Vous êtes sur la page 1sur 2

O Novo Homem

O homem ser feito


em laboratrio.
Ser to perfeito como no antigrio.
Rir como gente,
beber cerveja
deliciadamente.
Caar narceja
e bicho do mato.
Jogar no bicho,
tirar retrato
com o maior capricho.
Usar bermuda
e gola roule.
Queimar arruda
indo ao canjer,
e do no-objecto
far escultura.
Ser neoconcreto
se houver censura.
Ganhar dinheiro
e muitos diplomas,
fino cavalheiro
em noventa idiomas.
Chegar a Marte
em seu cavalinho
de ir a toda parte
mesmo sem caminho.
O homem ser feito
em laboratrio
muito mais perfeito
do que no antigrio.
Dispensa-se amor,
ternura ou desejo.
Seja como for
(at num bocejo)
salta da retorta
um senhor garoto.
Vai abrindo a porta
com riso maroto:
Nove meses, eu?
Nem nove minutos.
Quem j concebeu
melhores produtos?
A dor no preside
sua gestao.
Seu nascer elide
o sonho e a aflio.
Nascer bonito?
Corpo bem talhado?

Claro: no mito,
planificado.
Nele, tudo exacto,
medido, bem posto:
o justo formato,
o standard do rosto.
Duzentos modelos,
todos atraentes.
(Escolher, ao v-los,
nossos descendentes.)
Quer um sbio? Pea.
Ministro? Encomende.
Uma ficha impressa
a todos atende.
Perdo: acabou-se
a poca dos pais.
Quem comia doce
j no come mais.
No chame de filho
este ser diverso
que pisa o ladrilho
de outro universo.
Sua independncia
total: sem marca
de famlia, vence
a lei do patriarca.
Liberto da herana
de sangue ou de afecto,
desconhece a aliana
de av com seu neto.
Pai: macromolcula;
me: tubo de ensaio,
e, per omnia secula,
livre, papagaio, sem memria e sexo,
feliz, por que no?
pois rompeu o nexo
da velha Criao,
eis que o homem feito
em laboratrio
sem qualquer defeito
como no antigrio,
acabou com o Homem.
Bem feito.
Carlos Drummond de Andrade, in 'Versiprosa'