Vous êtes sur la page 1sur 41

INTRODUÇÃO ÀS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA

Uma das nossas maiores preocupações, quando estudamos para uma prova, é saber se o que
estamos estudando vai ou não nos ajudar na aprovação.

Ficamos inseguros, pois podemos não ter clara a idéia de como tal assunto vai aparecer.

Nos concursos públicos está sendo cada vez menor a incidência de questões teóricas, como
por exemplo, saber que a frase:

Parece que eles nos entenderam

é uma oração subordinada substantiva subjetiva, ou que a frase

Ela é bastante mais responsável que você

é uma oração subordinada adverbial comparativa.

O que se exige de um candidato a um cargo público é o conhecimento dos mecanismos de


combinação das palavras, a concordância nominal e verbal harmoniosa, a pontuação
precisa, a substituição correta de um substantivo por um pronome, a propriedade vocabular,
a intelecção de textos dissertativos, enfim, o domínio pleno da modalidade culta da Língua
Portuguesa.

O que não significa, de forma alguma que o estudo da gramática deva ser desprezado.
Mesmo porque, sem uma base sólida, não há como progredir nos estudos.

O que tentamos fazer, ao elaborar estas aulas, foi ajudá-lo a entender a Língua Portuguesa
através de exemplos práticos. Quando necessário complementamos com a parte teórica.

Todos os testes utilizados foram extraídos de concursos públicos e de vestibulares.

Foram selecionados seguindo alguns critérios, tais como: maior ou menor incidência de
determinado assunto, grau de dificuldade, formas variadas de se apresentar o mesmo fato
gramatical, entre outros.

A seqüencia da matéria obedece à prioridade que vem sendo apresentada nos editais dos
últimos concursos, notadamente os da área fiscal.
Estamos abertos a críticas e sugestões que possam contribuir para o aprimoramento do
material.

Bom estudo.

I. SINTAXE I

1.1. FRASE, ORAÇÃO, PERÍODO


1.1.1. Frase

É todo enunciado que tem sentido completo. A frase pode ou não ter verbo. Quando não
tem denomina-se Frase Nominal;

Eta vida besta, Meu Deus.

Carlos Drummond de Andrade

Fogo!

Embora as frases nominais não tenham verbo, conseguem comunicar idéias completas, pois
pressupõem a presença de verbos ocultos subentendidos. Equivalem a:

Meu Deus, como essa vida é besta.

Está pegando fogo!

1.1.2. Oração

É toda frase que tenha verbo:

Marcela amou-me durante quinze meses e onze contos de réis

Machado de Assis

1.1.3. Período
Pode ter uma ou mais orações. Deve terminar por ponto final, ponto de interrogação, ponto
de exclamação ou por reticências.

Se tem uma só oração, é período simples; mais de uma oração, período composto:

período simples:

O sertanejo é antes de tudo um forte

Euclides da Cunha

período composto:

Chegou de mansinho, bateu, entrou e sentou-se calado

1.2. TERMOS ESSENCIAIS


Observe a oração abaixo:

Os acionistas pareciam bastante apreensivos

Nela podemos identificar dois conjuntos:

O ser de quem se afirma algo, chamado de SUJEITO: os acionistas

Aquilo que se diz do ser, que é o PREDICADO: pareciam bastante apreensivos

1.3. SUJEITO
1.3.1. Sujeito Determinado

Ocorre quando se pode determinar o elemento ao qual o predicado se refere;

Os operários cruzaram os braços logo cedo.

Os operários = sujeito determinado, pois


podemos identificar o termo ao qual se atribui o ato de cruzar os braços.

Passamos férias maravilhosas

O sujeito (termo sobre o qual se projeta a ação de passar) está implícito na desinência
verbal "-mos" .

Temos então sujeito determinado ou desinencial.


Nota: a Nova Gramática Brasileira não reconhece o sujeito oculto ou elíptico; será
determinado apenas!

O sujeito determinado pode ser simples ou composto:

Muitos funcionários das repartições públicas de São Paulo estão afastados.

um só núcleo - sujeito simples

Eu e ela chegamos a um acordo.

mais de um núcleo - sujeito composto

1.3.2. Sujeito Indeterminado

Acontece quando existe um elemento sobre o qual se declara algo, mas não se pode
identificar tal elemento:

(?) chegaram bem tarde hoje

sujeito predicado

Sujeito indeterminado é aquele que, embora existindo, não se quis ou não se pôde
representar na oração. Há três maneiras de tornar o sujeito indeterminado:

a) com o verbo na 3a pessoa do plural (desde que não haja referência a nenhum ser
anteriormente expresso). Exemplo:

Roubaram meu anel.

(quem roubou? não se sabe)

Destruíram dois orelhões em pleno centro da cidade.

b) com verbos intransitivos na 3a pessoa do singular, seguido do pronome se:

Vive-se bem nesta cidade.

Fala-se em guerras.

c) com verbos transitivos indiretos na 3a pessoa do singular, seguidos do pronome se:

Trata-se de questões tributárias.


Precisa-se de serventes de pedreiros.

Em nenhum dos três casos há um elemento sobre o qual recai a declaração do predicado.

1.3.3. Oração sem sujeito (sujeito inexistente)

Nesse caso, não há um elemento ao qual se atribui o predicado. Ocorre nos seguintes casos:

a) com os verbos que indicam fenômeno da natureza:

Choveu muito pouco no verão passado.

b) com o verbo haver indicando "existir", "acontecer" e tempo passado:

Na festa havia muitas pessoas.

No carnaval, há bailes em todos os clubes.

Há anos raiou no céu fluminense uma nova estrela.

c) com os verbos ser e estar indicando tempo:

Já são dez horas.

Hoje está frio.

d) com o verbo fazer indicando tempo ou fenômeno da natureza:

Faz duas horas que ele saiu.

No verão faz muito calor, na serra gaúcha.

e) com os verbos bastar e chegar seguidos da preposição de:

Chega de conversa mole.

Basta de reclamações.

f) com o verbo passar indicando tempo:

Passava já das dez horas.


Observe que, em todos os casos acima, os verbos não têm sujeito; são chamados, então, de
verbos impessoais. Devem, ainda, ficar sempre na 3a pessoa do singular. Exceção é o verbo
ser que merecerá um tratado especial na concordância verbal.

Ainda: os verbos que indicam fenômeno da natureza, empregados metaforicamente,


admitem sujeito:

Sua negativa anuviou minha alegria.

Choveram bombas sobre a cidadezinha serrana.

1.3.4. Sujeito Oracional

É quando o sujeito de uma oração é toda uma outra oração

É bom que todos compareçam

1a oração: é bom

2a oração: que todos compareçam

O que é bom? sujeito = que todos compareçam.

Obs: em análise sintática, esta oração seria classificada como oração subordinada
substantiva subjetiva

1.4. PREDICADO
No processo da comunicação, as palavras que formam uma frase estão agrupadas em dois
eixos: o sujeito e o predicado. Como vimos, pode haver frase sem sujeito. Nunca, porém,
existirá uma frase sem predicado.

Antes de classificarmos os predicados, vamos primeiro definir os verbos, como eles


aparecem, na formação do predicado.

1.4.1. Verbo de Ligação e Verbo Nocional:

1.4.1.1. Verbo de Ligação

É aquele verbo que liga o sujeito ao seu predicativo (termo que expressa um estado ou
qualidade). A função do verbo de ligação é apenas "ligar" o predicativo ao sujeito. Pode ser
eliminado sem causar prejuízo ao sentido da frase:
Os alunos estavam alegres.

Os alunos ficaram alegres.

Os alunos continuavam alegres.

Os alunos = sujeito

estavam, ficaram, continuavam = verbo de ligação

alegres = predicativo do sujeito

Normalmente são verbos de ligação: ser, estar, ficar, continuar, parecer, permanecer e
tornar-se. Obs: estes verbos são de ligação somente quando acompanhados de um
predicativo do sujeito.

Os alunos estavam no pátio.

Observe que agora não há mais predicativo do sujeito. Não há, então, verbo de ligação nem
predicado nominal.

estavam = verbo intransitivo

no pátio = predicado verbal

1.4.1.2. Verbo Nocional

É um verbo que expressa idéia de ação. Nesse caso, o verbo não é apenas um elo de
ligação, mas o termo que encerra o sentido da frase.

O verbo nocional subdivide-se em:

1.4.2. Verbo Intransitivo:

É aquele que tem o sentido completo, isto é, não precisa de complementos (objeto direto
nem indireto).

Todos chegaram.

chegaram = verbo intransitivo

O assaltante baleado morreu


morreu = verbo intransitivo

O assaltante baleado morreu no hospital.

morreu = verbo intransitivo

no hospital = adjunto adverbial de lugar

Os alunos estavam no pátio.

estavam = verbo intransitivo

no pátio = adjunto adverbial de lugar

Alguns alunos escrevem bem.

escrevem = verbo intransitivo

bem = adjunto adverbial de modo

1.4.3. Verbo Transitivo:


É aquele que tem o sentido incompleto, ou seja, o verbo precisa de complemento verbal
(objeto direto ou objeto indireto). Por sua vez, o verbo transitivo subdivide-se em:

1.4.3.1. Verbo Transitivo Direto:

exige um objeto direto (complemento sem preposição):

As chuvas transtornam as cidades grandes.

sem preposição

transtornam = verbo transitivo direto

as cidades grandes = objeto direto

1.4.3.2. Verbo Transitivo Indireto:

exige um objeto indireto (complemento com preposição):


Todos nós precisamos de descanso.

preposição

precisamos = verbo transitivo indireto

de descanso = objeto indireto

1.4.3.3. Verbo Transitivo Direto e Indireto:

exige dois objetos, um direto e outro indireto:

Ontem emprestei meu carro ao vizinho.

emprestei = verbo trans. direto e indireto

meu carro = objeto direto

ao = preposição

ao vizinho = objeto indireto

1.4.3.4. Observações:

a) Ao classificarmos um verbo, temos que fazê-lo dentro do texto. É o contexto que vai
indicar a classificação do mesmo:

Ela já escreve bem

(verbo intransitivo)

Ela escreveu dois poemas

(verbo transitivo direto)

Ela ainda não me escreveu uma linha sequer

(verbo transitivo direto e indireto)

Ela me escreveu ontem

(verbo transitivo indireto)


Ela permanecia calada

(verbo de ligação)

Ela permanecia na sala

(verbo intransitivo)

b) Existem verbos intransitivos (não têm objeto) que exigem adjunto adverbial:

Ninguém entrou no carro

(verbo intransitivo e adjunto adverbial de lugar "no carro")

c) Somente os verbos transitivos diretos e indiretos admitem voz passiva:

O comerciante vendeu todo o estoque disponível

Todo o estoque disponível foi vendido pelo comerciante

Emprestei o caderno ao meu colega

O caderno foi emprestado por mim ao meu colega

1.4.4. Predicativos

São termos que expressam um estado ou qualidade.

1.4.4.1. Predicativo do Sujeito

É obrigatório após um verbo de ligação e, eventualmente, pode aparecer após verbos


transitivos e intransitivos:

a) com verbos de ligação

Os alunos são estudiosos

são = verbo de ligação

estudiosos = predicativo do sujeito

Teu pai virou poeta


Os jogadores acabaram cansados.

b) com verbo intransitivo:

O trem chegou atrasado

chegou = verbo intransitivo

atrasado = predicativo do sujeito

c) com verbo transitivo direto:

Meu primo foi nomeado diretor

d) com verbo transitivo indireto

Os torcedores assistiram nervosos à decisão.

1.4.4.2. Predicativo do Objeto

Termo que expressa um estado ou uma qualidade do objeto atribuídos pelo sujeito.

Eles nomearam meu primo diretor

O povo elegeu-o senador

Nós o chamamos sábio

Nós lhe chamamos de sábio

1.4.5. Clasificação do Predicado

1.4.5.1. Predicado Nominal

Terá como núcleo o termo (predicativo do sujeito) que indica o estado ou a qualidade do
sujeito. O verbo será sempre de ligação.

Estrutura do Predicado Nominal:


VERBO DE LIGAÇÃO
SUJEITO +
+ PREDICATIVO DO SUJEITO

Estes operários são trabalhadores

V.L. + P.S. = P.N.

Seu avô está bastante velho

V.L. + P.S. = P.N.

1.4.5.2. Predicado Verbal

Expressa uma idéia de ação. Tem como núcleo um verbo nocional. Nesse caso o verbo é
importante; ele é que encerra o sentido da frase.

Estrutura do Predicado Verbal:

SUJEITO + VERBO INTRANSITIVO


VERBO TRANSITIVO INDIRETO
SUJEITO +
+ OBJETO INDIRETO
VERBO TRANS. DIR. E INDIR.
SUJEITO +
+ OBJETO DIRETO + OBJETO
INDIRETO

As aves voavam no céu

voavam = verbo intransitivo

no céu = adjunto adverbial de lugar

voavam no céu = predicado verbal

Os animais comem plantas

comem = verbo transitivo direto

plantas = objeto direto


comem plantas = predicado verbal

As plantas precisam de sol

precisam = verbo transitivo indireto

de sol = objeto indireto

O rapaz informou a hora ao transeunte

informou = verbo trans. direto e indireto

a hora = objeto direto

ao transeunte = objeto indireto

1.4.5.3. Predicado Verbo-Nominal

É um duplo predicado, composto de um verbo nocional e de um predicativo. Terá dois


núcleos: um será o verbo nocional e o outro será o predicativo.

Estrutura do Predicado Verbo-Nominal:

VERBO INTRANSITIVO
SUJEITO +
+ PREDICATIVO DO SUJEITO
VERBO TRANS. DIRETO

SUJEITO + + PREDICATIVO DO SUJEITO

+ OBJETO DIRETO
VERBO TRANS. INDIRETO

SUJEITO + + PREDICATIVO DO SUJEITO

+ OBJETO INDIRETO
VERBO TRANSITIVO DIRETO

SUJEITO + + OBJETO DIRETO

+ PREDICATIVO DO OBJETO
II. CONCORDÂNCIA

A sintaxe da concordância nos ensina que existem termos que se flexionam (gênero e
número ou pessoa e número) para concordar com outros. Exemplos:

Comprei flores lindas

Aqui o adjetivo lindo flexionou-se no feminino e plural para concordar com o substantivo
flores que é feminino e está no plural.

Esta concordância chama-se CONCORDÂNCIA NOMINAL e sua regra básica é:

O adjetivo concorda com o substantivo em gênero e número

Eu e minha irmã compramos flores

Neste caso o verbo comprar apresenta-se na primeira pessoa do plural, pois está
concordando com o sujeito eu e minha irmã, que é igual a nós, ou seja, primeira pessoa do
plural.

Esta concordância chama-se CONCORDÂNCIA VERBAL, e sua regra básica é:

O verbo concorda com o sujeito em pessoa e número.

2.1. TIPOS DE CONCORDÂNCIA


Tanto a Concordância Nominal quanto a Concordância Verbal podem, além da
concordância rigidamente gramatical, ser feitas também atrativa ou ideologicamente.

2.1.1. Concordância Rígida

Também conhecida como gramatical, lógica, etc. É feita de acordo com as normas
gramaticais.

Vossa Senhoria foi justa

O adjetivo justo está no feminino, singular, porque deve concordar com Vossa Senhoria,
que é uma expressão feminina e está no singular.

Saíram minha irmã e o namorado.


O verbo sair está na 3a pessoa, porque concorda com o sujeito composto minha irmã e o
namorado, que é igual a eles, ou seja, 3a pessoa do plural.

Todos voltaram cedo

O verbo voltar está na 3a pessoa do plural simplesmente porque seu sujeito todos é pronome
da 3a pessoa e está no plural.

2.1.2. Concordância Atrativa

É feita por uma questão de proximidade, abandonando as regras gramaticais.

Saiu minha irmã e o namorado

O verbo está concordando unicamente com o núcleo do sujeito mais próximo.

Muitos de nós descobrimos a solução

O verbo está concordando unicamente com nós. O sujeito, entretanto, é muitos de nós, e
rigidamente, pela gramática, seria muitos de nós descobriram.

2.1.3. Concordância Ideológica

É feita de acordo com a idéia transmitida pelas palavras, e não por sua forma gramatical.

Vossa Senhoria foi justo

O adjetivo justo está concordando não com a forma feminina de Vossa Senhoria, mas com
a sua idéia: trata-se de um homem.

Todos voltamos cedo

O verbo voltar não está concordando com a forma de todos, 3a pessoa do plural, mas sim
com a sua idéia, nós, uma vez que o EU se incluiu ao grupo, ou seja, está subentendido.

Obs: A Concordância Ideológica constitui-se em uma figura sintática conhecida por


SILEPSE:

a) Silepse de Gênero

Vossa Senhoria foi justo


feminino masculino

b) Silepse de Número

Cairam de joelhos, aquela gente sofrida

plural singular

c) Silepse de Pessoa

Todos voltamos cedo

3a pessoa 1a pessoa

d) Silepse de Gênero e Número

Aquela gente toda ali, apavorados

feminino e singular masc.e plural

2.2. CONCORDÂNCIA NOMINAL E PRONOMINAL

2.2.1. Regras Básicas

a) O adjetivo concorda com o substantivo em gênero e número

b) O pronome adjetivo, o numeral e o artigo também concordam.

As duas meninas compraram estes livros

c) O advérbio não se flexiona em gênero e número.

Elas são muito estudiosas

2.2.2. Casos Gerais

a) Quando o adjetivo se refere a dois ou mais substantivos, vale tanto a concordância


pela regra rígida da gramática, quanto a concordância por atração:

a.1.) rigidamente pela gramatica:


quando temos dois ou mais substantivos masculinos, o adjetivo terá o gênero masculino e
irá para o plural

Cheios estão o lago e o tanque

quando temos dois ou mais substantivos femininos, o adjetivo terá o gênero feminino e irá
para o plural

Cheias estão a lagoa e a piscina

quando temos dois ou mais substantivos com pelo menos um masculino, o adjetivo terá o
gênero masculino e irá para o plural

Cheios estão a piscina e o tanque

a.2.) por atração, pode concordar com o substantivo mais próximo:

Apartamento e casa amplos

Apartamento e casa ampla

Casa e apartamento amplo

Casa e apartamento amplos

Ampla casa e apartamento

b) Quando o adjetivo estiver anteposto a nomes próprios, deverá ir para o plural:

As simpáticas Helena e Marivalda

c) Quando o adjetivo funciona como predicativo, deverá concordar sempre com a palavra à
qual se refere:

Nossa cidade continua violenta

O juiz julgou o réu inocente

Todos consideraram o marido e a esposa culpados

d) Quando o predicativo do sujeito estiver anteposto ao sujeito, prefere-se a concordância


com o mais próximo, embora a predominância do masculino plural também esteja correta

Estava insatisfeita a aluna e o aluno

Estavam insatisfeitos a aluna e o aluno


e) Quando um único substantivo está sendo modificado por mais de um adjetivo no
singular, há três possibilidades:

Aprendeu a língua italiana e alemã.

Aprendeu as línguas italiana e alemã.

Aprendeu a língua italiana e a alemã.

f) Com os numerais ordinais que se referem a um único substantivo posposto, há duas


construções:

Ele foi ao primeiro e segundo andar.

Ele foi ao primeiro e segundo andares.

2.2.3. Casos Especiais

Nota: A maioria dos casos especiais pode ser enquadrada nas regras básicas. Seguem
listadas abaixo por serem fonte constante de questões de concursos.

2.2.3.1. Palavras que são variáveis quando funcionam como adjetivos e


invariáveis quando funcionam como advérbios

- MESMO

com o significado de próprio (adjetivo)

Elas mesmas ficaram chateadas

Ela mesma disse: - Muito obrigada!

com o significado de até, inclusive

Mesmo eles ficaram chateados

Mesmo ele se feriu

- CONFORME
com o significado de conformado (adj.)

Eles ficaram conformes com a resposta

com o significado de como

Jogaram conforme foram orientados

- JUNTO

com o significado de unido (adjetivo)

Elas vivem juntas

com o significado de próximo: junto a, junto de, junto com:

Elas moram junto à ponte

Eles ficaram junto de mim

Elas ficaram junto com o pai

- ANEXO

com o significado de incluso (adjetivo)

Anexas seguem as fichas

Mando, anexos aos documentos, os dois cheques

Nota: a expressão em anexo é invariável

Em anexo seguem as fichas

Mando, em anexo aos documentos, os dois cheques

- ALERTA

significando atento, vigilante (adjetivo)


Eles eram alertas

significando atentamente (advérbio)

Eles ficaram alerta

- BASTANTE

com o significado de muito, suficiente (adjetivo)

Temos razões bastantes

com o significado de excessivamente

Trata-se de questões bastante complexas

- MEIO

com o significado de metade, numeral

Comi meia laranja

com o significado de mais ou menos (advérbio)

Janela meio aberta

- MELHOR

com o significado de "mais bom"

Estes são os melhores alunos

Estes atletas são os melhores

com o significado de "mais bem"

Eles fizeram melhor o seu trabalho

Estes casos foram melhor explicados que os outros


- SÓ

com o significado de sozinho

Elas vivem sós

Elas gostavam de ficar sós

com o significado de apenas, somente

Só elas vieram

Faltaram só os padrinhos

Todas elas queriam ficar só no pátio

a expressão a sós é sempre invariável

Ele sempre ficava a sós no pátio

Estamos a sós

- BARATO

quando separado por verbo pode ser adjetivo (variável) ou advérbio (invariável)

Que carros baratos!

Estes carros custam barato

- CARO

quando separado por verbo pode ser adjetivo (variável) ou advérbio (invariável)

As frutas estão caras.

Os livros custam caro


- SÉRIO

quando separado por verbo pode ser adjetivo (variável) ou advérbio (invariável)

Vamos falar sérios

Vamos falar sério

- POUCO

quando pronome adjetivo indefinido

Ela tem pouca paciência

A criança tinha poucos amigos

quando advérbio

Ela é pouco esperta

a expressão um pouco de não flexiona

Estas moças precisam ter um pouco de paciência

- TODO

com o significado de inteiro, numeral

Ela comeu toda a laranja

com o significado de totalmente (adv.)

Portas todo fechadas

todo, atrativamente, pode-se flexionar

Porta toda fechada

2.2.3.2. Expressões que podem ser variáveis ou invariáveis


- HAJA VISTA

São possíveis três construções:

Haja vista as anotações do chefe

Haja vista aos casos postos em discussão.

Hajam vista as notas alcançadas

O substantivo vista fica sempre no feminino, como nas expressões "ter em vista" , "ponto
de vista".

- O MAIS POSSÍVEL

forma rigidamente gramatical

É uma flor o mais bela possível

São flores o mais belas possível

concordância atrativa

É uma flor a mais bela possível

São flores as mais belas possíveis

Seus olhos os mais lindos possíveis

- É BOM

- É NECESSÁRIO

- É PRECISO

- É PROIBIDO

flexionam-se quando o substantivo estiver acompanhado de determinativo (artigo, numeral


ou pronome)
Esta cerveja é boa

A água é necessária para a saúde

São precisas algumas medidas drásticas

É proibida a entrada

não se flexionam quando o substantivo não estiver acompanhado de determinativo

Cerveja é bom

Água é necessário para a saúde

É preciso medidas drásticas para conter o avanço dos guerrilheiros

É proibido entrada de estranhos

2.2.3.3. Palavras que sempre concordam com o termo a que se referem

- OBRIGADO

Ela mesma disse: - Muito obrigada!

- PRÓPRIO, IMPRÓPRIO

Os próprios sindicalistas são os primeiros a reclamar

Esta é uma hora imprópria

- INCLUSO

Seguem aos relatórios inclusas as fotos

- QUITE

São raros os contribuintes que estão quites com as obrigações tributárias


- LESO

Trata-se de um crime de leso-idioma embora você o tenha classificado como de lesa-


pátria

2.2.3.4. Palavras invariáveis

- MENOS

Isso tem menos importância do que deixa transparecer

- SALVO (no sentido de exceto)

Salvo nós dois, os demais fugiram

- PSEUDO

Eles eram uns pseudo-sábios

São muitas as pseudopedagogas

2.3. CONCORDÂNCIA VERBAL


2.3.1. Regras básicas de concordância verbal

2.3.1.1. Sujeito Simples

Já vimos que o verbo (= predicado) e o sujeito estão estreitamente ligados: o verbo


concorda sempre com o sujeito em número (singular, plural) e pessoa (1a, 2a e 3a).

Sairemos mais cedo hoje

O verbo está na 1a pessoa do plural porque o sujeito é nós (1a pessoa do plural)

Ontem voltastes bem mais tarde que o normal!


O verbo está na segunda pessoa do plural porque o sujeito é vós (2a pessoa do plural)

Alunos e professores chegaram a tempo

Sujeito composto de 3a pessoa, portanto, o verbo vai para a 3a pessoa do plural.

2.3.1.2. Sujeito composto

Com os sujeitos compostos formados de pessoas gramaticais diferentes, a concordância


deve obedecer ao seguinte critério: a 1a pessoa (eu) prevalece sobre a 2a (tu); a 2a prevalece
sobre a 3a (ele/ela).

Meu vizinho, tu e eu viajaremos nas próximas férias.

Sujeito composto com 1a pessoa: verbo vai para 1a pessoa do plural

Tu, meu vizinho e meu irmão viajareis nas próximas férias.

Sujeito composto com 2a pessoa: verbo vai para a 2a pessoa do plural.

Observação: Não se deve estranhar se, nesse caso, o verbo aparecer na 3a pessoa, pois a 2a
pessoa é pouco usada no Brasil.

Tu, meu vizinho e meu irmão viajarão nas próximas férias.

2.3.2. Casos especiais de concordância verbal com sujeito simples

2.3.2.1. Sujeito formado por expressão partitiva:

- parte de

- uma porção de

- metade de

- o resto de

- a maior parte de ...

Grande parte dos alunos foi aprovada

Grande parte dos alunos foram aprovados


A concordância poderá ser gramatical ou atrativa.

2.3.2.2. Com quantidade aproximada:

- cerca de

- mais de

- menos de

- perto de

Restavam cerca de duzentos soldados.

Cerca de cem pessoas estiveram lá

O verbo concorda sempre com o substantivo. Portanto, concordância gramatical apenas.

2.3.2.3. Formado com as expressões:

- mais de um

- mais que um

Mais de um aluno saiu da sala

O verbo concorda sempre com o substantivo. Portanto, concordância gramatical.

Porém, nas expressões repetidas ou indicando reciprocidade usa-se plural

Repetição

Mais de um aluno, mais de um professor saíram da sala.

Reciprocidade

Mais de um político se criticaram no comício

2.3.2.4. Formado com a expressão:


- um e outro

Um e outro aluno saiu da sala

Um e outro aluno saíram da sala

O verbo pode ir tanto para o singular, como para o plural. Portanto, concordância
gramatical ou ideológica.

2.3.2.5. Formado com a expressão:

- nem um nem outro

Nem um nem outro aluno saiu da sala

Concordância gramatical apenas: o verbo vai para o singular.

2.3.2.6. Quando o sujeito é formado por:

pronome indefinido

+ de, dentre

+ pronome pessoal

Se o pronome indefinido estiver no singular o verbo concordará com ele obrigatoriamente:


concordância gramatical apenas.

Qual de nós viajará ?

Se o verbo estiver no plural a concordância pode ser gramatical ou atrativa:

gramatical - o verbo concorda com o pronome indefinido:

Muitos de nós saíram da sala.

Quais dentre vós estudaram a lição.

atrativa - o verbo concorda atrativamente com o pronome pessoal:

Muitos de nós saímos da sala


Quantos de vós estudastes?

2.3.2.7. Quando o núcleo é um:

- coletivo

a concordância pode ser gramatical ou atrativa

Gramatical

A manada de bois foi afastada da estrada

Atrativa

Um bando de aves pousaram sobre a estátua

2.3.2.8. Quando o sujeito é o pronome relativo:

- que

Fui eu que paguei a conta

Fomos nós que pagamos a conta

Foste tu que pagaste a conta

Fostes vós que pagastes a conta

O verbo concorda com o antecedente. Porém caso o antecedente seja predicativo, o verbo
pode concordar tanto com o antecedente quanto com o sujeito principal da oração

Eu fui o primeiro que falou

Eu fui o primeiro que falei

2.3.2.9. Quando o sujeito é o pronome relativo:

- quem

Fui eu quem pagou a conta


Fomos nós quem pagou a conta

Foste tu quem pagou a conta

Fostes vós quem pagou a conta

ou

Fui eu quem paguei a conta

Fomos nós quem pagamos a conta

Foste tu quem pagaste a conta

Fostes vós quem pagastes a conta

O verbo tanto pode concordar com o antecedente como pode ficar na 3a pessoa do singular

2.3.2.10. Com a expressão:

- um dos ...... que

Ele foi um dos alunos que chegaram atrasados

Ele foi um dos alunos que chegou atrasado

O verbo pode ficar no singular (concordância gramatical) ou ir para o plural (concordância


atrativa).

2.3.2.11. Formado por:

- títulos ou nomes próprios no plural

"Memórias Póstumas de Brás Cubas" é de Machado de Assis

"Os Lusíadas" é uma obra imortal

Campinas é grande

Se o nome próprio não admitir artigo, o verbo permanecerá no singular.


No caso de nomes próprios que admitem artigo no plural, mesmo que o artigo (os/as) esteja
subentendido o verbo vai para o plural:

Os Andes ficam na América do Sul

Estados Unidos propõem acordo

2.3.2.12. Formado por:

- porcentagens não especificadas

95 % foram aprovados

10 % concordaram com o Presidente.

O verbo vai sempre para o plural, exceto no caso de 1%.

1 % não votou

- porcentagens especificadas

80 % da classe desistiu do passeio

80 % da classe desistiram do passeio

1% dos grevistas optou pelo acordo

1% dos grevistas optaram pelo acordo

A concordância pode ser gramatical ou atrativa.

2.3.2.13. Formado por:

- expressões numéricas

Trezentos reais por trinta aulas não me atrai

Oito anos sempre é alguma coisa

Quando consideradas na totalidade, o verbo permanece no singular.


2.3.2.14. Com a expressão invariável:

- é que

Eu é que dou as ordens aqui

Tu é que deves estudar mais

O verbo concorda com o substantivo ou pronome que o antecede

2.3.3. Casos especiais de concordância verbal com sujeito


composto
2.3.3.1. Sujeito composto posposto ao verbo

Neste caso, teremos mais de uma possibilidade de concordância. Poderá ser tanto
gramatical quanto por atração.

Chegaram o professor e o aluno

ou então

Chegou o professor e o aluno

Obs: Sempre que houver reciprocidade o verbo irá para o plural:

Agrediram-se o policial e o comerciante

2.3.3.2. Sujeito composto ligado por série aditiva enfática:

Não só o jogador mas também o juiz caíram

Caiu não só o jogador como também o juiz

A concordância poderá ser tanto gramatical quanto atrativa.

2.3.3.3. Quando os sujeitos são sinônimos ou quase sinônimos:

O amor, o carinho e a admiração dos filhos é uma bênção aos pais.


A dor e o sofrimento matou-o aos poucos.

A riqueza e a fartura dos ricos não incomoda o Governo.

O verbo concorda com o mais próximo.

2.3.3.4. Na enumeração em que ocorre gradação:

A admiração, o amor, a paixão tornou sua vida um inferno.

Um gesto, um olhar, um sorriso já o fazia feliz.

Gestos, olhares, sorrisos faziam-no feliz.

O verbo concorda com o mais próximo.

2.3.3.5. Sujeito composto por verbos no infinitivo:

Olhar e ver era para mim um recurso de defesa

José Lins do Rego

Vê-lo e amá-lo foi obra de um minuto

Rachel de Queirós

Leva o verbo para o singular. No entanto, quando os infinitivos exprimem idéias


acentuadamente contrárias, o verbo pode ir para o plural - concordância ideológica

Em sua vida, à porfia, se alternam rir e chorar

Alberto de Oliveira

2.3.3.6. Sujeito composto + aposto resumitivo:

- tudo

- nada

- ninguém
- todos

Pais, irmãos, primos, ninguém veio ajudá-lo

O verbo concorda com o aposto.

2.3.3.7. Sujeitos formados por palavras diferentes, mas que representam uma só
pessoa ou coisa:

A Idéia, o sumo Bem, o Verbo, a Essência, só se revela aos homens e às nações ...

Antero de Quental

pedem o verbo no singular.

2.3.3.8. Sujeitos ligados por "ou" quando houver idéia de:

- exclusão

Carlos ou Celso se casou com ela

- retificação

O autor ou autores engrandeceram a peça

- equivalência

A Lua ou o satélite da Terra embeleza a noite

O verbo concorda com o mais próximo.

- alternância (sem excluir)

Esperava que um homem ou uma mulher o ajudasse.

Esperava que um homem ou uma mulher o ajudassem.

O verbo pode permanecer no singular ou ir para o plural

- adição (ou com significado de e)

O calor forte ou o frio excessivo me desagradam muito


O verbo vai para o plural.

2.3.3.9. Quando o sujeito composto é formado de substantivos no singular


ligados pela conjunção "nem"

Nem o cansaço nem o barulho dos alunos atrapalham a concentração do diretor

O verbo vai para o plural se o fato expresso pelo verbo puder ser atribuído a todos os
sujeitos

2.3.3.10. Sujeito ligado por "com"

O rei, com toda a corte, partiu de viagem

O rei com toda a corte partiram de viagem

O verbo fica no singular ou vai para o plural.

2.3.3.11. Sujeito ligado por nem ... nem

Nem a inveja nem o egoísmo puderam destruir-me

Nem ela nem a família lhe deu atenção

A concordância pode ser gramatical ou por atração.

2.3.3.12. Sujeitos ligados por conjunções comparativas

- como

- assim como

- bem como

O dólar, como a girafa, não existe.


Carlos Drummond de Andrade

O dólar, assim como a girafa, não existem.

O verbo concorda com o primeiro sujeito se quisermos destacá-lo. Mas o verbo


também pode concordar com os demais elementos.

2.3.4. Concordância do verbo ser

Obviamente que no geral o verbo ser concorda com o sujeito.

As crianças são alegres

Porém, em alguns casos, pode concordar com o predicativo.

2.3.4.1. Com as expressões:

- isto, isso

- aquilo

- tudo

- o (= aquilo)

O sujeito está no singular e o predicativo no plural. O verbo ser concorda com o


predicativo:

Isto não são brincadeiras de crianças!

O que queremos são diretrizes claras

Obs: acontece, ainda, o singular:

Tudo é flores

Tudo são flores

Há neles muita lágrima, e o que não é lágrima são algemas

Camilo Castelo Branco


2.3.4.2. Quando o sujeito denota nome de pessoa ou pronome pessoal, o verbo
ser, normalmente, concorda com ele, mesmo com o predicativo no plural:

Todo eu era olhos e coração

Machado de Assis

Gaudêncio era as esperanças da família

Os reprovados fomos nós

2.3.4.3. Nas orações começadas pelos pronomes interrogativos:

- que ... ?

- quem ... ?

- o que ... ?

Quem foram os reprovados ?

O que são alegrias ?

Que são oito reais por aula ?

O verbo concorda com o substantivo.

2.3.4.4. Nas expressões:

- é muito

- é pouco

- é bastante

- é tanto

Cinco reais é pouco

Cincoenta pontos é mais que o necessário


O verbo permanece no singular.

2.3.4.5. Com expressões de sentido coletivo:

- o resto

- o mais

O resto são conversas

O mais são ilusões

O verbo vai para o plural

2.3.4.6. Nas orações que indicam:

- horas

- datas

- distâncias

São treze horas e dez minutos

É meia-noite

São quatorze de maio

Da capital à cidadezinha eram dez quilômetros

O verbo concorda com a expressão numérica.

2.3.4.6. Na expressão "era uma vez" o verbo permanece no singular:

Era uma vez um rei e uma rainha...

2.3.5. Concordância com os verbos dar, soar, bater na indicação de horas:


Soaram seis e meia na matriz

Bateram cinco horas quando o galo cantou

O verbo concorda com a expressão numérica, a menos que haja um sujeito:

O relógio da matriz deu seis e meia

2.3.6. Concordância com os verbos haver e fazer nas orações sem sujeito.

A oração sem sujeito caracteriza-se por apresentar um verbo impessoal, isto é, um verbo
que não tem pessoa ( = sujeito). E, por esta razão, fica na 3a pessoa do singular.

Os verbos haver e fazer somente são impessoais nos seguintes casos:

- HAVER:

quando empregado no sentido de existir, acontecer ou de tempo decorrido.

Havia poucos alunos em sala.

Houve muitas brigas durante o jogo.

Isto tudo ocorreu há dias.

Caso forme locução adverbial, haver passa a impessoalidade para o auxiliar

Na festa devia haver muitas pessoas

- FAZER:

somente quando empregado no sentido de tempo decorrido.

Já faz dois anos que ela partiu.

Fazia horas que ninguém falava.

Quando empregado no sentido impessoal o verbo fazer também transmite a impessoalidade


ao auxiliar:

Já vai fazer dois anos que ela partiu


Observações:

A. O verbo haver pessoal pode ter vários sentidos.

Os professores houveram por bem adiar as aulas

(= decidiram. Sujeito = os professores)

B. Os verbos existir, ocorrer, acontecer, decorrer, são pessoais.

Existiam poucos alunos em sala

(sujeito = poucos alunos)

Ocorreram fatos desagradáveis aqui

(sujeito = fatos desagradáveis)

Decorreram vários dias até a sua decisão

(sujeito = vários dias)

2.3.7. Concordância com o verbo custar

Quando o verbo custar tem o sentido de ser difícil, ele é unipessoal (só possui 3a pessoa do
singular).

Custa-nos entender isso

Seu sujeito é sempre oracional (= infinitivo)

2.3.8. Concordância com os verbos parecer e costumar

Podem ou não formar locução verbal.

- Em locuções verbais

As estrelas parecem brilhar

são verbos auxiliares, logo, concordam com o sujeito.

- Em não-locuções verbais, são verbos principais e concordam com o sujeito oracional:


As estrelas parece brilharem

Parece brilharem as estrelas

Não se costuma punir os erros

2.3.9. Concordância com o "SE"

A palavra se admite várias classificações. Quando utilizado como:

a) Pronome apassivador: o "se" é responsável pela transformação em voz passiva de uma


frase ativa:

Alugam apartamentos

(voz ativa)

Alugam-se apartamentos

(voz passiva)

Neste caso o verbo concorda em número e pessoa com o sujeito

b) Indeterminante do sujeito: o "se" é responsável pela transformação de um sujeito


determinado em um indeterminado

Precisa de operários

(sujeito simples oculto = ele)

Precisa-se de operários

(sujeito indeterminado)

Neste caso o verbo é invariável, fica, portanto, na 3a pessoa do singular.