Vous êtes sur la page 1sur 2

Pensadores

Síntese: Experiências com a integração de tecnologias ao currículo

Na escola as mudanças não acontecem rapidamente como na tecnologia. Isso


é um fator que precisa ser superado, porque nos dia de hoje, não se usam apenas
livros, jornais e revistas como subsídios do material didático. Os novos recursos, entre
eles a Internet, passaram a ser usados em situações de ensino-aprendizagem.
Este foi o elemento motivador para a discussão envolvendo experiências com a
integração de tecnologias ao currículo. Para isso, reuniram cinco professores das
disciplinas de Filosofia, Língua Portuguesa, Literatura e Matemática com a finalidade
de discutir e trocar experiências em situações de ensino-aprendizagem abordando
temas como a navegação pela Internet, ferramenta de autoria (blog) e hipertexto,
adequando ao currículo leitura e produção textual em Língua Portuguesa e Literatura;
a utilização do Power Point na construção de gráficos (estatística) e o geoplano para
visualização de um sólido geométrico planificado, recursos utilizados em Matemática;
e em Filosofia as abordagens sistemática, histórica, temática e textual para a reflexão
e análise de diversos temas, pesquisados na Internet ou através de vídeos.
Segundo o relato do grupo as atividades desenvolveram-se em uma média de
quatro a seis aulas, e possibilitaram a troca de experiências entre professor e aluno.
Análises em diferentes perspectivas foram abordadas. Assim, argumentou-se
sobre a necessidade de desenvolver, junto aos professores das disciplinas citadas, a
capacidade de representação dos conteúdos que ministram, em múltiplas linguagens,
apoiadas em diferentes meios de comunicação, ou tecnologias educacionais, seja
interativas ou convencionais, como forma de agregar valor ao seu próprio trabalho,
qualificando o produto de sua pesquisa.
E, ainda, que os professores não devem descuidar do planejamento de
elementos destinados a enriquecer a exposição dos conteúdos, mesmo que a
transmissão de conhecimento não seja considerada como atividade predominante do
contexto da relação professor-aluno.
Sobre a questão da formação, discutiu-se que o professor necessita
desenvolver habilidades específicas para conhecer e explorar as linguagens e os
recursos tecnológicos oferecidos pelos ambientes de produção e disponibilização de
multimídia, bem como de mídias convencionais, como as explicações orais, os livros
ou mesmo a lousa (quadro de giz).
Além da reflexão sobre a importância do uso das diferentes tecnologias na
atividade docente falou-se também, sobre o comportamento do aluno diante das TICs,
que o mesmo deixou de ser passivo para se tornar ativo no seu processo de ensino-
aprendizagem. Ele passou a desenvolver competências e habilidades, como ter
autonomia, pensar, criar, e pesquisar.
Por outro lado, notou-se que a questão do erro como forma de construção.
Nesse sentido, errar não é um problema, porque não implicou em vergonha e nem
punição, mas sim, em um momento para refletir e encontrar a direção lógica da
solução.

Professores: ● Lizionete e Rafael (Matemática)

● Ronaldo (Filosofia)

● Rosângela (Língua Portuguesa)

● Rosimeire (Literatura)

Atv-4.4: Ronaldo Lima Brandão – Experiências com a integração de


tecnologias ao currículo