Vous êtes sur la page 1sur 2

Ficha Resumo: Plato

Priscilla Batista da Silva

Bobbio inicia sua anlise da obra de Plato indicando o carter utpico do dilogo
de A Repblica. Segundo o filsofo o modelo de Estado perfeito s um j que
existe uma nica constituio ideal- mas os Estados corrompidos os reais- so muitos.
Para ele, todas as formas de governo que de fato existiram so ms e a constituio boa
existe por si mesma, como modelo.
Por sua viso pessimista da histria, Plato tem numa mudana radical a soluo
para os problemas. No oitavo livro, ele analisa aquilo que chama de constituies
corrompidas (timocracia, oligarquia, democracia e tirania em ordem decrescente-).
Em relao Monarquia e Aristocracia, diferencia-as apenas em relao ao nmero de
pessoas que governam e as tem como constituies ideais.
A timocracia representa a transio entre as constituies ideais e as trs
constituies corrompidas, a contraposio das tipologias tradicionais. Para Plato, a
passagem de uma constituio outra corresponde passagem de geraes e a
corrupo seria o princpio que inspira todas as mudanas.
Segundo as anlises de Bobbio, a corrupo do Estado se manifesta por meio da
discrdia, qual Plato teme devido ao princpio da desagregao da unidade o qual
pode gerar a Anarquia sucedida por tirania como mal principal e outros tantos males
secundrios. O Filsofo Clssico aponta as discrdias entre governantes e governados e
entre os prprios governantes como as duas modalidades que levam a cidade runa.
Por fim, Bobbio estabelece uma relao entre a teoria orgnica da sociedade e a
teoria das formas de governo de Plato, apontando o carter universal de seu
pensamento. Indica tambm que, numa leitura mais atenta, a distino entre as formas
boas e ms de governo, por Plato, se d por dois critrios: violncia e consenso e
legalidade e ilegalidade.