Vous êtes sur la page 1sur 38

NOÇÕES BÁSICAS DE ENFERMAGEM EM

ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA

Prof. ª Tatyanna Faria


CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

ecauções Padrão- cuidados

1. Lavagem das Mãos


2. Manipulação de Instrumentos e Materiais
3. Manipulação de Materiais Cortantes e de Punção
4. Ambientes e Equipamentos
5. Roupas e Uso no Paciente
6. Vacinação
CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

. Lavagem das Mãos

limina a sujidade visível ou não


limina todos os microrganismos que aderem a pele
RINCIPAL medida de bloqueio- Germes
avar as mãos sempre- ante e depois dos procedimentos
Unhas Curtas e a mão sem anéis
CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Higienização das Mãos


ndicações da Lavagem das Mãos

•Após tocar fluidos, secreções e itens contaminados


•Após a retirada das luvas
•Antes de procedimentos no paciente
•Entre contatos com pacientes
•Antes e depois de atos fisiológicos
•Antes do preparo de soros e medicações
CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Higienização das Mãos


rocedimento da Lavagem das Mãos

1. Posicionar-se sem encostar na pia


2. Abrir a torneira
3. Passar o sabão (líquido ou em barra0
4. Friccionar as mãos, dando atenção às unhas, meio
dos dedos, polegar, palmas e dorso da mão (15 seg)
5. Enxaguar as mãos deixando a torneira aberta
6. Enxugar as mão com papel toalha
7. Fechar a torneira com a mão protegida com papel
toalha, caso não tenha fechamento automático
CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

Manipulação de Instrumentos e Materiais

ujos de sangue, fluidos corporais, secreções e excreções


evenir contato com a pele e mucosas (olho, nariz e boca)
erificar se os materiais estam limpos quando reutilizados
onferir os materiais descartáveis
onferir o estoque
CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

anipulação de materiais Cortantes e de Punção

Cuidado

Instrumentos Pérfuro-cortantes
Agulhas
Limpar, Lâminas de Barbear
Transportar Tesouras
Descartar Outros instrumento
CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

anipulação de materiais Cortantes e de Punção


Instrumentos Pérfuro-cortantes

Descartados em caixas apropriadas


Rígidas e Impermeáveis

Colocadas próximo da área de utilização


CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

anipulação de materiais Cortantes e de Punção

•Nunca recape agulhas após o uso


•Não remova com as mãos agulhas usadas das seringas
descartáveis e não as quebre ou entorte
•Seringas e agulhas reutilizáveis devem ser transportadas
para a área de limpeza e esterilização em caixa inox ou
bandeja
CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

Ambiente e Equipamentos

•Rotina de limpeza e desinfecção de superfícies e


equipamentos
•Supervisão dessas medidas
CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

Roupas e Campos de Uso no Paciente

•Manipule transporte as roupas sujas de sangue,


fluidos corporais, secreções e excreções com cuidado.
•Transporte-as em sacos plásticos
•Lavanderia - Desinfecção
CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

6. Vacinação

Todos os Profissionais de Saúde Devem Estar


Vacinados Contra a Hepatite B e o Tétano
CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

• Luvas
• Máscaras, óculos de proteção
• Protetor respiratório (Respiradores)
• Avental e Gorro
• Calçados
CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Higienização das Mãos


rocedimento da Lavagem das Mãos

Uso do álcool Glicerinado

Álcool 70%
2% de Glicerina

Aplicar o álcool glicerinado(3 a 5 ml) nas ,mãos até secar


Não aplicar – mão visivelmente sujas
CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

igienização do Ambiente

Limpeza é a remoção ou retirada de sujeira


através de fricção de uma superfície com água
e sabão ou detergente
CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

igienização do Ambiente

• Área Física: piso, paredes, teto, portas e janelas


• Mobiliário: cadeiras, mesas, balões, macas,
bancadas e pias
• Equipamentos Eletrônicos e artigos
hospitalares específicos
CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Técnica de assépticas

 A existência de microrganismo no
ambiente justifica a aplicação de
técnicas que reduzem o seu número e
propiciam maior segurança ao
paciente e à equipe de saúde.
CUIDADOS DE ENFERMAGEM
TIPOS DE ASSÉPTICOS

 Anti-sepsia- aplicação de um produto químico em camada


superficial ou profunda da pele para impedir ou destruir o
crescimento da bactéria

 Assepsia – é o processo pelo qual se consegue afastar os germes


patogênicos de determinado local ou objeto

 Degermação – é a remoção ou redução do número de bactérias na


pele por meio de limpeza mecânica

 Desinfecção- capaz de eliminar muitos ou todos os microrganismo


patogênicos, com exceção dos esporos

 Esterilização- é o processo que promove completa eliminação ou


destruição de todas as formas de microrganismos presente: vírus,
bactéria, fungos, protozoários, esporos para um aceitável nível de
segurança
Cuidados de enfermagem
Traumatologia

 Especialidade médica que trata as injúrias do


aparelho locomotor (mãos , braços, pernas , pés,
coluna e quadril).
 Ela trata de fraturas, lesões nos músculos,
tendões e ligamentos ocasionados de forma
traumática.
 Acidentes de trânsito, traumas desportivos,
acidentes domésticos e no ambiente de trabalho
são os que mais necessitam da atenção do
traumatologista.
Cuidados de enfermagem
Traumatologia

Fratura

 É definida como sendo a perda, total ou parcial, da


continuidade de um osso.

 A fratura pode ser simples (fechada) ou exposta


(aberta).

 Na fratura simples não há o rompimento da pele


sobre a lesão e nas expostas sim, isto é, o osso
fraturado fica exposto ao meio ambiente,
possibilitando sangramentos e um aumento do risco
de infecção.

 No caso de fraturas, o paciente geralmente irá


queixar-se de dor no local da lesão e relatará
limitação dos movimentos do local acometido
severa ou total. É possível também a existência de
deformidades, edemas, hematomas, exposições
ósseas, palidez ou cianose das extremidades e,
ainda, redução de temperatura no membro
fraturado.
Cuidados de
enfermagem
Tipos de fraturas

 Simples – 2 fragmentos

 Cominutivas – 3 ou mais fragmentos

 Segmentar – fraguemento intermediário

 Patológico – enfraquecimento ósseo

 Obliqua – diagonal

 Espiralada – circunda o osso c/ ou s/


deslocamento

 Galho verde
Cuidados de
enfermagem
Localizações das fraturas

 Diafisária
 Metafisária
 Epifisária
 Articulares
Cuidados de enfermagem

Consolidação das
fraturas

Consolidação das fraturas – Produz a


cura não com um tecido cicatricial,
mas com um tecido ósseo igual ao
original
Cuidados de enfermagem
Tipos de
Consolidação
 Primária ou direta: Este tipo de reparo de
fratura somente é possível se o cirurgião
puder alcançar uma fixação interna rígida e
um excelente posicionamento anatômico
 Secundária ou indireta: Este termo
denomina uma consolidação por uma ponte
de calo ósseo de um fragmento ósseo para
outro. Este processo muitas vezes leva
anos até seu término .
Cuidados de
enfermagem
FASE DE REPARO

 Inflamatória -Este estágio começa imediatamente após a ocorrência da


fratura e persiste até que a formação de osso seja iniciada. A duração
desta fase varia, mas usualmente é de 3 a 4 dias.
Clinicamente uma diminuição na dor e inchaço é associado ao final desta
fase.
Há uma expressiva vasodilatação dos vasos e uma hiperemia nos tecidos
moles em volta da fratura. Subseqüentemente, formação de hematoma

 Reparação –O evento mais característico da fase de reparo é a formação


de um calo e sua subseqüente transformação em osso maduro. Depois da
formação do calo rígido, os calos externo e interno (ou medular)
gradualmente são convertidos a osso.

 Remodelação –O formato do osso é remodelado de forma a permitir a


funcionalidade e restaurar a resistência normal ou pelo menos próximo do
normal. Histologicamente, os osteoclastos são ativos em remodelar a
superfície externa do osso para diminuir o tamanho do calo.
Cuidados de enfermagem
CUIDADOS IMEDIATOS EM QUALQUER TRAUMATISMO GRAVE

As fraturas devem ser avaliadas no exame primário


(ABCDE): são fraturas expostas com perda sangüínea e
fratura com graves deformidades que possam estar
prejudicando a perfusão distal.

 A : Assegurar que o ar chega aos pulmões


 B : Assegurar que o traumatizado ventila bem
 C : Assegurar que existe circulaçao sanguínea adequada e
travar hemorragias
 D : Estado neurológico ( alerta, responde à voz, responde
à dor, não reage)
 E : Exame completo para avaliação de lesões e cuidados
com as mesmas
Cuidados de enfermagem

Prioridades

1. Salvar a vida do paciente


2. Salvar o membro do paciente
3. Salvar a função do membro
4. Evitar complicações que tenham
implicações apenas do ponto de vista
da estética
Cuidados de enfermagem
Avaliação no exame
secundário
 Observar a perfusão e pulso radial

 O diagnóstico é feito também com o auxílio de


radiografias, que devem sempre ser feitas em
pelo menos duas incidências, Ântero-Posterior
e Perfil (ou, no caso dos pés e mãos, Ântero-
Posterior e Oblíqua). Outros exames possíveis
são a Ressonância Magnética Nuclear, a
Tomografia Computadorizada e a Ultra-
sonografia (esta última de aplicação restrita).
Cuidados de enfermagem
Métodos e
tratamento
 Redução: consiste na reposição, o mais aproximada possível,
da anatomia normal por manipulação. Pode ser executada por
manipulação externa (Redução Incruenta ou Fechada) ou
expondo cirurgicamente a lesão (Redução Cruenta ou Aberta).
É utilizada em fraturas com grande deslocamento e nas
Luxações.

 O tratamento subsequente divide-se em Tratamento


Conservador, não invasivo, não cruento e Tratamento
Cirúrgico, implicando técnicas invasivas cruentas.
Cuidados de enfermagem
Métodos e tratamento não
cirúrgico
1. Repouso relativo ou imobilização relativa
2. Imobilização com gesso deve incluir o
segmento fraturado, uma articulação acima
e uma abaixo desse segmento
3. Redução incruenta seguida de
engessamento
4. Tração esquelética ou cutânea seguida ou
não de aparelho gessado
Cuidados de enfermagem
Tratamento
conservador
 Tala provisória: a aplicar antes de chegar ao hospital.
Pode ser composta, na pior das hipóteses, por um
objeto rígido (revista dobrada, tábua, etc. devidamente
almofadado). Deve imobilizar de preferência as
articulações acima e abaixo da lesão.

 Tala gessada: calha de gesso envolvida por ligaduras.


Aplicada na maioria das lesões recentes pois permite
aumento de volume por edema sem risco de
compressão e efeito de garrote.

 Gesso fechado: ligaduras de gesso aplicadas


circularmente de forma a obter uma estrutura tubular
(aparelho gessado) geralmente moldado de forma a
evitar rotação dos topos ósseos. Pode estar preparado
para mobilização e carga (Gesso funcional).

 Ligaduras: utilizadas para imobilizar algumas lesões


dos ombros e braços (Gerdy, Cruzado, Velpeau, etc.)

 Ortese: acessório pré-fabricado removível destinado a


substituir um dos dispositivos anteriores. Estes
dispositivos destinam-se a impedir ou dificultar a
mobilização do segmento lesado de forma a promover
e facilitar o tratamento de fraturas, luxações e algumas
entorses.
Cuidados de
enfermagem
Tratamento
cirúrgico
 Osteossíntese: utilização de implantes para
fixar o osso na posição requerida de forma a
promover a sua consolidação de forma
satisfatória:

 Placas, Parafusos e Cravos: aplicados na


superfície dos ossos de forma a fixar os
fragmentos e promover a consolidação.

 Encavilhamento intra-medular: fio, vareta ou


cavilha metálicos introduzidos no canal medular
do osso, ao longo do seu maior eixo, mantendo o
seu alinhamento.
 Osteotaxia (ou Fixação Externa): aplicação
de cravos ou fios metálicos no osso, por sua vez
ligados a um dispositivo (Fixador) externo.

 Fios Metálicos: geralmente aplicados através


da pele de forma a fixar os fragmentos ósseos
Cuidados de enfermagem
Indicações de tratamento
cirúrgico
1. Fratura instáveis do colo do fêmur
2. Ossos do antebraço
3. Fraturas expostas
4. Pseudo-artroses
5. Falha do tratamento não cirúrgico
6. Polifraturados e politraumatizados
7. Fratura associada à lesão vascular
8. Fratura da diáfise do fêmur.
Cuidados de
enfermagem
Tratamento por
tração
 O príncipio da tração é a continuação de
um peso alinhado com a extremidade
fraturada.

 A ação do peso mantém a redução da


fratura, imobiliza o segmento fraturado,
servindo como medida analgésica.
Cuidados de enfermagem

Como a tração é
utilizada?
O peso pode ser colocado no
membro por 2 maneiras:
 Um esparadrapo fixado à pele

 Tração cutânea ou através de


um pino de aço inserido no
membro fraturado-tração
esquelética
Cuidados de
enfermagem
Método
cirúrgico
 Fixação externa – é fixada
com algum tipo de implante.
Chamamos de osteossíntese
interna.
 Este implante pode ser uma
placa de metal uma haste que
é colocada no interior da
medula óssea (haste
intramedular) fios de aço ou
pinos de aço(chamados de
kirshner)
Cuidados de enfermagem
Método cirúrgico

 A fixação externa também pode


realizada com método de Ilizarov, que
permite correção de falhas ósseas e
alongamento ósseo
BOA
SORTE!!!