Vous êtes sur la page 1sur 1

A grande quantidade de imagens produzidas diariamente, somado ao

desenvolvimento de novas tecnologias de captura, geram uma imagem,


hoje, que se tornou um objeto de difcil anlise. Enquanto antes, a questo
pelo carter verdadeiro (objetivo) da imagem era uma questo contingente
que revelava as dificuldades em pensar a produo de objetos visuais. Hoje,
essa questo parece estar ultrapassada.
Com o advento da tecnologia digital e sua correlativa existncia atravs da
informao, sabemos que a imagem susceptvel de sofrer interveno e
ser modificada, - e dado que j no um registro anlogo, mas uma
codificao de informao -, e, mais ainda, cada vez que vemos uma
imagem, questionamos seu carter "real" e nos perguntamos pelo seu
processo "produtivo". Assim, a ideia de que uma imagem possa ser objetiva
j no se discute, mas se d por certo que estas imagens podem ter sido
modificadas. O que as tornam, antes de mais nada, suspeitas.
Desta maneira, a suspeita de que se levanta sobre as imagens marca, por
um lado, a sua condenao como um registro do "real" e, por outro, a sua
dificuldade de se antepor aos acontecimentos contemporneos e se
desvincular dos principais centro de poder.

Quando Pedro fala sobre Paulo, sei mais de Pedro do que de Paulo.
Cada dia mais, Freud...