Vous êtes sur la page 1sur 4

RELATÓRIO FINAL DA OFICINA DE

FORMAÇÃO

«LER E ESCREVER NA WEB 2.0:


CONTRIBUTOS DAS FERRAMENTAS
DIGITAIS»

Formanda: Teresa Maria da Fonseca Rodrigues


Professora de Língua Portuguesa do 3º Ciclo
1.1. Expectativas Iniciais

Inscrevi-me nesta oficina de formação por sentir necessidade de


aprofundar os meus conhecimentos e competências no uso de ferramentas
digitais possíveis de utilização em sala de aula e no meu trabalho individual
enquanto professora de Língua Portuguesa.
Numa era cada vez mais informatizada e trabalhando com um
«público» totalmente imbuído de motivação digital, urge articular essa
motivação com o trabalho de sala de aula, nomeadamente, com a
aprendizagem da Língua Portuguesa.
Dominar a informática e o uso dos computadores já não pode
resumir-se à utilização de programas como o Word, o PowerPoint ou o Excel,
é realmente necessário socorrermo-nos de outras ferramentas que estão ao
dispor do ensino da Língua Portuguesa.
Assim, iniciei a frequência desta oficina de formação esperando
adquirir novas competências que me ajudassem a melhorar o meu trabalho
enquanto professora.

2. Desenvolvimento da Oficina de Formação


2.1. Metodologia

Em todas as sessões presenciais, os formadores apresentaram o


plano da mesma, para que tivéssemos desde logo uma perspectiva dos
conteúdos a abordar e das tarefas a realizar. Seguidamente procedíamos à
concretização desse mesmo plano. Na primeira sessão inscrevemo-nos na
plataforma Ning, criada pelos formadores para esta oficina, criámos um
blogue pessoal e as sessões seguintes foram dedicadas à experimentação
de uma série de ferramentas digitais, sempre com a orientação e apoio dos
formadores. Sempre que um dos formandos realizara um trabalho
interessante, apresentava-o ao grupo.
Relativamente às sessões não presenciais, o trabalho desenvolvido
pode ser caracterizado de dois modos: como complemento e
aperfeiçoamento do que fora feito em sessão presencial; como
experimentação de novas ferramentas (que haviam sido referidas pelos
formadores) e cujo produto final era colocado na plataforma Ning, no blogue
e/ou apresentado aos restantes formandos.

2.2. Trabalhos Realizados

Todos os trabalhos que realizei, bem como as tarefas que desenvolvi


nesta formação foram do meu agrado.
Começo por referir a criação do blogue «Ler e escrever em
Português» (www.lerescreveremportugues.blogspot.com). Um blogue
constitui uma potencial fonte de trabalho colaborativo professor/alunos e
aluno/aluno. Após a criação do mesmo, aprendi a actualizá-lo e a
aperfeiçoá-lo (publicação/edição de mensagens, adicionar mini-aplicações,

Página 2
comentar mensagens dos blogues dos colegas, etc…) e ainda me incentivou
à produção de trabalhos, recorrendo a novas ferramentas, que depois
publiquei no referido blogue e na plataforma Ning.
De entre esses trabalhos, destaco os realizados no Pizap, no
Photobucket (tratamento de imagens) e no Slideshare (publicação de
trabalhos em PowerPoint).
Realizei ainda trabalhos no Voicethred (ferramenta de reprodução
áudio), no Tikatok (criação de livros digitais) e no Toondoo.
Penso que é importante referir que não tinha ainda experimentado
nenhuma destas ferramentas, pelo que todos estes trabalhos foram
efectivamente fruto da frequência desta formação.
No que concerne à aplicação prática destes trabalhos e à adequação
aos níveis de ensino que lecciono, já pude experimentar em sala de aula o
recurso ao Voicethread e o Tikatok e o balanço é francamente positivo.
Perante a perspectiva do que seria o resultado final, os alunos
empenharam-se bastante nas tarefas prévias a realizar (pesquisa
bibliográfica, selecção de informação, redacção de textos, entre outros) e
envolveram-se com entusiasmo na aplicação das referidas ferramentas.
Creio que qualquer destas ferramentas se adequa a qualquer nível de
ensino, desde que os objectivos finais e os meios utilizados estejam de
acordo com o nível de escolaridade/faixa etária dos alunos.
As dificuldades que experimentei são as naturalmente sentidas por
um utilizador inexperiente de uma nova ferramenta, mas todas as
ferramentas indicadas/sugeridas pelos formadores eram relativamente
simples e de fácil utilização, além de que podíamos recorrer à plataforma
Ning como forma privilegiada para expor/esclarecer dúvidas. Não deixei de
realizar nenhuma tarefa por sentir dificuldades na utilização da ferramenta
necessária.

3. Avaliação da Oficina de Formação


3.1. Os Formadores e o Grupo de Formação

Uma das condicionantes para a fácil concretização das tarefas foi, a


meu entender, a constante disponibilidade dos formadores, bem como a
real vontade que manifestaram para que todos os formandos progredissem
ao longo das sessões. O ambiente de descontracção e simpatia que
incutiram entre todo o grupo foi efectivamente uma mais-valia e reflectiu-se
no próprio relacionamento entre os formandos.

3.2. Avaliação da Formação

Penso que a carga horária desta formação, para estabelecer o


«contacto» e iniciar a utilização deste tipo de ferramentas, é suficiente,
tendo a noção de que foi apenas o ponto de partida para uma série de

Página 3
outros trabalhos que poderei e deverei fazer enquanto professora, depois de
ter dado os primeiros passos. Em relação aos meterias disponibilizados pelo
centro de formação e pelos formadores, foram os suficientes. As estratégias
adoptadas pelos formadores foram totalmente adaptadas aos formandos e
aos objectivos das sessões, ou seja, foram eficazes.

4. Conclusão

Face às minhas expectativas iniciais, o balanço que faço desta oficina


de formação é claramente positivo. Progredi e atingi os objectivos a que me
propusera: tomei conhecimento de uma série de ferramentas digitais,
aprendi a utilizá-las, pu-las em prática e, sobretudo, «apetrechei-me» de
vários recursos que melhorarão o meu trabalho enquanto professora e
contribuirão para aumentar a motivação dos meus alunos, contribuindo
assim para melhorar o seu processo de aprendizagem.
Não posso deixar de felicitar e agradecer aos formadores que se
mostraram sempre solícitos e empenhados em ajudar os formandos e por
estarem dispostos a partilhar os seus conhecimentos de forma tão altruísta.
Aos meus colegas (restantes formandos) fica aqui também um
agradecimento pelos trabalhos e experiências partilhados e por terem
contribuído para que fosse tão agradável estar nesta formação.

Braga, 11 de Janeiro de 2010

A Formanda
_________________________________
(Teresa Maria da Fonseca Rodrigues)

Página 4