Vous êtes sur la page 1sur 34

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

CIÊNCIAS CONTÁBEIS

ALESSANDRO PIOVEZAN ARAGON

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

CONTABILIDADE EMPRESARIAL
APURAÇÃO DO RESULTADO

Machadinho D’Oeste
2009
ALESSANDRO PIOVEZAN ARAGON

APURAÇÃO DO RESULTADO

Trabalho apresentado à disciplina de Contabilidade


Empresarial da Universidade Norte do Paraná –
UNOPAR, como requisito parcial para a obtenção do título
de Bacharel em Ciências Contábeis.

Orientador: Prof. José Manoel da Costa

Machadinho D’Oeste
2009
SUMÁRIO

SUMÁRIO......................................................................................................................2
1 INTRODUÇÃO.......................................................................................................3
2 REGIMES DE APURAÇÃO DO RESULTADO CONTABIL..................................4
2.1 REGIME DE COMPETENCIA............................................................................4
2.2 REGIME DE CAIXA............................................................................................5
3 MÉTODOS DE DEPRECIAÇÃO DE BENS...........................................................6
3.1 MÉTODO DAS QUOTAS CONSTANTES.........................................................6
3.2 MÉTODO DA SOMA DOS DÍGITOS.................................................................6
3.3 MÉTODO DAS UNIDADES PRODUZIDAS.......................................................7
3.4 MÉTODO DAS HORAS DE TRABALHO...........................................................8
4 CONTAS REDUTORAS DO PASSIVO.................................................................9
5 DEMONSTRAÇÕES CONTABEIS......................................................................10
5.1 DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LIQUIDO - DMPL.10
5.1.1 Mutações nas Contas Patrimoniais..............................................................10
5.2 DFC..................................................................................................................12
5.3 DVA..................................................................................................................13
6 APURAÇÃO DO RESULTADO...........................................................................16
7 CONCLUSÃO......................................................................................................31
REFERÊNCIAS...........................................................................................................32
REFERÊNCIAS
3

1 INTRODUÇÃO

O processo de administração de uma empresa que busca conduzi-la


ao sucesso depende em grande parte das informações geradas pela contabilidade,
diante disso, faz-se necessário o tratamento correto dessas informações, bem como
sua precisa interpretação.
Neste trabalho de portfólio, vamos realizar de maneira prática o
processo de apuração do resultado de uma empresa comercial, a fim de
evidenciarmos o lucro ou prejuízo obtido, gerando nesse processo todas as
demonstrações envolvidas e que evidenciam as despesas, receitas, depreciações,
sua escrituração, até chegarmos ao balanço patrimonial, mostrando através dessa
demonstração como se encontra a posição patrimonial da empresa no fechamento
do exercício.
3

2 REGIMES DE APURAÇÃO DO RESULTADO CONTABIL

2.1 REGIME DE COMPETENCIA

O reconhecimento das receitas e gastos é um dos aspectos básicos


da contabilidade que devem ser conhecidos para poder avaliar adequadamente as
informações financeiras.

O regime de competência é um princípio contábil, que deve ser, na


prática, estendido a qualquer alteração patrimonial, independentemente de sua
natureza e origem.

Sob o método de competência, os efeitos financeiros das transações


e eventos são reconhecidos nos períodos nos quais ocorrem, independentemente
de terem sido recebidos ou pagos.

Isto permite que as transações sejam registradas nos livros


contábeis e sejam apresentadas nas demonstrações financeiras do período no qual
os bens (ou serviços) foram entregues ou executados (ou recebidos). É apresentada
assim uma associação entre as receitas e os gastos necessários para gerá-las.

As demonstrações financeiras preparadas sob o método de


competência informam aos usuários não somente a respeito das transações
passadas, que envolvem pagamentos e recebimentos de dinheiro, mas também
das obrigações a serem pagas no futuro e dos recursos que representam dinheiro
a ser recebido no futuro.

As receitas e as despesas devem ser incluídas na apuração do


resultado do período em que ocorrerem, sempre simultaneamente quando se
correlacionarem, independentemente de recebimento ou pagamento.

O reconhecimento simultâneo das receitas e despesas, quando


correlatas, é conseqüência natural do respeito ao período em que ocorrer sua
geração.
5

Para todos os efeitos, as Normas Brasileiras de Contabilidade


elegem o regime de competência como único parâmetro válido, portanto, de
utilização compulsória no meio empresarial.

2.2 REGIME DE CAIXA

Sob o regime de caixa, os recebimentos e os pagamentos são


reconhecidos unicamente quando se recebe ou se paga mediante dinheiro ou
equivalente.

Este método é freqüentemente usado para a preparação de


demonstrações financeiras de entidades públicas. Isto é devido ao fato de que o
objetivo principal da contabilidade governamental é identificar os propósitos e fins
para os quais se tenham recebido e utilizados os recursos, e para manter o
controle orçamentário da citada atividade.

Alguns aspectos da legislação fiscal permitem a utilização do regime


de caixa, para fins tributários. Porém, de modo algum o regime de competência pode
ser substituído pelo regime de caixa numa entidade empresarial, pois se estaria
violando um princípio contábil.

Se a legislação fiscal permite que determinadas operações sejam


tributadas pelo regime de caixa, isto não significa que a contabilidade deva,
obrigatoriamente, seguir seus ditames. Existem livros fiscais (como o Livro de
Apuração do Lucro Real – LALUR), que permitem os ajustes necessários e controles
de tal tributação, á margem da contabilidade.

O que não se pode nem se deve é submeter a contabilidade a uma


distorção, apenas para cumprir a necessidade de informação de um único
organismo, como é o caso do fisco.
3

3 MÉTODOS DE DEPRECIAÇÃO DE BENS

Por depreciação devemos entender como sendo o custo ou a


despesa decorrente do desgaste ou da obsolescência dos ativos imobilizados
(máquinas, veículos, móveis, imóveis e instalações) da empresa.

Ao longo do tempo, com a obsolescência natural ou desgaste com


uso na produção, os ativos vão perdendo valor, essa perda de valor é apropriada
pela contabilidade periodicamente até que esse ativo tenha valor reduzido a zero.

Em termos contábeis, o cálculo da depreciação deverá obedecer aos


critérios determinados pelo governo, através da Secretaria da Receita Federal, art.
305 do RIR/99, que estipula o prazo de depreciação dos ativos imobilizados.

3.1 MÉTODO DAS QUOTAS CONSTANTES

Por este método a depreciação é calculada dividindo-se o valor a ser


depreciado pelo tempo de vida útil do bem.

Exemplo: Um veículo com vida útil estimada de 5 anos tem valor


contábil de R$ 20.000,00. Calcular o valor da conta Depreciação Acumulada ao final
do terceiro ano.

Resolução: O valor a ser depreciado anualmente é de 4.000


(20.000/5). Logo, ao final do terceiro ano, o valor da Depreciação Acumulada é de
12.000 (3 x 4.000).

Observação: O custo (valor a ser depreciado) inclui a reavaliação e é


diminuído do valor residual do bem (valor residual é o valor que não está sujeito à
depreciação).
3

3.2 MÉTODO DA SOMA DOS DÍGITOS

Por este método teremos uma fração cujo denominador é formado


pela soma do número de anos de vida útil do bem e o numerador é composto dos
anos sucessivos.

Exemplo: Um bem tem prazo de vida útil de 5 anos e custo de


R$3.000,00. Calcular o valor da depreciação anual.

Resolução: Inicialmente somamos os algarismos que compõem o


número de anos: 1 + 2 + 3 + 4 + 5 = 15.

Assim, a depreciação é calculada como se segue:

Ano 1: 5/15 X 3.000 = 1.000


Ano 2: 4/15 X 3.000 = 800
Ano 3: 3/15 X 3.000 = 600
Ano 4: 2/15 X 3.000 = 400
Ano 5: 1/15 X 3.000 = 200

Observe que, por este método, a depreciação pode ser crescente ou


decrescente. No exemplo dado, o método é dos dígitos crescentes. Assim, se o
problema pedisse o valor da conta Depreciação Acumulada no segundo ano, a
resposta seria R$1.800,00.

Pelo método crescente, ao contrário, se o problema pedisse o valor


da conta Depreciação Acumulada após o segundo ano, a resposta seria R$600,00.

3.3 MÉTODO DAS UNIDADES PRODUZIDAS

Neste método a quota de depreciação é dada pela seguinte fórmula:

Número de unidades produzidas no período


Número de unidades estimadas a serem produzidas durante a vida útil do bem
5

Ex: Uma máquina, cujo custo é de R$ 10.000,00, produziu 3 milhões


de peças no primeiro ano e 6 milhões no segundo ano. Estima-se que durante a vida
útil do bem a máquina produzirá 30 milhões peças. Calcular o valor da depreciação
acumulada após o segundo ano.

Resolução: No primeiro ano, a depreciação será: 3 milhões / 30


milhões = 10%.

10% x 10.000 = 1.000.

No segundo ano: 6 milhões/30 milhões = 20%.

20% x 10.000 = 2.000.

Assim, a depreciação acumulada, após o segundo ano, é de


R$3.000,00.

3.4 MÉTODO DAS HORAS DE TRABALHO

A quota de depreciação é dada pela fórmula:

Número de horas trabalhadas no período


Número de horas de trabalho estimadas durante a vida útil do bem

A forma de cálculo é semelhante ao do problema anterior com a


diferença do parâmetro que, no caso, são as horas de trabalho do equipamento.
3

4 CONTAS REDUTORAS DO PASSIVO

Também conhecidas como Contas Retificadoras, estas são contas


do Passivo com características do Ativo, assim sendo, têm função inversa as do
Ativo, estas contas ficam do lado direito do balanço e devem sempre apresentar
saldos devedores. Para que uma conta do Passivo tenha saldo devedor é
necessário que os aumentos e diminuições nela ocorridos sejam assim registrados:
As diminuições geram Lançamentos à crédito e os aumentos à débito.
São Exemplos: Deságio a Amortizar, Juros a vencer, etc.
3

5 DEMONSTRAÇÕES CONTABEIS

5.1 DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LIQUIDO - DMPL

A elaboração da Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido


(DMPL) é facultativa e, de acordo com o artigo 186, parágrafo 2º, da Lei das S/A, a
Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA) poderá ser incluída
nesta demonstração.
A DMPL uma demonstração mais completa e abrangente, já que
evidencia a movimentação de todas as contas do patrimônio líquido durante o
exercício social, inclusive a formação e utilização das reservas não derivadas do
lucro.

5.1.1 Mutações nas Contas Patrimoniais

As contas que formam o Patrimônio Líquido podem sofrer variações


por inúmeros motivos, tais como:

Itens que afetam o total do patrimônio:

a) Acréscimo pelo lucro ou redução pelo prejuízo líquido do


exercício;

b) Redução por dividendos;

c) Acréscimo por reavaliação de ativos (quando o resultado for


credor);

d) Acréscimo por doações e subvenções para investimentos


recebidos;

e) Acréscimo por subscrição e integralização de capital;


3

f) Acréscimo pelo recebimento de valor que exceda o valor nominal


das ações integralizadas ou o preço de emissão das ações sem
valor nominal;

g) Acréscimo pelo valor da alienação de partes beneficiárias e


bônus de subscrição;

h) Acréscimo por prêmio recebido na emissão de debêntures;

i) Redução por ações próprias adquiridas ou acréscimo por sua


venda;

j) Acréscimo ou redução por ajuste de exercícios anteriores.

Itens que não afetam o total do patrimônio:

a) Aumento de capital com utilização de lucros e reservas;

b) Apropriações do lucro líquido do exercício reduzindo a conta


Lucros Acumulados para formação de reservas, como Reserva
Legal, Reserva de Lucros a Realizar, Reserva para Contingência
e outras;

c) Reversões de reservas patrimoniais para a conta de Lucros ou


Prejuízos acumulados;

A elaboração da Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido


é relativamente simples, pois basta representar, de forma sumária e coordenada, a
movimentação ocorrida durante o exercício nas diversas contas do Patrimônio
Líquido, isto é, Capital, Reservas de Capital, Reservas de Lucros, Reservas de
Reavaliação, Ações em Tesouraria e Lucros ou Prejuízos Acumulados.

Utiliza-se uma coluna para cada uma das contas do patrimônio da


empresa, incluindo uma conta total, que representa a soma dos saldos ou
transações de todas as contas individuais. Essa movimentação deve ser extraída
das fichas de razão dessas contas.
4

MEGA EMPRESA - DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO


DO EXERCÍCIO FINDO EM 31.12.2000 EM MILHARES DE R$

RESERVAS DE CAPITAL RESERVAS DE LUCROS Lucros Acumulados Total

Capital
Histórico Ágio na Sub-venções para Reserva Para Reserva Reserva
Realizado
Emissão de Inves-timentos Contingência Estatutária Legal
Ações

Saldo em 31.12.1999

Ajustes de Exercícios Anteriores:

efeitos de mudança de critérios


contábeis

retificação de erros de exercícios


anteriores

Aumento de Capital:

com lucros e reservas

por subscrição realizada

Reversões de Reservas:

de contingências

de lucros a realizar

Lucro Líquido do Exercício:

Proposta da Administração de
Destinação do Lucro:

Transferências para reservas

Reserva legal

Reserva estatutária

Reserva de lucros para expansão

Reserva de lucros a realizar

Dividendos a distribuir (R$ por ação)

Saldo em 31.12.2000

Figura 1 – Modelo de uma Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido - DMPL


Fonte: Site Portal de Contabilidade

1.1 DFC

A Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC) passou a ser um relatório


obrigatório pela contabilidade para todas as sociedades de capital aberto ou com
patrimônio líquido superior a R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais).

Esta obrigatoriedade vigora desde 01.01.2008, por força da Lei


11.638/2007, e desta forma torna-se mais um importante relatório para a tomada de
decisões gerenciais.

A Deliberação CVM 547/2008 aprovou o Pronunciamento Técnico


CPC 03, que trata da Demonstração do Fluxo de Caixa.
4

De forma condensada, esta demonstração indica a origem de todo o


dinheiro que entrou no caixa em determinado período e, ainda, o Resultado do Fluxo
Financeiro. Assim como a Demonstração de Resultados de Exercícios, a DFC é uma
demonstração dinâmica e também está contida no balanço patrimonial.

A Demonstração do Fluxo de Caixa irá indicar quais foram às saídas


e entradas de dinheiro no caixa durante o período e o resultado desse fluxo.

Seguindo as tendências internacionais, o fluxo de caixa pode ser


incorporado às demonstrações contábeis tradicionalmente publicadas pelas
empresas. Basicamente, o relatório de fluxo de caixa deve ser segmentado em três
grandes áreas:

I. Atividades Operacionais;

II. Atividades de Investimento;

III. Atividades de Financiamento.

As Atividades Operacionais são explicadas pelas receitas e gastos


decorrentes da industrialização, comercialização ou prestação de serviços da
empresa. Estas atividades têm ligação com o capital circulante líquido da empresa.

As Atividades de Investimento são os gastos efetuados no


Realizável a Longo Prazo ou no Ativo Permanente, bem como as entradas por
venda de ativos imobilizados.

As Atividades de Financiamento são os recursos obtidos do Exigível


a Longo Prazo e do Patrimônio Líquido. Devem ser incluídos aqui os empréstimos e
financiamentos de curto prazo. As saídas correspondem à amortização destas
dívidas e os valores pagos aos acionistas a título de dividendos, distribuição de
lucros.
3

1.1 DVA

A Demonstração do Valor Adicionado (DVA) é o informe contábil que


evidencia, de forma sintética, os valores correspondentes à formação da riqueza
gerada pela empresa em determinado período e sua respectiva distribuição.

Obviamente, por se tratar de um demonstrativo contábil, suas


informações devem ser extraídas da escrituração, com base nas Normas Contábeis
vigentes e tendo como base o Princípio Contábil da Competência.

A riqueza gerada pela empresa, medida no conceito de valor


adicionado, é calculada a partir da diferença entre o valor de sua produção e o dos
bens e serviços produzidos por terceiros utilizados no processo de produção da
empresa.

A utilização do DVA como ferramenta gerencial pode ser resumida


da seguinte forma:

a) Como índice de avaliação do desempenho na geração da


riqueza, ao medir a eficiência da empresa na utilização dos
fatores de produção, comparando o valor das saídas com o valor
das entradas;

b) Como índice de avaliação do desempenho social à medida que


demonstra, na distribuição da riqueza gerada, a participação dos
empregados, do Governo, dos Agentes Financiadores e dos
Acionistas.

O valor adicionado demonstra, ainda, a efetiva contribuição da


empresa, dentro de uma visão global de desempenho, para a geração de riqueza da
economia na qual está inserida, sendo resultado do esforço conjugado de todos os
seus fatores de produção.

A Demonstração do Valor Adicionado, que também pode integrar o


Balanço Social, constitui desse modo, uma importante fonte de informações à
medida que apresenta esse conjunto de elementos que permitem a análise do
3

desempenho econômico da empresa, evidenciando a geração de riqueza, assim


como dos efeitos sociais produzidos pela distribuição dessa riqueza.

MEGA EMPRESA
Demonstração do Valor Adicionado

em R$ mil 2000 2001

DESCRIÇÃO

1-RECEITAS

1.1) Vendas de mercadoria, produtos e serviços

1.2) Provisão p/devedores duvidosos – Reversão/(Constituição)

1.3) Não operacionais

2-INSUMOS ADQUIRIDOS DE TERCEIROS (inclui ICMS e IPI)

2.1) Matérias-Primas consumidas

2.2) Custos das mercadorias e serviços vendidos

2.3) Materiais, energia, serviços de terceiros e outros

2.4) Perda/Recuperação de valores ativos

3 – VALOR ADICIONADO BRUTO (1-2)

4 – RETENÇÕES

4.1) Depreciação, amortização e exaustão

5 –VALOR ADICIONADO LÍQUIDO PRODUZIDO PELA ENTIDADE (3-4)

6 – VALOR ADICIONADO RECEBIDO EM TRANSFERÊNCIA

6.1) Resultado de equivalência patrimonial

6.2) Receitas financeiras

7 – VALOR ADICIONADO TOTAL A DISTRIBUIR (5+6)

8 – DISTRIBUIÇÃO DO VALOR ADICIONADO


4

8.1) Pessoal e encargos

8.2) Impostos, taxas e contribuições

8.3) Juros e aluguéis

8.4) Juros s/ capital próprio e dividendos

8.5) Lucros retidos / prejuízo do exercício

* O total do item 8 deve ser exatamente igual ao item 7.

Figura 3 – Modelo de uma Demonstração do Valor Adicionado- DVA


Fonte: Site Portal de Contabilidade
3

1 APURAÇÃO DO RESULTADO

BALANCETE DE VERIFICAÇÃO EM 31/12/XX

MMS Comercio de Ferramentas Ltda.


Av. das Nações Nº1000 – Machadinho D’Oeste – RO

Contas Débito Crédito


Caixa R$ 2.550,00 R$ -
Bancos conta Movimento R$ 11.250,00 R$ -
Estoque de Mercadoria para Revenda R$ 53.800,00 R$ -
Móveis e Utensílios R$ 60.000,00 R$ -
Terrenos R$ 20.000,00 R$ -
Veículos R$ 36.000,00 R$ -
Depreciação Acumulada Móveis e Utensílios R$ - R$ 3.691,67
ICMS a Recuperar R$ 9.600,00 R$ -
PIS a Recuperar R$ 1.320,00 R$ -
Cofins a Recuperar R$ 6.080,00 R$ -
Depreciação Acumulada Veículos R$ - R$ 4.600,00
Duplicatas a Receber R$ 56.420,00 R$ -
Financiamento a Longo Prazo R$ - R$ 65.678,33
Fornecedores R$ - R$ 45.500,00
ICMS a Pagar R$ - R$ 13.200,00
PIS a Pagar R$ - R$ 1.815,00
COFINS a Pagar R$ - R$ 8.360,00
Salários a Pagar R$ - R$ 4.800,00
INSS a Pagar R$ - R$ 5.520,00
FGTS a Pagar R$ - R$ 1.200,00
Capital Social R$ - R$ 100.000,00
Vendas de Mercadorias R$ - R$ 110.000,00
ICMS sobre Vendas R$ 13.200,00 R$ -
PIS sobre Vendas R$ 1.815,00 R$ -
COFINS sobre Vendas R$ 8.360,00 R$ -
Custo das Mercadorias Vendidas R$ 58.000,00 R$ -
Despesas - Ordenados e Salários R$ 15.000,00 R$ -
Despesas - INSS R$ 4.170,00 R$ -
Despesas - FGTS R$ 1.200,00 R$ -
Despesas com Propaganda R$ 4.430,00 R$ -
Descontos Obtidos R$ - R$ 180,00
Juros sobre empréstimos R$ 1.350,00 R$ -
TOTAL R$ 364.545,00 R$ 364.545,00
3

Depreciação pelo Método das Quotas Constantes


Conta: Maquinas e Equipamentos
Bem: Prateleiras para exposição de mercadorias
Valor Contábil Bruto R$ 40.000,00
Data da Compra 02/01/XXXX
Data de inicio de utilização 02/01/XXXX
Valor depreciável R$ 30.000,00
Depreciação acumulada até Novembro/XX R$ 2.750,00
Vida útil em anos 10
Depreciação Dezembro/XX R$ 250,00

Conta: Maquinas e Equipamentos


Bem: Móveis de escritório
Valor Contábil Bruto R$ 10.000,00
Data da Compra 02/02/XXXX
Data de inicio de utilização 02/02/XXXX
Valor depreciável R$ 5.000,00
Depreciação acumulada até Novembro/XX R$ 416,67
Vida útil em anos 10
Depreciação Dezembro/XX R$ 41,67

Conta: Maquinas e Equipamentos


Bem: Balcões de recepção
Valor Contábil Bruto R$ 10.000,00
Data da Compra 02/02/XXXX
Data de inicio de utilização 02/03/XXXX
Valor depreciável R$ 7.000,00
Depreciação acumulada até Novembro/XX R$ 525,00
Vida útil em anos 10
Depreciação Dezembro/XX R$ 58,33

Conta: Veículos
Bem: VW Fox ano 2008 adquirido novo
Valor Contábil Bruto R$ 20.000,00
Data da Compra 02/06/XXXX
Data de inicio de utilização 02/06/XXXX
Valor depreciável R$ 16.000,00
Depreciação acumulada até Novembro/XX R$ 1.600,00
Vida útil em anos 5
Depreciação Dezembro/XX R$ 266,67
3

Conta: Veículos
Bem: Fiat Strada 2006 adquirida com 36 meses de uso
Valor Contábil Bruto R$ 16.000,00
Data da Compra 02/06/XXXX
Data de inicio de utilização 02/06/XXXX
Valor depreciável R$ 12.000,00
Depreciação acumulada até Novembro/XX R$ 3.000,00
Vida útil em anos 4
Depreciação Dezembro/XX R$ 500,00

BALANCETE DE VERIFICAÇÃO EM 31/12/XX


4

MMS Comercio de Ferramentas Ltda.


Av. das Nações Nº1000 – Machadinho D’Oeste – RO

Contas Débito Crédito


Caixa R$ 2.550,00 R$ -
Banco conta Movimento R$ 11.250,00 R$ -
Estoque de Mercadoria para Revenda R$ 53.800,00 R$ -
Móveis e Utensílios R$ 60.000,00 R$ -
Terrenos R$ 20.000,00 R$ -
Veículos R$ 36.000,00 R$ -
Depreciação Acumulada Móveis e Utensílios R$ - R$ 3.691,67
Depreciação Móveis e Equip. em 12/XX R$ - R$ 350,00
ICMS a Recuperar R$ 9.600,00 R$ -
PIS a Recuperar R$ 1.320,00 R$ -
COFINS a Recuperar R$ 6.080,00 R$ -
Depreciação Acumulada Veículos R$ - R$ 4.600,00
Depreciação de Veículos em 12/XX R$ - R$ 766,67
Duplicatas a Receber R$ 56.420,00 R$ -
Financiamento a Longo Prazo R$ - R$ 65.678,33
Fornecedores R$ - R$ 45.500,00
ICMS a Pagar R$ - R$ 13.200,00
PIS a Pagar R$ - R$ 1.815,00
COFINS a Pagar R$ - R$ 8.360,00
Salários a Pagar R$ - R$ 4.800,00
INSS a Pagar R$ - R$ 5.520,00
FGTS a Pagar R$ - R$ 1.200,00
Capital Social R$ - R$ 100.000,00
Vendas de Mercadorias R$ - R$ 110.000,00
ICMS sobre Vendas R$ 13.200,00 R$ -
PIS sobre Vendas R$ 1.815,00 R$ -
COFINS sobre Vendas R$ 8.360,00 R$ -
Custo das Mercadorias Vendidas R$ 58.000,00 R$ -
Despesas - Ordenados e Salários R$ 15.000,00 R$ -
Despesas - INSS R$ 4.170,00 R$ -
Despesas - FGTS R$ 1.200,00 R$ -
Despesas com Propaganda R$ 4.430,00 R$ -
Despesas com Depreciação no mês 12/XX R$ 1.116,67 R$ -
Descontos Obtidos R$ - R$ 180,00
Juros sobre empréstimos R$ 1.350,00 R$ -
TOTAL R$ 365.661,67 R$ 365.661,67

APURAÇÃO DAS RECEITAS E DESPESAS EM 31/12/XX


3

MMS Comercio de Ferramentas Ltda.


Av. das Nações Nº1000 – Machadinho D’Oeste – RO

RECEITAS VALOR R$
Venda de Mercadorias R$ 110.000,00
Descontos Obtidos R$ 180,00
Total R$ 110.180,00

Apuração das Despesas


DESPESAS VALOR R$
ICMS sobre Vendas R$ 13.200,00
PIS sobre Vendas R$ 1.815,00
COFINS sobre Vendas R$ 8.360,00
Custo das Mercadorias Vendidas R$ 58.000,00
Despesas - Ordenados e Salários R$ 15.000,00
Despesas - INSS R$ 4.170,00
Despesas - FGTS R$ 1.200,00
Despesas com Propaganda R$ 4.430,00
Despesas com Depreciação no mês 12/XX R$ 1.116,67
Juros sobre Empréstimos R$ 1.350,00
Total R$ 108.641,67

RESULTADO
DESPESAS RECEITAS
R$ 108.641,67 R$ 110.180,00
R$ 1.538,33

LIVRO DIÁRIOS - 31/12/XX

MMS Comercio de Ferramentas Ltda.


Av. das Nações Nº1000 – Machadinho D’Oeste – RO
3

Data Conta Devedora Conta Credora Histórico Valor


Pelo encerramento e
Apuração do
31/12/XX Venda de Mercadorias apuração do resultado do R$ 110.000,00
Resultado
exercício
Pelo encerramento e
Apuração do
31/12/XX Descontos Obtidos apuração do resultado do R$ 180,00
Resultado
exercício

LIVRO DIÁRIO - 31/12/XX

MMS Comercio de Ferramentas Ltda.


Av. das Nações Nº1000 – Machadinho D’Oeste – RO

Data Conta Devedora Conta Credora Histórico Valor


Pelo encerramento e
Apuração do
31/12/XX apuração do resultado
Resultado
ICMS sobre Vendas do exercício R$ 13.200,00
Pelo encerramento e
Apuração do
31/12/XX apuração do resultado
Resultado
PIS sobre Vendas do exercício R$ 1.815,00
Pelo encerramento e
Apuração do
31/12/XX COFINS sobre apuração do resultado
Resultado
Vendas do exercício R$ 8.360,00
Custo das Pelo encerramento e
Apuração do
31/12/XX Mercadorias apuração do resultado
Resultado
Vendidas do exercício R$ 58.000,00
Pelo encerramento e
Apuração do
31/12/XX Despesas - apuração do resultado
Resultado
Ordenados e Salários do exercício R$ 15.000,00
Pelo encerramento e
Apuração do
31/12/XX apuração do resultado
Resultado
Despesas - INSS do exercício R$ 4.170,00
Pelo encerramento e
Apuração do
31/12/XX apuração do resultado
Resultado
Despesas - FGTS do exercício R$ 1.200,00
Pelo encerramento e
Apuração do
31/12/XX Despesas com apuração do resultado
Resultado
Propaganda do exercício R$ 4.430,00
Despesas com Pelo encerramento e
Apuração do
31/12/XX Depreciação no mês apuração do resultado
Resultado
12/XX do exercício R$ 1.116,67
Pelo encerramento e
Apuração do
31/12/XX Juros sobre apuração do resultado
Resultado
Empréstimos do exercício R$ 1.350,00

LIVRO RAZÃO - 31/12/XX

MMS Comercio de Ferramentas Ltda.


Av. das Nações Nº1000 – Machadinho D’Oeste – RO
3

Conta: Venda de Mercadorias


Data Histórico Débito Crédito Saldo
R$110.000,0 R$110.000,0
Saldo Anterior 0,00 0 0
31/12/X Pelo encerramento e apuração do
X resultado do exercício. R$110.000,00 0,00 0,00

Conta: Descontos Obtidos


Data Histórico Débito Crédito Saldo
R$ R$
Saldo Anterior 0,00 180,00 180,00
31/12/X Pelo encerramento e apuração do
X resultado do exercício. R$ 180,00 0,00 0,00

Conta: ICMS sobre Vendas


Data Histórico Débito Crédito Saldo
R$ (R$13.200,00
Saldo Anterior 13.200,00 0,00 )
31/12/X Pelo encerramento e apuração do R$
X resultado do exercício. 0,00 13.200,00 0,00

Conta: PIS sobre Vendas


Data Histórico Débito Crédito Saldo
(R$
Saldo Anterior R$ 1.815,00 0,00 1.815,00)
31/12/X Pelo encerramento e apuração do R$
X resultado do exercício. 0,00 1.815,00 0,00

Conta: COFINS sobre Vendas


Data Histórico Débito Crédito Saldo
(R$
Saldo Anterior R$ 8.360,00 0,00 8.360,00)
31/12/X Pelo encerramento e apuração do R$
X resultado do exercício. 0,00 8.360,00 0,00

Conta: Custo das Mercadorias Vendidas


Data Histórico Débito Crédito Saldo
R$ (R$58.000,0
Saldo Anterior 58.000,00 0,00 0)
31/12/X Pelo encerramento e apuração do R$
X resultado do exercício. 0,00 58.000,00 0,00

Conta: Despesas - Ordenados e Salários


Data Histórico Débito Crédito Saldo
R$ (R$15.000,00
Saldo Anterior 15.000,00 0,00 )
3

31/12/X Pelo encerramento e apuração do R$


X resultado do exercício. 0,00 15.000,00 0,00

Conta: Despesas - INSS


Data Histórico Débito Crédito Saldo
(R$
Saldo Anterior R$ 4.170,00 0,00 4.170,00)
31/12/X Pelo encerramento e apuração do R$
X resultado do exercício. 0,00 4.170,00 0,00

Conta: Despesas - FGTS


Data Histórico Débito Crédito Saldo
(R$
Saldo Anterior R$ 1.200,00 0 1.200,00)
31/12/X Pelo encerramento e apuração do R$
X resultado do exercício. 0,00 1.200,00 0,00

Conta: Despesas com Propaganda


Data Histórico Débito Crédito Saldo
(R$
Saldo Anterior R$ 4.430,00 0,00 4.430,00)
31/12/X Pelo encerramento e apuração do R$
X resultado do exercício. 0,00 4.430,00 0,00

Despesas com Depreciação em


Conta: 12/XX
Data Histórico Débito Crédito Saldo
(R$
Saldo Anterior R$ 1.116,67 0,00 1.116,67)
31/12/X Pelo encerramento e apuração do R$
X resultado do exercício. 0,00 1.116,67 0,00

Conta: Juros sobre Empréstimo


Data Histórico Débito Crédito Saldo
(R$
Saldo Anterior R$ 1.350,00 0,00 1.350,00)
31/12/X Pelo encerramento e apuração do R$
X resultado do exercício. 0,00 1.350,00 0,00

Conta: Apuração do Resultado


Data Histórico Débito Crédito Saldo
Saldo Anterior R$ - R$ - 0,00
Pelo encerramento e apuração do R$110.000,0
31/12/XX resultado do exercício. R$ - R$110.000,00 0
Pelo encerramento e apuração do R$110.180,0
31/12/XX resultado do exercício. R$ - R$ 180,00 0
Pelo encerramento e apuração do
31/12/XX resultado do exercício. R$ 13.200,00 R$ - R$ 96.980,00
Pelo encerramento e apuração do
31/12/XX resultado do exercício. R$ 1.815,00 R$ - R$ 95.165,00
3

Pelo encerramento e apuração do


31/12/XX resultado do exercício. R$ 8.360,00 R$ - R$ 86.805,00
Pelo encerramento e apuração do
31/12/XX resultado do exercício. R$ 58.000,00 R$ - R$ 28.805,00
Pelo encerramento e apuração do
31/12/XX resultado do exercício. R$ 15.000,00 R$ - R$ 13.805,00
Pelo encerramento e apuração do
31/12/XX resultado do exercício. R$ 4.170,00 R$ - R$ 9.635,00
Pelo encerramento e apuração do
31/12/XX resultado do exercício. R$ 1.200,00 R$ - R$ 8.435,00
Pelo encerramento e apuração do
31/12/XX resultado do exercício. R$ 4.430,00 R$ - R$ 4.005,00
Pelo encerramento e apuração do
31/12/XX resultado do exercício. R$ 1.116,67 R$ - R$ 2.888,33
Pelo encerramento e apuração do
31/12/XX resultado do exercício. R$ 1.350,00 R$ - R$ 1.538,33

MEMÓRIA DE CÁLCULO: IRPJ e CSLL


Descrição Lucro Obtido Valor Apurado
IRPJ (15% sobre o lucro obtido) R$ 1.538,33 R$ 230,75
CSLL (9% sobre o lucro obtido) R$ 1.538,33 R$ 138,45

LIVRO DIÁRIO - 31/12/XX

MMS Comercio de Ferramentas Ltda.


Av. das Nações Nº1000 – Machadinho D’Oeste – RO

Conta
Data Devedora Conta Credora Histórico Valor
Pela apuração e
31/12/XX IRPJ IRPJ a Recolher R$ 230,75
lançamento do IRPJ
Pela apuração e
31/12/XX CSLL CSLL a Recolher R$ 138,45
lançamento do CSLL

LIVRO RAZÃO - 31/12/XX

MMS Comercio de Ferramentas Ltda.


Av. das Nações Nº1000 – Machadinho D’Oeste – RO

Conta: IRPJ
Data Histórico Débito Crédito Saldo
Saldo Anterior R$ - R$ - 0,00
Pela apuração e lançamento do
31/12/XX IRPJ R$ 230,75 R$ - (R$ 230,75)

Conta: IRPJ a Recolher


Data Histórico Débito Crédito Saldo
Saldo Anterior R$ - R$ - 0,00
3

Pela apuração e lançamento do


31/12/XX IRPJ R$ - R$ 230,75 R$ 230,75

Conta: CSLL
Data Histórico Débito Crédito Saldo
Saldo Anterior R$ - R$ - 0,00
Pela apuração e lançamento da
31/12/XX CSLL R$ 138,45 R$ - (R$ 138,45)

Conta: CSLL a Recolher


Data Histórico Débito Crédito Saldo
Saldo Anterior R$ - R$ - 0,00
Pela apuração e lançamento da
31/12/XX CSLL R$ - R$ 138,45 R$ 138,45

ENCERRAMENTO DAS CONTAS DE RESULTADO: IRPJ e CSLL

LIVRO DIÁRIO - 31/12/XX


MMS Comercio de Ferramentas Ltda.
Av. das Nações Nº1000 – Machadinho D’Oeste – RO
Data Conta Devedora Conta Credora Histórico Valor
Pelo encerramento e
31/12/XX Apuração do Resultado IRPJ apuração do resultado R$ 230,75
do exercício
Pelo encerramento e
31/12/XX Apuração do Resultado CSLL apuração do resultado R$ 138,45
do exercício

LIVRO RAZÃO - 31/12/XX


MMS Comercio de Ferramentas Ltda.
Av. das Nações Nº1000 – Machadinho D’Oeste – RO

Conta: IRPJ
Data Histórico Débito Crédito Saldo
Saldo Anterior R$ 230,75 0,00 R$ 230,75
Pelo encerramento e apuração do
31/12/XX resultado do exercício. 0,00 R$ 230,75 0,00

Conta: CSLL
Data Histórico Débito Crédito Saldo
Saldo Anterior R$ 138,45 0,00 R$ 138,45
Pelo encerramento e apuração do
31/12/XX resultado do exercício. 0,00 R$ 138,45 0,00

Conta: Apuração do Resultado


Data Histórico Débito Crédito Saldo
Saldo Anterior 0,00 R$ 1.538,33 R$1.538,33
3

Pelo encerramento e apuração do


31/12/XX resultado do exercício. R$ 230,75 0,00 R$ 1.307,58
Pelo encerramento e apuração do
31/12/XX resultado do exercício. R$ 138,45 0,00 R$ 1.169,13

APURAÇÃO DAS RECEITAS E DESPESAS EM 31/12/XX


MMS Comercio de Ferramentas Ltda.
Av. das Nações Nº1000 – Machadinho D’Oeste – RO

RECEITAS VALOR R$
Venda de Mercadorias R$ 110.000,00
Descontos Obtidos R$ 180,00
Total R$ 110.180,00

Apuração das Despesas


DESPESAS VALOR R$
ICMS sobre Vendas R$ 13.200,00
PIS sobre Vendas R$ 1.815,00
COFINS sobre Vendas R$ 8.360,00
Custo das Mercadorias Vendidas R$ 58.000,00
Despesas - Ordenados e Salários R$ 15.000,00
Despesas - INSS R$ 4.170,00
Despesas - FGTS R$ 1.200,00
Despesas com Propaganda R$ 4.430,00
Despesas com Depreciação no mês 12/XX R$ 1.116,67
Juros sobre Empréstimos R$ 1.350,00
IRPJ - Imposto de Renda Pessoa Jurídica R$ 230,75
CSLL - Contribuição Social sobre o Lucro Liquido R$ 138,45
Total R$ 109.010,87

RESULTADO FINAL
RECEITAS R$ 110.180,00
DESPESAS R$ 109.010,87
TOTAL (RECEITAS - DESPESAS) R$ 1.169,13

LIVRO DIÁRIO - 31/12/XX


MMS Comercio de Ferramentas Ltda.
Av. das Nações Nº1000 – Machadinho D’Oeste – RO
Data Conta Devedora Conta Credora Histórico Valor
3

Pelo encerramento
Apuração do Lucros e apuração do
31/12/XX R$ 1.169,13
Resultado Acumulados resultado do
exercício

LIVRO RAZÃO - 31/12/XX


MMS Comercio de Ferramentas Ltda.
Av. das Nações Nº1000 – Machadinho D’Oeste – RO

Conta: Apuração do Resultado


Data Histórico Débito Crédito Saldo
Saldo Anterior 0,00 R$ 1.169,13 R$ 1.169,13
Pelo encerramento e apuração do
31/12/XX resultado do exercício. R$ 1.169,13 0,00 0,00

Conta: Lucros Acumulados


Data Histórico Débito Crédito Saldo
Saldo Anterior 0,00 0,00 0,00
Pelo encerramento e apuração do
31/12/XX resultado do exercício. 0,00 R$ 1.169,13 R$ 1.169,13

Ajustes de impostos a recolher e a recuperar

LIVRO DIÁRIO - 31/12/XX


MMS Comercio de Ferramentas Ltda.
Av. das Nações Nº1000 – Machadinho D’Oeste – RO
Data Conta Devedora Conta Credora Histórico Valor
31/12/XX ICMS a Recolher ICMS a Recuperar Pelo ajuste do ICMS R$ 9.600,00
31/12/XX PIS a Recolher PIS a Recuperar Pelo ajuste do PIS R$ 1.320,00
COFINS a
31/12/XX COFINS a Recolher Pelo ajuste do COFINS
Recuperar R$ 6.080,00

LIVRO RAZÃO - 31/12/XX


MMS Comercio de Ferramentas Ltda.
Av. das Nações Nº1000 – Machadinho D’Oeste – RO

Conta: ICMS a Recuperar


3

Data Histórico Débito Crédito Saldo


Saldo Anterior R$ 9.600,00 0,00 R$ 9.600,00
31/12/XX Pelo ajusto do ICMS 0,00 R$ 9.600,00 0,00

Conta: ICMS a Recolher


Data Histórico Débito Crédito Saldo
Saldo Anterior 0,00 R$ 13.200,00 R$ 13.200,00
31/12/XX Pelo ajuste do ICMS R$ 9.600,00 0,00 R$ 3.600,00

Conta: PIS a Recuperar


Data Histórico Débito Crédito Saldo
Saldo Anterior R$ 1.320,00 0,00 R$ 1.320,00
31/12/XX Pelo ajuste do PIS 0,00 R$ 1.320,00 0,00

Conta: PIS a Recolher


Data Histórico Débito Crédito Saldo
Saldo Anterior 0,00 R$ 1.815,00 R$ 1.815,00
31/12/XX Pelo ajuste do PIS R$ 1.320,00 0,00 R$ 495,00

Conta: CONFINS a Recuperar


Data Histórico Débito Crédito Saldo
Saldo Anterior R$ 8.360,00 0,00 R$ 8.360,00
31/12/XX Pelo ajuste do COFINS 0,00 R$ 8.360,00 0,00

Conta: CONFINS a Recolher


Data Histórico Débito Crédito Saldo
Saldo Anterior 0,00 R$ 8.360,00 R$ 8.360,00
31/12/XX Pelo ajuste do COFINS R$ 6.080,00 0,00 R$ 2.280,00

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO - DRE - 31/12/XX


MMS Comercio de Ferramentas Ltda.
Av. das Nações Nº1000 – Machadinho D’Oeste – RO
RECEITA OPERACIONAL BRUTA R$ 110.000,00
Vendas de Mercadorias R$ 110.000,00

(-) DEDUÇÕES DA RECEITA OP.BRUTA R$ 23.375,00


Impostos e Contribuições Incidentes sobre Vendas
3

ICMS sobre Vendas R$ 13.200,00


PIS sobre Vendas R$ 1.815,00
COFINS sobre Vendas R$ 8.360,00

(=) RECEITA OPERACIONAL LIQUIDA R$ 86.625,00

(-) CUSTOS DAS VENDAS R$ 58.000,00


Custo das Mercadorias R$ 58.000,00

(=) RESULTADO OPERACIONAL BRUTO R$ 28.625,00

(-) DESPESAS OPERACIONAIS R$ 27.086,67


Despesas Administrativas
Ordenados e Salários R$ 15.000,00
INSS R$ 4.170,00
FGTS R$ 1.200,00
Propaganda R$ 4.430,00
Depreciação de Móveis e Utensílios mês 12/XX R$ 350,00
Depreciação de Veículos mês 12/XX R$ 766,67

(-) DESPESAS E RECEITAS FINANCEIRAS LÍQUIDAS


Juros sobre empréstimos R$ 1.350,00
Descontos Obtidos (R$ 180,00)

(=) RESULTADO OPERACIONAL LÍQUIDO R$ 1.538,33

OUTRAS RECEITAS E DESPESAS

= LUCRO LÍQUIDO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA E


R$ 1.538,33
DA CONTRIBUIÇÃO SOCIAL E SOBRE O LUCRO

(-) IRPJ - Imposto de Renda Pessoa Jurídica R$ 230,75


(-) CSLL - Contribuição Social sobre o Lucro Líquido R$ 138,45

(=) RESULTADO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO R$ 1.169,13

BALANÇO PATRIMONIAL - 31/12/XX

MMS Comercio de Ferramentas Ltda.


Av. das Nações Nº1000 – Machadinho D’Oeste – RO

ATIVO PASSIVO
ATIVO CIRCULANTE R$ 124.020,00 PASSIVO CIRCULANTE R$ 63.764,20

DISPONIBILIDADE R$ 13.800,00 Fornecedores R$ 45.500,00


Caixa R$ 2.550,00
Bancos conta movimento R$ 11.250,00 OBRIGAÇÕES FISCAIS R$ 6.744,20
3

ICMS a recolher R$ 3.600,00


ESTOQUES R$ 53.800,00 PIS a recolher R$ 495,00
Mercadorias para revenda R$ 53.800,00 COFINS a recolher R$ 2.280,00
IRPJ a recolher R$ 230,75
CREDITOS R$ 56.420,00 CSLL a recolher R$ 138,45
Duplicatas a receber R$ 56.420,00

ATIVO NÃO CIRCULANTE R$ 106.591,66 OBRIGAÇÕES SOCIAIS R$ 11.520,00


Salários a pagar R$ 4.800,00
ATIVO A LONGO PRAZO INSS a pagar R$ 5.520,00
FGTS a pagar R$ 1.200,00
IMOBILIZADO R$ 106.591,66
PASSIVO NÃO
Móveis e Utensílios R$ 60.000,00 CIRCULANTE R$ 65.678,33
Terrenos R$ 20.000,00
Veículos R$ 36.000,00 EXIGIVEL A LONGO PRAZO R$ 65.678,33
(-) Depreciação de móveis e
utens. R$ 4.041,67 Financiamento R$ 65.678,33
(-) Depreciação de veículos R$ 5.366,67
PATRIMONIO LIQUIDO R$101.169,13
Capital Social R$100.000,00
Capital Integralizado R$100.000,00

Lucros ou Prejuízos
Acumulados R$ 1.169,13
Lucros acumulados R$ 1.169,13

TOTAL DO ATIVO R$ 230.611,66 TOTAL DO PASSIVO R$230.611,66


3

2 CONCLUSÃO

A pesquisa e a elaboração dessa atividade mostraram claramente a


importância das demonstrações contábeis para a empresa, no que diz respeito a sua
saúde econômica e patrimonial, bem como a fonte de informações para toda de
decisão com agilidade e eficácia.
O profissional da área contábil tem grande responsabilidade sobre a
elaboração desses demonstrativos, pois informações lançadas de maneira errada,
demora na confecção das demonstrações e relatórios, falta de consistência, etc,
podem levar os proprietários, diretores, gerentes e todos os demais usuários das
informações contábeis a tomarem decisões equivocadas a cerca dos negócios,
correndo o risco até mesmo de chegar ao ponto de encerrar a atividade.
O processo de elaboração das demonstrações, leva um bom tempo
para ser realizado de maneira correta e consistente, penso eu que alguns
profissionais não dão a devida importância a elas e talvez por isso observamos
tantas empresas fechando as portar, pois sem informações é impossível ir adiante.
3

REFERÊNCIAS

COSTA, José Manoel da. Contabilidade empresarial. São Paulo: Pearson Prentice
Hall, 2009.

REGIME DE COMPETÊNCIA CONTABIL, Disponível em: <


http://www.portaldecontabilidade.com.br/guia/regcompetencia.htm>. Acesso em 15
de Outubro 2009.

MÉTODOS DE DEPRECIAÇÃO, Disponível em: <


http://www.vemconcursos.com/opiniao/index.phtml?page_id=1225>. Acesso em 15
de Outubro de 2009.

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.027 de 15.04.2005, Disponível em:


<http://www.portaldecontabilidade.com.br/nbc/nbct19_5.htm/>. Acesso em 18 de
Outubro de 2009.

DEPRECIAÇÃO, Disponível em: <


http://www.htmlstaff.org/xkurt/projetos/portaldoadmin/modules/news/article.php?
storyid=638>. Acesso em 18 de Outubro de 2009.

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO, Disponível em:


<http://www.portaldecontabilidade.com.br/guia/demonstmutapl.htm>. Acesso em 18
de Outubro de 2009.

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA, Disponível em:


<http://www.portaldecontabilidade.com.br/tematicas/ademonstracaodosfluxos>.
Acesso em 19 de Outubro de 2009.