Vous êtes sur la page 1sur 16

BOLETIM TRIMESTRAL

Natal 2010 Nº 109


O Natal ainda continua a
ser a grande festa da humanidade.
Vê-se, sente-se, toca-se neste tão Outubro/Dezembro
peculiar espírito: espírito de 2010
Natal. Muitas actividades dão cor,
sabor, afecto e calor. Ninguém se
sente indiferente. Todos queremos Nesta edição:
lá estar. Pág.
Celebrar o Natal puxa por
nós! Faz-nos acreditar em algo e
alguém! Faz-nos ter esperança! Correio Armista 2
Faz-nos partilhar com aqueles que
amamos e com aqueles que nada
têm. Em suma, faz desvelar ARM em África 3
aquele homem novo que sempre
deveríamos ser.
E quem o faz na nossa Diário de 6
vida não é uma sabedoria ou uma e
autoridade qualquer. É sim, o Moçambique 7
amor. Só o amor faz-nos crescer.
Natal é tempo de crescimento. 8
Tudo isto nos é oferecido no A todos os amigos da ARM e Encontros a
nascimento de Jesus. É neste tempo suas famílias, delegações e Direcção Regionais 13
de graça que cada um de nós deve deixo meus votos de um Santo Natal.
mergulhar. E desta beleza do menino P.e Albino dos Anjos
Jesus nasce todos dias nossa Superior Geral da SMBN
salvação.
SMBN 14

A Direcção da A.R.M.— Associação


Regina Mundi, deseja a todos os
Um Sorriso
Armistas, suas famílias e amigos, um para Ti
16

Santo Natal e um Ano Novo de 2010


1
Página 2

Propriedade:

ARM Associação Regina


Correio Armista
Mundi minha vida, com este modesto
RECORDANDO
Sede: sacerdote.
Rua da Bempostinha, 30
O PADRE ANTUNES Não foi, porém, apenas como
1150-066 Lisboa Foi com tristeza que tomei professor que a actividade
Tel. 218 851 546 recentemente conhecimento do desenvolvida pelo P.e Antunes merece
Fax: 218 850 258 falecimento do P.e António Antunes ser destacada. Com efeito, ele foi
do Santos. Porque não vi, até ao também um insigne educador e
NIPC n°. 503 268 372 momento, referência expressiva a condutor da prefeitura que lhe estava
esta figura da Sociedade Missionária, confiada. Não pautava a sua postura
NIB da conta da ARM: decidi escrever uma linhas que a por atitudes rígidas e repressivas para
salientem, por me parecer que é de com os jovens, mas tinha imensa
003501210000130053098
elementar justiça relevar a sua acção compreensão e sabia orientá-los e
Quota anual: 10,00€ no âmbito da mesma Sociedade, à aconselhá-los, correcta e eficazmente.
qual devotou a sua longa vida. Cumpria de forma exemplar, a sua
Presidente da Direcção: A humildade, que sempre esteve missão nos seminários, a nova fase da
José Domingues dos Santos subjacente à sua personalidade, não sua vida f oi consagrada ao
Ponciano terá permitido, a não ser a um cumprimento da mais nobre missão
restrito grupo dos seus educandos e que escolheu e que se traduziu num
Direcção, Redacção e alunos, compreender suficientemente longo período de evangelização em
Administração: o mérito deste sacerdote que se terras ultramarinas. Remeteu-se à
Rua da Bempostinha, 30 dedicou inteiramente às diversas condição de Missionário simples,
1150-066 Lisboa
missões que lhe foram confiadas. despendendo as suas energias na
Eu tive a felicidade de ser um desses expansão da fé, primeiro em
Telemóvel: 927 651 624
seus alunos no Seminário de Moçambique e mais tarde no Brasil.
Tel. 218 851 546 /
Cernache do Bonjardim, durante Foi finalmente aqui que a morte o
Fax: 218 850 258 uma parte significativa da década de veio surpreender numa altura em que
Site: www.arm.org.pt 1950. Recordo-o sobretudo, como as forças já o vinham abandonando.
E-mail: certamente o recordarão os meus P.e Antunes, a forma serena como a
geral@arm.org.pt condiscípulos desse tempo, como sua alma foi chamada para a
professor e como prefeito. Jerusalém Celeste terá sido, já por si
Fotocomposição e Impressão: Dava ele então as aulas de português própria, uma recompensa do trabalho
Escola Tipográfica das Missões e francês, distinguindo-se pela forma e da generosidade que o
Cucujães excelente como as preparava e como caracterizaram.
transmitia os conhecimentos daquelas Eterna saudade do seu aluno amigo,
Tiragem desta Edição: matérias que perfeitamente
800 exemplares dominava. Mário Ferreira Pêgo
Estou convicto de que, especialmente ********************************
Colaboradores deste número: em português, nunca encontraríamos
Mário Pêgo melhor entusiasta e mestre no modo
Albino dos Anjos como nos ensinava a ler e escrever S.M.S.- de 20/09/2010
Marco Casquilho Boa Noite, Ponciano.
textos sobre os mais diversos temas, Espero que tenha passado bem a
Santos Ponciano como nos estimulava a decorar viagem da “pérola do Índica” para a
Francisco Costa Andrade passagens célebres de autores terra Lusa.
Domingos Fernandes clássicos e modernos e a recitá-los Aqui a gente vai sonhando o que será
Emílio Pires com ênfase, enfim como dividir, a ARM em Moçambique.
Armindo Henriques
classificar as orações e analisá-las. Que Deus nos abençoe e ilumine.
António Correia Um forte abraço do
Por minha parte, tenho que confessar Juma—Nampula
José Quina
Augusto Farias
que muito aprendi, naquela fase da

2
Nº 109 Página 3

A ARM em África
LUANDA Nampula
Caro amigo
Como te tinha dito ontem sempre realizámos a reunião De acordo com o plano que tínhamos apresentado
com alguns dos nossos antigos alunos, os da área de aquando do encontro com o presidente da ARM em
Luanda. Estavam 13. Alguns estavam fora. Foi um Nampula, o sr. Santos Ponciano, apresentamos, depois
grande encontro. Eles vão fazer um pequeno artigo de um longo tempo, a seguinte proposta de projecto.
para o Boletim da ARM. Segue uma foto mas eles têm
Teríamos apresentado várias mas, preferimos iniciar
várias. Penso que foi um momento bonito para todos
com esta, esperando a vossa apreciação. Aliás, há
eles e, creio até, que o princípio duma nova maneira
tanto que fazer segundo prioridades. Apresentamos
de estar na vida e na Igreja.
este projecto aparentemente limitado não por falta de
vontade de acção, mas porque ainda não criamos
condições para melhores interacções. Paralelamente a
isso está o facto de termos estado muito tempo sem
corresponder. A seguir está a nossa proposta de
projecto.

PROPOSTA DE PROJECTO
TEMA: Serviço de Acolhimento e Apoio Psico-Social
das Crianças Órfãs e Desamparadas, vivendo em
situações de/na Rua.
(Algumas que tendo família se fazem às ruas, precisam
ser reencaminhadas ao seu convívio familiar. As que
não tem família precisam ser encaminhadas a um
centro de acolhimento em parceria).
… Graciano Armando,
Nampula – Moçambique
Eles gostariam de ter os Estatutos da Associação para 2 notas da redacção:
a verem e estudarem e adaptarem ao meio angolano. Moçambique— Após a reunião havida em Agosto, em
Agradecia que mandasses. O Secretário vai passar por Nampula, conforme noticiada no Boletim anterior, os nossos
aí dentro de dias porque ele viaja muito pela Europa amigos já deitaram mãos à obra. Reuniram-se, cerca de 20, e
em nome da sua companhia. Ainda não ficou nada enviaram-nos um projecto muito interessante para trabalhar
feito. Apenas se constituiu uma comissão ad hoc com 3 com crianças de rua, na sua maioria órfãs. Têm consciência
de que têm que trabalhar com a SMBN. Sinal que a
elementos para pôr em andamento o grupo de Angola.
mensagem foi bem recebida e percebem perfeitamente os
O P. José António forneceu a lista de todos os antigos
objectivos da ARM. No próximo Boletim, transmitiremos na
alunos que passaram por esta casa. Cerca de 80. Vão
integra o projecto. Parabéns para Moçambique.
tentar localizar alguns que vivem fora.
Eles desejam dar forma a esta associação e pedem a Angola — Pedimos ao Senhor P.e Farias, na Assembleia
vossa orientação. Alguns já estão bem situados na vida Geral da SMBN, que tentasse reunir a rapaziada de Angola.
e outros ainda em fase de estudos, mas todos a Aqui temos o resultado. No passado dia 14 de Novembro,
trabalhar. Estão agradecidos à Sociedade e querem reunimos com o Serafim Gomes, numa sua passagem por
colaborar com ela. Pode vir a ser mais uma força para Lisboa. Estava muito entusiasmado. Levou com ele diversos
o nosso pequeno grupo. exemplares dos Estatutos e da História da ARM. Sabemos
que já voltaram a juntar-se, no dia 28, no seminário da Boa
Um abraço para toda essa gente. Comam castanhas Nova em Luanda. Parabéns a Angola, pelo entusiasmo.
por vós e por mim (que as não tenho) Os dados estão lançados. Conseguiremos jogá-los?
P. Farias Acreditamos que sim. Vai dar trabalho, mas se fosse fácil
não era para nós.
3
Página 4

Curso de 1958
Cernache do Bonjardim—10 de Outubro de 2010
Pela terceira vez consecutiva reuniram-se no seu No restaurante ‗O Lampião‘ foi-nos servida uma
encontro anual os ex-seminaristas do curso de 1958. apetitosa caldeirada de borrego regada com um tinto da
Na foto de família junto à gruta, num dia de sol região.
salpicado com alguns chuviscos no início da manhã, O autor destas linhas, saudando os presentes e
posaram trinta e um presentes. E o nosso lema ‗vem, justificando os ausentes, fez o ponto da situação destes
amigo vem e trás outro amigo também‘, cumpriu-se de encontros, tornando presente a mensagem enviada por
novo. O António dos Reis Ferreira – Fundão –, esposa e-mail pelo nosso P.e Augusto Farias da longínqua
e filha vieram juntar-se a Viana – Angola.
nós. O nosso presidente
‗Ad Jesus per Maria‘ disse- Santos Ponciano narrou-
nos o P.e Domingos no nos a sua passagem por
nosso momento de Moçambique em Agosto
recolhimento junto à pp, o que constatou, o
imagem de N.ª Senhora, na que viveu, que ilações
gruta, ponto obrigatório de tirou e sobretudo, referiu
passagem, recordando a como é nobre a nossa
devoção iniciada em 1958 doação de cem euros
em Tomar. anual, por criança, para o
Junto ao nicho de S. Nuno Projecto ‗Um sorriso
de Santa Maria, recordou- para ti‘.
se o estratega de O Fernando Augusto
Aljubarrota, a crise de Machado enumerou
1383-85, os feitos de um eloquentemente algumas
punhado de homens que escreveram um capítulo das razões justificativas da nossa presença e apelou à
dourado da nossa história, que Fernão Lopes tão bem necessidade de em cada ano convencermos e trazermos
imortalizou e, por fim, o Santo Nuno de Santa Maria. para o convívio outros colegas do curso de 58.
As uvas ainda por colher, mais douradas pelos pingos No porto de honra que acompanhou a fatia do bolo do
de água que deixavam cair e coloridos pelos raios do 52.º aniversário, António dos Reis Ferreira
sol, que envergonhado espreitava, fizeram as delicias testemunhou a alegria do reencontro e desejou a todos
de alguns presentes que prognosticaram boa colheita. as maiores felicidades num singelo, mas sempre alegre,
Na Santa Missa celebrada na Igreja do Seminário e tilintar de copos.
concelebrada pelo P.e Domingos Carvalho e P.e Norte No 53.º aniversário do curso de 1958 a comemorar em
houve recolhimento e oração, exortando-nos o P.e 9 de Outubro de 2011, passaremos a manhã de novo no
Domingos para a necessidade de como cristãos leigos Seminário de Cernache, com almoço em Figueiró dos
sermos actuantes no mundo de hoje tão carente de Vinhos no restaurante do nosso amigo e colega Manuel
vocações sacerdotais. Martins Antunes que cuidará do evento em
Numa breve visita às nossas antigas instalações do colaboração com o nosso amigo proencense Luís
Seminário, camaratas, salas de estudo, capela, Barata Tomé.
refeitório, todos os presentes numa analepse temporal, Até lá, um grande abraço,
voltaram ao início dos anos sessenta e recordaram Domingos Cardoso Fernandes
tempos idos. Tel. 93 680 23 24
e-mail d.cardosofernandes@hotmail.com
4
Nº 109 Página 5

MEMÓRIA DO AGOSTINHO D. António Barroso


Foi no dia 6 de Novembro pp, em
Barcelos, que o Postulador para a
canonização de D.António
Barroso, Monsenhor Arnaldo
Pinto Cardoso, numa curta
intervenção durante a palestra,
que os Amigos de D.António
Barroso promovem anualmente,
anunciou que o armista Amadeu
Araújo foi nomeado pela Igreja
Vice-Postulador em Portugal.
Ao Amadeu apresentamos aqui as
nossas felicitações e o desejo de
que rapidamente consiga as
respostas necessárias para a
causa.
Desde 1994 até esta data o
Agostinho Pêra Raposo cargo era exercido pelo Dr.
* 23.03.1945, Vilar-Seco, Vimioso Ferreira Gomes, que por razões
+ 30.01.2010, La Plata, Buenos de saúde e de idade, se entendeu
Aires, Argentina. substituir.
Presente esteve também o Bispo
Entrou no seminário de Tomar em 1956 e Emérito de Leiria/Fátima, D.
saiu de Cernache do Bonjardim em 1960. Serafim Ferreira e Silva, que
Em 1962 emigrou para a província de La Faleceu vítima precoce de doença reiterou haver razões de sobra
Plata, Buenos Aires, Argentina, juntamente degenerativa de Alzheimer, clinicamente para que, com aturado estudo,
com os pais e 7 irmãos (um 8º já veio a irreversível, com apenas 65 anos. acreditemos na canonização de
nascer naquele país austral, portanto D.António. De Roma veio o pedido
integrando uma numerosa família de 9 de pesquisa, estudo, aprofun-
irmãos). A responsabilidade e as vicissitudes Em O Missionário Católico, nº 47 (2ª Série),
p.10, de Janeiro de 1958, em artigo alusivo à damento e sustentabilidade de
da vida nunca lhe permitiram regressar ao
solo pátrio, apesar de sempre nutrir o desejo celebração em Tomar das bodas de prata da várias, creio que três, áreas de
de vir visitar a terra, os antigos colegas e os Sociedade Missionária, figura a imagem acção daquele Bispo do Porto e
seminários de que nunca se esqueceu. anexa, de adolescente, através da qual os Meliapor. Tem o Araújo Gomes,
seus colegas com maior facilidade o pela frente um trabalho difícil,
Foi colega dos do ano do Armindo recordarão. (*)
Henriques, Serafim Fidalgo, Manuel Costa moroso e delicado.
Andrade, Cândido Ribas, do P. Figueiredo e Pode o Amadeu contar connosco,
era primo dos Quinas. Paz à sua alma e consolo para a família que sempre que o entender, e nós
A revista Boa Nova chegava-lhe com o recorda com saudade.
saibamos, nesta caminhada que é
regularidade e mantinha contactos frequentes
com o inolvidável conterrâneo e seu vice- de todos nós armistas.
reitor em Tomar, Rev. P. André Marcos. José Quina

( * )
Pouco tempo antes de falecer fez a Digitalização
publicação de um livro biográfico onde a de imagem
experiência e formação adquiridas nos gentilmente
Seminários da Sociedade Missionária
facultada pelo
Portuguesa constituem o cerne medular das
Rev. P.
suas notas.
Martinho.
Era pessoa de bem, generoso, responsável,
bem-disposto, com muito sentido de humor,
alegre e expansivo. Contraiu matrimónio,
tendo deixado esposa e uma filha já adulta e 5
bem formada moral e academicamente.
Página 6

Diário de Moçambique
Dia 22 de Agosto que levávamos e uma bola de futebol. Umas palavras de
Alvorada às 3:30h porque a viagem é longa até Nampula. conforto e esperança, e partiram. Algumas tinham vindo
600Km, com o desvio à Ilha de Moçambique. A hora marcada 15Km a pé para estar connosco. Almoço na casa da missão, e
era 4:30h, mas a nossa motorista, a Sónia, filha de um não sabemos se era da fome ou o Sr. Sebastião, cozinheiro da
português, atrasou-se. Transporte de alternativa, pois o jeep da casa, a galinha foi a melhor que comemos até hoje. A receita
missão avariara. Os incansáveis Irmão Eduardo e LBN Inês, lá não quis desvendar. Visitámos a Igreja da missão, projectada
estavam para se despedir e desejar boa viagem. Este conforto pelo Pe. André, com um sistema de ventilação muito
de estarmos sempre acompanhados não temos palavras para particular: casa redonda, com muitas janelas sem vidros por
qualificar, apenas para agradecer. onde entra o ar menos quente, e no tecto uma abertura a toda a
5:00h saída, fotografias do nascer do sol em Pemba, depósito volta, tipo chaminé, para a saída do ar aquecido. Achei graça
atestado, e lá nos fizemos ao caminho. Estrada com um ou ao Pe. Godinho quando abria a porta da Igreja dizia: ―Estas
outro buraco, mas sempre asfaltada. Impressionante a fechaduras são boas, foram dadas por aqueles cunhados de Rio
quantidade de pessoas a pé. Ao longo de toda a estrada penso Meão. Nunca se estragaram. Agora aquelas ali, e apontava
que não fizemos um único km que não víssemos alguém a para o salão paroquial ainda em fase de acabamentos, todas as
caminhar. Não há meios de transporte, como nós os semanas tenho que as arranjar. Lojas de chineses!‖
conhecemos. Uma paragem para comprar um cacho de Nametil tem 132 comunidades e uma área igual às Dioceses
bananas, 40 meticais (0,8€!!) para aconchegar o estômago, e do Porto, Aveiro, Coimbra e Leiria, juntas. Tem apenas 2
primeira etapa: Missão de Ocúa. Está à responsabilidade das sacerdotes: P.es Valdemar e Godinho. Com em todo o
Irmãs da Boa Nova, Isabel e Conceição. Serviram-nos um Moçambique interior as carências são muitas e a comunidade
pequeno-almoço soberbo, com bolos e tudo, um café e apenas conta com a Igreja. No salão paroquial, ainda tosco,
conversámos um pouco sobre o dia-a-dia. Têm o único posto dão-se aulas de costura, informática (com computadores
de saúde da região, sempre cheio. Têm electricidade apenas 2 emprestados), catequese e cursos para jovens e noivos.
horas por dia, pois as baterias do painel solar, com 10 anos Notável.
não aguentam mais. Mas o seu grande sonho é fazer um furo Regresso a Nampula, jantar em casa e primeiro encontro com
que abasteça de água a comunidade e uma escolinha, onde o P.e Tavares Martins que não via há quase 40 anos. Tinha
possam também dar catequese e formar noivos. sido meu professor no 3º. Ano em Cernache. Foi aquele
Dada a alteração do carro/motorista, não nos foi possível, abraço. Em matéria de matemática, física e química, com as
como previsto passar pelo local onde foi assassinado o mártir novas actualizações, deu um baile aos mais novos do grupo.
P.e António Rocha. Ao fim da manhã avistámos a Ilha de Ficaram impressionadíssimas.
Moçambique, terra natal da Lia. Almoço na ilha. Já se vê Dia 24 de Agosto
muito do dinheiro da UNESCO, pois a ilha está classificada Levantar cedo, que o comboio para Malema é às 5:00h. O
como património da humanidade. Muitas casas em ruínas, mas Ronaldo Viana, seminarista brasileiro a fazer os eu estágio em
ruas asfaltadas e alguns edifícios restaurados. A manas Ribeiro Moçambique, tinha vindo para nos buscar. Os cuidados neces-
foram explorar a ilha, conhecer a casa onde nasceu, as pessoas
e visitar os locais que os pais lhes haviam recomendado. Nós
fomos ao convento Jesuíta, que foi residência do Governador
(com um quarto para o Rei -que nunca visitou a ilha- e que foi
estreado em 1975 pelo Samora Machel).
Impressionante o guia, rapaz novo, que muito sabia da
história de Portugal, contextualizada na história do
museu. O nome do Pe. Lopes é conhecidíssimo: ―O
Sociedade de Advogados
padre que ajudava os pobres‖.
Cerca das 21h lá chegámos a Nampula, onde nos
aguardava o P.e Luís Gomes e o Ronaldo Viana.
Jantar e trancas às portas, muitas trancas, pois a casa
António Emílio Pires
já foi assaltada, e violentamente atacados o Pe.
Tavares Martins e Irmão Luís. Advogado
Dia 23 de Agosto
Ao raiar do sol, de carro com o Pe. Luís Gomes, para Av. Conselheiro Fernando de Sousa, nº 19 – 18º
Nametil. São 80 Km de terra batida. Paisagens
1070-072 Lisboa – Portugal
lindíssimas, um ou outro chapa (que nos enchia de pó,
principalmente as meninas que iam na caixa do carro), Tel.: 351.21 384 63 00 Fax 351.21 387 01 67
mas muita gente a pé. Uma paragem técnica, para Email: epires@pmbgr.pt
aliviar, atrás de uma árvore, e um magote de garotos.
Apenas pediram um cigarro e conversa. ―Somos
católicos conhecemos o Pe. Valdemar‖, disseram-nos. Em 6
Nametil estamos a apoiar 20 crianças, e lá estavam elas com
as mães e o Pe. Godinho para nos receber. Deixámos os livros
Nº 109 Página 7

Diário de Moçambique
sários em grandes aglomerados como é uma estação Uma ida ao cemitério onde está sepultado o Pe. Alexandre
ferroviária, por causa dos assaltos, carregadinhos com 5 caixas Valente de Matos, em sepultura cuidada pela comunidade, e
de bíblias e catecismos para a missão, e lá partimos. Viagem deixámos a missão.
em 2ª. classe, não há primeira, num compartimento em que os Uma vista geral pela cidade, regada com uma geladinha ao
encostos dos assentos se elevam e transformam-se em beliches final de tarde, e regresso.
(6 por compartimento). São 7 horas de viagem. Em cada Dia 26 de Agosto
paragem, e são muitas, parece o comboio do Vale de Vouga, Logo de manhã, um encontro no alpendre da catequese da
uma chusma de criançada e adultos a vender o que têm à mão. Missão com as crianças que estamos a apoiar e suas mães,
Pão, bananas, petisco(um frito de farinha de amendoim com um apelo a que vão à escola e uma mensagem de
espetado num pauzinho), sacos plásticos, cenouras cebolas, esperança de que nós preocupamo-nos com eles. A maioria
galinhas, etc. e é ver entrar pelas janelas todo o tipo de são órfãos de pai, a mãe deficiente e sem trabalho. Nada nos
compras. Na 3ª. classe, bancos feitos de ripas, amontoam-se pediram, apenas agradeceram e prometeram que iam rezar por
pessoas, porcos, cabritos, mandioca… só visto. Nós também nós.
fizemos as nossas compras (orientados pelo Ronaldo). ―Ponciano, tem que ir a Nataleia e conhecer a Irmã Izolde‖,
Paisagens fabulosas, e do meio do nada saía um magote de diziam-me os LBN. Fiquei curioso. A meio da manhã, lá
garotos que quando lhes acenávamos levantavam a mãozita rumámos a Nataleia. Era perto, apenas 40km, picada, claro.
branca e abriam um enorme sorriso. Com o que é que Nataleia, missão construída pelo Pe. Manuel Silva, pertence a
sonhavam aquelas crianças? Perguntava-me. Não descobri. Malema. Tem a funcionar uma escola rural. Os alunos, num
Chegada a Malema, e o P.e Jerónimo, nem vê-lo. O Ronaldo total de 80, dividem-se em 2 grupos de 40. Durante 15 dias,
telefona, e passados 2 minutos lá estava ele. Pudera, a Missão em regime de internato, estão na escola, depois vão para casa,
é a uns 200 mts da estação. A Missão de Malema tem 106 15 dias, aplicar o que aprenderam. Neste tempo regressam os
comunidades e apenas 3 missionários. outros 40 que estavam nas famílias. É tudo muito ordenado e
Em casa lá estava o Pe. João Baltar e as Leigas da Boa Nova: disciplinado, com ensino em regime de alternância.
Marta, Diana e Sofia. Tinham preparado o almoço. A Irmã Izolde, 49 anos, engenheira agrónoma do sul do Brasil,
Acomodámo-nos, almoçámos e fomos ver a Escola de trabalha em Moçambique há 14 anos e há 4 em Nataleia. Sabe
carpintaria, a cargo da Missão, e onde estudam 20 alunos o que faz. Austera, disciplinadora, controladora (vai a casa de
(também apoiados pelo nosso projecto). Eu tinha algumas cada um ver o que fazem na quinzena que não estão na
dúvidas sobre a saída profissional destes alunos, mas logo escola), e pragmática. O que não vale a pena, corta-se. A
foram desfeitas ao dizerem-nos que os do ano passado foram Missão é auto-suficiente: cebolas, repolhos, cenouras,
todos contratados por uma empresa de Nampula que queriam galinhas, cabritos, porcos, e até vacas. Até os tijolos das
recrutar 40. Boa! Pensei. Missa na Igreja da Missão, jantar e construções são lá feitos. Não tem água, apenas do rio,
projecção de um filme realizado pelo Ronaldo com o grupo de electricidade, nem telefone. A bateria do jeep foi utilizada para
jovens com que estava a trabalhar. Não percebi palavra do que que com um pequeno painel solar alimenta o telemóvel que só
diziam, mas conhecia o enredo: A Paixão. Soberbo. Óptimo recebe mensagens e carrega o computador. Impressionante a
trabalho do Ronaldo que promete ser um grande missionário. sua alegria. Exemplo para nós, que com as suas habilitações
Dia 25 de Agosto académicas estaríamos bem instalados numa qualquer grande
Sem pressas, uma ida ao mercado, mesmo em frente à Missão. multinacional.
Pobre, muito pobre, com apenas alguns legumes, poucos, Para dar continuidade ao que faz na escola, tem que habilitar
montinhos de batatas que se juntássemos as bancadas todas os alunos com material para poderem iniciar a sua própria
daria um saco de 50 ks., pão, alguns artigos de mercearia, machamba: sementes, alfaias, pesticidas, fertilizantes e uma
peixe seco (pequenino, mais pareciam jaquinzinhos), peças de motobomba por cada 5 alunos. No final do ano, após as
bicicleta e automóvel em segunda mão, e muitas capulanas colheitas, faz-se o retorno para os novos alunos finalistas.
(aqueles tecidos, lindos, que servem para tudo: saias, toalhas Pediu-nos 15 Kits. São 3.500€. Nós e os LBN assumimos que
cortinados…). Após algumas compras, saída para Mutuáli. iríamos abraçar de alma e coração o projecto. A rir disse:
Mutuáli é uma pérola. Está em ruínas, mas consegue-se ―Vocês vêm e ficam muito entusiasmados, mas depois
respirar, sonhar o que é uma missão. Teve internato masculino atravessam o oceano, o coração fica cá e depressa se
e feminino, escola de artes e ofícios, enorme machamba onde esquecem‖. Sentimo-nos envergonhados. Era verdade.
trabalhavam, e viviam, constantemente 110 famílias! Até De regresso a Malema tínhamos à nossa espera o grupo de
barragem própria tem, para captação e reservatório de água. jovens com quem o Ronaldo está a trabalhar. Queriam
Obra do então Padre e depois Bispo D. José dos Santos agradecer o equipamento de futebol e bolas que tínhamos
Garcia. levado. Muita alegria e muita união naqueles jovens. No final
Agora está nas mãos da diocese. Almoço oferecido pelos encontrei o Pedro, que fora seminarista na Matola.
párocos, uma visita à casa e à Igreja, que embora a precisar de Dia 27 de Agosto
obras ainda funciona, uma visita aos internatos, que em 1975 Regresso a Nampula, de comboio, pois claro… mas sozinhos!
com a nacionalização foram transformados em escolas
secundárias, mas agora são em ruínas abandonados. Mutuáli já 7
não tem secundária. Está mais pobre que na década de 40.
Página 8

DELEGAÇÃO DE LISBOA
Em vésperas do Dia Mundial das Missões, se àqueles que têm a difícil e espinhosa tarefa de dirigir
tão digna instituição aproveitar todas as sinergias que
a ARM com os nossos Missionários. possam levar aos objectivos pré-definidos: O anunciar
da BOA NOVA.
Este ano o nosso aguardado encontro regional de
Lisboa, teve lugar no sábado 23 de Outubro, Porém, saber reconhecer o papel e o contributo dos ex-
precisamente no dia anterior àquele que a Igreja alunos e aproveitar cada uma das contribuições, por
Católica escolheu para celebrar o dia Mundial das menor e mais insignificante que possa parecer, é um
Missões, razão mais que válida para nos recordar a sinal de grande inteligência de todos aqueles que
essência da Sociedade Missionária, a propagação da dirigem tal Instituição, razão mais que suficiente para
Boa Nova e a Caridade que nos une e nos faz sentir cada um de nós se mostrar profundamente honrado
homens e mulheres melhores, no nosso dia-a-dia, mas com as gentis e reconfortantes palavras do Digmº.
também quando partilhamos as nossas experiências Superior Geral da Sociedade Missionária.
nestes convívios, onde nos sentimos em família. Nem de propósito, mas por certo muito a propósito, o
Bem dispostos, de espírito aberto mas com sorriso nosso almoço convívio no Restaurante Canas, em que
apressado, porque eram já 11 horas e os compromissos estiveram presente 55 convivas, seis dos quais vindos
da Igreja do Santo Contestável, não nos permitiam pela primeira e que por serem mais novos, [entrados na
atrasos, iniciou-se a celebração eucarística presidida década de oitenta] já me destronaram, o que muito me
pelo Revmº. Padre Albino dos Anjos, Superior Geral da satisfaz, foi um momento de boa disposição e são
Sociedade Missionária. Concelebraram o Padre convívio, que culminou com a apresentação e explicação
Martinho, pelo Padre Aires do Nascimento e Padre na primeira pessoa da viagem feita pelo nosso
Gonçalves. Presidente Santos Ponciano, a Moçambique em Agosto
último, que aproveitando as suas férias foi com a sua
Como a sua particular eloquência, o orador
família e uma colega de trabalho, visitar as escolas que
aproveitando de forma sábia e prudente o Evangelho, as
o projecto desenvolvido e posto em prática pela ARM
Leituras do dia e o facto de se estar a celebrar o dia
―Um Sorriso para Ti‖ está a apoiar naquele país tão
Mundial das Missões, não deixou passar a oportunidade
para despertar cada um de nós para o espírito da carenciado.
Sociedade Missionária, a quem estamos umbilicalmente Ver cada uma daquelas imagens, recordar os
ligados, fazendo-nos pensar na forma como no nosso dia comentários e sentir a expressão do olhar daquelas
-a-dia podemos contribuir para divulgar os princípios crianças tão carenciadas, fez-nos sentir a todos quantos
que nos foram incutidos na nossa juventude e em que estávamos naquela sala, a relatividade da vida, o poder
medida podemos colaborar com a própria Sociedade que um pequeno gesto, a necessidade de quem
Missionária, ajudando-a, ainda que modestamente a efectivamente precisa e o poder de contribuir para um
desenvolver e atingir tão nobres objectivos, com o mundo melhor.
empenho e o verdadeiro espírito de Missão de que os O sentimento generalizado entre todos os presentes era
nossos Missionários são a prova viva, espalhados pelo o de grande reconhecimento pelo trabalho realizado e
mundo. em curso, vendo-se cada um dos presentes projectado
Tão árdua e contagiante tarefa está entregue aos nossos no sorriso daquelas crianças, que afinal era o
Missionários que a desempenham com uma entrega destinatário do seu singelo contributo.
total a Deus e aos mais necessitados. A nós, nas doutas Face ao sucesso e reconhecimento do trabalho em curso,
palavras do Revmº Padre Albino, apenas nos é pedida foi definida como meta para o próximo ano conseguir
uma singela colaboração com a Sociedade Missionária apoiar 200 crianças.
pedindo-nos apenas algum do nosso tempo e atenção
para os problemas que afligem o mundo. Elas merecem e nós sentimo-nos MELHOR em poder
contribuir para tamanha felicidade!
É de facto congratulante e muito reconfortante, a nós ex
-alunos da Sociedade Missionária, constatar que apesar Um Santo Natal para todos e um Abraço sentido,
de cada um de nós ter seguido o seu caminho, saber que António Emílio Pires.
temos na Sociedade Missionária uma porta aberta, que (1976/1983)
está cada vez mais disponível para nos ouvir, para
(Telf. 21 384 63 00 – email: epires@pmbgr.pt)
partilhar as suas preocupações e para nos guiar. Serão
por certo novos sinais, novos tempos, novos ares na Nota: As fotografias da viagem do Santos Ponciano às escolas apoiadas
8
Sociedade Missionária, próprios do tempo que vivemos, pelo PROJECTO ―Um Sorriso para Ti‖, podem ser vistas no sítio da
ARM .
do mundo globalizado em que nos inserimos, impondo-
Página 9

ENCONTRO DA ARM:
DELEGAÇÃO DE BARCELOS
D. António Barroso.
À sessão de homenagem,
seguiu-se o jantar-convívio, em
Alvelos, onde o Manuel Costa
nos franqueou as portas da sua
casa e, mais uma vez, se
disponibilizou a cozinhar para
todos os que, de longe e de
perto, quiseram e/ou puderam
estar presentes em mais um
encontro de memória e partilha.
Tendo-nos sido pedida «uma
apreciação sucinta » do
encontro, cumpre-nos dizer
que, pelo que ouvimos e pelo
que lemos (alguns já se
manifestaram por e-mail), o
encontro deste ano não
Como dizia um jornal local, «Enquanto a desmereceu do dos anos anteriores: compareceu,
beatificação de D. António Barroso continua a marcar sensivelmente, o mesmo número de armistas;
passo no Vaticano à espera de um milagre que dê estiveram presentes armistas de outras regiões/
novo impulso ao processo, a obra do missionário e delegações (o que já vai sendo uma imagem de marca
Bispo do Porto, nascido em Remelhe há 156 anos, – modéstia à parte!...); alguns, que costumam ser
continua a ser evocada». presença habitual, não tendo podido responder à
chamada por fortes razões de ordem familiar ou
A homenagem deste ano, a que se associaram os profissional, não deixaram de se «justificar» perante a
antigos alunos dos Seminários da Sociedade organização, o que consideramos digno de menção.
Missionária da Boa Nova, foi no dia 6 de Novembro, José Campinho
no auditório da Câmara Municipal, e contou com a
presença de D. Serafim Ferreira da Silva, bispo
emérito de Leiria-Fátima, que relevou a
intensa actividade pastoral de D. António
Barroso, afirmando que «não foi um devoto
de sofá ou genuflexório»; do vice-
postulador para a causa da beatificação, Dr.
Ferreira Gomes, que aproveitou para se
despedir dos barcelenses, «ciente de que os
seus 95 anos não lhe permitirão regressar a
Barcelos» e passar o testemunho ao armista
Amadeu Araújo, presente na mesa; do
postulador, (…) que fez o ponto da situação
do processo de beatificação do missionário e
confirmou que Amadeu Araújo, aceitara o
convite para assumir as funções de vice-
postulador; e do Pe.Castro Afonso, que
dissertou sobre a acção missionária dos
9
cerca de 300 padres formados no Colégio das Missões
de Cernache do Bonjardim, onde estudou e se ordenou
Página 10

ENCONTRO DA ARM:
DELEGAÇÃO DE CUCUJÃES
constatou-se que alguns dos presentes fizeram a sua
aparição, pela primeira vez, após a sua saída do
Seminário. Nesta sequência, tomou a palavra o actual
Presidente desta Associação, Santos Ponciano, que
enalteceu e louvou a presença de antigos alunos das
últimas gerações e falou sobre a vida da ARM e dos
projectos da mesma. Para que estes encontros
continuassem a ser realizados anualmente ficou decidido
que o Manuel Fernando Ferreira, antigo aluno, ficava à
frente do Núcleo Regional de Cucujães com uma equipa
formada pelo mesmo.
Depois de ter sido dada como encerrada esta assembleia
dirigimo-nos para a Capela do Seminário para nos
encontrarmos, desta vez em Assembleia Cristã,
comungando a Palavra de Deus e o Pão Eucarístico.
Presidiu à Eucaristia o Sr. Pe. Albino dos Anjos e teve
como concelebrante o Sr. Pe. Armando Soares, Director
Adjunto da revista ―Boa Nova‖ e do jornal ―Voz da
Missão‖.
Nem só de palavras vive o homem, pois há necessidade
de alimentar o físico e foi o que aconteceu. O refeitório
estava preparado para acolher todos os participantes
neste almoço de convívio. O ambiente estava muito
agradável e aconteceu verdadeira festa de amizade. A
refeição estava muita booooooa… Durante o almoço
foram passadas algumas fotos da visita que o Presidente
da ARM e mais alguns acompanhantes fizeram a
No dia 14 de Novembro de 2010 realizou-se, em algumas missões da SMBN a Moçambique e que, de
Cucujães, no Seminário dos Missionários da Boa Nova, alguma forma, confirmavam no terreno os projectos
o Encontro Regional de Cucujães que não se realizava lançados pela Associação aos quais os Missionários dão
corpo.
acerca de oito anos. (foi muito tempo). Estiveram
presentes na totalidade 55 participantes. Destes, 33 Terminado o almoço e como estava previsto no
programa uma romagem à gruta, esta não se realizou
foram alunos da Sociedade Missionária da Boa Nova,
devido às condições climatéricas, mas optou-se por
sendo os restantes a família e alguns amigos. irmos à sala de reuniões, onde fizemos uma oração de
Após alguns dias de chuva o tempo deu um pouco de despedida, terminada naturalmente com o cântico Salve
tréguas e ajudou à boa disposição e alegria que todos Regina. Ainda houve tempo para o Presidente da ARM
trazíamos para este encontro. apelar à nova equipa para continuarem a promover este
Foi um recordar dos tempos vividos nos Seminários e tipo de encontros com os mesmos estilos ou com outro
―matar‖ saudades com alguns colegas que já não se viam tipo de figurinos, pois o que interessa é que se realizem.
há alguns meses e outros há anos. Foi dada neste final a palavra aos Leigos Boa Nova que
falaram sobre alguns dos seus projectos.
Seguidamente todos participaram na assembleia para dar
as boas vindas e informações breves sobre a vida da O encontro chegou ao fim e o momento das despedidas
Sociedade Missionária, dadas pelo actual Superior Geral foi ocasião para dizermos uns aos outros: ―até ao ano‖.
da SMBN, Revmº. Sr.Pe.Albino dos Anjos. No decorrer Ficamos à espera por mais e melhor.
dos trabalhos afirmou ainda que existe uma grande A Direcção Regional de Cucujães
cooperação entre a SMBN e a ARM estando ambas a 10
trabalhar juntas em vários projectos. No final desta
intervenção deu-se espaço para as apresentações e
Página 11

ENCONTRO DA ARM:
DELEGAÇÃO DE VALADARES
Na sessão da tarde a atenção virou
-se mais para o dia a dia da ARM,
durante a qual o Santos Ponciano
abordou a situação actual do
projecto ―Um sorriso para ti ―e
apontou as metas a alcançar a curto
prazo. Foram ainda projectadas as
fotografias da viagem a
Moçambique, bem como as das
crianças que estão a ser apoiadas
pela ARM
Ainda sobre este assunto, foi dada
a informação da situação das
vendas do livro sobre a emigração
clandestina nos anos sessenta
editado pelo Costa Andrade
―Destinos Jogados em Vidas a
Salto― cujo produto, como já foi
informado, reverterá também para
o referido projecto.
Quebrando a tradição do Domingo mais próximo do
S. Martinho, por motivos de força maior, o De referir ainda a presença neste Encontro da Dra.
Encontro da Delegação de Valadares teve lugar este Virgínia e da D. Jordelina, filhas do saudoso
ano no passado dia 7 de Novembro do corrente. Armista Abílio Martins, lembrado na santa missa e
homenageado durante o Convívio, por ocasião da
De lamentar que o bom tempo que S. Pedro nos passagem do centenário do seu nascimento,
ofereceu, não foi suficiente para induzir muitos dos ocorrida em Setembro deste ano.
habituais absentista a deixar o remanso do ninho,
mas os que compareceram, cerca de duas dezenas, F. Costa Andrade
não deram o seu tempo por mal empregue e, como
de costume, de certo regressaram a casa com a alma
mais cheia e o coração reconfortado pela magia
sempre renovada destes encontros de verdadeiros
amigos, unidos por laços inquebráveis duma
amizade sã e duradoira, capaz de ultrapassar todas
as vicissitudes e comodismos da vida moderna.
Porque a agenda deste ano estava muito recheada, o
habitual encontro da manhã, continuou depois do
almoço (diga-se de passagem, muito bem servido
pela cozinha do Seminário), sendo abordada antes
da missa a actualidade da Sociedade Missionária,
com especial destaque para a última Assembleia e
para uma informação muito bem feita pelo Senhor
P.e Zacarias, versando a situação das diversas casas
e áreas de missão. 11
Página 12

ENCONTRO DA ARM:
DELEGAÇÃO DE GUARDA-CASTELO BRANCO
Dia 20 de Novembro, Monsanto (a aldeia mais
portuguesa, segundo uma comissão dirigida por António
Ferro, em 1938), 10h da manhã, frio de rachar,
começaram a chegar vindos da Guarda, Castelo Branco,
Coimbra, Proença… as quatro dezenas e meia de
Armistas e famílias. Recepção no Turismo, visita guiada
ao castelo, e até mesmo aqueles que já tinham ido por
diversas vezes a Monsanto estavam deslumbrados com a
paisagem e histórias (como sempre uma verdadeiras
outras lendas).Visita à capela de S.Miguel e N.S.Graça e
ainda à Torre de Lucano, com o galo de prata (réplica).
Acompanhou-nos sempre o pároco, Cón. Victor Vaz,
natural da terra, já entradote na idade, mas de uma
jovialidade enorme, muito feliz por nos acolher. Pena o
P.e António Maria Lopes, também de Monsanto, não
poder estar connosco (o frio e a viagem longa, de ida e nomeadamente como estão a correr os projectos e o
volta, tolheram-no em Cucujães). testemunho do Santos Ponciano e família sobre a viagem
a Moçambique. Pena não termos podido mostrar as
fotografias, como fizemos noutros encontros.
Presentes de novo, vindos de Coimbra, estavam o
Monteiro e o Farinha Lopes, e da região o João Chendo
e Manuel Mateus.
Uma palavra para o grande empenho do José Domingos
Carvalho, Manuel Mateus e Delegados José Fernandes e
Manuel Barroso, pela organização, mobilização e
sucesso deste encontro.
Para o próximo ano já ficaram nomeados os ―festeiros‖:
Manuel Mateus e o Vaz , em articulação com os
delegados.
Estava prevista uma visita à Egitânia (Idanha-a-Velha), No final, alguns ainda se deslocaram ao hospital da
diocese na época visigótica, mas o tempo escasseava. Covilhã para uma visita a D. José, que nos tinha dito o
Terá que ficar para uma próxima oportunidade. Barroso, visita assídua, estar bastante melhor.
Missa, às 12,30h, mais coisa menos coisa, na Igreja
Matriz, presidida pelo P.e Aires do Nascimento, e na
homilia o pároco, concelebrante, numa conversa muito
leve e muito agradável, fala-nos das missões em
Moçambique, onde trabalhou também ele 10 anos, e que
―foram os anos mais felizes da minha vida‖disse-nos.
Extraordinário. O ofertório da missa foi-nos dado para a
reconstrução da Escolinha do Chibuto. O Cón. Vaz não
deixava de nos surpreender.
Partida para o restaurante, O Raiano, em Penha Garcia,
pois o estômago começava a dar horas.
No almoço conviveu-se, recordou-se tempos idos, soube
-se novidades sobre cada um, e no final passámos as
informações mais recentes da SMBN e da ARM, 12
Nº 109 Página 13

ENCONTRO DA ARM: Reconstruir


DELEGAÇÃO DE CERNACHE DO BONJARDIM Chibuto
Um dos projectos apresentados
em 2009 era a reconstrução da
Escola do Chibuto. Foram feitos
diversos pedidos a entidades de
que costumam apoiar estas
iniciativas, mas declinaram.
No entanto, urge reconstruir a
escolinha (a que nós chamamos
creche), pois é a única na cidade
do Chibuto. Faseámos o projecto:
1—pintura (já concluído)
2– portas, janelas e WC (em
curso)
3—Reconstrução do refeitório.
Em curso está a fase 2. O seu
valor total é de 2.500€. Estamos
quase lá, mas falta ainda alguma
Berço do Tambores de Casal Madalena e o generosidade nossa.
acordeão do armista Silvino Aires. Era
Santo Condestável Para maior informação todos
já noite quando terminou o n/
podem consultar o site da ARM:
No passado dia 21 de Novembro encontro. Nas despedidas ficou a www.arm.org.pt na página dos
levamos a efeito o já por muitos certeza de ter sido um dia diferente e projectos.
aguardado encontro regional da nossa que valeu a pena. Agradecendo a
presença de todos, daqui mando um Apenas lembramos que em 2009
delegação. Apesar do S. Pedro não ter a escola estava fechada e neste
colaborado, marcaram presença cerca abraço fraterno a todos os armistas. momento está já a funcionar,
de 40 armistas e familiares. Além dos António José Bernardo Correia precariamente, com 40 crianças
habituais, destaco por ter sido a apoiadas pelo projecto “Um
primeira vez a presença dos armistas, Sorriso para Ti‖. Obrigado a
Abílio Nunes Antunes e o José
Manuel S Patrício. Vindos de
Lisboa honraram-nos com a sua
presença o nosso Presidente Santos
Ponciano, o P. Aires Augusto do
Nascimento, o Armindo Henriques arquitectura e mobiliário
e o Alberto João Borges. Contamos
Escritórios. - Divisão e Tratamento do Espaço, Móveis.
igualmente com a grata presença Escolas. - Mobiliário e RR Audiovisuais;
dos Srs. P. Paulo Ribeiro e Castro Auditórios, Salas de Cinema e Teatro. Bibliotecas. Colectividades.
Afonso, e da Junta Freguesia de Centros de Arquivo e Documentação.(Solução fixa e Dinâmica)
Lares de 3ª idade. - Mobiliário Geriátrico e Hospitalar,
Cernache Bonjardim, representada Armazenamento. – Estanteria: carga leve, média, pesada, paletização
pelo Sr. Presidente e Tesoureiro. O
programa foi vasto: Missa, visita à
Serra de S. Macário, à Gruta,
almoço no refeitório do Seminário,
visionamento de fotos antigas da
nossa passagem pelos Seminários
recuperadas pelo presidente e da
sua recente visita a Moçambique.
Ergotempus – Móveis de Escritório e Decoração, Lda
Seguiu-se o tradicional magusto Av. Maria Helena Vieira da Silva, Nº 4 – 1750-179 Lisboa
com castanhas e água-pé, Telf: 21 755 05 85 Fax: 21 755 05 87 ergotempus@mail.telepac.pt
abrilhantado com animação 13
cultural com a actuação dos
Página 14

NOTÍCIAS BREVES DA SMBN


D. José dos Santos Garcia Assessoria da SMBN
26.10.2010 Respeitando o quadro constitucional e regulamentar
Caríssimos, da SMBN para a parte económica, dando cumprimento
Saúde e Paz em Jesus e Maria!
a orientações das últimas assembleias e havendo uma
O Senhor D. José dos Santos Garcia, ontem, de manhã,
teve uma queda. Levado ao Hospital da Covilhã,
premente necessidade de incluir em nossa gestão
verificaram que tinha fracturado o fémur direito. patrimonial uma rigorosa e eficiente assessoria, são
Ficou internado no mesmo Hospital. Em princípio, será nomeados para o Grupo de Assessoria Técnica, por
operado no próximo sábado. um período de quatro anos:
Com certeza que o iremos lembrar, de uma maneira Dr. Vítor da Silva Borges
muito particular, na nossa oração.
Tudo, tudo de BOM. Dr. António Emílio Pires
Saudações muito amigas, do Dr. António Santos Ramos
P. Martinho
Sr. José Domingues dos Santos Ponciano
19.11.2010
O Senhor P. Albino esteve hoje com o Senhor D. José
(ontem, tinham estado alguns dos nossos de Cucujães e Este grupo é coordenado pelo Superior Geral e
de Cernache do Bonjardim). ecónomo Geral.
O Senhor D. José continua internado no Hospital da
Covilhã. Nos últimos dois dias tem tido algumas
melhoras, graças a Deus. Lisboa, 19 de Novembro de 2010
Está mais conversador e percebe‑se melhor o que quer
transmitir aos presentes. Para isso, tem ajudado também
P. Albino Manuel Valente dos Anjos
a terapia da fala que lhe estão a fazer.
Manda muitos cumprimentos e agradecimentos a Superior Geral
quantos se têm preocupado e rezado por ele.
Da parte da Sociedade Missionária vai um
agradecimento muito sincero ao Senhor P. Sousa, da Ano de Formação
Companhia de Jesus (primo do nosso saudoso P.
Agostinho de Sousa), Capelão do Hospital, e que tem
manifestado muita dedicação pelo Senhor D. José. Director do Ano de Formação comunica que os quatro
Tudo, tudo de BOM. Formandos deste ano de 2010 vão emitir o juramento
Saudações muito amigas, do missionário no Domingo, 26 de Dezembro, na Missa que
P. Martinho terá lugar às 16.00 horas, na igreja do Seminário das
Missões de Cernache do Bonjardim. Comunica também que
30.11.2010 os quatro novos membros da SMBN, por nomeação do
Caríssimos Amigos, Superior Geral, partirão para Moçambique no dia 28 de
Saúde e Paz em Jesus e Maria! Dezembro, os dois de Angola para fazerem o EIFM nesse
É com muita alegria que comunico que o Senhor D. país, e os dois de Moçambique para lá obterem o Visto para
José já teve alta do Hospital da Covilhã e foi para a o Brasil onde irão fazer o seu EIFM logo que tenham
Casa Sacerdotal da Diocese da Guarda. autorização legal. E pede a todos os membros da SMBN
Claro que vai continuar a precisar da nossa oração e que tenham estes quatro jovens presentes nas suas
presença. orações.
Tudo, tudo de BOM. Com amizade,
Saudações muito amigas, do
P. Manuel Castro Afonso
P. Martinho
Artº. 24 dos Estatutos da ARM:
São deveres dos associados
e) Assinar a revista Boa Nova aproveitada como
veículo noticioso da ARM

14
Nº 109 Página 15

Igreja, Jinja e Otera


No Japão existem três tipos de lugares religiosos: a o caminho ou paredes. De vez em quando uma ou outra
igreja, a jinja e a otera. A igreja, como todos sabemos, é pisadela, pois não havia qualquer iluminação. Só se
o lugar onde os cristãos se reúnem para celebrar os escutava os japoneses a dizerem: kowai (aterrorizador).
sacramentos e para rezar. A jinja é o santuário xintoísta, A meio de percurso encontrava-se uma pedra enorme,
onde as pessoas se dirigem para receber uma protecção com um kanji no topo iluminado por uma pequena luz e
especial de um kami, para adquirir um amuleto ou para no regresso, de novo, completa escuridão. Na saída
fazer um pedido. A otera é o templo budista. alguém me disse que este lugar representava o ventre de
A otera e a jinja Zuigu-Bosatsu e que
não são lugares de aqui se pede um
adoração cultual. Podem-se desejo quando se
celebrar alguns rituais, mas avista a pedra
no âmbito de um circulo iluminada. Segundo
restrito de pessoas. São alguns, isto
edifícios construídos para proporcionaria um
conservar objectos sentimento de
sagrados ou relíquias. E renascimento.
essas zonas dos templos Quanto às Jinja,
budistas e santuários devo confessar que
xintoístas onde se todas me parecem
conservam esses objectos mais ou menos
sagrados ou relíquias são similares. Não
apenas acessíveis aos existem grandes
sacerdotes ou monges da diferenças entre elas.
respectiva religião. Na A altura mais bela
otera, esse objecto sagrado para as visitar é em
chama-se honzon. Na jinja chama-se shintai. Abril, quando as cerejeiras florescem. Habitualmente,
Quer na jinja quer na otera não se fazem vemos as pessoas a chegar, a posicionarem-se diante do
encontros regulares, nem estes se realizam no interior haiden, de pé com as duas mãos juntas, a fazerem uma
dos edifícios religiosos, como acontece no cristianismo. vénia, a baterem palmas duas vezes e a repetirem a
Se muitas pessoas participam num certo encontro, trata- vénia. Por vezes tocam um sino e lançam uma moeda na
se certamente de um festival (matsuri) e este realiza-se caixa para donativos. Então, iniciam uma oração breve
sempre em lugares exteriores. em silêncio.
Uma das otera que mais me impressionou até Na jinja de Nomi-Chō, bem perto do local
hoje foi a kiyomizu-dera, em Quioto. Este é um dos onde vivo, tive a oportunidade de assistir a uma
templos budistas mais famosos no Japão e é considerado cerimónia. Estava a passar por acaso e dei-me conta de
pela UNESCO como património mundial da que decorria uma celebração. Como é muito invulgar
humanidade. Alguns edifícios actuais remontam a 1633, decidi espreitar para o interior. Tratava-se do tsumyia
mas o templo é mais antigo. Foi fundado em 798. O mairi. Esta cerimónia consiste em levar
templo é dedicado a uma manifestação feminina de ao santuário local o recém-nascido para ser apresentado
Kannon, o Buda da Compaixão. Quando visitei este ao(s) Kami(s). No caso dos meninos a apresentação
lugar, numa quinta-feira, quando se pressupõe que ocorre geralmente no trigésimo primeiro dia e nas
deveria estar menos gente, surpreendeu-me a quantidade meninas no trigésimo terceiro dia. O sacerdote procede à
de peregrinos de todas as idades. Numa das zonas do purificação ou benção com o Ohei (bastões de madeira
templo, estava uma série de pessoas à espera e eu decidi ou varinhas decoradas com serpentinas ou fitas de papel
também colocar-me no final da fila. Não sabia o que iria em ziguezague, geralmente brancas).
Pe. Marco Casquilho
visitar. Descemos umas escadas. Uma japonesa disse-me
Japão
que deveria segurar uma corda com a mão esquerda. Ao
entrarmos estava uma escuridão completa, o tipo de
escuro onde a visão não se ajusta e onde não se distingue
qualquer forma. Impossível ver quem vinha à minha 15
frente ou quem estava atrás, ou até mesmo os degraus ou
Ao comemorarmos os 650 anos

Um Sorriso para Ti
do seu nascimento e primeiro
da sua canonização, a ARM
quis prestar uma singela
homenagem a NUNO de
SANTA MARIA. Pedimos ao Quando no início do ano de Ponto.
Senhor Prof. Doutor Aires A. 2009 nos propusemos, em Em Maio de 2010 decidimos,
Nascimento, para ser o autor parceria com a Sociedade em Cucujães, elevar para 200
e escrever algo diferente do Missionária da Boa Nova, a as crianças a ser apoiadas.
que soe fazer-se. elevar um projecto que Aproveitar a logística
dotasse os nossos montada e duplicar os apoios.
missionários de alguns meios Nesta data as inscrições
na ajuda às crianças mais colocam-se nas 156. Faltam-
carenciadas das suas missões nos 44 para atingirmos o
e ao mesmo tempo objectivo. É possível. Pelos
contribuíssemos no combate a testemunhos que temos
esse flagelo que grassa no ouvido nos encontros
mundo, e particularmente em regionais só falta mesmo
África, que é a pobreza, assinar a ficha de inscrição.
muitos de nós tivemos Quebrem essa inércia. Por
dúvidas que tal fosse 100€ anuais, dedutíveis em
possível. sede de IRS, poderemos
Com muito empenho, muita pagar a educação e
colaboração e muita alimentação de uma criança
generosidade conseguiu-se, durante 1 ano, dotá-la de auto
em 2010, que 100 crianças -estima e prepará-la para um
Prontamente aceitou. E neste tivessem acesso à escola. futuro melhor, dela e de sua
livro, que não é nenhuma Os resultados estão à vista de família.
biografia, trouxe à memória o todos. Elaborámos um Para maior inf ormação
testemunho do rei D. Duarte, processo eficaz e consulta a página da ARM, em
Crónica do Condestável, transparente. projectos:
Fernão Lopes, Camões… Tendo consciência de que é www.ARM.org.pt
sobre Nun’Àlvares. uma gota de água nesse
grande oceano que é a ++++++++++++++++++++++++++
De referir que o autor
iliteracia mundial, mas
ofereceu os direitos, sendo
estes integralmente também conscientes que são Permitam-nos um pequeno alerta para
as gotas, insistentes e quem apadrinhou uma ou mais
canalizados para o projecto
persistentes, que enchem o crianças em 2009:
“Um Sorriso para Ti”. cântaro, pensámos que era
possível fazer mais. Tivemos Se optou pelo pagamento por
Uma sugestão: oportunidade de, no terreno, transferência bancária, não tem com
Neste Natal ofereça 1 livro. sentir as dificuldades, que se preocupar. Nós e o seu banco
Excelente prenda. necessidades, angustias de
tratamos de tudo.
quem quer fazer mais e não
pode, de quem quer dar mais
Se optou pelo pagamento por cheque,
e nada mais possui, de quem
vale postal ou transferência feita pelo
BOLETIM Nº. 109 precisa e não sabe pedir nem
a quem se dirigir. Pessoas
próprio (ATM, home-banking ou
Outubro/Dezembro de 2010 outra) deverá fazer o pagamento, nos
que não acreditam no Estado
e que apenas contam com a mesmos moldes, até meados de
Igreja. Isto, meus caros, pode Janeiro de 2011, pois como foi dito, o
ARM – Associação Regina
Mundi dos Antigos Alunos parecer lamechas, mas não é. projecto para ter sustentabilidade tem
da Sociedade Missionária da É a pura realidade, nua e a duração mínima de 3 anos.
Portuguesa crua. Vejam que em qualquer
campo difícil, seja em que Se tem dúvidas quanto ao meio de
país for, quem vemos lá? pagamento, não hesite em nos
16
Missionários! Sejam católicos contactar: Telefone: 966924794
ou não, são os missionários. E-mail: regina.mundi@hotmail.com