Vous êtes sur la page 1sur 20

TTULO

RESUMO

Choay, 2006, p. 149.


Delimita-se o objeto deste estudo aos edifcios histricos inventariados por seu valor cultural e
arquitetnico, reconhecidos pelos rgos de preservao competentes.
2

INTRODUO E JUSTIFICATIVA

primeiras iniciativas

Choay faz um recorte cronolgico no perodo de 1820-1960, o que denomina fase de consagrao do
monumento histrico.
4
CHOAY, 2006, p. 95.

valores

Foi este um dos caminhos em que se tornou possvel promover o pensamento de unidade nacional,
especialmente no Estado Novo: era preciso escapar do individual, que era fragmentrio, em busca do
publico ou do bem comum, unificador. (CHUVA, 2003, p. 313).
6
MEIRA, 2005, p. 1.
7
LONDRES FONSECA, 2005, p. 35-36.
5

conceito

CASTRIOTA, 2009, p. 65.


Texto baseado em uma palestra de sua autoria proferida por ocasio da cerimnia de posse da autora
como membro correspondente no Instituto Histrico e Geogrfico Brasileiro, no Rio de Janeiro, em 29 de
junho de 2005.
9

10

Por responsveis aqui entende-se os proprietrios, representantes ou instituies que administram estes
bens e so diretamente afetados pelas determinaes destas polticas.
11
SANT'ANNA, 1995, p.37.

estrutura

12

HENRIQUES, 2002, pp. 67.

13

TAVARES, 2012, p. 89.

comparativo

14

Em sua palestra citada em referncias anteriores, Ceclia Londres analisa como a partir das primeiras
iniciativas de proteo do patrimnio na revoluo foi se desenvolvendo na sociedade francesa um
sentido de patrimnio que constitui um dos traos mais caractersticos desta nao. P 164.
15
Como refere ESPING-ANDERSEN (1990), o conceito de Estado-providncia pode ser apreendido em
diferentes acepes. No seu sentido mais estrito, que tambm o mais corrente o conceito basicamente
diz respeito ao papel decisivo que o estado passou a ter, a partir do terceiro quartel do sculo xx, nos
aspectos que se prendem com a poltica social, assistncias, etc. Na acepo mais abrangente, o conceito
passvel de ser aplicado tambm crescente interveno do Estado em outros domnios, como as
polticas culturais.
16
HENRIQUES, 2002, p. 72.
17
Henriques, Op. Cit. p. 71.

tendncias

18

PINHEIRO, 2006, p. 12.


Embora o conceito de monumento histrico e os instrumentos de preservao a eles associados tenham
aparecido em 1790, foi em 1830 que o Ministro do Interior da Frana criou o cargo de inspetor dos
monumentos histricos (CHOAY. 2001, p. 28).
19

21

20
21

HENRIQUES, 2002, p. 70.


LONDRES FONSECA, 2005, p. 161.

suporte

22

SOUZA, 2006, p. 20-45.


FREY, 2000, p. 212-259.
24
CHUVA, 2009.
25
CASTRIOTA, 2009.
23

OBJETIVOS E QUESTO CENTRAL

26
27

MEIRA, 2005.
BRESSAN PINHEIRO, 2006.

MATERIAL E MTODOS

FORMA DE ANLISE DOS RESULTADOS

PROGRAMA DE TRABALHO

CRONOGRAMA DE EXECUO
Etapas

1 a.
2 a.
3 a.

4 a.

5 a.

Atividades

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

BIBLIOGRAFIA