Vous êtes sur la page 1sur 2

Cópia não autorizada

OUT 1994 NBR 10836


Bloco vazado de solo-cimento sem
função estrutural - Determinação da
ABNT-Associação
Brasileira de
resistência à compressão e da absorção
Normas Técnicas de água
Sede:
Rio de Janeiro
Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar
CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680
Rio de Janeiro - RJ
Tel.: PABX (021) 210 -3122
Telex: (021) 34333 ABNT - BR
Endereço Telegráfico:
NORMATÉCNICA
Método de ensaio

Origem: Projeto NBR 10836/1993


CB-02 - Comitê Brasileiro de Construção Civil
CE-02:002.39 - Comissão de Estudo de Solo-Cimento Aplicado na Construção
Civil
NBR 10836 - Hollow soil-cement blocks - Determination of compressive
strength and water absorption - Method of test
Copyright © 1990, Descriptors: Soil-cement. Soil-cement block
ABNT–Associação Brasileira
de Normas Técnicas Válida a partir de 30.11.1994
Printed in Brazil/
Impresso no Brasil Palavras-chave: Solo-cimento. Bloco de solo-cimento 2 páginas
Todos os direitos reservados

1 Objetivo 3.1.3 Ensaio

Esta Norma prescreve os métodos para determinação da re- 3.1.3.1 Medidas das dimensões
sistência à compressão e da absorção de água em blocos
vazados de solo-cimento comuns, utilizados em alvenaria
sem função estrutural. Cada dimensão de uma face de trabalho (perpendicular à di-
reção da aplicação da força) é a média dos valores determi-
2 Documento complementar nados em três posições diferentes.

Na aplicação desta Norma é necessário consultar: 3.1.3.2 Capeamento

NBR 10834 - Bloco vazado de solo-cimento sem fun-


3.1.3.2.1 O capeamento das faces de trabalho deve ser feito
ção estrutural - Especificação
com pasta de cimento Portland de consistência plástica,
3 Execução dos ensaios com espessura mínima necessária para que se obtenham
faces planas e paralelas. Outros procedimentos de capeamen-
3.1 Resistência à compressão to podem ser utilizados, desde que tenham a mesma eficácia.

3.1.1 Aparelhagem Nota: No capeamento devem ser utilizadas pastas ou arga-


massas capazes de apresentar, no momento do ensaio,
Prensa que satisfaça às seguintes condições: resistência à compressão superior à prevista para o blo-
co a ensaiar.
a) ser provida de dispositivo que assegure distribuição
uniforme dos esforços ao corpo-de-prova; 3.1.3.2.2 Após o endurecimento do material do capeamen-
to, identificar e colocar os corpos-de-prova em imersão em
b) permitir a leitura das cargas aplicadas, com tolerân- água por 24 h. Retirar imediatamente antes do ensaio os cor-
cia de medição de ± 2% para a carga máxima esti- pos-de-prova da água e enxugá-los superficialmente.
mada para o ensaio.
3.1.3.3 Posição dos corpos-de-prova
3.1.2 Corpos-de-prova

Da amostra representativa recebida pelo laboratório devem Todos os corpos-de-prova devem ser ensaiados de modo
ser separados os blocos já identificados que vão constituir que a direção da carga aplicada esteja paralela aos eixos
os corpos-de-prova, conforme a NBR 10834. dos furos.
Cópia não autorizada
2 NBR 10836/1994

3.1.4 Resultados separados da amostra representativa recebida pelo labora-


tório, conforme a NBR 10834.
O resultado deve apresentar:
3.2.3 Ensaio
a) o valor médio de cada uma das dimensões reais dos
blocos; Os corpos-de-prova são colocados em estufa a uma
temperatura entre 105°C e 110°C até constância de massa,
b) a resistência à compressão, expressa em MPa, de obtendo-se assim a massa seca M1, em g. Imergir os cor-
cada corpo-de-prova, obtida dividindo-se a carga pos-de-prova em um tanque com água à temperatura am-
máxima, em N, pela média das áreas das duas fa- biente durante 24 h. Após retirar da imersão, enxugar com
ces de trabalho, em mm2; um pano úmido e determinar a massa, antes de decorridos
3 min, obtendo-se assim a massa saturada M2, em g.
c) a resistência média dos corpos-de-prova, obtida pe-
la média das tensões de ruptura. 3.2.4 Resultados

3.2 Absorção de água 3.2.4.1 O valor da absorção, expresso em porcentagem, pa-


ra cada corpo-de-prova deve ser calculado pela seguinte
3.2.1 Aparelhagem equação:

A aparelhagem é a seguinte:
M2 − M1
A% = x 100
M1
a) balança com sensibilidade de 0,4% da massa da
amostra a ser ensaiada;
3.2.4.2 A absorção média dos corpos-de-prova é obtida pe-
b) estufa elétrica capaz de manter a temperatura entre la média dos valores individuais.
105°C e 110°C;
3.3 Relatório de ensaios
c) tanque de imersão.
Do certificado devem constar, no mínimo, os resultados de
3.2.2 Corpos-de-prova 3.1.4 e 3.2.4, a idade dos corpos-de-prova, o teor de cimento,
o nome do fabricante, sempre que declarado, e o método de
Os blocos destinados a constituir os corpos-de-prova são ensaio realizado.

Centres d'intérêt liés