Vous êtes sur la page 1sur 155

RENAULT

Bem-vindo a bordo de seu novo RENAULT


Este Manual de Utilização e Manutenção coloca a sua disposição as informações que permitirão:

conhecer bem o seu RENAULT, para utilizá-lo nas melhores condições e obter pleno benefício dos avanços técnicos
que oferece;
garantir um perfeito funcionamento através da simples - mas rigorosa - observação dos conselhos de manutenção;
enfrentar, sem excessiva perda de tempo, pequenos incidentes que não necessitem da intervenção de um especialista.
O tempo que dedicar à leitura deste Manual será amplamente compensado pelos ensinamentos e novidades técnicas
que nele descobrirá. E, se alguns pontos permanecerem eventualmente obscuros, os técnicos de nossa Rede prestarão,
com todo o prazer, os esclarecimentos complementares que deseje obter.

Para auxiliá-lo na leitura deste Manual, você encontrará o seguinte símbolo:

Alerta para um caso de risco, um perigo ou uma indicação de segurança.

Este Manual foi impresso e concebido a partir de características técnicas conhecidas na data da sua elaboração. Contém
informações e ilustrações referentes a todos os itens (de série e opcionais) e acessórios disponíveis para o modelo.
A presença dos mesmos depende da versão, das opções escolhidas e do país de comercialização.
Este documento não pode ser tomado como especificação típica deste modelo.
Alguns equipamentos que serão introduzidos no veículo, futuramente, podem aparecer já descritos neste Manual.
A Renault reserva-se o direito de alterar as especificações deste produto sem prévio aviso.
Caso seja de seu interesse aumentar a comodidade, conforto e segurança de seu veículo, informe-se em uma Conces-
sionária Renault a respeito da disponibillidade de tais itens, possibilidade de instalação no seu veículo e preços vigentes.

Boa viagem ao volante de seu Renault.

Proibida a reprodução ou tradução, mesmo que parciais, sem autorização prévia da Renault do Brasil, S.A. 2005.

0.01
Onde encontrar:

• Pressão de enchimento dos pneus ........................................................................ pág. 0.04


• Regulagem dos bancos e do posto de condução ....................................... pág. 1.10 à 1.28

• Dispositivos de proteção para as crianças ................................................. pág. 1.23 à 1.26


• Indicadores de Aviso e Advertência .......................................................... pág. 1.29 à 1.36

• Sinalizações sonora e luminosa ............................................................................ pág. 1.40


• Desembaçamento ................................................................................................... pág. 1.44

• Amaciamento, condução ....................................................................................... pág. 2.02


• Climatização/Ar-condicionado ................................................................... pág. 3.04 à 3.12

• Abertura do capô do motor ........................................................................ pág. 4.02 à 4.03


• Níveis (óleo do motor, lava-vidros) ............................................................ pág. 4.04 à 4.11

• Estepe ..................................................................................................................... pág. 5.02

• Conselhos práticos (troca de lâmpadas,


fusíveis, anomalias de funcionamento) .................................................... pág. 5.02 à 5.33
0.02
S U M Á R I O
Capítulos
Conheça o seu automóvel ................................................. 1

Condução .......................................................................... 2

Conforto ............................................................................. 3

Manutenção ....................................................................... 4

Conselhos práticos ............................................................ 5

Características técnicas .................................................... 6

Índice alfabético ................................................................ 7

0.03
Pressões de enchimento dos pneus - em psi (em bar), a frio.
Atenção: a profundidade mínima legal dos sulcos dos pneus, no Brasil, é de 1,6 mm.

Versões 1.6 l - 16 V 2.0 l - 16 V


Utilização normal
• Na frente 31 (2,2)
• Atrás 28 (2,0)

Plena carga (1)


• Na frente 34 (2,4)
• Atrás 35 (2,5)

Estepe 35 (2,5)

Dimensões dos 185/65 R15 195/60 R15


pneus 195/60 R15

Dimensões das rodas 6 J 15

Segurança dos pneus e instalação de correntes


Consulte no capítulo 5: «Pneus», para conhecer as condições de manutenção, versões, e a possibilidade de utilização de
correntes para a lama ou neve.

(1) Particularidade dos veículos utilizados em plena carga (Massa máxima autorizada com a carga) e com reboque.
A velocidade máxima não pode ser superior a 100 km/h e à pressão dos pneus devem ser acrescentadas de 2 a 3 psi (0,2 bar).
Para conhecer as massas, consulte no capítulo 6: «Massas».

0.04
Capítulo 1: Conheça o seu automóvel

Chaves - Telecomando ................................................................................................................. 1.02 à 1.03


Portas ............................................................................................................................................ 1.04 à 1.07
Sistema antiarranque ....................................................................................................................... 1.08 à 1.09
Apoios de cabeça - Bancos............................................................................................................... 1.10 à 1.12
Cintos de segurança/Sistemas de segurança complementares dos cintos de segurança dianteiros ............. 1.13 à 1.22
Segurança das crianças ................................................................................................................ 1.23 à 1.26
Posto de condução ....................................................................................................................... 1.27 à 1.28
Quadro de instrumentos .............................................................................................................. 1.29 à 1.33
Computador de bordo ........................................................................................................... 1.34 à 1.36
Hora e temperatura exterior ............................................................................................................. 1.37
Retrovisores .................................................................................................................................. 1.38 à 1.39
Volante de direção .................................................................................................................................. 1.39
Sinalizações sonora e luminosa ............................................................................................................. 1.40
Luzes e sinalização externas ....................................................................................................... 1.41 à 1.42
Regulagem dos faróis .................................................................................................................1.43 à 1.44
Desembaçador do vidro traseiro / pára-brisa ........................................................................................ 1.45
Limpador do pára-brisa ............................................................................................................... 1.46 à 1.47
Tanque de combustível ................................................................................................................ 1.48 à 1.49
Extintor .................................................................................................................................................... 1.49
1.01
CHAVES E TELECOMANDO PARA TRAVAMENTO ELÉTRICO DAS PORTAS
Telecomando para travamento Raio de ação do Telecomando
O travamento e a liberação das portas são Varia conforme as condições do local.
feitos com o telecomando 1. Cuidado ao manusear o telecomando,
O telecomando 1 é alimentado por bate- pois poderá haver liberação ou trava-
rias (consulte capítulo 5 - “Baterias”). mento involuntária das portas.

Travamento e liberação das portas Nota: Caso nenhuma porta seja aberta
Pressione o corpo do telecomando , em 30 segundos, após a ação de
o indicador 3 acende-se, assinalando liberação pelo telecomando, o trava-
o travamento ou a liberação das portas. mento será ativado automaticamente.

O travamento é identificado por dois


1 3 2 acendimentos do pisca-alerta. Quando
o veículo está equipado com alarme,
dois sinais sonoros da buzina também
Chaves são acionados.

1 Telecomando para travamento das A liberação é identificada por um


portas, da tampa do compartimen- acendimento do pisca-alerta. Quando
to de bagagens e da tampa do o veículo está equipado com alarme,
tanque de combustível. um sinal sonoro da buzina também é
Acionador/inibidor do sistema de acionado.
alarme. Nunca saia do veículo
deixando a chave no contato
2 Chave de ignição, desbloqueador e crianças (ou animais) no
do sistema antiarranque, abertura seu interior. Estes poderiam acionar
manual das portas, tampas do o motor ou os levantadores elétricos
compartimento de bagagens e do de vidros correndo o risco de
tanque de combustível. provocar ferimentos graves por
esmagamento de partes do corpo
(pescoço, braço, mão).

1.02
CHAVES E TELECOMANDO PARA TRAVAMENTO ELÉTRICO DAS PORTAS (cont.)
Interferências
Caso necessite de outra chave ou tele-
Em função do ambiente próximo comando, dirija-se a um Concessionário
(instalações externas ou utilização Renault.
de aparelhos que funcionam na mesma • Para a substituição das chaves, é
freqüência que o telecomando), o necessário dirigir-se a um Conces-
funcionamento do telecomando pode sionário Renault, com o veículo e
sofrer interferências. todas as suas chaves.
• Não é possível utilizar mais do que
quatro chaves (incluindo o teleco-
mando) por veículo.

Avaria no Telecomando
• Verifique se as baterias estão em
bom estado.
• Verifique se o telecomando está bem
sintonizado.

Consulte o capítulo 5 “Baterias”.

1.03
ABERTURA DAS PORTAS

4
1

Abertura manual pelo lado externo Abertura manual pelo lado Trava de segurança para crianças
Porta dianteira esquerda: destrave interno Para impossibilitar a abertura das
com a chave a fechadura 2 de uma das Puxe a maçaneta 4. portas traseiras pelo lado interno,
portas dianteiras e puxe a maçaneta 1 desloque a alavanca 5 de cada uma
em sua direção. das portas, verificando em seguida se
Advertência de Faróis Ligados - ao estão bem travadas.
Portas traseiras - ao abrir a porta abrir uma das portas com a ignição
dianteira, levante manualmente o desligada e as luzes acesas, entrará Movendo a alavanca para o lado de
botão/trava 3 de cada uma das portas em ação um alarme sonoro de fora do veículo, a porta fica travada
traseiras para destravá-las, puxando advertência, indicando o perigo de para abertura pelo lado interno,
a maçaneta em sua direção. descarga de bateria. movendo a alavanca para o lado interno
do veículo a porta fica destravada para
abertura pelo lado interno.

1.04
TRAVAMENTO / LIBERAÇÃO DAS PORTAS

Porta traseira
Comando elétrico
Travamento manual O sistema elétrico de trava das portas
permite travar/destravar simultanea-
Portas traseiras e dianteira direita mente as quatro portas, o comparti-
Pressione o botão 1 de cada porta. mento de bagagens e a tampa do tanque
de combustível. Para travar, pressione
Porta dianteira esquerda o ponto vermelho do botão 2.
Pelo lado externo, utilize a chave. Para liberar, pressione o lado oposto ao
ponto vermelho do botão 2.

Nota:
As portas dianteiras não poderão ser
travadas se estiverem abertas.

1.05
TRAVAMENTO / LIBERAÇÃO DAS PORTAS (cont.)

Indicador de travamento / liberação


das portas 3
O indicador luminoso 3 informa, Quando as portas são travadas com
quando a ignição está ligada, sobre o o telecomando, o indicador 3 per-
estado de fechamento das portas: manece aceso durante aproximada-
mente um minuto apagando-se logo
- se as portas estiverem travadas, o depois.
indicador 3 se acende;

- se uma das portas estiver aberta (ou


mal fechada) o indicador 3 não se
acende. Ao circular com as portas
travadas, é importante saber
que, em caso de urgência,
isso poderá dificultar o acesso do
socorro ao habitáculo.
1.06
TRAVAMENTO AUTOMÁTICO DAS PORTAS COM O VEÍCULO EM MOVIMENTO
1.Para desativar o travamento
automático do veículo:
Com a ignição ligada, pressione o
botão-trava-elétrica das portas 1 no
sentido da liberação (contrário ao
ponto vermelho) durante cerca de 5
segundos, até ouvir um alarme sonoro
(bip).

2.Para reativar o travamento


automático do veículo: 2
Com a ignição ligada, pressione o
1
botão-trava-elétrica das portas 1 no
sentido do travamento (ponto vermelho)
durante cerca de 5 segundos, até ouvir
um alarme sonoro (bip).
Princípio de funcionamento Anomalia de funcionamento
Ao dar a partida do veículo, o sistema Se for constatada uma anomalia de
trava automaticamente as portas ao funcionamento (não ocorrerá o trava-
ser atingida uma velocidade de apro- mento automático, o indicador 2 não
ximadamente 6 km/h. se acende ao ser acionado o trava-
A liberação é acionada automatica- mento das portas...), verifique em
mente: primeiro lugar que todas as portas
estejam bem fechadas. Se as portas
Somente em caso de choque - quando o botão de destravamento estiverem de fato bem fechadas, consulte
frontal, simultaneamente ao das portas 1 é pressionado. um Concessionário Renault.
disparo dos «air bags», as
portas se destravarão automatica- - caso seja aberta qualquer uma das
mente. portas, a mesma voltará a se travar
automaticamente assim que o veículo
Ao circular com as portas travadas,
alcançar uma velocidade de apro-
é importante saber que, em caso
ximadamente 6 km/h.
de urgência, isso poderá dificultar
o acesso do socorro ao habitáculo.
1.07
SISTEMA ANTIARRANQUE
Este sistema impossibilita a partida Indicadores do sistema antiar-
do motor a quem não disponha da ranque
chave codificada do sistema de ignição.
Indicador de funcionamento do
sistema
1
Ao ligar a ignição, o indicador 1
acende-se durante cerca de três
segundos e em seguida se apaga.
Pode ser acionado o motor de partida.

Indicador de proteção do veículo


Alguns segundos após desligar a
ignição, o indicador 1 mantém-se
intermitente.
Princípio de funcionamento O veículo estará protegido somente
O veículo fica automaticamente prote- após retirar a chave da ignição.
gido, alguns segundos após retirar a
chave do sistema de ignição.
Quando a ignição é ligada, o indicador 1
acende-se durante alguns segundos e depois
Qualquer intervenção ou se apaga.
modificação no sistema
O veículo identificou o código, pode ser
antiarranque (caixas
acionado o motor de partida.
eletrônicas, fiação, etc.) pode ser
perigosa, por isso deve ser sempre Se o código da chave não for reconhecido
executada por técnicos da Rede pelo veículo, o indicador 1 permanece
Renault. intermitente e é impossível dar a partida
do veículo.

1.08
SISTEMA ANTIARRANQUE (cont.)
Em caso de avaria da chave codifi-
cada, utilize a segunda chave entregue
com o automóvel.
Se esta não estiver disponível, contate
1 imediatamente um Concessionário
Renault. Estes são os únicos habili-
tados a manusear o sistema antiar-
ranque.

Indicador de anomalia de funciona-


mento
Após ligar a ignição, se o indicador
1 continuar piscando ou permanecer
aceso indica uma anomalia de
funcionamento do sistema.

Com o veículo em movimento, se o


indicador 2 piscar, em desaceleração
ou em marcha lenta, indica uma
anomalia de funcionamento do sistema.

1.09
APOIOS DE CABEÇA DIANTEIROS

Para subir ou descer o apoio, Para subir ou descer o apoio,


puxe o apoio de cabeça na sua direção e pressione a lingueta 1 das guias e faça
faça deslizar as duas hastes simultanea- deslizar o apoio verticalmente.
mente.
Para retirá-lo,
Para retirá-lo, pressione a lingüeta 1 puxe o apoio de cabeça
puxe-o para cima, levante a lingüeta 1 e para cima e, em seguida, retire-o.
retire-o.
Para colocá-lo,
Para regular a inclinação, introduza as hastes nos orifícios do encosto,
separe ou aproxime a parte dianteira A do com a parte dentada voltada para a frente. O apoio de cabeça é um
apoio até obter o conforto desejado. Pressione a lingüeta 1 e desça o apoio até elemento de segurança.
introduzí-lo completamente. Utilize-o em todos os deslo-
Para colocá-lo,
introduza as hastes nos orifícios do encosto, camentos e na posição correta.
com a parte dentada voltada para a frente. A distância entre a cabeça e o apoio
Abaixe o apoio de cabeça até ficar travado. deve ser mínima. As partes supe-
riores da cabeça e do apoio devem
estar no mesmo nível.
1.10
APOIOS DE CABEÇA TRASEIROS

Para regular a altura, Posição "guardado",


faça-o deslizar verticalmente.
pressione as lingüetas 1 das guias e
Para retirá-lo, introduza completamente o apoio.
pressione a lingüeta 1 das guias do
A posição do apoio completamente
apoio e puxe-o para cima.
para baixo é uma posição de reco-
lhimento: não deve ser utilizada
Para colocá-lo,
quando um passageiro estiver ocupando
introduza as hastes nos orifícios do O apoio de cabeça é um
o assento traseiro.
encosto, com a parte dentada virada elemento de segurança.
para a frente, e desça o apoio até a Utilize-o em todos os deslo-
altura desejada. camentos e na posição correta.
A distância entre a cabeça e o apoio
deve ser mínima. As partes supe-
riores da cabeça e do apoio devem
estar no mesmo nível.

1.11
BANCOS DIANTEIROS

1 4
2 3

Regulagem dos bancos dianteiros Para regular a altura do banco do Para regular o apoio de braço central
motorista (conforme versão), (somente para algumas versões),
Para avançar ou recuar o banco, levante a alavanca 3. abaixe o apoio de braço 5 até travá-lo
levante a alavanca 1 para destravá-lo. e pressione o botão 6 para regular a
Quando se encontrar na posição dese- Para regular o encosto do banco altura desejada.
jada, abaixe a alavanca e verifique se do motorista (regulagem lombar),
o banco está bem travado. gire o botão 4.

Para inclinar o encosto, Verificar que os encostos


Para a sua segurança, efetue
gire o botão 2 e incline o encosto até dos bancos estejam bem
as regulagens com o veículo
a posição desejada. travados.
parado.
Para não prejudicar a eficácia dos Não deixar nenhum objeto no piso
cintos de segurança, aconselhamos (lugar do condutor): em caso de
não inclinar demasiadamente os frenagem brusca, os objetos podem
encostos dos bancos para trás. deslizar sob os pedais e impedir a
utilização dos mesmos.
1.12
CINTOS DE SEGURANÇA
Para a sua segurança, aconselhamos Regulagem da posição de condução
utilizar o cinto em todos os seus deslo- • Sente-se corretamente no banco (é
camentos. Além disso, respeite a legis- essencial para o bom posicionamento
lação do país onde estiver. das vértebras lombares).

Antes de dar a partida do motor, • Regule o assento em função dos pedais.


regule: O seu banco deve estar na posição 1
- a posição de condução; mais recuada possível, mas que permita
- depois, ajuste o cinto corretamente, pressionar totalmente o pedal da
para maior proteção. embreagem. A posição do encosto
deve permitir que os braços fiquem
ligeiramente flexionados.
2
• Regule a posição do apoio de cabeça.
Para maior segurança, a distância entre Regulagem dos cintos de segu-
a cabeça e o apoio deve ser mínima. rança
Mantenha-se bem apoiado no encosto
• Regule a altura do assento. Esta regu- do banco.
lagem permite otimizar a sua visão
Cintos de segurança mal- de condução. O segmento 1 do cinto deve ficar o
ajustados podem causar mais próximo possível do pescoço,
graves lesões em caso de • Regule a posição do volante. (Se mas sem tocá-lo.
acidente. disponível). Consulte o tópico volante O segmento 2 deve assentar bem nas
de direção para maiores informações. coxas e na bacia.
As mulheres grávidas também
devem utilizar o cinto. Nesse caso, O cinto deve adaptar-se bem ao corpo
é necessário controlar que a correia Somente realize estes ajustes com o (evite roupas muito grossas, objetos
do cinto não exerça demasiada veículo parado. intercalados, etc.).
pressão sobre o abdômen.

1.13
CINTOS DE SEGURANÇA (cont.)

3 7

4
5
6
6

Regulagem da altura do cinto dos Em caso de bloqueio total do cinto: Indicador de travamento do cinto
bancos dianteiros - puxe-o lentamente, mas de forma de segurança do motorista
Desloque o botão 3 para selecionar a enérgica, de modo que se solte cerca O indicador 7 aceso, alerta para o não
sua posição de regulagem, de tal forma de 3 cm; travamento ou má fixação do cinto de
que o segmento 1 fique posicionado - deixe que se enrole; segurança do motorista. Assim que o
como indicado anteriormente. Uma - desenrole-o novamente; cinto estiver corretamente travado, o
vez efetuada a regulagem, certifique- - se o problema persistir, consulte indicador 7 se apaga.
se do correto travamento. um Concessionário Renault.

Para utilizá-lo, Para soltá-lo,


Puxe-o lentamente e de uma só vez pressione o botão 5 da caixa 6: o cinto
até engatar a lingüeta 4 na caixa 6 é recuperado pelo enrolador.
(verifique o travamento puxando pela
Acompanhe a lingüeta com a mão,
lingüeta 4). Se o cinto se bloquear ao
para facilitar esta operação.
ser desenrolado, deixe que recue um
pouco e puxe-o novamente.
1.14
CINTOS DE SEGURANÇA TRASEIROS

2
3 4
5
6

Cintos laterais traseiros


Puxe lentamente o cinto 2 do seu Prenda a lingüeta 3 na caixa preta 4 . Prenda a lingüeta deslizante 5 na caixa
alojamento. vermelha 6.

Faça-o passar obrigatoriamente pela


guia de cinto 1.

Funcionalidade dos bancos tra-


seiros.
Consulte o capítulo 3.

1.15
CINTOS DE SEGURANÇA TRASEIROS (cont.)

2
1 3 4

Cinto central traseiro


Puxe lentamente o cinto do seu Prenda a lingüeta 2 na caixa preta 3. Prenda a lingüeta deslizante 4 na caixa
alojamento 1. vermelha 5.

1.16
CINTOS DE SEGURANÇA
Informações importantes sobre os cintos dianteiros e traseiros do veículo.

Não se deve proceder a nenhuma modificação dos elementos de fixação montados originalmente: cintos, bancos
e respectivas fixações.
Para os casos particulares (ex.: instalação de uma cadeira para criança, etc.), consulte o seu Concessionário Renault.

Não utilize dispositivos que possam provocar folgas nos cintos (pinças, clips, etc.).

Nunca faça passar o cinto por baixo do braço do lado da porta, nem por trás das costas.

Não utilize o mesmo cinto para mais de uma pessoa (não abrace com o cinto uma criança que tenha ao colo).

O cinto não deve estar torcido.

Depois de um acidente grave, proceda à substituição dos cintos utilizados nessa ocasião. Da mesma forma, substitua
os cintos que apresentem qualquer deformação ou degradação.

Ao retornar o banco traseiro a sua posição, certifique-se do correto posicionamento do cinto de segurança, de forma que
possa ser utilizado corretamente.

Durante a condução, se necessário, volte a ajustar a posição e a tensão do cinto.

1.17
SISTEMAS DE SEGURANÇA COMPLEMENTARES DOS CINTOS DE SEGURANÇA DIANTEIROS
A segurança do cinto dianteiro é Sistema de Limitação de Esforços
completada pelos dispositivos a seguir: Integrado (L.E.I.)

• Sistema de limitação de esforços Se a violência do choque exigir, um


integrado sistema composto por uma barra de
• Bloqueador do cinto de segurança torção dentro da bobina, localizada
• Air bag nos lugares dianteiros no mecanismo em que é preso o cinto
de segurança (chamados de Sistema de
(descritos nas páginas seguintes).
Limitação de Esforços Integrado)
permite a redução da pressão do cinto
Estes sistemas foram concebidos para sobre o tórax, limitando, a um nível
funcionar separados ou em conjunto, suportável, o choque do corpo contra
em caso de choques frontais. Conforme o cinto. Este sistema só funciona com
a violência do choque, há duas situações o cinto de segurança atado.
possíveis:
- Apenas o cinto de segurança garante
a proteção.
- O Air bag e o sistema de limitação
de esforços atuam ao mesmo tempo,
nos casos de choques mais violentos.

Em caso de acidente, dirija-se a uma


Concessionária Renault, verifique e
substitua, se necessário, os elementos
do sistema de limitação de esforços.

1.18
SISTEMAS DE SEGURANÇA COMPLEMENTARES DOS CINTOS DE SEGURANÇA DIANTEIROS (cont.)
Os «air bags» não substituem
os cintos de segurança, que
devem ser utilizados por
todos os ocupantes e em todos os
deslocamentos.

O sistema «air bag» pode ser


acionado mesmo sem que os
ocupantes estejam usando o cinto
de segurança. Porém, o «air bag» foi
criado para funcionar conjunta e
simultaneamente ao cinto de
segurança. Se o ocupante não estiver
usando o cinto de segurança, na
«Air bag» condutor e passageiro Quando há um impacto violento (do ocorrência de um choque, a abertura
tipo frontal) e o veículo atinge um do «air bag» pode contundi-lo
Pode equipar os dois lugares dianteiros. gravemente, dado o descontrole da
determinado limite de desaceleração,
A presença dos «air bags» é indicada as bolsas enchem-se com gás (em cerca posição deste ocupante no veículo.
por meio da palavra «air bag», gravada de 0,03 segundos), provocando o
no volante e no painel de bordo, e amortecimento do impacto da cabeça Pode não haver acionamento do
por um adesivo colado na parte inferior e do tórax do condutor sobre o volante «air bag» em casos de choques
do pára-brisa. e o amortecimento do impacto da laterais, traseiros, capotagens laterais
cabeça do passageiro sobre o painel de e pequenos e médios choques
Funcionamento bordo, esvaziando-se logo em seguida, frontais.
a fim de evitar qualquer dificuldade
O sistema só é ativado ao ligar a ignição
para sair do veículo.
(chave da ignição na posição «M»).

1.19
SISTEMAS DE SEGURANÇA COMPLEMENTARES DOS CINTOS DE SEGURANÇA DIANTEIROS (cont.)
«Air bag» condutor e passageiro
O processo de enchimento
(continuação)
rápido das bolsas do sistema
Cada «air bag» é composto de: de «air bag» utiliza um gás
- uma bolsa inflável e seu respectivo não tóxico que atinge alta
gerador de gás montados no volante, temperatura e pode ser prejudicial
para o lugar do condutor, e no painel à pele; há risco de queimadura e/ou
de bordo, para o lugar do passageiro; de lesões.
- uma caixa eletrônica comum que
integra o sensor de impacto e comanda
o detonador elétrico do gerador de 1
gás; Aviso sobre o tempo de vida
dos air bags
- um indicador de alerta comum 1
no quadro de instrumentos. Os sistemas pirotécnicos
dos air bags possuem um tempo
de vida limitado. Devem ser
Anomalias de funcionamento
substituídos, exclusivamente por um
Ao ligar a ignição, o indicador 1 acende- Concessionário Renault, após 10
se no quadro de instrumentos e apaga- anos de uso do veículo ou sempre
se alguns segundos depois. Se não se que tenham funcionado.
acender, se piscar ou se permanecer
Não respeitar a data de validade
constantemente aceso, indica uma
do sistema «air bag» conduz à
avaria do sistema.
alteração das condições de segurança
do veículo.
Consulte o mais rapidamente possível
o seu Concessionário Renault. Qualquer
demora nesta consulta significa uma
perda na eficácia da proteção. Estudos já comprovaram que os
efeitos indesejáveis que possam
ocorrer por acionamento do «air
bag» são minorados se comparados
à proteção que ele proporciona.

1.20
SISTEMAS DE SEGURANÇA COMPLEMENTARES DOS CINTOS DE SEGURANÇA DIANTEIROS (cont.)
As indicações a seguir devem ser respeitadas para que não haja qualquer obstáculo à abertura da bolsa inflável.

«Air bags» condutor e passageiro


Qualquer intervenção ou modificação no sistema «air bag», condutor ou passageiro (caixa eletrônica, fiação...)
é rigorosamente proibida (exceto se for realizada por um Concessionário Renault);
só os especialistas da Rede Renault estão habilitados a intervir no «air bag», para preservar o seu correto funcionamento
e para evitar que o sistema dispare inadvertidamente, podendo ocasionar incidentes;

para a sua segurança, mande verificar o sistema «air bag» se o veículo tiver sido acidentado, roubado ou assaltado;
quando emprestar ou vender o veículo, informe o usuário ou o novo proprietário destas condições e entregue-lhe este
Manual;
se o seu veículo tiver de ficar imobilizado, dirija-se ao seu Concessionário Renault, para a eliminação da(s) carga(s) detonante(s);

com o veículo em movimento e à frente do equipamento de «air bag» nunca tenha nas mãos, rosto ou sobre o colo
objetos pontiagudos que possam agravar as condições em casos de acidentes, caso venham a chocar-se contra o «air bag»;

não colocar os pés sobre o painel de bordo e, de modo geral, manter afastada do painel qualquer parte do corpo (joelhos,
mãos, cabeça).

o uso de óculos poderá causar lesões no caso de acionamento do sistema.

«Air bag» condutor


nunca modifique o volante ou a bolsa inflável;
nunca cubra a bolsa inflável;

não colar, nem fixar objetos (emblema, relógio...) no painel de bordo, na zona do «air bag»;

não colocar nada entre o passageiro e o painel de bordo (animal, guarda-chuva, vara de pesca, embrulhos...);

a desmontagem do volante é proibida (exceto se for executada por técnicos especializados da Rede Renault);
não dirija em uma posição demasiado próxima do volante: adote uma posição de condução com os braços ligeiramente
flexionados (consultar: «Regulagem da posição de condução»). Esta posição garantirá um espaço suficiente para um correto
enchimento da bolsa.
1.21
SISTEMAS DE SEGURANÇA COMPLEMENTARES DOS CINTOS DE SEGURANÇA DIANTEIROS (cont.)
«Air bag» passageiro (se
disponível): local 1

É PROIBIDO INSTALAR UMA


CADEIRA PARA CRIANÇAS NO
BANCO DO PASSAGEIRO
DIANTEIRO, QUANDO O VEÍCULO
ESTIVER EQUIPADO COM «AIR
1 BAG» PARA PASSAGEIRO. HÁ
RISCO DE FERIMENTOS GRAVES
SE O «AIR BAG» FOR ACIONADO.

Air bag passageiro ou porta objetos

1.22
SEGURANÇA DAS CRIANÇAS
A segurança das crianças depende É importante utilizar dispositivos de
também de você. Por isso, respeite as retenção homologados e adaptados à
recomendações seguintes: idade, ao peso da criança e ao veículo. Os dispositivos de segurança para
crianças apresentam-se em 3
A utilização de dispositivos de categorias:
A Renault dispõe de diversos sistemas Categoria 1 : de 9 a 18 kg
segurança para bebês e crianças está de segurança devidamente testados e
devidamente regulamentada. Categoria 2 : de 15 a 25 kg
homologados. Categoria 3 : de 15 a 36 kg
Respeite as leis do país onde estiver.
Um choque a 50 km/h corresponde a
uma queda de 10 m de altura. Isso
significa que não proteger devidamente
uma criança é o mesmo que deixá-la
brincar na varanda de um terceiro
andar, sem proteção.
Bebês e crianças nunca
Por isso, uma criança não deve ser
devem ser transportados no
protegida sem critério:
colo dos ocupantes do
- até os 6 meses, o peso da cabeça veículo.
representa mais da metade do peso
Em caso de choque frontal a 50
do corpo;
km/h, uma criança de 30 kg
- até os dez anos, a bacia ainda não está transforma-se em um projétil de
completamente formada; uma tonelada: será impossível
- a criança pode sofrer graves lesões protegê-la mesmo se você estiver
cervicais ou abdominais. atado.
Também, é particularmente perigoso
proteger a criança com o cinto
quando esta estiver sentada no colo É proibido instalar qualquer
de um dos ocupantes. Nunca utilize dispositivo de segurança,
um único cinto para proteger duas para bebês ou crianças, no
ou mais pessoas ao mesmo tempo. banco central traseiro.

1.23
SEGURANÇA DAS CRIANÇAS (cont.)
A escolha adequada
Para garantir a proteção máxima das
crianças, recomendamos a utilização
de assentos específicos propostos pela
RENAULT.
Existem sistemas de retenção adaptados
a todas as categorias, sistemas
desenvolvidos em colaboração com
os fabricantes e testados nos veículos
RENAULT.
Solicite a orientação de seu
Concessionário RENAULT e a ajuda
necessária para a instalação do sistema.
1 2

Categoria 1 Categoria 2 (15 a 25 kg)


Até os dois anos de idade, o pescoço Para proteger corretamente a bacia de
da criança é muito frágil. A criança, na uma criança de 4 a 7 anos, utilize de
posição para a frente, corre o risco de preferência cadeiras que possam ser
sofrer lesões cervicais em caso de combinadas com os cintos de segurança
choque frontal. três pontos. Ou seja: um suplemento
Entre 2 e 4 anos, a bacia não está equipado com guias do cinto (figura 2)
completamente formada para ser que obriguem o cinto três pontos a se
utilizado o cinto três pontos do veículo, manter plano sobre as coxas da criança.
e a criança corre o risco de sofrer lesões Para colocar o cinto o mais próximo
abdominais em caso de choque frontal. possível do pescoço, mas sem tocá-
Por essas razões, a Renault preconiza lo, é aconselhável utilizar um
a posição "de costas" para a frente, suplemento com encosto regulável em
utilizando uma cadeira envolvente altura e uma guia do cinto.
equipada com cintos (figura 1).

1.24
SEGURANÇA DAS CRIANÇAS (cont.)
Caso seja utilizado um suplemento
sem encosto (figura 3), o apoio de
cabeça do veículo deverá ser regulado 4
em função da estatura da criança; a
parte superior do apoio deverá ter a
mesma altura que a parte superior da
cabeça da criança e nunca deverá ser
instalado abaixo da altura dos olhos.

Categoria 3
Para as crianças maiores de 7 anos,
convém utilizar um suplemento
equipado com guias que obriguem o
cinto três pontos a se manter plano
sobre as coxas da criança.

PERIGO
É proibido instalar uma cadeira de criança no banco do passageiro
dianteiro, quando o veículo estiver equipado com «air bag»
para passageiro dianteiro. Há risco de ferimentos graves se o «air bag»
disparar.
Encontre esta indicação no adesivo 4 (no pára-brisa).

1.25
SEGURANÇA DAS CRIANÇAS (cont.)

SEGURANÇA DAS CRIANÇAS


• Os elementos de fixação montados de origem não podem ser modificados: cintos de segurança, bancos e
respectivas fixações;
• siga com precisão, as instruções no manual de montagem do fabricante do dispositivo de segurança;
• evite vestuário muito grosso, não coloque qualquer objeto entre a criança e o dispositivo de segurança;
• o cinto do veículo deve estar bem esticado, para melhor fixar a cadeira da criança ao veículo. Verifique regularmente a
tensão;
• nunca passe o cinto por baixo do braço, nem por trás das costas;
• os cintos devem ajustar-se o melhor possível ao corpo da criança;
• com o veículo em movimento, nunca deixe uma criança ir de pé ou ajoelhada nos bancos;
• verifique se a postura da criança está correta durante o trajeto, principalmente quando a mesma estiver dormindo;
• prenda sempre a cadeira com o cinto de segurança, ainda que não esteja ocupada; em caso de choque pode transformar-
se em um projétil para os outros ocupantes;
• depois de um acidente grave, mande verificar os cintos e todos os sistemas de segurança que estavam sendo utilizados
nesse momento;
• nunca deixe uma criança sozinha dentro do veículo, ainda que esteja fixada por um sistema de segurança;
• ative o bloqueio de abertura das portas traseiras pelo interior;
• tenha cuidado para que uma criança nunca saia do veículo do lado da via de circulação;
• dê um bom exemplo às crianças utilizando sempre o cinto de segurança.

1.26
POSTO DE CONDUÇÃO
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

30 29 28 27 26 25 24 23 22 15 14 13 12

21 20 18 17 16

1.27
19
POSTO DE CONDUÇÃO (cont.)
Os equipamentos abaixo indicados dependem da versão, das opções do veículo e do país, bem como podem ainda
estar em fase de implantação, não possuindo prazo definido de fabricação.
1 Desembaçador do vidro lateral 9 Indicador. 20 Porta objetos/compartimento refri-
esquerdo. • Portas abertas. gerado.
• Esquecimento de colocação do
2 Alavanca de comando de ilumi- 21 Cinzeiro e acendedor de cigarros.
cinto de segurança do motorista.
nação.
10 Interruptor. 22 Rádio/ CD.
• Pisca-pisca.
• Faróis. • Luzes de advertência (pisca
alerta). 23 Ignição.
• Farol de neblina – dianteiro.
• Luz de neblina – traseira. • Travamento elétrico das portas . 24 Buzina.

3 Quadro de instrumentos. 11 Desembaçador do vidro lateral 25 Controle de regulagem da altura do


direito. volante.
4 Air bag do motorista.
12 Difusor de ar direito. 26 Controle do difusor de ar lado
5 Controle remoto do rádio. esquerdo.
13 Controle difusor de ar direito. 27 Caixa de fusíveis.
6 • Alavanca para limpador e lavador
do pára-brisa e vidro traseiro. 14 Air bag do passageiro (ou porta- 28 Alavanca para abertura do
•Seletor das informações do objetos). compartimento do motor.
computador de bordo.
15 Porta-luvas. 29 Controles de:
7 Difusor central de ar. •Regulagem elétrica da altura dos
faróis.
16 Interruptor do desembaçador do •Reostato de iluminação do quadro
8 Display. vidro traseiro. de instrumentos.
• Horas. 17 Controle para entrada de ar. •Levantadores elétricos dos vidros
• Horas e temperatura. traseiros.
• Rádio, horas e temperatura ou 18 Alavanca de mudança de marcha. •Bloqueador dos levantadores
porta-objetos. elétricos dos vidros traseiros.
19 Freio de mão.
1.28 30 Difusor de ar esquerdo.
QUADRO DE INSTRUMENTOS
A disponibilidade e o funcionamento dos indicadores abaixo dependem do equipamento instalado, do modelo
do veículo e das exigências do país.
2 3 4a 4 5

1
6

11 9 8 7

Se estes indicadores se acenderem, pare imediatamente


Não descuide, contudo, das condições de tráfego.

1.29
QUADRO DE INSTRUMENTOS (cont.)
A presença e o funcionamento dos elementos abaixo indicados dependem do equipamento do veículo e do país.

1 Não utilizado. 3 Indicador do nível de combustível. 7 Hodômetro total ou parcial.


• Hodômetros total e parcial
4 Indicador de temperatura do líquido Legíveis 30 segundos após ligar
Não utilizado. a ignição.
de refrigeração
Em condições de utilização normais,
Indicador do Air bag o ponteiro deve situar-se antes da • Computador de bordo
Acende-se ao ligar a ignição. zona 4a com tracejado mais forte. Legível 30 segundos após ligar a
Apaga-se alguns segundos depois. Se Eventualmente, poderá atingir esta ignição. Consulte o capítulo 1,
ao ligar a ignição, não se acender zona em caso de utilização mais parágrafo "Computador de bordo".
ou ficar intermitente, indica uma severa. Nesse caso, você deve estar
avaria no sistema. Consulte o mais alerta, se o indicador se acender. 8 Botão multifunção
rapidamente possível o seu Conces- Ao ser pressionado sucessivamente,
sionário Renault. 5 Velocímetro (km por hora) permite selecionar informações que
A escala de graduação do velocímetro aparecem no visor e/ou zerar o
Indicador de luz de neblina
depende do veículo. hodômetro parcial.
traseira.
Indicador dos faróis de 9 Indicador de parada impe-
6 Não utilizado.
neblina dianteiros. rativa STOP
Apaga-se com o motor em funciona-
Indicador de desembaçador Não utilizado. mento. Acende-se juntamente com
do vidro traseiro. um dos indicadore abaixo ao ocorrer
uma falha imobilizante. Se se acender,
2 Conta-giros (graduação x 100). Indicador de farol alto. pare e verifique a falha. Caso
• Até 3.000 rotações, nas relações de necessário, chame um Concessionário
marcha intemediárias, para uma Renault.
condução econômica.
Indicador de farol baixo.

Não utilizado.

1.30
QUADRO DE INSTRUMENTOS
A disponibilidade e o funcionamento dos indicadores abaixo dependem do equipamento instalado, do modelo
do veículo e das exigências do país.
2 3 4a 4 5

1
6

11 10 9 8 7

Se estes indicadores se acenderem, pare imediatamente


Não descuide, contudo, das condições de tráfego.

1.31
QUADRO DE INSTRUMENTOS (cont.)
A presença e o funcionamento dos elementos abaixo indicados dependem do equipamento do veículo e do país.

9 Indicador do sistema 9 Indicador do pisca-pisca 9 Indicador de problema


antiarranque direito. no sistema eletrônico
Este indicador assegura diversas Acende-se ao ligar a ignição.
funções. Indicador de alerta grave Apaga-se 3 segundos depois.
de injeção / Indicador de Se se acender em movimento, indica
Consulte, neste capítulo: «Sistema
alerta da temperatura do pelo menos uma avaria no sistema
antiarranque».
líquido de arrefecimento. de injeção eletrônica ou elétrico.
Procure rapidamente o seu Conces-
Indicador de alerta SERVIÇO • Indicador de alerta grave de injeção sionário Renault.
Acende-se ao ligar a ignição Se piscar com o veículo em movi-
e apaga-se 3 segundos depois. Se se mento, é sinal de superaqueci- 9 Indicador de pressão de
acender com o veículo em movi- mento do motor ou de falha no óleo
mento, é recomendável consultar um sistema de injeção. Pare imedia- Apaga-se com o motor em funciona-
Concessionário Renault. tamente, desligue a ignição e chame mento. Se se acender com o motor
um Concessionário Renault. em movimento, pare de imediato e
Acende-se juntamente com os indi-
desligue a ignição. Verifique o nível
cadores:
• Indicador de alerta da tempe- do óleo. Se o nível de óleo estiver
ratura do líquido de arrefeci- normal, o problema tem outra causa
mento que deverá ser detectada por técnicos
Se se acender de maneira fixa especializados da rede Renault.
Indicador do pisca-pisca durante a marcha do veículo, pare
esquerdo. e deixe o motor funcionar em Indicador de carga da
marcha lenta durante um ou dois bateria
Indicador de nível mínimo minutos. A temperatura deve Deve apagar-se com o motor em
de combustível abaixar; se isso não ocorrer, desligue funcionamento; se se acender com
Apaga-se com o motor em funcio- o motor e verifique o nível do o veículo em movimento, indica
namento. Se se acender ou ficar ace- líquido de arrefecimento (após sobrecarga ou descarga do sistema
so, reabasteça logo que possível. deixá-lo esfriar). Chame um Conces- elétrico. Pare e mande verificar o
sionário Renault se necessário. sistema.

1.32
QUADRO DE INSTRUMENTOS (cont.)
A presença e o funcionamento dos elementos abaixo indicados dependem do equipamento do veículo e do país.

9 Indicador de acionamento 11 Indicador antibloqueio


do freio de estacionamento de rodas
e de problemas no sistema de freio Acende-se ao ligar a ignição. Apaga-
Se se acender ao frear, indica baixo se 3 segundos depois. Se se acender
nível de fluido no circuito; pode ser com o veículo em movimento,
perigoso prosseguir viagem. Chame indica avaria no sistema antiblo-
um Concessionário Renault. queio de rodas (a frenagem passa
a ser assegurada pelo sistema tradi-
10 Indicadores ligados ao funciona- cional). Consulte assim que possível
mento e/ou falha da transmissão seu Concessionário Renault.
automática
Consulte o capítulo 2, parágrafo
"Caixa de velocidades automática".

11 Indicador de controle
dos gases de escape
Nos veículos que o possuirem,
acende-se ao ligar a ignição e apaga-
se cerca de 3 segundos depois.
• Se se acender de modo contínuo,
consulte o mais rapidamente
possível o seu Concessionário
Renault;
• Se ficar intermitente, desacelere
até o indicador se apagar. Consulte
o mais rapidamente possível o seu
Concessionário Renault.
Consulte no capítulo 2: «Particu-
laridades de funcionamento». 1.33
COMPUTADOR DE BORDO
1) Com o botão 3 pressionado, acionar
a chave fazendo apenas contato (sem
realizar ignição do veículo);
2 2) Observar que o Quadro de Instru-
mentos entra no modo Auto-Teste com
1 os ponteiros se movimentando do início Nos primeiros quilômetros percor-
ao fim das escalas; ridos, após o Ponto de Partida, é possível
3) Pressionar o botão 2. constatar:
Esse procedimento retorna a Zero todas Os valores de consumo médio,
3 as funções do computador de bordo, autonomia e velocidade média são
exceto as funções hodômetro total e cada vez mais estáveis e significa-
parcial. tivos à medida que a distância percor-
rida aumenta desde o último Ponto
3 Botão seletor da visualização de Partida.
Mostra as informações abaixo por meio • O consumo médio pode diminuir
1 Visor de pressões breves e sucessivas : quando:
a) hodômetro total; - o veículo abandona uma fase de ace-
2 Botão de Ponto de Partida e reposição b) hodômetro parcial; leração;
a zero do hodômetro parcial c) combustível consumido;
d) consumo médio; - o motor alcança sua temperatura de
Para zerar o hodômetro parcial, o visor e) consumo instantâneo; funcionamento (Ponto de Partida com
deve estar selecionado como "Hodômetro f) autonomia prevista; motor frio);
Parcial". g) distância percorrida; - passa-se de uma condução urbana
Para zerar o Ponto de Partida do h) velocidade média. para uma condução em estrada.
computador de bordo, deve-se pres-
sionar o botão 2, não estando o visor Por conseqüência, se o consumo
Intermitência do visor
selecionado como “Hodômetro Parcial”. médio diminui, a autonomia aumenta.
Caso o visor fique intermitente, consulte
Reposição a zero do computador de um Concessionário Renault. • que o consumo médio aumenta com
bordo Se você deseja que a variáveis o veículo parado em marcha lenta.
das funções do computador de bordo Isso é normal, pois o módulo também
retornem ao valor zero, basta proceder Após o abastecimento, o computador computa a gasolina consumida em
da seguinte maneira: de bordo não volta automaticamente marcha lenta.
a zero.
1.34
COMPUTADOR DE BORDO (cont.)
Exemplos de seleção
do visor mediante pressões Interpretação da visualização
sucessivas em 3

a) Hodômetro total.

b) Hodômetro parcial.

c) Combustível consumido (em litros) desde o último Ponto de Partida.

d) Consumo médio (em km por l) desde o último Ponto de Partida.


Valor visualizado após um percurso de 400 metros e considerando a distância
percorrida e o combustível utilizado desde o último Ponto de Partida.

1.35
COMPUTADOR DE BORDO (cont.)
Exemplos de seleção
do visor mediante pressões Interpretação da visualização
sucessivas em 3

e) Consumo instantâneo (em km por l)


Valor visualizado depois de alcançar uma velocidade de 25 km/h e quando
existe aceleração do veículo (em marcha lenta ou em desaceleração aparecerá
_ _ _ . _ ).

f) Autonomia prevista com o combustível restante (em km)


Esta autonomia leva em conta o consumo médio realizado desde o último
Ponto de Partida.
Valor visualizado depois de um percurso de 400 metros.

g) Distância percorrida (em km) desde o último Ponto de Partida.

h) Velocidade média (em km/h) desde o último Ponto de Partida.


Valor visualizado depois de um percurso de 400 metros.

1.36
RELÓGIO E TEMPERATURA EXTERNA

1
Se houver alguma interrupção no
sistema de alimentação elétrica
(bateria desligada, fio de
H M alimentação cortado...), os valores
indicados deixam de ser confiáveis.
Neste caso, é prudente conferir, e
se necessário, efetuar a correção
com o veículo parado.

Relógio 1
O aparecimento das horas e da tempe-
ratura externa só acontecerá com a
ignição ligada.

Acerto das horas


Pressione a tecla
H para horas;
M para minutos.

1.37
RETROVISORES

A B

A B
C
E

1 2 D

Retrovisores externos de controle Retrovisores externos de controle


manual elétrico
Para orientar o retrovisor, manuseie Com a ignição ligada, gire o botão 2:
o botão 1. • Posição E para regular o retrovisor O espelho retrovisor externo
esquerdo. do lado do motorista é
• Posição D para regular o retrovisor composto por duas zonas
direito. distintas de visibilidade:
• C é a posição central inativa. • Zona B corresponde à visibilidade
de um retrovisor clássico.
• Zona A aumenta a visibilidade
lateral traseira para maior
segurança.
As imagens na zona A aparecem
muito mais afastadas do que, na
realidade, estão.

1.38
RETROVISORES (cont.) VOLANTE DE DIREÇÃO

1 2

Retrovisor interno Em alguns veículos, a altura do volante


É regulável. Ao dirigir à noite, para é regulável.
não ser incomodado pelos faróis do
veículo que o segue, regule a pequena
alavanca 1 do espelho. Regulagem
Abaixe a alavanca 2, coloque o volante
na posição desejada e levante novamen-
te a alavanca para fixá-lo. Ao estacionar, evite esterçar
a direção até os extremos
(direito ou esquerdo), pois
esta prática poderá causar problemas
na bomba de direção hidráulica.
Para a sua segurança, a Nunca desligue o motor com o veículo
regulagem do retrovisor e do em movimento, pois a parada do
volante devem ser feitas motor suprime as funções hidráulicas
somente com o veículo parado. do sistema de direção.

1.39
SINALIZAÇÕES SONORA E LUMINOSA

1 2 3

4 0
A

Buzina Pisca-alerta Pisca-piscas


Pressione as partes 1 ou 2 posicionadas Esta sinalização somente deve ser Desloque a haste 3 no plano do volante
nas raias do volante A. usada com o veículo parado. Pressione e no sentido em que desejar virar.
o interruptor 4.
Sinal de luzes Este dispositivo aciona simultanea-
Nota: na condução em auto-estrada, a
Para provocar um sinal luminoso, mente os seis pisca-piscas externos,
rotação do volante é geralmente
mesmo com a iluminação desligada, e internamente no painel de
insuficiente para reposicionar
puxe a alavanca 3 em sua direção. instrumentos piscam as setas do pisca-
automaticamente a haste na posição 0.
pisca.
Existe uma posição intermediária, na
Só deve ser acionado em caso de emer-
qual se deve manter a haste durante a
gência para avisar aos demais moto-
manobra. Ao soltar a haste, ela volta
ristas que:
automaticamente à posição 0.
• Você foi obrigado a parar num local
perigoso.

1.40
Alarme de luzes acesas
Ao abrir a porta do condutor com a
1 iluminação ligada e o motor desligado,
3 dispara um alarme sonoro alertando
1
sobre o esquecimento das luzes acesas
e consequentemente do perigo de
descarga da bateria.

Lanternas Farol alto


Gire a extremidade da haste 1, Com a haste 1 na posição de luz
até que este símbolo fique na direção da baixa, puxe-a na sua direção.
marca 3. Ao se acenderem os faróis altos, o
O quadro de instrumentos ilumina- indicador correspondente acende-se
se. É possível regular a intensidade no quadro de instrumentos.
luminosa girando o comando 2 (se o Para obter de novo a luz baixa, volte a
veículo o possuir). puxar a haste na sua direção. Antes de iniciar uma
viagem noturna:
Farol baixo Apagar a iluminação externa
Gire a extremidade da haste 1, Para apagar as luzes, reponha a haste - verifique o estado do equipamento
até que este símbolo fique na direção 1 na sua posição inicial. elétrico;
da marca 3. O indicador respectivo - regule os faróis, se não for
acende-se no quadro de instrumentos. trafegar nas condições de carga
habituais.

1.41
LUZES E SINALIZAÇÃO EXTERNAS (cont).
Ao desligar a iluminação externa,
automaticamente serão desligados os
faróis de neblina dianteiros e as luzes
4 de neblina traseiras, e o anel retornará
4 5
à posição de farol de neblina somente
dianteiro.

Faróis de neblina dianteiros Luzes de neblina


Gire o anel central 4 da haste, traseiras
até que o símbolo fique na direção da Gire o anel central 4 da haste, até que
marca 5. o símbolo fique na direção da marca
Os faróis de neblina só se acendem 5.
se, pelo menos, as lanternas estiverem As luzes de neblina só se acendem se,
acesas. O indicador correspondente pelo menos, as lanternas estiverem
se acende no quadro de instrumentos. acesas. O indicador correspondente
se acende no quadro de instrumentos.
Não se esqueça de desligar esta luz
quando sua utilização não for mais
necessária, para não incomodar os
outros motoristas.

1.42
REGULAGEM ELÉTRICA DA ALTURA DOS FARÓIS
Posições de regulagem do botão A
Posição 0 ou 1: Regulagem de base,
veículo com porta-malas vazio, só com
o condutor ou com um passageiro
dianteiro.

Posição 2: Veículo com porta-malas sem


carga e 5 pessoas a bordo.

A
Posição 3: Veículo com porta-malas
carregado e 5 pessoas a bordo.
O botão A permite corrigir a altura
dos faróis em função da carga.
Gire o botão A para baixo para descer Posição 4: Veículo com porta-malas
os faróis e para cima para levantá-los. carregado ao máximo, só com o condutor.
As posições de 0 a 4, estão descritas
no botão A.

1.43
REGULAGEM MANUAL DA ALTURA DOS FARÓIS

Regulagem dos faróis


Abra o capô e regule a altura dos
fárois dianteiros girando o regulador
2:
Sentido Horário: Aumento na altura
dos faróis.
Sentido Anti-Horário: Diminuição
na altura dos faróis.

Nas intervenções no compar-


timento do motor, lembre-
se de que o ventilador pode
entrar em funcionamento a qualquer
momento.

1.44
DESEMBAÇAMENTO
Desembaçamento do pára-brisa
Gire o botão 2 para a posição
Para maior eficácia, feche os difusores
de ar do painel de bordo.
Todo o fluxo de ar é dirigido para os
1 desembaçadores do pára-brisa e dos
2 vidros laterais dianteiros.

Desembaçamento do vidro
traseiro
Com o motor em funcionamento,
pressione o interruptor 1 (o indicador
respectivo acende-se no quadro de
instrumentos).
Esta função assegura o desembaçamento
do vidro.
Para desligá-la:
- pressione novamente o interruptor
1 (o indicador apaga-se).
- caso não seja desligado o interruptor
1, a função se desativará
automaticamente decorrido um
período de 10 a 15 minutos.

1.45
LIMPADOR E LAVADOR DO PÁRA-BRISA
• Do movimento contínuo rápido,
passa para o movimento contínuo
lento.
• Do movimento contínuo lento, passa
1 2 para o movimento intermitente.

Quando o veículo retoma o mo-


A vimento, o limpador passa para o
movimento selecionado.
B
Quando parado, qualquer ação na
C alavanca 1 é prioritária e anula o modo
3 automático.
D
Nota: em caso de bloqueio mecânico,
o sistema corta imediatamente a alimen-
tação do limpador do pára-brisa.
Limpador do pára-brisa Seleção da velocidade do
Com a ignição ligada, desloque, temporizador do pára-brisa
Lavador do pára-brisa
paralelamente ao plano do volante, a Com a ignição ligada, e o limpador
na posição de movimento intermitente Com a ignição ligada, puxe a haste 1
haste 1:
B, gire o anel 3 até que a marca 2 fique em sua direção.
• A Parado. na direção da graduação. Quanto maior Com temperaturas muito baixas,
a graduação, mais rápido será o verifique se as palhetas do limpador
• B Movimento intermitente. movimento de intermitência das do pára-brisa não estão presas ao vidro
Entre dois movimentos do palhetas. (risco de superaquecimento do motor).
limpador, as palhetas param Seleção automática da velocidade Verifique sempre o estado das palhetas.
durante alguns segundos. do limpador Elas devem ser substituídas assim que
• C Movimento contínuo lento. Em alguns veículos, quando selecio- a sua eficácia diminuir.
• D Movimento contínuo rápido namos uma velocidade do limpador de Se a ignição for desligada, com o
pára-brisa com o veículo em movi- limpador em movimento, as palhetas
mento, ao parar o veículo, imedia- param em qualquer posição.
tamente esta posição passa para a
velocidade inferior:
1.46
LIMPADOR E LAVADOR DO VIDRO TRASEIRO
Com tempo muito frio, verifique se
as palhetas do limpador do vidro
traseiro não estão imobilizadas pelo gelo
(risco de superaquecimento do motor).

1 1 Verifique o estado das palhetas. Devem


ser substituídas assim que a sua eficácia
diminuir.

2
2

Limpador do vidro traseiro Particularidade


com temporizador Em alguns veículos, se o limpador de
Com a ignição ligada, gire a extremidade pára-brisa estiver em funcionamento,
da haste 2, até que a marca 1 fique na ao engrenar a marcha à ré, o limpador
direção deste símbolo. de vidro traseiro executará um movi-
mento intermitente.

Limpador e lavador do vidro


traseiro
Com a ignição ligada, gire a extremidade
da haste 2, até que a marca 1 fique na
direção deste símbolo.
A haste, ao ser solta, passa para a
posição de limpador do vidro traseiro.

1.47
TANQUE DE COMBUSTÍVEL
Para abastecer:
Com o motor desligado, abra o capô e
remova a tampa do reservatório 3, girando-
a no sentido anti-horário.
2 3
Complete o reservatório do sistema de
partida a frio somente com gasolina aditi-
vada, evitando o derramamento.
1
Recoloque a tampa do reservatório, girando-
a no sentido horário.
Feche o capô.

Qualidade do combustível
Hi-Flex Utilize o combustível correspondente
à qualidade definida pelas normas
Abastecimento de combustível Sistema de partida a frio - Reservatório vigentes em cada país.
Capacidade do tanque: cerca de 60 litros. de gasolina para veículos com sistema Ver no capítulo 6: «Características dos
Hi-Flex (gasolina e álcool) motores».
A portinhola está equipada com o suporte
1, onde poderá ser colocada a tampa durante Para realizar o abastecimento de
o abastecimento. combustível no sistema de partida a
Para abrir a tampa, utilize o telecomando frio 3 , o reservatório está localizado no
da chave de ignição ou o interruptor de compartimento do motor ao lado direito.
travamento elétrico das portas no painel. Este reservatório tem capacidade de
A etiqueta 2 alerta para a necessidade de aproximadamente 0,6 litros.
usar gasolina sem chumbo para os veículos
a gasolina. Veículos Hi-Flex: Mantenha o
Nos veículos equipados com o sistema Hi- reservatório de partida a frio
Flex (gasolina e álcool), pode-se utilizar sempre abastecido, utilizando
uma mistura em qualquer proporção, tanto Veículos Hi-Flex: Utilize somente somente gasolina aditivada quando o
de gasolina quanto de álcool (álcool etílico gasolina sem chumbo e/ou álcool for o combustível do tanque prin-
hidratado carburante e gasolina sem chumbo). álcool hidratado. cipal. Ao abastecer, evite derramamento.

1.48
TANQUE DE COMBUSTÍVEL (cont). EXTINTOR DE INCÊNDIO
Reabastecimento de combustível
Veículos a gasolina
Utilize unicamente gasolina sem chumbo.
A utilização de gasolina com tetraetilo de
chumbo provocaria avarias nos dispositivos
antipoluição e poderia levar à perda da
garantia. 1
Para impedir a utilização de gasolina com 2
tetraetilo de chumbo, o bocal de enchimento
do tanque de combustível possui um 2
estrangulamento que só permite a entrada
da pistola das bombas de gasolina sem
chumbo.
1
- Introduza a pistola ao máximo e acione
o enchimento automático.
Abertura manual da portinhola O extintor de incêndio 1, posicionado
- Mantenha-a nesta posição durante toda sob o banco do motorista, é fixado de
a operação de abastecimento.
do tanque de combustível
forma a propiciar um acesso fácil e
- Depois da primeira parada automática da Em caso de pane elétrica que impossibilite
rápido.
bomba, próximo do fim da operação, é a abertura automática da portinhola do
Ao puxar a presilha da abraçadeira 2
possível continuar até provocar, no tanque de combustível, existe a possibilidade
o extintor de incêndio será liberado.
máximo, mais dois disparos automáticos. de abertura manual da mesma.
Com efeito, o depósito foi concebido de No compartimento de bagagens do lado
modo a dispor de um volume de expansão, direito, abra a tampa 1(presente em algumas
que deve ser preservado. versões), retire a tampa plástica interna e
desloque as duas camadas de espuma até
Veículos com Sistema Hi-Flex (gasolina localizar a argola de abertura. Puxe a argola
e álcool) 2, no sentido indicado, para destravar a
O motor deste veículo pode utilizar uma portinhola. O extintor de incêndio é
mistura tanto de gasolina quanto de álcool, Após o abastecimento, volte a travar a um item de segurança,
em qualquer proporção (utilize somente portinhola procedendo no sentido inverso. verifique regularmente as
gasolina sem chumbo e álcool etílico condições de validade e da carga.
hidratado carburante).
1.49
Capítulo 2: Condução
(conselhos de utilização ligados à economia e ao meio ambiente)

Amaciamento - Chave de ignição........................................................................................................ 2.02


Partida - Parada do motor...................................................................................................................... 2.03
Particularidades ................................................................................................................................... 2.04
Alavanca de mudança de marchas - Freio de estacionamento........................................................... 2.05
Direção hidráulica................................................................................................................................ 2.05
Conselhos antipoluição, economia de combustível................................................................... 2.06 à 2.08
Meio ambiente...................................................................................................................................... 2.09
Sistema antibloqueio das rodas: ABS..................................................................................................... 2.10
Auxílio em frenagem de urgência ....................................................................................................... 2.11
Utilização da caixa automática.................................................................................................... 2.12 à 2.14

2.01
AMACIAMENTO CHAVE DE IGNIÇÃO
Nos primeiros 1.000 Km, não ultra- Posição «Marcha» M
passe a velocidade de 130 Km/h ou a Nesta posição, a ignição está ligada e
rotação de 3.000/3.500 rpm, na relação os acessórios estão conectados.
de marcha mais elevada. Imediatamente após girar a chave para
esta posição, pode-se ouvir um zumbido
Após os 1.000 Km rodados, seu veículo característico da pressurização do
poderá ser utilizado sem limi- sistema de combustível por aproxi-
tações; embora somente após ter madamente 2 segundos, o que é normal.
r o d a d o 3.000 Km, ele alcançará o
desempenho especificado. Posição «Partida» D
Se o motor não der a partida, volte a
Para conhecer os períodos e tipos de chave para a posição inicial de partida
manutenção recomendados para seu antes de acionar novamente o motor
veículo, consulte o manual de de partida. Solte a chave assim que o
“GARANTIA E MANUTENÇÃO” motor começar a funcionar.

Posição «Stop e travamento da


direção» St
Para travar o volante, retire a chave e
gire-o até sentir a direção presa. Para
destravá-lo, movimente ligeiramente
chave e volante.
Posição «Acessórios» A
Com a ignição desligada, os eventuais
acessórios (rádio...) continuam funcio-
nando.
Os limites de velocidade
estabelecidos em cada país
devem ser respeitados.

2.02
PARTIDA / PARADA DO MOTOR
Partida do motor Parada do motor
Em caso de uma caixa automática Com o motor em marcha lenta, gire a
Consulte no capítulo 2 "Caixa chave na posição "Stop".
automática".

Particularidade dos veículos com sistema


antiarranque
Com tempo frio (abaixo de 20˚C), para
facilitar a partida, mantenha a ignição
ligada (chave na posição M) durante
alguns segundos antes de acionar o
motor de partida.
Certifique-se de que o sistema antiar-
ranque não está ativado. Consulte, no
capítulo 1: «Sistema antiarranque».

Injeção
Motor frio ou quente
- Acione o motor de partida sem
acelerar;
- solte a chave assim que o motor
começar a funcionar.

Nunca saia do veículo deixando a chave no contato e crianças (ou animais) no seu interior. Estes poderiam
acionar o motor ou os levantadores elétricos de vidros correndo o risco de provocar ferimentos graves por esmaga-
mento de partes do corpo.
Não desligue a ignição antes da parada completa do veículo. A parada do motor provoca a supressão das assistências:
freios, direção e dos dispositivos de segurança passiva, tais como «air bags».
Ao retirar a chave a direção é bloqueada.

2.03
PARTICULARIDADES
Condições de funcionamento do seu Se constatar as anomalias de funciona-
automóvel, tais como: mento acima descritas, dirija-se, logo
• condução prolongada com o indicador que possível, ao seu Concessionário
de nível mínimo de combustível Renault, para a execução dos reparos
aceso; necessários.
• utilização de gasolina com chumbo, Para evitar estes incidentes siga as
• utilização de aditivos para lubrifi- indicações de manutenção contidas
cantes ou de combustível não no manual «Garantia - Manutenção»
recomendados pela Renault; do veículo.

Ou anomalias de funcionamento, tais Problemas de partida


como: Para evitar provocar danos no cata-
lisador do veículo, não insista com
• ignição defeituosa, falta de gasolina tentativas de partida (utilizando o
ou velas desligadas, provocando motor de partida, empurrando ou rebo-
falhas de ignição ou irregularidades cando o veículo), sem identificar a
durante a condução, causa e reparar a avaria.
• perda de potência, Caso não consiga, não insista e chame
um Concessionário Renault.
provocam o aquecimento excessivo
do catalisador e, por isso, diminuem
a sua eficácia podendo mesmo provocar
a sua destruição ou avarias térmicas
no veículo.

Não estacione nem ligue o


motor em locais onde
substâncias ou materiais
combustíveis, tais como ervas ou
folhas secas, possam entrar em
contato com o sistema de escape.
2.04
ALAVANCA DE MARCHAS FREIO DE ESTACIONAMENTO DIREÇÃO HIDRÁULICA
Para destravá-lo Não mantenha o volante totalmente
Puxe ligeiramente a alavanca para esterçado para qualquer um dos lados,
cima, pressione o botão 2 e desça a até os extremos (risco de deterioração
alavanca até o piso. da bomba de assistência de direção).
1 Se trafegar com a alavanca parcial-
mente abaixada, o respectivo indi-
cador vermelho permanecerá aceso
2 no quadro de instrumentos.

Para travá-lo
Puxe a alavanca para cima.
A alavanca deverá percorrer cerca de
10 dentes até travar. O seu veículo
está equipado com um sistema de
regulagem automática da folga das
Para engatar a marcha à ré (veículo lonas traseiras, razão pela qual é
parado) desaconselhável a regulagem do freio
Coloque a alavanca na posição neutra de estacionamento fora das
(ponto morto); em seguida, levante o manutenções.
anel 1 até tocar o punho e engate a
marcha à ré.
As luzes de marcha à ré acendem-se Ao parar com o veículo e
logo que esta é engatada (ignição ligada). para evitar deslocamentos
intempestivos, acione
completamente o freio de esta-
cionamento. Nunca desligue o motor em
Ao sair com o veículo, verifique descidas, nem sob nenhuma
que o freio de estacionamento está outra condição, estando o
completamente solto, para evitar veículo em movimento (eliminação
riscos de superaquecimento. da assistência hidráulica e freio).

2.05
CONSELHOS ANTIPOLUIÇÃO, ECONOMIA DE COMBUSTÍVEL, CONDUÇÃO
A Renault participa ativamente na Manutenção Regulagens do motor
redução da emissão de gases po- Chamamos a atenção para o fato de
luentes e na economia de energia. que o desrespeito às normas • ignição: não necessita de nenhuma
Pela sua concepção, pelas suas regu- antipoluição pode provocar problemas regulagem;
lagens originais e pelo seu consumo mo- com as autoridades. Além disso, a
derado, o seu RENAULT está conforme substituição de peças do motor ou do • velas: para alcançar as melhores
as normas antipoluição vigentes. Mas sistema de alimentação e de escape, por condições de consumo e de rendi-
nem tudo a técnica pode conseguir. outras não recomendadas pelo fabri- mento, é imprescindível o respeito
O nível de emissão de gases poluentes cante, pode pôr em risco a conformi- rigoroso das especificações esta-
e de consumo do seu veículo depende dade do seu automóvel em relação às belecidas pela Renault.
também de você. Leve em conta a normas antipoluição.
forma como dirige, utiliza e mantém Em caso de substituição de velas,
Mande executar os controles e as regu-
o seu automóvel. utilize as marcas, tipos e folgas dos
lagens, de acordo com as instruções
eletrodos específicos para o motor
contidas no manual de «Garantia -
do seu veículo. Consulte o seu
Manutenção» do veículo, no seu
Concessionário Renault.
Concessionário Renault.
Ali, você disporá de todos os meios • marcha lenta: não necessita de regu-
materiais que permitem restabelecer lagens;
as regulagens originais.
Nunca se esqueça de que a emissão • filtro de ar, filtro de combustível: um
de gases poluentes está diretamente filtro sujo diminui o rendimento. É
ligada ao consumo de combustível. necessário substituí-lo.

• ponto de injeção: deve se ajustar


aos valores prescritos.

2.06
CONSELHOS ANTIPOLUIÇÃO, ECONOMIA DE COMBUSTÍVEL, CONDUÇÃO (cont.)
• Freie o menos possível: avaliando
corretamente a distância que o separa
de um obstáculo ou curva, muitas
vezes bastará aliviar o acelerador.
• Evite acelerações bruscas.
• Nas relações de marchas inter-
mediárias, não faça subir demasiado
o regime de rotações do motor.
Utilize sempre a relação mais elevada
possível, sem, no entanto, forçar o
motor.
• Em subida, em vez de tentar manter
a velocidade, não acelere mais que
em terreno plano, de preferência,
Pneus Condução mantenha a mesma posição do pé no
• Uma pressão inadequada pode • Em vez de aquecer o motor com o acelerador. Se necessário, não hesite
aumentar o consumo e ocasionar veículo parado, conduza sem pressa em passar para uma marcha infe-
desgaste irregular do pneu. até que o mesmo atinja a temperatura rior.
normal de funcionamento. • Dupla aceleração antes de parar o
• A utilização de pneus não recomen-
dados pode aumentar o consumo. • A velocidade pode ser perigosa, por motor é inútil nos automóveis
isso, respeite o limite de velocidade. modernos.

• A condução «esportiva» pode ser • Não trafegue em estradas inundadas


perigosa; prefira uma condução se a altura da água ultrapassar
moderada. a borda inferior dos aros das
rodas.

2.07
CONSELHOS ANTIPOLUIÇÃO, ECONOMIA DE COMBUSTÍVEL, CONDUÇÃO (cont.)
• Nos veículos equipados com ar- Controle dos gases de escape
condicionado, em circuito urbano,
O sistema de controle dos gases de
o consumo pode ser aumentado em
escape permite detectar anomalias de
cerca de 2 litros, a cada 100 km.
funcionamento no dispositivo de
Desligue o sistema, quando já não
antipoluição do veículo.
for necessário.
Estas anomalias podem provocar a li-
• Evite encher o tanque de combustível beração de substâncias nocivas ou
ao máximo, porque é uma forma de avarias mecânicas.
desperdiçar combustível.
Este indicador no quadro de
• Retire o bagageiro de teto se não instrumentos indica eventuais
estiver sendo utilizado. avarias no sistema.
• Para transportar objetos volumosos, Acende-se ao ligar a ignição e apaga-
utilize de preferência um reboque. se 3 segundos depois.
- Se se acender de forma contínua,
Conselhos de utilização • Quando rebocar uma carreta, use consulte logo que possível o seu
um defletor homologado e não se Concessionário Renault.
• A eletricidade «é combustível». esqueça de regulá-lo. - Se piscar, desacelere até que o indi-
Portanto, desligue qualquer apa-
cador pare de piscar. Consulte logo
relho elétrico que não seja verdadeira- • Evite a utilização «porta a porta»
que possível o seu Concessionário
mente necessário. (trajetos curtos com paradas prolon-
Renault.
gadas), porque o motor nunca chega
Mas (segurança acima de tudo)
a atingir uma boa temperatura de
conserve as luzes acesas sempre que
funcionamento. Procure agrupar os
a visibilidade o exigir (ver e ser
seus deslocamentos.
visto).
• Trafegar com os vidros abertos,
implica, a 100 km/h, mais 4% de
consumo. Preferênciamente, utilize
os difusores de ar.

2.08
MEIO AMBIENTE
O seu veículo foi concebido para res- Além disso, o seu veículo está em
peitar o meio ambiente. conformidade com o PROCONVE -
Programa de Controle de Poluição do
• A maior parte das versões está
Ar por Veículos Automotores.
equipada com um sistema
antipoluição que inclui o catali-
sador, a sonda lambda e o filtro de
carvão ativado (este impede a
emissão de vapores de gasolina
provenientes do tanque).
Estas versões funcionam exclusi-
vamente com gasolina sem chumbo.
Os motores com sistema Hi-Flex
foram desenvolvidos para utilizar
tanto gasolina como álcool em qual-
quer proporção (álcool etílico
hidratado carburante e gasolina
sem chumbo).
• O seu veículo é constituído, em sua
maioria, de peças recicláveis e já
integra peças de materiais reci-
clados. Contribua também para um melhor
• 95% das peças plásticas que meio ambiente!
compõem o seu veículo têm uma Não misture ao lixo doméstico as peças
marca que identifica o principal substituídas no veículo (bateria, filtro
material que as compõe. Esta de óleo, filtro de ar) e os vasilhames
marcação permite fazer uma triagem de óleo (vazios ou com óleo queimado).
das peças desmontadas e assim Respeite a legislação local!
otimizar a reciclagem de cada uma
delas.

2.09
SISTEMA ANTIBLOQUEIO DE RODAS (ABS)
Os dois objetivos essenciais de uma Embora exista esta otimização, este Anomalias de funcionamento
frenagem repentina são o domínio da sistema não permite, em nenhum caso, Podem apresentar-se duas situações:
distância de parada e a conservação do aumentar os desempenhos fisicamente
controle do seu veículo. No entanto, ligados às condições de aderência dos 1 - Os indicadores e
em função da natureza dos pisos, das pneus ao piso. As habituais regras de acendem-se no quadro de instru-
condições atmosféricas e das reações prudência devem ser respeitadas mentos
do condutor, os perigos de perda de (distância entre veículos etc...). O fato A frenagem é assegurada, mas sem
aderência na frenagem existem: de dispor de maior segurança não o antibloqueio de rodas. Consulte,
bloqueio das rodas e perda da direção. deve ser tomado como um convite logo que possível, um Conces-
O sistema antibloqueio de rodas (ABS) para correr riscos. sionário Renault.
evita esses perigos.
Cada entrada em funcionamento mani-
O dispositivo de regulagem da festa-se por uma pulsação mais ou
frenagem evita o bloqueio das rodas e menos perceptível no pedal de freio.
permite, em todas as circunstâncias Estas pulsações alertam para o limite 2 - Os indicadores
de frenagem, conservar o domínio da de aderência entre os pneus e o solo
trajetória do veículo e, ao mesmo e permitem adaptar a condução às e
tempo, otimizar as distâncias de parada condições e ao estado da estrada. juntamente com os indicadores
quando a aderência de uma ou de
várias rodas for precária, em solos e acendem-se no
variados (piso molhado, escorregadio quadro de instrumentos, indicando
ou irregular). uma avaria do dispositivo de freio
e do ABS. A frenagem é parcial-
mente assegurada. No entanto, é
perigoso frear bruscamente e exige
A modulação da frenagem, garan-
uma parada imediata, condizente
tida pelo sistema antibloqueio de
com as condições de tráfego. Contate
rodas, é independente do esforço
imediatamente uma Concessionária
aplicado no pedal de freio.
Renault.
Em caso de emergência, o pedal
de freio pode ser bruscamente
acionado a fundo. Não é necessário
fazê-lo por pressões sucessivas.

2.10
AUXÍLIO EM FRENAGEM DE URGÊNCIA
Trata-se de um sistema comple-
mentar ao ABS que ajuda a reduzir
as distâncias indispensáveis à
frenagem do veículo.

Princípio de funcionamento
Através de um sensor que mede a
velocidade de acionamento do
pedal de freio, o sistema detecta
uma situação de frenagem de
emergência. Neste caso, a
assistência de frenagem desen-
volve instantaneamente a sua
máxima potência. Esta função constitui um
auxílio suplementar em
A frenagem com ABS mantém-se situações de condução
enquanto o pedal de freio estiver crítica que permite adaptar o
acionado. comportamento do veículo ao tipo
de condução.
Acendimento das luzes de perigo Todavia, a função depende da inter-
venção do condutor. Não permite
Estas luzes poderão acender-se em ultrapassar os limites do veículo
caso de forte desaceleração. e não deve incitar à condução a
alta velocidade.
Por isso, em caso algum o sistema
poderá ser responsabilizado pelas
eventuais conseqüências durante a
execução de algumas manobras (o
condutor deve manter-se atento a
situações imprevistas e delicadas
que possam surgir durante a
condução).

2.11
CAIXA DE VELOCIDADES AUTOMÁTICA
Como medida de segurança, para ter
acesso a certas posições, é necessário
um desbloqueio pressionando o botão
1
A.
A
F
B A colocação da alavanca na posição
D ou R, deve ser feita exclusivamente
G com o veículo parado, o pé sobre o
pedal de freio e sem acelerar.

Partida
I Com a alavanca na posição P ou N,
ligue a ignição.

Com o pé sobre o pedal de freio saia


da posição P ou N.
Alavanca seletora 1 Posição D3 ou 3ª imposta
A barra do indicador F, no quadro de (relações autorizadas: 1ª, 2ª, 3ª). Como medida de segurança, para sair
instrumentos, informa o posiciona- Com a alavanca seletora na posição da posição P, é imprescindível pisar
mento da alavanca seletora 1. D, pressione o botão B. O indicador I no pedal de freio antes de pressionar
se acende no quadro de instrumentos. o botão de desbloqueio A.
P : estacionamento Para sair desta seleção, pressione nova-
R : marcha à ré mente o botão B (o indicador se apaga).
N : ponto morto
D : marcha à frente automática (relações Nota: Enquanto o indicador permanecer
autorizadas: 1ª, 2ª, 3ª e 4ª). aceso, o sistema impede a passagem
2 : 2ª imposta (relações autorizadas: para a 4ª.
1ª, 2ª).
1 : 1ª imposta.

2.12
CAIXA DE VELOCIDADES AUTOMÁTICA (cont.)
Marcha à frente • Na montanha: se o perfil da estrada
Situe a alavanca na posição D. Normal- e sua sinuosidade não permitirem a
mente, não será mais necessário movi- manutenção da 4ª, aconselhamos
mentar a alavanca: as marchas mudarão situar a alavanca na posição D3
automaticamente, no momento preciso (pressionando o botão B e a alavanca
e no regime do motor convencionado, B em D), ou em 2 (2ª imposta), a fim
uma vez que o "automatismo" leva em de evitar mudanças para relações
conta a carga do veículo, o perfil da superiores à selecionada. Da mesma
estrada e o estilo de condução esco- C forma, a posição 1, que impõe a 1ª
lhido. relação, permite conservar um bom
freio motor.
Acelerações e adiantamentos Em caso de declive prolongado, é
Pressione firme e completamente o aconselhável selecionar a posição
pedal do acelerador (levante o pé do D3 ou 2 (inclusive a 1), para obter
pedal e pise novamente a fundo e com um freio motor mais eficaz e aliviar
determinação). Situações excepcionais os freios.
• Posição neve: em caso de condução
A rapidez da pressão permitirá a sobre um solo pouco aderente (neve, • Em tempo frio, para evitar que o
redução da transmissão automática, lama...), pressione o interruptor C, motor se desligue, espere alguns
conforme as possibilidades do veículo. o indicador de funcionamento G se instantes antes de deixar a posição
acende no quadro de instrumentos. P ou N e selecionar a posição D ou
R.
Uma vez fora destas condições de
condução, saia desta posição pres-
sionando novamente o interruptor
C, o indicador de funcionamento
se apaga.

2.13
CAIXA DE VELOCIDADES AUTOMÁTICA (cont.)
Como rodar economicamente Estacionamento do veículo Anomalia de funcionamento
Na estrada, deixe sempre a alavanca Com o veículo imobilizado e o freio • Se a alavanca ficar travada em P,
na posição D; ao pressionar ligeira- pressionado, situe a alavanca na posição pise no pedal do freio e tente
mente o pedal do acelerador, as marchas P: a caixa fica em ponto morto e as novamete, caso ela continue travada,
mudarão automaticamente para uma rodas motrizes são travadas mecani- existe a possibilidade de liberá-la
velocidade menor. camente pela transmissão. manualmente.
Para isso, solte a tampa J puxando-
Utilize as posições D3, 2, 1 e a posição Acione o freio de estacionamento. a para cima.
de neve unicamente em situações Pressione simultaneamente a saliência
excepcionais. K e o botão de destravamento A para
A
deslocar a alavanca desde a posição
P.

J • Em movimento, se este indi-


cador se acender, é indício de
falha. Consulte o quanto antes um
Concessionário Renault.
K
• Avaria de um veículo com trans-
missão automática
Consulte o parágrafo "Reboque", no
capítulo 5.

2.14
Capítulo 3: Conforto

Alarme........................................................................................................................................3.02 à 3.03
Difusores de ar ......................................................................................................................... 3.04 à 3.05
Climatização / Ventilação ........................................................................................................ 3.06 à 3.07
Ar-condicionado ..................................................................................................................... 3.08 à 3.11
Iluminação interna ................................................................................................................................. 3.12
Cinzeiros - Acendedor de cigarros ....................................................................................................... 3.13
Levantadores de vidros ............................................................................................................... 3.14 à 3.15
Pára-sóis / Espelhos de cortesia ............................................................................................................. 3.15
Bancos traseiros (funcionalidade) ............................................................................................... 3.16 à 3.19
Porta-objetos ................................................................................................................................. 3.20 à 3.22
Compartimento de bagagens ...................................................................................................... 3.23 à 3.24
Porta-pacotes ......................................................................................................................................... 3.25
Transporte de objetos no compartimento de bagagens ......................................................................... 3.26

3.01
ALARME
O alarme é utilizado para sinalizar tenta- O ultra-som passa a monitorar o inte- Todo monitoramento é desabilitado até
tivas de furto e em caso de arromba- rior somente 30 segundos após a ativação, que haja uma nova ativação do alarme.
mento das portas, capô ou porta-malas para garantir a estabilização do inte-
(perimétrico), de ligação direta e rior. Para seu perfeito funcionamento,
desconexão temporária da bateria. Moni- todos os vidros devem estar completa- Disparo do alarme
tora o interior do veículo através de um mente fechados. Se o alarme estiver ativado e alguma violação
sistema de ultra-som que detecta movi- Se o sistema de ultra-som estiver dani- ocorrer (perimétrica ou volumétrica), o
mento no interior do veículo ou quebra ficado ou alguma porta, capô ou porta sistema entra em disparo. Um ciclo de
de vidros (volumétrico). malas estiver aberto, o alarme não emite disparo corresponde a 30 segundos com o
A sinalização de tentativa de furto ocorre sinal sonoro na ativação e permanece pisca alerta e buzina pulsando, e mais 10
pela buzina e pelo pisca alerta. por 10 segundos com o pisca alerta ligado. segundos apenas com o pisca alerta. Se a
O sensor violado é inibido até a próxima violação permanecer, um novo ciclo se
ativação, e através da rotina de inicia. Se a violação for sanada,o alarme
diagnóstico é possível identificá-lo. termina o ciclo e volta ao estado ativado.
O usuário deve verificar se todas as Ocorrem, no máximo, 3 ciclos de disparo
Ativação portas estão completamente fechadas e por sensor. Após os 3 ciclos, o sensor é
Para efetuar a ativação, é necessário que repetir a ativação. inibido e os demais continuam sendo moni-
todas as portas (dianteiras e traseiras), torados.
capô e porta-malas estejam fechados.
Ao travar as portas unicamente pelo
con-trole remoto da chave, o alarme é Desativação
ativado. Dois sinais sonoros curtos são Ao destravar a porta do motorista unica-
emitidos e ocorrem dois sinais visuais mente através do controle remoto da
através do pisca alerta. As portas chave, ocorre a desativação do alarme.
dianteiras, traseiras, capô e porta malas Um sinal sonoro curto é emitido pela
são monitorados imediatamente após a buzina e ocorre um sinal visual através
ativação. do pisca alerta.

3.02
ALARME (cont.)
Desativação sem controle remoto Sem sinal sonoro = Não houve disparo
Se a bateria do controle remoto da chave 1 sinal sonoro = Detecção de movimento
acabar, ou este for danificado com o por ultra som.
alarme ativado, basta abrir o veículo com 2 sinais sonoros = Perimétrico (seção)
a chave e ligar a ignição. O alarme entra 3 sinais sonoros = Ignição ligada
1 em disparo, mas ao reconhecer o 4 sinais sonoros = Rompimento ou curto-
transponder da chave original quando circuito dos fios do ultra som.
a ignição é ligada, o alarme é desativado.

Diagnóstico de Campo
O módulo de alarme memoriza o primeiro
disparo ou o sensor danificado. Para
consultar este registro, basta deixar qual-
quer porta dianteira aberta, sem a chave Montagem posterior de
na ignição e manter pressionado o botão acessórios elétricos e
de inibição do ultra-som. Seqüências de eletrônicos
Ativação com inibição do ultra som
(volumétrico) sinais sonoros são emitidos periodica- • As intervenções no circuito elétrico
Se o usuário quiser ativar o alarme e mente enquanto a tecla estiver presionada do veículo deverão ser realizadas
deixar algo que se movimente em seu conforme a origem do disparo, de acordo exclusivamente por uma Conces-
interior (um animal, por exemplo), é com a tabela: sionária Renault, pois uma ligação
possível inibir o sistema de ultra som incorreta poderia provocar a dete-
(volumétrico). Para isso, basta pres- rioração da instalação elétrica e/ou
sionar a tecla de inibição de ultra-som dos componentes conectados à insta-
(1) com o alarme desativado e ignição lação.
na posição “M”.
Um sinal sonoro é emitido para • Caso seja montado posteriormente
confirmar a inibição. O usuário terá 20 um equipamento elétrico, assegure-
segundo para ativar o alarme com se de que a instalação está bem
ultra-som inibido. Após 20 segundos protegida por um fusível. Solicite
ou na próxima ativação, não ocorrerá informações sobre a capacidade e a
inibição. localização do fusível.

3.03
DIFUSORES DE AR (saída de ar)
1 2 3 4 5 6 7

8 8
1 - Saída para desembaçamento do vidro 5 - Quadro de comandos.
lateral esquerdo.
6 - Saída lateral direita.
2 - Saída lateral esquerda.
7 - Saída de desembaçamento do vidro
3 - Saída para desembaçamento do pára- lateral direito.
brisa.
8 - Saídas de climatização para os pés dos
4 - Saídas centrais. ocupantes dianteiros e traseiros.
3.04
DIFUSORES DE AR (cont.)

3
2 2

Difusores centrais, dianteiros e Difusores do lado do motorista


do lado do passageiro Vazão:
Vazão: Movimente o comando 4 (além do
Movimente o comando 1 (além do ponto duro).
ponto duro).
: abertura máxima
: abertura máxima
: fechado
: fechado
Orientação:
Orientação: Na horizontal: movimente a lingüeta
Na horizontal: movimente as lingüetas 3 para a esquerda ou para a direita.
2 para a direita ou para a esquerda. Na vertical: oriente a saída de ar para
Na vertical: oriente a saída de ar para cima ou para baixo.
cima ou para baixo.

3.05
CLIMATIZAÇÃO - VENTILAÇÃO

A B C • Posição
O fluxo de ar é dirigido para os pés dos
ocupantes.

• Posição
O fluxo de ar é dirigido para todas as
saídas, desembaçadores dos vidros
laterais dianteiros, desembaçadores
do pára-brisa e pés de todos os
ocupantes.

• Posição
Para maior eficácia, feche as saídas
Comandos Distribuição do ar no habitáculo do painel de bordo.
Gire o botão B. O fluxo de ar será dirigido, então, para
A Regulagem da temperatura do ar os desembaçadores do pára-brisa e
• Posição dos vidros laterais dianteiros.
B Distribuição do ar no habitáculo
Todo o fluxo de ar é dirigido para as
C Regulagem da ventilação saídas do painel de bordo.
O fechamento de todas as saídas não
é compatível com esta posição.
Regulagem da temperatura do ar
Gire o botão A. • Posição
Quanto mais o botão estiver virado
O fluxo de ar é dirigido para as saídas
para a direita, mais elevada será a
do painel de bordo e para os pés dos
temperatura.
ocupantes.

3.06
CLIMATIZAÇÃO - VENTILAÇÃO (cont.)
Regulagem da ventilação
C
Com troca de ar externo
Acione o comando C de
(posição 1) a 4.
A ventilação no habitáculo do
veículo é chamada de "ar insu-
flado". A vazão de ar no habitáculo
é determinada por um ventilador;
a velocidade do veículo possui
fraca influência nesta vazão.
Este fato melhora a estabilidade Com isolamento do habitáculo A reciclagem de ar permite isolar-se do
da temperatura no habitáculo. ambiente externo (circulação por zonas
Acione o comando C de contaminadas com fumaça, poluição,
Quanto mais o botão estiver virado (posição 1) a 4. etc.). No entanto, o isolamento do
para a direita, maior será a quan- habitáculo não garante a estanquei-
tidade de ar insuflado. Esta função permite alcançar mais
rapidamente o nível de conforto dade do veículo. Caso circule em ambi-
desejado. entes muito contaminados e ou por
Posição O muito tempo, haverá ingresso de
Nesta posição: elementos tóxicos no veículo. Não
Permite o acionamento ou a parada
- a velocidade de ventilação do ar mantenha o motor do veículo ligado
da reciclagem do ar.
insuflado no habitáculo é nula; em locais fechados, sob risco de enve-
- existe, não obstante, uma pequena O funcionamento normal da clima- nenamento .
vazão de ar enquanto o veículo se tização é obtido com a utilização
mantém em movimento. de ar exterior. A utilização prolongada do modo de
isolamento pode provocar maus odores,
Para sair deste estado, gire causados pelo ar não renovado, assim
o comando C para a posição como um possível embaçamento. É
ou superior. aconselhável voltar para o funciona-
mento normal (ar exterior), acionando
o botão C, após ultrapassar a zona
contaminada. 3.07
AR-CONDICIONADO

A B C D E • Posição
O fluxo de ar é dirigido para as saídas
do painel de bordo e para os pés dos
ocupantes.

• Posição
O fluxo de ar é dirigido para os pés dos
ocupantes.

• Posição
O fluxo de ar é dirigido para todas as
saídas, desembaçadores dos vidros
laterais dianteiros, desembaçadores
Comandos Regulagem da temperatura do ar do pára-brisa e pés de todos os
Gire o botão A. ocupantes.
A Regulagem da temperatura do ar
Para a direita: temperatura máxima
possível. • Posição
B Distribuição do ar no habitáculo
Para a esquerda: temperatura mínima Para maior eficácia, feche as saídas
possível. do painel de bordo.
C Comando do ar-condicionado
O fluxo de ar será dirigido, então, para
D Indicador de funcionamento do ar- os desembaçadores do pára-brisa e
condicionado Distribuição do ar no habitáculo
dos vidros laterais dianteiros.
Gire o botão B.
E Regulagem da ventilação • Posição Nesta posição, ao acionar simulta-
neamente o ar-condicionado, será
Todo o fluxo de ar é dirigido para as possível obter um desembaçamento
saídas do painel de bordo. mais eficaz.
O fechamento de todas as saídas não
é compatível com esta posição.
3.08
AR-CONDICIONADO (cont.)
Em tempo quente, ou se seu veículo
C D E ficou estacionado ao sol, abra as portas
durante alguns instantes para evacuar
o ar quente antes de dar a partida.
Para reduzir mais rapidamente a tempe-
ratura, e obter o conforto desejado,
utilize a função "Isolamento do
habitáculo". Após obter o conforto
desejado, desative a função de reci-
clagem.
Com o "ar-condicionado" em funciona-
mento, todos os vidros devem estar
fechados para maior eficácia da insta-
lação.
Comandos do ar-condi- Nota: o ar-condicionado pode ser Em caso de anomalias de funciona-
cionado utilizado em todas as condições, mas mento, consulte um Concessionário
sua refrigeração não será sensível caso Renault.
O comando C liga ou desliga o ar- a temperatura externa já seja baixa.
condicionado.
• Botão C desativado (indicador D Não há produção de ar frio
O funcionamento é impossível se o
comando E estiver na posição 0. apagado) Verifique o correto posicionamento
O ar-condicionado não está em dos comandos e o estado dos fusíveis.
A utilização do ar-condicionado funcionamento.
permite: Caso não estejam em bom estado,
As regulagens são idênticas às de desligue a climatização (indicador D
• reduzir a temperatura interna do um veículo sem ar-condicionado.
apagado) e consulte um Concessionário
habitáculo, principalmente após um Renault.
forte isolamento, se o veículo circular • Botão C ativado (indicador D aceso)
ou ficou estacionado ao sol; O ar-condicionado está em funciona-
mento. Não abrir o circuito, porque
• reduzir o índice de umidade do ar o fluido de refrigeração é
insuflado no habitáculo (eliminação O ar provém do exterior do veículo perigoso para os olhos e
do vapor). e é constantemente renovado. para a pele.
3.09
AR-CONDICIONADO (cont.)
Regulagem da ventilação
E
■ Com troca de ar externo
Acione o comando E de
(posição 1) a 4.
A ventilação no habitáculo do
veículo é chamada de "ar insu-
flado". A vazão de ar no habitáculo
é determinada por um ventilador;
a velocidade do veículo possui
fraca influência nesta vazão.
Este fato melhora a estabilidade ■ Com isolamento do habitáculo A reciclagem de ar permite isolar-se do
da temperatura no habitáculo. ambiente externo (circulação por zonas
Acione o comando E de contaminadas com fumaça, poluição,
Quanto mais o botão estiver virado (posição 1) a 4. etc.). No entanto, o isolamento do
para a direita, maior será a quan-
Esta função permite habitáculo não garante a estan-
tidade de ar insuflado.
alcançar mais rapida- queidade do veículo. Caso circule em
mente o nível de conforto ambientes muito contaminados e ou
Posição O
desejado. por muito tempo, haverá ingresso de
Nesta posição:
elementos tóxicos no veículo. Não
- a velocidade de ventilação do ar
Permite o acionamento ou a parada mantenha o motor do veículo ligado
insuflado no habitáculo é nula;
da reciclagem do ar. em locais fechados, sob risco de enve-
- existe, não obstante, uma pequena
nenamento .
vazão de ar enquanto o veículo se
O funcionamento normal da clima-
mantém em movimento. A utilização prolongada do modo de
tização é obtido com a utilização
de ar exterior. isolamento pode provocar maus odores,
Para sair deste estado, gire o causados pelo ar não renovado, assim
comando E para a posição como um possível embaçamento. É
ou superior. aconselhável voltar para o funciona-
mento normal (ar exterior), acionando
o botão C, após ultrapassar a zona
contaminada.
3.10
AR-CONDICIONADO (cont.)

Não há produção de ar frio Bateria Filtro Anti Pólen e Poeira


Verifique o correto posicionamento Evite fazer funcionar qualquer
dos comandos e o estado dos fusíveis. consumidor de energia quando o
Caso não estejam em bom estado, motor estiver parado. Corre-se o O sistema de Ar condicionado possui
desligue o funcionamento da clima- risco de descarregar a bateria. um filtro específico com a função
tização e chame um Concessionário de absorver todas as impurezas que
Renault. normalmente entrariam no veículo
Anomalias de funcionamento
com o fluxo de ar (pequenos insetos,
Não abra o circuito do fluido de Em geral, se for constatada uma
diminuição da eficácia das funções pólen, poeira, fuligem, etc.). Caso este
refrigeração filtro esteja sujo, isto pode preju-
de desembaçamento ou ar-condi-
cionado, dirija-se a um Conces- dicar a eficáciado sistema. Devido
Consumo a isto, recomenda-se a inspeção
sionário Renault.
Quando o ar-condicionado estiver periódica do filtro, de acordo com
em funcionamento, é normal que o recomendado em seu manual de
se constate um aumento do consumo Evitando odores desagradáveis no
de combustível (principalmente em sistema de ar condicionado garantia e manutenção.
trânsito urbano). Para evitar o acúmulo de umidade
No inverno, utilize periodicamente no sistema de Ar condicionado, e
o ar-condicionado para manter o conseqüentemente odores
sistema em bom estado de funciona- desagradáveis devido a formação
mento. de mofo no circuito de ar, é recomen-
Não se preocupe com a água que dado seguir o procedimento abaixo
goteja sob o veículo; provém da antes da parada definitiva do veículo:
condensação. - Desligar o botão do ar condicionado
(AC);
Anomalias de funcionamento - Ligar a ventilação no máximo;
Em geral, se for constatada uma - Posicionar o comando de recir-
diminuição da eficácia das funções culação para ar externo;
de desembaçamento ou ar-condi-
- Aguardar cerca de 2 minutos antes
cionado, dirija-se a um Conces-
sionário Renault. de desligar o veículo.

3.11
ILUMINAÇÃO INTERNA

1 2 3

Características de funcionamento
da iluminação interna (para algumas
Luz de teto 1 Luzes traseiras 4 versões).
Conforme a posição do interruptor 2, De acordo com a posição do inter- • O destravamento a distância das
obtém-se: ruptor 4, haverá: portas ativa a iluminação interna
- uma iluminação contínua; - Iluminação contínua. por 15 seg.
- uma iluminação intermitente coman- - Iluminação comandada pela aber- • O travamento a distância das
dada pela abertura (conforme as tura de uma das portas. portas extingue a iluminação
versões) de uma das portas dianteiras interna de imediato.
ou de uma das quatro portas. As luzes somente se apagam quando • Porta aberta ou mal fechada, ativa
Estas luzes apagam-se apenas quando a iluminação interna por 15
as portas estiverem corretamente Todas as portas estiverem completa- minutos.
fechadas. mente fechadas. • Com todas as portas fechadas, ao
ligar a ignição, a iluminação
Luz de leitura 3 - Iluminação desligada continuamente. extingue-se.
Para acender ou apagar, acione o inter-
ruptor 2.
Oriente o foco 3 a sua conveniência.

3.12
CINZEIROS - ACENDEDOR DE CIGARROS TOMADA DE FORÇA

4
3

1 2

Cinzeiro no console central dianteiro Cinzeiro da porta traseira Tomada de força 12V
Para abri-lo, puxe a tampa 2. Para abri-lo, levante a tampa 3. Localizada sob a parte inferior do
Para limpar, abra o cinzeiro e pres- Para limpá-lo, puxe o conjunto. banco traseiro central.
sione a lingüeta existente no seu inte- Para utilizá-lo, abaixe a tampa 4.
rior, puxando para liberá-lo.

Acendedor de cigarros
Com a ignição ligada, pressione o acen-
dedor de cigarros 1. Aguarde alguns
segundos. Quando ouvir um pequeno
estalo, o acendedor retornará à posição
original e estará pronto para ser usado.
Puxe-o. Depois de usar, recoloque-o no
lugar sem pressionar.

3.13
LEVANTADORES DE VIDROS
Funcionamento automático do vidro
dianteiro do lado do motorista
1 2 Com o motor em funcionamento, um
leve toque no interruptor 1 permite
levantar ou descer o vidro comple-
tamente. Qualquer toque no inter-
ruptor 1, durante esse processo, inter-
rompe o movimento do vidro.
3 4 5
Levantador de vidro, passageiro.
Com a ignição ligada, pressionar o
interruptor 2 para descer o vidro e
puxá-lo para levantar.

Levantador elétrico dos vidros Levantador elétrico para os


dianteiros vidros traseiros - comando
Do lado do motorista, com a ignição motorista (se disponível)
ligada ou desligada e até o fechamento Com a ignição ligada, pressionar
da porta do motorista, pressionar o o interruptor 3 ou 5.
interruptor 1 para descer o vidro e
puxá-lo para levantar.

Para a segurança das crianças


O interruptor 4 desativa os levantadores de vidros traseiros.
Nunca deixe o veículo com a chave no contato e crianças ou ani-
mais no seu interior, pois os levantadores traseiros poderão ser ativados,
causando acidentes.

3.14
LEVANTADORES DE VIDROS (cont.) PÁRA-SÓIS

2
1

3
1

Levantador elétrico dos vidros Pára-sóis


traseiros Abaixe os pára-sóis 1.
Com a ignição ligada, pressionar o
interruptor 1 para descer o vidro. Particularidade dos espelhos de
Puxá-lo para levantar. cortesia com iluminação.
Ao abrir a tampa 2, duas luzes auxiliares 3
se acendem.

Particularidade do espelho do
lado passageiro sem iluminação
O pára-sol é equipado com espelho
sem tampa de fechamento 2.

3.15
BANCOS TRASEIROS: FUNCIONALIDADE

1
1

3
1

Os lugares traseiros são compostos Para rebater o encosto do banco central Para rebater o encosto do banco lateral
por três bancos independentes. Levante a alavanca 2, incline o encosto Levante a alavanca 3, incline o encosto
e certifique-se de que está travado. e certifique-se do seu travamento.
Cada banco é regulável e removível
(Conforme a versão). Para voltar à posição original Para voltar à posição original
Levante a alavanca 2, coloque o encosto Levante a alavanca 3, coloque o encosto
Para avançar ou recuar o banco na posição original e certifique-se de na posição original e certifique-se de
que está travado. que está travado.
Na versão regulável, levante a alavanca
1 para destravar. Em seguida, movi-
mente o banco na posição desejada e
solte a alavanca, verificando se está
devidamente travado.

3.16
BANCOS TRASEIROS: FUNCIONALIDADE (cont.)

3
2
2
3
1

Para rebater os bancos traseiros Para voltar o banco à posição original


Rebata o encosto até travar. Os cordões tensores 3, localizados sob Abaixe-o até cerca de 10 cm do piso
cada banco permitem mantê-los na e solte-o.
Levante a alavanca 1 e empurre o posição rebatida.
banco na direção dos bancos dianteiros. O banco travar-se-á pela ação do
Para isso utilize as hastes dos apoios próprio peso.
Nota: em veículos equipados com
de cabeça dianteiros. Certifique-se de que realmente está
bancos traseiros reguláveis, esta
operação deverá ser efetuada travado.
somente com os bancos travados
na posição posterior (mais para
trás do veículo). Para isso, levante
a alavanca 2 do banco, deixe que Certifique-se sempre da
deslize até travar e solte a alavanca. limpeza das fixações dos
bancos. Elas devem
permanecer bem limpas.

3.17
BANCOS TRASEIROS: FUNCIONALIDADE (cont.)
Para colocar os bancos na posição
original
Coloque os dois pinos dianteiros do
banco em suas respectivas fixações.
Em seguida, abaixe o banco até cerca
de 10 cm do piso e solte-o, ele se
travará pela ação do próprio peso.
Certifique-se da correta fixação do
banco.

1
Os bancos traseiros podem ser removidos.

Para removê-los
Rebata os bancos, conforme indi-
cado nas páginas anteriores.
Abaixe as duas lingüetas 1 e levante
o banco.

Certifique-se sempre da
limpeza das fixações dos
bancos. Elas devem
permanecer bem limpas.

3.18
BANCOS TRASEIROS: FUNCIONALIDADE (cont.)

A
A

Desejando instalar apenas dois bancos Para isso, basta utilizar os pontos de Nesta condição, os bancos podem ser
traseiros, há possibilidade de deslocá- fixação A e os dois bancos laterais. O recuados e é possível inclinar mais o
los no interior do veículo proporcio- procedimento para a instalação dos encosto; porém é necessário primeiro
nando mais espaço. bancos é o mesmo indicado nas páginas rebater a parte B do porta-pacotes do
anteriores. compartimento de bagagens.

3.19
PORTA-OBJETOS

3 4 5

1
2

Porta-luvas 1 Recipiente de refrigeração 3 (se Porta-objetos nas portas 5


Para abri-lo, pressione o comando 2. disponível).
Conforme a versão, no interior da Para abri-lo, levante a tampa. Este
tampa existem dois espaços previstos recipiente beneficia-se da ventilação
como porta-copos e um local para os e do ar-condicionado.
óculos. Acione o comando 4 para abrir ou
fechar a entrada de ar, disponível 6
somente na versão com o opcional ar
condicionado.

Para a versão que não possui ar condi-


cionado, haverá o porta-objetos no
console central, conforme a figura 6.

Porta-objetos no console central 6


3.20
PORTA-OBJETOS (cont.)

2
1 2
4

Gaveta para objetos 1 no banco Bandeja 2 na parte traseira dos Espaço nas laterais 4 para acomo-
dianteiro do passageiro bancos dianteiros dação de garrafas
Ao levantá-la, ela se posicionará na
horizontal.
A

Bolsa na parte traseira dos bancos


dianteiros 3
5

Não deixe objetos no piso


(lugar do condutor): em caso
de frenagem brusca, os
objetos podem deslizar sob os pedais
e impedir a utilização dos mesmos.
Porta-óculos 5
para abri-lo puxe-o delicadamente para
baixo pelo lado A 3.21
PORTA-OBJETOS (cont.)
1

1 4
2 2

3 4

Tampas 1 sob os pés dos ocupantes Tampas 3 sob os bancos traseiros


traseiros Para abri-las Para fechá-las
Pressione as duas cavidades 2 e retire Coloque a tampa, começando pelos pinos
Para abri-las
a tampa. 4. Solte a tampa de uma altura de 10
Levante a tampa 1.
cm do piso. Ela se travará por ação
do próprio peso.
Para fechá-las
Certifique-se que a tampa esteja corre-
Solte a tampa de uma altura de 10
tamente travada antes de abaixar o
cm do piso. Ela se travará por ação
banco.
do próprio peso.

3.22
COMPARTIMENTO DE BAGAGENS

3 4

2 1

A tampa do compartimento de baga- Para fechá-la Problemas na abertura da tampa do


gens se trava e se destrava ao mesmo Primeiramente, abaixe a tampa traseira compartimento de bagagens `a partir
tempo que as demais portas do veículo por um dos puxadores 3. de dentro do veículo.
pela ação do telecomando ou o inter- Caso a tampa não venha a se destravar
ruptor de travamento elétrico das Quando a tampa estiver na altura dos com o acionamento do controle remoto
portas no painel. ombros, solte o puxador 3 e termine ou do interruptor de travamento
de fechá-la, empurrando-a pelo lado elétrico das portas localizado no painel:
Para abri-la externo.
Pressione o botão 1 e levante a tampa Na imagem aparece em amarelo um
pelo puxador 2. pequeno quadrado. Com auxílio de
uma pequena ferramenta, por exemplo
Utilize unicamente os puxa-
uma chave de fenda, puxe este
dores acima indicados para
quadrado. Isto destrava a tampa do
fechar a tampa.
porta malas.
Nunca feche a tampa puxando-a
pelos seus amortecedores.
Consulte o seu Concessionário Renault.

3.23
COMPARTIMENTO DE BAGAGENS (cont.)

2 A

1
B

No compartimento de bagagens, existem No compartimento 2, estão acomodados


os locais 1 e 2 para a acomodação de alguns acessórios, como o triângulo
alguns acessórios. Em algumas versões, de segurança B e um elástico A para
estes locais podem apresentar uma prender, por exemplo, um jogo de
tampa. ferramentas.

3.24
PORTA-PACOTES

A 2

1
1

Para retirá-lo, libere os dois cordões É possível instalar o porta-pacotes


de sustentação 1. numa altura que coincida com a altura
Levante ligeiramente o porta-pacotes dos bancos traseiros com os encostos
A e puxe-o em sua direção. rebatidos. Para isso, utilize os pontos
de apoio 2 existentes em cada lado
Para recolocá-lo, proceda de forma in- do compartimento de bagagens.
versa.
Observar que o peso máximo permi-
tido sobre o porta-pacotes é de 70kg. Nunca coloque objetos, prin-
cipalmente objetos pesados
ou duros, sobre o porta-
pacotes. Em caso de frenagem brusca
ou de acidente, os mesmos podem
pôr em risco os ocupantes do
veículo.

3.25
TRANSPORTE DE OBJETOS NO COMPARTIMENTO DE BAGAGENS
Coloque sempre os objetos de modo que
os de maiores dimensões fiquem
apoiados contra:

- O encosto dos bancos traseiros (caso


de carregamento A, normal).

- O(s) banco(s) traseiro(s) rebatido(s) Coloque sempre os objetos


(caso de carregamento B, máximo). mais pesados diretamente
apoiados sobre o piso.
Utilize, se o veículo estiver equipado,
os pontos de fixação que existem
no piso do compartimento de baga-
gens. A carga deve ser colocada de
Os volumes mais pesados devem estar modo que não possa se projetado
apoiados diretamente no assoalho do nenhum objeto sobre os ocupantes
compartimento de bagagens. em caso de frenagem brusca. Afivele
os cintos de segurança dos lugares
traseiros, inclusive se não houver
ocupantes no veículo.

3.26
Capítulo 4: Manutenção

Capô do motor ........................................................................................................................... 4.02 à 4.03


Nível de óleo do motor .............................................................................................................. 4.04 à 4.05
Troca de óleo do motor ......................................................................................................................... 4.06
Qualidade do óleo do motor ................................................................................................................. 4.07
Níveis: bomba de direção hidráulica .............................................................................................. 4.08
líquido de arrefecimento do motor ........................................................................ 4.09
bateria ................................................................................................................................... 4.10
fluido de freios ........................................................................................................... 4.10
reservatório lava-vidros ................................................................................................ 4.11
Filtro de ar ........................................................................................................................................... 4.11
Manutenção da carroceria ........................................................................................................... 4.12 à 4.13
Manutenção dos revestimentos internos ......................................................................................... 4.14

4.01
CAPÔ DO MOTOR

2
1

Abertura do capô Trava de segurança do capô


Para abri-lo, puxe a alavanca 1. Para destravá-lo, puxe para cima a
alavanca 2.

Nas intervenções no compar-


timento do motor, lembre-
se de que o ventilador pode
entrar em funcionamento em qual-
quer momento.

4.02
CAPÔ DO MOTOR (cont.)

4
5

4
3

Levante o capô, solte a vareta de suporte Para voltar a fechá-lo, coloque nova-
4 da fixação 3 e, para a sua segurança, mente a vareta 4 na fixação 3, segure
coloque-a no ponto 5 do capô. o capô pela parte central dianteira e
acompanhe-o até 20 cm da posição
de fechamento. Solte-o e se fechará
pela ação do seu próprio peso.

Certifique-se do seu correto Antes de fechar o capô, verifique


travamento. se não ficou nada esquecido dentro
do compartimento do motor.

4.03
NÍVEL DE ÓLEO DO MOTOR
Normalmente, um motor consome
óleo para a lubrificação e arrefeci-
mento das peças em movimento; às
vezes, é necessário acrescentar óleo
entre duas trocas. No entanto, se após B
o período de amaciamento os
A
acréscimos de óleo forem superiores
a 1 litro a cada 1.000 km, consulte o
seu Concessionário Renault.

Periodicidade: O nível do óleo deve


ser verificado a cada 1.000 km e
sempre que for efetuar uma viagem
longa, pois existe o risco de deterio-
ração do motor.
• Leitura do nível com a vareta
- retire a vareta;
Nível - limpe-a com um pano limpo;
A leitura, para ser confiável, deve ser - introduza a vareta até o fundo;
feita com o veículo em piso horizontal - retire a vareta;
e após a parada prolongada do motor. - verifique o nível: nunca deve estar
abaixo de «mín.» A, nem acima de
«máx.» B.

4.04
NÍVEL DE ÓLEO DO MOTOR (cont.)
Complemento: Atenção, ao
completar o nível tenha a
precaução de não derramar
1
1 óleo sobre as peças do motor e não
se esqueça de fechar corretamente
a tampa; em ambos os casos, existe
o risco de incêndio por causa da
2 projeção de óleo sobre as peças
quentes do motor.
2

Troca de óleo motor:


1.6 l 16V 2.0 l 16V Se o óleo for trocado com o
motor quente, fique atento
Complemento/Enchimento aos riscos de queimaduras causadas
O veículo deve estar situado sobre um - Desaperte a tampa 1; pelo derramamento de óleo.
piso horizontal, com o motor desli- - restabeleça o nível (para informação,
gado e frio (por exemplo: antes de a capacidade entre o "mín." e o "máx."
realizar a primeira partida do dia). da vareta 2 é de 1,5 a 2 litros,
conforme o motor); Nas intervenções no compar-
- aguarde cerca de 2 minutos para timento do motor, lembre-
permitir que o óleo escorra; se de que o ventilador pode
- verifique o nível de óleo utilizando entrar em funcionamento em qual-
a vareta 2 (como explicado ante- quer momento.
riormente).

Não ultrapasse o nível "máx." e não se


Em caso de queda anormal ou esqueça de repor a tampa 1. Não deixe o motor funcio-
repetida do nível, consulte o seu nando em local fechado: os
Concessionário Renault. gases de escape são tóxicos.

4.05
TROCA DE ÓLEO DO MOTOR
Filtro de óleo
O elemento filtrante deve ser substi-
tuído em todas as revisões. Consulte
o manual “Garantia e Manutenção”
do veículo.
1 Após cada troca de óleo, não se esqueça
de apertar o bujão de drenagem 1.

É feita pelo bujão 1 (conforme a


motorização, para ter acesso ao bujão,
poderá ser necessário retirar o obtu-
rador).
Para conhecer a periodicidade,
consulte o manual «Garantia e
Manutenção» do veículo.
Proceda a trocas mais freqüentes em
caso de utilização severa.

4.06
QUALIDADE DO ÓLEO DO MOTOR
Para conhecer a qualidade do óleo a Periodicidade de troca do óleo do motor
ser utilizado, consulte o manual de Consulte o manual de “Garantia e
“Garantia e Manutenção” de seu veículo Manutenção” do seu veículo.
no item “Óleo do Motor” para obter
informações mais detalhadas sobre o Capacidades máxima
óleo, bem como todas as recomen- (para informação):
dações que serão de fundamental Motor 1.6 l 16V : 4,9 litros
importância para um melhor desem- Motor 2.0 l 16V : 6,0 litros
penho do seu veículo. * Filtro de óleo incluído.

4.07
NÍVEIS
Nível Nível de óleo da caixa de câmbio.
Mede-se a frio e estará correto quando Consulte o seu Concessionário Renault.
estiver visível entre as marcas Mín.
e Máx. do reservatório 1.
Para trocas ou complementações, usar
produtos homologados pelos serviços
1 técnicos Renault.

Bomba da direção hidráulica


A aparência e a localização do bocal
dependem da versão e do tipo de
equipamento instalado no veículo.

Periodicidade
Consulte o manual “Garantia e Manu-
tenção” do veículo.

Em caso de queda anormal dos Nas intervenções no compar-


níveis de qualquer dos líquidos, timento do motor, lembre-
consulte imediatamente o seu Conces- se de que o ventilador pode
sionário Renault. entrar em funcionamento em qual-
quer momento.

4.08
NÍVEIS (cont.)
Periodicidade de verificação do nível Periodicidade de troca
Verifique o nível regularmente (a falta Consulte o manual «Garantia e
de líquido de arrefecimento pode Manutenção» do veículo.
1 provocar graves danos ao motor). Capacidades médias (para informação);
Se for necessário repor o nível, utilize
apenas produtos homologados pelos motor 1.6 l 16V e 2.0 l 16V:
nossos Serviços Técnicos, que cerca de 7,0 litros.
asseguram:
- proteção anticongelante;
- proteção anticorrosiva do circuito
de arrefecimento.

Líquido de arrefecimento do motor


O nível é verificado a frio e deve situar-
se entre as marcas MÍN. e MÁX.,
indicadas no vaso de expansão 1.
Complete o nível a frio antes que atinja
a marca MÍN.

Não fazer revisões nos


sistemas de refrigeração com Em caso de queda anormal ou
o motor quente. repetida do nível, consulte o seu
Perigo de queimaduras. Concessionário Renault.

4.09
NÍVEIS (cont.)
Enchimento
Sempre que forem executados reparos
no sistema hidráulico, o fluido deve
ser substituído por um especialista.
2
Utilize sempre produtos homologados
1
pelos Serviços Técnicos Renault
(retirados de uma embalagem selada).

Periodicidade: consulte o manual


«Garantia - Manutenção» do veículo.

Bateria 1 Fluido de freio


Nível Deve ser verificado com freqüência e
A bateria não precisa de manutenção, sempre que for sentida uma diferença,
nunca acrescente água. ainda que leve, na eficácia do sistema
de freios.

Ao manusear a bateria, faça- Nível 2


o com muita precaução, O nível desce à medida que as pastilhas
porque contém ácido de freio se desgastam, mas nunca deve
sulfúrico que nunca deve entrar estar abaixo da marca de alerta «MÍN.».
em contato com os olhos ou com a
Nas intervenções no
pele. Se isso acontecer, lave
compartimento do motor,
abundantemente com água.
lembre-se de que o
Não aproxime nenhuma chama dos
ventilador pode entrar em
elementos da bateria: há risco de
funcionamento em qualquer
explosão.
momento.
4.10
NÍVEIS (cont.) FILTRO DE AR (substituição do elemento filtrante)
1

1 2

1.6 l 16V - 2.0 l 16V

Reservatório do lavador de vidros Motores 1.6 l 16V - 2.0 l 16V


(Pára-brisa e Vidro traseiro) Desaperte os dois parafusos 1; puxe a
Enchimento presilha 3; retire a tampa 2 e substitua
Encher pela tampa 1. o elemento filtrante. Em seguida,
coloque a tampa, aperte os parafusos
Líquido e ajuste a presilha.
Água potável + produto lava-vidros
(produto anticongelante, no inverno).

Jatos
Para ajustar o ângulo dos jatos, oriente Nas intervenções no
com auxílio de um alfinete a pequena compartimento do motor,
esfera do bico. Periodicidade de troca do elemento lembre-se de que o
filtrante. ventilador pode entrar em
Consulte o manual “Garantia e funcionamento em qualquer
Manutenção” do veículo. momento.
4.11
MANUTENÇÃO DA CARROCERIA
Proteção contra os agentes O que não se deve fazer • Desengordurar ou limpar os elementos
corrosivos • Lavar o veículo ao sol ou com mecânicos (ex.: compartimento do
Embora beneficiando-se de técnicas temperatura de congelamento. motor), a parte inferior da carroceria,
anticorrosão muito apuradas, o seu as peças com dobradiças (ex.: tampa
• Raspar lamas ou sais para retirá-los, do tanque de combustível, interior
veículo não deixa de estar sujeito à
sem umidificação prévia. da portinhola da tampa de
ação:
• Deixar acumular sujeiras externas. combustível...) e plásticos externos
• de agentes atmosféricos corrosivos pintados (ex.: pára-choques...) com
- poluição atmosférica (cidades e • Deixar aumentar a ferrugem a partir aparelhos de limpeza de alta pressão
zonas industriais), de pequenos riscos acidentais. ou com pulverização de produtos
- salinidade da atmosfera (zonas não homologados pelos nossos
marítimas, sobretudo em tempo • Tirar manchas com solventes não Serviços Técnicos, que podem
quente), indicados pelos nossos Serviços provocar oxidações ou mau
- condições climáticas sazonais Técnicos e que podem atacar a funcionamento.
e higrométricas (água de lavagem pintura.
de ruas...); • Trafegar freqüentemente sobre lama
• de agressões abrasivas ou neve sem lavar o veículo,
- poeiras atmosféricas e areia particularmente nos pára-lamas e
arrastadas pelo vento, lama, parte inferior da carroceria.
cascalho projetado pelos outros
veículos...;
• de incidentes de tráfego.
Para não perder o benefício destas
técnicas, impõe-se um mínimo de
precauções que permitam evitar
certos riscos.

4.12
MANUTENÇÃO DA CARROCERIA (cont.)
O que se deve fazer • Manter uma certa distância dos • Antes da passagem por um
• Lavar freqüentemente o veículo, de outros veículos no caso de estrada equipamento de lavagem com
preferência utilizando os produtos com cascalho, para evitar danificar escovas, verifique a fixação dos
recomendados pelos nossos serviços a pintura e quebrar o pára-brisa. equipamentos externos, faróis
e com enxágue abundante com jatos, adicionais, retrovisores e fixe com
• Fazer ou mandar fazer rapidamente fita adesiva as palhetas dos
sobretudo nos pára-lamas e parte
os retoques na pintura, para evitar limpadores do pára-brisa e retire a
inferior da carroceria, para eliminar:
a propagação da corrosão. antena.
- produtos resinosos caídos das
árvores ou poluições industriais; • O seu veículo beneficia-se da garantia Se o veículo estiver equipado com
- excrementos de aves, que contêm anticorrosão Renault. Não se esqueça rádio-comunicador, retire a antena.
produtos químicos com uma de fazer as revisões obrigatórias. • Caso tenha sido necessário limpar
rápida ação descolorante, podendo Consulte o manual «Garantia - elementos mecânicos, é
mesmo provocar a decapagem Manutenção» do veículo. imprescindível protegê-los de novo
da pintura.
• Respeitar as leis locais sobre a lavagem com uma pulverização de produtos
É imprescindível lavar de imediato
de veículos (por ex: lavagem de homologados pelos nossos Serviços
o veículo para eliminar estas
veículos na via pública). Técnicos.
manchas, pois é impossível fazê-
las desaparecer por simples
polimento.
- sal, nos pára-lamas e superfície
inferior da carroceria, depois de
circular em regiões onde foram
espalhados produtos ou resíduos
químicos,
- a lama, nos pára-lamas e parte
inferior da carroceria, que forma
pastas úmidas.

Existem produtos selecionados para


a manutenção de seu veículo que
poderão ser encontrados em nossas
«Renault-Boutique».

4.13
MANUTENÇÃO DOS REVESTIMENTOS INTERNOS
Qualquer que seja a origem das • Cintos de segurança
manchas, utilizar água (morna de Devem ser conservados sempre
preferência) com: limpos.
Utilize os produtos recomendados
• sabão neutro ou detergente com uma pelos nossos Serviços Técnicos
proporção de uma parte de sabão para (Renault-Boutique) ou água morna
200 de água. com sabão aplicada com uma esponja.
Seque com um pano.
Limpe com um pano úmido. Nunca utilizar água sanitária ou
solventes.
Particularidades
• Vidros do painel de bordo (ex.: • Bancos em couro
quadro de instrumentos, relógio, Utilizar um pano umedecido com
visor de temperatura externa, display água e detergente neutro.
do rádio...). Limpar manualmente, não usar
Utilizar um pano macio ou algodão. equipamentos que causem atrito na
superfície do couro.
Se isso não for suficiente, utilize Não usar produtos de limpeza à base
um pano macio (ou algodão) de solventes, álcool ou propelentes
ligeiramente embebido em água com (spray); bem como desengraxantes
sabão; em seguida, limpe com um alcalinos, produtos abrasivos e
pano macio ou algodão úmido. produtos «tira-manchas» para tecidos
ou couro.
Seque, sem pressionar, com um
pano macio.

Nunca utilizar produtos à base de


álcool.
Existem produtos selecionados para
a manutenção de seu veículo que
poderão ser encontrados em nossas
«Renault-Boutique».

4.14
Capítulo 5 : Conselhos práticos

Estepe ............................................................................................................................................. 5.02


Jogo de ferramentas (Macaco - Manivela - Chave de roda) / Triângulo de segurança ............................................. 5.03
Calotas - Rodas ........................................................................................................................ 5.04
Troca de pneus ..................................................................................................................................... 5.05
Pneus (segurança pneus, rodas, manutenção dos pneus) .......................................................... 5.06 à 5.08
Faróis dianteiros (substituição de lâmpadas e regulagens)............................................................ 5.09 à 5.10
Luzes traseiras e laterais (substituição de lâmpadas e regulagens)............................................... 5.11 à 5.13
Pisca-piscas laterais (substituição de lâmpadas) ................................................................................ 5.13
Iluminação interior (substituição de lâmpadas) ......................................................................... 5.14 à 5.15
Telecomando de travamento das portas: baterias .............................................................................. 5.16
Fusíveis ........................................................................................................................................ 5.17 à 5.18
Bateria .......................................................................................................................................... 5.19 à 5.21
Pré-equipamento para o rádio/Acessórios .................................................................................. 5.22 à 5.23
Limpador do pára-brisa (substituição das palhetas) ...................................................................... 5.24
Reboque ........................................................................................................................................ 5.25 à 5.27
Anomalias de funcionamiento .................................................................................................... 5.28 à 5.33

5.01
ESTEPE

1
3

Estepe 4
Está situado no compartimento de • Mantenha-a aberta utilizando o
bagagens. gancho 2 situado debaixo da tampa
Para ter acesso a ele: traseira.
• abra a tampa traseira;
• Solte a porca 3.
• levante o tapete pela alça 1;
• Retire o estepe 4.

Se o estepe foi conservado


durante vários anos, solicite
um controle à sua oficina
e verifique se o mesmo está em
condições adequadas de utilização.

5.02
JOGO DE FERRAMENTAS TRIÂNGULO DE SEGURANÇA

2
1

3
5

Está situado debaixo do estepe. Triângulo de segurança 5


Está localizado no compartimento de
Macaco 2 bagagens. Em algumas versões, este
compartimento é equipado com uma
tampa.
Chave para calotas de roda 3
Permite retirar a calota da roda.

Engate para reboque 4


Para saber como utilizá-lo, consulte
neste capítulo: «Reboque». O macaco destina-se à troca
de pneus. Nunca deve ser
Chave de roda / Manivela 1 utilizado para efetuar reparos
Permite apertar ou soltar os parafusos debaixo do veículo.
de roda e levantar o macaco.

5.03
CALOTAS - RODAS

2 3

B
A

Calotas com parafusos cobertos Roda com calota central Roda com calota central 3
Rodas com parafusos aparentes Rodas com parafusos cobertos
1
Retire-as com a chave apropriada B Retire-as com a chave apropriada B
Retire-as com a chave apropriada A (colocada no jogo de ferramentas). (colocada no estojo de manuais do
(colocada no jogo de ferramenta) ou com Para recolocá-la, encaixe-a no local proprietário).
a extremidade da chave de roda, intro- apropriado.
duzindo-a num do furos.
Para recolocá-la, encaixe-a, posicio-
nando-a em relação à válvula 2 ou
coincidindo-a com o desenho da válvula A utilização de produtos
(gravado na calota). de limpeza que contenham
princípios ativos, tais como
hidróxido de sódio e/ou ácido fluo-
rídrico, podem agredir a pintura
das rodas e calotas, causando o
descascamento da tinta e/ou perda
de tonalidade.

5.04
TROCA DE PNEUS
• Comece por acionar o macaco manual-
mente, para assentar conveniente-
mente a base (ligeiramente intro-
duzida sob o veículo). Se o solo não
for consistente, coloque uma tábua
sob a base.
• Introduza o gancho 3 da manivela no
1 2 orifício 4 do macaco e dê algumas
voltas para levantar a roda do solo.
3
• Retire os parafusos da roda.
• Retire a roda.
• Coloque o estepe no cubo central e
gire-o para fazer coincidir os furos
4 de fixação da roda e do cubo.
• Aperte os parafusos com a manivela
• Se houver, retire a calota (consultar:
Imobilize o veículo em piso e desça o macaco.
«Calotas»).
plano e consistente (se • Solte ligeiramente os parafusos da • Com as rodas no solo, aperte bem os
necessário, coloque um roda colocando a chave 1, de parafusos.
suporte sólido debaixo da base do maneira que o esforço seja exer-
macaco) e utilize o pisca-alerta e o cido para baixo e não para cima.
triângulo de segurança. • Para levantar o carro, é necessário
Acione o freio de estacionamento colocar o macaco horizontalmente,
e engate uma marcha (primeira ou a cabeça do macaco deve entrar no Em caso de furo, substitua
marcha à ré ou na posição P para alojamento do suporte 2, existente o pneu o mais rapidamente
as caixas automáticas). na parte inferior da carroceria e possível.
Os ocupantes deverão sair do veículo mais próximo da roda que será Um pneu furado deve ser sempre
e se manterem afastados da área trocada. examinado (e reparado, se
de circulação.
necessário) por um especialista.

5.05
PNEUS
Segurança pneus - Rodas Quando as bandas de rodagem
Os pneus, sendo o único meio de começam a se desgastar até o nível
ligação entre o veículo e o solo, devem dos indicadores, estes tornam-se
ser mantidos em bom estado. 1 visíveis 2: é então necessário substi-
tuir os pneus, dado que a profundidade
Respeite as normas previstas no código dos sulcos é de no mínimo 1,6 mm, o
de trânsito. 2 que significa má aderência em piso
Além disso, para uma boa aderência, molhado e limite de legalidade.
recomenda-se montar sempre um jogo Os incidentes de condução, tais como
de pneus da mesma marca, tipo, «toques na guia», podem causar danos
dimensão e estrutura. nos pneus e desregular o conjunto
dianteiro.
Um veículo sobrecarregado, longos
percursos em auto-estrada, particu-
larmente com muito calor, e condução
Manutenção dos pneus
freqüente em maus caminhos
Os pneus devem estar em bom estado
concorrem para a deterioração mais
e os sulcos devem apresentar-se com
rápida dos pneus e incidem na segu-
profundidade suficiente; os pneus
rança.
Quando houver a necessi- homologados pelos nossos Serviços
dade de substituí-los, deve- Técnicos incluem indicadores de
se montar em seu veículo desgaste 1 que são constituídos por
sempre um jogo de pneus da mesma ressaltos incorporados aos sulcos do
marca, tipo, dimensão e estrutura. pneu.

Os pneus devem ser idênticos aos


originais, isto é, devem corresponder
aos pneus indicados pela sua
Concessionária Renault.

5.06
PNEUS (cont.)
Pressões de enchimento As pressões devem ser verificadas a frio: Substituição dos pneus
É importante respeitar as pressões de não leve em consideração as altas
enchimento (incluindo a do estepe). pressões que possam ser atingidas
Devem ser verificadas em média uma com altas temperaturas ou após um Substituição dos pneus
vez por mês e antes de cada viagem percurso efetuado à alta velocidade Para a sua segurança, esta
(consulte: «Pressão de enchimento (consulte: «Pressão de enchimento operação deve ser realizada
dos pneus», no início deste manual). dos pneus», no início deste manual). exclusivamente por um especialista.
Caso a verificação das pressões não
possa ser efetuada com os pneus frios, A substituição dos pneus originais
é necessário acrescentar às pressões indi- por outros de dimensões ou marca
cadas de 0,2 a 0,3 bar (3 a 5 psi). diferentes poderá:
-pôr em risco a conformidade do seu
Nunca diminua a pressão quando o pneu automóvel, relativamente à regu-
estiver quente. lamentação em vigor;
Pressões inadequadas -modificar o comportamento do
provocam desgaste carro;
prematuro e aquecimento -tornar a direção mais pesada;
anormal dos pneus, com todas as -aumentar o ruído dos pneus;
conseqüências que possam decorrer - modificar a instalação de correntes.
no plano da segurança:
- má aderência à estrada,
- risco de estouro ou de soltura da
carcaça.
Rodízio de rodas
A calibragem depende da carga e Esta prática não é aconselhada.
da velocidade. Por essa razão, é
necessário adaptar as pressões às Estepe
condições de utilização do veículo
Consulte: «Estepe» e «Troca de pneus»,
(consulte o parágrafo "Pressões de
no início deste capítulo.
enchimento dos pneus").

5.07
PNEUS (cont.)
Precauções de inverno • Pneus de «neve» ou «borracha
• Correntes térmica»
Por razões de segurança, é proibido Apesar de não serem comercia-
instalar correntes no eixo traseiro. lizados no Brasil, caso viaje para o
Qualquer montagem de pneus de exterior com seu veículo, é impor-
dimensões superiores às originais tante saber que existem pneus mais
impossibilita a utilização de eficientes para uso com neve ou
correntes. gelo. Em função de suas caracterí-
sticas, estes pneus não apresentam
o mesmo desempenho que os pneus
convencionais no asfalto.

Aconselhamos equipar as quatro


rodas do veículo com a mesma
qualidade de pneus, a fim de
prolongar a capacidade de aderência
do veículo.
Nota: chamamos a atenção para o
fato de estes pneus terem, por vezes:
- um sentido de rodagem;
- um índice de velocidade máxima
que pode ser inferior à velocidade
máxima que o seu veículo pode
atingir.

Em quaisquer dos casos, consulte o


A instalação de correntes
seu Concessionário Renault, que
no veículo só é possível em
saberá indicar a escolha dos equipa-
pneus de dimensões idên-
mentos mais adaptados ao seu
ticas às originais.
automóvel.

5.08
FARÓIS DIANTEIROS: substituição de lâmpadas
Limpeza de faróis
Os faróis estão equipados com «lentes»
1 2 de plástico; para limpá-las utilize um
pano macio ou algodão.
Se isso não bastar, utilize um pano
macio (ou algodão) ligeiramente embe-
bido em água com sabão e, em seguida,
limpe com um pano macio ou algodão
A B úmidos.
Seque delicadamente com um pano
macio.
4
6 5 3 O emprego de produtos à base de
álcool é terminantemente proibido.

Farol alto/Farol baixo Lanternas dianteiras


Retire a capa de plástico A ou B girando Gire o soquete 1 um quarto de volta para
-a um quarto de volta. ter acesso à lâmpada e retire-a.
Retire o conector da lâmpada. Tipo de lâmpada: W 5 W.
Libere a mola 3 ou 5 e retire a lâmpada.
Tipo de lâmpara de iodo: 6 ➮ H7 Os faróis são de «vidro»
Indicadores de direção plástico; é imprescindível
4 ➮ H1 Gire o soquete 2 um quarto de volta e utilizar lâmpadas H1 e H7
antiultravioleta (ver quadro). retire a lâmpada. anti-ultravioletas.
Tipo de lâmpada: 21 W de cor laranja. (A utilização de qualquer outra
Não toque no vidro de uma lâmpada lâmpada que não seja H1 e H7
de iodo. Segure-a pelo soquete. poderia provocar a degradação dos
Uma vez trocada a lâmpada, assegure- faróis).
se de colocar corretamente as capas Aconselhamos levar no veículo um
de plástico. jogo de lâmpadas de reposição.

5.09
FARÓIS DIANTEIROS: regulagem e substituição de lâmpadas
Faróis adicionais
Se desejar equipar o veículo com faróis
de «neblina» ou de «longo alcance»,
consulte um Concessionário Renault.

Faróis de neblina 1
Substituição de uma lâmpada e regu-
lagem do farol:
Consulte um Concessionário Renault.

Qualquer reparo ou modi-


ficação no sistema elétrico
deve ser executado por um
Concessionário Renault: uma ligação
incorreta poderia deteriorar a insta-
lação elétrica (fiação, componentes,
em particular o alternador). Ali,
você disporá das peças necessárias
para a adaptação de seu veículo.

5.10
LUZES TRASEIRAS: substituição de lâmpadas

2 5
6
1
8
7

Luzes de pisca-pisca, marcha à


ré, lanterna e freio
No compartimento de bagagens, abra Libere o porta-lâmpadas 3, pres- 5 Luz de lanterna e freio
a tampa 2 (nos veículos que a tiverem) sionando a lingüeta 2. Lâmpada P21/5 W.
e, em seguida, a tampa 1.
6 Luz pisca-pisca
Lâmpada de cor laranja, P21 W.

7 Luz de neblina traseira


Lâmpada P21 W.

8 Luz de marcha à ré
Lâmpada P21 W.

5.11
LUZES TRASEIRAS E LATERAIS: substituição de lâmpadas (cont.)

3 3
1 1 2 2

Terceira luz de freio


Na tampa do compartimento de baga- Solte o conjunto, introduzindo uma Pelo lado externo, solte o conjunto.
gens, retire as coberturas 1. chave de fenda nos orifícios 2. Retire o porta-lâmpadas, pressionan-
do as lingüetas 3.

Tipo de lâmpadas: W 5 W.

Veículos equipados com


aerofólio, apresentam o
mesmo procedimento.

5.12
LUZES TRASEIRAS E LATERAIS: substituição de lâmpadas (cont.)

2 1

Luzes da placa de licença Pisca-piscas laterais


Solte o porta lâmpada 1, pressionando Libere o pisca-pisca lateral 3 (com
a lingüeta 2. uma chave de fenda).
Retire a capa do porta lâmpada para Gire um quarto de volta o porta-lâmpada
ter acesso à lâmpada. e retire a lâmpada.
Tipo de lâmpada: tubular 5 W. Tipo de lâmpada: W 5 W.

5.13
ILUMINAÇÃO INTERNA: substituição de lâmpadas

A 2 3

Luz de teto A Luzes internas traseiras


Libere (com uma chave de fenda) a Retire a lâmpada 2 ou 3. Libere (com uma chave de fenda) o
tampa 1. difusor 1 para ter acesso à lâmpada.
Tipo de lâmpada: W 7 W.
Tipo de lâmpada: tubular de 5 W.

5.14
ILUMINAÇÃO INTERNA: substituição de lâmpadas (cont.)

4
3

Compartimento de bagagens Pressione a lingüeta 4 para liberar o


Libere o conjunto 3 (com uma chave porta-lâmpadas e ter acesso à lâmpada
de fenda), pressionando as lingüetas 5.
laterais.
Desconecte o conjunto. Tipo de lâmpada: tubular de 7 W.

5.15
CONTROLE REMOTO DE TRAVAMENTO DAS PORTAS: BATERIAS

1 3
2

Substituição das baterias Sintonia do Controle remoto


Remova o parafuso 1, abra a caixa Após substituir a bateria, pode ser
(com uma moeda, por exemplo), e necessário sintonizar o controle remoto.
substitua a bateria 2 respeitando a Para isso, do interior do veículo:
polaridade gravada na tampa. • Pressione o controle remoto, até que
a luz indicadora 3 da bateria se apague
Nota: Quando houver substituição da (cerca de 10 segundos).
bateria, o circuito eletrônico existente
na tampa não deve ser tocado. • Em seguida, pressione duas vezes
As baterias estão disponíveis no sucessivamente o controle remoto.
seu Concessionário Renault.
A duração destas baterias é de cerca Cao o problema persista, dirija-se ao
de 2 anos. seu Concessionário Renault.
Entre as duas ações, travamento e
liberação, é necessário aguardar um
segundo.

5.16
FUSÍVEIS
Para identificar os fusíveis, consulte
a etiqueta 4 fixada na tampa (em detalhe
1 na página seguinte).
4
Não utilizar os espaços livres para
fusíveis. 3
2
3
BOM RUIM

Compartimento dos fusíveis 1 Retire o fusível com a pinça 3.


Se algum dos equipamentos elétricos Para retirá-lo da pinça, deslize-o
não funcionar, comece por verificar lateralmente.
o estado dos fusíveis. Certifique-se
também de que os conectores do
aparelho estão corretamente ligados. Verifique o fusível envolvido
Em caso de curto-circuito, solte a e substitua-o, se necessário
porca-borboleta que fixa um dos bornes e obrigatoriamente, por
para isolar a bateria. outro de mesma amperagem que o
Abra a tampa 2 (situada no lado esquer- original.
do sob o volante). Um fusível com demasiada ampe- Uma boa precaução:
ragem pode criar um aquecimento Adquira, no seu Concessionário
excessivo dos circuitos elétricos Renault, um conjunto de fusíveis
(risco de incêndio), em caso de e outro de lâmpadas.
consumo anormal de algum
equipamento.

5.17
FUSÍVEIS (cont.)
Identificação dos fusíveis (a presença ou não dos fusíveis depende do nível de equipamento do veículo).
Símbolo Equipamentos protegidos Símbolo Equipamentos protegidos Símbolo Equipamentos protegidos

Desembaçador do vidro Rádio/Acendedor / Levantadores elétricos


traseiro Iluminação dos dos vidros
comandos/Relógio
Buzina Limpador e lavador
Antibloqueio de rodas pára-brisa
Tomada 12V
(ABS)
Não utilizado
Lanterna esquerda/
Alarme sonoro de luzes/ Ventilação E Não utilizado
Painel de instrumentos/
Placa de licença Travamento elétrico das
Não utilizado portas / Luz de teto /
Lanterna direita/ Luz porta-bagagens
Luzes Climatização
Não utilizado
Luz de neblina traseira Travamento elétrico da
porta do motorista
Farol alto direito ALIM Telecomando /
UCH Sistema antiarranque Faróis de neblina
Farol alto esquerdo dianteiros
MEMO Corta consumidores (re-
Farol baixo direito/ INJECT
Memória da injeção
Regulagem dos faróis lógio, rádio, retrovisores)

Farol baixo esquerdo R Luzes de marcha à ré/


Central pisca-piscas
Limpador e lavador do
Luzes de freio/ Painel de vidro traseiro
instrumentos/ Air bag/
Não utilizado Não utilizado
ABS/ Bloqueio do
levantador do vidro
elétrico traseiro SHUNT Não utilizado
5.18
BATERIA: avaria
Em caso de acidente Ligação de um carregador Se houver muitos acessórios instalados
Isole a bateria soltando um dos Desligue impreterivelmente (motor no veículo, ligue-os em «após-contato»,
terminais. parado) os dois cabos da bateria. ou seja, que eles funcionem somente
Não desligue a bateria com o motor com a ignição nas posições A ou M .
Para evitar qualquer risco de em funcionamento. Siga as instruções Se isso não for possível, é preferível
faísca: dadas pelo fornecedor do carregador equipar o carro com uma bateria de
- Certifique-se de que os da bateria utilizada. maior capacidade nominal. Consulte
«consumidores» foram desligados, Só uma bateria bem carregada e bem o seu Concessionário Renault.
antes de mexer nos terminais da cuidada poderá ter uma vida longa e Em caso de imobilização prolongada
bateria (para ligá-la ou desligá-la). proporcionar a partida normal do do veículo, desligue a bateria e
- Quando deixar a bateria carregando, motor. recarregue-a regularmente, sobretudo
desligue o carregador antes de desco-
A bateria deve ser conservada limpa em tempo frio. Terminada a
nectar ou conectar novamente a
e seca e os bornes e braçadeiras devem imobilização, é necessário reprogramar
bateria.
estar limpos e lubrificados com um os aparelhos com memória (rádio). A
- Não coloque objetos metálicos sobre
produto antiácido. bateria deve ser guardada em local
a bateria, para não provocar curto-
Mande verificar freqüentemente a seco, fresco e ao abrigo do gelo.
circuito entre os terminais.
capacidade de carga da bateria do seu
Movimente a bateria com automóvel:
cuidado, porque contém Algumas baterias podem
• se for utilizado em percursos curtos apresentar certas
ácido sulfúrico o qual não
(circuito urbano); especificidades com respeito
deve entrar em contato com os
olhos ou a pele. Se isso acontecer, • quando a temperatura externa baixar à carga. Consulte um Concessionário
lave a zona atingida com água (diminuição da capacidade de Renault.
abundante. carga). Com tempo frio, utilize apenas
Evite riscos de faíscas que possam
Mantenha todos os elementos da o equipamento elétrico necessário;
originar uma explosão imediata e
bateria longe de chamas: há risco • no caso de um consumo anormal
proceda à carga da bateria em local
de explosão. de eletrólito;
arejado. Existe o perigo de lesões
Nas intervenções no compartimento • a capacidade diminui naturalmente
do motor, lembre-se de que o graves.
devido a certos «consumidores
ventilador pode entrar em permanentes» (relógio, acessórios
funcionamento em qualquer pós-venda).
momento.

5.19
BATERIA: avaria (cont.)
Partida do motor com a bateria Certifique-se de que não existe nenhum
de outro automóvel contato entre os cabos A e B e que o
4 cabo A (+) não está em contato com
Se, para pôr o motor em funcionamento, 1 nenhum elemento metálico do veículo
for necessária a energia de outra bateria,
que fornece energia.
proceda da seguinte forma:
B Dê a partida do motor normalmente.
Adquira cabos elétricos apropriados Assim que o motor começar a funcionar
junto a seu Concessionário Renault desligue os cabos A e B na ordem
ou, se já os tiver, certifique-se de que A inversa (4-3-2-1).
estejam em bom estado.
3
As duas baterias devem ter tensão 2
nominal semelhante: 12 V. A bateria
que fornece a energia deve ter uma
capacidade (ampére-hora, Ah) pelo
menos idêntica à da bateria
descarregada.
Fixe o cabo positivo (+) A ao borne
Uma bateria não deve ser alimentada (+) 1 da bateria descarregada e, em
se estiver gelada. seguida, ao borne (+) 2 da bateria que
Assegure-se de que não há nenhum fornece a energia.
contato entre os dois veículos (risco de Fixe o cabo negativo (–) B ao borne
curto-circuito, ao ligar os pólos (–) 3 da bateria que fornece energia
positivos) e de que a bateria e, em seguida, ao borne (–) 4 da bateria
descarregada está bem conectada. descarregada.
Desligue a ignição do seu veículo.
O motor do veículo que fornece a
energia deve estar trabalhando em
rotação moderada.

5.20
BATERIA: reciclagem obrigatória
Devolva a bateria usada ao
revendedor no ato da troca. Riscos do contato com a
Conforme resolução Conama 257/99 solução ácida e com o
de 30/06/99. chumbo:
A solução ácida e o chumbo
TODO CONSUMIDOR/USUÁRIO contidos na bateria se descartados
FINAL É OBRIGADO A DEVOLVER na natureza de forma incorreta
SUA BATERIA USADA A UM PONTO poderão contaminar o solo, o sub-
DE VENDA. NÃO A DESCARTE NO solo e as águas, bem como causar
LIXO. riscos à saúde do ser humano.
No caso de contato acidental com
OS PONTOS DE VENDA SÃO
os olhos ou com a pele, lavar imedia-
OBRIGADOS A ACEITAR A
tamente com água corrente e
DEVOLUÇÃO DE SUA BATERIA
procurar orientação médica.
USADA, BEM COMO A ARMAZENÁ-
LA EM LOCAL ADEQUADO E A
DEVOLVÊ-LA AO FABRICANTE PARA
RECICLAGEM. A reciclagem obrigatória também
se aplica para as pilhas do controle
remoto de abertura das portas.

Composição Básica: chumbo, ácido


sulfúrico diluído e plástico

5.21
PRÉ-EQUIPAMENTO RÁDIO

Instalação do rádio Alto-falante de agudos Alto-falante na porta


Retire os fusíveis do rádio (consulte a Desencaixe, com uma chave de fenda, Desencaixe a grade 3, levantando-a
seção “fusíveis” no capítulo 5). a grade 2 para ter acesso aos fios do no sentido das setas com uma chave
Remova a tampa 1. alto-falante. de fenda.
As ligações; antena, alimentação (+) e Desaperte os quatro parafusos. Em
(–), os fios dos alto-falantes esquerdo seguida, extraia o cartão de proteção
e direito encontram-se por trás (esses para ter acesso aos fios do alto-falante.
últimos estão ligados aos alto-falantes
no painel, nas portas e na parte traseira).

• Em quaisquer dos casos, é importante seguir as instruções de instalação do fabricante


do rádio.
• As características dos suportes e fiação (disponíveis em nossas Renault-
Boutique) variam em função do nível de equipamento do automóvel e do tipo
de rádio.
Consulte o seu Concessionário Renault.

5.22
PRÉ-EQUIPAMENTO RÁDIO (cont.) ACESSÓRIOS
Montagem posterior de
acessórios elétricos e
eletrônicos
• As intervenções no circuito elétrico
do veículo serão realizadas
exclusivamente por um
Concessionário Renault, pois uma
ligação incorreta poderia provocar
4 a deterioração da instalação elétrica
e/ou dos componentes conectados
à instalação.
• Caso seja montado posteriormente
um equipamento elétrico, assegure-
se de que a instalação está bem
Alto-falante traseiro protegida por um fusível. Solicite
Retire a cobertura 4 e a esponja. informações sobre a capacidade e
a localização do fusível.
Montagem posterior de acessórios
não elétricos (rack de teto, ganchos
de reboque).
Os acessórios homologados pela
RENAULT foram concebidos com
base em rígidos critérios e estão
submetidos a um controle estrito;
poderão ser, portanto, utilizados
(principalmente os acessórios que
envolvem a segurança) com total
confiabilidade, por serem os mais
apropriados para seu veículo.

5.23
LIMPADOR DO PÁRA-BRISA: substituição das palhetas
Montagem
1 Para repor as palhetas do limpador
do pára-brisa, proceda no sentido
2 inverso ao da remoção. Certifique-se
do correto travamento da palheta. C
3
6
B 4

5
A

Substituição das palhetas do Palheta do limpador do vidro


limpador de pára-brisa traseiro
• levante o braço do limpador de pára- • levante o braço do limpador do vidro
brisa 3; 5;
• gire a palheta 1 até a posição • gire a palheta 6 até sentir uma
horizontal; resistência;
• pressione a lingüeta 2 e faça a palheta • Com tempo muito frio, • libere a palheta puxando-a (C).
deslizar para baixo, até liberar o verifique se as palhetas dos
gancho 4 do braço; limpadores de pára-brisa Para montá-la
• faça a palheta deslizar para o lado não estão imobilizadas pelo gelo Proceda no sentido inverso ao da
(A) e, em seguida, para cima (B), (risco de superaquecimento do remoção. Certifique-se do correto
liberando-a. motor). travamento da palheta.
• Verifique o estado das palhetas.
Devem ser substituídas assim
que a sua eficácia diminuir.

5.24
REBOQUE (em caso de avaria)

3
2
2 1

O volante não deve estar travado; a Utilize exclusivamente os pontos de


chave de ignição deve estar na posição reboque dianteiro 1 e traseiro 3 (nunca
«M» (ignição) permitindo a sinalização os eixos de transmissão).
(luzes, freio, indicadores de direção). Estes pontos de reboque só devem ser
À noite, o veículo deve estar iluminado. utilizados em tração; em nenhum caso
É imprescindível respeitar as condições devem servir para levantar direta ou
de reboque definidas pela legislação indiretamente o veículo.
vigente em cada país.
Nunca ultrapasse o peso rebocável Ponto de reboque 1 ou 3
admitido. Consulte o seu Concessionário Aperte o engate para reboque 2
Renault. (situado no jogo de ferramentas) com
a mão ao máximo.

5.25
REBOQUE (em caso de avaria, cont.)
Reboque de um veículo com caixa
automática: particularidades A
Com o motor parado : a caixa de
velocidades deixa de ser lubrificada,
portanto, transporte o veículo sobre B
uma plataforma ou reboque-o com as
rodas dianteiras levantadas.

Excepcionalmente, pode ser rebocado C


com as 4 rodas no solo, utilizando o
ponto de reboque e unicamente nas
seguintes condições: velocidade má-
xima de 40 km/h e num percurso li-
mitado a 50 km.

A alavanca deve estar em


posição neutra N.
Se a alavanca ficar bloqueada
na posição P, ainda que com o pé
no pedal de freio, é possível
desbloqueá-la manualmente. Para
isso, solte a capa B e pressione
simultaneamente o botão C e o
botão A para tirar a alavanca da
posição P.

5.26
REBOQUE (engate de reboque)

Os pontos em vermelho indicam


onde deve ser fixada a estrutura de
A gancho de reboque caso este seja
montado. Dirija-se ao seu
concessionário RENAULT para
maiores informações sobre este
acessório.

Carga admitida sobre a bola de


reboque, peso máximo de reboque
com freio e sem freio de inércia:
consulte o capítulo 6, parágrafo
"MASSAS".
Para a montagem do gancho de
reboque e as condições de utilização,
consulte o manual de montagem
do fabricante.
É aconselhável guardar esse manual
junto com os demais documentos do
veículo.

A: 787 mm

5.27
ANOMALIAS DE FUNCIONAMENTO
Se você seguiu regularmente o programa de manutenção Renault, o seu veículo não deverá apresentar problemas que o mantenham
imobilizado por muito tempo.
As orientações abaixo permitirão fazê-lo funcionar rapidamente, ainda que de forma provisória, até que seja possível levar
o veículo a um Concessionário Renault.
Ao acionar o motor de partida CAUSAS O QUE FAZER

• Nada acontece: os indicadores não Cabo da bateria desligado ou terminais Verifique o contato dos terminais:
se acendem e o motor não dá a partida. e bornes oxidados. raspe-os e limpe-os, se estiverem
oxidados, e reaperte-os.

Bateria descarregada. Ligue a bateria a uma outra.

Bateria avariada. Substitua a bateria.

• Os indicadores enfraquecem e o Terminais da bateria mal-apertados. Verifique o contato dos terminais:


motor de partida funciona muito Bornes da bateria oxidados. raspe-os e limpe-os, se estiverem
lentamente. oxidados, e reaperte-os.

Bateria descarregada. Ligue a bateria a uma outra.

• O motor dá a partida dificilmente com Má ignição: umidade no sistema de Seque os cabos das velas e da bobina.
tempo úmido ou após lavagem. ignição.

• O motor dá a partida dificilmente a Má carburação (bolhas de gás no Deixe arrefecer o motor.


quente. circuito).

Falta de compressão. Consulte um Concessionário Renault.

5.28
ANOMALIAS DE FUNCIONAMENTO (cont.)
Ao acionar o motor de partida CAUSAS O QUE FAZER

• O motor falha mas não dá a partida Antiarranque em funcionamento. Consulte o capítulo «Sistema
ou funciona dificilmente a frio. Antiarranque».

Procedimento incorreto ao dar a partida Consulte o capítulo «Partida do motor».


do motor.
ou
Má alimentação de combustível ou Se o motor não der a partida, não
má ignição. insista.
Consulte um Concessionário Renault.

• Vibrações. Pneus com pressão incorreta, mal Verifique a pressão dos pneus. Se essa
calibrados ou danificados. não for a causa, consulte um
Concessionário Renault.

• Borbulhas no vaso de expansão. Avaria mecânica: junta de cabeçote Desligue o motor. Consulte um
queimada, bomba de água defeituosa. Concessionário Renault.

Ventilador avariado. Verifique o fusível correspondente.


Caso contrário, consulte um
Concessionário Renault.

5.29
ANOMALIAS DE FUNCIONAMENTO (cont.)
Em estrada CAUSAS O QUE FAZER

• Fumaça branca anormal no escape. Avaria mecânica: junta de cabeçote Desligue o motor. Consulte um
deteriorada. Concessionário Renault.

• Fumaça no compartimento do Curto-circuito. Desligue o motor, a ignição e a bateria.


motor.
Tubulação do circuito de refrigeração Consulte um Concessionário Renault.
defeituosa

• O indicador de pressão de óleo


acende-se
- ao fazer uma curva ou frear; Nível de óleo demasiado baixo. Reponha o óleo até o nível.
- em marcha lenta; Pressão de óleo baixa. Dirija-se ao Concessionário Renault
mais próximo.
- demora a apagar-se ou permanece Falta de pressão de óleo. Dirija-se ao Concessionário Renault.
aceso em aceleração.

• O motor tem falta de potência. Filtro de ar sujo. Substitua o elemento filtrante.

Falta de alimentação de combustível. Verifique o nível de combustível.

Velas defeituosas, mal calibradas. Consulte um Concessionário Renault.

• A marcha lenta é instável ou o motor Falta de compressão (velas, ignição, Consulte um Concessionário Renault.
se desliga. tomada de ar).

5.30
ANOMALIAS DE FUNCIONAMENTO (cont.)
Em estrada CAUSAS O QUE FAZER

• A direção torna-se dura. Correia partida. Substitua a correia.

Falta de óleo na bomba. Acrescente óleo (ver «manutenção»).


Consulte o seu Concessionário Renault,
se o problema persistir.

• O motor se aquece. O indicador de Bomba de água: correia com folga ou Pare o veículo. Desligue o motor.
temperatura do líquido de arrefecimento partida. Consulte um Concessionário Renault.
acende-se (ou o ponteiro do indicador Avaria do ventilador.
situa-se na zona mais alta do marcador
de temperatura).

Vazamento de água. Verifique o estado da tubulação e o


aperto das braçadeiras.
Verifique o vaso de expansão: deve
conter líquido. Caso contrário, reponha
até o nível (depois de ter deixado
arrefecer). Tome todas as precauções
para não se queimar. Esta solução é
provisória. Dirija-se ao seu
Concessionário Renault logo que
possível.

Radiador: No caso de falta de água significativa, não se esqueça de que nunca se deve acrescentar água fria se o
motor estiver quente. Os pequenos acréscimos devem ser feitos pelo vaso de expansão. Após qualquer intervenção
no veículo que tenha implicado no esvaziamento, mesmo que parcial, do sistema de arrefecimento, este deve ser
completado com mistura nova convenientemente dosada.
Lembramos que é imprescindível utilizar apenas produtos recomendados pelos nossos Serviços Técnicos.

5.31
ANOMALIAS DE FUNCIONAMENTO (cont.)
Sistema elétrico CAUSAS O QUE FAZER

• O limpador do pára-brisa não funciona. Palhetas coladas. Descole as palhetas.

Fusíveis queimados (intermitente, parada Substitua-os.


fixa).

Avaria do motor do limpador. Consulte um Concessionário Renault.

• Intermitência mais rápida dos - lâmpada queimada; Substitua a lâmpada.


indicadores de pisca-piscas.

• Os pisca-piscas De um só lado: - lâmpada queimada; Substitua a lâmpada.


não funcionam.
- fio de alimentação ou conector mal Ligue-o corretamente.
ligados;

- ligação à massa defeituosa (problema Identifique o fio de massa que está ligado
de aterramento). a uma parte metálica; raspe a ponta do
fio de massa e volte a ligá-lo
cuidadosamente.

Dos dois lados: Substitua-o.


- fusível queimado;
Para substituí-la, consulte um
- central de pisca-piscas avariada. Concessionário Renault.

5.32
ANOMALIAS DE FUNCIONAMENTO (cont.)
Sistema elétrico CAUSAS O QUE FAZER

• Os faróis não Um só: - lâmpada queimada; Substitua-a.


funcionam.
- fio desligado ou conector mal Verifique e ligue o fio ou o conector.
posicionado;

- ligação à massa defeituosa. (problema Ver o ponto anterior.


de aterramento).

Os dois: - se o circuito estiver protegido por um Verifique-o e substitua-o, se necessário.


fusível,

Isto não é uma anomalia. O vapor de


água nos faróis é um fenômeno natural
• Vestígios de vapor de água nos devido às variações de temperatura.
faróis. Desaparecerá assim que os faróis forem
utilizados.

5.33
Capítulo 6: Características técnicas

Placas de identificação ............................................................................................................... 6.02 - 6.03


Dimensões ............................................................................................................................................ 6.04
Características dos motores .................................................................................................................. 6.05
Massas ........................................................................................................................................... 6.06
Carga rebocável ...................................................................................................................................... 6.06
Peças de reposição .................................................................................................................................. 6.07
6.01
PLACAS DE IDENTIFICAÇÃO

6
7
A 8
9
1 93 10
2
3 11
4
5 12

13
B A

Plaqueta do ano de fabricação B Placa do fabricante A


As informações contidas na placa do 6 Características técnicas do veículo.
Esta plaqueta indica o ano em que foi fabricante A (lado direito) devem 7 Referência da pintura.
fabricado o veículo. constar em todos os documentos onde
o veículo deva ser identificado. 8 Nível de equipamento.
9 Tipo de veículo.
1 Número de Identificação (VIN)
10 Revestimento dos assentos.
2 Massa Máxima (passageiro e carga)
2005 3 Massa Total
11 Complemento de definição de
equipamento.
4 Carga Máxima (eixo dianteiro) 12 Número de Fabricação (Série).
5 Carga Máxima (eixo traseiro) 13 Acabamento interno.

6.02
PLACAS DE IDENTIFICAÇÃO (cont.)
As informações contidas na placa do
fabricante e do motor devem constar
em todos os documentos onde o veículo
deva ser identificado.

Placa do motor ou etiqueta B


(localização conforme a motorização)
1 Tipo de motor.
C
2 Índice do motor.
B 3 Número do motor.

B
1.6 l 16 V 1
2 3
Número de chassi C

O número de chassi C está gravado


do lado direito do estepe.

2.0 l 16 V

6.03
DIMENSÕES (em metros)

0,877 2,580 0,712 1,450

4,169 1,719

Diâmetro de giro
Entre muros: 10,70

1,615 (1) (2)


(1) Conforme versão.
1,485
(2) Vazio. Em veículos com bagageiros, acrescentar cerca de 7,5 cm.

6.04
CARACTERÍSTICAS DOS MOTORES
Versões 1.6 l 16V 2.0 l 16 V

Tipo motor
K4M Hi-Flex K4M F4R
(indicado na placa do motor)
Diâmetro x Curso (mm x mm) 79,5 x 80,5 82,7 x 93

Cilindrada (cm3) 1 598 1 998

Taxa de Compressão 10,0 : 1 9,8 : 1

Potência - cv (ISO ABNT) / rpm 110 / 5750 (gasolina) 110 / 5 750 138 / 5 500
115 / 5750 (álcool)

Torque - Nm / rpm 148/ 3750 (gasolina) 148 / 3 750 188 / 3 750


157 / 3750 (álcool)
Limite máximo de ruído / rpm (*) 85,70 dB (A) / 4,312 94,3 dB (A) / 4,312 83,3 dB (A) / 4,125

Injeção Multiponto
Gasolina do tipo C sem
Tipo de Combustível chumbo e álcool etílico Gasolina do tipo C sem chumbo
hidratado carburante

Marcha lenta Sem regulagem

O motor do seu veículo deve usar somente velas especificadas.


Velas
O uso de velas não especificadas provocará problemas no motor do seu veículo.
Consulte a sua Concessionária Renault.
Ordem de ignição 1-3-4-2

Emissão de CO (monóxido de carbono)% < 0,1 %

(*) Este veículo está em conformidade com a legislação vigente de controle da poluição sonora, para veículos automotores.
6.05
MASSAS (em kg)
Versões básicas (sem opcionais), sujeitas a variações no decorrer da série. Consulte o seu Concessionário Renault.

Todas as versões 1.6 l 16V 2.0 l 16V 2.0 l 16V 1.6 l 16V
(comercialização conforme o país) Automático Automático

Massa do veículo vazio (tara) Total 1 250 1 290 1 320 1 280


em ordem de marcha Na frente 745 785 815 775
Sem motorista Atrás 505 505 505 505

Massa máxima Na frente 1 030


autorizada por eixo Atrás 1 000

Massa máxima autorizada com carga (massa bruta) 1 800 1 815 1 845 1 830

Massa máxima para reboque sem freio 660 680 695 675
Massa máxima para reboque com freio (*)
só com motorista 1 300 1 350 1 300 1 250
outros casos 1 000 1 050 1 000 950
Massa total admissível
( Massa máxima autorizada 2 750 2 800 2 800 2 750
com carga reboque)
Carga admitida no eixo do reboque 75
Carga admitida no bagageiro de teto 70

* Carga rebocável (Reboque de carga, barco, etc.)


- É muito importante respeitar as cargas rebocáveis admitidas pela legislação local. Para qualquer adaptação, dirija-se ao seu
Concessionário Renault. Em todos os casos, a massa total admissível (veículo reboque) nunca deve ser ultrapassada.
- Se utilizar o veículo com carga total (massa máxima autorizada com carga), a velocidade máxima deve ser 100 km/h e à
pressão dos pneus devem ser acrescentadas de 3 a 4 psi (0,2 bar).
- O rendimento e a potência do motor em subida diminuem com a altitude. Em todos os casos, preste muita atenção aos indicadores
do quadro de instrumentos (temperatura da água, etc.). Não hesite em consultar o seu Concessionário Renault.
6.06
PEÇAS DE REPOSIÇÃO
As peças de reposição Renault são produzidas com base em rígidos critérios de qualidade, mantendo por isso o mesmo padrão
encontrado nas peças utilizadas nos veículos novos.
A utilização sistemática de peças originais Renault garante a manutenção do desempenho de seu veículo. Além disso, as
revisões e reparos feitos nas oficinas da Rede Renault, com peças originais, mantêm o seu veículo dentro das condições de
garantia iniciais.

6.07
ÍNDICE ALFABÉTICO
A ABS (antibloqueio de rodas) ........................................ 2.10 C Características técnicas .................................................. 6.05
Acendedor de cigarros ............................................ 3.11 Cargas rebocáveis ........................................................... 6.06
Acessórios ............................................................ 5.23 Catalisador ............................................................ 1.47 - 2.04
Air bag .................................................................. 1.18 à 1.22 Chave de calota/roda .................................................... 5.04
Alarme de luzes acesas ................................ 1.04 - 1.41 Chaves .................................................................. 1.02 à 1.03
Alavanca de câmbio ............................................ 2.05 Cilindrada ....................................................................... 6.05
Alavanca de câmbio automático ......................... 2.11 à 2.13 Cintos de segurança .................................. 1.13 à 1.22 - 4.14
Alto-falantes ......................................................... 5.22 - 5.23 Cinzeiros ......................................................................... 3.13
Amaciamento ....................................................... 2.02 Controle remoto...............................................................................1.02
Anomalias de funcionamento ............................ 5.28 à 5.33 Climatização ........................................................ 3.06 à 3.07
Antiarranque ............................................. 1.08 à 1.09 - 2.03 Comandos painel de bordo ..................................... 1.27 à 1.28
Antipoluição ........................................................ 2.06 à 2.08 Combustível .......................................................... 1.47 - 6.05
Apoios de cabeça ................................................. 1.10 à 1.11 Compartimento de bagagens ............................... 3.23 à 3.24
Aquecimento-arejamento .................................... 3.04 à 3.05 Compartimento do motor .................................... 4.02 à 4.03
Ar-condicionado .................................................. 3.08 à 3.11 Computador de bordo ......................................... 1.34 à 1.36
Arranque do motor ........................... 2.02 - 2.04 - 5.20 Condução ............................................................. 2.06 à 2.08
Arrumação de objetos ............................... 3.18 à 3.20 - 3.23 Conselhos antipoluição e economia
Assistência de direção ......................................... 2.05 - 4.08 de combustível ................................................ 2.06 à 2.08
Assistência em frenagem de urgência ........................... 2.11 Contato de ignição .......................................................... 2.02
Avarias (avarias) ...................................................... 5.25 à 5.27
D Desembaçador elétrico .............................................. 1.45
B Bancos dianteiros............................................................ 1.12 Desembaçadores ............................................... 3.02 à 3.09
Bancos traseiros........................................................ 3.16 à 3.19 Diâmetro de giro ................................................. 6.04
Bateria ........................................................... 4.10 - 5.19 à 5.21 Difusores de ar .................................................... 3.04 - 3.05
Bolsa inflável ....................................................... 1.18 à 1.22 Dimensões ....................................................................... 6.04
Bomba da direção hidráulica ................................... 4.08 Direção hidráulica ................................................ 2.05 - 4.08
Buzina ............................................................................. 1.40
E Economia de combustível ....................................... 2.06 - 2.08
C Caixa de câmbio ................................................... 4.08 Elevação do veículo (substituição de roda).................... 5.05
Caixa de câmbio automática.................................... 2.12 à 2.14 Engate para reboque ............................................ 5.25 à 5.27
Calibragem ...................................................................... 0.04 Espelho de cortesia ........................................................ 3.13
Calota .......................................................................... 5.04 Espelhos retrovisores .......................................... 1.38 à 1.39
Capacidade tanque de combustível ............................... 1.47 Estepe ............................................................................. 5.02
Capô do motor ..................................................... 4.02 à 4.03 Extintor de incêndio ....................................................... 1.49
Características dos motores ........................................... 6.05
7.01
ÍNDICE ALFABÉTICO
F Faróis ................................................. 1.41 à 1.42 - 5.09 à 5.11 M Macaco ............................................................................ 5.03
Faróis de neblina ....................................... 1.42 - 5.10 à 5.11 Manivela ......................................................................... 5.03
Faróis (regulagem) ............................................... 1.43 à 1.44 Manutenção carroceria ........................................ 4.12 - 4.13
Filtro de ar ............................................................ 2.06 - 4.11 Manutenção guarnições interiores ............................... 4.14
Filtro de óleo de motor .................................................. 4.06 Manutenção mecânica ......................................... 4.02 à 4.11
Fluido de freios .............................................................. 4.10 Marcha à ré ......................................................................... 2.05
Freio de estacionamento ............................................... 2.05 Marcha lenta ....................................................................... 2.06
Fusíveis ................................................................. 5.17 - 5.18 Massas ............................................................................. 6.06
Meio ambiente ................................................................ 2.09
G Gasolina ................................................................ 1.47 - 6.05 Motor (características) ................................................... 6.05
H Hodômetro ........................................................... 1.29 à 1.31 Mudança de velocidades ......................................... 2.05 - 6.05
Hora ................................................................................ 1.37
Hi-Flex .........................................................1.47 - 1.48 - 6.05 N Níveis ....................................................................... 4.08 à 4.11
Nível de combustível .......................................... 1.29 à 1.31
I Identificação ......................................................... 6.02 - 6.03 Nível de óleo do motor ....................................... 4.04 à 4.05
Ignição ........................................................ 2.02 - 2.06 - 6.05
Iluminação externa ............................ 1.40 à 1.42 - 5.09 à 5.13 O Óleo do motor ...................................................... 4.04 à 4.07
Iluminação interna .................................... 3.12 - 5.14 à 5.15
Incidentes (problemas de funcionamento) ........ 5.28 à 5.33 P Painel de instrumentos ....................................... 1.29 à 1.33
Indicadores de controle ....................................... 1.29 à 1.33 Palhetas do limpador de vidros ................................... 5.24
Instalação do rádio .............................................. 5.22 à 5.23 Pára-sóis .......................................................................... 3.15
Particularidades (catalisador) ........................................ 2.04
J Jogo de ferramentas ................................................... 5.03 Partida do motor ...................................... 2.02 à 2.03
Peças de reposição ...................................................... 6.07
L Lâmpadas ............................................................. 5.09 à 5.15 Pintura (proteção) ................................................ 4.12 - 4.13
Lanternas .................................................... 1.41 - 5.09 - 5.11 Pintura (referência) ........................................................ 6.02
Lavador de vidros ................................................ 1.46 à 1.47 Pisca-alerta ...................................................................... 1.40
Lavagem carroceria e guarnições ..................... 4.12 à 4.14 Pisca-piscas ...................................... 1.40 - 5.09 - 5.11 - 5.13
Levantador de vidros .............................................. 3.14 à 3.15 Placa fabricante .............................................................. 6.02
Limitador de esforços integrados .................................. 1.18 Placa motor ..................................................................... 6.03
Limpador do pára-brisa ............................................... 1.46 Placas de identificação ........................................ 6.02 à 6.03
Líquido refrigeração do motor ........................................... 4.09 Pneus .................................................. 0.04 - 2.07 - 5.05 à 5.08
Luzes de freio ...................................................... 5.11 à 5.12 Porta-luvas ...................................................................... 3.18
Luzes de marcha à ré...................................................... 5.11 Porta-objetos ........................................................ 3.20 à 3.22
Luzes externas ................................ 1.40 à 1.42 - 5.09 à 5.13 Porta-pacotes .................................................................. 3.25
Luzes internas ........................................... 3.10 - 5.14 à 5.15 Portas .................................................................... 1.04 à 1.06
7.02
ÍNDICE ALFABÉTICO
Posto de condução ............................................ 1.27 - 1.28 T Travamento das portas ....................................... 1.02 à 1.06
Pressão pneus ................................................................. 0.04 Travamento automático das portas
Problemas de funcionamento ................................. 5.28 à 5.33 com o veículo em movimento ................................... 1.07
Triângulo de segurança .................................................. 5.03
Q Quadro de instrumentos ..................................... 1.29 à 1.33 Troca de marcha ............................................................. 2.05
Troca de óleo do motor ....................................... 4.06 à 4.07
R Radiador .......................................................................... 5.31 Troca de pneus ..................................................... 5.02 à 5.05
Rádio (montagem e equipamento) ......................... 5.22 à 5.23
Reboque (carga) .............................................................. 6.06 V Vareta de óleo motor .......................................... 4.04 à 4.05
Reboque (engate) ............................................................ 5.27 Velas ...................................................................... 2.06 - 6.05
Reboque (guincho) ............................................... 5.25 à 5.26 Ventilação – climatização .................................... 3.04 à 3.05
Refrigeração do motor .................................................... 4.09 Vidros ....................................................................... 3.12 à 3.13
Regulagem da posição de condução .............................. 1.12 Volante de direção (regulagem) ..................................... 1.39
Regulagem dos bancos ........................................ 1.10 à 1.12
Regulagem dos faróis ................................................... 1.43
Relógio ............................................................................ 1.37
Reservatório:
Bomba direção ............................................................ 4.08
Lavador de vidros ...................................................... 4.11
Líquido de refrigeração .............................................. 4.09
Fluido de freios .......................................................... 4.10
Partida a frio ............................................................. 1.47
Retrovisores ......................................................... 1.38 à 1.39

S Segurança das crianças ....................................... 1.23 à 1.26


Sinal luzes ...................................................................... 1.40
Sinalização – iluminação .................................... 1.40 à 1.42
Sistema antiarranque ................................ 1.08 à 1.09 - 2.03
Substituição das lâmpadas .................................. 5.09 à 5.15
Substituição de palhetas limpador de vidros .............. 5.24

T Tampa de combustível ......................................... 1.48à 1.49


Tanque de combustível (capacidade) ........................... 1.47
Temperatura externa ................................................... 1.37
Transporte de bagagens .................................................. 3.26

7.03
SAC - Serviço de Atendimento ao Cliente
RENAULT
0800.055.56.15
Ao ligar, tenha em mãos o documento do veículo.
e-mail: atendimento@renaultsac.com.br
Caixa Postal 17033, CEP 80051 - 980

RENAULT SAC
Assistance RENAULT
a a a a
2 a 6 , das 8hs as 18hs 2 a 6 , das 8hs as 18:30hs
Sábado, das 9hs as 15hs
CRIADOR DE AUTOMÓVEIS

82 00 602 469 – Agosto 2007 – Edição em Português

Centres d'intérêt liés