Vous êtes sur la page 1sur 18

FACULDADE ATENAS MARANHENSE – FAMA

O QUE É ESTRATÉGIA
In: Porter, M. (ed.) Competição - Estratégias Competitivas Essenciais.Rio
de Janeiro: Campus, 1999. Cap. 2.

Gerisval Alves Pessoa


26 de Maio 2008
 Por Gerisval Pessoa Página 1 de 18
Introdução

Abordaremos em primeiro momento uma nítida


distinção entre eficácia operacional e estratégia,
destacando que tanto a eficácia operacional quanto
à estratégia são essenciais para o desempenho
superior, mas elas operam de maneiras muito
diferentes. Define claramente o que é estratégia e
entendimento o posicionamento estratégico das
organizações.

 Por Gerisval Pessoa Página 2 de 18


Eficácia Operacional
Pontos-chave:
• Importância da eficácia operacional para o desempenho
melhor que os concorrentes, mas não o suficiente para
estabelecer um diferencial que se possa manter.

• Programas, ferramentas e técnicas gerenciais, na última


década, tais como Gestão da Qualidade Total (GQT),
benchmarking, reengenharia, terceirização, competição
baseada no tempo, parceria, gestão de mudanças,
empowerment e organização que aprende,
proporcionaram aos gerentes instrumentos para busca
da produtividade, da qualidade, da velocidade e da
melhoria da eficácia operacional.
 Por Gerisval Pessoa Página 3 de 18
Eficácia Operacional
Pontos-chave:

• As práticas de melhoria da eficácia operacional não


possibilitam um posicionamento estratégico diferenciado e
não exigem ações gerenciais diferentes dos concorrentes
quanto ao posicionamento da empresa, o que confirma
que eficácia operacional não é estratégia.

 Por Gerisval Pessoa Página 4 de 18


Fatores Determinantes do Desempenho Relativo

Eficiência
Operacional

• Atingir ou extender a melhor prática nas atividades,


mediante :

• Uso dos mais avançados equipamentos e tecnologia da


informação
• Eliminação de desperdício, defeitos e atrasos
• Estímulo ao aperfeiçoamento organizacional contínuo

• Operações mais próximas da fronteira de produtividade


 Por Gerisval Pessoa Página 5 de 18
Estratégia

• A estratégia competitiva se define por uma atuação


diferenciada das empresas concorrentes. Ou seja, tem
como essência realizar atividades de forma diferente ou
realizar atividades diferentes dos concorrentes.

• As posições estratégicas são oriundas de três fontes
distintas, que não são mutuamente exclusivas e muitas
vezes se sobrepõem:
• Posicionamento baseado na variedade
• Posicionamento baseado nas necessidades
• Posicionamento baseado no acesso

 Por Gerisval Pessoa Página 6 de 18


Estratégia

• Posicionamento baseado na variedade

Posicionamento de uma empresa a partir do produto ou


serviços e não no seguimento de clientes.

São exemplos típicos deste tipo de posicionamento:


empresas que tratam com um produto ou serviços
específico, como “loja dos colchões”, “loja dos tapetes”, e
etc. Elas trabalham com um determinado produto ou
serviço, independente da classe de clientes a ser
atendida.

 Por Gerisval Pessoa Página 7 de 18


Estratégia

• Posicionamento baseado nas necessidades

Posicionamento que mais se aproxima do pensamento


tradicional sobre visar um segmento de clientes. Busca um
posicionamento no mercado estabelecido a partir do perfil
de necessidade de um determinado grupo de clientes.

São exemplos típicos deste tipo de posicionamento: as


“lojas de móveis sob medida” são lojas de móveis voltadas
para clientes de um determinado poder aquisitivo,
enquanto as “Lojas Gabriela” são lojas que vendem
móveis voltados para outro público.
 Por Gerisval Pessoa Página 8 de 18
Estratégia
• Posicionamento baseado no acesso
Posicionamento que segmenta os clientes em função das
diferenças nas modalidades de acesso. Busca um
posicionamento no mercado a partir de facilidades e perfil
de acesso ao produto ou serviço. Os fatores de
diferenciação do acesso podem ser em função da
geografia ou da escala do cliente - ou de qualquer coisa
que necessite de um conjunto diferente de atividades para
alcançar os clientes da melhor maneira.
São exemplos típicos deste tipo de posicionamento: os
hotéis Formule 1 que são localizados nas proximidades
das áreas industriais servidas por rodovias importantes,
entroncamentos rodoviários próximos às cidades, para
estarem visíveis e acessíveis a clientes potenciais.
 Por Gerisval Pessoa Página 9 de 18
O que é Estratégia?
Pontos-chave:

• A estratégia competitiva se define por uma atuação


diferenciada das empresas concorrentes. Ou seja, tem
como essência realizar atividades de forma diferente ou
realizar atividades diferentes dos concorrentes.

•Estratégia - Criação de uma posição única e de valor,


envolvendo um conjunto diferente de atividades.

• A opção excludente na competição, mostra que a


essência da estratégia é escolher o que não fazer.

 Por Gerisval Pessoa Página 10 de 18


Compatibilidade e estratégia
Pontos-chave:

• Adapte muitas atividades à posição;


• Fortaleça a compatibilidade entre atividades;
• O valor estratégico da terceirização depende da
compatibilidade;
• a terceirização tende a tornar genéricas as atividades;
• adapte os fornecedores” à estratégia.
• Melhore a estratégia (e neutralize as iniciativas dos
concorrentes) de maneira a ampliar e fortalecer a
compatibilidade.

Fonte: Palestra M. E. Porter – Expomanagement 2001


 Por Gerisval Pessoa Página 11 de 18
O que é Estratégia?

Estratégia é resolver
Estratégia é uma os tradeoffs da
corrida para uma competição , e
posição ideal escolher o que não
fazer

 Por Gerisval Pessoa Página 12 de 18


Fatores Determinantes do Desempenho Relativo

Eficiência Posicionamento
Operacional Estratégico

• Assimilar, atingir e ampliar • Criar uma posição


a melhor prática. competitiva exclusiva
e sustentável.

 Por Gerisval Pessoa Página 13 de 18


Fatores Determinantes do Desempenho Relativo

Eficiência Posicionamento
Operacional Estratégico

• Assimilar, atingir e • Criar uma posição


ampliar a melhor competitiva exclusiva
Prática. e sustentável

Disputa a mesma Opte por disputar


corrida mais rápido uma corrida diferente

 Por Gerisval Pessoa Página 14 de 18


Fatores Determinantes do Desempenho Relativo

Eficiência Posicionamento
Operacional Estratégico

• Assimilar, atingir e • Criar uma posição


ampliar a melhor competitiva exclusiva
Prática. e sustentável.

• Melhorar a eficácia operacional é


necessário para se obter uma
rentabilidade superior, mas não é
suficiente.
• Melhoria absoluta, mas não
absoluta
• Convergência competitiva.

 Por Gerisval Pessoa Página 15 de 18


O papel dos Líderes
Pontos-chave:
O gerente geral como estrategista:
• distingue claramente eficácia operacional de estratégia
• Define e comunica a posição exclusiva da empresa
• ajuda os empregados a traduzir a estratégia para as áreas de
responsabilidade de cada um
• Orienta os funcionários a efetuar tradeoffs que surgem nas
atividades de cada um e nas decisões do dia-a-dia
• Decide a quais mudanças no setor e quais necessidades do
cliente a empresa deve reagir, e como ajustá-las à estratégia
• Evita distrações organizacionais.

Estratégia requer disciplina constante e comunicação clara


Fonte: Palestra M. E. Porter – Expomanagement 2001
 Por Gerisval Pessoa Página 16 de 18
Conclusões
• Os pontos fundamentais apresentados são: tanto a
eficácia operacional quanto à estratégia são fundamentais
para o desempenho superior. A melhoria da eficácia
operacional é obtida a partir de práticas gerenciais que
são facilmente imitadas pelos concorrentes. Já a
estratégia aborda a questão da escolha de um
posicionamento estratégico sustentável que exige opções
excludentes e compatibilidade entre políticas funcionais.

•A liderança exerce um papel fundamental no sucesso do


posicionamento estratégico sustentável da empresa,
desenvolvendo agendas diferenciadas para a estratégia e
a eficácia operacional
 Por Gerisval Pessoa Página 17 de 18
Críticas:
• O texto traz uma importante reflexão sobre a
importância saber o que é realmente estratégia a sua
distinção da eficácia operacional o papel da liderança
no processo de definição e implementação da
estratégia e da melhoria da eficácia operacional,
porém, pode ser observado o seu vínculo com a
escola do posicionamento, sendo considerado assim,
como uma das possibilidades de abordagem para a
questão, não esgotando a questão e não sendo
aplicável em todos os casos.
“A única vantagem competitiva é a
capacidade de aprender e mudar”
(Porter, 2001)
 Por Gerisval Pessoa Página 18 de 18

Centres d'intérêt liés