Vous êtes sur la page 1sur 1

A Cabala de Satan

Panteu

Plantaste no corao da terra tua espada fulgurante, Querubim! No corao da infiel amante que dos beijos de um deus no conservou consigo seno os germes da mentira e da decepo. Plantaste-a no corao da terra, Querubim! E a guarda expande-se em cruz de claridade - como flor. Teu gldio viril fecunda, Querubim, os ferimentos que fizeste, quando fecham, as cicatrizes so matrizes de luz, os seis que feriste tornaram-se maternais, os seres que abenoaste com tua rigidez deram luz a claridade e a vida! Mas, em vo, teu gldio atravessou o seio da prostituta do nadam, teu seio no estremeceu, continuou estril; e os seios no cresceram com o leite da imortalidade ... Esposa do velho Cronos, no conservou da virgem seno os mais tristes apangios, dois privilgios de morte - o frio e a infecundidade. terra, o beijo do teu esposo no te encontrou fecuda, teu esposo maldisse teus flancos sempre frios para ele, e seus ardores em vo renovados no reinaram teu mrmore, ele no aquece seno no adultrio, s investidas do adversrio e sob o abrao do mal ... Tua constante infidelidade concebe infatigavelmente, d a luz decepcionante iluso. S deste luz espectros e larvas infernais, frutos de tuas entranhas criminosas Mas o adversrio no existe, tuas ms noites so um sonho culpado, teus inmeros filhos so enganos que iludem sua esterilidade.