Vous êtes sur la page 1sur 2

O conceito de Ciclo económico refere-se às flutuações da actividade

económica, a longo prazo. O ciclo envolve uma alternância de períodos de


crescimento relativamente rápido do produto (recuperação e prosperidade),
com períodos de relativa estagnação ou declínio (contracção ou recessão).
Essas flutuações são geralmente medidas em termos de variação do Produto
Nacional (PIB ou PNB).

Fases de um ciclo:
Cada ciclo tem quatro fases:
• Subida
• Descida
• Recessão
• Reactivação
O período do pico mais alto é chamado de promoção. Qualquer promoção
culmina com uma descida. A crise ocorre em algum momento da queda. A
recessão que se seguiu, em última análise é revertida pela recuperação. Não
há prazo fixado para cada fase ou ciclo como um todo, mas a longo prazo, a
investigação tem a duração média estabelecida ciclos.
Ciclo de negócios é baseado em leis gerais que regem a economia capitalista,
e não políticas ou factores institucionais específicas para determinados
países ou períodos, mas, como explicou por Joseph Schumpeter (1935),
"cada flutuação económica é uma unidade histórica que não pode explicado
apenas por uma análise detalhada de muitos factores que existem em cada
caso. "

O ciclo económico apresenta 4 fases distintas: expansão, contracção,


recessão e recuperação.

Tipos de ciclos
Existem três tipos de ciclos económicos sectoriais e gerais ciclos. Os gerais
são:
Curto, pequenas ou Kitchin, com uma duração média de 40 meses, não têm
necessariamente uma crise na queda.[1]
Meios ou Juglar, 8 anos e meio, em média, são distinguidos pela presença de
'booms' e crises cíclicas.
Longos, ondas longas ou ciclos Kondratieff, uma média de 54 anos, durante a
expansão promoções são longos e mais fortes choques são leve e curta
recessão, depressão durante a promoção são fracas e curtas, a crise muito
forte e prolongada recessão, atingindo o nível geral de depressão
económica.
Entre os ciclos são o sector mais importante da indústria da construção
durante 18 anos em média, e para a agricultura em 10 anos de duração, em
média. Além disso, Ralph Nelson Elliott, observando as flutuações na bolsa
de valores, encontrados dentro de cada ciclo (o mais longo para curto) oito
"ondas": três pulsos de subida, com duas correcções e depois declina com
um dois correcção.
O ciclo económico (business cycle, ou economic cycle), consiste em
flutuações do produto interno bruto em torno da sua tendência de longo
prazo. Essas flutuações são recorrentes e não devem ser confundidas com
grandes flutuações do produto, como depressões económicas.

Duração
Os ciclos económicos podem ser de curto prazo (Kitchin - 3 a 4 anos), médio
prazo (Juglar - 7 a 11 anos) ou de longo prazo (Kondratieff - 50 a 60 anos).
Os ciclos de longo prazo são os associados a grandes mudanças estruturais,
como por exemplo as Revoluções Industriais. Para muitos autores, o mundo
encontra-se hoje no quinto ciclo de Kondratieff, baseado na era da
tecnologia e globalização. É visível, entretanto, que os países não têm
trajectórias semelhantes no que se refere ao nível de desenvolvimento
económico, tendo cada um as suas particularidades quanto à entrada e saída
de ciclos económicos.