Vous êtes sur la page 1sur 5

HIPNOSE, PADRÕES DE LINGUAGEM E SCRIPTS: são a

mesma coisa?

“As pessoas tomam as palavras que voce lhes oferece e as relacionam


à sua própria experiência pessoal”. - Bandler

Tudo começou quando me deparei com um manual entitulado


Psicologia, PNL e hipnose aplicada a sedução. Eu já estudava hipnose
tempos antes de começar a estudar sedução e vi uma coisa que me
deixou maluco. Onde estava a hipnose que o livro falava? Hipnose é a
arte de pôr as pessoas em estado de inconsciência, similar ao sono,
onde se pode se aproveitar disso e fazer com ela o que quiser, que
depois ela nem vai se lembrar. Bem, pelo menos é assim que a maioria
das pessoas pensam sobre o que seja a hipnose. Mas não havia nada
disso no livro.
Mas ficou uma questão: onde estava a hipnose que o manual tanto
enfatizava? Só havia referencia aos padrões de linguagem (que são, ao
contrario do que muitos imaginam, expressões que eliciam
determinadas respostas, tais como tag-questions, etc. comandos
embutidos) e uns textos longos e chatos que serviam para se dizer a
uma mulher, e que foram chamados de scripts. Ou seja, nada de
hipnose. Fiquei perplexo, procurando a tal hipnose que o livro dizia
possuir, até que então, quase um ano depois a ficha caiu: aqueles
scripts eram a tal hipnose que o titulo do livro dizia! Podem supor que foi
por ignorância minha, talvez tenha sido mesmo, mas juro que só fui
notar isso em novembro de 2005, quando escrevi o tópico citado.
Parte dessa duvida já tinha sido esclarecida quando adquiri os livros
Modernas tecnicas de persuasão e Terapia não convencional. Sempre
chamaram os PL de padrões de linguagem hipnótica, o que sempre
causou-me confusão, pois entendia hipnose como apenas indução de
transe. Mas ao ver esses mesmos padrões sendo usados para
persuasão, que não é o mesmo que hipnose, notei uma contradição.
Essa contradição só foi resolvida quando entendi que Erickson, redefiniu
toda a hipnose, fazendo uma verdadeira revolução no campo da
psicoterapia, que mais tarde culminaria na Programação
Neurolinguística. Para ele, a hipnose seria qualquer conversação (veja o
tópico O Melhor livro de sedução...). Nesse ínterim comecei a aprender
hipnose segundo os modelos ericksonianos e pensava em ser
psicoterapeuta.Depois Haley elucidou a questão de uma vez por todas:
“Na verdade, Erickson fez mais um trabalho de persuador que de
hipnólogo. A hipnose de Erickson se parece mais com persuasão”.
No começo, achei empolgante, pois eu via aqueles scripts como
exemplos do uso da hipnose que Jeffries e os outros haviam utilizados
com as gatas que seduziram. O conhecimento acerca dos scripts só
veio a ampliar a minha visão acerca do que é a hipnose e como induzi-
la em uma pessoa (coisa que eu já sabia, relativamente, fazer...).
Então notei que havia uma tremenda confusão, não apenas neste
fórum, mas talvez em todo o mundo, onde pessoas confundem hipnose
com PL e com scripts, mutuamente. A verdade é que não são a mesma
coisa:

Hipnose é o ato de levar as pessoas a estados alterados de


consciência. Tem mais a ver com estados mentais;

Já os padrões de linguagem são o termo que os hipnoterapeutas usam


para eliciar respostas. Vc pode usar, por exemplo, tag-questions, para
fazer uma pessoa responder positivamente. Ou um truísmo, para fazer
uma lavagem cerebral nela. Mas isso não é hipnose, não induz por sua
essência a transes hipnóticos. Mas mesmo assim pode ser usado numa
indução, tal como o próprio Erickson e Bandler faziam: “Você pode
notar a pressão de suas costas na cadeira, de suas mãos sobre a mesa
e de sua resporação, enquanto sente que está se aprofundando ainda
mais nesse transe”. Isso foi um exemplo de uma indução (hipnose),
misturada com transições (PL), truísmos (PL) incicação de espelhamento
(PL+scripts), etc. Até mesmo um sotaque é um padrão de linguagem.
Bandler e Grinder os intitularam assim pq todos achavam que Erickson
conseguia seus grandes resultados por uma coisa que ninguém sabia
explicar. Aí Bandler e Grinder descubriram que a resposta para esse
sucesso estava na complexidade de sua comunicação verbal e não-
verbal, e descobriram expressões e colocações que, sempre que se
repetiam, se obtinham o mesmo resultado. A isso chamou-se “Padrões”.

E os scripts são textos de indução na integra, onde o hipnologo dedica


aos alunos para ajudar-lhes a aprender de forma mais rápida como
induzir transes em seus pacientes. É a parte que contem as PL e as
induções de transe e servem como exemplo para que os alunos criem
as suas próprias, ou seja, é um mero recurso didático! OBs.: os scripts só
servem para ajudar, não para ensinar induções. Jeffries errou feio ao
passar apenas scripts aos seus alunos, não ensinado-os como formulá-
los de forma criativa e espontânea. O diego certa vez disse que isso
deveu a razoes financeiras, pois se todos soubessem desse segredo,
ninguém mais precisaria pagar pelos cursos dele, sendo que construir
scripts são coisas tão fáceis.
E são mesmo. Vc só tem que seguir regras básicas, e jamais precisará
memorizar script algum! Alem do mais, recitar scripts, até mesmo no
campo da hipnose ericksoniana, vai contra os preceitos de Erickson,
pois todo o hipnotizador deve fazer uma indução estratégica, segundo
os critérios de seus clientes, e não um modelo de indução geral, como
a hipnose clássica!

Bauer, por exemplo, dá uma receita simples: indiquem primeiro


percepções, depois sensações e por ultimo emoções... isso funciona
tremendamente bem em sedução.
Existem outros critérios fáceis para se aprender a usar padrões sem
nunca precisar memorizar nada desses scripts.

O fato de Jeffries não ter ensinado como fazer induções, mas apenas ter
dados os scripts resultou na enorme dificuldade que as maiorias dos
sedutores possuem em usar hipnose na sedução.
Mas quem tiver consciência da essência básica dos padrões e de seu
verdadeiro objetivo, não se enrola nunca ao usa-lo! A frase de Bandler
exemplifica muito bem a essência dos padrões (vamos arranjar um
termo melhor, pois padrões, como eu já disse, referem-se a outra
coisa...): por causa do fenômeno transderivacional, onde a pessoa
busca na sua própria experiência as palavras que recebem, pode-se
alcançar o principal objetivo dos padrões: eliciar estados de
consciência. Por exemplo: se você diz a uma pessoa: “Como ter um pai
é tão bom...”, a pessoa irá representar isso segundo a sua própria
experiência e começar a se recordar de seu pais, de sua infância, etc.
(o que já se constitui um estado de transe...). No entanto, a colocação
que vc fez não tinha nada a ver com o pai dela, mas sim o seu. Então vc
terá acesso a recordações diferentes da dos da outra pessoa... No caso
da sedução, vc poderia usar esse mesmo principio para eliciar estados
românticos...

É na hipnose que, na minha opinião, se reside todo o sucesso de bandas


como Legião Urbana. Quem nunca sentiu que alguma daquelas
musicas falava exatamente e somente com vc? Uma musica que te
descrevia detalhadamente, uma musica “feita para você”? As musicas
de maiores sucessos são as que possuem um maior potencia de busca
transderivativa, e são as que são precisamente as mais vagas! Musicas
que citam nomes e falam de coisas que para nós não soam muito
familiar não causam muito impacto emocional!

É por isso que o metamodelo é o inverso do modelo Milton: pq quando


uma pessoa destroi, por exemplo, restrições seletivas ao comunicar o
seu modelo de mundo limitado, ela está fazendo exatamente o mesmo
que Milton e os hipnoterapeutas fazem ao formular metáforas: está
limitando a experiência do mundo segundo os critérios de distorção,
eliminação e generalização da gramática transformacional do meu
querido e amado Noam Chomsky (existe uma reportagem bem legal
da revista Superinteressante sobre ele...)
Quanto mais vago vc for, mais você conseguirá penetrar na mente das
pessoas, pois elas costumam absorver as palavras já criando todo um
contexto só dela!

Outra coisa:
Os rapazes que seduzem mulheres no dia a dia usam padrões? Sim,
mesmo sem saber... É que eles não retransmitem os monólogos de
Jeffries por inteiro para as moças, mas eles mesmos CRIAM OS PADROES,
usando terminologias românticas que, mesmo sendo curtas (existem
padrões curtíssimos...), eliciam as sensações amorosas que são a
finalidade do uso de padroes. Se vcs quiserem mais detalhes sobre isso,
favor leiam o tópico O Melhor livro para Seduzir Mulheres... . O que eu
quero enfatizar é que os padrões de Jeffries seguem o mesmo modelo
de indução hipnótica ericksoniana e que, neste contexto, qualquer tipo
de conversação romântica ou que direcione a mente de uma mulher
para o estado mental de pré-apaixonamento ou desejo, é hipnose, ou
padrão de linguagem, ou como quiserem chamar. As técnicas dos
novos gurus, como a Storytelling, tb são padrões de linguagem, pois o
objetivo de um padrão é eliciar um determinado estado de
consciência, nesse caso, a sedução, e o Storytelling, mesmo que de
uma forma bem indireta ao contrario dos padroes de Jeffires,
conseguem eliciar estados mentais de desejo, pois quando um homem
demonstra DHV (vaor) ele elicia um sentimento que preanuncia o
sentimento romântico, sendo que a figura arquetipica do Macho Alfa e
a sedução propriamente dita estão intrinsecamente ligadas. Quando vc
aplica C&F, vc tb está usando um padrão, na medida que vc elicia uma
busca transderivativa (ver o tópico O Melhor Livro...) que a faz te ver
como uma pessoa de valor.
Portanto, Padrões são ferramentas úteis. O que não são talvez sejam os
tais scripts que realmente lhe atrapalham na hora de seduzir, sendo que
vc não estará a par de todos os acontecimentos externos, ficando com
a consciência interiorizada, e não conseguindo responder
adequadamente aos sinais que recebe.

É por isso que voce pode lançar um "script" numa mulher sem ter
memorizado script nenhum! Para isso vc terá que saber como
CONSTRUIR, INSTANTANEAMENTE, um padrão. É por isso que os padrões
de linguagem (PL) se constitui uma das ferramentas mais fáceis de
serem utilizadas na sedução, ao contrario do que muitos pensam.
CRITIQUEM OS SCRIPTS, NÃO OS PADRÕES DE LINGUAGEM, OU MODELOS
DE INDUÇÃO DE ESTADOS ALTERADOS DE CONSCIENCIA, pois são coisas
muito, mas muito diferentes uns dos outros...

Ps.: Desculpem a maneira como foi escrito, mas é pq eu não tive tempo
de revisar... espero ter contribuído para desfazer determinadas dúvidas
e complicações acerca dessas terminologias tão complicadas e tão
acadêmicas!
_________________
Ross jeffries afirmou que deveríamos construir uma torre em
homenagem a Erickson: “pois por causa deste homem qualquer um
poderá conquistar mais mulheres do que se tivesse o corpo de Arnold
Schwaznnegger e 1 milhão de dólares”.