Vous êtes sur la page 1sur 3

engenharia

G E O T ÉC N I C A

Solo grampeado: modelagem


numérica e aspectos construtivos
N.A. PROFUNDIDADE
INTRODUÇÃO SONDAGEM TIPO DE SOL O
(m) (m)
técnica de solo grampeado vem Silte argiloso, pouc o arenoso, mic ác eo, vermelho e roxo 1,50 a 2,60

A
SP-01 sec o
sendo utilizada, como reforço do Silte argiloso, pouc o arenoso mic ác eo c aulínic o, c inza e branc o, variegado 2,60 a 10,45
solo, desde meados da década Argila siltosa, marrom avermelhado 0,00 a 2,00
de 1970. Já nessa época os fran- Silte argiloso, mic ác eo, vermelho 2,00 a 5,45
ceses tinham desenvolvido téc- SP-02 sec o
Silte pouc o argiloso, mic ác eo, roxo 5,45 a 8,00
nicas de muros em aterros reforçados com
Silte pouc o argiloso, c aulínic o, mic ác eo, vermelho e roxo 8,00 a 10,45
tiras metálicas com face de placas de concre-
Argila siltosa, pouc o arenosa, marrom avermelhado 0,00 a 2,00
to pré-moldado, conhecidas como “terre
SP-03 Silte argiloso, mic ác eo, vermelho sec o 2,00 a 6,45
armée” (terra armada, também conhecida por
aterro armado). Logo em seguida, os france- Silte arenoso, pouc o argiloso, mic ác eo, vermelho e roxo 6,45 a 10,45

ses desenvolveram também a técnica “terre Argila siltosa, marrom amarelado 2,00 a 2,80

clouée”, que foi denominada pelos ingleses SP-04 Argila siltosa, pouc o arenosa, marrom 1,50 2,80 a 5,80
de “soil nailing”, e que é conhecida no Brasil Silte argiloso, pouc o arenoso, muito mic ác eo, c inza esverdeado 5,80 a 10,45
pelo nome de solo grampeado.
Tabela 1 - Perfil geológico-geotécnico no local da contenção em solo grampeado

DEFINIÇÃO DE SOLO GRAMPEADO


Solo grampeado é um sistema de conten- APLICAÇÃO MODELAGEM NUMÉRICA
ção, aplicado a cortes, que emprega chumba- A técnica tem aplicação na estabilização DE SOLOS GRAMPEADOS
dores, concreto projetado, e drenagem (super- de taludes de corte, principalmente nas se- Para ilustrar aspectos de modelagem nu-
ficial e profunda). Para sua utilização, é im- guintes condições: maciços a serem cortados, mérica de solos grampeados, será apresenta-
portante que o solo a ser contido apresente co- cuja geometria resultante não é estável; talu- do um caso real de projeto e construção, re-
esão permanente não-desprezível. Tem por ob- des existentes com condição de estabilidade alizado na duplicação de uma rodovia nas
jetivo a estabilização de taludes de corte, tem- insatisfatória; taludes rompidos; escoramen- proximidades da cidade de São Paulo.
porária ou permanente. Sua principal caracte- to de escavações. Os cálculos preliminares foram executa-
rística é a rapidez de execução, e o baixo custo, dos com o programa Reactiv, desenvolvido
comparado a obras de contenção equivalentes. METODOLOGIA CONSTRUTIVA pelo Geotechnical Consulting Group, de Lon-
A partir do corte executado ou existen- dres, Inglaterra. O Reactiv calcula reforço de
GERSON NASTRI te, inicia-se a execução da primeira linha de taludes, em solos grampeados, para tipos de
DIRETOR REGIONAL - DR 10, DEPARTAMENTO DE ES- chumbadores, aplicação do revestimento de solos quaisquer, em condições drenadas ou
TRADAS DE RODAGEM (DER-SP)
RODRIGO BES concreto projetado, execução da drenagem, não drenadas. São calculados o número de
DIRETORIA REGIONAL - DR 10, DEPARTAMENTO DE e assim sucessivamente, até o fundo da es- grampos necessários, o seu comprimento mé-
ESTRADAS DE RODAGEM (DER-SP) cavação. Se o talude já estiver cortado, dio, e as tensões nas interfaces barra-solo e
ROBERTO KOCHEN pode-se trabalhar de forma ascendente ou barra-argamassa.
PROFESSOR DOUTOR DA ESCOLA POLITÉCNICA DA
USP E DIRETOR TÉCNICO DA GEOCOMPANY – TECNO- descendente, de acordo com a conveniência Os cálculos finais e a verificação da esta-
LOGIA, ENGENHARIA & MEIO AMBIENTE da obra. bilidade global da obra foram feitos através

ENGENHARIA/2004
565
55
engenharia

G E O T ÉC N I C A

Contenção em solo grampeado Concreto projetado já executado bem como Detalhe do concreto projetado, barbacãs e
barbacãs e drenos perimetrais drenos perimetrais

do programa FLAC-Slope, desenvolvido pelo j = 25 graus (ângulo de atrito)


Itasca Consulting Group Inc., de Minneapolis, g = 18 kN/m3 (peso específico
nos Estados Unidos. do solo)
As análises realizadas serão descritas nos
itens a seguir. MODELAGEM NUMÉRICA
DO SOLO GRAMPEADO
PERFIL GEOLÓGICO-GEOTÉCNICO LOCAL A modelagem numérica do
A tabela 1 mostra o perfil geológico- solo grampeado foi realizada
geotécnico no local da contenção em solo gram- com os programas Reactiv e
peado, indicado pelas sondagens. FLAC-Slope, para as seguintes
características adotadas no pro-
ASPECTOS DE PROJETO E jeto: a) diâmetro do furo: 100 mi-
MODELAGEM NUMÉRICA límetros; b) diâmetro da barra de
Os parâmetros geotécnicos para projeto e aço: 20 milímetros; c) espaça-
modelagem numérica das contenções em solo mento entre grampos (horizon- Figura 1 - Módulo dilatométrico obtido através de ensaio
grampeado foram definidos a partir das son- tal): 1,5 metro; d) espaçamento DMT “in situ”
dagens realizadas no local, e de ensaios entre grampos (vertical): variá-
dilatométricos feitos pela Damasco Penna vel entre 1,5 e 1,65 metro; e) com-
Engenharia Associados. Os resultados dos primento dos grampos: variável
ensaios dilatométricos, e sua interpretação, entre 7,5 e 9,5 metros.
são apresentados nas figuras 1 e 2. A figura 3 mostra um exem-
As características geotécnicas dos solos plo da saída do programa Reactiv.
em referência são apresentadas a seguir, ba-
seadas em análise das sondagens e ensaios VERIFICAÇÃO DA
dilatométricos realizados, e em correlações ESTABILIDADE GLOBAL
empíricas aplicáveis a este tipo de solo: Realizou-se uma verificação
Material I (solo de cobertura) - Representan- das condições de estabilidade
do as camadas mais superficiais global do maciço com a conten-
c = 15 kN/m2 (coesão) ção de solo grampeado. Consi-
j = 25 graus (ângulo de atrito) derou-se a mobilização de uma
g = 16 kN/m3 (peso específico do solo) cunha circular de ruptura, envol-
Material II (solo de alteração em rocha) - Re- vendo regiões abrangentes do
presentando as camadas mais profundas maciço. Para tanto, utilizou-se o Figura 2 - Coesão não drenada obtida através de ensaio
c = 35 kN/m2 (coesão) programa de estabilidade de ta- DMT “in situ”

Face do corte revestida em concreto projetado Execução de DHP, ao fundo Detalhe da execução de DHP

ENGENHARIA/2004
56 565
engenharia

G E O T ÉC N I C A

Revestimento em concreto projetado, barbacã Execução de DHP Trecho de contenção com concreto projetado,
e perfuração do grampo barbacãs, drenos perimetrais e grampos já
executados

Figura 4 - Grid para modelagem numérica de


Figura 3 - Exemplo da saída do programa Reactiv estabilidade pelo FLAC-Slope

ludes FLAC-Slope, da Itasca Consul- perfícies de ruptura; e grampos / reforços do


ting Group. terreno (como geotêxteis) são modeladas realis-
O FLAC-Slope usa a interface grá- ticamente, e não como forças equivalentes.
fica e o cálculo do fator de segurança Nas figuras 4, 5 e 6, encontram-se os re-
automático do programa de diferenças sultados da análise da estabilidade, feita para
finitas FLAC, como o núcleo de um pro- a seção do muro de maior altura.
grama novo e mais amigável (“user
friendly”), que modela problemas de ASPECTOS CONSTRUTIVOS
estabilidade de taludes sob uma gran- DO SOLO GRAMPEADO
de variedade de condições, como múl- A documentação fotográfica apresenta-
tiplas camadas de solo, condições ge- da neste trabalho ilustra alguns dos princi-
rais de pressão neutra, propriedades pais aspectos construtivos da contenção em
Figura 5 - Deformações cisalhantes na superfície de
variadas de solos heterogêneos, carre- solo grampeado, cuja modelagem numérica
ruptura, e fator de segurança (modelagem numérica gamentos superficiais genéricos, e re- foi descrita nos itens anteriores.
de estabilidade pelo FLAC-Slope) forços estruturais como grampos.
O FLAC-Slope usa o mesmo mé- CONSIDERAÇÕES FINAIS
todo de cálculo que o software FLAC, O projeto de contenção em solo grampeado
com um ambiente de modelagem sim- foi analisado empregando recursos de modela-
plificado, que oferece ferramentas e fa- gem numérica avançados, como os programas
cilidades exclusivas para a análise da FLAC-Slope e Reactiv. Além das investigações
estabilidade de taludes. O resultado é de campo convencionais como sondagens à per-
um programa que oferece modelagem cussão simples, foram realizados ensaios
rápida, alta capacidade analítica, e ob- dilatométricos “in situ” (DMT), que permiti-
tenção de resultados bastante rápida, ram estimar com maior confiabilidade e preci-
simples e expedita. são os parâmetros de resistência e deformabili-
O FLAC-Slope oferece algumas dade do perfil geológico-geotécnico local.
vantagens sobre programas desenvol- Tudo isto levou a um projeto mais econô-
vidos através do método de equilíbrio mico e seguro, que foi executado sem impre-
limite, como, por exemplo, as superfí- vistos ou acréscimos de quantitativos ou cus-
Figura 6 - Forças de tração nos grampos e fator de cies de ruptura se desenvolvem natu- tos, mostrando os benefícios de um projeto
segurança (modelagem numérica de estabilidade ralmente; não há a necessidade de se detalhado e criterioso para o bom andamento
pelo FLAC-Slope) especificar um intervalo de possíveis su- da obra.

ENGENHARIA/2004
565
57