, envia em missão. O que
eles então fizeram continua até ao presente. Tam-
bém o vosso filho foi desafiado a ser mensageiro

Quem respondeu: Quem respondeu: do Reino de Deus.


Escutai-o. Perguntai-lhe mesmo qual o conteúdo
desse anúncio. E apoiai-o numa outra actividade
que foi convidado a realizar, na sequência dessa
missão – a de perguntar a uma outra pessoa: “Para
P ara guardar na memória e no coração : ti, quem é Jesus?” Ajudai-o a procurar alguém que,
de facto, conheça Jesus Cristo… na certeza de que,
Como Jesus nos enviou os doze Apóstolos, também nisso, é Deus quem vos fala e vos ama,
também hoje envia os cristãos a anunciar o Reino de Deus. através do vosso filho.

20
“Sou muito mais
4. Eu creio que sois Cristo feliz porque me
falaram de Cristo!”

“Muito obrigada
por me teres
falado de Jesus!”

Somos apóstolos
“Descobri quem é
Jesus para os Cristãos
de Cristo
e agora vou contar aos
meus amigos!”

21
Jesus partiu com os seus discípulos, para as povoações de Cesareia de Filipe. No caminho, fez-lhes
esta pergunta: «Quem dizem os homens que eu sou?» Eles responderam-lhe: «Uns dizem João
Baptista; outros, Elias; e outros, um dos profetas.»
Jesus então perguntou-lhes:
«E vós, quem dizeis que eu sou?»
Pedro tomou a palavra e respondeu:
«Tu és o Cristo».
Mc 8, 27-29

22
Cristo
(Palavra grega)
- Rei
- Sacerdote
Ungido
(Palavra portuguesa)

U__ __ __ __

R __ __ S__ __ __ __ __ __ __ __

Jesus pede-nos «Convertei-vos», para vivermos no amor e na paz.


23
Em Família,
Caríssimos pais/educadores
Senhor
Eu creio que sois Cristo É possível que, após esta catequese, o vosso filho
vos apareça, talvez a cantar: “Sou de Cristo, sou
feliz.” Isto é, “sou feliz, por ser de Cristo.”

Sou de Cristo
Messias (Em hebraico) Sou feliz! “Cristo” é uma palavra de origem grega e significa
“ungido”. Na tradição bíblica, tornou-se um título
dado ao rei e, mais tarde, ao sacerdote, por serem
ungidos com azeite, quando eram constituídos no
seu cargo. Como o azeite fortifica, a unção dava-
lhes a energia, vinda de Deus, necessária para bem
o exercerem.
O título foi dado, definitivamente, pelos cristãos a
Jesus de Nazaré, depois de Ele ressuscitar, isto é, de
adquirir, num grau infinito, o poder e a vitalidade, já
manifestadas na sua actividade messiânica. E assim
o título passou a ser nome. Hoje é conhecido por
Jesus Cristo.
É nessa condição que Ele comunica a sua energia
a quem a Ele se confia, confessando: “Senhor, eu
creio que sois Cristo!” – a confissão de fé do vosso
filho, nesta catequese. Fez como Pedro e os outros
Apóstolos, a quem Jesus perguntou: “E vós, quem
dizeis que eu sou?” A resposta: “Tu és o Cristo!”
Quero ajudar os outros a serem felizes Lede, com o vosso filho, esse episódio em Mc
8, 27-29 e convidai-o a explicar como se passou.
Depois, rezai com ele: “Senhor, eu creio que sois
Cristo”. E saboreai a sua felicidade, até pelo bem
Vou ajudar ___________________________________ a ser feliz! que irá fazer a outras pessoas, para as tornar felizes,
em Cristo.
Como vou ajudar: ______________________________________________.
No dia _________
às __ __ horas
Luz.
celebramos a Festa da
P ara guardar na memória e no coração : drinhos a
Senhor, eu creio que sois Cristo, e quero ser vosso amigo. Convidamos pais e pa
_________.
participar em ______
24
5. "Esta é a nossa fé"

Ungido
Rei Cristo Sacerdote

Messias

Comunhão

Quem crê em Jesus Cristo passa a ser dele.


25
- O Senhor esteja convosco. - Ele está no meio de nós
- A Palavra do Senhor. - Graças a Deus.
- A graça de Nosso Senhor - Bend__to s__ja D__u__ qu__
Jesus Cristo, o amor do Pai no__ r__un__u n__ __mo__
e a comunhão do Espírito d__ C__is__o.
Santo estejam convosco.

Somos de Cristo, por causa do que Ele fez por nós:

Ninguém ama tanto

“O Cristo Amarelo”, obra do pintor Paul Gauguin


com quem dá a vida
pelos seus amigos.

Jesus é a nossa Luz.


26
Naquele tempo, disse Pedro:
«Saiba com absoluta certeza toda a casa de Israel que Deus fez Senhor e Messias esse Jesus que vós crucificastes.»
Ouvindo isto, ficaram emocionados até ao fundo do coração e perguntaram a Pedro e aos outros Apóstolos:
«Que havemos de fazer, irmãos?»
Pedro respondeu-lhes:
«Convertei-vos e peça cada um de vós o Baptismo em nome de Jesus Cristo, para vos serem perdoados os
pecados. Recebereis então o dom do Espírito Santo.»
Act 2 , 36-38

Deixo o mal,
o pecado. O
Espírito Santo Converto-me ao
une-me a Jesus. Amor de Jesus

27
Sim, Creio. Em Família,

Credes em Deus, Pai todo - poderoso,


Caríssimos pais/educadores
Nesta catequese, procurámos preparar o vosso filho
criador do céu e da terra? para a próxima Celebração da Luz. Ensinámos-lhe
algumas das fórmulas – palavras ou frases – que ele

Credes em Jesus Cristo deve conhecer, em ordem a uma melhor participa-


ção. Todas elas se encontram nas páginas anteriores
seu único Filho, Nosso Senhor, do catecismo. Demos particular relevo às quatro
perguntas a que os cristãos, desde o seu Baptismo,
que nasceu da Virgem Maria, respondem, como confissão da sua fé – a fé da Igreja
padeceu e foi sepultado, a que pertencem.
ressuscitou dos mortos Mas não penseis que se tratou de um simples en-
e está sentado à direita do Pai? saio geral. Longe disso. A confissão de fé que brotou
do coração e dos lábios do vosso filho, surgiu como
reacção ao anúncio, feito por S. Pedro em Act 2, 36-
Credes no Espírito Santo, gu ar da r na me mó
P ar a
ri a 38, de que Jesus foi constituído por Deus “Senhor
e no co ra çã o :
e Messias”, pela sua morte e ressurreição. Uma Boa
na santa Igreja católica, Nova – a maior na história da humanidade – com-
na comunhão dos santos, “Creio em Deus,
pletada pelo convite à conversão e ao Baptismo.

na remissão dos pecados, Pai todo-poderoso,


Foi a este Deus, nesta manifestação de amor extremo
por nós, que o vosso filho se confiou pela entrega de
na ressurreição da carne criador do céu e da te
rra. fé – aquela mesma fé que vós confessastes, quando
e na vida eterna?
Creio em Jesus Cristo,
ele foi baptizado. Por isso, é certamente com alegria
que vedes agora o vosso filho a proclamar o que en-

Esta é a nossa fé. Nosso Senhor.


tão, devido à sua idade, não estava em condições de
fazer.
Esta é a fé da Igreja, to.
Creio no Espírito San tólica. É importante que ele experimente essa vossa alegria.
que nos gloriamos de professar, Creio na santa Igreja
ca Para isso, conversai com ele sobre o seu Baptismo,
se possível à luz da sua vela baptismal e com a ajuda
em Jesus Cristo, Nosso Senhor. da Igreja. de fotografias a ele alusivas. Interrogai-o sobre a sua
Esta é a nossa fé, a fé fé, servindo-vos das mesmas perguntas a que ele irá
responder. E – porque não? – deixai-vos interrogar
por ele, com as mesmas perguntas.
Então, certamente, ele realizará com muito maior
convicção o compromisso que assumiu para esta
semana - proclamar todos os dias: “Sou de Cristo,
sou feliz!”
Sou de Cristo, Sou feliz.

28
6. Celebração da Luz

“Sois luz em Cristo”

Perseverai na fé, iluminados pela luz de Deus


29
Leitura da primeira Carta de São João
Caríssimos:
Quem diz que está na luz e odeia o seu irmão, ainda se encontra nas trevas.
Quem ama o seu irmão, permanece na luz e não há nele ocasião de pecado.
Mas quem odeia o seu irmão, encontra-se nas trevas, caminha nas trevas e não sabe para onde vai,
porque as trevas lhe cegaram os olhos.
1 Jo 2, 9-11

30
Senhor Jesus, tu és a luz, és quem nos traz o amor e a paz

Para vivermos na luz Com Cristo amo o ir__ __ __ És a Palavra divina


queremos seguir __ __ __ __ __. de todo o meu cora__ __ __. que a todos nós ilumina.

Tu és o Cristo Senhor, de todos o Salvador.

Na luta contra o pecado Na dor és o nosso al__ __ to Jesus nos fala de D__ __ __
tenho Jesus a meu __ __ __ __. na __ __ __ __ o nosso alimento. que fez a terra e os céus.
31
Em Família,
Caríssimos pais/educadores
Numa altura do ano como esta em que, entre nós,
vai aumentando o tempo da escuridão, cresce tam-
bém o apreço que todos sentimos pela luz. Sem ela
não há vida - aquela vida que tantas vezes é amea-
çada e destruída também pelas trevas do desprezo
e do ódio, do erro e do pecado.
Por isso, foi certamente com especial alegria que
vivestes a celebração da luz em que participou o
vosso filho: particularmente quando ele acendeu a
sua vela baptismal no círio pascal, símbolo do amor
vitorioso e inextinguível de Cristo, e vos transmitiu
a luz recebida, para serdes também vós mediadores
da mesma luz que, assim, se foi alastrando por to-
dos os participantes.
E foi nesse mar de luz que toda a assembleia cel-
ebrante se uniu, pela fé no Deus da paz e da vida,
ao proclamar a uma só voz: “Sim, creio!” É desta
fé, a brotar do coração de cada um dos iluminados
por Cristo, que vive a Igreja - na comunhão daquele
amor divino, capaz de romper com toda a espécie
de trevas.
Ajudai o vosso filho a manter viva esta chama da fé:
- Pela oração, designadamente aquela que lhe é pro-
posta, para esta semana, no catecismo: “Senhor Je-
sus, tu és a luz”…
Diz-nos Jesus: - Por uma integração crescente na vida da Igreja, de
«Eu sou a luz do mundo. que ele e vós precisais e que conta convosco e com

Quem me segue ele, como seus membros activos.


- Por uma prática de vida, iluminada e conduzida
não anda nas trevas, pelo amor para com todos, na família e na Igreja,
mas terá a luz na vida. na escola e nos tempos livres.
E assim também ele, convosco, será verdadeira-
Acreditai na luz, mente luz em Cristo… para sua e vossa alegria.
para que sejais filhos da luz.»
32
(Jo 8, 12; 12, 36)
7. Preparemos o Caminho do Senhor

No ADVENTO
preparamos a festa
do nascimento
de JESUS

33
Naquele tempo,
João Baptista percorreu toda a região do rio Jordão, pregando um baptismo de penitência para o perdão dos
pecados, como está escrito no livro das palavras do profeta Isaías:
«Uma voz clama no deserto:
“Preparai o caminho do Senhor,
endireitai as suas veredas.
Sejam alteados todos os vales e abatidos os montes e as colinas; endireitem-se os caminhos tortuosos e
aplanem-se as veredas escarpadas; e toda a criatura verá a salvação de Deus”.»
Lc 3, 3 – 6

“S.João Baptista”, obra do pintor Guercino

34
Que devemos fazer para parar a vinda do Senhor?
pre João Baptista

Quem tem
mantimentos
reparta com
quem não tem.

Quem tem duas


túnicas reparta
com quem não
tem nenhuma.

Não pratiques
violência nem
Não exijas nada denuncies
para além do injustamente.
estabelecido.

Recomendações de João Baptista em Lc 3, 10 – 14 (adaptado) 35


Preparamo-nos para celebrar o Natal, Em Família,
preparamos o caminho do Senhor. Caríssimos pais/educadores
Estamos no Advento (ou quase): o tempo de pre-
paração para celebrarmos a “Vinda” – o significado
original do termo latino “Adventus” – de Jesus, pri-
mariamente no seu Natal.
João Baptista Partilhar o Partilhar a
Alimento Nesse sentido, o vosso filho aceitou, nesta
Roupa
catequese, o desafio para colaborar na construção
de um presépio, nas próximas três semanas. Não
um presépio qualquer, mas que seja pleno de luz –
aquela mesma luz da fé e do amor com que Cristo,
desde o seu nascimento, nos ilumina e quer irradiar
Partilhar Partilhar Partilhar através nós que O seguimos.
_______ _______ _______ A primeira figura a entrar nesse presépio foi João
Baptista. Foi emocionante o modo como o vosso
filho e todo o grupo o acolheram: na sua imagem
e, sobretudo, no seu apelo “Preparai o caminho do
Senhor”, a concretizar na partilha de bens com os
Preparo a vinda do Senhor mais necessitados, na renúncia à violência, no res-
peito pela propriedade alheia (cf. Lc 3, 3-6.10-14).
arrumando as minhas coisas
Não é fácil seguir por este caminho, numa socie-
todos os dias. dade como a nossa, entregue a um consumismo
desenfreado e egoísta, e, para mais, com especial
intensidade nesta época do ano. Por isso, o vosso
filho precisa do vosso persistente e convincente
apoio, para a realização do compromisso que assu-
miu e simbolicamente exprimiu, ao escrever e colo-
car junto da imagem de João Baptista, a mesma per-
gunta que lhe havia sido feita no seu tempo: “Que
devo eu fazer?” Ajudai-o, durante esta semana, a
descobrir formas de repartir, não apenas roupas e
alimentos, mas também outros bens, mesmo aque-
les de que ele goste e até precise.
P ara guardar na memória e no coração : Se o conseguir, vereis como a luz de Cristo brilhará
Que devo eu fazer para preparar a vinda do Senhor? ainda mais… no presépio da sua vida e da vossa.
Partilhar as minhas coisas com quem não tem, sendo responsável
com o que é meu.
36
8. José - "um homem Justo"

Faço a vontade
de Deus

É isto que Deus nos pede: que façamos a sua vontade.


37
O nascimento de Jesus deu-se do seguinte modo:
Maria, sua mãe, noiva de José, antes de terem vivido em comum, encontrara-se grávida por virtude
do Espírito Santo.
Mas José, seu esposo, que era justo e não queria difamá-la, resolveu deixá-la em segredo. Tinha ele
assim pensado, quando lhe apareceu num sonho o Anjo do Senhor, que lhe disse:
«José, filho de David, não temas receber Maria, tua esposa, pois o que nela se gerou é fruto do
Espírito Santo. Ela dará à luz um Filho, e tu por-lhe-ás o nome de Jesus, porque Ele salvará o povo
dos seus pecados.»
Mt 1, 18 – 21

38
José, um homem Justo

José torna-se José ______________ José pensou que era


noivo Maria. melhor ir-se embora.

José _____________ O Anjo diz a José que José fez a vontade a Deus
nascerá um Menino, Jesus. e ficou com _________
esperando __________ .
P ara guardar na memória e no coração :
São José era um homem justo, porque procurava fazer, sempre e em tudo, a vontade de Deus.
39
Em Família,
Que devo eu ________ fazer para ser just_ ? Caríssimos pais/educadores
(meu nome)
O presépio natalício, cuja construção foi iniciada
na catequese anterior, recebeu, nesta, mais algumas
figuras.
Primeiro, a de S. José, pai adoptivo de Jesus. Uma
missão que ele abraçou, porque era um homem
Eu vou… Para…
_______ _______ “justo” (Mt 1, 19), isto é, que procurava viver de
um modo “ajustado” à vontade de Deus. Manifes-
_______ _______ tou-o, primeiramente, no amor a Maria, sua noiva:
_______ _______ ao descobrir que estava grávida de uma criança
que não era dele, preferiu deixá-la em segredo, a
_______ _______ difamá-la. Mas foi justo, sobretudo por acolher a
mensagem divina, segundo a qual Maria tinha con-
cebido por obra do Espírito Santo, e assim se dis-
por a colaborar na obra salvífica que aquele Menino
PENSAR iria realizar, como Emanuel – Deus connosco.
LEMBRAR
Também o vosso filho, a exemplo de S. José, se
prontificou a fazer em tudo e sempre a vontade de
Deus. Mais: descobriu, com particular agrado, que
afinal já está a fazê-lo, ao querer partilhar os seus
Sou just . bens pelos mais necessitados. Registou mesmo o
o, quando _______________ que pensa partilhar, numa cartolina que, de seguida,
recortou em forma de estrela e colocou junto da
imagem de S. José. Assim, também ele, como os
restantes membros do grupo, já faz parte do presé-
Por um mundo mais justo! pio, cuja luz está assim a crescer, com as obras de
justiça e caridade dos seus construtores.
Nisso se inserem também as actividades pro-
postas ao vosso filho para esta semana e para
Nós, as crianças, temos muito para oferecer: o nosso tempo. as quais terá, certamente, a vossa justa colabora-
ção: oferecer algum do seu tempo em acções que
Durante esta semana, vou oferecer TEMPO para: tornem o mundo mais justo; e identificar quem irá
usufruir da partilha dos seus bens.
Estudar e fazer o trabalho da escola. Ajudar nas tarefas da casa.

Brincar com um colega de quem _____________________


não gosto muito. (Esta ideia foi minha)

40
9. Maria glorifica o Senhor
Viver o Advento

Partilhai Sede Justos Dai Graças

, Chei
aria
ad
Ave M

e Graça

A minha alma glorifica o Senhor, porque pôs os olhos na humildade da sua serva.
41
Magnificat
A minha alma glorifica o Senhor
e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador.
Porque pôs os olhos na humildade da sua serva:
de hoje em diante me chamarão bem-aventurada todas as gerações.
O Todo – Poderoso fez em mim maravilhas:
Santo é o seu nome.
A sua misericórdia se estende de geração em geração
sobre aqueles que o temem.
Manifestou o poder do seu braço
e dispersou os soberbos.
Derrubou os poderosos de seus tronos
e exaltou os humildes.
Aos famintos encheu de bens
e aos ricos despediu de mãos vazias.
Acolheu a Israel, seu servo,
lembrado da sua misericórdia,
como tinha prometido a nossos pais,
a Abraão e à sua descendência para sempre.
Lc 1, 46 – 55

42
Ave Maria, cheia de Graça
A graça de Deus
Na vida de Maria, nossa Mãe

“A minha alma glorifica o Senhor “Deus fez em mim maravilhas.” “Derrubou os poderosos de seus
e o meu espírito se alegra em tronos e exaltou os humildes.
Deus, meu Salvador.” Aos famintos encheu de bens e aos
ricos despediu de mãos vazias.”
Na nossa vida

Como Maria, agradecemos Deus deu-nos a nossa Mãe. Por Maria, Deus ensina-
a Deus a nossa vida. nos a amar os mais
pequenos e fracos.
43
Em Família,
Faça-se e
m mim, segundo a Tua Palavra. Caríssimos pais/educadores
“Ave Maria!” – foi com esta saudação, repetidamente
cantada nesta catequese, que o vosso filho, com os
colegas do grupo, receberam a imagem de Maria, para
Preparai o Uma voz entrar no presépio que continuam a construir. Uma re-
caminho do Partil clamou no
Senhor por amhoari deserto.
cepção merecida: entre todas as figuras humanas, foi
Maria a que mais contribuiu para a vinda do Salvador.
E a reacção dela a tão solene e afectuoso acolhimento
não foi menos maravilhosa. Respondeu, como outrora
à saudação de S. Isabel, com o admirável hino de lou-
vor ao Deus que a escolheu para Mãe do seu Filho: “A
minha alma glorifica o Senhor”… Um hino que foi as-
sumido, até aos nossos dias, por todas as Igrejas cristãs,
João Baptista Isaías cujos membros dele se servem para manifestar a sua
profunda alegria pelas inúmeras maravilhas que Deus
tem operado, não apenas através de Maria, mas de tan-
tos outros crentes, entre os quais está o vosso filho.
Sim, as iniciativas que ele e os colegas do grupo estão
a preparar para a celebração do Natal de Jesus, podem
ser autênticas maravilhas, inspiradas e conduzidas por
Deus, para “exaltar os humildes” e “encher de bens os

Devemos ser bons e justos.


famintos”, num mundo que queremos cada vez mais
justo.
Apoiai o vosso filho, nomeadamente na realização das
actividades, propostas para esta semana… agradecen-
P ara guardar na memória e no coração : do ao Senhor, com o Magnificat de Maria, o filho que
vos deu e dispondo-vos a acompanhá-lo na Celebra-
Damos graças ao Senhor pelas maravilhas que Ele fez e pelas que ção de Natal da próxima catequese.
faz através de nós. Ele que nos enviou S. João Baptista, S. José
e Maria, a mãe de Jesus, para nos ensinarem a levar aos outros
o seu amor. Convite para
a celebração de Natal,
Preparar a oferta de Natal.
Levar a vela do Baptismo para a próxima catequese. dia __ __ às __ __ horas.
Preparar a catequese, rezando o “Magnificat”.
44
10. "Um menino nasceu para nós"
Celebração de Natal

o s u ma vez. Nascemos quando nos desc


na scem e na noite de algumas lágrimas. obrimos
ó o N
que s mo do ris mos em silêncio ou iluminados por umascemos amado
nsam usias . Nasce mos nos gestos ou para lá do a pala na pr s e
pe ent nto
o N a sce s ges vra ece ca
tos. . Na e pa
e
qu s no confr sce no
o
m en o mo

ze m. are
s
no p as s

sd
eo

do na t
erd ce

ea
m-s

ão
N

mar.
Engana

fa e
N e mo s

na partilha.
as c

Nascemos dentro de nós e no coração de Deus.


O que Jesus nos diz é: «Também tu podes nascer.»
José Tolentino Mendonça (adaptado) 45
O povo que andava nas trevas viu uma grande luz;
para aqueles que habitavam nas sombras da morte
uma luz começou a brilhar.
Todo o calçado ruidoso da guerra
e toda a veste manchada de sangue
serão lançadas ao fogo
para serem completamente queimados.
Porque um menino nasceu para nós,
um filho nos foi dado.
Tem o poder sobre os seus ombros
e será chamado “Conselheiro admirável,
Deus forte, Pai eterno.
Príncipe da Paz.”
O seu poder será engrandecido
numa paz sem fim.
Is 9, 1.4 – 6a
Isaías

46
Tinha Jesus nascido em Belém da Judeia, nos dias do rei Herodes, quando chegaram a Jerusalém uns Magos
vindos do Oriente. Perguntaram eles:
«Onde está o rei dos Judeus que acaba de nascer? Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo.»
E eis que a estrela que tinham visto no Oriente seguia à sua frente e parou sobre o lugar onde estava o Menino.
Ao ver a estrela, sentiram grande alegria. Entraram na casa, viram o Menino com Maria, sua Mãe, e, prostando-se
diante d’Ele, adoraram-no.
Depois, abrindo os seus tesouros, ofereceram-lhe presentes: ouro, incenso e mirra.
Mt 2, 1 - 2. 10 – 12

47
Em Família,
Somos capazes de amar Caríssimos pais/educadores
como Jesus nos pede. Escreveu um poeta, a propósito do Natal de Jesus
Cristo:
“Enganam-se os que pensam que só nascemos
uma vez.
Para quem quiser ver, a vida está cheia de nasci-
mentos.”
E ainda:
“O que Jesus nos diz é: «Também tu podes nascer.»
(José Tolentino Mendonça)
Certamente, subscreveis plenamente estas afirma-
ções. Por experiência própria, pessoal e familiar. Por
Dar de comer a Acolher os estrangeiros. Perdoar a quem nos exemplo, também vós tereis nascido mais uma vez,
quando o vosso filho viu pela primeira vez a luz deste
quem tem fome. ofende. mundo. E, depois, em tantas fases do seu crescimen-
to humano e cristão. Na vida que lhe dais, é a vossa
vida que nasce de novo, ao prolongar-se e alargar-se
a dimensões que fazem dela verdadeira vida.
Terá sido também o caso desta celebração do Natal:
quando - levado pelo Autor e Senhor da Vida que
se tornou, ainda mais, um Deus Connosco pelo na-
scimento humano do Seu Filho Único, Jesus Cristo
– o vosso filho quis e quer partilhar a vida que de
vós recebe por tantos que a não têm, nas suas ne-
Ouvir a palavra de
cessidades mais elementares.
Obedecer e agradecer Fazer a paz.
a quem nos ensina. Deus e rezar. Procurai manter esta luz e chama de amor no vosso
filho. Que o lenço branco que lhe destes e em que
será registada a data do seu Baptismo - o seu nasci-
mento para a vida que Deus lhe oferece em Cristo
Lê os pedidos de Jesus sobre para seres capaz de amar e esforça-te por os - o leve a sentir aquilo que nele está escrito: “Sou
colocares em prática. Quando conseguires, pinta a estrelinha. de Cristo, sou Feliz”. Feliz, também, na medida em
que viver este tempo de Natal, realizando as tarefas
que lhe são propostas nesta página do catecismo…
e para as quais contará, certamente com o vosso
P ara guardar na memória e no coração : apoio, o vosso desejo de nascer, nascer, nascer.
O que Jesus nos diz é: «Também tu podes nascer». Nascemos -
crescemos - Dentro de nós e no coração de Deus.
48
11. Pelo Baptismo Renascemos do Alto

Jesus, como meu


amigo, ensina-me que
me devo esforçar
nos estudos e ser
responsável.

Este gesto é prova


de como, pelo Baptismo,
somos chamados a viver
uma vida nova.

49
Havia um fariseu chamado Nicodemos, que era um dos principais entre os judeus. Veio ter com Jesus de noite e
disse-lhe:
«Rabi, nós sabemos que vens da parte de Deus como mestre, pois ninguém pode realizar os milagres que tu fazes,
se Deus não está com ele.»
Jesus respondeu-lhe:
«Em verdade, em verdade te digo: Quem não renascer do Alto, não pode ver o Reino de Deus.»
Disse-lhe Nicodemos:
«Como pode um homem nascer, sendo já velho? Pode entrar pela segunda vez no seio da mãe e voltar a nascer?»
Jesus respondeu:
«Em verdade, em verdade te digo: Quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus.»
Jo 3, 1 – 5

50
Eu, __________ ___________ O meu baptizado.
baptizad__ em nome
do Pai e do Filho e
do Espírito Santo.
“Santíssima Trindade ”, obra do pintor Hendrick van Balen

«__________ estás revestid__ de Cristo.


Esta veste branca seja para ti símbolo da dignidade cristã.»
51
u Feliz Em Família,
o , S o
Crist
Sou de / ___ / ___ Caríssimos pais/educadores
___ Nesta catequese, o vosso filho reviveu, mais uma
vez, o seu Baptismo. Serviu-se, para isso, do len-
ço branco que (de vós) recebeu na Celebração de
Natal e lhe recorda três aspectos fundamentais do
sacramento com que iniciou (ou vai iniciar) a sua

Feliz por ser de Cristo


vida cristã:
1. A data indica que se trata de um acontecimento
que nem ele nem vós jamais devem esquecer. Foi
(ou é) então que ele, no dizer de Jesus, renasceu
O que é que as ofertas que (ou renasce) “do Alto”, isto é, de Deus (Jo 3,3).
fizemos no Natal têm a ver com o
Que seria (ou será) dele, sem o amor que Deus nele
infunde, ao fazê-lo Seu filho?
nosso Baptismo? 2. Tem uma forma triangular, porque foi baptizado
“em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo” -
o mesmo Deus, em quem ele e vós acreditais, como
então dissestes, por Ele ser um Pai que nos deu o
Seu Filho Único, Jesus Cristo, e derrama no cora-
ção dos crentes o seu Espírito de amor.
3. O branco é a cor da luz e da vida, já que sem
luz não há vida. Daí a veste branca que então lhe
vestistes, acompanhada das palavras do celebrante:
“Agora és nova criatura e estás revestido de Cris-
to”, seguidas do pedido, a ele e a vós: “Conserva-a
imaculada até à vida eterna.”
Enquanto isso acontecer, terão, ele e vós, razão para
cantar: “Sou de Cristo, sou Feliz!” Para isso, foi-
lhe proposto, como actividade para esta semana,
que descubra a relação entre o bem que fez, com a
partilha de Natal, e a sua condição de baptizado, ao
mesmo tempo que regista ocasiões em que se sente
especialmente feliz, por ser de Cristo. E quando ele
assim se sentir, certamente que também vós.
P ara guardar na memória e no coração :
Pelo Baptismo, renascemos do Alto,
para nos tornarmos filhos de Deus.
52
12. Pelo Crisma somos Confirmados como Cristãos

Sou confirmada Sou de Cristo,


na minha Fé Sou Feliz

Recebe por este sinal


o Espiríto Santo, o dom de Deus. 53
Quando os Apóstolos que estavam em Jerusalém
ouviram dizer que a Samaria recebera a Palavra de Deus,
enviaram-lhes Pedro e João.
Quando chegaram lá, rezaram pelos samaritanos,
para que recebessem o Espírito Santo,
que ainda não tinha descido sobre eles;
só estavam baptizados em nome do Senhor Jesus.
Então impunham-lhes as mãos
e eles recebiam o Espírito Santo.
Act 8, 14 – 17

54
Deus todo-poderoso,
Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo,
que, pela água e pelo Espírito Santo,
destes uma v i d a n o v a a estes vossos servos
e os libertais do pecado,
enviai sobre eles o Espírito Santo Paráclito:
dai-lhes Senhor,
o espírito de sabedoria e de inteligência,
o espírito do conselho e da fortaleza,
o espírito da ciência e da piedade,
e enchei-os do espírito do vosso temor.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Aleluia, glória ao Senhor.


55
isto,
Em Família,
e C r Do que eu gostei mais…
Sou dou Feliz Caríssimos pais/educadores
S Como, possivelmente, já sabeis, talvez mesmo por
Eu: experiência própria, a graça de Deus, recebida no
Baptismo, é completada pela Confirmação – o sac-
ramento que, como o próprio nome indica, nos faz
firmes na fé e na prática de uma vida verdadeira-
mente cristã.
Também se chama a este sacramento “Crisma”,
por esta palavra significar “Unção”: a unção que,
normalmente, nele é feita pelo Bispo, com azeite
perfumado. O azeite fortifica e o perfume atrai. O
cristão, ao ser crismado, recebe a energia do Es-
pírito Santo, para conquistar os outros para Cristo,
pelo testemunho convicto e activo que d’Ele dá.

Sou de Cristo: Nesta catequese, tivemos um exemplo vivo desse


No dia testemunho: um cristão que generosamente se
ofereceu para expor a celebração em que foi
- Ofereço os meus bens aos ___ / ___ / ___ crismado, o modo como a viveu e os frutos que ela
__ __ __ __ __ __. tem produzido na sua vida.
Conversai com o vosso filho sobre este encontro.
- Amo os mais Se já fostes crismados, contai-lhe a vossa própria
experiência, se possível, ilustrando-a com imagens
__ __ __ __ __ __ __ __ Comporto-me como um
dela. Estareis, assim, a deixar que o Espírito actue
e os mais em vós e através de vós, para bem do vosso filho,

__ __ __ __ __ __. verdadeiro Cristão: para o seu crescimento na fé.

____________ Incentivai-o ainda a realizar as actividades que lhe


foram sugeridas: escolher o que mais lhe agra-
Quanto mais amo, ____________ dou nesta catequese e dispor-se a realizar acções
mais feliz eu sou. ____________ próprias de um bom cristão, como frutos do Es-
pírito Santo que já nele habita e dele faz um mem-
bro vivo da Igreja de Jesus Cristo.

P ara guardar na memória e no coração :


Pelo sacramento do Crisma, recebemos os dons do Espírito Santo
que nos dá coragem para espalharmos o perfume de Jesus Cristo.
56
13. Formamos um só Corpo

57
Como o corpo é um só e tem muitos membros,
e todos os membros do corpo,
apesar de serem muitos, formam um só corpo,
assim é também com Cristo.

De facto, num só Espírito,


fomos todos baptizados para formar um só corpo,
quer judeus quer gregos, quer escravos quer livres,
e todos bebemos de um só Espírito.
Pois também o corpo não é composto de um só
membro, mas de muitos.

Vós sois o Corpo de Cristo


e cada um, pela sua parte,
é um membro.
1 Cor 13, 12 – 14.27

58
Somos o Corpo de Cristo

59
Em Família,
Caríssimos pais/educadores
Provavelmente já vos extasiastes, até mais do que
uma vez, a contemplar o vosso filho, designada-
mente quando era bebé: a beleza e a harmonia das
formas do seu corpo, o funcionamento e a comple-
mentaridade dos seus muitos e diversos membros
e órgãos, internos e externos. De tal modo que, se
algum deles deixa de executar o que lhe compete,
todo o seu corpo sofre. E vós não sofreis menos.
E, o mais tardar então, apercebeis-vos de quão
precioso é o contributo, não apenas de familiares e
amigos, mas também de profissionais competentes
e dedicados, para que uma sociedade se possa con-
siderar minimamente organizada, como um corpo.
Só com membros assim, poderão cumprir as suas
funções todos os membros do corpo do vosso fil-
ho… e vós a vossa missão de pais.
S. Paulo, que conhecia esta imagem, vai mais longe,
quando a aplica à Igreja. Não nos compara simples-
mente a um corpo, mas diz-nos: “Vós sois o Corpo
de Cristo e cada um, pela sua parte, é um membro”
(1 Cor 12, 27). Isto é, Cristo torna-se realmente pre-
sente naqueles que vivem do seu amor. É Ele que
leva tantos cristãos a usar as suas diferentes quali-
dades e dons ao serviço dos outros, numa entrega
generosa, desprendida, por vezes, até heróica... e,
consequentemente, feliz!
Conversai com o vosso filho sobre aqueles de quem
se falou nesta catequese. Até porque entre eles es-
tais também vós, como seus primeiros educadores
da fé, para que também ele seja um membro vivo
na Igreja a que pertence.

60
14. Comungamos o Corpo de Cristo

61
Naquele tempo, disse Jesus:
«Vós procurais-me,
não porque vistes milagres,
mas porque comestes pães
e ficastes saciados.
Trabalhai, não pela comida que se perde,
mas pelo alimento que dura até à vida eterna
e que o Filho do Homem vos dará.
O pão de Deus é o que desce do Céu
para dar a vida ao mundo.»

Jo 6, 26 – 27.33

62
Jesus e o pão do Céu

enhor
– A paz do S
esteja sempre
convosco!
– Eis o Cordeiro de Deus - O amor de
.
que tira o pecado do – O Corpo Cristo nos uniu
mundo! de Cristo

- Senhor, eu não sou - Amen.


digno que entreis na minha
morada, mas dizei uma
palavra e serei salvo.
Devo aprender bem as respostas.
63
Comunhão u__a un__ __o de Em Família,
t__d__ o c__r__ç__ __. Caríssimos pais/educadores
Entre nós, o pão é praticamente imprescindível na
nossa alimentação. Tanto, que nele, muitas vezes, se
incluem todos os outros alimentos. Por exemplo,
quando rezamos: “O pão nosso de cada dia nos dai
hoje.”
O pão, com outros alimentos, e imprescindível, mas
o não é tudo. Quem reduz a vida à sua materialidade,
acaba por ser vítima dos bens que consome… e es-
traga. Para não falar daqueles que, para isso e tantas
vezes, são esquecidos ou mesmo explorados.
Compreende-se assim o apelo e a promessa de Jesus:
“Trabalhai, não pela comida que se perde, mas pelo
alimento que dura até à vida eterna e que o Filho
do Homem vos dará”. E acrescenta: “Eu sou o pão
Formamos um só corpo vivo que desceu do Céu. Quem comer deste pão
viverá eternamente, e o pão que eu hei-de dar é a
minha carne que eu darei pela vida do mundo” (Jo
6, 27.51).
Trata-se do pão da Eucaristia, em que Ele actualiza
para nós a total entrega da vida na sua morte e ressur-
reição. Um amor que pode criar laços da comunhão
mais profunda entre aqueles que o comungam, a co-
munhão que faz deles um só Corpo – o de Cristo.
Entre eles estará o vosso filho, que, nesta catequese,
começou a sua preparação mais específica para a
Primeira Comunhão. Acompanhai-o: designada-
mente, participando com ele na Missa dominical,
uma das actividades que lhe são propostas para esta
semana.

s
Esperamos pelas família
P ara guardar na memória e no coração : na Eucaristia
O Corpo de Cristo que comungamos na Missa, fez-nos tão ami-
gos uns dos outros, que todos juntos formamos o Corpo de Cristo do dia ___ /___ / ___
s
que é a Igreja. Domingo, às __ : __ hora
64
15. Na Eucaristia damos graças ao Senhor Nosso Deus

Pelo pão e pela paz,


Por quem tanto bem nos faz
E por tanto, tanto amor,
Glória, glória a vós, Senhor!

Agradeço a Deus
a saúde e a vontade de
trabalhar. Graças a Deus
regresso a casa!

65
Santo, Santo, Santo é o Senhor!

“Última Ceia ”, obra do pintor Simon Ushakov


São Paulo conta-nos:
“Eu recebi do Senhor o que também vos transmiti:
o Senhor Jesus, na noite em que ia ser entregue,
tomou o pão e, dando graças, partiu-o e disse:

«Isto é o meu Corpo, entregue por vós.


Fazei isto em memória de mim.»

Do mesmo modo, no fim da Ceia,


tomou o cálice e disse:
st o é o m eu Corpo
I or vós.
«Este cálice é a nova aliança do meu Sangue. entregue p nova aliança
Todas as vezes que o beberdes, Este cálice éuaSangue.
do me
fazei-o em memória de mim.» im.
Fazei isto em memória de m
Na verdade,
todas as vezes que comerdes deste pão
e beberdes deste cálice, Deus
anunciareis a morte do Senhor, – Bendito sejais, Senhor,
até que Ele venha.” do universo, pelo pão que
ade,
recebemos da vossa bond
o do
1 Cor 11, 23 – 26 Hóstia fr uto da terra e do trabalh
-
homem, que hoje vos apre
se vai
sentamos e que para nós
tornar pão da vida.
Cálice e Patena - Bendito seja Deus para
sempre.
66
O pão que Jesus nos dá na Missa
ajuda-nos a ser bons e a fazer o bem.
N N
co.
– O Senhor esteja convos
- Ele está no meio de nós

– Corações ao alto.
Deus.
- O nosso coração está em
Eucaristia
, Dar graças, a De u s.
– Demos graças ao Senhor louvar, bem-dizer
nosso Deus.
lvação.
- É nosso dever, é nossa sa Pai Santo, aceitai-nos
com o vosso Filho Jesus a quem tanto amais.
Foi por nós que Jesus quis dar a vida,
mas vós o ressuscitastes. I
D
Nós vos louvamos.
Deus, nosso Pai, que sois tão bom:
Bendito sejais! glória a Vós, Senhor!
Um dia, Jesus virá na sua glória,
e então já não haverá ninguém triste, nem doente, nem infeliz.
Nós vos louvamos: I
Deus, nosso Pai, que sois tão bom: D
Bendito sejais! glória a Vós, Senhor!
(Da oração eucarística III para Missas com crianças)
67
Fazei isto em memória de Mim Em Família,
Caríssimos pais/educadores
E na Missa: Nesta catequese, falámos, longa e repetidamente,
de vós ao vosso filho: do trabalho que realizais,
Agradeço a Deus… Antes da apresentação por vezes duro e cansativo, para que nada lhe falte.
do pão e do vinho: Na prática, dais a vida por ele. E o alimento que
diariamente lhe ofereceis, é uma das melhores ex-
pressões disso. O vosso filho vive, na medida em
que por ele gastais a vossa vida.
Pois bem, foi o que fez Jesus. Só que Ele, numa
medida e a uma dimensão infinitamente maiores:
ao dar a vida, na cruz, até à última gota de sangue
e por toda a humanidade. Uma doação a Deus,
que lhe valeu a vitória sobre a morte. Tanto pode
o amor!
E é como Ressuscitado que continua a dar-nos a
vida: na Eucaristia que Ele instituiu na última Ceia,
como memorial desse seu amor e fonte de vida,
para quem dele participa, comungando o seu Cor-
Quem lê: O que é que o sr. Padre lê e diz: po entregue por nós.
E tal como a última Ceia começou e terminou com
Jesus e os discípulos a bendizer a Deus, também
hoje, Ele transforma o pão e o vinho no seu Corpo
e no seu Sangue, a seguir a uma longa oração de
agradecimento. Por isso este sacramento é conhe-
cido, principalmente, por “Eucaristia”, uma pala-
vra grega que significa “acção de graças”, pelas in-
úmeras e grandiosas graças que Deus nos concede.
Quem agradece dispõe-se a receber mais graças.
Foi o que já fez o vosso filho no decurso desta
catequese e se comprometeu a fazer, participando
de novo na Eucaristia dominical, em que certa-
mente se irá lembrar mais uma vez de vós. Sobretu-
P ara guardar na memória e no coração :
do se tiver a graça de ter a vossa companhia e a
vossa acção de graças também por ele.
A Missa também se chama Eucaristia, porque nela damos graças
a Deus, como fez Jesus antes de transformar o pão no seu Corpo
e o vinho no seu Sangue.
68
16. Na Eucaristia ouvimos a Palavra do Senhor

Leitura… Estimados irmãos e irmãs, hoje escutámos…

69
Naquele tempo,
disse Jesus às multidões:
«Escutai:
Saiu o semeador a semear.
Enquanto semeava,
uma parte da semente caiu à beira do caminho;
vieram as aves e comeram-na.
Outra parte caiu em terreno pedregoso,
onde não havia muita terra;
logo brotou, porque a terra não era funda.
Mas, quando o sol nasceu, queimou-se
e, como não tinha raiz, secou.
Outra parte caiu entre espinhos;
os espinhos cresceram e sufocaram-na
e não deu fruto.
Outras sementes caíram em boa terra
e começaram a dar fruto,
produzindo trinta, sessenta e cem por um.»
E Jesus acrescentava:
«Quem tem ouvidos para ouvir, oiça.»
Mc 4, 3 – 9

70
I
D A semente é a tua palavra, Senhor.
Quem a acolhe no coração, I
D
dará fruto e terá vida.

Escuto a tua
Palavra quando…

… Aprendo o que trabalhamos na Catequese … Participo na Eucaristia.

… Faço o que Deus me pede. 71


Em Família,
A semente é a tua palavra Caríssimos pais/educadores
Provavelmente já vos apercebestes de que o vosso
filho, pelo menos desde as duas catequeses anteri-
ores, tem estado a aprender as principais fórmu-
las usadas na Eucaristia, para nela poder participar
de um modo mais atento e activo, nomeadamente
quando fizer a Primeira Comunhão. É possível que
ele já as conhecesse. Se não, incentivai-o a fixá-las
de cor, com a ajuda do catecismo.
Mas que seja no sentido original da palavra “cor”,
que, em latim, significa “coração”, a sede do amor.
Quando somos amados por alguém e o amamos,
somos todos ouvidos para o que essa pessoa nos
diz.
Quando cai em bom terreno Mas haverá quem nos ame tanto como Deus, que
nos deu o seu Filho Jesus Cristo?! E se Este nos
dá muito fruto. convida tanto a escutá-lo, é unicamente para nosso
O meu __ __ __ __ __ __ __ bem: para que o Reino de Deus, por Ele anunciado
e vivido, penetre na nossa vida e dê frutos de ver-
é um bom dadeiro amor.

t__ __ __ __ __ __ e acolhe É para isso que Jesus nos convida com a sugestiva
parábola de Mc 4, 3-9, proclamada nesta catequese.
com alegria e vontade de Procurai lê-la e meditá-la com o vosso filho, infor-
mando-vos do modo como ela foi apresentada e
fazer o que é bom, dos frutos que já está a produzir na sua vida, muito
antes de ele a conhecer.
a P__ __ __ __ __ __ de Deus! Frutos que – Deus queira – se devem também ao
que ele tem recebido de vós. Ou melhor: ao que
Deus tem semeado nos vossos corações e vós lhe
_______________ transmitis, através da vossa palavra e do vosso ex-
emplo de educadores cristãos que se deixam con-
(assinatura) duzir e animar pela poderosa e fecunda semente da
Palavra de Deus.
P ara guardar na memória e no coração :
Na Eucaristia é semeada a Palavra de Deus,
para a escutarmos e acolhermos no nosso coração.
72
17. Com Jesus, amamos os doentes

73
Leitura da carta de S.Tiago:
Irmãos:
Alguém de vós está doente?
Chame os presbíteros da Igreja
para que rezem sobre ele,
ungindo-o com óleo em nome do Senhor.
A oração da fé salvará o doente
e o Senhor o aliviará;
e, se tiver cometido pecados,
ser-lhe-ão perdoados.

Palavra do Senhor.
(tgo 5, 14 – 5)

74
Unção dos enfermos: para aliviar a dor e perdoar os pecados

O ração C ura

P alavra U nção Fé
- Palavra
- Oração
- Unção
P__ __D__ __

Que bom é experimentar, na dor e na aflição,


o AMOR especial que DEUS tem por nós!

75
Unção dos Enfermos, em __ /__ /__ Em Família,
Visitámos
“Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, ______ Caríssimos pais/educadores
perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.” As crianças, designadamente as que andam pela idade
do vosso filho, têm, habitualmente, uma grande sen-
sibilidade pelos doentes e os idosos. Elas próprias, é
“A oração da fé salvará o doente, e o Senhor o aliviará; sobretudo na doença que mais apreciam a atenção
dos outros. E não há dúvida: por vezes são tanto
e, se tiver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.” ou mais eficazes tais gestos de carinho do que me-
dicamentos que tomem. Uma criança, carenciada de
amor, sofre e até adoece muito mais.
“Concedei vida e saúde àquele/a a quem,
Faz parte central da actividade e mensagem de Jesus
em vosso nome, impomos as mãos.” esta especial solicitude pelos mais frágeis. “Tomou
sobre si as nossas doenças e enfermidades” – escreve
S. Mateus, no seu Evangelho (8,17), citando Is 53,4.
“Por esta Santa Unção e pela sua infinita misericórdia, De facto, não só curou inúmeros doentes, mas Ele
o Senhor venha em teu auxílio com a graça do Espírito Santo.” próprio passou pela mais terrível das enfermidades,
ao dar a vida por nós na cruz.
Com isso, abriu-nos o caminho para enfrentarmos
as fragilidades humanas como uma ocasião especial
para a vivência da nossa condição e missão de cris-
tãos. Se temos saúde, para a usarmos num serviço
dedicado a quem sofre. Se estamos doentes, para nos
entregarmos ainda mais a Deus, infinitamente po-
deroso na sua misericórdia. E há tantos cristãos que
descobrem então, guiados pela fé, um sentido novo
para a sua vida.
Para isso, Cristo deixou à sua Igreja o sacramento da
Unção dos Enfermos, para a cura de tudo o que nos
faz sofrer: a doença e o pecado. Uma cura em que
participou o vosso filho, nesta catequese. Informai-
vos junto dele como tudo aconteceu, e vereis quanto
bem pode fazer quem tem fé… para seu próprio
bem.

Visitamos___________
Para guardar na memória e no coração:
dia __ /__ /__
Jesus ama tanto os doentes, que nos deixou o sacramento da às __:__ horas
Unção dos Enfermos, para os aliviar e lhes perdoar os pecados.
76
18. Confesso que pequei
Mas que acontece,
quando não escolhemos o que
é certo e bom, o que Deus
e Jesus nos ensinaram e
pedem? Vamos pensar
Quem ama um pouco.
como Eu é feliz!

Sou de Cristo,
sou feliz!

Sou de Cristo,
sou feliz!

Amar como Jesus é escolher o bem.


Praticar o Bem - Ser de Cristo - Ser Feliz! 77
Quando Jesus estava a ser julgado dentro do tribunal,
Pedro estava sentado no pátio.
Uma criada aproximou-se dele e disse-lhe:
«Tu também estavas com Jesus, o Galileu.»
Mas ele negou diante de todos, dizendo:
«Não sei o que dizes.»
Dirigindo-se para o porta,
foi visto por outra criada
que disse aos circunstantes:
«Este homem estava com Jesus de Nazaré.»
E, de novo, ele negou com juramento:
«Não conheço tal homem.»
Pouco depois, aproximaram-se os que ali estavam
e disseram a Pedro:
«Com certeza tu és deles,
pois até a fala te denuncia.»
Começou então a dizer imprecações e a jurar:
«Não conheço tal homem.»

E imediatamente um galo cantou.


Então, Pedro lembrou-se das palavras que Jesus lhe
dissera:
«Antes de o galo cantar, tu me negarás três vezes.»
E saindo, chorou amargamente.

Mt 26, 69 – 75

78
Escolher o bem, como Jesus nos ensina
Paro para pensar:

Jesus, eu disse que


não te conhecia,
Jesus, eu agi como
se não quisesse
saber nada do que
tu nos ensinas.
Vivi uma situação em que
não fui capaz de escolher o bem.
Pequei quando:
Fiz algo de mal, de errado, contrário à
Falhei e
Errei, mas não
quero repetir.
vontade de Deus e de Jesus. fiz mal.
Afastei-me de Deus e de Jesus -
- não fui capaz de Amar.
Quando peco, o meu coração pode chorar de
tristeza. Como reencontro a alegria?

A R __ __ P __N D __ __-SE.

Reconheço que fiz algo de errado e arrependo-me diante de Deus.


79
Em Família,
Eu, ________________, arrependo-me diante Caríssimos pais/educadores
de Deus e dos irmãos para recuperar a alegria! Nesta catequese, o vosso filho iniciou a sua
preparação para a celebração do sacramento da
Penitência ou Reconciliação. “Penitência” significa
o “arrependimento”, necessário para a reconcilia-
ção com Deus e os outros, a quem ofendemos com
os nossos pecados, destruindo aquela comunhão
Confesso a Deus todo-poderoso E peço à Virgem Maria, que tão felizes nos faz.
e a vós, irmãos, aos Anjos e Santos Para a restabelecermos, o primeiro passo a dar é
o arrependimento: reconhecermos que pecámos
que pequei muitas vezes e a vós, irmãos, e que o pecado prejudica, não apenas aqueles que
por pensamentos e palavras, que rogueis por mim ofendemos, mas também quem os comete. Se ao
actos e omissões, a Deus, nosso Senhor. amor respondemos com a ingratidão, manifestada
de tantos modos, ficamos sós.
por minha culpa, Antes de mais, em relação a Deus. Todos os peca-
minha tão grande culpa. dos são ofensas contra Ele, uma vez que é d’Ele
que recebemos todos os bens, incluindo as pessoas
que Ele colocou na nossa vida: as que tanto nos
amam e aquelas que precisam do nosso amor.
Por isso, é diante de Deus que, em primeiro lugar,
reconhecemos que pecamos. Mais: é Ele quem nos
dá a coragem para isso, principalmente através da
sua Palavra, em que nos oferece o seu perdão e nos
convida à conversão.
A Palavra que Ele, nesta catequese, dirigiu ao vosso
filho é a de Mt 26, 69-75: a negação de Jesus, por
parte de S. Pedro, que, porém, logo se apercebeu
da gravidade do que tinha feito. E “chorou”, certa-
- Aprender a oração para confessar os pecados mente por ver como Jesus, ao dar a sua vida, estava
- Pensar nos pecados que cometi, por pensamentos e palavras, actos e omissões. a amá-lo ainda com maior intensidade: não só a Pe-
dro, mas também ao vosso filho… e a vós - para a
todos fazer felizes, pelo perdão.

P ara guardar na memória e no coração :


Confesso a Deus, todo – poderoso, e a vós, irmãos,
que pequei muitas vezes...
80
19. "Meu Deus, porque sois tão bom..."

Estou
Eu pequei e arrependida,
peço perdão. não quero voltar a
pecar.

PERDÃ
O

... ajudai-me a não tornar a pecar.


81
Quando Jesus se manifestou aos seus discípulos,
junto ao mar de Tiberíades, depois de comerem,
perguntou a Simão Pedro:
«Simão, filho de João,
amas-me mais do que estes?»
Ele respondeu-lhe:
«Sim, Senhor, Tu sabes que Te amo.»
Disse-lhe Jesus:
«Apascenta os meus cordeiros.»
Voltou a perguntar-lhe pela segunda vez:
«Simão, filho de João, tu amas-me?»
Pedro respondeu-lhe:
«Sim, Senhor, tu sabes que te amo.»
Disse-lhe Jesus:
«Apascenta as minhas ovelhas.»
Perguntou-lhe pela terceira vez:
«Simão, filho de João, tu amas-me?»
Pedro entristeceu-se, por Jesus lhe ter pergunta-
do pela terceira vez se O amava e respondeu-lhe:
«Senhor, tu sabes tudo. Bem sabes que Te amo.»
Disse-lhe Jesus:
«Apascenta as minhas ovelhas.»
Jo 21, 15 – 17

82
Um coração limpo e bom para amar, como no nosso Baptismo.

«Pai, perdoa-lhes,
porque não sabem
o que fazem.»

Jesus perdoa sempre…

… para eu,___________, me arrepender e ac__ __t__ __ o


P__ __d__ __ que me oferece.

Porque amo Jesus eu…

Jesus morreu por nós,


para nos salvar.
83
Acto de Contrição Em Família,
Caríssimos pais/educadores
“Tu amas-me?” – Esta pergunta foi feita por Jesus
Meu Deus, ressuscitado a S. Pedro (Jo 21,15-17). Por três vezes

porque sois tão bom Ajudai-me - tantas quantas ele, na altura da condenação de Je-
sus à morte, havia negado conhecê-l’O. Um amor,
Tenho muita pena a não tornar a pecar. portanto, à medida do pecado cometido e como
condição para acolher o perdão que lhe é oferecido.
de vos ter ofendido. Sinais dessa oferta tinham sido a pesca milagrosa e
a refeição que se seguiu, ambas devidas à interven-
ção de Jesus (Jo 21,1-14). A refeição aponta para a
Eucaristia, a pesca simboliza a actividade mission-
ária dos discípulos. Na Eucaristia Jesus fortalece-os
com o seu Corpo e o seu Sangue, isto é, com aquele
amor que os capacita para anunciar o Evangelho. Só
amando porque é amado e como é amado, Pedro
Tu amas-me? poderá realizar a sua missão de pastor da Igreja do
Senhor.
Porque é este amor o único caminho eficaz para um
verdadeiro arrependimento dos pecados, por isso Je-
sus fez ao vosso filho a mesma pergunta: “Tu amas-
me?” Respondeu, beijando a imagem de Jesus cruci-
ficado, em reconhecimento pelo amor que o levou a
arrepender-se dos pecados cometidos.
Mas também a cada um de vós Jesus pergunta: “Tu
amas-me?” Ele sabe que, com o seu amor, cumpri-
reis muito melhor a vossa missão de pais (ou seus
substitutos). E que bem fará ao vosso filho ouvir
também dos vossos lábios, em casa e na próxima
catequese: “Meu Deus, porque sois tão bom, tenho
muita pena de vos ter ofendido”…!

Eu, ___________.
Convite para a Festa da
P ara guardar na memória e no coração :
Reconciliação
Meu Deus, porque sois tão bom,
tenho muita pena de vos ter ofendido. dia __ /__ /__
Ajudai-me a não tornar a pecar. às __:__ horas.
84
20. "Tenho muita pena de vos ter ofendido"

s Pensamentos O
v ra mi
la ssõ
a es
os
P
S o u d e C r i s t o ,
t

Sou Feliz!
Ac

Acolho Jesus e Jesus


sou perdoado. perdoa-me para
me arrepender!

Reconciliação 85
...Ainda ele estava longe, quando o pai o viu:
encheu-se de compaixão
e correu a lançar-se-lhe ao pescoço,
cobrindo-o de beijos.
Disse-lhe o filho:
«Pai, pequei contra o céu e contra ti.
Já não mereço ser chamado teu filho.»
Mas o pai disse aos servos:
«Trazei depressa a túnica mais bela e vesti-lha.
Ponde-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés.
Trazei um vitelo gordo e matai-o.
Comamos e festejemos,
porque este meu filho estava morto e voltou à vida,
estava perdido e foi reencontrado.»
E começou a festa.
Lc 15, 20 – 24

86
Perdoa-nos Senhor, à tua casa queremos voltar.
A __ __ __

Acto de Contrição Absolvição


Pai, pequei contra vós. «Deus, Pai de misericórdia, que, pela morte
Já não mereço ser chamado vosso filho. e ressurreição do teu Filho, reconciliou o
mundo consigo e enviou o Espírito Santo
Tende compaixão de mim, para remissão dos pecados, te conceda,
que sou pecador. pelo ministério da Igreja, o perdão e a paz.
E eu te absolvo dos teus pecados em nome
do Pai e do Filho e do Espírito Santo.»

87
Em Família,
Receberemos o perdão do Senhor. Caríssimos pais/educadores
Vou preparar-me: Possivelmente conheceis situações semelhantes às
descritas por Jesus na parábola do Pai Misericor-
dioso (Lc 15, 11-32), e talvez até tenhais passado
por elas, nomeadamente como pais. Não que o
vosso filho tenha alguma vez chegado a um estado
tão degradante como o daquele filho mais novo. É
demasiado jovem para isso. Mas que, na sua idade,
tenha já cometido ofensas que afectam a sua rela-
ção convosco, certamente que sim.
É talvez nessas alturas que a vossa missão de edu-
cadores é mais difícil: como fazer para que o filho
se arrependa de tal modo do mal que fez que, tanto
quanto possível, não volte a cair no mesmo? Uma
coisa é certa: só pelo amor há uma conversão ao
amor. Ainda que esse caminho exija muita paciên-
cia, possível só a quem ama.
É esse amor que vai ser oferecido por Deus na cel-
ebração do sacramento da Reconciliação em que
o vosso filho vai participar pela primeira vez. Para
que seja uma experiência positivamente inesquecív-
el, ele precisa também a vossa colaboração.
Ajudai-o a preparar-se, designadamente em dois
pontos:
- Que ele tenha verdadeira consciência pessoal dos
pecados que cometeu, os descubra por si e não
Rezando Fazendo o exame da porque vós (ou outros) lhos ditastes.
minha consciência. - E que ele, por outro lado, não tenha medo de os
confessar ao sacerdote que, sobretudo neste sacra-
mento, é pai, como o da parábola e como, de resto,
indica o título de “Padre” com que mais frequent-
emente é tratado.
P ara guardar na memória e no coração :
Para isso, ele precisa também do vosso exemplo,
Pai, pequei contra vós. designadamente pela participação activa na mesma
Já não mereço ser chamado vosso filho. celebração.
Tende compaixão de mim, que sou pecador.
88
21. "Ajudai-me a não tornar a pecar"
Celebração do Sacramento da Reconciliação

Cristo

Reconciliação

Cristo Jesus, tu me chamaste a reconciliar-me com Deus, a Igreja e os Irmãos


89
Naquele tempo, Mas o pai disse aos servos: «Trazei depres-
disse Jesus a seguinte parábola: “Certo ho- sa a túnica mais bela e vesti-lha. Ponde-lhe
mem tinha dois filhos. O mais novo disse um anel no dedo e sandálias nos pés. Tra-
ao pai: «Pai, dá-me a parte da herança que zei o vitelo gordo e matai-o. Comamos e
me toca.» festejemos, porque este meu filho estava
O pai repartiu os bens pelos filhos. Alguns morto e voltou à vida, estava perdido e foi
dias depois, o filho mais novo, juntando reencontrado.»
todos os seus haveres, partiu para um país E começou a festa.
distante e lá esbanjou tudo quanto possuía, Ora o filho mais velho estava no campo.
numa vida dissoluta. Tendo gasto tudo, Quando regressou, ao aproximar-se de
houve uma grande fome naquela região, e casa, ouviu a música e as danças. Chamou
ele começou a passar privações. Entrou ao um dos servos e perguntou-lhe o que era
serviço de um dos habitantes daquela terra aquilo.
que o mandou para os seus campos guar-
dar porcos. Bem desejava ele matar a fome O servo respondeu-lhe: «O teu irmão vol-
com as alfarrobas que os porcos comiam, tou, e teu pai mandou matar o vitelo gor-
mas ninguém lhas dava. do, porque chegou são e salvo.»
Então, caindo em si, disse: «Quantos tra- Ele ficou ressentido e não queria entrar.
balhadores de meu pai têm pão em abun- Então o pai veio cá fora instar com ele.
dância, e eu aqui a morrer de fome! Vou- Mas ele respondeu ao pai: «Há tantos anos
me embora, vou ter com meu pai e dizer- que te sirvo, sem nunca transgredir uma
lhe: Pai, pequei contra o Céu e contra ti. ordem tua, e nunca me deste um cabrito
Já não mereço ser chamado teu filho, mas para fazer uma festa com os meus amigos.
trata-me como um dos teus trabalhadores.» E agora, quando chegou esse teu filho, que
Pôs-se a caminho e foi ter com o pai. consumiu os teus bens com mulheres de
Ainda ele estava longe, quando o pai o viu: má vida, mataste-lhe o vitelo gordo.»
encheu-se de compaixão e correu a lançar- Disse-lhe o pai: «Filho, tu estás sempre co-
se-lhe ao pescoço, cobrindo-o de beijos. migo, e tudo o que é meu é teu. Mas tínha-
Disse-lhe o filho: «Pai, pequei contra o mos de fazer uma festa e alegrar-nos, por-
Céu e contra ti. Já não mereço ser chama- que o teu irmão estava morto e voltou à
do teu filho.» vida, estava perdido e foi reencontrado».”
Lc 15, 11-32

90
Quando pecamos,
entristecemos a Deus e as
pessoas que ofendemos. E
não conseguimos sentir-nos
bem. Devemos reconhecer que
pecámos e…

…pedir perdão!

Então, entramos na
festa e ficamos de
novo felizes!

91
Eu te absolvo
Em Família,
dos teus pecados, em Caríssimos pais/educadores
nome do Pai e do Filho
e do Espírito Santo. O mal que fazemos nunca atinge e prejudica so-
mente as pessoas que directamente ofendemos.
Se, por exemplo, um marido ofende a esposa ou
vice-versa, os filhos também sofrem. Mesmo que
s não saibam o que realmente se passou entre o pai e
Perdoai-nos a , a mãe. Um e outro, ainda que o não queiram, pas-

nossas ofensass
sam a ter um relacionamento diferente com os fil-
hos. É que a ofensa que cometeram ou sofreram
assim como nó modificou-os, para pior.

perdoamos a E o que vale para os filhos estende-se a outros fa-

quem nos tem


miliares e amigos, numa cadeia que não tem fim.
Quem não sofre, se vê o amigo a sofrer?! Isto é,
ofendido. todo o pecado tem uma dimensão social, muito
maior do que talvez se pense ou imagine. E não
admira, por isso, que na sociedade se tenham até
estabelecido maneiras de pensar e agir que, embora
Cantai, o Senhor é bom! erradas e destruidoras, se tornaram normais.
Se todo o pecado tem, pois, uma dimensão social,
o mesmo se passa com o perdão. Jesus ensinou-nos
a pedir a Deus, nosso Pai: “Perdoai-nos as nossas
P ara guardar na memória e no coração : ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos
tem ofendido.” É o perdão de Deus que nos ca-
Data: __ /__ /__ pacita para perdoarmos aos outros. Mas se não lhes
perdoamos, é sinal de que ainda não acolhemos o
perdão de Deus.
Por isso faz parte do sacramento da Reconciliação,
a penitência ou satisfação proposta pelo sacerdote
que, em nome de Deus e como representante da
Igreja, nos absolve dos nossos pecados. Incentivai
o vosso filho a cumpri-la, tal qual prometeu no fi-
nal da celebração penitencial em que participou…
para ser verdadeiramente feliz.

92
22. Na Eucaristia celebramos a oferta de Jesus por nós

Cristo

Quem acolhe a Palavra de Deus no seu coração,


é como o grão que cai em terra boa e dá muitos frutos.
93
Cristo
Naquele tempo,
enquanto comiam, Jesus tomou o pão, recitou a bênção,
partiu-o e deu-o aos discípulos, dizendo:
«Tomai o comei: Isto é o meu Corpo.»
Tomou em seguida o cálice, deu graças e entregou-lho, dizendo:
«Bebei dele todos, porque este é o meu Sangue, o Sangue da Aliança,
derramado pela multidão, para remissão dos pecados.
Eu vos digo que não beberei mais deste fruto da videira,
até ao dia em que beberei convosco
o vinho novo no reino de meu Pai.»
Mt 26, 26 – 29

94
I
D para que o
– Orai, ir mãos,
É o meu Corpo: tomai e comei! crifício seja
meu e vosso sa
Pai todo –
É o meu Sangue: tomai e bebei! aceite por Deus
Cristo
poderoso.
Porque Eu sou a Vida, o S e nhor por tuas
- R e c e b a
Porque Eu sou o Amor! rifício, para
mãos este sac e, para nosso
Ó Senhor, faz-nos viver no teu AMOR. om
glória do seu n anta Igreja.
as
bem e de toda
I
D
Sacrifício

I
D Jesus ofereceu-se a Deus por nós. DI
“Quem comer a minha carne e beber o meu sangue
Permanecerá em mim e eu nele.”
(Palavras de Jesus em Jo 6, 56) 95
Em Família,
Preparo-me para receber Jesus no meu coração. Caríssimos pais/educadores
Aproxima-se a Páscoa, a maior festa para nós cris-
3 tãos. Celebramos nela o acontecimento central da
Queremos Seguir Jesus
Leio no catecismo nossa salvação: a morte e ressurreição de Jesus. Ao
dar a vida por nós e por toda a humanidade, no acto
Queremos Seguir Jesus

mais supremo de amor, Ele obteve o que qualquer


ser humano mais deseja: a vitória definitiva sobre a
morte e tudo o que a ela conduz.
Toda a fé e vida da Igreja a que pertencemos está en-
CATEQUESE 3º ANO

raizada neste acontecimento pascal. E, consequent-


emente, é missão da Igreja actualizá-lo para as pes-
soas de todos os tempos e lugares. Os sacramentos,
com um destaque especial para a Eucaristia, estão
entre os meios mais privilegiados para o fazer.
FUNDAÇÃO SECRETARIADO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CRISTÃ

Por tudo isto, incentivámos o vosso filho a partici-


par nestas diversas celebrações da Semana Santa:
Visito Jesus na igreja no dia __ /__ /__. desde o Domingo de Ramos, passando pela Quinta
e pela Sexta Feira Santa, até à Vigília Pascal e ao Do-
mingo da Ressurreição. Com a Festa da sua Primeira
Comunhão a aproximar-se, é esta a melhor prepa-
ração.
ber Jesus:
Como me preparo para rece
Apesar de nem sempre ser fácil essa participação,
nomeadamente para quem nessa altura se ausenta
para o descanso de férias, cremos que vale a pena
o sacrifício. O vosso filho ficar-vos-á certamente
muito grato, se lhe facilitardes aquilo que, afinal, só
é para seu bem – o melhor bem, também para vós.

Celebração hão
da Primeira Com
un

de _________________
P ara guardar na memória e no coração : na __________________ras.
ho
dia __ /__ /__ às __:__
Receba o Senhor por tuas mãos… __
Catequista_____________
96
23. "Felizes os convidados para a Ceia do Senhor."
Celebração da Primeira Comunhão

97
Na tarde daquele dia, o primeiro da semana, estando
fechadas as portas da casa onde os discípulos se
encontravam, com medo dos judeus, veio Jesus,
colocou-se no meio deles e disse-lhes: «A paz esteja
convosco.» Dito isto, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os
discípulos ficaram cheios de alegria ao verem o Senhor.
Jesus disse-lhes de novo: «A paz esteja convosco. Assim
como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós.»
Dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: «Recebei o
Espírito Santo: àqueles a quem perdoardes os pecados
ser-lhes-ão perdoados; e àqueles a quem os retiverdes
ser-lhes-ão retidos.»
Tomé, um dos Doze, chamado Dídimo, não estava
com eles quando veio Jesus. Disseram-lhe os outros
discípulos: «Vimos o Senhor.» Mas ele respondeu-lhes:
«Se não vir nas suas mãos o sinal dos cravos, se não
meter o dedo no lugar dos cravos e a mão no seu lado,
não acreditarei.»
Oito dias depois, estavam os discípulos outra vez em
casa e Tomé com eles. Veio Jesus, estando as portas
fechadas, apresentou-se no meio deles e disse: «A paz
esteja convosco.» Depois disse a Tomé: «Põe aqui o teu
dedo e vê as minhas mãos; aproxima a tua mão e mete-a
no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente.» Tomé
respondeu-lhe: «Meu Senhor e meu Deus!» Disse-
lhe Jesus: «Porque me viste acreditaste: felizes os que
acreditam sem terem visto.»
Jo 20, 19 – 29
98
O Baptismo fez-nos Cristãos.
Sim, quero seguir Jesus

Senhor, Perdoa-me porque pequei. Rezamos por quem vai receber pela
primeira vez o Corpo e o Sangue de Jesus

99
Em Família,
Hoje, Jesus veio ao meu coração
pela primeira vez Caríssimos pais/educadores
“Felizes os convidados para a Ceia do Senhor!” -
Foi, certamente, com especial alegria e emoção que
ouvistes e saboreastes estas palavras, na celebração
em que o vosso filho fez a sua Primeira Comun-
hão.
Não é para menos: ver o vosso filho que, de certo
modo, faz parte do vosso corpo e sangue, a ali-
mentar-se do Corpo (e Sangue) de Cristo, que por
ele, por vós, por toda a humanidade, deste modo
deu e continua a dar a vida - que mais lhe podereis
desejar?! Saber que esta comunhão com o Senhor
é fonte indispensável para uma comunhão muitís-
simo mais forte e indestrutível convosco e com to-
dos os que fazem parte da sua vida - que melhor
poderá ele ter?!
O convite para tomar parte nesta Ceia maravilho-
sa, continua a ser-lhe feito. Se vos sentis realmente
felizes, então certamente que tudo fareis para que
ele o continue a aceitar e se mantenha nesta co-
munhão de vida: nomeadamente por uma partici-
pação assídua, persistente e activa na Eucaristia,
sobretudo dominical. Só assim ele crescerá na fé
e numa prática de vida que, porque guiada e for-
__/__/__ talecida pelo amor, o faz verdadeiramente feliz…
como a vós.
__/__/__ Em próximas catequeses ser-lhe-á oferecida a opor-
tunidade de aprofundar os seus conhecimentos so-
bre a Eucaristia. Com a vantagem de nela já par-
ticipar de um modo pleno. Poderá assim confirmar,
por experiência própria, o que for aprendendo. Se
o partilhar convosco, tanto melhor. É sinal de que
se sente cada vez mais amado por Cristo e de que
vos ama.

Estiveram comigo:
_________________________________________________
100
24. "Fica connosco, Senhor"

101
... Então Jesus disse-lhes:
«Homens sem inteligência e lentos de espírito,
para acreditar em tudo o que os profetas anuncia-
ram!
Não tinha o Messias de sofrer tudo isso para entrar
na sua glória?»
Depois, começando por Moisés e passando pelos
Profetas, explicou-lhes em todas as Escrituras o que
lhe dizia respeito.
Ao chegarem perto da povoação para onde iam,
Jesus fez menção de ir para diante. Mas eles conven-
ceram-n’O a ficar, dizendo: «Ficai connosco, porque
o dia está a terminar e vem caindo a noite.» Jesus
entrou e ficou com eles. E quando se pôs à mesa,
tomou o pão, recitou a bênção, partiu-o e entregou-
lho. Nesse momento abriram-se-lhes os olhos e
reconheceram-no.
Mas Ele desapareceu da sua presença.
Disseram então um para o outro: «Não ardia cá
dentro o nosso coração, quando Ele nos falava pelo
caminho e nos explicava as Escrituras?»
Partiram imediatamente de regresso a Jerusalém e
encontraram reunidos os Onze e os que estavam
com eles, que diziam: «Na verdade, o Senhor ressus-
citou e apareceu a Simão.»
E eles contaram o que tinha acontecido no caminho
e como O tinham reconhecido ao partir o pão.

102
Quando comungamos o Corpo e o Sangue de Jesus
ficamos a vê-lo com os olhos do nosso coração.

103
Na Eucaristia, Jesus fala connosco:
Em Família,
LITURGIA DA PALAVRA Caríssimos pais /educadores
Ouvir Jesus, no centro de cada Eucaristia e através
do sacerdote que preside, dizer-nos: “Isto é o meu
Corpo entregue por vós”, e “Este é o cálice do meu
Sangue, o Sangue da nova e eterna aliança que será
derramado por vós e por todos, em remissão dos
pecados” – escutar estas palavras provoca a uma
profunda admiração e a um total reconhecimento.
É o mesmo que dizer-nos que nos ama tanto, que
nos dá a sua vida, de que fazem parte o corpo e o
sangue. O corpo, no sentido que tinha em hebraico
(a língua de Jesus), significa a pessoa, enquanto se
Na Eucaristia, Jesus fica connosco: relaciona, se dá. O sangue, porque imprescindível
para se viver, era considerado um dos principais
LITURGIA EUCARÍSTICA elementos que nos faz vivos.
Nesse sentido, quase se pode dizer que também
vós ofereceis o vosso corpo e o vosso sangue pelo
vosso filho, ao gastar-vos para que ele tenha o
a r í s t ica: Liturgia: necessário para viver.
Euc ção Só que amar assim, exige uma energia que, em
de Ac ças Serviço muitos casos, ultrapassa as capacidades humanas.
ra Por isso é que os cristãos não podem dispensar a
de G oferta que Cristo ressuscitado nos faz na refeição
da Eucaristia.
Uma refeição em que a mesa do seu Corpo e
Sangue é, antes disso, preenchida pela sua Palavra.
São as leituras bíblicas, nela proclamadas, que nos
preparam os olhos do coração para podermos re-
P ara guardar na memória e no coração : conhecer e acolher o amor de Cristo.
A Santa Missa é composta de duas partes: Para uma melhor compreensão de tudo isto, lede
o texto de Lc 24, 13-35, se possível acompanhados
Na Liturgia da Palavra escutamos a Palavra de Deus; pelo vosso filho e ouvindo dele a explicação que
Na Liturgia Eucarística, Jesus oferece-nos o seu Corpo e o seu Sangue. lhe foi dada nesta catequese.

Participar na Eucaristia.
104
25. Celebremos o Dia do Senhor

Hoje é Domingo, é dia de Festa.


105
Leitura dos Actos dos Apóstolos:
Os irmãos eram assíduos
ao ensino dos Apóstolos,
à comunhão fraterna,
à fracção do pão e às orações.
Act 2, 42

106
Senhor,
Pela Palavra que hoje e em cada Domingo nos deste:
Nós te agradecemos a Palavra que nos deste.
Pelo Pão vivo que hoje e em cada Domingo nos deste:
Nós te agradecemos o Pão que nos deste.
Pela Igreja, em que somos irmãos uns dos outros, em comunhão fraterna:
Nós te agradecemos a Igreja que nos deste.
Pelo Domingo em que celebramos o teu amor na tua morte e ressurreição:
Nós te agradecemos o Domingo que nos deste.

107
O Domingo é o grande dia Em Família,
que ilumina todo o resto da semana! Caríssimos pais/educadores
Geralmente quando se fala em “fim-de-semana”,
pensa-se no Sábado e no Domingo. O que não está
totalmente certo. Basta ver como ao Domingo se
segue a “Segunda-Feira” e não a “Primeira”.
No domingo Não se deverá este modo de dizer e pensar ao
facto de a maioria das pessoas, incluindo cristãos,
dia __ /__ /__ eu fazerem do Domingo um simples Sábado, isto é,
conforme o significado original deste nome, um
dia de “descanso”?
Não é que o Domingo não seja primariamente
para descansar. Só que as energias que nós cristãos
recuperamos nesse dia, provêm, além do repouso
do trabalho, também daquilo que está incluído no
nome que, entre nós, se dá a esse dia: deixou há
muito de se chamar “Dia do Sol”, para ser “Dies
Dominica” (em latim), isto é, “Dia do Senhor”. Foi
escolhi receber o no primeiro dia da semana que o Senhor ressuscita-

p__ __ v__ __ __.


do apareceu, pela primeira vez, aos seus discípulos.
Por isso, desde então, lhe consagraram esse dia.
Em primeiro lugar pela celebração da Eucaristia,
em que Ele mais nos oferece a vida que por nós
deu na cruz, a vida que tem como ressuscitado. Um
amor que, conforme é dito em Act 2, 42, nos é
exposto e explicado pelo “ensino dos Apóstolos”
Ouvir a (contido particularmente na Bíblia), nos leva à
“oração”, vivida de um modo especial na “fracção
P__ __ __ __ __ __ do pão” (outro nome dado à Eucaristia) e nos faz
viver em “comunhão fraterna”, pela partilha de
bens, qualidades e dons.
É assim que o “dia do Senhor” se torna para nós,
no dizer de um autor antigo, o “Senhor dos dias”,

Viver em Igreja.
pela luz e força que nos dá para os restantes dias
da semana. Que o diga o vosso filho, nomeada-
mente através das actividades propostas para esta
semana.
P ara guardar na memória e no coração :

O Domingo é o dia do Senhor.


108
26. Padres para Servir

109
Naquele tempo,
levantou-se uma questão entre os Apóstolos:
qual deles se devia considerar o maior?
Disse-lhes Jesus:
«Os reis das nações exercem domínio sobre elas
e os que têm sobre elas autoridade
são chamados benfeitores.
Vós não deveis proceder desse modo.
O maior entre vós será como o menor
e aquele que manda seja como quem serve.
Pois quem é o maior:
O que está à mesa ou o que serve?
Não é o que está à mesa?
Ora Eu estou no meio de vós
como aquele que serve.»
Lc 22, 24 – 27

110
Sou Padre,
sou feliz!

Senhor, Pai Santo,


nós vos pedimos pelos Sacerdotes,
para que, pela sua pregação,
as palavras do Evangelho dêem fruto,
pela graça do Espírito Santo,
nos corações dos homens,
e cheguem até aos confins do mundo.

111
Em Família,
Rezámos pelo nosso sacerdote para que Caríssimos pais/educadores

seja sempre como Jesus lhe pede. É bem possível que já tenhais pensado no que há
de comum entre vós e o Padre. A começar pelo
nome: “Pai” e “Padre” têm a mesma origem na pa-
lavra latina “Pater”.
Também o sacerdote é pai, na medida em que dá
Enviamos o lenço ao Padre a vida, na sua dimensão espiritual, a novos seres,
que o tratam como Padre, em reconhecimento por
___________________________ aquilo que dele recebem. É um título em que se
estabelece uma relação de amor, dado e recebido.
que é tão feliz por ser um sacerdote Uma relação que leva ao prolongamento da vida,
como Jesus quer. muito para além daquele que a tem. Quem é pai
vive para os filhos e, depois, dos filhos a quem dá
a vida. Quanto mais o faz, mais vê como a sua vida
se vai tornando ilimitada. E como se sente feliz por
nidade
Na nossa comu
isso!

______
E tanto o Padre como o Pai é talvez na refeição
___________ que mais exercem a sua paternidade: o Padre, é na

s ã o ) s a c e r d o te(s): refeição eucarística, desde a última Ceia de Jesus


é( em que foi instituída. Após, qual pai de família, ter
_______
___________
dado o seu Corpo e Sangue aos seus discípulos,
disse-lhes Jesus: “Fazei isto em memória de mim”.
ar-nos _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _______ Com estas palavras instituiu o sacerdócio ministe-
Veio visit _
_____.
rial, uma graça em que participam os Bispos e os
_______ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _
___
Padres.
o Padre _
____
_______
E, na mesma última Ceia, indicou-lhes ainda o
modo como devem exercer o seu sacerdócio: no
!
Sou Feliz serviço, vivido no dom da vida. Como Jesus, que na
cruz se deu todo, e em total comunhão com Ele.
Foi para esta graça que chamámos a atenção do vosso
filho nesta catequese. E tanto ele como os colegas
rezaram pelos sacerdotes e se prontificaram a man-
P ara guardar na memória e no coração : ifestar-lhes a sua gratidão. Perguntai-lhe como…
sabendo que também assim estais a realizar a vossa
O Padre foi-nos dado por Deus para Servir a sua Igreja à missão de pais.
maneira de Jesus.
112
27. O Casal Cristão - Unido no Amor de Cristo

Prometo ser-te fiel, amar-te e respeitar-te, todos os dias da minha vida.


113
Irmãos:
Caminhai na caridade, a exemplo de Cristo,
que nos amou e Se entregou por nós.
Maridos, amai as vossas esposas,
como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela.
Ele quis santificá-la,
purificando-a no baptismo da água pela palavra da vida,
para a apresentar a si mesmo como Igreja cheia de glória,
sem mancha nem ruga, nem coisa semelhante,
mas santa e imaculada.
Assim devem os maridos amar as suas mulheres,
como os seus corpos.
Quem ama a mulher, ama-se a si mesmo.
Ninguém, de facto, odiou jamais o seu corpo,
antes o alimenta e lhe presta cuidados,
como Cristo à Igreja;
porque nós somos membros do seu Corpo.
Por isso, o homem deixará pai e mãe,
para se unir à sua mulher,
e serão dois numa só carne.
É grande este mistério,
digo-o em relação a Cristo e à Igreja.
Ef 5, 2a.25 – 32

114
Desça, Senhor,
sobre ______________ e
______________, e sobre todos
os casais cristãos, a abundância
das vossas bençãos.
E a virtude do Espírito Santo
A nossa família é berço de amor, inflame os seus corações, para
.
É berço de paz, em nosso Senhor que, no dom recíproco do seu
Na alegria e na tristeza amor, alegrem com seus filhos a
Na saúde e na doença. família e a Igreja.

115
O Amor que Em Família,
nos une… ...é aquele com
que Cristo nos Caríssimos pais/educadores
ama! A família é uma instituição fundamental na socie-
dade e na Igreja. Apesar de todas as dificuldades e
O matrimónio é um crises por que tem passado, na história familiar e
social. Ou talvez por isso mesmo: as crises fazem
Sacramento, porque parte do crescimento; e, se bem enfrentadas e geri-
o homem e a mulher das, acabam por ser ocasiões providenciais, para um

cristãos se casam por se


maior fortalecimento, uma união mais profunda e
uma felicidade mais autêntica e duradoira.

amarem na condição de Para isso, nem a família nem nenhum dos seus

membros do Corpo
membros pode ficar entregue a si próprio. E a
Igreja, consciente disso e da sua missão, tem-se es-
de Cristo. forçado por oferecer meios para que a família seja
o que deve ser: designadamente pela preparação
dos noivos para o matrimónio, pela seriedade que
exige na celebração deste sacramento e pelo apoio
aos casais cristãos e suas famílias, a diversos níveis
e com variados meios.
Nisso se insere também esta catequese. No centro
dela, está a Palavra de Deus de Ef 5, 2a.25-32 (que
podeis encontrar numa das páginas anteriores deste
- Rezar pela família catecismo). Nela se mostra como o amor, que o
- Contar o que fizemos na catequese marido e a esposa sentem um pelo outro, recebe
de Cristo uma energia e uma constância que não
teriam se contassem apenas com as suas forças
humanas. Se são cristãos convictos, é Cristo quem
neles fala, quando, no consentimento matrimonial,
prometem fidelidade um ao outro por todos os dias
da sua vida. E não há dúvida de que é na sua união
comum com Cristo que muitos casais conseguem
Esta é a minha família. realizar o que prometem.
Um desses casais foi apresentado ao vosso filho
nesta catequese. Informai-vos junto dele como isso
aconteceu e do que ele e os colegas fizeram e se
P ara guardar na memória e no coração :
propõem fazer, para que todos os casais cristãos
Como podem ser felizes o marido e a esposa que se amam e vivem vivam realmente unidos no amor de Jesus Cristo.
unidos, no amor de Jesus Cristo!
116
28. Os Sacramentos: A vida de Jesus na nossa vida

Jesus Cristo,
és meu amigo.

No Amor de Jesus
117
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
«O Filho do Homem tem de sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos príncipes dos sacerdotes e pelos
escribas; tem de ser morto e ressuscitar ao terceiro dia.»
E, dirigindo-se a todos, disse:
«Se alguém quiser seguir-me, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz todos os dias e siga-me. Pois quem quiser
salvar a sua vida, tem de perdê-la; mas quem perder a vida por minha causa, salvá-la-á. Na verdade, que aproveita
ao homem ganhar o mundo inteiro, se vier a perder-se ou a arruinar-se a si próprio?»
Lc 9, 22 – 25

118
Isto é o meu
Corpo, entregue
Eu _________
por Vós.
fui baptizado Este cálice é a
em nome do Pai nova aliança no
e do Filho e do Recebe________ meu Sangue.
Espírito Santo. _____________
_____________ ____________
____________ _____________
_____________
Por esta Santa Eu te ________
______________ Confirmação ou Crisma _____________
e pela infinita misericórdia, _____________
o Senhor venha em teu _____________
auxílio com a graça do _____________
Espírito Santo.

____________ Penitência ou Confissão

…no dom recíproco


…transmitam
do seu a__ __ __,
fielmente os vossos alegrem com seus filhos
d__ __ __. a f__ __ __ __ __ __
e a I__ __ __ __ __.

Ordem Matrimónio 119


Em Família,
Caríssimos pais/educadores
A nossa vida está cheia de contradições. É, ao mes-
mo tempo, o bem a que mais estamos agarrados
e o que mais nos escapa. Lutamos, com todos os
Terça-feira
Domingo

I
meios e durante toda a nossa existência, por viver e
Segunda-feira deparamo-nos com contínuas limitações.

D Daí que o ser humano, desde sempre, recorra a


tudo o que permita vencer esses obstáculos: de
modo especial a Deus, Autor e Senhor da vida. E
fá-lo, servindo-se de realidades visíveis e palpáveis
que fazem parte da sua vida e que usam como sím-
bolos, isto é, sinais de realidades que se não vêem,
mas se sabe que existem.
Quarta-feira Sábado É o caso dos sete sacramentos que a Igreja nos
Quinta-feira oferece e nos quais entram elementos e gestos
Sexta-feira

I
simbólicos: a água que lava; o óleo que fortalece
e embeleza; o perfume que atrai; o pão e o vinho

D
que alimentam; as mãos que transmitem energia e
poder, perdão e amor. Para tudo isso precisam da
Palavra que os precede e acompanha: é ela que, ao
mesmo tempo, dá sentido e poder vivificante às
acções litúrgicas, e desperta, para a adesão de fé,
aqueles que recebem cada sacramento.
São sete, um número indicativo de perfeição, porque
nos acompanham nos momentos mais importantes
da nossa vida. Completam o desenvolvimento hu-
mano, com o necessário fortalecimento espiritual:
no nascimento e crescimento (iniciação cristã); na
debilidade e fraqueza física e espiritual (cura); na
capacitação para o bem a fazer aos outros (serviço
de comunhão).
Nesta caminhada espiritual já se encontra o vosso
filho. Também ele deseja seguir a Cristo que, pelo
P ara guardar na memória e no coração : dom da vida na cruz, o pode ajudar a levar a sua
cruz, para ter a verdadeira vida, aquela que tanto
Pelos sete sacramentos, Deus ajuda-nos a sermos cada vez mais lhe desejais.
santos, com Jesus e como Jesus, ao longo da nossa vida.
120
29. O Santíssimo Sacramento da Eucaristia

121
Peço-vos irmãos, pela misericórdia de Deus,
que ofereçais os vossos corpos
como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus,
como culto espiritual.
Não vos conformeis com este mundo,
mas transformai-vos,
pela renovação espiritual da vossa mente,
para saberdes descobrir, segundo a vontade de Deus,
o que é bom,
o que lhe é agradável,
o que é perfeito.
Rm 12, 1 – 2

122
Ofereço o
Amo como
meu corpo.
Jesus.
- Isto é o meu Corpo,
entregue por vós…
Este é o meu Cálice
do meu Sangue, o
Sangue da nova e
eterna aliança que
será derramado por
vós e por todos em
remissão dos pecados.
A custódia “guarda” a
hóstia Consagrada Mistério da Fé

Eu, amo como Jesus.

Com um A__ __ __ como o de J__ __ __ __!


123
Sou capaz de Amar os outros Em Família,
e oferecer a minha vida por eles. Caríssimos pais/educadores

SEI
“Mistério da fé!” – É com esta exclamação (ou outra
semelhante) que o sacerdote interrompe o profundo
silêncio de adoração com que são escutadas as pa-
Terça-feira
Segunda-feira
AMAR! lavras e contemplados os gestos da consagração do
pão e do vinho, em cada celebração eucarística. A
resposta da assembleia é também uma exclamação de
fé: “Anunciamos, Senhor, a vossa morte, proclama-
mos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!”
Um anúncio e uma proclamação que vão para além da
Sexta-feira celebração. É tão forte o amor de Cristo aí recebido,
que não pode deixar de se manifestar no dia-a-dia da
vida dos que o comungam. Nesse sentido, exorta-nos

Quarta-feira Quinta-feira S. Paulo a oferecermos os nossos “corpos”, isto é, as


nossas vidas, “como sacrifício vivo, santo e agradável
a Deus, como culto espiritual” (Rom 12, 1).
E ainda para que tal aconteça, realizam-se, em mui-
tas comunidades, tempos de adoração ao Santíssimo
Sacramento, dos quais se destaca a procissão que, em
muitas terras, se realiza na solenidade do Corpo e
Domingo Sangue de Cristo. Acompanhamos Cristo sacramen-
tado por algumas das ruas em Ele continua a dar o
seu Corpo, através de nós que dele vivemos.
Sábado Esta e outras propostas foram feitas ao vosso filho.
Dar-lhe-eis certamente uma grande alegria, se o
apoiardes na sua realização e o acompanhardes na
próxima catequese... oferecendo, também assim, os
vossos corpos no dia-a-dia da vossa vida.

Convite para a
P ara guardar na memória e no coração :
Com o alimento que Jesus nos dá na Eucaristia, somos capazes de
Catequese 30,
ras em
amar os outros, oferecendo a nossa vida por eles. dia __ /__ /__ às __:__ ho
E que felizes nos sentimos, quando fazemos isso! ________________
124
30. "Permanecei em Mim"

Permanecei
em mim.

Sou de Cristo,
sou feliz!
Perdoa-nos Senhor,
as nossas faltas.

125
Disse Jesus aos seus discípulos:
«Eu sou a verdadeira vide e o meu Pai é o agricultor.
Ele corta o ramo que está em mim e não dá fruto
e limpa todo aquele que dá fruto,
para que dê ainda mais fruto.
Vós já estais limpos, por causa da palavra que vos anunciei.
Permanecei em mim e eu permanecerei em vós.
Como o ramo não pode dar fruto por si mesmo,
se não permanecer na videira,
assim também vós, se não permanecerdes em mim.
Eu sou a videira, vós sois os ramos.
Se alguém permanece em mim e eu nele,
esse dá muito fruto,
porque sem mim nada podeis fazer.»
Jo 15, 1 – 5

126
Anunciamos, Senhor, a vossa morte,
Proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus.

Jesus Cristo, és meu amigo.


Esta é a oferta do meu corpo,
da minha V__ __ __.
Eu, _________________,
vou: ____________________________
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________

Dou frutos de amor, de bem e de paz.


127
Em Família,
Caríssimos pais/educadores
O mais tardar após estes três anos de catequese do
vosso filho, apercebeis-vos da importância do vosso
contributo para a sua educação cristã. É principal-
mente de vós que ele recebe a vida. É em contacto
convosco que ele, entre os encontros semanais, mais
assimila e aprofunda o que aprende na catequese. É
pela vossa palavra e a vossa fé e prática cristã, que ele,
na idade em que está, mais pode encontrar o cami-
nho para Cristo e para a Igreja. E como ele vos está
grato por tudo isto!
Mas possivelmente também vós lhe estais agradeci-
dos pelo que dele tendes recebido. Devido ao que ele

_______
vos comunica dos encontros de catequese, é que tal-
vez tenhais sido estimulados a apoiá-lo no seu cresci-
26 25 24 2 mento cristão, caminhando com ele ao encontro do
30 29 28 27

Mapa da Vida Cristã de ______


3
1 31 único Deus que, em Cristo e na Igreja, vos pode dar

22
2
3

agosto 11
12 13 a verdadeira vida, fazer felizes.

21
9 10
4

8 Por isso, é também a vós que, nesta catequese, Cristo

20
14
6 7 convida, como aos discípulos na última Ceia: “Per-
5
28 29 30

manecei em mim e eu permanecerei em vós. Se al-

19
15
guém permanece em mim e eu nele, esse dá muito

18
16
18
17 fruto, porque sem mim nada podeis fazer” (Jo 15,
20 1 9 4.6). O fruto é o do amor fraterno, próprio dos seus

17
2 21 discípulos, constitutivo da Igreja, e que tem a sua
23 2 6 7
24 seteMbro
8
27

16
4 5 fonte principal no dom do seu Corpo e Sangue na
2 3
25

1 Eucaristia.
26

15
1
30 3
26

27

9
2 8 29 Fazemos votos para que o vosso filho aceite este

14
convite, juntamente convosco: já durante as férias e
25

12 11 10
24 16 15 14 13 no próximo ano de catequese.
23 21 20 19 18 17 13
22 12
10 11
8 9
_____
À Familia ____________
6 7
euCarístia
Julho 2 3 4 5
oração
1 boas aCções o catequista
_
____________________
Confissão

férias!
deseja umas boas
o ano
Inscrições para o próxim
no dia: __ /__ /_
_
128
CÂNTICO nº 01 CÂNTICO nº 02

Cânticos “ CRISTO JESUS, TU ME CHAMASTE “


Música e Letra: Henrique Faria
“ JESUS, EU AMO-TE “
Música e Letra: Rocha Monteiro

D
Cristo Jesus, tu me chamaste, 1. Jesus, eu amo-Te,
Eu Te respondo: “Estou aqui”. Jesus, eu amo-Te,
Tu me chamaste pelo meu nome, Jesus, eu amo-Te,
Eu te respondo: “Estou aqui”. Jesus, eu amo-Te.
1. Quero subir à montanha, 2. Tu és Filho de Deus,
Quero ouvir a tua voz. Tu és Filho de Deus,
Quero subir à montanha Tu és Filho de Deus,
E falar contigo a sós. Tu és Filho de Deus.
2. Disse Jesus aos Apóstolos: 3. Tu és o meu Senhor,
Lançai as redes ao mar Tu és o meu Senhor,
Sereis pescadores de homens: Tu és o meu Senhor,
Dos homens que eu vim salvar. Tu és o meu Senhor.
3. A voz de Cristo nos chama, 4. Jesus, eu creio em Ti,
Ouçamos o seu clamor: Jesus, eu creio em Ti,
Toma a tua cruz e segue-me, Jesus, eu creio em Ti,
Quem te fala é o teu Senhor. Jesus, eu creio em Ti.
4. Pelos caminhos do mundo
Procuro os que andam perdidos.
Se eu bater à tua porta
Não me feches os ouvidos.

5. Muitos poderão salvar-se


Se a tua fé for ardente.

I
O cristão é luz de Deus

D
A iluminar toda a gente.
CÂNTICO nº 04 6. Com Francisco e com Jacinta CÂNTICO nº 03 4. Jesus Cristo, estou contente
Nós cantamos a esperança: E vou dizê-lo
“ JESUS CRISTO É SENHOR “ Deus é Amor, Deus é Paz! “ JESUS CRISTO ÉS MEU AMIGO “ A toda a gente.
Música: Cristiana Lameiro Em Jesus fez-Se criança! Música e Letra: Henrique Faria Na voz da minha oração,
Letra : Fernando Melro Rezando alto
1. Jesus Cristo , és meu amigo, Esta canção:

I
Jesus Cristo é Senhor vais a meu lado,
Que de seu Pai nos traz
Um reino só de Amor,
Um reino só de Paz.
Um reino só de Paz.
D E eu vou contigo,
Jesus Cristo estás em mim.
Quero cantar-te,
dizendo assim:
5. Tu dizes: “Isto vos mando:
Amai-vos todos
Como eu vos amo”.
Ó Jesus, a ti vou dar
A minha vida
1. A Deus glória nas alturas És para mim, Jesus, Para Te amar.
E paz aos homens na terra! Caminho e grande luz!
Não seja Deus ofendido És para mim, Senhor meu bem, 6. Minha vida é pequenina,
Fazendo os homens a guerra. e grande amor. És amor! Mas teu Espírito
É quem me ensina,
2. Porque Deus é nosso Pai 2. Ó Jesus, sei que me chamas Gritando dentro de mim
E Jesus nosso Irmão Pelo meu nome, Os teus segredos
Nós dizemos sim à paz Com amizade, De amor sem fim.
À guerra dizemos não! Ó Jesus, Tu vais falar:
Estou atento
3. Vós, homens não inventeis, Para escutar.
A paz à vossa maneira,
Pois à maneira de Deus 3. Para ti está voltado
Paz é amor sem fronteira! Meu coração
Jesus amado.
4. Cada criança que nasce Jesus Cristo, és todo meu:
É divina promessa Meu coração

I
De que toda a guerra acabe É todo teu.

D
E a paz na terra floresça!

5. Maria, sois nossa Mãe


Porque sois a Mãe de Deus !
Revelai-nos vosso filho
Como a Paz que vem dos Céus!
CÂNTICO nº 05 CÂNTICO nº 06 4. Sou de Cristo, vivo para Ele,
porque Ele é para mim
“ SENHOR, EU CREIO QUE SOIS CRISTO “ “ SOU DE CRISTO, SOU FELIZ “ Vida que vem de Deus, vida sem fim.
Música e Letra: Fernandes da Silva Música e Letra: Cristiana Lameiro Sou de Cristo, Filho de Maria.
Também ela nos diz:
Senhor, eu creio que sois Cristo, 1. Sou de Cristo, canto de alegria! Quem meu Filho seguir será feliz.
eu creio que sois Cristo, Filho de Deus vivo; Porque vindo dos céus,
Eu creio, Senhor, que sois o Salvador do mundo, no baptismo me fez filho de Deus
que sois o Salvador do mundo Sou de Cristo, canto minha fé!
Porque é Ele o Senhor
1. A toda a hora bendirei o Senhor que por mim deu a vida com tanto
o seu louvor estará sempre na minha boca. amor.
A minha alma gloria-se no Senhor;
Ouçam e alegrem-se os humildes.

2. Enaltecei comigo o Senhor.


E exaltemos juntos o seu nome
Sou de Cristo, sou feliz!
Sou de Cristo, sou feliz!
Sou de Cristo, sou de Cristo,
sou de Cristo, sou feliz!
I
D
Procurei o Senhor e Ele atendeu-me,
Libertou-me de toda a ansiedade. 2. Sou de Cristo, ouço a sua voz,
porque é Ele a verdade
3. Voltai-vos para Ele e ficareis radiantes, e me fala de Deus com amizade.
O vosso rosto não se cobrirá de vergonha. Sou de Cristo, caminho sem medo,
Este pobre clamou e o Senhor o ouviu, porque Ele é minha luz,
salvou-o de todas as angústias. farol que me ilumina e me conduz.

4. O Anjo do Senhor protege os que O temem 3. Sou de Cristo, que vai a meu lado:
E defende-os dos perigos. Ele é quem me conduz
Saboreai e vede como O Senhor é bom; e me ajuda a levar a minha cruz.
Feliz o homem que n’Ele se refugia. Sou de Cristo, quero recebê-lo,

I
no Pão da Eucaristia,
5. Temei o Senhor, vós os seus fiéis como meu alimento de cada dia.
Porque nada falta aos que O temem.
Os poderosos empobrecem e passam fome,
Aos que procuram o Senhor não faltará riqueza alguma.
CÂNTICO nº 07
CÂNTICO nº 08 CÂNTICO nº 09

“ SENHOR JESUS, TU ÉS A LUZ “ “ A VOSSA PALAVRA, SENHOR “ “ ALELUIA. GLÓRIA AO SENHOR “
Música: Fernandes da Silva Música e Letra: Manuel Simões autor desconhecido
Letra: Fernando Melro
A vossa palavra, Senhor, Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia!
Senhor Jesus, tu és a luz é luz dos meus caminhos. Glória ao Senhor!
És quem nos traz o amor e a paz. Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia!
Senhor Jesus, tu és a luz 1. Quanto amo, Senhor, a vossa Palavra ! Glória ao Senhor!
És quem nos traz o amor e a paz. Nela medito durante todo o dia.
1. Glória ao Senhor, nosso Pai!
(Estrofes adaptadas pela Equipa do Catecismo): 2. Conservo a vossa palavra dentro do coração, Glória ao Senhor, nosso Pai!
1. Para vivermos na luz Para não pecar contra Vós. Glória ao Senhor, nosso Pai!
queremos seguir Jesus. (bis) Glória ao Senhor!
3. Abri, Senhor, os meus olhos
2. Jesus nos fala de Deus, para ver as maravilhas da vossa lei. 2. Glória ao Senhor, Jesus Cristo!
que fez a terra e os céus. (bis) Glória ao Senhor, Jesus Cristo!
4. Senhor, a vossa palavra permanece eternamente Glória ao Senhor, Jesus Cristo!
3. És a Palavra divina imutável como os céus. Glória ao Senhor!
que a todos nos ilumina. (bis)
3. Glória ao Espírito Santo!
4. Tu és o Cristo Senhor Glória ao Espírito Santo!
de todos o Salvador. (bis) Glória ao Espírito Santo!
5. Na dor és o nosso alento
na fome o nosso alimento. (bis)

6. Na luta contra o pecado


I
D
Glória ao Senhor!

4. Glória ao Senhor, nossa luz!


Glória ao Senhor, nossa luz!
Glória ao Senhor, nossa luz!
tenho Jesus a meu lado. (bis) Glória ao Senhor!
7. Com Cristo amo o irmão 5. Glória ao Senhor, que nos fala!
de todo o meu coração. (bis) Glória ao Senhor, que nos fala!
Glória ao Senhor, que nos fala!
Glória ao Senhor!
CÂNTICO nº 10 CÂNTICO nº 11

“ PREPARAI O CAMINHO DO SENHOR “ “ EIS QUE UMA VIRGEM “
Música e Letra: Teodoro de Sousa Música e Letra: Celestino Borges de Sousa

Vem Senhor, vem até nós, Eis que uma virgem conceberá
faz-nos ouvir a tua voz. e dará à luz um filho chamado Emanuel.

1. Jesus vem, nascerá p’ra todos nós, - Preparai o caminho do Senhor: 1. Abençoastes, Senhor, a vossa terra,
Para sempre connosco vai ficar, - Preparai o caminho do Senhor. restaurastes os destinos de Jacob.

2. Em Belém numa gruta muito pobre, - Preparai o caminho do Senhor 2. Perdoastes a culpa do vosso povo,
Vai nascer quem é rico de amor, - Preparai o caminho do Senhor. esquecestes todos os seus pecados

3. Nossa vida precisa de mudar - Preparai o caminho do Senhor 3. Mostrai-nos, Senhor, a vossa misericórdia
Não sabemos amar como Jesus - Preparai o caminho do Senhor. e dai-nos a vossa salvação.

4. João Baptista, Maria e José - Preparai o caminho do Senhor. 4. A sua salvação está perto dos que O temem
Todo o povo esperou Jesus com fé - Preparai o caminho do Senhor. e a sua glória habitará na nossa terra.

5. Nós também esperamos o Senhor - Preparai o caminho do Senhor 5. Encontraram-se a misericórdia e a fidelidade,
A alegria e a paz Ele nos vem dar - Preparai o caminho do Senhor. abraçaram-se a paz e a justiça.

(Estrofes adaptadas pela Equipa do Catecismo): 6. O Senhor dará ainda o que é bom
6. João Baptista proclama para nós - Preparai o caminho do Senhor e a nossa terra produzirá seus frutos.
No deserto faz ouvir a sua voz - Preparai o caminho do Senhor
7. A justiça caminhará à sua frente
7. Todo o vale seja alteado - Preparai o caminho do Senhor e a paz seguirá os seus passos.
Todo o monte e colina abatidos - Preparai o caminho do Senhor

8. O caminho seja endireitado - Preparai o caminho do Senhor


Deus a todos dará a salvação. - Preparai o caminho do Senhor.
I
D
CÂNTICO nº 12 CÂNTICO nº 13

“ A MINHA ALMA GLORIFICA O SENHOR “ “ AVÉ MARIA CHEIA DE GRAÇA “
Música e Letra: Carlos Silva Música e Letra: António Cartageno

A minha alma glorifica o Senhor
porque olhou para a sua humilde serva. 1. Avé Maria, cheia de graça
A minha alma glorifica o Senhor. contigo habita Nosso Senhor:
Por dom divino entre as mulheres,
1. A minha alma glorifica o Senhor Tu és bendita, divina flor.
e o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador.
Avé, Avé, Avé Maria.
2. Porque pôs os olhos na humildade da sua serva: Avé, Avé, Avé Maria.
de hoje em diante me chamarão bem-aventurada todas as gerações.
2. Lírio de encantos, perfume e luz,
3. O Todo-Poderoso fez em mim maravilhas: De cujo seio níveo brotou
Santo é o seu nome. Bendito fruto, Cristo Jesus,
O verbo eterno que a ti baixou.
4. A sua misericórdia se estende de geração em geração
Sobre aqueles que o temem. 3. Santa Maria, ó mãe de Deus,
Reza pelos filhos das tuas dores
5. Manifestou o poder do seu braço Roga, intercede, porque são teus
e dispersou os soberbos. E miseráveis pecadores.

4. Que a tua prece, Virgem poderosa,

I
6. Derrubou os poderosos de seus tronos
e exaltou os humildes. Nos acompanhe pela vida além;

7. Aos famintos encheu de bens


e aos ricos despediu de mãos vazias
D E que na morte venhas piedosa
Para assistir-nos, bendita Mãe!

5. Então, ó Virgem, Mãe do Senhor,


8. Acolheu a Israel seu servo, Em gozo eterno, suma alegria,
Lembrado da sua misericórdia, Nós bendiremos o teu amor,
Nós cantaremos: Avé Maria!
9. Como tinha prometido a nossos pais,
A Abraão e a sua descendência para sempre.
CÂNTICO nº 14 CÂNTICO nº 15 CÂNTICO nº 16

“ QUERO SER COMO TU, MARIA “ “ DLIM, DLÃO “ “ SOMOS A IGREJA DE CRISTO “
autor desconhecido Música: António Cartageno Música e Letra: Teodoro de Sousa
Letra: Rosária Nunes
1. Quero ser como Tu, Somos a Igreja de Cristo
Como Tu, Maria Dlim dlão, dlim dlão; e vivemos em comunhão.
Como Tu, um dia amor, alegria, Somos a Igreja de Cristo
Como Tu, Maria! dlim dlão, dlim dlão é Jesus Quem faz a união.
o sino anuncia;
2. Quero servir Jesus, Dlim dlão, dlim dlão, 1. Desde o dia do Baptismo
Como Tu, Maria todos a cantar, chamamo-nos cristãos
Como Tu, um dia dlim dlão, dlim dlão, pertencemos à Santa Igreja,
Como Tu, Maria! chegou o Natal. vivemos como irmãos.
3. Quero dizer meu “Sim”, 1. Jesus nasce, 2. Na família de Jesus
Como Tu, Maria tem um segredo todos têm um lugar
Como Tu, um dia p’ra nos dizer. e a única condição
Como Tu, Maria! Ele é Deus, é n’Ele acreditar.
vem viver connosco,
4. Quero amar Jesus, faz-nos viver. 3. Sempre que nos reunimos
Como Tu, Maria em nome de Jesus,
Como Tu, um dia 2. Todos juntos, Ele está no meio de nós
Como Tu, Maria! nós festejamos e dá-nos a sua luz.
com alegria:
5. Quero amar o irmão, Jesus Cristo (Refrão adaptado pela Equipa do Catecismo):
Como Tu, Maria faz anos hoje, Somos o Corpo de Cristo
Como Tu, um dia - Que lindo dia! e vivemos em comunhão.
Como Tu, Maria! Somos o Corpo de Cristo
é Jesus Quem faz a união.

I
D
CÂNTICO nº 17 CÂNTICO nº 18 CÂNTICO nº 19

“ DÁ-NOS SENHOR DESTE PÃO “ “ FORMAMOS UM SÓ CORPO “ “ DEUS, NOSSO PAI “
Música: José Pedro Martins Música e Letra: Carlos Silva Música e Letra: Carlos Silva
Letra: Maria Isolinda
Formamos um só corpo em Cristo Jesus Deus nosso Pai
Dá-nos, Senhor, dá-nos sempre este pão. Todos nós que comungamos o mesmo Senhor Que sois tão bom:
Dá-nos, Senhor, dá-nos o pão do Céu. Formamos um só corpo em Cristo Jesus. Bendito sejais!
Glória a Vós, Senhor!
1. Disse Jesus: 1. Há um só corpo e um só Espírito
O pão de Deus é o que desce do Céu. Vós fostes chamados a uma só esp’rança.
2. Disse Jesus:
É o meu Pai que vos manda o pão do Céu. 2. Há um só Senhor, uma só fé, um só baptismo;
um só Deus e Pai, que está acima de todos e em todos.
3. Disse Jesus:
Desci do Céu para vos alimentar 3. Esforçai-vos por manter a unidade do Espírito
4. Disse Jesus: pelo vínculo da paz.
Darei a vida pela vida do mundo.
4. Com toda a humildade, doçura e paciência,
5. Disse Jesus: suportai-vos uns aos outros na caridade.
Se acreditais, tereis a minha vida.
6. Disse Jesus: 5. A cada um de nós foi dada a graça,
Quem me comer fica em Mim e Eu nele. segundo a medida do dom de Cristo.
7. Disse Jesus:

I
6. Vivendo a verdade na caridade,
Quem vem a Mim não tem fome nem sede.

D
Cresçamos em tudo para Cristo.
8. Disse Jesus:
Eu sou o pão da vida, para sempre.
9. Disse Jesus:
E vivereis, comendo o Pão de Deus.
10. Disse Jesus:
Eu sou o pão que o Pai do Céu vos manda.
CÂNTICO nº 20 CÂNTICO nº 21 CÂNTICO nº 22

“ FALA, SENHOR, PELA BÍBLIA “ “ A SEMENTE É A TUA PALAVRA “ “ QUANTAS VEZES “
Música: Acílio Mendes Música e Letra: Carlos Silva Música e Letra: Miria Kolling
Letra: Miria Kolling
A semente é a Tua Palavra, Senhor. 1. Quantas vezes eu não fiz o meu irmão feliz:
Fala, Senhor! Fala Senhor: Quem a acolhe no coração Perdão, Senhor, Perdão, Senhor!
Eu quero escutar. dará fruto e terá a vida,
Fala, Senhor! Fala, Senhor: dará fruto e terá a vida. 2. Quantas vezes, por preguiça, eu não rezei a Deus:
Eu quero escutar. Perdão, Senhor, Perdão, Senhor!
1. Caiu à terra a semente,
1. Fala, Senhor, pela Bíblia: alegrou quem a acolheu. 3. Quantas vezes com meu pai e minha mãe teimei:
Tu és Palavra que salva! A seu tempo germinou, Perdão, Senhor, Perdão, Senhor!
rebento novo cresceu
2. Fala, Senhor, pela Igreja: 4. Quantas vezes na escola eu não estudei:
É tua presença no mundo! 2. Transformando a vida toda Perdão, Senhor, Perdão, Senhor!
a semente floresceu.
3. Fala, Senhor, pela História: Árvore boa se fez, 5. Quantas vezes meus amigos eu não desculpei:
É tua vida entre os homens! Pelos bons frutos que deu. Perdão, Senhor, Perdão, Senhor!

4. Fala, Senhor, pelas coisas: 3. Pela semente lançada


São teus sinais de bondade! e que dá frutos de amor,
Graças Te damos, ó Deus.
Nós Te louvamos, Senhor!

I
I
D
CÂNTICO nº 23 CÂNTICO nº 24 CÂNTICO nº 25

“ PERDOA-NOS, SENHOR “ “ CANTAI, O SENHOR É BOM “ “ É O MEU CORPO “
Música e Letra: Teodoro de Sousa Música: António Cartageno Música e Letra: M. Debaisieux
Letra: Gérard Grey
Perdoa-nos, Senhor, os nossos pecados; É o meu corpo: tomai e comei !
à Tua casa queremos voltar, Cantai, o Senhor é bom, É o meu sangue: tomai e bebei !
à Tua casa queremos voltar. Cantai, o Senhor é bom; Porque Eu sou a vida, porque eu sou o amor !
nas trevas brilhou sua luz. Ó Senhor, faz-nos viver no teu amor !
1. Ó Deus, tem pena de mim Cantai, o Senhor é bom,
Porque és misericórdia. cantai, o Senhor é bom; 1. Como o Senhor nos amou jamais alguém pode amar,
E apaga os meus pecados, a vida nos deu em Jesus. p’lo caminho da justiça nos ensina a caminhar.
minhas faltas não recordes. Quando estamos reunidos e partilhamos seu pão,
1. O Pai nos reúne, Ele nos dá o seu amor e a sua paz.
2. Reconheço os meus pecados, o Pai nos reúne,
pequei contra Ti, Senhor. de nós faz um povo. 2. Como o Senhor nos amou, jamais alguém pode amar.
Lava-me e ficarei puro, Por Cristo nos dá, Em tudo o que nos legou, manifesta o seu amor:
ainda mais branco que a neve. por Cristo nos dá Quem comer a minha carne e o meu sangue beber
um coração novo. permanecerá em Mim e Eu nele.
3. Ó Senhor, não me abandones,
dá-me sempre tua Palavra; 2. O Reino chegou, 3. Sempre que este pão tomais e deste cálice bebeis
Ela me enche de alegria, o Reino chegou até que Ele volte sua morte anunciais.
dá-me força para a vida. ao meu coração. Quem no mundo quer amar, é um membro do seu corpo,
Jesus me salvou, nada o pode separar do seu amor.
4. Por tua grande bondade Jesus me salvou,
não afastes o teu rosto. deu-me o seu perdão. 4. Como o Senhor nos amou, jamais alguém pode amar;
Eu sei que olhas para mim percorreu o seu país para a todo o povo falar;
porque estou arrependido. 3. É bela a notícia, revelou-lhe a salvação e falou-lhe de seu Pai;
é bela a notícia proclamou a liberdade e o amor!
que Jesus me traz:
Estou perdoado, 5. Como o Senhor nos amou, jamais alguém pode amar;
estou perdoado, no dia da grande Ceia, os pés aos seus Ele foi lavar;
tenho a sua paz. “Sabeis o que Eu vos fiz. Eu que sou Mestre e Senhor
Eu vos dei o meu exemplo de amor!”
CÂNTICO nº 26 CÂNTICO nº 27 CÂNTICO nº 28

“ NÓS TE AGRADECEMOS “ “ HOJE É DIA DE FESTA “ “ SERVIR É ALEGRIA “
Música e Letra: Teodoro de Sousa Música e Letra: Carlos Silva Música e Letra: António Cartageno

1. Nós Te agradecemos, 1. Hoje é dia de festa; é o dia do Senhor! 1. Servir é alegria,


Nós Te agradecemos, Senhor Alegremo-nos e cantemos: o Senhor ressuscitou. colaborar é vida.
a Palavra que nos deste, Fazer comunidade
a Palavra que nos deste; Aleluia, aleluia, por Ti, ó meu Senhor
um sinal do teu amor. aleluia, aleluia,
aleluia, aleluia, aleluia. Eu vim para servir,
2. Nós Te agradecemos, diz o Senhor Jesus,
Nós Te agradecemos, Senhor 2. Hoje é dia de festa: é o dia do Senhor! como Eu fiz,
o pão vivo que nos deste, Alegremo-nos e cantemos: Jesus Cristo nos salvou. fazei vós também.
o pão vivo que nos deste;
um sinal do teu amor. 3. Hoje é dia de festa: é o dia do Senhor! 2. Maior é o que serve
Alegremo-nos e cantemos: Deus está no meio de nós. Maior é o que dá.
3. Nós Te agradecemos, Maior é quem se oferece
Nós Te agradecemos, Senhor 4. Hoje é dia de festa: é o dia do Senhor! Maior és Tu, Senhor
a Igreja que nos deste, Alegremo-nos e cantemos: Jesus Cristo é nosso Rei.
a Igreja que nos deste; 3. O padre é o que serve,
um sinal do teu amor. O padre é quem se dá.
O padre é quem se entrega,
(Estrofes adaptadas pela Equipa do Catecismo) Por ti, ó meu Senhor.
4. Nós Te agradecemos,
Nós Te agradecemos, Senhor
o Domingo que nos deste,

I
o Domingo que nos deste;

D
um sinal do teu amor.

5. Nós Te agradecemos,
Nós Te agradecemos, Senhor
os padres que Tu nos deste,
os padres que Tu nos deste;
um sinal do teu amor.
CÂNTICO nº 29 CÂNTICO nº 30 6. No grupo da catequese,
Aprendemos a escutar
“ A NOSSA FAMÍLIA “ “ JESUS CRISTO É NOSSO AMIGO “ A Palavra da Verdade
Música: Teodoro de Sousa Música: António Cartageno Que nos faz assim cantar:
Letra: Equipa do Catecismo Letra: António Aparício
7. Na pessoa do doente,
A nossa família 1. Aos domingos, que alegria Dos que sofrem e estão sós,
é berço de amor toca o sino a reunir É Jesus que humanamente,
É berço de paz P’ra divina Eucaristia Está no meio de nós.
em Nosso Senhor. que a todos faz ressurgir.
8. Quando rezo e faço o bem,
1. No princípio Deus criou o homem Jesus Cristo é nosso amigo E perdoo ao companheiro,
e a mulher lhe deu com grande amor. Jesus Cristo é nosso irmão Estou a anunciar também
São os dois um só e participam Está comigo, Está comigo, A Jesus, Deus verdadeiro.
na obra de Deus que é criador. Está no nosso coração.
2. Deus é uma família muito unida, 2. Ao redor do seu altar
ela nos convida ao amor fraterno. Em manhã de amor e de luz,
O Pai com o Filho dão a vida Aqui vimos comungar;
p’ra nascer o Espírito eterno. Vimos receber Jesus.

I
3. A família é também Igreja 3. A sagrada comunhão

D
quer em alegria quer em dor; É Jesus Eucaristia
os pais com os filhos são sinal Alimento, força e luz,
do amor de Deus, nosso Senhor. Nosso Pão de cada dia.
4. E também Jesus teve família, 4. A primeira comunhão
com seus pais vivia em Nazaré. É o pão que o Pai nos dá
Era obediente e aprendia, É Jesus que vem a nós,
amava Maria e José. É Jesus novo maná.
5. Na Cova da Iria os Pastorinhos 5. Quando a Igreja nos baptiza
viram a família de Jesus; Pequeninos, a crescer,
Maria e José com o menino, É Jesus que realiza
dando ao mundo bênção, paz e luz. O poder de renascer