Vous êtes sur la page 1sur 13

1

FACULDADE DE DIREITO DE IPATINGA

Bruna Carvalho Gonçalves

A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL: UMA


MEDIDA EFICAZ E LEGAL PARA REDUZIR A
CRIMINALIDADE

IPATINGA – MG
2010
2

BRUNA CARVALHO GONÇALVES

A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL: UMA


MEDIDA EFICAZ E LEGAL PARA REDUZIR A
CRIMINALIDADE

Projeto de monografia apresentado ao Curso de


Graduação – Bacharelado em Direito: FADIPA –
Faculdade de Direito de Ipatinga – como requisito
para obtenção do título de Bacharel em Direito.
ORIENTADOR: (A definir)

FADIPA – FACULDADE DE DIREITO DE IPATINGA


IPATINGA – MG
2010
3

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO / JUSTIFICATIVA................................................................... 4

2 PROBLEMA...................................................................................................... 6

3 HIPÓTESES...................................................................................................... 7

4 OBJETIVOS..................................................................................................... 9
4.1 Objetivo geral................................................................................................ 9
4.2 Objetivos específicos.................................................................................... 9

5 METODOLOGIA.............................................................................................. 10

6 PLANO DE TÓPICOS..................................................................................... 11

7 CRONOGRAMA............................................................................................. 12

8 REFERÊNCIAS.............................................................................................. 13
4

1 INTRODUÇÃO / JUSTIFICATIVA

Esta pesquisa tem por objetivo analisar a questão da redução da maioridade penal,
responsabilizando penalmente menores de 18 anos pelos crimes cometidos por eles
como uma medida eficaz e legal para a redução da criminalidade.

A Constituição Federal de 1988 estabeleceu em seu artigo 228 a inimputabilidade


dos menores de 18 anos, para os quais existem normas especiais a fim de punir a
prática de crimes, sendo tal dispositivo reforçado pelo artigo 27 do Código Penal
Brasileiro.

Algumas correntes entendem que tal instituto, constitucionalmente protegido, se


trata de cláusula pétrea que delineia um direito das crianças e adolescentes e, por
isso, não pode ser alterado; outras negam, afirmando que basta que seja elaborada
uma emenda à Constituição para que a redução da maioridade penal seja
legalmente possibilitada. A priori, este trabalho seguirá a segunda linha de
raciocínio, demonstrando a possibilidade de alteração do artigo 228 da Constituição
Federal.

Além da análise supramencionada, será também objeto de discussão preliminar a


efetividade do Estatuto da Criança e do Adolescente, diploma que estabelece as
medidas sócio-educativas aplicáveis aos menores infratores, bem como a criação
das instituições de reeducação social para estes jovens.

Adentrando ao objetivo principal na exploração do tema ora abordado, diante das


demonstrações dos índices de criminalidade, especialmente entre os menores de 18
anos, gerando uma significativa e alarmante impunidade por crimes diversos e,
demonstrando a capacidade plena do entendimento das condutas antijurídicas pelos
jovens infratores em geral, a redução da maioridade penal será destacada como
uma forma eficaz e legal de reduzir a criminalidade, sugerindo-se ainda medidas
excepcionais para a análise de casos específicos através de laudos periciais.
5

Verificam-se várias opiniões e posições controversas sobre esta questão por parte
dos profissionais do Direito, razão pela qual a pesquisa enveredará pelo
posicionamento dos Tribunais, Ministério Público, doutrinadores e do direito
comparado, almejando-se assim uma análise profunda desta situação.

Em verdade, a polêmica que circunda este tema, movida especialmente pelos


familiares de pessoas que tiveram seus entes vítimas de crimes gravíssimos
cometidos por menores de 18 anos, dá a esta pesquisa uma enorme importância,
rechaçando que o Brasil necessita de forma incontinenti, aperfeiçoar sua legislação
penal, punindo os menores que são efetivamente capazes de entender suas
condutas pelos delitos cometidos, reduzindo a sensação pública de impunidade e a
criminalidade organizada, financiada pela aliciação de menores, os quais são
inimputáveis, às diversas práticas delitivas.

Este trabalho será fundamentado nos doutrinadores Rogério Greco (2008), Miguel
Reale (2000), Guilherme de Souza Nucci (2000), posições dos Magistrados e
Ministério Público, bem como artigos publicados na Internet, pelos profissionais que
atuam na área do Direito.
6

2 PROBLEMA

A redução da maioridade penal é um recurso eficaz e legal para reduzir a


criminalidade no Brasil?
7

3 HIPÓTESES

a) Hipótese básica

A redução da maioridade penal é um recurso eficaz e legal para reduzir a


criminalidade no Brasil, pois sabendo que suas condutas serão penalizadas,
menores deixarão de praticar crimes, bem como seus aliciadores não vislumbrarão a
oportunidade de saírem impunes dos delitos cometidos.

b) Hipóteses secundárias

1ª) Não há consenso entre os juristas brasileiros quanto à legalidade da alteração do


art. 228 da Constituição Federal, devendo a lei ser interpretada da forma mais
propícia para se garantir a segurança pública, reduzindo-se a maioridade penal
através de uma emenda à Carta Magna Brasileira;

2ª) Os juízes dos Tribunais de Justiça e Ministério Público têm se manifestado


favoravelmente à redução da maioridade penal brasileira, ressalvando que os jovens
de 16 anos têm a capacidade necessária para discernir seus atos, devendo
responder pelos mesmos;

3ª) Baseando-se na previsão do Estatuto da Criança e do Adolescente de criação


dos centros especiais de internação de menores infratores, a proposta de
construção de estabelecimentos prisionais especiais para menores de 18 anos
garante uma maior e melhor ressocialização destes jovens;

4ª) A possibilidade de se prever numa nova legislação que em casos especiais, com
indícios relevantes do não discernimento do menor sobre a sua conduta criminosa,
deve-se realizar um exame pericial constatando tal circunstância, resguarda a
punição de eventuais menores realmente incapazes de entender seus atos;
8

5ª) A situação não é pacífica, contudo as vertentes do direito comparado,


especialmente sob a ótica da legislação da Inglaterra, demonstram que a redução da
maioridade penal é uma medida totalmente eficaz para a redução da criminalidade.
9

4 OBJETIVOS

4.1 OBJETIVO GERAL

Analisar a eficácia e legalidade da redução da maioridade penal como uma medida


para reduzir a criminalidade brasileira.

4.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

a) Levantar a existência de divergências entre os juristas sobre a legalidade da


redução da maioridade penal;

b) Examinar artigos publicados pela Magistratura e Ministério Público quanto à


efetividade e aspectos gerais da redução da maioridade penal brasileira;

c) Sugerir a criação de estabelecimentos prisionais especiais para menores de 18


anos como uma forma de garantir a ressocialização destes jovens;

d) Demonstrar que existem meios adequados de examinação da capacidade dos


menores infratores, visando à inimputabilidade daqueles que efetivamente não têm
plena ciência de suas condutas;

e) Identificar as tendências do direito comparado em legislações estrangeiras que


permitem a responsabilização penal dos menores de 18 anos pelos crimes por eles
cometidos.
10

5 METODOLOGIA

A pesquisa a ser realizada será monográfica por abordar um único assunto que é a
redução da maioridade penal como uma medida eficaz e legal para reduzir a
criminalidade, usando o método lógico-dedutivo e empírico.

Quanto ao tipo de pesquisa será bibliográfica, visto que procurar-se-á explicar um


problema a partir de referências teóricas publicadas em livros, artigos de autoria de
profissionais do direito e leis internas e externas.

A pesquisa quanto à natureza será considerada empírica através da análise dos


conteúdos dos posicionamentos existentes publicados, na busca da explicação do
problema.

Quanto à técnica a ser utilizada será considerada documentação indireta, visto que
serão utilizadas fontes secundárias conforme obras listadas nas referências cujos
autores abordam aspectos relevantes relacionados à pesquisa.
11

6 PLANO DE TÓPICOS

INTRODUÇÃO ............................................................................................................

1 HISTÓRICO................................................................................................................

2 A INIMPUTABILIDADE DOS MENORES DE 18 ANOS.............................................


2.1 Conceito de menor e inimputabilidade penal...........................................................
2.2 Previsão legal...........................................................................................................

3 O ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE................................................


3.1 Aplicabilidade e efetividade do ECA.........................................................................

4 A PROLIFERAÇÃO DA CRIMINALIDADE NO MUNDO JOVEM...............................


4.1 Certeza de Inimputabilidade.....................................................................................
4.2 A aliciação de menores no mundo do crime............................................................
4.3 Impactos sociais.......................................................................................................

5 A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL NO BRASIL................................................


5.1 Legalidade e interpretação da lei penal sob a ótica da garantia da segurança
pública............................................................................................................................
5.2 Eficácia da punição de menores e conseqüente redução da criminalidade............
5.3 Criação de estabelecimentos prisionais para menores de 18 anos.........................
5.4 Previsão de exame pericial para a análise da capacidade penal dos menores de
18 anos como garantia dos direitos assegurados pelo ECA.........................................
5.5 O posicionamento da Magistratura e Ministério Público..........................................
5.6 As tendências na ótica do direito
comparado...........................................................

6 CONCLUSÃO.............................................................................................................

7 REFERÊNCIAS ..........................................................................................................
12

7 CRONOGRAMA

CRONOGRAMA DE REALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA – JUL/11

ETAPAS MESES
AGO. SET. OUT. NOV. DEZ. JAN. FEV.
Escolha do tema X
Levantamento bibliográfico X X
Elaboração do projeto X
Registro de leituras X X X X X
Entrega do rascunho da X
monografia
Redação final da monografia X
Entrega X
Apresentação X
Fonte: Calendário da Fadipa para o ano de 2010 e 2011

8 REFERÊNCIAS
13

GRECO, Rogério. Curso de Direito Penal. Volume I. 10. ed. Rio de Janeiro:
Impetus, 2008.

REALE, Miguel. Questões Atuais de Direito. 01 ed. São Paulo: Del Rey, 2000.

NUCCI, GUILHERME DE SOUZA. Código Penal Comentado. São Paulo: Revista


dos Tribunais, 2000.

LEIRIA, Cláudio da Silva. Redução da Maioridade Penal. Por que não? Disponível
em:<http://www.uj.com.br/publicacoes/doutrinas/3531/REDUCAO_DA_MAIORIDAD
E_PENAL_POR_QUE_NAO> Acesso: set.2010.

LEITE, Ravênia Márcia de Oliveira. Capacidade Psíquica do Menor Deve Ser


Considerada. Disponível em: http://www.conjur.com.br/2009-jun-10/sistema-
independe-capacidade-psiquica-menor-ultrapassado> Acesso: set. 2010.

JORGE, Éder. Redução da Maioridade Penal. Disponível em:


http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=3374 Acesso: set. 2010.