Vous êtes sur la page 1sur 1

A Carta de Responsabilidade da Administração (C.R.

) é o documento que deve ser


emitido pelos administradores da entidade cujas demonstrações contábeis estão sendo
auditadas. É um papel de trabalho fundamental para o auditor, no desempenho de suas
funções. Por este motivo, os principais aspectos da C.R. foram objeto de resolução
específica, expedida pelo Conselho Federal de Contabilidade.
O objetivo fundamental da C.R. é estabelecer a responsabilidade dos
administradores pela veracidade e exatidão das informações contidas nas demonstrações
contábeis. O Conselho Federal de Contabilidade determina que, ao emitir o documento,
nele os administradores se responsabilizam pela preparação e apresentação adequada
das peças contábeis. O citado papel de trabalho também tem o objetivo de assegurar a
responsabilidade dos administradores por outros aspectos como adequação dos
controles internos operacionais da entidade, observância dos princípios fundamentais de
contabilidade na escrituração das operações, etc.
O Conselho Federal de Contabilidade estabelece um rol de elementos que deverá
conter a C.R. . Entre os vários elementos elencados na resolução editada pelo Conselho,
pode-se citar: identificação das demonstrações contábeis objeto de auditoria e o período
a que se referem; o estabelecimento da responsabilidade da administração pelo preparo
e apresentação das demonstrações contábeis; a declaração da administração de que
eventuais omissões de transações, em seu conjunto, não são relevantes a ponto de
comprometer a veracidade das demonstrações contábeis; o estabelecimento da
responsabilização da administração pela adequação dos controles internos operacionais,
etc.
O Conselho Federal de Contabilidade preceitua que as informações obtidas pelo
auditor através da C.R. deverão ser, sempre que possível, confirmadas por outras
evidencias de auditoria. No caso de uma evidencia de auditoria contradizer uma
informação obtida através da C.R., o auditor deverá questionar a veracidade de outras
informações prestadas pela Administração. Nestes casos, deverão ser efetuados testes
adicionais que confirmem as informações prestadas pelos administradores
O fato de a Administração se recusar a fornecer a C.R. ao auditor constitui uma
limitação de escopo do seu trabalho. O fato de a administração não fornecer outras
evidencias de auditoria quando estas seriam esperadas também constitui limitação de
escopo ao trabalho do auditor. Nestas situações, o auditor independente deverá
expressar um parecer com ressalva ou com abstenção de opinião.
Pela importância que tem no processo de auditoria, o Conselho Federal de
Contabilidade detalhou em grande medida os elementos da carta de responsabilidade da
Administração Tanto o auditor quanto a administração da entidade auditada deverão
observar estes aspectos, de maneira a cumprir com a legislação especifica do processo
de auditoria.

Centres d'intérêt liés