Vous êtes sur la page 1sur 6

VERBOS INTRODUTORES DO DIÁLOGO

O ROUXINOL
Há muitos e muitos anos, havia um rouxinol nos jardins do Imperador da China.
Como ele quisesse ouvir o seu canto maravilhoso todos os cortesãos se lançaram à sua
procura.

Por fim, encontraram na cozinha uma pobre rapariga que 1___________________:


– Se o conheço, o rouxinol! E que bem ele canta! Todas as noites vou, com permissão do
mordomo, levar uns restos de comida à minha mãe, que está doente e que mora do lado da
costa. Na volta, como venho cansada, descanso um pouco na floresta e oiço o rouxinol. Até
me vêm as lágrimas aos olhos!
– Ajudante de cozinha – 2_____________________o camarista – serás promovida de posto, com
direito de assistir às refeições do imperador, se me conduzires até ao lugar onde está essa
ave. Tenho de a convocar para esta noite.
Foram todos à floresta, ao sítio onde habitava o rouxinol. Pelo caminho, ouviram mugir uma
vaca.
– Ei-lo! – 3 __________________ o camarista. – Bem me parecia que já o tinha escutado antes.
– Não, senhor, aquilo é uma vaca – 4 ____________________ a rapariga. – Estamos ainda longe.
As rãs coaxaram no charco.
– É adorável! – 5 ___________________ o capelão chinês do palácio. – Era isto mesmo que eu
pensava.
– Não, senhor, são as rãs – 6 ___________________ a rapariga. – Mas não tardaremos a ouvi-lo.
O rouxinol começou a cantar.
(…) – Escutai! – 7 _____________________ ela. – E indicou um passarinho pardaço, entre os
ramos de uma árvore.
– Será possível? – 8 __________________ o camarista. – Não calculava que fosse assim. Tem um
aspecto tão vulgar! Decerto perdeu a cor ao ver tanta gente de categoria que veio em sua
honra.
– Rouxinolzinho! – 9 _______________________ a ajudante de cozinha – O nosso poderoso
imperador deseja
que tu cantes para ele.
Hans Christian ANDERSEN, Contos de Andersen I, Relógio d’Água (texto adaptado e com
supressões)

1. Neste pequeno excerto, foram retirados todos os verbos com a função de introduzir ou
atribuir falas. Os verbos retirados, encontram-se no quadro abaixo, distribuídos pelo
tipo de frase a que estão ligados.
TIPO DECLARATIVO TIPO EXCLAMATIVO TIPO IMPERATIVO TIPO INTERROGATIVO
declarou / disse / exclamou mandou perguntou
explicou admirou-se
emendou /
informou
2. Escreve os verbos adequados a cada fala, nos espaços correspondentes.
2.1. Atenta nos seguintes verbos: a maioria adequa-se a um acto de fala declarativo.
achar, acrescentar, admitir, afirmar, alegar, ameaçar, anunciar, argumentar, assegurar,
assinalar, avisar, balbuciar, bradar, chamar, contar, concluir, concordar, confessar,
confirmar, começar, considerar, continuar, contradizer, contra-ordenar, criticar, decidir,
deliberar, desafiar, desculpar, discordar, dizer, esclarecer, explicar, gaguejar, garantir,
gritar, frisar, hesitar, impacientar-se, indicar, indagar, insinuar, insistir, intervir, jurar,
lembrar, mencionar, murmurar , negar, refutar, objectar, observar, ordenar, pedir,
proclamar, prometer, querer saber, questionar, reclamar, recordar, referir, repetir,
repreender, replicar, resmungar, responder, retorquir, revelar, rogar, sugerir, sussurrar,
2.2. Distribui os restantes de acordo com o tipo de frase/fala que introduzem:
teimar;
TIPO EXCLAMATIVO TIPO IMPERATIVO TIPO INTERROGATIVO
3. Lê o relato que uma criança fez de um acontecimento que ocorreu na sua escola.
Como acontece muitas vezes com as crianças, ela utiliza muitas repetições. Por
exemplo, repetiu vinte e cinco vezes a forma verbal disse (que foi retirada e assinalada
com alíneas).
3.1. Substitui, no texto, a forma verbal disse por outros verbos de acordo com o tipo de
frase a que está ligada.

Falámos na rádio
Esta manhã, na aula, a professora a. _____________-nos:
- Meninos, tenho uma grande novidade para lhes anunciar: alguns
repórteres da Rádio vêm entrevistá-los.
E depois a porta da sala abriu-se, e o director entrou com dois
senhores, um deles trazia uma mala.
- De pé! - b. __________________ a professora.
- Sentados! - c. ___________________ o director. - Meninos, é uma
grande honra para a nossa escola receber a visita da Rádio, que,
através da magia das ondas, e graças ao génio de Marconi,
transmitirá as vossas palavras em milhares de lares. Este senhor
aqui vai explicar-lhes o que espera de vós.
Então, um dos senhores d. _________________-nos que nos ia fazer perguntas sobre as coisas
que nós gostávamos de fazer, sobre o que líamos e sobre o que aprendíamos na escola. E
depois agarrou um aparelho com a mão e e. __________________:
- Isto é um microfone. Vocês falarão lá para dentro, muito claramente, sem terem medo; e
esta noite, às oito horas exactas, podem ouvir-se, pois tudo isto será gravado.
E depois virou-se para o outro senhor que tinha aberto a mala em cima da secretária da
professora:
- Pode-se começar, Pedrito?
- Pode - f. __________________ o Sr. Pedrito.
- Bem - g. __________________ o Sr. Kiki - então, quem é que quer falar primeiro?
- Eu! Eu! Eu! - gritámos todos.
- Está bem - h. ___________________
- Alceste - i. ____________________ o Alceste.
- o gordito, aí, vem cá. Como te chamas, rapaz?
- Alceste? - perguntou o Sr. Kiki muito espantado.
- Querem fazer-me o favor de não falarem com a boca cheia? - j. _____________ o director.
- Bem — k. _____________ o Alceste - eu estava a comer um croissant quando ele me
chamou.
- Desculpe-os -l.________________o director - são muito jovens e um bocado distraídos.
E depois o Sr. Kiki chamou o Eudes.
- Como é que te chamas, meu rapaz? - perguntou ele.
- Eudes! - gritou o Eudes, e o Sr. Pedrito tirou as coisas que tinha nos ouvidos.
- Não é preciso falar tão alto - m. ____________ o Sr. Kiki. - Foi por isso que inventaram a
Rádio; para se fazer ouvir muito longe, sem gritar. Vá, vamos recomeçar... Como é que te
chamas, meu rapaz?
- Bem, Eudes, já lhe disse - n. _______________ o Eudes.
- Mas não - o. _______________ o Sr. Kiki. - Não me deves dizer que já mo disseste. Pergunto-
te o nome, tu dizes-me, e é tudo. Pronto? Pedrito?... Vamos, vamos recomeçar... Como é
que te chamas, meu rapaz?
- Eudes - p. _______________ o Eudes.
- Já toda a gente sabe - q. __________________ o Godofredo.
- Rua! Godofredo! – r. __________________ o director.
- Silêncio! - gritou o Sr. Kiki.
- Eh! Previne-me quando gritares! - s._________________ o Sr. Pedrito, que tirou as coisas que
tinha nos ouvidos. O Sr. Kiki pôs as mãos nos olhos, esperou um bocadinho, tirou a mão, e
perguntou ao Eudes o que é que ele gostava de fazer para se distrair.
- Sou óptimo no futebol -t. __________________ o Eudes. - Bato-os a todos.
- Isso não é verdade - u. ___________________ eu — ontem eras guarda-redes, e quantos
apanhaste?
- Sim! - v. ________________ o Clotário.
- O Rufus tinha apitado fora de jogo! - w. _______________ o Eudes.
- Claro - x. ___________________ o Maixent - ele estava a jogar na tua equipa. Eu sempre
disse que um jogador não podia ser ao mesmo tempo árbitro, mesmo que seja ele que tem
o apito.
- Queres um murro no nariz? - perguntou o Eudes, e o director pô-lo sem recreio na quinta-
feira.
Então, o Sr. Kiki y. _________________ que tinha ficado gravado, o Sr. Pedrito voltou a pôr
tudo na mala, e foram os dois embora.

Sempé e Goscinny, O Menino Nicolau e os Amigos


Ed. Teorema (texto com supressões)

4. Observa estas vinhetas:

BEM…
ENTÃO… …
AMANHÃ
IREI FALAR
COM ELE.

4.1. E
sc re
ve, nas linhas abaixo, as falas das personagens. Cada fala deve ter uma introdução
para que quem a lê, saiba quem está a falar e como. Segue o exemplo:

Estava o Quim na rua, quando viu aproximar-se o seu amigo Filipe, com um penso na cara
e a chorar.
- Meu Deus!... Quem te pôs nesse estado? Quis saber Quim, muito preocupado.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

O DISCURSO DIRECTO E INDIRECTO


Discurso directo – Reproduz textualmente as palavras que alguém disse. As
personagens falam directamente umas com as outras, em diálogo. Cada fala constitui um
parágrafo, introduzido por um travessão, podendo ser ou não acompanhada de um verbo
declarativo.

Discurso indirecto – quando alguém nos transmite algo que foi dito, usando as suas
próprias palavras: as falas não são reproduzidas tal como foram proferidas. Neste
discurso, o uso de verbos declarativos é obrigatório.

Observa:

O rei, irritado, O rei, irritado,


interrompe-o: interrompe-o, proibindo-o
Rei: Não digas asneiras, que
de dizer asneiras porque
hoje não me apetece rir.
-Não digas asneiras, que naquele dia não lhe
hoje não me apetece rir. apetecia rir.
Consequências da transformação de um discurso directo para indirecto:
DO DISCURSO DIRECTO EM DISCURSO INDIRECTO
Verbos: -presente -pretérito imperfeito
(*quando o verbo -pretérito perfeito -pretérito mais-que-
declarativo está no perfeito (simples ou
presente ) composto)
(**quando o verbo -futuro (indicativo) -condicional
declarativo está no -futuro (conjuntivo) -pretérito imperfeito
pretérito perfeito) (conjuntivo)
-imperativo - pretérito imperfeito
(conjuntivo)/- Infinitivo
Advérbios: Pronomes ou determinantes:

Pessoais:  1ª pessoa: Eu / Nós;  3ª pessoa: Ele /Ela; Eles


Tu / Vós / Elas
me /te lhe /lhes
/nos /vos
Demonstrativos este / estes aquele/ aqueles
: esse / esses
isto / isso aquilo
Possessivos: meu / meus seu (dele) /
teu / teus seus (deles)

 de lugar aqui / cá /aí ali / lá / além


de tempo agora /já então / naquele momento
hoje naquele dia
ontem na véspera
amanhã no dia seguinte
logo depois
Frases interrogativas directas indirectas
Vocativo Complemento directo /
indirecto
5. Rescreve agora o diálogo do exercício 4.1. em discurso indirecto.
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________