Vous êtes sur la page 1sur 15

INSTITUTO SUPERIOR MANUEL TEIXEIRA GOMES

BASQUETEBOL
Jogo de basquetebol numa primeira fase
de aprendizagem.
Filipe Duarte
15-01-2010

O objectivo do presente trabalho é promover a caracterização, análise e intervenção


numa primeira etapa de aprendizagem, no decurso da observação de uma parte de
um jogo de basquetebol.
http://www.youtube.com/watch?v=A8oafff3TMI

I.
PRINCIPAIS CARACTERISTICAS

 Falta de domínio da bola;


 Falta de domínio das linhas que delimitam o campo;
 Falta de percepção das distâncias dos companheiros e do cesto;
 Grande atracção pela bola;
 Individualismo;
 Falta de noção da necessidade de procura de espaços que permitam o
passe do jogador com bola (desmarcação);
 Falta de percepção relativamente à posição a adoptar aquando colocado
numa posição defensiva;
 Limitações de carácter técnico (Lançamento, passe, recepção e drible).

COMPONENTES CRITICAS DE APRENDIZAGEM

 Adopção da posição básica ofensiva (tripla ameaça);


 Adopção da posição base defensiva;
 Drible (progressão e protecção);
 Lançamento (passada e em apoio);
 Passe (peito e duas mãos por cima da cabeça);
 Recepção;
 Ressalto;
 Mudanças de direcção;
 Rotações.

2
II.

FORMAS DE INTERVENÇÃO PARA O JOGO

Jogo condicionado (passes, lançamentos, etc.)


Exemplos:
Jogo dos dez passes:
- executar 10 passes entre a equipa sem que a bola caia no chão
ou seja interceptada pela equipa adversária.
Objectivo:
- receber a bola com as duas mãos, enquadrar-se ofensivamente
e passar a um parceiro desmarcado, recorrendo se necessário a
fintas de passe e rotações sobre um pé;
- desmarcar-se para receber a bola, criando linhas de passe,
fintando o seu adversário directo;
- marcar o seu adversário directo quando a sua equipa não está
na posse da bola.
Variantes:
- quem está na posse da bola não pode dar nenhum passo;
- não pode passar ao mesmo colega de quem recebeu a bola;
- ao 10.º passe tem de lançar ao cesto.
Esquema:
- equipas de cinco elementos;

3
Jogo dirigido
Exemplos:
Situação 2x1:
- os atletas progridem no espaço, passam a bola entre si e
finalizam;
Variantes:
- fintar o defesa, realizando uma rápida mudança de direcção e
de mão, lançar a curta distância e lançar na passada.
Esquema:

Situação de 2x2:
Variantes:
- ida ao ressalto vale 1 ponto;
- ambos os defesas são activos.
Esquema:

Situação de 3x2:
Variantes:
- o 3.º atacante está na linha lateral do campo;
- o 3.º atacante está dentro do campo;
- um dos defesas é semi-passivo, o outro é activo.
Esquema:

4
Objectivos:
- recepção da bola com as duas mãos e assume uma posição
enquadrada com o cesto;
- lança na passada ou parado de curta distância, se tem
situação de lançamento;
- dribla, se tem espaço livre à sua frente, para progredir, no
campo de jogo e ou para ultrapassar o seu adversário directo
- passa com segurança a um companheiro desmarcado, de
preferência em posição mais ofensiva
- desmarca-se oportunamente, criando linhas de passe ofensivas
(à frente da linha da bola);
- quando a sua equipa perde a posse da bola, assume de
imediato uma atitude defensiva marcando o seu adversário
directo, colocando-se entre este e o cesto (defesa individual);
- participa no ressalto, sempre que há lançamento, tentando
recuperar a posse da bola.
Nota: Constante intervenção do professor/treinador no sentido de
incutir aos atletas as diferentes componentes críticas.

FORMAS DE INTERVENÇÃO PARA O ALUNO 1

5
Drible
Drible de progressão:

Objectivo:
- garantir a posse de bola, procurando chegar o mais rápido
possível ao cesto adversário, progredir no terreno de jogo,
geralmente quando não existe oposição.
Componentes críticas:
- tronco ligeiramente inclinado à frente;
- driblar com a mão mais afastada do defensor;
- contacto com a bola com os dedos;
- flexão do pulso;
- extensão/flexão de todas as articulações dos membros
superiores (ombro, cotovelo e pulso);
- ressalto da bola acima da cintura;
- ressalto da bola avançado e do lado exterior da perna do lado
da mão que dribla;
- bola é empurrada para a frente, posição da mão mais recuada.
- manter o olhar dirigido para a frente.
Erros mais frequentes:
- olhar para a bola;
- driblar com a bola do lado do defensor;
- batimentos muito baixos/altos;
- contacto na bola com a palma da mão;
- receber a bola e driblar instintivamente sem nenhum objectivo.
Intervenção:
- Aplicação de métodos e exercícios específicos que conduzam à
aprendizagem e treino motor da técnica indicada,
nomeadamente:
 manipulação de bola;

6
 exercícios que favoreçam a aquisição de competências
relativas à posição básica ofensiva, arranques em drible, drible
com ambas as mãos, com duas bolas, bolas diferentes, drible
com progressão de costas, de lado, etc.
 “feedbacks” que indiquem a aplicação dos exercícios
analíticos no jogo.
 permanente intervenção no sentido de aludir quanto aos
objectivos do jogo e correcções técnicas.

FORMAS DE INTERVENÇÃO PARA O ALUNO 2

Lançamento
Lançamento em apoio:

Objectivo:
- finalizar com sucesso (converter cesto).
Componentes críticas:
- o lançamento é executado a partir da posição ofensiva básica;

- enquadrar com o cesto;

7
- pés à largura dos ombros, com o pé do lado da mão que
lança ligeiramente avançado;
- pega da bola: mão hábil por baixo da bola e dedos
afastados e a apontar para cima. A outra mão colocada
ligeiramente ao lado e à frente;
- o antebraço do M.S que lança está na vertical sob a bola;
- flexão/extensão simultânea dos M.I.;
- lançamento da bola por cima e à frente da cabeça (ver o cesto
por baixo da bola);
- a bola sai da mão quando o M.S que a impulsiona atinge
a extensão completa;
- flexão completa do pulso e dos dedos (o que provoca
um efeito de back-spin na bola).

Erros mais frequentes:


- desenquadramento com o cesto;

- bola segura junto ao abdómen;

- extensão incompleta dos segmentos;

- pulso rígido (não flectido);

- lançar com as duas mãos;

Intervenção:
- Aplicação de métodos e exercícios específicos que conduzam à
aprendizagem e treino motor da técnica indicada,
nomeadamente:
 movimento de rotação da bola, impulsionando-a para cima
apenas com a flexão do pulso;
 lançamento ao cesto só com uma mão, sem utilização das
pernas;
 o mesmo que no ponto anterior, mas com as pernas
flectidas;
 lançamento a partir da posição final do lançamento(bola
segura acima da cabeça);

8
 lançamento curto e completo;
 feedbacks” que indiquem a aplicação dos exercícios
analíticos no jogo;
 lançamento após drible;
 lançamento após recepção;
 passe, recepção de bola enquadramento com cesto e
lançamento.

Nota: Permanente intervenção por parte do professor no sentido


de alertar para erros específicos, adoptando para o efeito
posições de observação variadas a fim de percepcionar de
uma forma mais eficaz esses mesmos erros.

III.
EXERCICIOS EM PROGRESSÃO PEDAGÓGICA

DRIBLE DE PROGRESSÃO:

Exercício 1 – drible com a mão direita


 Ao nível da cintura;
 Ao nível do joelho;
 Da frente para trás e vice-versa;
 À frente dos apoios, da esquerda para a direita e vice-versa;

Variante – o mesmo exercício com a mão esquerda.

Objectivo – familiarização com a bola em situação de drible.

Exercício 2 – realização do drible

9
 Em pé;
 De joelhos;
 Sentado;
 Deitado.

Objectivo – noção do controlo de bola em várias posições.

Exercício 3 – avanço da perna direita e drible à sua volta.

Variante – o mesmo exercício com o avanço da perna esquerda.

Exercicio 4 – com as pernas afastadas, com uma mão de cada lado,


passa a bola para frente e para trás (fazendo a bola ressaltar uma vez no
solo).

Objectivo – familiarização com a bola em situação de drible.

Exercicio 5 – drible de uma linha final à outra, alterando a mão a utilizar à


indicação do professor.

Variante – o mesmo exercício em corrida.

Objectivo – exercitação e aperfeiçoamento do drible.

Exercicio 6 – em estafeta, o aluno, com bola, executa o drible desde uma


linha de fundo a uma marca e volta o mais rápido possivel.

Variante – o mesmo exercício mas com a outra mão.

Objectivo – desenvolver o drible de progressão em velocidade.

10
Exercicio 7 – driblar de olhos fechados sem deslocamentos.

Variante – o mesmo exercício em movimento.

Objectivo – percepção da bola.

LANÇAMENTO EM APOIO:

Exercício 1 – parado, posição básica ofensiva, realiza pega correcta da


bola, levando-a até a posição de lançamento.

Objectivo – consciencialização da pega da bola e da posição dos


segmentos no momento do lançamento.

Exercício 2 – lançamento da bola na vertical, recuperando-a de seguida,


executar um movimento de rotação da bola impulsionando-a para cima
através da flexão do pulso, este movimento é acompanhado pelo
movimento dos M.I. ( a bola é lançada cada vez mais alta).

Objectivo – consciencialização da acção do pulso na rotação da bola e da


acção dos M.I.

Exercício 3 - a pares com uma bola os alunos fazem lançamentos um para o


outro, tentando acertar num local predefenido (braço extendido, cabeça,
etc.)

Objectivo – noção da trajectória imprimida na bola, iniciação ao


lançamento.

11
Exercício 4 – lançamento a partir de uma posição estática, perto do
cesto, indo progressivamente aumentando essa distância.

Objectivo – noção da trajectória imprimida na bola, iniciação ao


lançamento, utilização da tabela.

Exercício 5 – em coluna realizar lançamento parado, pegar a bola


lateralmente, efectuar o deslize da mão hábil para baixo da bola e
executar o lançamento. Quem lança vai apanhar a bola e vai para o fim
da coluna.

Objectivo – exercitar a colocação das mãos e o enquadramento com o


cesto.

Exercício 6 – lançamentos à vontade, em grupos e com várias bolas.

Objectivo – noção do cesto, da trajectória da bola aquando do


lançamento e após tocar na tabela.

Exercício 7 – uma bola para cada dois alunos, um lança ao cesto o outro
após a bola ter tocado no solo, lança dessa posição Objectivo –
percepção do movimento da bola após ser lançada e ponto provável de
queda.

Exercício 8 – em coluna um aluno perto do cesto vai ao ressalto, e


passa abola ao colega colocado na linha de lance livre, este executa o
lançamento parado, trocam de funções conforme lançam.

12
Objectivo – desenvolver a coordenação dos segmentos corporais, após
passe e recepção.

Exercício 9 – em coluna o aluno 1executa drible de progressão em


slalom e da linha de lance livre, executa o lançamento parado. Apanha a
bola, passa a bola para o aluno 2 e vai para o fim da coluna.

Objectivo – transferência de drible para o lançamento.

Exercício 10 – em fila o aluno 2 faz passe picado para o aluno 3. Este


dribla e faz passe de peito para o aluno 1, que entretanto desmarcou-se
para lançar.

Objectivo – exercitar o lançamento após movimentação ofensiva.

13
BIBLIOGRAFIA

 Adelino, J. (1991). As coisas simples do basquetebol. Edição


MEDGD. Lisboa.
 Mendes, R. S.; Abrantes, J.; Pereira, M. J.; Simões, L. M. (2006).
Desporto Aventura – 3.º ciclo, vol. 3. Edição, Texto Editores, Lda.
 Correia, L.P. (1993). Educação Física e Desportiva no ensino
secundário – 10.º ano. Edição, Porto Editora.
 Cami, J.T. (2000). 1013 ejercicios y juegos polideportivos. Edição,
Paidotribo Editorial.
 http://www.youtube.com/watch?v=A8oafff3TMI, 12/2009.
 http://www.youtube.com/watch?v=Jvl_wT4hcYk, 12/2009

14
INDICE

Identificação do jogo análise, Principais características, Componentes


criticas de aprendizagem................................................................................. 2

Formas de intervenção para o jogo .............................................................. 3-5

Formas de intervenção para aluno 1 (drible)………………………………..5-6

Formas de intervenção para o aluno 2 (lançamento)………………………6-8

Exercícios em progressão pedagógica .......................................................... 8

Drible de progressão……………………………………………………………8-10

Lançamento em apoio………………………………………………………10-13

Bibliografia………………………………………………………………………..14

15

Centres d'intérêt liés