Vous êtes sur la page 1sur 14

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO PARANÁ

DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETRÔNICA


EL43D – FUNDAMENTOS EM COMUNICAÇÃO DE DADOS

OBJETIVO 05 – MODULAÇÃO FM

Objetivos de Ensino

Estudo da modulação FM.

Conteúdo

• Modulação angular
• Modulação em freqüência
• FM - faixa estreita
• FM - faixa larga

Sumário
5.1 MODULAÇÃO ANGULAR ..................................................................................................2

5.2 MODULAÇÃO DE FREQÜÊNCIA......................................................................................4


5.2.1. CARACTERÍSTICAS .........................................................................................................4
5.2.2. GERAÇÃO DE S INAIS FM................................................................................................9
5.2.3. DETECÇÃO DE SINAIS FM ............................................................................................10
5.3 LISTA DE EXERCÍCIOS ...................................................................................................12

5.4 PRÁTICA DE LABORATÓRIO.........................................................................................14

FUNDAMENTOS EM COMUNICAÇÃO DE DADOS


2 OBJETIVO 5: MODULAÇÃO FM

5.1 MODULAÇÃO ANGULAR

Nos capítulos anteriores analisamos o efeito de se variar a amplitude de uma


portadora senoidal de acordo com uma sinal de informação (sinal modulante). Contudo, existe
um outro método de se modular uma portadora senoidal chamado de modulação de ângulo,
na qual a fase ou a freqüência da portadora varia de acordo com o sinal modulante. Na
modulação de ângulo, a amplitude da portadora senoidal é mantida constante.
A modulação de ângulo pode ser compreendida matematicamente segundo:

s(t) = Ac.cos[ θ(t) ]

onde a amplitude Ac é mantida constante e o ângulo θ(t) do cosseno varia conforme o sinal
modulante m(t). O ângulo θ(t) traduz uma posição angular que se relaciona com a freqüência e
a fase da portadora segundo (onde a freqüência da portadora é fc e a fase é φ c.):

θ(t) = 2.π.fc.t + φ c (1)

Modulação de Fase

A modulação de fase, ou PM (“Phase Modulation”) é um tipo de modulação angular na


qual o ângulo θ(t) da portadora varia conforme o sinal modulante m(t), sendo expresso por:

θ(t) = 2.π.fc.t + kp.m(t)

O termo 2.π .fc.t representa o ângulo original da portadora sem ter sido modulado. A
constante kp representa a sensibilidade de fase do modulador, expressa em radianos por volt
(assume-se que m(t) seja um sinal de tensão).
Por conseqüência, o sinal modulado em fase é expresso no tempo por:

s(t) = Ac.cos[2.π.fc.t + kp.m(t)]

Modulação de Freqüência

A modulação de freqüência, ou FM (“Phase Modulation”) é um tipo de modulação


angular na qual a freqüência instantânea fi (t) da portadora varia conforme o sinal modulante
m(t), sendo expressa por:

fi (t) = fc + kf.m(t)

1
Esta equação representa a posição angular θ(t) em função de uma velocidade angular 2.π.fc e uma
posição inicial φc, sendo análoga a equação de posição em um movimento linear uniforme, isto é,
s(t) = v.t + so .

FUNDAMENTOS EM COMUNICAÇÃO DE DADOS


OBJETIVO 5: MODULAÇÃO FM 3

O termo fc representa a freqüência original da portadora sem ter sido modulado. A


constante kf representa a sensibilidade de freqüência do modulador, expressa em hertz por volt
(assume-se que m(t) seja um sinal de tensão).
Ao se integrar a freqüência instantânea, obtém-se o ângulo do sinal modulado:

?(t) = 2.p. f c .t + 2.p. k f ∫ m(t).dt


t

Por conseqüência, o sinal modulado em freqüência é expresso no tempo por:

s(t) = Ac . cos2.p. f c .t + 2.p. k f ∫ m(t).dt 


t

 0 

Considerações

Uma conseqüência de se permitir que o ângulo da portadora varie de acordo com o


sinal modulante m(t) é que os cruzamentos com os valores zeros das funções, não serão mais
igualmente espaçados. Esta característica é muito importante para distinguir uma modulação
FM ou PM de uma modulação AM. Outra diferença importante é que a amplitude de um sinal
FM ou PM será constante, enquanto que a amplitude de um sinal AM é dependente do sinal
modulante.
Além disto, comparando as expressões para obtenção de um sinal FM com as
expressões para obtenção de um sinal PM, percebemos que em um sinal FM, o ângulo θ(t) da
portadora é obtido a partir de m(t) diretamente, enquanto que em um sinal PM, o mesmo
ângulo θ(t) é obtido a partir de ∫m(t)dt. Isto significa que um sinal FM pode ser obtido a partir
de um modulador PM que receba como sinal modulante a integral de m(t). Por outro lado, um
sinal PM pode ser obtido a partir de um modulador FM que receba como sinal modulante a
derivada de m(t).

Sinal Modulador
Integrador Sinal FM
Modulante de Fase

Modulador
Sinal
Diferenciador de Sinal PM
Modulante
Freqüência

Obtenção de um sinal FM a partir de um modulador PM e vice-versa.

MAIO DE 2002
4 OBJETIVO 5: MODULAÇÃO FM

5.2 MODULAÇÃO DE FREQÜÊNCIA

5.2.1. Características

Como já foi visto, um sinal modulado em FM é definido por uma função não-linear
(integração) do sinal modulante. Assim sendo, a modulação em freqüência corresponde a um
processo de modulação não-linear. Isto significa que, diferentemente da modulação em
amplitude, o espectro de freqüência de um sinal FM não guarda relação direta com o espectro
do sinal modulante.

Análise Tonal

Considere um sinal modulante composto de uma única freqüência (tom) que é


expresso por m(t) = Am.cos(2.π .fm.t). A freqüência instantânea do sinal de FM resultante será:

fi (t) = fc + kf.Am .cos(2.π.fm .t)


= fc + ∆f.cos(2.π.fm .t), sendo ∆f = kf.Am

A grandeza ∆f é chamada de desvio de freqüência e representa a máxima variação


possível para a freqüência instantânea de um sinal FM a partir da freqüência da portadora, fc .
Uma característica fundamental de um sinal FM é que o desvio de freqüência é proporcional a
amplitude do sinal modulante e é independente da freqüência de modulação.
A partir da expressão de freqüência instantânea é possível obter o ângulo do sinal FM:

t
?(t) = 2.p.∫ f i (t).dt
0

∆f
?(t) = 2.p. f c .t + .sin(2.π . f m .t)
fm

A razão entre o desvio de freqüência, ∆f, e a freqüência do sinal modulante, fm, é


comumente conhecida como índice de modulação do sinal FM e é denotado por β. Assim,

∆f
?(t) = 2.p. f c .t + β .sin(2.π . f m .t ), sendo β =
fm

Pela equação acima, podemos concluir que fisicamente o parâmetro β representa o


desvio de fase do sinal FM, isto é, o máximo ângulo inicial possível para o ângulo θ(t).

FUNDAMENTOS EM COMUNICAÇÃO DE DADOS


OBJETIVO 5: MODULAÇÃO FM 5

Análise Espectral de um Sinal FM

Pela análise tonal da modulação FM encontramos a seguinte expressão para o sinal


modulado:

s(t) = Ac.cos[2.π.fc.t + β.sen(2.π.fm .t)]

Através da utilização de alguns conceitos matemáticos mais avançados, podemos


expandir a expressão acima em um novo formato:


s(t) = Ac . ∑ J n (β ). cos[2.p.( f c + n. f m).t ]
n= −∞

O termo J n(β) corresponde a um tipo especial de função conhecida como função de


Bessel. Em particular nesta aplicação, a função de Bessel é dependente do índice de
modulação FM, β. Abaixo são representadas várias funções de Bessel versus o índice de
modulação para n = 1, 2, 3, ...

Funções Jn (β) versus o índice de modulação FM, β.

MAIO DE 2002
6 OBJETIVO 5: MODULAÇÃO FM

Note também que para valores negativos de n, as funções de Bessel serão conforme
representadas exceto por:

+ J n ( β ), quando n for par


J −n ( β ) = 
− J n (β ), quando n for ímpar

Assim ao se expandir o somatório (série) em seus n termos, temos o seguinte:

s (t ) = J o (β ).Ac . cos(2πf c t ) −
− J −1 ( β ). Ac . cos[2π ( f c − 1 f m )t ] + J 1 ( β ). Ac . cos[2π ( f c + 1 f m )t ] +
+ J −2 ( β ).Ac . cos[2π ( f c − 2 f m )t ] + J 2 (β ).Ac . cos[2π ( f c + 2 f m )t ] −
− J −3 ( β ).Ac . cos[2π ( f c − 3 f m )t ] + J 3 (β ).Ac . cos[2π ( f c + 3 f m )t ] +
+ J −4 ( β ).Ac . cos[2π ( f c − 4 f m )t ] + J 4 (β ).Ac . cos[2π ( f c + 4 f m )t ] + ...

FM Faixa Estreita

Para pequenos valores do índice de modulação β (comparado a 1 radiano), o sinal FM


assume a forma de faixa estreita, consistindo somente de uma portadora, uma componente de
banda lateral superior e uma componente de banda lateral inferior.
Observe nas curvas das funções de Bessel, J n(β), versus o índice de modulação FM,
β, que para valores de β ≤ 0,3 rad, temos:

J0(β) ≅ 1
J1(β) ≅ ½.β
Jn(β) ≅ 0, n>1

Assim, o sinal FM faixa estreita é representado por:

β . Ac β . Ac
s (t ) = Ac . cos(2πf c t ) − . cos[2π ( f c − f m )t ] + . cos[2π ( f c + f m )t ]
2 2
Esta equação mostra que, para pequenos valores de β, um sinal FM pode ser
aproximado pela soma de uma portadora de amplitude AC , uma componente de banda lateral
superior de amplitude (½.β.AC ) e uma componente de banda lateral inferior de amplitude
(-½.β.AC ).

FUNDAMENTOS EM COMUNICAÇÃO DE DADOS


OBJETIVO 5: MODULAÇÃO FM 7

Conclusão, os sinais de FM faixa estreita e AM-DSB possuem basicamente o mesmo


espectro de freqüência a menos de uma inversão de fase nas componentes da banda lateral
inferior. Isto significa que no domínio da freqüência um sinal FM FE e um sinal AM-DSB são
muito similares.

AM-DSB FM FE

fo-fm
fo-fm fo fo+f m freq. fo fo+f m freq.

Comparação entre espectros: AM-DSB e FM-FE.

FM Faixa Larga

Para valores maiores do índice de modulação β (comparado a 1 radiano), o sinal FM


contém a portadora e um número infinito de componentes de freqüência localizados
simetricamente em torno da portadora. Um sinal FM, com esta característica, é dito faixa
larga.

Largura de Faixa de um Sinal FM

Ao contrário do que acontece na modulação em amplitude, na qual é gerado apenas


um par de faixas laterais, na modulação angular um número infinito de pares de faixas laterais
é gerado em função do índice de modulação em freqüência, necessitando de uma largura de
faixa também infinita. Na prática, contudo, um sinal FM é limitado a um número finito de pares
de faixas laterais significativas levando, naturalmente, a uma certa quantidade de distorções
aceitáveis.
A Regra de Carson corresponde a uma aproximação para se determinar a largura de
faixa de um sinal FM tonal e é expressa por:

BW = 2.∆f+2.fm = 2.(β+1).fm

Note que a largura de faixa está diretamente relacionada ao índice de modulação β. A


partir da Regra de Carson podemos extrapolar que o número de faixas laterais de um sinal FM
será fornecido por n = β+1.

MAIO DE 2002
8 OBJETIVO 5: MODULAÇÃO FM

Exemplo

Para um sinal FM, no qual fm =1,5 kHz; ∆f = 3 kHz; AC = 5V:


• O índice de modulação β será: β = ∆f / fm = 3 / 1,5 = 2
• O número de pares de faixas laterais será: n = β+1 = 2+1 = 3
• A largura de faixa será: BW = 2.(β+1).fm = 2.(2+1).1,5 = 9 kHz
Considerando que este sinal terá a portadora mais 3 pares de faixas laterais, para
esboçar seu espectro, deve-se obter os valores de J 0 (= 0,23), J 1 (= 0,56), J 2 (= 0,36) e J 3
(= 0,13). Assim, tem-se:

s ( t ) = J o ( 2 ). Ac . cos(2π f c t ) −
− J −1 ( β ). Ac . cos[2π ( f c − 1 f m ) t ] + J 1 ( β ). Ac . cos[2π ( f c + 1 f m ) t ] +
+ J − 2 ( β ). Ac . cos[2π ( f c − 2 f m ) t ] + J 2 ( β ). Ac . cos[2π ( f c + 2 f m ) t ] −
− J −3 ( β ). Ac . cos[2π ( f c − 3 f m ) t ] + J 3 ( β ). Ac . cos[2π ( f c + 3 f m )t ]

s (t ) = 0 ,23.5 . cos(2πf c t ) −
− 0,56 .5. cos[2π ( f c − 1 f m )t ] + 0,56 .5 . cos[2π ( f c + 1 f m )t ] +
+ 0,36.5 . cos[2π ( f c − 2 f m )t ] + 0,36.5 . cos[2π ( f c + 2 f m ) t ] −
− 0,13 .5 . cos[2π ( f c − 3 f m )t ] + 0,13 .5. cos[2π ( f c + 3 f m )t ]

s (t ) = 1,15 . cos(2πf ct ) −
− 2,80 . cos[2π ( f c − 1 f m )t ] + 2,80 . cos[2π ( f c + 1 f m )t ] +
+ 1,80 . cos[2π ( f c − 2 f m )t ] + 1,80 . cos[2π ( f c + 2 f m )t ] −
− 0,65 . cos[2π ( f c − 3 f m ) t ] + 0,65 . cos[2π ( f c + 3 f m )t ]
Portanto, o espectro deste sinal FM será:

2,80

1,80 1,80
1,15

0,65
fc -3fm fc -fm
fc -2fm fc fc +fm fc +2fm fc +3fm freq.
-0,65

-2,80

FUNDAMENTOS EM COMUNICAÇÃO DE DADOS


OBJETIVO 5: MODULAÇÃO FM 9

5.2.2. Geração de Sinais FM

Modulação FM pelo Método Direto

Na geração de sinal FM pelo método direto, a freqüência instantânea da portadora


varia diretamente conforme variações de amplitude do sinal modulante. Tal efeito é
conseguido por meio de dispositivos de oscilação controlados a voltagem, chamados de VCO
(do inglês, “voltage-controlled oscillator”). Um VCO muito comum é o varactor ou varicap.
Trata-se de um capacitor cuja capacitância depende da tensão aplicada aos seus terminais.

Forma de funcionamento de um VCO.

Modulação FM pelo Método Digital

+
P1 R1 5V
V1 R6
10 k 3,3 k P2 5 a 10 k -
14 100
+
CI1 C4
R2 R3 R4 R5 47 uF
7
2,2 k 22 k 22 k 2,2 k
C1
+ VE C2 C3
R7
e AF 47 uF 120 pF 120 pF 4,7 k a 22 k
Frequencímetro
Q1 Q2
BF 494 BF 494
CI1B
5
4
6
eFM
CD4070

MAIO DE 2002
10 OBJETIVO 5: MODULAÇÃO FM

Este método utiliza um multivibrador astável (Q1 e Q2) que ao ser alimentado deverá
gerar uma freqüência constante e determinada. O sinal modulante (entrada de áudio, p.ex.)
será acoplado ao multivibrador astável pelo divisor de tensão R1, P2 e P1. A saída do
multivibrador (pino 4 do CI1B) será uma onda quadrada (sinal digital) modulada em freqüência.
Porém para se obter um sinal FM analógico basta acoplar, à saída no astável, um filtro LC
sintonizado na freqüência da portadora e com largura de banda suficiente para selecionar as
bandas laterais desejadas.

5.2.3. Detecção de Sinais FM

Discriminador de Inclinação

É o método mais simples para detecção de sinais FM. Este método aproveita a
inclinação praticamente linear da região não ressonante do circuito sintonizado. Em outras
palavras, este método aproveita a banda de guarda praticamente linear de filtros sintonizados.
O circuito (ou filtro) sintonizado converte variação de freqüência do sinal modulado em
variações de amplitude. A envoltória assim gerada é detectada de forma convencional através
da utilização de um detector de envoltória.

Discriminador de inclinação: circuito e resposta em freqüência.

A simplicidade reduz o custo do projeto, mas introduz algumas desvantagens:

(a) O desvio de freqüência deve ser pequeno para aproveitar a estreita região linear da
curva.
(b) Para aumentar a região linear pode-se diminuir o fator de qualidade do circuito tanque
(Q), porém o ganho em amplitude cairá.
(c) A região dita linear introduz uma distorção razoável, por não ser realmente linear.

FUNDAMENTOS EM COMUNICAÇÃO DE DADOS


OBJETIVO 5: MODULAÇÃO FM 11

Discriminador de Inclinação Balanceado


Uma idéia para se minimizar as desvantagens do discriminador de inclinação é utilizar
dois discriminadores. Os dois discriminadores são projetados de forma a melhorar
mutuamente as características da inclinação da região não ressonante.

Discriminador de inclinação balanceado: circuito e resposta em freqüência.

Detecção pelo Método Digital

U1A
1
3 R9 R10 R11
C5 2
Do modulador 180 pF 3,3 k 10 k 33 k
CD 4070 eS
C7 C8 C9
1,8 nF 680 pF 180 pF
L1
470 uH
C6 R8 V1
1 nF 10 k
R12
L2
39 k
470 uH

R13 C10
39 k 82 nF

Outro tipo de detector de FM muito utilizado é o detector de quadratura. Seu


funcionamento é baseado na variação da fase em função da freqüência do sinal aplicado. O
detector de quadratura recupera a informação contida em um sinal FM por meio das seguintes
operações:
(a) Converte as variações de freqüência em variações de fase, por meio de um filtro passa-
faixa, que atua como circuito de quadratura;
(b) Converte as variações de fase em variações de amplitude, por meio de um circuito
misturador, que atua como comparador de fase;
(c) Filtra as variações de amplitude, removendo as componentes de rádio-freqüência, por
meio de um filtro passa-baixa, restando apenas a informação.

MAIO DE 2002
12 OBJETIVO 5: MODULAÇÃO FM

5.3 LISTA DE EXERCÍCIOS

Exercício 1 Compare as características espectrais (domínio da freqüência) entre dois sinais


distintos, sendo um sinal modulado em FM de faixa estreita e outro sinal
modulado em AM-DSB.

Exercício 2 Um sinal senoidal, m(t) = 10.cos( 2.π.103.t ), é modulado em freqüência. A


portadora possui uma freqüência fundamental de 106 Hz e amplitude 1 V.
(a) Determine a sensibilidade em freqüência (kf ) do gerador sendo que o índice
de modulação β é 3 rad.
(b) Qual é o tipo de sinal FM resultante? Justifique sua resposta.

Exercício 3 Dada uma portadora de 100 Vpp, freqüência de 1 MHz, um sinal modulante
cossenoidal de 20 Vpp e freqüência de 1 KHz, determine:
(a) A expressão do sinal modulado em fase, PM, considerando kp = 0,1 rad/V.
(b) A expressão do sinal modulado em freqüência, FM, considerando
kf = 300 Hz/V.
(c) O sinal de FM do item (b) é banda estreita ou banda larga? Porquê?
(d) A largura do espectro do sinal de FM do item (b).

Exercício 4 Um sinal FM com desvio de freqüência igual a 3 kHz é gerado a partir de uma
portadora senoidal cuja amplitude é 5 V e um sinal modulante de áudio cuja
freqüência é 1,5 kHz. Resolva:
(a) O índice de modulação.
(b) O número de pares de faixas laterais.
(c) A largura de faixa.
(d) Desenhar o espectro para este sinal FM.

Exercício 5 Um sinal FM com desvio de freqüência igual a 5 kHz é gerado a partir de uma
portadora senoidal cuja amplitude é 10 V e um sinal modulante de áudio cuja
freqüência é 2,5 kHz e cuja amplitude é 50 mV. Resolva:
(a) A constante de freqüência.
(b) O índice de modulação.
(c) O número de pares de faixas laterais.
(d) A largura de faixa.
(e) Desenhar o espectro para este sinal FM.

FUNDAMENTOS EM COMUNICAÇÃO DE DADOS


OBJETIVO 5: MODULAÇÃO FM 13

Exercício 6 Considere o seguinte circuito para geração de sinais FM:


(a) Identifique os blocos funcionais deste circuito.
(b) Descreva resumidamente o funcionamento do circuito.

+
P1 R1 5V
V1 R6
10 k 3,3 k P2 5 a 10 k -
14 100
+
CI1 C4
R2 R3 R4 R5 47 uF
7
2,2 k 22 k 22 k 2,2 k
C1
+ VE C2 C3
R7
e AF 47 uF 120 pF 120 pF 4,7 k a 22 k
Frequencímetro
Q1 Q2
BF 494 BF 494
CI1B
5
4
6
eFM
CD4070

Exercício 7 Considere o circuito para geração de sinais FM do exercício anterior:


(a) Qual o tipo de oscilador escolhido?
(b) Qual a função da porta OU-Exclusivo na saída do circuito?
(c) Qual a função de R7?

Exercício 8 Considere o seguinte circuito para detecção de sinais FM:


(a) Como funciona o demodulador FM?
(b) Qual a função da porta OU-Exclusivo no circuito?
(c) Qual a influência no sinal de saída eS com a modificação da freqüência
central de VCO ?

U1A
1
3 R9 R10 R11
C5 2
Do modulador 180 pF 3,3 k 10 k 33 k
CD 4070 eS
C7 C8 C9
1,8 nF 680 pF 180 pF
L1
470 uH
C6 R8 V1
1 nF 10 k
R12
L2
39 k
470 uH

R13 C10
39 k 82 nF

MAIO DE 2002
14 OBJETIVO 5: MODULAÇÃO FM

5.4 PRÁTICA DE LABORATÓRIO

Modulador FM

+
P1 R1 (A) 5V
3,3 k
V1 R6
-
10 k P2 5 a 10 k
14 100
+
CI1 C4
R2 R3 R4 R5 47 uF
7
2,2 k 22 k 22 k 2,2 k
C1
+ VE C2 C3
R7 (E)
(B)
eA F 47 uF 120 pF 120 pF (C) 4,7 k a 22 k
Frequencímetro
Q1 Q2
BF 494 BF 494
CI1B
5
4
6
(D) eFM
CD4070

5.1 – Verificação do funcionamento do circuito


5.2 – Característica do VCO

Demodulador FM

(D) U1A
1 (G) (H)
3 R9 R10 R11
C5 2
Do modulador 180 pF 3,3 k 10 k 33 k
CD 4070 eS
C7 C8 C9
(F) 1,8 nF 680 pF 180 pF
L1
470 uH
C6 R8 V1
1 nF 10 k
R12
L2
39 k
470 uH

R13 C10
39 k 82 nF

5.3 – Variação da freqüência central do demodulador


5.4 – Verificação da largura de banda do conjunto modulador+demodulador

FUNDAMENTOS EM COMUNICAÇÃO DE DADOS