Vous êtes sur la page 1sur 27

É possível substituir 10% da

gasolina usada no mundo


pelo Etanol brasileiro?
Grupo Energia - Projeto Etanol
Patrocínio:
Objetivo do Projeto Etanol

Avaliar as consequências sociais,


econômicas e ambientais, e a
capacidade do Brasil de expandir
o setor sucroalcooleiro para
fornecimento de etanol em larga
escala, visando a substituição de
5% a 10% da demanda mundial
de gasolina em 2025.
Equipe de Coordenação

„ Coordenador:
9 Prof. Rogério Cezar de Cerqueira Leite (UNICAMP)

„ Vice-Coordenadores:
9 Dr. Manoel Sobral Jr (fase I)
9 Dr. Manoel Regis Lima Verde Leal (fases I e II)
9 Dr. Luís Augusto Barbosa Cortez (fase II)

9 Colaboração: ABDI, MAPA, EMBRAPA, TRANSPETRO,


PETROBRAS, DEDINI, CTC, UNICA.

9 Projeto em consonância com Diretrizes do Programa de


Agroenergia
Objetivos Específicos (OEs)
Coordenadores Setoriais
9OE1: Levantamento do estágio atual da tecnologia em uso e possíveis
melhorias (Dr. Edgardo Gomez – Fase I; Dr. Arnaldo Cesar Walter - Fase II))

9OE2: Avaliação de novas tecnologias (Dr. Carlos Rossell) – (Usina): Prof.


Dr. Braunbeck

9OE3: Levantamento de áreas com potencial para produção de cana-de-


açúcar (Dr. Manoel Regis Leal)

9OE4: Levantamento da infra-estrutura existente e necessidade de


melhorias e ampliações (Dra. Mirna Gaya Scandiffio)
9OE5: Avaliação dos impactos sócio-econômicos (Dr. José Scaramucci))
9OE6: Construção de cenários de produção de etanol e impactos sócio-
econômicos (Dr. André Furtado)
Objetivos Específicos (OEs)
(cont.)
9 OE7: Avaliação dos impactos ambientais (Dr. Manoel Régis
Lima Verde Leal) – Fase II
9 OE8: Legislação e políticas nos diferentes países (Dr. Manoel
Sobral Jr (Fase I); Dr. Francisco Rosillo-Calle (Fase II)
9 OE9: Marcos Regulatórios (Dr. Sérgio Valdir Bajay) – Fase II
9 OE10: Detalhamento de uma área – CTC - Fase II
9 OE11: Avaliação do Impacto Ambiental – Estudo Local –
(Prof. Dr. Archimedes Perez Fo.) – Fase II
Projeções dos Consumos de Gasolina
e Álcool Combustível (bilhões de litros/ano)

2004 2025

Gasolina 1.200 1.700(1)


Álcool Combustível 26(2) 205 (subst.10%) (Cenário 2)
102 (subst. 5%) (Cenário 1)

„ Considerando-se as políticas e legislação de 21 países, a


demanda de etanol para 2010 já seria de ~80 bi litros/ano
Notas:
1) National Energy Information Center (NEIC)
2) Brasil e EUA, 2004
Fatores favoráveis convergentes
1 – Pico de produção de petróleo convencional ocorrerá, possivelmente, dentro de 5 a 10 anos.
Formas não convencionais de petróleo, gás natural e liquefação do carvão poderão estender este
prazo, mas a custos elevados.

2 – Expectativa de preços elevados de Petróleo e Gás Natural > US$ 60,00/bep.

3 – Aquecimento Global. Progressivo reconhecimento de seus efeitos no clima e de sua correlação


com a emissão de gases de efeito estufa devido a queima de combustíveis fósseis.

4 – Para o mesmo resultado econômico, a cana-de-açúcar ocupa uma área entre dez e cem vezes
menor que a pecuária ou a soja.

5 - O álcool de cana-de-açúcar no Brasil é o biocombustível de maior produtividade no mundo e de


melhor balanço energético (ciclo de vida).

6 - A incorporação de tecnologias diversas já desenvolvidas ou em vias de implementação deverá


dobrar ou mesmo triplicar a atual produtividade por ha do álcool.
Localização das novas usinas ( )
Expansão Espontânea (Dez/2005)

Expansão:
100% localizadas no
Centro-Sul do país
60% localizadas em
São Paulo
Cenário Espontâneo – Características (2006)
Unidades Novas/Reativadas

GO 11

„ A expansão acontece MG 13
MT 3
nas áreas onde há MS 7
maior concentração de PR 3

usinas, na região RJ 3
RS 2
Centro/Sul. Destaque SP 41

para o Estado de São TO 1

Paulo Centro/Sul
BA
84
3
CE 1
MA 7
PE 10
SE 1
Norte/Nordeste 22
Brasil 106

Fonte: Jornal da Cana. Maio, 2006


Área Ocupada e Produção de Culturas no Brasil

Cultura Área cultivada Produção


(106 ha) (106 ton)
Soja 21,5 49,5
Milho 12,3 41,8
Cana-de-açúcar 5,6 416,3
Feijão 4,0 3,0
Arroz 3,7 13,3
Trigo 2,8 5,7
Café 2,4 2,5
Outros 5,7 -
Total 58,0 -
Fonte: IBGE, 2004
Áreas com restrições Áreas com restrição
ambientais de declividade

Mapa de solos Mapa climático

Critérios para Critérios para


restrição de solos restrição de clima

Potencial de Potencial de
produção de solo produção climático

Potencial solo/clima Potencial solo/clima


cana-de-açúcar com irrigação

Esquema utilizado na elaboração do mapa de potencial de


expansão de cana-de-açúcar
POTENCIAL DO SOLO PARA PRODUÇÃO DE CANA-DE-AÇÚCAR
Legenda: Alto

Bom
Médio
Impróprio

Figura: Mapa de solos do Brasil


POTENCIAL CLIMÁTICO PARA PRODUÇÃO DE CANA-DE-AÇÚCAR

Legenda: Alto

Bom
Médio
Impróprio

Figura: Mapa climático do Brasil


Potencial para produção de Cana-de-Açúcar sem irrigação

Ótimo
Bom
Médio
Impróprio

Bacia Amazônica
Pantanal
Mata Atlântica

Áreas de
preservação

Areas com declividade


acima de 12%
Potencial para produção de Cana-de-Açúcar com irrigação
Ótimo
Bom
Médio
Impróprio

Bacia Amazônica
Pantanal
Mata Atlântica

Áreas de
preservação

Areas com declividade


acima de 12%
Brasil: Potencial de Produção de Cana-de-Açúcar
Produtividade Potencial de Utilização (Área) Potencial de Produção Total - 2005

Potencial Esperada Sem Irrigação Com Irrigação Sem Irrigação Com Irrigação

(t/ha) (1.000ha) (%) (1.000ha) (%) (1.000 t) (%) (1.000 t) (%)

Alto 81,4 7.897,1 2,2 37.919,8 10,5 642.493,7 3,4 3.085.075,5 14,6

Bom 73,1 113.895,0 31,5 98.018,5 27,1 8.324.183,3 44,7 7.163.831,6 33,9

Médio 64,8 149.216,6 41,3 167.645,1 46,4 9.671.027,3 51,9 10.865.412,1 51,5

Impróprio 0,0 90.579,4 25,1 58.004,8 16,0 0,0 0,0 0,0 0,0

Totais 361.588,1 100,0 361.588,1 100,0 18.637.704,3 100,0 21.114.319,1 100,0

ƒ Capacidade limite de produção (tecnologia atual): ≅ 7,5 bilhões de bep/ano


ƒ Consumo mundial de gasolina em 2005: ≅ 7,0 bilhões de bep/ano
ƒ Produção de Petróleo do Oriente Médio: ≅ 7,3 bilhões de bep/ano
ƒ Capacidade última de produção (tecnologias em “pipeline”): ≅15 a 20 bilhões bep/ano: ≅ 80 a
110% da produção mundial de combustíveis derivados de Petróleo.
ƒ Cenário 2: ≅ 800 milhões bep/ano
Destilaria padrão
ƒ Cana moída (t/ano) : 2 x 106
ƒ Moagem diária (tc/d) : 12.000
ƒ Produção de etanol (l/d) : 1.000.000

ƒ Dias de safra : 167 dias


ƒ Aproveitamento safra : 84%
ƒ Área total* : 35.000 ha
ƒ Investimentos: Industrial : MR$ 205
Agrícola : MR$ 75

(*) inclui 20% de área de reserva ambiental prevista na Legislação


Cluster modelo

ƒ No. de destilarias : 15
ƒ Total cana moída : 30 Mt/ano
ƒ Produção total de etanol : 2,55 bi/litros
ƒ Investimento total : R$ 4.125 bi
9Indústria : R$ 3.075 bi
9Agrícola : R$ 1.050 bi
ƒ Empregos diretos : 74.700
ƒ Área total : 525.000 ha
ƒ Geração de energia elétrica : 1.200 GWh/ano
Características Sociais de um “cluster”
„ Empregos: 22.000 diretos e 75.000 totais

„ População: 200.000

„ Célula de desenvolvimento social:


9 Escolas e transporte
9 Posto de saúde e hospital
9 Escolas técnicas e superior
9 Áreas de esporte e lazer
Cenário 1 (5%)
12 Áreas
Selecionadas
para a
expansão da
oferta de
etanol (Solos:
ótimo e bom).
Estudo
preliminar -
Logística
para
Escoamento
de Álcool
Área 10

11 bi/l
2,3 milhões de ha
3 clusters
64 usinas
Traçado preliminar de dutos para escoamento de álcool
Região Centro-Sul
Fase 1 (até 2025)

Cenário 1 (2025): Investimento(R$):


• Álcool:104,5 Mm3 „ Destilaria-padrão:
280M/cada
• Região C-S: 60% ‰ Fase industrial: 205M
• Região N-NE: 40% ‰ Fase Agrícola: 75M

• Destilarias: 615 „ 615 destilarias: 8,6 bilhões/ano

• Moagem anual: 1,2


durante 20 anos
bi/toneladas de cana-de-açúcar „ Transporte (dutos e tancagem):
21,3Bi
• 21,5 milhões de ha
‰ Região C-S: 12,8Bi
• 11 Estados; 347 municípios ‰ Região N-NE: 8,5Bi
Resumo do Cenário 5%
Investimentos em 20 anos
Agrícola + Industrial + logística ~ 10 bilhões/ano

Resultados
Produção de álcool 100 bilhões de litros/ano em 2025

Produção de eletricidade 50.000 GWh/ano 15% da


geração 2004
(produção do Brasil em 2004 365.000 GWh/ano)

Exportação em 2025 US$ 31 bilhões

Aumento do PIB R$ 153 bilhões


Incluindo rendas diretas, indiretas e induzidas (matrix insumo-produto)

Aumento do emprego 5,3 milhões

Salário médio 50% acima da média nacional.


Revolução Verde Eminente
E.U.A substituirá 30% da gasolina por etanol sem aumento da área agrícola. Como?
Hidrólise de rejeitos agrícolas. 400 bilhões litros de álcool /ano.

Hidrólise produção de álcool – celulose (fibra)


Brasil pioneiro
Transição cana-de-açúcar cana-energia

~ 1985 Hidrólise, explosão ao vapor (steam-explosion)


Codetec (meados 80). Para Copersucar

~ 1985 Hidrólise ácida processo contínuo. Planta piloto (1ª no mundo,


meados 80) Codetec. Para Vilares S.A.

1985 + Hidrólise ácida por batelada adaptação de processo russo, planta comercial. Coalbra
(2ª metade 80). Nunca operou.

2000 Hidrólise ácida. Planta Demonstração – Dedini, Copersucar, Fapesp (Carlos Rossell)

2006 Rede Bioetanol (Finep-MCT) Hidrólise enzimática.


Aproveitamento do bagaço excedente e da palha para produção de álcool. 15 instituições
nacionais (Univ. e Inst.) 120 pesquisadores Seniores, companhias nacionais e estrangeiras
e 4 universidades estrangeiras.
Necessidades imediatas
1 – Criação de um centro de pesquisas especializado em etanol.

(Centro de Tecnologia da Copersucar inibiu Embrapa e depois


reduziu sua força de trabalho a 20%).

2 – Regulamentação de empréstimos do BNDES e outras agências


a) Caldeiras a altas pressões obrigatórias (Cogeração).
b) Localizações de tancagem e dutos organizados espacial e
sequencialmente de maneira a otimizar custos da infraestrutura e
do escoamento do produto. (Com a participação ativa da
Petrobrás).

3 – Criação de um fundo setorial destinado à pesquisa à semelhança


do que existe para outros setores de energia.
Energia da Cana
1 tonelada de colmos de cana
Energia (MJ)
٠150 kg de açúcares 2500
٠135 kg de fibras no colmo (bs) 2400
٠140 kg de fibras nas folhas (bs) 2500
٠Total 7400 (1,25 bpe)

1) Teórica (máxima) 4,5%


2) Laboratório ~ 4%
a) Eficiência da Fotossíntese 3) Cana 1% atual,
3% com hidrólise
(ciclo de vida ~ 10)
Silício 1,5 a 2%
b) Eficiência Fotovoltaica Ciclo de vida típico 3 a 5, para
20 anos de vida útil.

c) Melhoria da eficiência da fotossíntese?