Vous êtes sur la page 1sur 17
Lei N° daft : Camara Municipal de Jundiaf | REJEITADO | Processone; 55.987 PROJETO DE LEI N® 1-1 Autor; DURVAL LOPES ORLATO Emenla: Regula no anbito mmicipal © plebiscito, o referendo e a inetattva popular, Arquive-se. Dirstor 44 p44 7 200F Pe Camara Municipal de Jundiat : ose PROJETO DE LEI N* 16.189 Dicetoria Legistativa | Diretoria Juridica Comissdes | Prazos:_| Comissio | Relator Para emitir parker: rvjons | 2idax |? dae A Dirctoria Juridica, een me ew | alae cenamennoe | 20 ae Qlte a contas | 15 iar aprirnive | Toine | 3as ° ‘00% Diretora Yo2s QUORUM: Voto lo Relator: eons Relator Di favordvet A oO Ceonsirio Ditetora Legislative Presidente Relator nee ne encanta em A Presidente Diretora Legistativa encaminhadoem if ‘encaminhado em Camara Municipal de Jundiai KG ‘S80 Paulo 7 PP 228/209 ‘CARERA H. JUNDIAL (PROTOCOLOD GYFEWOS 14811 050987 (DURVAL LOPES ORLATO) Regula no ambito municipal o plebiscito, 0 referendo ¢ a iniciativa popular |Art, I°, Esta fei insere no ambito municipal o plebiscito, o referendo e a iniciativa popular, regulando dispositivos da Lei Orgénica do Municipio c das Constituigdes Estadual e Federal, que versam sobre a participagiio popular. CAPITULO 1 - DO PLEBISCITO. Ant, 2°, Através de plebiscito, o povo poder decidir soberanamente no interesse especitica dv municipio, da cidade e de bairros sobre: ‘© cumprimente do dever dos Poderes Péblicos, de asscgurar « todos 0 exercicio dos direitos ividuais, coletivos, dilusos ¢ soc! Il ~ a mudanga de qualificagdo dos bens piblicos de uso comum do povo e dos de uso especial; Il — a realizagdo de obras que ultrapassem 3% (trés por cento) do orgamento total do municipio com base no exercicio anterior ou que tenham significativo impacto ambiental ou de vizinhanga; TV —a alienaco, pela Prefeitura Municipal. do controle de autarquias, fundagSes, empresas piblicas ou percentuais de participagio em empresas privadas na forma da leis Paragrafo unico, O piehiscito a que se refere o inciso IV deste artigo é obrigatorio © realizar-se-4 previamente a edicdo de leis ou 4 celebracio dos atos neles indicados, sob pena de invalidade. : a] Camara Municipal de Jundiai p) eae # ‘$80 Paulo BR (PL n, 10,189. fs, 2) Art. 3°. A iniciativa dos plebiscitos indicados no art. 2% I, I If] compete ao proprio pov, ‘ou a um tergo dos membros da Camara Municipal, dirigida, cm ambos os casos, a0 Presidente desta, que tomard as medidas cabiveis para sua realizago. Parigrato nico. A inivitiva popular refer “caput” exige a subscrig8o do pedido de ‘manifestago de povo por, no minimo, 5% (cinco por cento) do eleiturado, observado o disposto nos §§ 1% e 2° do art. 12 desta Ii . . Art. 4°, O objeto do plebiscito limitar-se-4 a um sé assunto. ‘Art, 5° A data para realizagio do plebiscite nfo poder ocorrer nos seis meses que antecederem a data das eleigdes municipais, podendo ocorrer, em acordo com a Justiga Eleitoral, conjuntamente na mesma data das eleigdes estaduais e nacionais. ‘Art. 6°, Conforme o resultado do plebiscito, proclamado pela Justiya Eleitoral, os Poderes ccompetestes tomardo as providéncias necessiris & sua implementagSo, inchusive, se for 0,¢330, com a edigio de lei. . CAPITULO Il - DO-REFERENDO \ Am. 7". Por meio do referendo, 0 povo aprova ou rejeita soberanamente, no todo ou em parte, 0 texto de leis ou de tos normativos haixados pelo Poder Executivo. Paragrafo anico, O referendo é obrigatério no caso disposto no art, 136 da Lei Orgéinica de Jundiai, que versa sobre a revistio do Plano Diretor. Art. 8°. O referendo € realizado por iniciativa popular, ou por iniciativa de um tergo dus membros da Camara Municipal, dirigida, em ambos os casos, ao Presidente desta, que tomara as inedidas cabiveis para sua realizagao. « Paragrafo ‘inico. A inicistiva popular referida no “caput” exige a subscrigéo do pedide de * manifestagao do povo por, no minima, 5% (cinco por cento) do eleitorado, observado o disposto nos §§ 1° € 2° do art. |2 desta lei. ‘Art. 9°. Recebida a solicitagao de referendo, a Camara Municipal convocaré o povo, dentro de um més, a manifestar-se no prazo maximo de seis meses, Parigrafo tnico. Caso a manifestagae do povo a que se refere o “caput” deste artigo ‘ovorrer em ano eleitoral, € permitida a prorrogesfio do prazo ¢ a realizago do referendo conjuntamente com a data do pleito estabclecido € em acordo com a Justiga Eleitor Ant. 10. Uma vez proclamado o resultado do referendo pela Justiga Eleitoral, compete Cimara Municipal, mediante decreto legislative, declarar que 0 texto normative, objeto da decisdo popular, foi confirmado ou rejeitado pelo povo. ia C4mara Municipal de Jundiai 5 S30 Paulo (Lae, 10.189 - fis, 3) Art. 11. Os efeitos revoeatérios do referando Lém inicio na data da publicagao de decreto Iegistativo. CAPITULO IIl—DA INICIATIVA POPULAR SY" at 12. 4 Lei Onginicn do Municipio pode scr emendada por inicativa de cid, que representem, no minime, 5% (cinco por cento} dos eleitores do Municipio. § 18. O celeitor deve declarar 0 nome completo, bairro onde reside, o niimero do Registro Geral - RG c assinatura, vedada a exigéncia de qualquer outra informagae adicional, 42°. A proposta de emenda ndo poderd ser rejeitada por vicio de forma, cabendo & Camara ‘Municipal, pelo seu érgdo competente. providenciar a corresiio de eventuais impropriedades de \écnica legislativa ou de redagao. Art. 13. A iniciativa de projetos de lei, de interesse especifico do Municipio, da cidade ou de bairros, pode ser feta, junto a Camara Municipal, pela subscrigao de, no minimo, cinco por cento, conforme 0 aso, do eleitorads do Municipio, da cidade ou dos bairros. Parégrafo Unico. Aplieam-se & iniciativa popular objeto deste artigo as disposiges dos §§ 2 do art anterior, Art. 14. As propostas de emenda @ Lei Oredinica do Municipio, bem como os projetos de lei, que sejam de iniciativa popular, tém prioridade, em sua tramitagae, subre todas as demais propostas de emenda a Lei Organica ou projetos de lei. CAPITULO IV - DISPOSICOES GERAIS Art. 15. A alteragiio ou revogagio de um disposi 0 éa V.ci Organica do Munic ‘uma lei euja proposta ou projeto originow-se de iniciativa popular, quando feita por emenda ou projeto de iniciativa diversa, deve ser obrigntoriamente submetida a referendo popular. An. 16. As formas de participagao popular previstas nos capitulos e II desta lei deveriio ser eneuminhadas pelo Presidente da Camara Municipal ao representante da Justiga Eleitoral para, rho que couber, serem providenciados o sistema de votaydo e demais regras previstas para excreicio do voto popular. Pariigraf nico, Em se tratando de plebiscite ou referendo que seja realizado em data diferente de pleito eleitoral, ax despesus correrio por conta do Poder Piblico municipal no que couber. Camara Municipal de Jundiai ‘S80 Paulo (ine, 10.189 ~ 45,4) Art, 17, Marcada a manifestagao popular de que trata esta lei, toda e qualquer propaganda nos vciculos de comunicagao que abrangerem o municipiu deverd conler espagos & lempos iguais ou favoriveis, a0 objeto do plebiscite ou referendo, sendo para as posigdes exclusivas, contr vedado 2 veiculagdo de outros temas no mesmo espage ou tempo destinada, Parigrafa (nico. A manifestagio da populayao 36 ser permitida, além dos meias de comunicagdo, através de panfletos ¢ comicios nos termos da legislagao eleitoral. Art. 18. Os casos niio previstos nesta Tei poderdo ser disciplinados pela maioria simples. dos vereadores, mediante decteto legislativo © logo ap6s a deflagracao efetiva do plebiscito ou referendo, sempre priorizando e facititando a participago popular. Art, 18, Esta lei entra em vigor na data de sua publicagao. Sala das Sessdes, 04/02/2009 DURVAL LOPES ORLATO ‘Sao Paulo iy fay Camara Municipal de Jundiai (Phar, 10.189. fs, 5) Justificativa ‘Nao temos em nosso municipio a regulamentacao das formas de participagau popular, szarantidas no nivel federal, mas no disciplinadas em ambito local. Propastas como esta tem tide 0 apoio da Ordem dos Advogados do Brasil - OAB, Confederagio Nacional dos Bispos do Brasil — CNDB ¢ outras entidades da sociedade civil. Ea implantagao dos instramentos de participagto popular, como o plebiscito, o‘referendo & outras modalidades. Desta forma, quera contribuir com este texto hase, para iniciar o trémite na Cimara Municipal de Jundiai, sem prejuizo de outras importantes contribuigdes que poderio surgir dos nobres pares ¢ da sociedade como um todo, DURVAL LOPES ORLATO Camara Municipal de Jundiai ‘So Paulo CONSULTORIA JURIDICA PARECER N°29 PROJETO LEI N°, 10.189 PROCESSO N°. 55. 987 De autoria do Vereador DURVAL LOPES ORLATO, © presente projeto de lei regula no dmbito municipal o plebiscite, o referendo e a iniciativa popular. A propositura encontra a sua justificativa as fis.07. E orelatorio. PARECER © projeto em estudo se afigura revestido da condigao de legalidade no que conceme a competéncia (art. 6° “caput" da L.O. M) © quanto & iniciativa( art.13, |, cfc art.46, art.48 e pardgrafos da L.O. M) que cabendo ao Municipio legislar sobre assuntos de interesse local, suplementando a legislagdo federal e estadual. Segundo José Afonso da Silva, *o plebiscito ¢ também uma consulta popular, semethante ao referendo; difere deste no fato de que visa a decidir previamente uma questo politica ou institucional, antes de sua formulacao legislativa, a0 Passo que © referendo versa sobre aprovagdo de textos de projeto de lei ou de emenda constitucional, j& aprovados: 0 referendo ratifica (confirma) ou rejeita 0 projeto aprovado; 0 plebiscite autoriza a formulagao da medida requerida’.' No mesmo ensinamento, a iniciativa popular & aquela pela qual “se admite que © povo apresente projets de lei ac legislative, desde de que ‘subscritos por numero razoavel de eleitores™ Sendo que, o Muri io adotara na Lei Organica “a iniciativa popular de leis de interesse especifico do Municipio, da cidade ou de bairros, através da manifestagao de, pelo menos, cinco por cento do eleitorado”.* SILVA, José Afonso Da. Curso de Direito Constitucional Pesitiv. p.142. 2 SILVA, José Afonso Da, Curso de Direito Constitucionat Pasiivo, p14. * SILVA, José Afonso Da, Curso de Direito Constitucional Pasitva, p.142, Camara Municipal de Jundiai ‘$50 Paulo A matéria 6 de natureza legislativa, eis que busca a regulamentaao das formas de participagao popular, ja garantidas no nivel federal, mas néo