Vous êtes sur la page 1sur 5

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

Chumacher Rodrigues de Souza1


Erick Teixeira Santos2
Jaqueline Silva Lopes3
Ronaldo Pereira de Andrade4
Thiago Silveira Toshi Fernandes5
Teófilo L. de Lima6
Resumo

A Revolução Industrial teve inicio em meados do século XVIII na Inglaterra e


consistiu em mudanças tecnológicas com um impacto muito profundo no processo
produtivo das indústrias, afetando a vida social e econômica. Ou seja, com a
evolução, descoberta da eletricidade e tudo mais, o homem passou a usar a
máquina nas indústrias e deixar o serviço humano de lado, ou apenas para
comandar as maquinas. Com a Revolução a Era Agrícola foi quase extinta, pois
agora os pobres sem dinheiro para combater as indústrias rumaram para a cidade
abandonando o campo e virando subordinados das grandes indústrias. A
industrialização no mundo todo ajudou em fatores como o fim da escravidão, pois o
mercado precisava de gente pra comprar e escravos não compravam. Mas a
Revolução industrial estimulou um dos maiores desequilíbrios que nós enfrentamos
hoje em dia, o Aquecimento Global.
Palavras-chave: Revolução Industrial. Tecnologia. Indústrias. Escravidão.

Introdução

Desde a Pré-História o homem tem transformado matérias-primas (pedras,


barro, peles, lã, trigo, etc.) em produtos úteis à sua sobrevivência. A Revolução

1
Acadêmico do 2º período do curso de Direito – CEULJI schumachersouza@hotmail.com
2
Acadêmico do 5º período do curso de Direito – CEULJI erickpacas@hotmail.com
3
Acadêmica do 1º período do curso de Serviços Social – CEULJI Jack_lopess@hotmail.com
4
Acadêmico do 4º período do curso de Direito – CEULJI nal76@hotmail.com
5
Acadêmico do 3º período do curso de Direito – CEULJI thiagotoshi@hotmail.com
6
Pedagogo, especialista em Supervisão Escolar e Magistério, especialista em
Administração e Planejamento para Docentes, professor de Instrumentalização do
Trabalho Científico, Ações Investigações e Avaliativas e Sociedade e Contemporaneidade
– CEULJI limateo@bol.com.br
Industrial teve início no século XVIII, na Inglaterra, com a mecanização dos sistemas
de produção. Enquanto na Idade Média o artesanato era a forma de produzir mais
utilizada, na Idade Moderna tudo mudou. A burguesia industrial, ávida por maiores
lucros, menores custos e produção acelerada, buscou alternativas para melhorar a
produção de mercadorias. Também podemos apontar o crescimento populacional,
que trouxe maior demanda de produtos e mercadorias.

1- Capitalismo

Conjunto de atividades de sociedades em que vigoram as ideias de


concorrência econômica, de livre iniciativa, e relações de produção baseadas no
trabalho assalariado. As relações capitalistas ocorrem através do comércio
(distribuição), indústria (produção), e financiamento (setor bancário). Tais ralações
surgiram na Europa entre os séculos XVI e XIX e foram estendidas aos demais
continentes. A doutrina político-econômica que defende os ideias capitalistas chama-
se liberalismo.

2- Pioneirismo

Foi a Inglaterra o país que saiu na frente no processo de Revolução Industrial


do século XVIII. Este fato pode ser explicado por diversos fatores. A Inglaterra
possuía grandes reservas de carvão mineral em seu subsolo, ou seja, a principal
fonte de energia para movimentar as máquinas e as locomotivas à vapor. Além da
fonte de energia, os ingleses possuíam grandes reservas de minério de ferro, a
principal matéria-prima utilizada neste período. A mão-de-obra disponível em
abundância (desde a Lei dos Cercamentos de Terras), também favoreceu a
Inglaterra, pois havia uma massa de trabalhadores procurando emprego nas cidades
inglesas do século XVIII. A burguesia inglesa tinha capital suficiente para financiar
as fábricas, comprar matéria-prima e máquinas e contratar empregados. O mercado
consumidor inglês também pode ser destacado como importante fator que contribuiu
para o pioneirismo inglês.

3- Do artesanato à produção mecanizada

A atividade de transformação de matérias primas era feita de modo artesanal e o


produtor (artesão) controlava as diversas fases da produção. Além de e dominar
todo o processo produtivo, o artesão era dono das matérias primas e dos
instrumentos de produção – a oficina e as ferramentas. A pesar da forma artesanal,
caseira, ser a mais comum, na Inglaterra e França, a produção também era
organizada em manufaturas – grandes oficinas onde o artesão era o dono de todas
as ferramentas e matérias primas. Nas manufaturas, foi implantado um processo de
divisão do trabalho que deu origem “as linhas de produção e montagem”. O estágio
da “produção mecanizada” – maquinofatura – nas fábricas foi atingido quando os
avanços técnicos, aliados ao aperfeiçoamento dos métodos produtivos, propiciaram
a criação das maquinas industriais.

4- Avanços Tecnológicos

O século XVIII foi marcado pelo grande salto tecnológico nos transportes e
máquinas. As máquinas à vapor, principalmente os gigantes teares, revolucionou o
modo de produzir. Se por um lado a máquina substituiu o homem, gerando milhares
de desempregados, por outro baixou o preço de mercadorias e acelerou o ritmo de
produção.

5- Transformação na sociedade industrial

As relações de trabalho também se modificaram na Inglaterra; muitos


camponeses mudaram-se para as cidades, em busca de empregos nas fábricas.
Mas esse trabalhador rural, não tinha um vinculo com as indústrias fabris inglesas,
tendo somente a sua força de trabalho, que era “vendida” como uma mercadoria, em
troca de salário. Desenvolveu-se então uma posição social: de um lado, os
empresários industriais, donos dos meios de produção das fábricas; do outro, os
operários industriais, trabalhadores assalariados das indústrias.

6- Locomotiva

Importante avanço nos meios de transportes, podemos destacar a invenção


das locomotivas à vapor (maria fumaça) e os trens à vapor. Com estes meios de
transportes, foi possível transportar mais mercadorias e pessoas, num tempo mais
curto e com custos mais baixos.

7- A Fábrica

As fábricas do início da Revolução Industrial não apresentavam o melhor dos


ambientes de trabalho. As condições das fábricas eram precárias. Eram ambientes
com péssima iluminação, abafados e sujos. Os salários recebidos pelos
trabalhadores eram muito baixos e chegava-se a empregar o trabalho infantil e
feminino. Os empregados chegavam a trabalhar até 18 horas por dia e estavam
sujeitos a castigos físicos dos patrões. Não havia direitos trabalhistas como, por
exemplo, férias, décimo terceiro salário, auxílio doença, descanso semanal
remunerado ou qualquer outro benefício. Quando desempregados, ficavam sem
nenhum tipo de auxílio e passavam por situações de precariedade.

7.1- Exploração do trabalhador

Para desenvolver suas empresas, os industriais buscavam liberdade


econômica, ampliação dos mercados consumidores e mão-de-obra barata. Com o
objetivo de aumentar os lucros, os empresários industriais pagavam baixos salários
e exploravam ao máximo a capacidade de trabalho dos tabeladores; toda a família
trabalhava mais de 15 horas diária.

7.2- Reações dos trabalhadores

Em muitas regiões da Europa, os trabalhadores se organizaram para lutar por


melhores condições de trabalho. Os empregados das fábricas formaram as trade
unions (espécie de sindicatos) com o objetivo de melhorar as condições de trabalho
dos empregados. Houve também movimentos mais violentos como, por exemplo, o
ludismo. Também conhecidos como "quebradores de máquinas", os ludistas
invadiam fábricas e destruíam seus equipamentos numa forma de protesto e revolta
com relação à vida dos empregados. O cartismo foi mais brando na forma de
atuação, pois optou pela via política, conquistando diversos direitos políticos para os
trabalhadores.

Conclusão

A Revolução tornou os métodos de produção mais eficientes. Os produtos


passaram a ser produzidos mais rapidamente, barateando o preço e estimulando o
consumo. Por outro lado, aumentou também o número de desempregados. As
máquinas foram substituindo, aos poucos, a mão-de-obra humana. A poluição
ambiental, o aumento da poluição sonora, o êxodo rural e o crescimento
desordenado das cidades também foram consequências nocivas para a sociedade.
Até os dias de hoje, o desemprego é um dos grandes problemas nos países
em desenvolvimento. Gerar empregos tem se tornado um dos maiores desafios de
governos no mundo todo. Os empregos repetitivos e pouco qualificados foram
substituídos por máquinas e robôs. As empresas procuram profissionais bem
qualificados para ocuparem empregos que exigem cada vez mais criatividade e
múltiplas capacidades. Mesmo nos países desenvolvidos têm faltado empregos para
a população.
INDUSTRIAL REVOLUTION

Abstract

The Industrial Revolution began in the mid eighteenth century in England and
consisted of technological change with a very profound impact in the production
process of industries, affecting social and economic life. That is, through evolution,
discovery of electricity and everything else, the man started to use the machine in
service industries and let the human side, or just to lead the Revolution to the
machines.Com Agricultural Era was almost extinguished, for now poor people
without money to fight the industry headed for the city abandoning the field and
turning subordinates of the major industries. The industrialization worldwide has
helped on such factors as the end of slavery, because the market needed people to
buy and not buy slaves. But the Industrial Revolution stimulated a major imbalances
that we face today, global warming.
Keywords: Industrial Revolution. Technology. Industries. Slavery.

Referências
COUTINHO, Luciano. A terceira revolução industrial e tecnológica: as grandes
tendências de mudança. Economia e Sociedade, Campinas, n. 1, p. 69-87, ago.
1992.
< http://www.tg3.com.br/industrial/revolucao_industrial.htm> Acessado 19 de
Setembro 2010