Vous êtes sur la page 1sur 2

MINISTRIO DA SADE

GABINETE DO MINISTRO
PORTARIA N 1.886, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1997
DO 247, DE 22/12/97

DIRETRIZES OPERACIONAIS

8. Na operacionalizao do Programa devero ser observadas as seguintes diretrizes:


8. l. O Agente Comunitrio de Sade -ACS deve trabalhar com adscrio de famlias em
base geogrfica definida.
8.2. Um ACS responsvel pelo acompanhamento de, no mximo, 150 famlias ou
750 pessoas.
8.3. O recrutamento do Agente Comunitrio de Sade deve se dar atravs de processo
seletivo, no prprio municpio, com assessoria da Secretaria Estadual de Sade.
8.4. So considerados requisitos para o ACS: ser morador da rea onde exercer suas
atividades h pelo menos dois anos, saber ler e escrever, ser maior de dezoito anos e ter
disponibilidade de tempo integral para exercer suas atividades.
8.5. O Agente Comunitrio de Sade deve desenvolver atividades de preveno das
doenas e promoo da sade, atravs de visitas domiciliares e de aes educativas
individuais e coletivas, nos domiclios e na Comunidade, sob superviso e
acompanhamento do enfermeiro Instrutor-Supervisor lotado na unidade bsica de sade
da sua referncia.
8.6. vedado ao ACS desenvolver atividades tpicas do servio interno das
unidades bsicas de sade de sua referncia.
8.7. A capacitao do Agente Comunitrio de Sade deve ocorrer em servio, de forma
continuada, gradual e permanente, sob a responsabilidade do Instrutor-Supervisor, com a
participao e colaborao de outros profissionais do servio local de sade.
8.8. O ACS deve ser capacitado para prestar assistncia a todos os membros das
famlias acompanhadas, de acordo com as suas atribuies e competncias.
8.9. O contedo das capacitaes deve considerar as prioridades definidas pelo elenco
de problemas identificados em cada territrio de trabalho.
8.10. A substituio de um ACS por suplente classificado no processo seletivo poder
ocorrer em situaes onde o ACS: deixa de residir na rea de sua atuao; assume outra
atividade que comprometa a carga horria necessria para desempenho de suas
atividades; no cumpre os compromissos e atribuies assumidas; gera conflitos ou
rejeio junto a sua comunidade; o prprio ACS, por motivos particulares, requeira seu
afastamento.
8.11. Em caso de impasse na substituio de um ACS, a situao deve ser
submetida ao conselho local ou municipal de sade.