Vous êtes sur la page 1sur 126
ESTUDOS ALEMAES Série coordenada por EDUARDO PORTELLA, EMMANUEL CARNEIRO LEAO ¢ VAMIREH CHACON ona exaogratcn labora. ete abe pense ‘ohmann, Wits ros elope do Dielto 1 / Niklas Lubmann:; tradue glo'de Gustavo Bayer’ — Blo de Janel: Balge FFempo rane, 108, 252 p, (Bboteca Tempo Universitario; n® 78) ‘Tmduio de Rechtssuologie 1 1, Direto — uti 2. Soclologia 1. Titulo i. Bike cpu 940: 30 NIKLAS LUHMANN SOCIOLOGIA DO DIREITO 1 Rio de Janeiro — RJ — 1983 BIBLIOTECA TEMPO UNIVERSITARIO — 75 Coleco dirigida por EDUARDO PORTELLA Professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro ‘Tradurido do original aleméo Rechtssoziologie | owohit Taschenbuch Verlag Gmbit elnbek bel Hamburg, 1972 Copyright: Westdeutscher Veriag Gmbit Faulbrunnenstr. 18, D-6200-Wiesbaden ‘Tradueio de Gustavo Barz Capa de Avromio Dias ¢ ELizasent Lararerre Programacio textual de Mania DA Constgio’ Rano ‘Todos os direltos reservados EDIGOES TEMPO BRASILEIRO LTDA, Rua Gago Coutinho, 61 —"Tel.: 208:5040 (Caixa Postal 16.099 — CEF 22221 io de Janeiro — Rl — Brasil, SUMARIO, INTRODUGAO I —ABORDAGENS CLASSICAS A SOCIOLOGIA DO ‘DIREITO IT —A FORMACAO DO DIREITO: BASES DE UMA ‘TEORIA SOCIOLOGICA 1 — Complexidade, contingéncia e a expectativa de expectativas 2. — Bxpectativas cognitivas ¢ normativas 3 — Processamento de apontamentos ‘4 — Institucionalizagio 5 — Identificagao de complexdes de expectativas 6 — Direlto como generalizagio congruente 7 — Direito e forga fica 8 — Estrutura e comportamento divergente 111 — 0 DIREITO COMO ESTRUTURA DA SOCIEDADE, 1 — 0 desenvolvimento do dielto e da sociedade 2 — 0 direito arcaico 3 — 0 direlto das culturas antigas 4 — A positivagéo do direito 12 12 1st 167 122 201 225 INTRODUGKO Toda convivéncia humana € direta ou indiretamente unhadia pelo direito. Como no caso do saber, 0 dreto € um Jato social que em tudo se insinua,¢ do qual & tmposstol se Aabstrair. Sem o iret, nenhuma esferd da vida encontra tum ordenamento socal duradouro; nem a. familia ou @ Co- Imanidade religiosa, nem a pesguisa’cientiica ou @ organi. acho partidaria de orientacoes poitias A convieéncla #0: cial sempre esta pré-jettada a regras normativas que ex: ‘luem ‘outros possfeis ordenamentor, e que prevendem ser Impostor, de forma sufcientomente fetta” Sempre @ i presemaie! tn minima de orienta arans ere ‘que possam variar 0 grau de expliciacdo dis normas de aifeito,« @ sua eetividade em termos de dsterminagda comportamental. ‘sto torna ainda mais surpreendente que esse fato, do Airito pouco ocupe os socidlogos. Nas unioersidades, a "So. lologta do dveito” pouco aparece como discipline, © quando isto ooorre a tarefa de leciondia 6 assumida mals por juris. fas que por socslogas. Falta completamente uma, rélagda entra essa discipline 9 desenvotermento recente de feorias socitdgicns. Tats ligacdes existem mais com a discussdo ba stea das Cléneias juriaieas. as pesqulsas empiricas no cam. po da sociologia do" diveito podem ser contodas nos dedos, 2 em que nos altimor anor 0 interewse tenka aumentado, 4 socltapia do diretto encontrase em dessantagem na com om outras dreas da pesguisa socolopioa, como @ Socoiogia da familia, a soctologia da organiengdo, a socio logia politica, a da extratifcardo e mobiidade socials, ¢ a 1 teorta dos paveis. Serta posivel até mesmo questionar se fxiste uma sovologia socioldgia da direito. A soctologia do Aint 26 podera ser fecundamente desensotsida como aise 1