Vous êtes sur la page 1sur 44

VEDAÇÃO HIDRÁULICA

APLICAÇÕES
Conheça alguns materiais!
Borracha Natural-: NR
Seu uso em vedadores é limitado, por ter pouca resistência aos óleos minerais.
É adaptável em Vedações de óleo de mamona ou de álcool
Sua aplicação real é em peças sujeitas a choques, a compressão e a desgaste,
Como: as guarnições, amortecedores, calços, coxins e mangotes.

Borracha Nitrílica -: NBR


É uma borracha com excelente adesão a metais e a tecidos, que se adapta a qualquer tipo
de vedador. É a mais utilizada em nossa atividade, devido à maioria dos sistemas de
vedações utilizarem óleos minerais ou derivados de petróleo que são significativamente
compatíveis com a borracha nitrílica.
Conheça alguns materiais!
Etileno Propileno - EPDM
Sua utilização em vedadores fica restrita por sua baixa resistência aos óleos minerais,
derivados de petróleo e solventes.
É adaptável a altas temperaturas e sua melhor aplicação na vedação de vapor ou água.
Exemplo: Mangueira de carburador, guarnições de carros.

Neoprene -CR.
Apesar de ser mais versátil borracha à disposição da indústria, seu uso é restrito em vedadores, por
existirem borrachas com melhor adaptação às exigências desses.
Apresenta excelente desempenho quando utilizada em vedações de fluídos refrigerantes ou
sujeitas a intempéries ou em sistemas pneumáticos.
Conheça alguns materiais!

Silicone - SI
Em geral, o silicone apresenta baixa resistência mecânica, exigindo, assim, um certo cuidado antes
de empregá-lo em sistemas dinâmicos.
A melhor característica do silicone é manter suas propriedades em uma faixa de temperatura muito
grande, possibilitando o seu uso em vedadores expostos a baixa ou altas temperaturas.

Viton- FPM
A marcante resistência do Viton ao calor e aos ataques químicos, associada a excelentes
propriedades mecânicas, fazem com que seus vedadores; apresentem desempenho superior a
qualquer outro tipo aplicado às mesmas condições de trabalho.
É considerada a borracha mais importante na aplicação de vedadores.
Entre as poucas exceções às quais o Viton não resiste estão os ésteres e a acetona
Conheça alguns materiais!

Teflon - PTFE
O teflon, material semi-rígido, é um dos poucos termoplásticos utilizados em vedadores, devido ao
seu baixo coeficiente de atrito, à sua quase total insensibilidade ao ataque químico e ao fato de
atender a uma grande faixa de temperatura de trabalho.
Para que o teflon seja adaptável aos vedadores, procura-se suprir sua baixa elasticidade com
desenhos de perfis especiais.
Adapta-se a jogos de gaxetas e a alguns modelos de retentores.
É aplicado em sistemas a cujos fluidos as borrachas não resistam, em sistemas que não tenham lubrificação.
Conheça alguns materiais!

Poliuretano – PUR - TPU


O Poliuretano possui excepcional resistência mecânica ao cisalhamento, à abrasão, à extrusão e
aos impactos.
É usado com vantagens em sistemas de baixas ou altas pressões, ou em meio ambiente agressivo e
compensa eventuais defeitos de tolerância e acabamento de usinagem das peças dos sistema.
O Poliuretano com molibdênio é um elastômero de poliuretano com uma dosagem de bissulfeto de
molibdênio, que proporciona aos sistemas de vedações uma permanente lubrificação e um baixo
coeficiente de atrito.
O elastômero apresentado proporciona excelentes resultados quando aplicado em vedações de
óleos minerais ou derivados de petróleo, chegando a aumentar a vida útil do vedador de 4 a 8
vezes, quando comparado às vedações convencionais.
PARTES DO CILINDRO
HIDRÁULICO

TAMPA

CAMISA

HASTE
FLUIDO
HIDRAULICO

EMBOLO
Cilindros Hidráulicos e Pneumáticos
SISTEMA DE PROTEÇÃO
HIDRÁULICO RASPADOR
PU ou com
CARCAÇA
PRESSÃO
ENTRADA/SAÍDA

GAXETA

HASTE
O´RING B ou U’

FLUÍDOS

FLUÍDOS
ANEL GUIA

GAXETA
ÊMBOLO STD ou U’

FLUÍDOS

PRESSÃO
ENTRADA/SAÍDA

01
Terraplenagem Empilhadeira Equipamento Agrícola Sistema de Elevação

Caminhões Guindastes Injetora Cilindro Hidráulico


Aplicação de Cilindros Hidráulicos e
Pneumáticos
O QUE É GAXETA?
Dicionário Mecânica: Peça de amianto, linho, algodão, metal, borracha ou outro material,
com que se completa a vedação nas juntas de canalizações,
tampas de cilindro, etc., ou se impede o escapamento de fluido por uma junção móvel.
As gaxetas são Artefatos Mecânicos Moldados providos de um ou dois lábios
flexíveis, e a vedação acontece automaticamente através da atuação da
pressão. São vedadores indicados geralmente para sistemas onde ocorrem
movimentos alternativos, mas podem ser utilizados também em sistemas
estáticos(parado), hidráulicos ou pneumáticos, para velocidades menores ou
iguais a 0,5 m/s(Abertura da Haste), para baixas pressões a moderadas (até
aproximadamente 100 Kg/cm²).
Material mais utilizado (PU).
Para sistemas de pressões mais elevadas (de 100 a 350 Kg/cm²), pode
ocorrer, entre outros diagnósticos, uma extrusão de material (arrancamento
do material), por isso deve verificar as características do material utilizado na
gaxeta, nas dimensões do alojamento ou ainda a utilização de dispositivos
auxiliares como arruelas antiextrusão, reforços na base da seção da gaxeta ou
material mais duro.
Nos sistemas de baixa pressão ou pressão negativa (vácuo), pode-se utilizar
de outro(s) dispositivo(s) auxiliar(es), por exemplo, um anel ou cordão
tencionador (Expansor Nitrílico). No sistema Hidráulico as Gaxeta tem função
de Vedar a passagem do Fluido Hidráulico.

Extrusão: Tec. Med. Passagem forçada de um metal


ou de um plástico através dum orifício,
visando a conseguir uma forma alongada ou filamentosa.
02
O QUE É GAXETA?
continuação cuidados na montagem

As gaxetas de modo geral não requerem cuidados especiais para seu


ajustamento, mas, quanto à montagem, deve-se verificar toda extensão
da área de contato entre a(s) aresta(s) de vedação e a(s) área(s) a serem
vedadas.
Verifique-se também o alojamento. Estes itens deverão estar isentos de
riscos, amassamento, rebarbas ou qualquer outra irregularidade que
possa provocar danos na gaxeta e por fim provocar vazamentos. Durante
a instalação, não se deve forçar o artefato sobre arestas vivas, áreas
rosqueadas, ressaltos ou sobre qualquer superfície que possa também
provocar danos. Como as gaxetas trabalham em contato com o fluído a ser
vedado, que geralmente é um lubrificante, surgem poucos problemas de
desgaste por atrito. Caso ocorra desgaste devido a pressões altas, pode-se
utilizar dispositivos tais como calços sob a base da gaxeta, os quais
reduzem a folga diametral, diminuindo a ação da pressão. O(s) lábio(s) de
vedação da gaxeta deverá(ão) estar de frente ao fluido a ser vedado. Caso
o fluido esteja presente nos dois sentidos, deve-se instalar duas gaxetas
contrapostas. Existem vários perfis de gaxeta que surgiram para melhorar
o desempenho do perfil básico e direcionar o usuário.

03
O QUE É EXPANSOR
NITRÍLICO ?
Expansor nitrílico é artefato fabricado em NBR, VITON, EPDM,
SILICONE, etc, que tem o papel de exercer força aos lábios de vedação
de uma gaxeta, mesmo quando a pressão estiver a zero. Por causa do
cuidadoso projeto do expansor nitrílico e do lábio de vedação da
gaxeta, o expansor nitrílico é efetivamente travado dentro de uma
cavidade entre os lábios de vedação, fornecendo uma constante carga
aos lábios, até mesmo quando o sistema está em descanso. Quando o
sistema estiver em funcionamento, a superfície superior do vedador
ficará totalmente pressurizada. O expansor nitrílico, foi projetado para
vetorar estas pressões hidráulicas, através do corpo de poliuretano, de
uma maneira bem controlada, para maximizar a efetividade da
vedação. O expansor nitrílico pode variar-se em dois formatos, o
O´RING e o QUAD´RING. Veja a seguir.

Gaxeta c/ Gaxeta c/ Forças Vetoriais aplicada sobre


O´Ring Quad´ring os Lábios de Vedação
24
TIPOS DE GAXETAS

Tipo B Tipo Standard Tipo U1 Tipo U2

Tipo U3 Tipo U4 Tipo U5 Tipo U6

Tipo U7 Tipo U8 Tipo U10 Tipo Deep

04
GAXETAS USADAS PARA
APLICAÇÃO DE ÊMBOLO

Tipo B Tipo Standard Tipo U1 Tipo U2

Tipo U7 Tipo Deep Tipo U5 Tipo U6

05
GAXETA B

Esta configuração altamente estável


fornece excelente vedação em baixa e
alta temperatura, assim como em altas
pressões, para vedação de hastes e
êmbolos por causa de seu perfil
simétrico e lábios com ângulos de 45°

Lábio de vedação 45°


GAXETA STD e DEEP

Standard têm como característica a seção


transversal
igual à altura e são adequadas para uma
grande variedade de aplicações em
Pistões, utilizada para êmbolo.

DEEP são versões retangulares do


tipo Standard.
O comprimento adicional melhora a
estabilidade em aplicações de alta
pressão e cursos longos.
Gaxeta U-10

Interferência no diâmetro externo,força


o canto vivo do lábio interno, garante
melhor vedação
numa ampla faixa de pressões
Lábio secundário, Maior estabilidade
Reduz extrusão, Previne ingresso de
sujeira, Mas reduz a capacidade de
retomo
Lábio Interno

Lábio Secundário
Vedações de Haste e Êmbolos
mais comuns
GAXETA TIPO B GAXETA STANDARD GAXETA TIPO U OU
OU GAXETA OU GAXETA TIPO GAXETA TIP V
TIPO ALTO BAIXO

GAXETA TIPO U OU
GAXETA TIP V CHEVRON
Aplicação Geral
Exemplo 1

Raspador
Tipo K
Gaxeta
Tipo U1,
U8, U10

Gaxeta
Tipo U2,
U5, U6,U7

16
GAXETAS USADAS PARA
VEDAÇÃO DE HASTE

Tipo B Tipo U1 Tipo U2 Tipo U3

Tipo U4 Tipo U8 Tipo U10 Tipo Deep

06
Aplicação Geral
Exemplo 2

Raspador
AS, DC, DK Gaxeta Tipo
U1,U3, U4, U8,
U10

Anel de Guia

18
Instalação de Gaxetas para
Haste

Ferramenta de Instalação 1 Ferramenta de Instalação 2

O alojamento deverá estar isento de risco, amassados,


rebarbas ou qualquer outra irregularidade que possa
provocar danos na gaxeta e por fim provocar vazamentos.
Durante a instalação, não se deve forçar o artefato sobre
arestas vivas, áreas com roscas, ressaltos ou sobre
qualquer superfície que possa também provocar danos.
RASPADOR

Raspador (ou anel raspador) é o nome designado ao artefato


moldado em Poliuretano ou Borracha, constituído de um lábio
de raspagem e seção para montagem com ou sem anel metálico
(carcaça). Conforme o nome, a função do anel raspador é a
proteção e remoção através de raspagem de poeira, partículas
abrasivas e outras impurezas das superfícies a serem vedadas,
protegendo o equipamento e as vedações principais,
garantindo uma boa vedação. Portanto, os anéis raspadores não
são propriamente um elemento de vedação — embora possam
desempenhar também uma ação de selagem — mas sim
artefatos de proteção ao sistema de vedação. O perfil sem
chapa requer um alojamento com assento frontal e inferior para
permitir a montagem. O perfil com chapa não requer
alojamento com assento frontal e tem melhor eficiência. Anéis
raspadores devem trabalhar a uma temperatura entre -50°C
mín. e 110°C máx.

07
TIPOS DE RASPADORES

TIPO D TIPO DC

TIPO AS TIPO DK

TIPO K
08
ANÉIS DE GUIA

10
ANEL DE GUIA

Os anéis de guia são anéis de apoio especialmente


formulados com materiais (Poliamida – Nylon)de grande
resistência para atender às necessidades requeridas nas
modernas aplicações em êmbolos e hastes em movimento
recíproco, para prevenir o contato Metal-Metal das peças
em movimento. Os anéis de guia têm características de
pouco inchamento, o qual previne problemas de
inchamento. Eles oferecem capacidade de apoio que
excede a da maioria dos metais usados comumente
nessas aplicações. Os anéis de guia são compatíveis de
uso com a maioria dos fluídos hidráulicos, operando em
temperaturas de até 135ºC.

09
Aplicação Geral
Exemplo 3

Raspador c/ Gaxeta B / Gaxeta Standard /


Carcaça U8 / U10 Anel GT / Conjunto
de teflon

Anel de guia p/ evitar o


contato Metal-Metal

13
O QUE É ANEL DE TEFLON?

Os anéis de Teflon são artefatos fabricados em PTFE


(Politetrafluoretileno) com ou sem carga, e são
também a melhor resposta para qualquer aplicação de
ação simples e de dupla ação. Para que possamos
manter a tolerância mais fechada, todos os anéis de
Teflon são usinados, conforme especificações. Os anés
de Teflon podem ser aplicado unicamente em um
alojamento ou juntamente com um anel ―o‖ ou com
uma arruela de borracha. Eles são excelente em
aplicações em sistemas a cujos fluidos as borrachas
não resistam, em sistemas que não tenham
lubrificação, baixas rotações e aplicações oscilatórias,
por causa da sua qualidade de auto-lubrificação. O
anéis de Teflon podem ser produzidos para todos os
tipos e tamanhos de alojamentos, onde for necessário.

11
O PTFE?
 PTFE - politetrafluoretileno é um polímero constituído por
unidades do monômero TEF (Tetrafluoretileno)

CF2 = CF2 - (CF2 - CF2 - CF2 - CF2 - CF2 - CF2) -

TFE PTFE
O que diferencia o PTFE dos demais polímeros?

Estabilidade química + alto peso molecular + apolaridade =

 Excelente resistência a intempéries e a raios UV


 Excelente resistência química
 Altas e baixas temperaturas de uso (-260°C a + 260 °C)
 Excelente combinação entre propriedades químicas e mecânicas
 Excelente propriedades elétricas
 Baixo coeficiente de atrito
 Antiaderência
 Não pode ser processado pelas vias convencionais
PTFE com Carga o que melhora?

 Fibra de Vidro (5-10-15-20- 25%)  Grafite (puro ou combinado com C)


 Aumenta resist. a fluência  Diminui coef. Atrito (melhor)
 Aumenta resist. Abrasão

 Fibra de Carbono (5%)  Bronze (40-60%)


 Aumenta em 3x a resist. Mecânica  Aumenta resistência a fluência
comparada à FV (melhor)
 Diminui coeficiente de atrito  Melhor condutividade térmica

 Carbono (puro ou combinado com grafite)


 Aumenta dureza  MoS2 (5%)
 Aumenta resistência a fluência  Diminui coef. Atrito
 Lubricidade a seco

Fluência: Deformação lenta de um corpo submetido a uma tensão constante


Abrasão: Desgaste provocado pelo atrito
TIPOS DE ANÉIS E
CONJUNTOS DE TEFLON

12
Aplicação Geral
Exemplo 4

Raspador
c/ Carcaça Gaxeta B,
U8 ou U10 Conjunto
de Teflon

14
Aplicação Geral
Exemplo 5

Raspador Tipo D
ou 959
Gaxeta Tipo B,
U8 ou U10

Conjunto de
Teflon
15
Aplicação Geral
Exemplo 6

Raspador Tipo Gaxeta Tipo


D ou 959 U1,U3, U4, U8, Conjunto de
U10 Teflon/Anel GT

17
O QUE É ―O´RING‖ OU
―ANEL O‖ ?
Os O´rings são artefatos com seção(W) circular e
formato anelar, que possuem ação vedante
estática ou dinâmica, quando são comprimidos
por entre duas superfícies, bloqueando a
passagem entre dois meios. Os O´rings possuem
excelente capacidade vedação em sistemas
dinâmicos hidráulicos ou pneumáticos com
pequenos cursos e diâmetros, pressões e
velocidades médias.

Seção / W

19
APLICAÇÕES DE O´RING
PARTE 1
Vedação com O’Rings em Aplicações Estáticas e Dinâmicas

As vedações com O’Rings geralmente são divididas em dois


grupo:

Vedações Estáticas, nas quais não existe movimento relativo entre


as superfícies;

Vedações Dinâmicas, que devem funcionar entre peças cujas


superfícies têm movimento relativo entre si, tal como a vedação de
pistões de cilindros hidráulicos.

Dos dois tipos, a vedação dinâmica é a mais difícil, e requer


seleção de material e projeto mais cuidadoso. O tipo mais
comum de equipamento utilizando O’Rings como vedantes em
aplicações dinâmicas são os de movimento recíproco como os
cilindros hidráulicos e peças similares.
20
O QUE É BACKUP ?
(Anel Anti-Extrusão)
Vedação de alta pressão com utilização de BACKUPS
Backups são dispositivos únicos de anti-extrusão, feitos de borracha nitrílica de
alta dureza. Eles são usados para reduzir a folga diametral do lado da baixa
pressão da vedação com O´rings. Um O´ring e um Backup combinados vedarão
com pressões muito mais altas que um O´ring sozinho. Os Backups são
moldados em um círculo contínuo, e podem ser facilmente esticados para a
montagem. Por não serem cortados ou separados, eles não marcam ou cortam
o O´ring. Os Backups são uniforme tanto em dimensões quanto em material.
Eles auxiliam promovendo a boa lubrificação do O´ring´.
Sugestões de utilização de Backups

1 - Vedação sem pressão


2 - Vedação com pressão admissível
3 - Vedação acima da pressão admissível (causa extrusão no anel)
4 - Uso do Backup para altas pressões.
5 – Sempre que possível utilizar (2) dois backups, um de cada lado
do O´ring.
25
O´RING E BACKUP

O’Rings:

Anéis Anti-extrusão (Backup’s):

38