Vous êtes sur la page 1sur 14

DEMONSTRAÇÃO DO

FLUXO DE CAIXA - DFC


A DFC é uma demonstração que
tem por finalidade evidenciar as
transações ocorridas em
determinado período e que
provocaram modificações nas
disponibilidades da empresa
(caixa, bancos e aplicações
imediatas).
Métodos da DFC
Método direto – Por este método
são demonstrados os
pagamentos e recebimentos que
entraram no Caixa.
(disponibilidades)
Modelo de DFC DIRETO
DFC da _________em __/12/XX:
I - Fluxos das Operações:
(+) Recebimento de Vendas
(-) Pagamento de Compras
(-) Pagamentos de impostos
(-) Pagamento de Despesas Operacionais
(=) Caixa Gerado pelas Operações
II - Fluxos dos Investimentos:
(-) Aquisição de Investimentos /imobilizado
(+) Vendas de Investimentos /imobilizado
(=) Caixa Gerado pelos Investimentos
III - Fluxos dos Financiamentos:
(+) integralização do capital
(+) Empréstimos Bancários
(-) Amortização de Financiamentos
(-) Pagamentos de dividendos
(=) Caixa Gerado pelos Financiamentos
Variação Total das Disponibilidades: (I + II + III)
Saldo Inicial das Disponibilidades:
Saldo Final das Disponibilidades:
SITUAÇÃO INICIAL

ATIVO PASSIVO E PL
X6 X7 X6 X7

Circulante Circulante
- Caixa 700 - - fornecedores 100 -
- Duplicatas a receber 300 - - Empréstimos 500 -
- Estoques 500 - -

Permanente - Patrimônio Líquido -


- Investimentos 100 Capital 1.500
- Imobilizado 1.000 - Lucros acumulados 1000 -
- Diferido 500 - -
- -
- -

Total do ativo 3.100 - Total do passivo/PL 3.100 -


Fatos em x7
-Receitas de R$ 2000,00, sendo 70% à vista e o
restante a prazo
- Impostos sobre vendas: R$ 400,00
-CMV : R$ 250,00
- Depreciação: 10% Imobilizado
-- Impostos sobre o lucro: R$ 210,00
- Pagamento de outras despesas: R$ 200,00 (à vista )
- Pagamento dos fornecedores e do empréstimo de
x6 (em dinheiro)
- compra de um terreno: R$ 50,00 (em dinheiro)
- Reserva legal 5% e dividendos:400
DRE E VARIAÇÃO DO CAIXA

DRE
CAIXA VENDAS 2000
(-) IMPOSTOS (400)
700 200
1400 100 V. LÍQUIDAS 1.600
500 (-) CMV (250)
50 LUCRO BRUTO 1.350
(-) DESP. OPER. (300)
SD 1250 LUC. OPERAC. 1.050
(-) IR/CSLL (210)
LUCRO LIQUID. 840
ATIVO PASSIVO E PL
X6 X7 X6 X7
Circulante Circulante
- Caixa 700 1250 fornecedores 100 0
- Duplicatas a Rec. 300 900 Empréstimos 500 0
- Estoques 500 250 Impostos a Rec. 610
Permanente Dividendos a PG 400
- Investimentos 100 150
- Imobilizado 1.000 1000 P. Líquido
- Deprec Acum Capital 1.500 1500
(100)
- Diferido Lucros acum. 1408
500 500 1.000
Reserva legal 32

Total do ativo 3.100 3950 Total do passivo/PL 3.100 3950


DFC MODELO DIRETO

DFC em 31/12/07:
I - Fluxos das Operações:
(+) Recebimento de Vendas 1.400
(-) Pagamento de Compras (100)
(-) Pagamento de Despesas Operacionais (200)
(=) Caixa Gerado pelas Operações 1.100
II - Fluxos dos Investimentos:
(-) Aquisição de novos Investimentos/Imobilizado (50)
(=) Caixa Gerado pelos Investimentos (50)
III - Fluxos dos Financiamentos:
(+) Empréstimos Bancários 0
(-) Amortização de Financiamentos (500)
(=) Caixa Gerado pelos Financiamentos (500)
Variação Total das Disponibilidades: 550
Saldo Inicial das Disponibilidades: 700
Saldo Final das Disponibilidades: 1.250
DFC MÉTODO INDIRETO
Para evidenciar os fluxos operacionais no
método indireto, partimos do lucro líquido
do exercício da DRE, isto é, partimos do
resultado econômico da companhia. Após
sucessivos ajustes, chegamos ao valor de
fluxo gerado pelo caixa, este método
também é conhecido como o método da
reconciliação.
MODELO DFC INDIRETO
DFC da _________em __/12/XX:
I - Fluxos das Operações:
Resultado do Exercício
(+) Depreciação
(-) aumento das duplicatas a receber
(+) Diminuição dos estoques
(-) diminuição de fornecedores
(-) diminuição de contas a pagar e impostos a recolher
(=) Caixa Gerado pelas Operações
II - Fluxos dos Investimentos:
(-) Aquisição de Investimentos /imobilizado
(+) Vendas de Investimentos /imobilizado
(=) Caixa Gerado pelos Investimentos
III - Fluxos dos Financiamentos:
(+) integralização do capital
(+) Empréstimos Bancários
(-) Amortização de Financiamentos
(-) Pagamentos de dividendos
(=) Caixa Gerado pelos Financiamentos
Variação Total das Disponibilidades: (I + II + III)
Saldo Inicial das Disponibilidades:
Saldo Final das Disponibilidades:
MODELO DFC INDIRETO
DFC da _________em __/12/XX:
I - Fluxos das Operações:
Resultado do Exercício 840
(+) Depreciação 100
(-) aumento das duplicatas a receber (600)
(+) Diminuição dos estoques 250
(-) diminuição de fornecedores (100)
(+ aumento de contas a pagar e impostos a recolher 610
(=) Caixa Gerado pelas Operações 1.100
II - Fluxos dos Investimentos:
(-) Aquisição de Investimentos /imobilizado (50)
(+) Vendas de Investimentos /imobilizado
(=) Caixa Gerado pelos Investimentos (50)
III - Fluxos dos Financiamentos:
(+) integralização do capital
(+) Empréstimos Bancários
(-) Amortização de Financiamentos (500)
(-) Pagamentos de dividendos
(=) Caixa Gerado pelos Financiamentos (500)
Variação Total das Disponibilidades: (I + II + III) 550
Saldo Inicial das Disponibilidades: 700
Saldo Final das Disponibilidades: 1.250
Entendendo o método Indireto
O método indireto não apresenta
diretamente as variações nas
disponibilidades (daí o nome indireto),mas
efetua a análise por meio das variações
corridas nas demais contas do Ativo
Circulante e do Passivo Circulante.
Resumo das variações do AC e PC

Aumento Redução

Contas do AC Redução do Caixa (desembolso) Aumento do Caixa


(recebimento)

Contas do PC Aumento do Caixa (não pagamento) Redução do Caixa


(pagamento)
CONCLUSÃO
A diferença entre o modelo indireto e o
modelo direto da DFC está apenas na
evidenciação dos fluxos gerados pelas
operações. Não há diferença no que diz
respeito aos fluxos gerados pelos
financiamentos e pelos investimentos