Vous êtes sur la page 1sur 17

Instituto Superior de Transportes e Comunicações

OBJECTIVOS:

• A presentação dos tipos de Madeira mais utilizada em Moçambique;


• Características Mecânicas da madeira;
• Classificações;
• Aplicações.

INTRODUÇÃO

A madeira é um material produzido a partir do tecido formado pelas plantas lenhosas com
funções de sustentação mecânica. Sendo um material naturalmente resistente e leve, é
frequentemente utilizado para fins estruturais e de sustentação de construções. É um
material orgânico, sólido, de composição complexa, onde predominam as fibras de celulose
e hemicelulose unidas por lenhina. Caracteriza-se por absorver facilmente água
(higroscopia) e por apresentar propriedades físicas diferentes consoante a orientação
espacial (ortotropia). As plantas que produzem madeira (árvores) são perenes e lenhosas.

Materiais de Construção 1
Instituto Superior de Transportes e Comunicações

MADEIRAS MAIS UTILIZADAS EM MOÇAMBIQUE

Em Moçambique existem muitos e muitos tipos de madeira. Dentre eles os mais destacados
e utilizados em Moçambique são os seguintes:

Ø Pau-Preto;
Ø Pau- Rosa e pau-ferro;
Ø Chacate Preto;
Ø Sandalo;
Ø Jambire;
Ø Chanfuta;
Ø Umbila;
Ø Mecrusse;
Ø Monzo;
Ø Afrormosia;

CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS, APLICAÇÕES E CLASSIFICAÇÃO DOS TIPOS DE


MADEIRA.

• PAU-PRETO

Nome cientifico: Dalbergia melanoxylon

Familia: Leguminosae (legume)

Outros nomes: Mozambique Ebony, Ebene, Mpingo, Mufunjo,


Banbanus, Mukelete

Região de Origem: África Oriental e África Ocidental

A madeira: A madeira tem uma cor uma cor negra. É extremamente dura pois tem uma
massa volúmica de cerca de 1250Kg/m3 com uma humidade de 12%.

Secagem: Esta madeira seca lentamente e existe o risco de criar bastantes fendas durante a
secagem

Corte da madeira: Esta madeira, apesar de bastante dura, é bastante simples de trabalhar

Materiais de Construção 2
Instituto Superior de Transportes e Comunicações

Utilizações: Esta madeira é bastante utilizada em instrumentos musicais, artesanato e


outro tipo de aplicações diversas tais como cachimbos, tabuleiros de xadrez, cabos de facas
e outros

• PAU- ROSA

Nome cientifico: Swartizia Madagascariensis

Familia: Leguminosae (legume)

Outros nomes: Cimbe, Nacuata, Boto, Oken, Kisasamba, Pau Rosa


(Tanzânia)

Região de Origem: Moçambique, África do Sul, Zaire, Congo, Gabão, Costa do Marfim

A madeira: A madeira tem uma cor avermelhada com um forte tom de castanho. Tem uma
massa volúmica de 1010 Kg/m3 com 12 % de humidade o que torna esta madeira
extremamente dura

Secagem: Esta madeira seca lentamente com um risco de deformação mínimo.

Corte da madeira: O corte da madeira é bastante complicado devido à dureza da madeira.

Utilizações: Esta madeira é bastante utilizada em soalho e mobiliário

• CHACATE

Nome cientifico: Guibourtia conjugata

Familia: Leguminosae (legume)

Outros nomes: chacate Preto

Região de Origem: Moçambique e África do Sul

A madeira: A madeira é bastante escura possuindo estreitos fios longitudinais de cor


castanho claro

Secagem: Esta madeira seca lentamente apesar da sua elevada densidade

Corte da madeira: Esta madeira é fácil de trabalhar podendo ser serrada facilmente.

Utilizações: O chacate é uma madeira bastante utilizada para mobiliário

Materiais de Construção 3
Instituto Superior de Transportes e Comunicações

• SANDALO

Nome cientifico: Spirostachys africana

Familia: Euphorbiaceae

Outros nomes: Tomboti, Zunvorre

Região de Origem: África Oriental

A madeira: A madeira caracteriza-se pelo seu perfume agradável que é inigualavel. A


madeira tem uma cor uma cor negra. É extremamente dura pois tem uma massa volúmica
de cerca de 1041Kg/m3 com uma humidade de 12%.

Secagem: IEsta madeira seca rapidamente sem o risco de fendas ou deformação

Corte da madeira: Esta madeira, apesar de bastante dura, é bastante simples de trabalhar

Utilizações: Esta madeira é bastante rara pelo que é utilizada apenas no fabrico de
objectos de luxo

• JAMBIRE

Nome cientifico: Millettia Stuhlmannii

Familia: Leguminosae (legume)

Outros nomes: Panga-Panga, Jambire, Messara, Mpande, Awoung

Região de Origem: África Oriental

A madeira: A madeira é bastante escura podendo ir de uma cor negra até a um castanho
bastante escuro. A madeira tem uma massa volúmica de 800-870 kg/m3 a 12% de
humidade.

Secagem: Esta madeira seca lentamente com um risco de deformação mínimo.

Corte da madeira: Esta madeira é extremamente dura pelo que exige ferramentas de
corte de elevada qualidade.

Utilizações: Esta madeira é bastante utilizada em mobiliário e soalhos.

Materiais de Construção 4
Instituto Superior de Transportes e Comunicações

• CHANFUTA

Nome cientifico: Afzelia Quanzensis

Familia: Leguminosae (legume)

Outros nomes: Pod-Mahogany, Mahogany Bean, Chanfuta,


Peulmanhonia, Mkehli, Uvala, Papao, Pauconta, Lingue, Kpendei,
Bolengu

Região de Origem: África Central, Oriental e Ocidental

A madeira: A madeira é clara quando ainda verde após ser serrada. No entanto, a
exposição ao ar torna a madeira num vermelho acastanhado de grande beleza natural. A
madeira tem uma massa volúmica a 12% de 753-801 kg/m3

Secagem: Esta madeira seca lentamente com um risco de deformação mínimo.

Corte da madeira: Esta madeira é extremamente dura pelo que exige ferramentas de
corte de elevada qualidade cujos ângulos de corte terão de ser perfeitamente ajustados.

Utilizações: Esta madeira é muito utilizada na indústria naval pela sua grande
durabilidade e resistência. Outro segmento de aplicações são o mobiliário, portas, janelas,
parquets e escadas de elevada qualidade.

Disponibilidade comercial: Disponível em diversas qualidades e dimensôes na maioria


das províncias madeireiras do país. Exportada em barrotes, pranchas e parquete para
diversos mercados.

• UMBILA

Nome cientifico: Pterocarpus Angolensis

Familia: Leguminosae (legume)

Outros nomes: Imbila, Umbila, Mebila, Muninga

Região de Origem: Tanzânia, Zambia, Moçambique, Zimbabwe e


África do Sul

Materiais de Construção 5
Instituto Superior de Transportes e Comunicações

A madeira: A madeira tem uma cor clara que progride para uma cor amarelada com tons
de castanho

Secagem: Esta madeira seca rapidamente com um risco de deformação mínimo.

Corte da madeira: O corte da madeira é bastante simples tanto à mão como utilizando
ferramentas

Utilizações: Esta madeira é bastante utilizada em mobiliário, indústria naval e construção


em geral

Disponibilidade comercial: vastamente comercializada tanto no mercado interno como


externo. Presentemente exportada em tábuas para CEE, mercado asiático (china), RSA e
USA. Pode ser adquirida na maioria das províncias madeireiras.

• MECRUSSE

Nome cientifico: Androstachys johnsonii

Familia: Leguminosae (legume)

Outros nomes: Lebombo, IronWood, Mezimbite, Nsimbitsi

Região de Origem: África Oriental

A madeira: A madeira tem uma cor amarelada que progride para um castanho aclarado à
medida que se converge para o interior do tronco. Tem uma massa volúmica de 920 Kg/m3
com 12 % de humidade o que torna esta madeira extremamente dura

Secagem: Esta madeira seca lentamente com um risco de deformação mínimo.

Corte da madeira: O corte da madeira é bastante complicado devido à dureza da madeira.

Utilizações: Esta madeira é bastante utilizada essencialmente em soalhos. É também


utilizada na indústria naval e mobiliário

Conservação: Muito resistente ao ataque de fungos e insectos incluindo térmites, porém a


árvore em pé é atacada por um tipo de fungo que desorganiza o seu lenho. Difícil de secar
mostrando tendência à abertura de fendas superficiais. Extremamente difícil de impregnar
em profundidade.

Materiais de Construção 6
Instituto Superior de Transportes e Comunicações

• MONZO

Nome cientifico: Combretum Imberbe

Familia: Leguminosae (legume)

Outros nomes: Leadwood

Região de Origem: Sudeste de África

A madeira: É uma madeira escura que pesa cerca de 1200 Kg com uma humidade de 12%.

Secagem: Esta madeira seca bastante bem e rapidamente, sem que se verifiquem
deformações.

Corte da madeira: Por ser bastante dura, esta madeira oferece alguma resistência durante
o corte.

Utilizações: Esta madeira é utilizada na produção de mobiliário e parquets.

• AFRORMOSIA

Nome cientifico: Pericopsis Angolensis

Familia: Leguminosae Papilionatae

Outros nomes: Ayin, Egbi, Assembla

Região de Origem: Moçambique, Costa do Marfim, Nigéria, Gana

A madeira: A madeira tem um tom amarelado escuro, semelhante ao da Teca.

Secagem: Esta madeira seca lentamente com baixo nível de deformação.

Corte da madeira: Esta madeira é relativamente simples de trabalhar, tanto mais que o
acabamento da colagem é fácil.

Utilizações: Esta madeira é utilizada na produção de parquets e mobiliário.

Materiais de Construção 7
Instituto Superior de Transportes e Comunicações

CARACTERÍSTICAS FISICA E MECÂNICAS DAS MADEIRAS MAS USADAS NA


CONSTRUÇÃO EM MOÇAMBIQUE

• CHANFUTA

Tab.1 Propriedades físicas:


Propriedade Valor médio Qualificação
Densidade (kg/m3)
- Normal (12%) 790 Pesada
- Básica 692
Retracção:
- Volumétrica total (%) 6.8 Pouco retráctil
- Coeficiente radial 0.17
- Coeficiente tangencial 0.18
Ponto saturação fibras (%) 17 Baixo

Tab.2 Propriedades mecânicas: (tensões de rotura em N/mm2)


Propriedade Valor médio Qualificação
Flexão estática:
-tensão de rotura 110 Medianamente resistente
- Cota de rigidez 35.8 Medianamente elástica
- Cota de flexão 13.9 Baixa
Flexão dinâmica:
- coef. De resiliência 0.14 Pouco resiliente
- Cota dinâmica 0.22 Muito frágil
Compressão axial
- Tensão de rotura 61 Medianamente resistente
Tracção transversal
- Tensão de rotura 2.6 Medianamente resistente
Dureza
- Índice de dureza 7.2 dura

Materiais de Construção 8
Instituto Superior de Transportes e Comunicações

• MECRUSSE

Tab.3 Propriedades físicas:


Propriedade Valor médio Qualificação
Densidade (kg/m3)
- normal (12%) 880 Pesada
- básica 754
Retracção:
- volumétrica total (%) 12.8 Medianamente retráctil
- Coeficiente radial 0.32
- Coeficiente tangencial 0.36
Ponto saturação fibras (%) 18 baixo

Tab.4 Propriedades mecânicas: (tensões de rotura em N/mm2)


Propriedade Valor médio Qualificação
Flexão estática:
-tensão de rotura 162 Medianamente resistente
- cota de rigidez 28.0 Elástica
- cota de flexão 18.4 Média
Flexão dinâmica:
- coef. De resiliência 0.43 Medianamente resiliente
- cota dinâmica 0.54 Muito frágil
Compressâo axial
- tensâo de rotura 66 Medianamente resistente
Tracção transversal
- tensão de rotura 3.2 Medianamente resistente
Dureza
- índice de dureza 13.7 Muito dura

• UMBILA

Propriedades físicas:
Propriedade Valor médio Qualificação
Densidade (kg/m3)
- normal (12%) 636 Leve
- básica 558
Retracção:
- volumétrica total (%) 6.4 Pouco retráctil
- Coeficiente radial 0.13
- Coeficiente tangencial 0.21
Ponto saturação fibras (%) 17 Baixo

Materiais de Construção 9
Instituto Superior de Transportes e Comunicações

Propriedades mecânicas: (tensões de rotura em N/mm2)


Propriedade Valor médio Qualificação
Flexão estática:
-tensão de rotura 135 Medianamente resistente
- cota de rigidez 30.6 Medianamente elástica
- cota de flexão 20.2 Elevada
Flexão dinâmica:
- coef. De resiliência 0.31 Pouco resiliente
- cota dinâmica 0.60 Muito frágil
Compressâo axial
- tensâo de rotura 47 Medianamente resistente
Tracção transversal
- tensão de rotura 2.2 Pouco resistente
Dureza
- índice de dureza 5.4 Medianamente dura

DE UMA FORMA GERAL, AS MADEIRAS SÃO DISTRIBUIDAS DA SEGUINTE MANEIRA


AO LONGO DO PAÍS:

Zona Norte Zona Centro


• Umbila; • Umbila;
• Chanfuta (em menor escala); • Jambire;
• Pinho; • Chanfuta;
• Mbawa; • Missanda;
• Nhatchassa (madeira nativa). • Pau-rosa;
• Monzo; • Pinho;
• Messassa. • Panga-panga;
• Mbawa;
• Sándalo;
• Pau-preto
Zona Sul
• Mecrusse;
• Umbila;
• Chanfuta;
• Tanga-tanga;
• Missanda;
• Chacate;
• Messassa.

Materiais de Construção 10
Instituto Superior de Transportes e Comunicações

MADEIRAS EXPORTADAS

Devido a elavada procura e a excassês da madeira mundialmente, Moçambique tem sido


um dos pontos estratégicos para a sua exploração.
A lei Moçambicana já não permite a exportação de madeira em toros de modo a garantir a
mão-de-obra moçambicana através do processo de serracção.
Existem várias espécies de madeira que são exportadas para diversos pontos do mundo,
das quais se destacam as seguintes:
• Pau-preto (Ásia e Europa);

• Monzo (Ásia);

• Messassa (como travessas ou barrotes);

• Chanfuta (em barrotes, pranchas e parquete, para diversos mercados);

• Missanda (como travessas para RSA);

• Chacate (China e RSA);

• Jambire (em tábuas, ripas e parquete, para China, RSA e Europa);

• Umbila (em tábuas para Europa, China, RSA e EUA);

• Sândalo (Mercado asiático).

INDÚSTRIAS MADEIREIRAS DE MOÇAMBIQUE

Existem várias indústrias dedicas a transformação da madeira, tais como:

• Serracção de Lhangene, Lda (Maputo)

• INFLOMA, Lda (Manica)

• JM Construções (Maputo)

• SECAMA (Maputo)

• Inchope Madeiras (Manica)

• Gema Madeiras, Lda (Inhambane)

• SIMAF (Maputo)

• Vilankulo Madeira, Lda (Inhambane)

• E outras.

Materiais de Construção 11
Instituto Superior de Transportes e Comunicações

PROCESSOS USADOS

Os processos usados pelas indústrias nacionais são de um modo geral idênticos.

Processo de secagem

É o processo da secagem da madeira até aos 0%, de acordo ao nosso as indústrias


moçambicanas não usam o sistema de secagem por estufa, isto é, são expostos ao sol,
tornando difícil atingir a percentagem de humidade desejada. (ver fig. 1)

Fig.1- Secagem da madeira

Processo de Serração

É o processo que consiste em serrar troncos de madeira em diversas pranchas (placas),


com espessuras variadas (ver fig. 4), dependendo da demanda, e a máquina usada tem o
nome de Chariot (ver fig. 2). Existe uma outra máquina denominada serra de fita (ver fig.
3), que serve para serrar o tronco em espessuras mais finas

Fig.2-Chariot

Materiais de Construção 12
Instituto Superior de Transportes e Comunicações

Fig.3-Serra de fita

Fig.4- Pranchas

Processo de Alinhamento

É o processo que consiste em alinhar as placas serradas (ver fig. 5), e a máquina usada tem
o nome de bancada (ver fig. 6).

Fig.5-Placas serradas

Materiais de Construção 13
Instituto Superior de Transportes e Comunicações

Fig.6- Bancada

Processo de Alisamento

Este processo consiste em homogeneizar os lados da madeira, com uma máquina


denominada garlopa ou plaina (ver fig. 7).

Fig.7-Garlopa ou Plaina

Processo Final

Este processo consiste em garantir as medidas dejadas pelo consumidor, e a máquina


usada é denominada desencostadeira (ver fig. 8).

Materiais de Construção 14
Instituto Superior de Transportes e Comunicações

Fig.8-Desencostadeira

Aplicações

A estrutura de produção da madeira compreende os seguintes produtos principais:

• Produção de lenha, carvão, estacas e outros produtos para consumo próprio


• Produção de combustíveis lenhosos para comercialização
• Produção de toros
• Produção de madeira serrada e processada
• Na industria de construção na produção de vigas, pilares, parquet,...

Materiais que podem substituir a madeira

Como sabemos, para a obtenção da madeira, é necessário o abate de árvores, que no caso
de não serem replantadas aceleram o processo de desertificação, prejudicando o meio
ambiente. De modo a evitar este processo, a madeira pode ser substituída por diversos
materias, tais como o aço, o plástico, o alumínio, etc.
Por exemplo, as caixilharias das portas e janelas, podem ser substituídas pelo alumínio.

Materiais de Construção 15
Instituto Superior de Transportes e Comunicações

Conclusão

Moçambique é um país privilegiado de diversos tipos de madeira que contribuem em


grande escala para a construção civil, mas devido a falta de replantação (reflorestação), a
natureza está a sofrer graves consequências que afectarão a humanidade. Com isto
aconselhamos a substituição da madeira, se possível, por outros materiais alternativos
menos destrutivos à natureza.
A madeira é um material com diversas utilidades para a construção, bem como para outras
áreas.

Materiais de Construção 16
Instituto Superior de Transportes e Comunicações

Bibliografia
http://www.geocities.com/glulammlc/caractmad.html

http://www.universia.com.br/cultura+/cultvox.jsp

http://pt.wikipedia.org/wiki/Madeira

ü Relatório da UEM e do Ministério da Agricultura.

ü BUNSTER, Jaime, Madeiras Comerciais de Moçambique, catálogo tecnológico, 2ª


edição, Traforest lda., 2006;

Materiais de Construção 17