Vous êtes sur la page 1sur 5

DezembroAplicação do Modelo de Auto- Avaliação das Bibliotecas Escolares – Sessão de 2 a 7 de

[Escrever texto]
Acção de Formação RBE Cristina Filipa Martins de Almeida Martins Beaumont
D.1.1. Integração/Acção da BE na Escola/Agrupamento
Acesso e serviços prestados pela BE /Acções Futuras

A BE
futuramente Fundamentação
deverá deixar de:
• Ser um espaço onde
os alunos vão realizar Algumas vezes chegam à BE alunos que por algum motivo vêm cumprir uma penalização.
tarefas tais como:
“Provas de
recuperação”, “
Copiar: “Os Deveres
dos alunos” quando
se comportam mal…
Outras vezes surge na BE uma ou duas turmas que, por obrigação, ocupam o seu tempo livre
• Ser um espaço para
onde os alunos vão, na biblioteca, porque não houve professor de substituição, a BE deixa de ser um espaço de
muitas vezes contra trabalho, de reflexão, de concentração, ou mesmo de lazer para se transformar num espaço
vontade, quando não de recreio, onde as regras estabelecidas deixam de fazer sentido.
há professores de
substituição.

O Conselho Executivo tem de entender que a função da Professora Bibliotecária não se confina
• A professora a “tomar conta da BE, pois não há mais ninguém para estar lá …”
Bibliotecária fica
sozinha, sem
funcionária e sem
qualquer elemento da A equipa da BE precisa de ter consciência da pertinência da sua presença e das suas funções,
Equipa. sendo fundamental que não assuma que as horas que tem de BE são de uso pessoal ou de
descanso da componente lectivas e aprovadas pelas várias estruturas de coordenação
educativa e de supervisão pedagógica.

1
DezembroAplicação do Modelo de Auto- Avaliação das Bibliotecas Escolares – Sessão de 2 a 7 de
[Escrever texto]
Acção de Formação RBE Cristina Filipa Martins de Almeida Martins Beaumont
D.1.1. Integração/Acção da BE na Escola/Agrupamento
Acesso e serviços prestados pela BE /Acções Futuras
• A Equipa apesar de
estar informada do
trabalho a realizar,
muitas vezes pode
abstrair-se das suas
funções, pois os seus
elementos podem
não ter perfil para
desempenhar estas
funções.

A BE
futuramente
deverá seguir o A BE ainda não implementou um sistema de auto-avaliação contínuo.
novo modelo de
Auto-Avaliação:
Os órgãos de direcção, administração e gestão virão a ser envolvidos no processo de auto-
avaliação das BE’s.

• A BE deve
implementar o novo Os instrumentos de recolha de informação serão aplicados, de forma sistemática.
Modelo de Auto-
Avaliação.

2
DezembroAplicação do Modelo de Auto- Avaliação das Bibliotecas Escolares – Sessão de 2 a 7 de
[Escrever texto]
Acção de Formação RBE Cristina Filipa Martins de Almeida Martins Beaumont
D.1.1. Integração/Acção da BE na Escola/Agrupamento
Acesso e serviços prestados pela BE /Acções Futuras
A informação que for recolhida será analisada podendo vir a ser reajustada consoante as
necessidades.

Os órgãos de gestão, de direcção e de administração devem atribuir uma verba anual para
renovação de equipamento, para a actualização da colecção e para o funcionamento da BE.

Poder contar com um orçamento para a BE.


A BE
Fazer propostas de aquisição.
futuramente
deverá ser
valorizada, pelos
órgãos de
gestão, de
direcção e de
administração da
Escola/Agrupame
nto

3
DezembroAplicação do Modelo de Auto- Avaliação das Bibliotecas Escolares – Sessão de 2 a 7 de
[Escrever texto]
Acção de Formação RBE Cristina Filipa Martins de Almeida Martins Beaumont
D.1.1. Integração/Acção da BE na Escola/Agrupamento
Acesso e serviços prestados pela BE /Acções Futuras

2ª Parte da Tarefa de 2 a
7 de Dezembro de 2009

Práticas e Modelos de
Auto-Avaliação das
Bibliotecas Escolares:
Metodologias de
Operacionalização
Parte II
Acções Futuras

4
DezembroAplicação do Modelo de Auto- Avaliação das Bibliotecas Escolares – Sessão de 2 a 7 de
[Escrever texto]
Acção de Formação RBE Cristina Filipa Martins de Almeida Martins Beaumont
D.1.1. Integração/Acção da BE na Escola/Agrupamento
Acesso e serviços prestados pela BE /Acções Futuras