Vous êtes sur la page 1sur 10

Pontifícia Universidade Católica de Campinas

Centro de Ciências da Vida


Faculdade de Psicologia

Relatório da Aplicação do WISC III

Aplicadores: Belisa Brisola Prado


Júlio César Della Torre

Profa. Dra.: Elisabeth M. C. Pacheco


Monitora: Tatiany

Campinas
2009
I - Dados informativos

Da Aplicação

Aplicadores: Belisa Brisola Prado


Júlio César Della Torre

Dia: 05/05/2009
Horário - Início: 17h50min Término: 19h50min Duração: 2 horas
Local: Ambulatório de Especialidades da PUC-Campinas
Do sujeito
Sujeito: N.R. Sexo: Feminino
Data de nascimento: 27/07/2000 Idade: 8 anos e 10 meses
Escolaridade: Cursando o 3º ano do ensino fundamental em Escola Pública.

Legenda: Aplicadora B.P. = Belisa Brisola Prado


Aplicador J.C. = Júlio César Della Torre

II - Descrição Física

Seu desenvolvimento físico era aparentemente normal, não possuindo


nenhuma deficiência visível, apropriado a sua idade. Vestida de modo adequado,
com calça, camiseta, jaqueta de moletom e tênis.
A criança era magra, loira, olhos verdes, obtendo uma estrutura de acordo
com sua idade.
N.R. aparentava timidez por estar em um ambiente novo, tranqüila e
atenciosa.
III - Rapport

Relato de Rapport
O rapport iniciou-se no caminho para a PUC, como a criança tinha feito dois
desenhos (um da figura humana da mulher e outro da figura humana do homem),
os aplicadores foram conversando com N.R. sobre os desenhos. Ao entrar na sala
de aplicação B.P. se apresentou à criança dizendo seu nome e apresentou a
monitora que também estava na sala. Explicou a criança que ela estava ali para
jogar alguns jogos, que teriam alguns jogos que seriam fáceis e outros mais
difíceis. Aqueles que não soubesse responder foi porque ela não tinha aprendido
ainda na escola. B.P. explicou também que J.C. e a monitora estariam ali para ver
como eles brincavam.
B.P. perguntou para a criança se ela tinha gostado da PUC, se era muito
grande. N.R. disse que não gostou muito e que era muito maior que sua escola.
Então ela lhe disse que eles iriam brincar com vários jogos.
B.P. perguntou também se N.R. gostaria de beber água ou ir ao banheiro
antes de iniciar os jogos. A criança respondeu que não, então se iniciou a
aplicação. Ao final B.P. agradeceu a N.R. e explicou a ela que J.C. continuaria os
jogos com ela.
J.C. iniciou explicando que ele continuaria a brincar com os jogos.
Perguntou se ela tinha gostado dos jogos, e qual era o que mais gostou.

IV - Dados de Observação

Geral

N.R, em termos gerais, manteve-se motivada e atencioso durante toda a


aplicação, no final da aplicação aparentou estar cansada e um pouco desatenta.
Apresentou um ritmo contínuo, na maioria das respostas, N.R. precisou da
aprovação e do encorajamento dos aplicadores. Nos erros, olhava para um dos
aplicadores que estavam observando, demonstrando estar acanhada quando não
sabia a resposta.
N.R. disse que preferiu os subtestes “cubos” e “armar objetos”, sendo
observado pelos aplicadores onde a criança teve melhor facilidade e desempenho.
Ao final dos subtestes apresentou sinais de cansaço, pois respondia
sempre com “não sei”, mesmo entendo o contexto do subteste.

Específica

No subteste de Completar Figuras, a criança olhava atentamente as figuras.


No momento de responder em algumas figuras a criança apontava e não falava o
nome da figura, referindo sempre como: “esse negócio”, “aquela coisinha” para o
local onde estava faltando algo. A partir da metade do subteste ela nomeava o que
faltava e pouco apontava.
Para o subteste Informação, a criança respondeu rapidamente, em algumas
respondeu “não sei”, em outras respondeu errado e algumas incompletas, como
por exemplo: no item 9 faltou apenas ela dizer “primavera”, no item 15 disse “trinta
e um” sendo a resposta certa fevereiro e no item 17 faltou mais dois nomes de
oceanos. Apesar dos erros e das respostas incompletas de um modo geral ela
manteve-se atenta as perguntas, se distraindo em um pequeno momento, pois
pediu para o aplicador repetir duas perguntas.
No subteste Código, a criança prestou atenção em toda a explicação de
B.P., observou a aplicadora fazer três primeiros itens do exemplo, fez os últimos
itens do exemplo corretos, não sendo necessário corrigir. A aplicadora pediu que
N.R. esperasse ela dizer já, pois no jogo tempo deveria ser cronometrado. E pediu
para a criança fazer o máximo que conseguisse, até o tempo acabar, que seria
avisado por B.P.. Durante a execução a criança não desviou a atenção, sempre
olhando para os exemplos de cima.
Durante a instrução do subteste Semelhança, N.R. manteve-se as pernas
balançando, permanecendo atenta. Assim que o aplicador deu o exemplo, N.R.
entendeu que eram semelhanças, pois até o item 9 respondeu corretamente. A
partir do item 10, a criança disse “não sei” ou respondia errado.
No subteste Arranjo de figuras, a criança ficou atenta escutando a
instrução. Em cada arranjo de figuras, N.R. olhava com atenção, pensava na
estória e depois montava, mostrando para B.P. com a certeza de que estava
correto. No entanto, N.R. errou três arranjos e em todos terminou antes do tempo
estipulado.
No termino do subteste Arranjo de Figuras a aplicadora B.P. disse já ter
finalizado alguns jogos com ela, e que naquele momento ela jogaria outros jogos
com J.C.
J.C começou com um rapport para quebrar um pouco a timidez e uma
preocupação exagerada em responder certas as questões, quando B.P, está
aplicando N.R, várias vezes quando não tinha certeza da resposta ou achava que
estava errada tinha certo receio de falar, dizia: “O que estou pensando, não sei se
está certo”, B.P teve que em algumas vezes pedir para que N.R, dissesse aquilo
que estava pensando. Portanto, J.C. no rapport tentou tranqüilizá-la e que o
importante era ela responder as perguntas sem se preocupar com acertos e erros,
disse que o importante era a atenção e participação dela no jogo.
No subteste Aritmética a criança respondia rapidamente, antes do tempo
estipulado, em três itens N.R. respondeu em apenas 01”(segundo). Usou o apoio
dos dedos para contar. O aplicador repetiu apenas uma questão que a criança
pediu.
Para o subteste Cubos, na aplicação à criança fixou seu olhar no modelo
para construir a figura e a fez com rapidez. No item 4 N.R. errou por ter invertido a
posição dos cubos. A criança montou todos os cubos corretamente, passando o
tempo somente no item 11 e 12.
Durante o subteste Vocabulário a criança estava atenta na explicação,
respondia com rapidez, em alguns itens dizia “não sei”, ou estava errado o que
respondia. De um modo geral N.R. estava bastante atenta, pelo fato de ter
demonstrado cansaço e desmotivação.
Na realização do subteste Armar Objeto, N.R. se manteve atento ao
exemplo, e J.C. após montar o exemplo “maçã” pediu que a criança montasse,
para ter certeza que ela havia entendido. A criança montou as peças com muita
praticidade e rapidez, completando o número de junções corretas. N.R. se
interessou bastante por este subteste, mesmo mostrando cansaço. Ajudou o
aplicador a guardar o material correspondente de cada item do subteste,
guardava-os em ordem e tamanho para que ficassem certos na caixa
correspondente.
No subteste Compreensão, respondia as perguntas com agilidade e
rapidez. Não pensava para responder, já respondia direto o que vinha em sua
cabeça. A partir do item 9 N.R. respondia “não sei”, e o aplicador encerrou com os
6 erros consecutivos.

V- Análise Quantitativa

Soma dos Intervalo


Escalas P. QI/Índices Percentil de Interpretação
Ponderados confiança
Verbal 63 116 86 109 - 122 Acima da média
Execução 68 125 95 116 - 134 Acima da média
Total 131 122 93 116 - 128 Acima da média
Com. Verb. 51 116 86 109 - 123 Acima da média
Org. Percep. 56 125 95 117 - 134 Acima da média
Res. Dist. 12 75 05 67 – 84 Abaixo da média
Veloc. Process. 12 76 05 67 - 86 Abaixo da média

Resultados anexos na folha de resposta.

VI- Análise Qualitativa


Em relação à escala verbal, o subteste relacionado a medir o julgamento
prático e a utilização de soluções socialmente aceitas, aquisição de informações
praticas e capacidade para utilizar experiências passadas obteve resultado na
média tendendo ao limite superior.
O subteste relacionado em determinar os conhecimentos gerais e
acumulados, estimulação do ambiente, curiosidade intelectual, memória remota de
evocação, atenção e concentração; obteve um resultado na média.
O subteste que avaliou a capacidade de utilizar conceitos numéricos
abstratos e de realizar operações numéricas, atenção e concentração; obteve
resultado na média tendendo ao limite superior.
O subteste relacionado a determinar a capacidade de associação, de
selecionar e verbalizar características comuns ente dois abjetos diferentes,
memória remota; obteve resultado na média tendendo ao limite superior.
O subteste relacionado a avaliação do desenvolvimento da linguagem,
conhecimento semântico, estimulação do ambiente e curiosidade intelectual;
obteve resultado acima da média, sendo este o de maior destaque.

Em relação a escala de execução o subteste que avalia a capacidade de


sintetizar partes em um todo organizado, e coordenação viso-motora e a dedução
da configuração final; obteve resultado acima da média.
O subteste relacionado à capacidade de análise e síntese, raciocínio
espacial, coordenação viso-motora, percepção, atenção e concentração; obteve
resultado na média, tendendo ao limite superior.
O subteste relacionado a capacidade em estabelecer uma seqüência lógica,
análise e síntese, compreender e perceber uma situação dentro de sua totalidade,
planejamento envolvendo eventos antecedentes, conseqüências e causais e
percepção visual; obteve resultado acima da média.
O subteste relacionado a medir a destreza viso-motora, capacidade de
organização motora-espacial, a rapidez e concentração ao fazer associações;
obteve resultado na média, tendendo ao limite superior.
O subteste relacionado a capacidade de identificar e isolar as
características essenciais das não essenciais, percepção de detalhes e a análise
parte-todo, memória visual, atenção e concentração; obteve resultado acima da
média.
Comparando as escalas verbais e de execução, constatou-se que houve
diferença, mas não sendo significativa. Destacamos o subteste de vocabulário,
sendo este com a maior pontuação na escala verbal e entre a escala de execução
destacamos o subtestes completar figuras e armar objetos, sendo estes com a
maior pontuação.
A criança teve um desempenho acima da média, tanto no requisito verbal e
de execução, obtendo no resultado total, um resultado acima da média.

Índices Fatoriais

- Compreensão verbal versus Organização perceptual


Houve diferença, mas não significativa.
- Compreensão verbal versus Resistência à distração
Houve diferença, sendo esta significativa.
- Compreensão verbal versus Velocidade de processamentos
Houve diferença, sendo esta significativa.
- Organização perceptual versus Resistência à distração
Houve diferença, mas não significativa.
- Organização perceptual versus Velocidade de processamento
Houve diferença, sendo esta significativa.
- Resistência à distração versus Velocidade de processamento
Houve diferença, mas não significativa.
A pontuação referente aos índices fatoriais mostrou ambivalência nos
resultados. No índice compreensão verbal e organização espacial os resultados
foram acima da média, ao contrário dos índices resistência à distração e
velocidade de processamento obtendo pontuação abaixo da média.
VII- Conclusão

Considerando as atividades realizadas, as quais visam avaliar os recursos


intelectuais de crianças e adolescentes de 6 à 16 anos, N.R. teve seu
desempenho acima da média, tendo como referência os resultados com crianças
de mesma idade, ou seja, com 8 anos.
As atividades aplicadas foram divididas em duas partes com conteúdo que
avaliam habilidades verbais e habilidades de execução. N.R obteve resultados
próximos nos dois critérios, acima da média em ambos, com uma pequena
diferença, mas não significativa, com pontuação maior nas habilidades de
execução. Na soma dos resultados da analise das duas habilidades, N.R, obteve
da mesma forma, resultados acima da média em comparação com a referência
dos resultados das crianças da mesma idade.
Ressalta-se que a criança apresentou maiores dificuldades nas atividades
verbais, com uma variação de resultados que vai da média à acima da média. Por
outro lado, na avaliação do desenvolvimento da linguagem, conhecimento
semântico, estimulação do ambiente e/ou curiosidade intelectual, item que
compõem á atividade verbal, N.R, obteve a maior pontuação entre todos
avaliados. *******
N.R teve melhores desempenhos nas capacidades de identificar e isolar as
características essenciais das não essenciais, percepção de detalhes e a análise
parte-todo, memória visual, atenção e concentração; capacidade de sintetizar
partes em um todo organizado, e coordenação viso-motora e a dedução da
configuração final; estabelecer uma seqüência lógica, análise e síntese,
compreender e perceber uma situação dentro de sua totalidade, planejamento
envolvendo eventos antecedentes, conseqüências e causais e percepção visual,
obtendo resultados acima da média.
N.R apresentou diante as funções avaliadas, facilidade média pendendo ao
limite superior em tarefas que envolviam: a medir o julgamento prático e a
utilização de soluções socialmente aceitas, aquisição de informações praticas e
capacidade para utilizar experiências passadas; capacidade de utilizar conceitos
numéricos abstratos e de realizar operações numéricas; determinar a capacidade
de associação, de selecionar e verbalizar características comuns ente dois abjetos
diferentes, memória remota; capacidade de análise e síntese, raciocínio espacial,
percepção; medir a destreza viso-motora, capacidade de organização motora-
espacial, a rapidez e concentração ao fazer associações;
N.R apresentou menor desempenho em determinar os conhecimentos
gerais e acumulados, estimulação do ambiente, curiosidade intelectual, memória
remota de evocação, mas com pontuação média.
N.R teve melhor desempenho em organização perceptual, mas com
diferença não significativa em relação compreensão verbal, porém ambos
mostraram um desempenho acima da média. Em relação aos requisitos
Resistência à distração e velocidade de processamento com um rendimento bem
fraco, ficando a baixo da média. N.R tem seu ponto forte nas habilidades de
execução e organização perceptual e sua fraqueza na resistência à distração e
velocidade de processamento.