Vous êtes sur la page 1sur 5

Sem título

EURÍPEDES BARSANULFO - O PRECUSOR DA PEDAGOGIA ESPÍRITA


Postado por: Admin em Quinta, 24 de Fevereiro de 2005 às 18:57

Além de sua mediunidade de cura e fenômenos físicos, a grande vocação para a


educação o incentivou a pensar em um modelo inovador de ensino.

Érika Silveira

Descrever, em poucas linhas, o papel desempenhado pelo médium Eurípedes


Barsanulfo dentro da doutrina espírita não é uma tarefa simples, uma vez que,
em seus 38 anos de vida terrena, realizou obras que muitos talvez não
conseguiriam nem com o dobro de tempo. A trajetória de vida deste espírito
missionário começou na pequena cidade de Sacramento (MG) em 01 de maio de
1880, data em que se comemora o Dia do Trabalho, nada mais justo para uma
pessoa que ajudou ao próximo incansavelmente e inseriu um novo modelo de
pedagogia no Brasil.

A vocação para o ensino se manifestou precocemente, ensinando seus próprios


irmãos e colegas de escola. Participou da fundação do Liceu Sacramentano, um
instituto de ensino primário e secundário, em 1902, bem como do jornal Gazeta
de Sacramento, onde escreveu colunas semanais sobre política, direito público e
métodos educacionais, entre outros temas, durante dois anos. Apesar de não
possuir diploma de curso superior, Barsanulfo dominava diversos assuntos, como
filosofia, direito e medicina. Aliás, cursar a faculdade e se formar médico era seu
grande sonho, mas por causa dos problemas de saúde de sua mãe, preferiu
permanecer ao seu lado em casa.

A RELAÇÃO COM O ESPIRITISMO

Eurípedes Barsanulfo sentiu uma certa resistência para aceitar de imediato o


Espiritismo, em virtude da forte formação católica recebida de seus pais,
Hermógenes Ernesto de Araújo e Jerônima Pereira de Almeida. Porém o primeiro
contato com a doutrina foi através de seu tio, Sinhô Mariano, que fundou e
dirigiu o Centro Espírita Fé e Amor, um dos mais antigos e conhecidos do
povoado.
Em certa ocasião, o tio entregou para Barsanulfo um exemplar da obra de Leon
Denis, rapidamente lido por ele. Impressionado, resolveu ir ate o centro e, lá
chegando, encontrou o humilde médium de nome Aristides sentado à mesa.
Colocando à prova a comunicação de espíritos com os encarnados, pediu, em
pensamento, esclarecimentos a respeito do Sermão do Monte por meio do
médium, já que não tinha sido totalmente instruído pelo padre da igreja que
freqüentava. Barsanulfo prontamente recebeu uma detalhada explicação sobre o
tema pedido e, a partir de então, converteu-se ao Espiritismo.
Em 27 de janeiro de 1905, fundou o Grupo Espírita Esperança e Caridade em sua
residência, local em que já realizava o chamado “Culto Cristão” (a leitura de O
Página 1
Sem título
Evangelho Segundo o Espiritismo a partir das 9h) desde o ano anterior. Foi ali
que Eurípedes Barsanulfo promoveu encontros memoráveis e sua mediunidade
sonambúlica e de efeitos físicos se manifestou claramente.
Porém, sua grande vocação era a educação, pois sabia que, através dela, poderia
incutir os valores morais que julgava ser de extrema valia na consciência e nos
corações das crianças. Assim, em 02 de abril de 1907, Barsanulfo inaugurou o
Colégio Allan Kardec, primeiro colégio espírita do Brasil, que foi administrado por
ele até seu desencarne. Nele, educou um grande número de pobres e órfãos,
mas, principalmente, implantou uma nova metodologia educacional, oferecendo
instrução intelectual e moral. Todas as quartas-feiras, ministrava aulas a respeito
da doutrina espírita, incompreendida e desdenhada por muitos pais de alunos.
Inclusive, alguns deles chegaram a retirar seus filhos da escola na época.

FENÔMENOS FÍSICOS E DE CURA

Outro ponto que marcou a vida de Eurípedes Barsanulfo foi o seu grande
potencial mediúnico, desenvolvendo diversos tipos de mediunidade, como a de
cura, audição, vidência, psicografia, intuição e bicorporeidade, ou seja, a
faculdade de desdobramento, quando um médium surge em um determinado
local enquanto seu corpo permanece em outro. Fatos do gênero aconteceram
diversas vezes, como na ocasião em que entrou em transe e chegou a descrever
detalhadamente, para seus alunos, o local, o horário e os participantes de uma
reunião que havia acabado de assistir na cidade de Versalhes, na França, local
em que foi assinado um histórico tratado.

A constante produção de fenômenos mediúnicos atraiu uma multidão para a


pequena cidade de Sacramento, na qual Barsanulfo promoveu diversas curas sem
jamais cobrar por isso, recuperando doentes desenganados pela medicina com o
auxílio constante da equipe espiritual comandada pelo dr. Bezerra de Menezes.
Inclusive, por orientação do chamado “médico dos pobres”, criou a Farmácia
Espírita Esperança e Caridade, que funcionava ao lado de seu quarto. Impregnada
por um suave perfume de jasmim, a farmácia servia de base para as atuações do
dr. Bezerra por meio da mediunidade de Eurípedes, atendendo os necessitados
com orientações, receitas médicas e cirurgias espirituais.

CORAGEM E AMOR PELA DOUTRINA

Entretanto, como não poderia deixar de acontecer, tendo em vista a época e o


porte da cidade de Sacramento, Eurípedes Barsanulfo sofreu muitas perseguições
e acusações, passando firme por momentos bastante difíceis. Um desses casos
ocorreu em 1913, quando um padre de Campinas, Feliciano Lague, atendeu o
chamado de religiosos da cidade mineira e tentou anular a influência do médium,
bem como o prestígio do Colégio Allan Kardec. Depois de algumas investidas,
Barsanulfo propôs um debate público com o padre. “No dia marcado, a praça da
matriz estava repleta de sacramentanos e espíritas das cidades vizinhas,
desejosos de assistir ao confronto que prometia ser memorável. E foi. Todos os
argumentos do padre Iague objetivavam desmoralizar Eurípedes e o Espiritismo.
Caíram por terra, um a um, graças ao raciocínio lógico, tranqüilo, consistente e
Página 2
Sem título
pleno das palavras de Jesus por parte de Eurípedes. Ele foi vitorioso e precisou
conter os entusiasmados espíritas, que desejavam carregá-lo em triunfo”,
descreve Lauret Godoy em seu livro Maravilhosos Encontros com Eurípedes
Barsanulfo. O fato só serviu para reforçar ainda mais a posição da doutrina
espírita e o trabalho educacional promovido pelo médium.

Eurípedes Barsanulfo passou muitos e muitos anos se dedicando ao próximo e ao


bem comum, tarefa que só se encerrou com seu desencarne, ocorrido em 01 de
novembro de 1918, vítima de uma epidemia de gripe que assolou o Brasil
naquele ano. Mesmo depois de 85 anos de sua partida para o plano espiritual, ele
é lembrado com imenso carinho por todo o movimento espírita, sobretudo na
cidade de Sacramento, local que, ainda hoje, recebe constantes visitas de
caravanas formadas por pessoas que desejam ver de perto a obra de amor
deixada por ele e continuada por sua sobrinha, Heigorina da Cunha. Entre os
pontos mais visitados por elas, estão a gruta na qual ele realizou boa parte das
curas, o busto que foi feito em sua homenagem, o Colégio Allan Kardec, entre
outros. Não se pode deixar também de citar a referência feita pelos visitantes de
que a cidade mineira possui uma atmosfera bastante especial, o que não poderia
ser diferente, tendo em vista a grandeza espiritual desse missionário que se
tornou o precursor da pedagogia espírita no Brasil.

PALAVRAS DE UMA EDUCADORA ESPÍRITA SOBRE EURÍPEDES BARSANULFO

A educadora Dora Incontri descobriu sua vocação para a pedagogia quando ainda
cursava jornalismo na Fundação Cásper Líbero, época em que lançou seu
primeiro livr. Educação na Nova Era, ponto de partida para sua carreira. A partir
de então, passou a se dedicar integralmente ao tema, escrevendo para diversos
jornais, fazendo mestrado, doutorado e pós-doutorado em educação.

Nascida em berço espírita, Dora Incontri afirma ter recebido uma grande
influencia para a pedagogia tanta da família como o prof. J. Herculano Pires,
amigo de seus pais durante muitos anos. Outro grande modelo que inspirou a
educadora foi Eurípedes Barsanulfo, tanto que o escolheu para ser um dos focos
de sua tese de doutorado na Universidade de São Paulo (USP). Nesta entrevista,
ela fala um pouco mais sobre essa escolha, a personalidade de Barsanulfo e a
idéia de uma escola espírita.

Por que a escolha de Eurípedes Barsanulfo para ser um dos focos de sua tese de
doutorado?

Dora Incontri – Porque, com a criação do Colégio Allan Kardec, ele inseriu um
novo modelo de educação. Em minha tese, analisei as heranças de Sócrates e
Platão, passando por educadores como Comenius e Pestalozzi até chegar em
Kardec, mostrando, depois, como a pedagogia espírita foi se desenvolvendo no
Brasil através de seu primeiro grande educador espírita, que foi Eurípedes
Barsanulfo. Considero-o realmente o fundador da pedagogia espírita no país, o
primeiro a fazer uma escola espírita revolucionária, que nada tinha a ver com o
Página 3
Sem título
sistema tradicional da época. Ele implantou uma metodologia sem notas,
castigos ou recompensas, era uma educação ativa, com a participação dos
alunos, algo totalmente diferenciado.

Quais foram suas fontes de pesquisa?

Dora Incontri – Além da literatura existente, entrevistei Thomaz Novelino,


falecido em 2000, aos 99 anos de idade. Ele foi aluno de Eurípedes, conviveu
com ele e fundou o Educandário Pestalozzi, na cidade de Franca (SP), inspirado
em seu trabalho.

Como ele descreveu a personalidade de Eurípedes?

Dora Incontri – De acordo com seu testemunho e de outras pessoas com quem
conversei em Sacramento, Eurípedes era uma pessoa muito séria, bondosa,
amorosa, serena, uma criatura bastante equilibrada. Enquanto outras escolas
utilizavam castigos como forma de punição dos alunos, ele nem sequer alterava a
voz. Atualmente, não há, dentro ou fora do movimento espírita, qualquer
proposta de escola que se assemelhe com a que ele fez, com originalidade,
liberdade, amor e participação dos alunos.

Há um projeto para criar uma escola nesses moldes?

Dora Incontri – Meu projeto de vida é fazer mais do que uma escola, é construir
uma colônia educacional. Por enquanto, está no papel, mas tudo foi planejado.
Primeiro, queria defender uma tese para solidificar a idéia da pedagogia espírita
na universidade e, depois, criar uma massa crítica que se ligasse com a proposta,
pois uma das grandes dificuldades em todas as experiências, inclusive na de
Eurípedes, é a falta de pessoas que as entendam. Falar em escola espírita não
significa um lugar de doutrinação, mas que tem uma visão diferente da
educação, baseada em três princípios: a pedagogia do amor, da liberdade e da
ação.

TESE DE MESTRADO

Formado em pedagogia, Alessandra César Bighito escolheu Eurípedes Barsanulfo,


para ser tema principal de sua tese de mestrado na Universidade de Campinas
(Unicamp). Segundo ele, o motivo foi a originalidade e a brilhante proposta de
educação dentro do Espiritismo sugeridas pelo médium. Nesta entrevista, Bighito
fala mais sobre esse trabalho de pesquisa.

Quais foram os principais pontos abordados?

Alessandro César Bighito - Na história da educação brasileira, temos uma forte


influência católica, principalmente em Minas Gerais, e o interessante na proposta
de Eurípedes foi ter aberto uma escola completamente oposta aos padrões da
época, abolindo castigos, fortalecendo a relação de amizade entre professores e
Página 4
Sem título
alunos e desenvolvendo um processo de educação ativa. Também ao contrário
das escolas extremamente elitistas, o Colégio Allan Kardec era gratuito, formado
por classes mistas, tudo muito original para aquele tempo.

Quais foram suas fontes para realizar essa pesquisa?

Alessandro César Bighito - Os dados históricos da primeira república, época na


qual Eurípedes esta contextualizado, eu pesquisei em documentos, fotos e
jornais, além de uma entrevista realizada pela Dora Incontri com Thomaz
Novelino e alguns depoimentos de outros alunos, inclusive com um que está
atualmente com 110 anos de idade e mora em Uberlândia (MG). Tive acesso
também às atas do período em que Eurípedes foi vereador em Sacramento.

Quando visitou Sacramento, o que você sentiu em relação a Eurípedes


Barsanulfo?

Alessandro César Bighito - Embora tenha desencarnado há muito tempo, sua


presença ainda é muito viva no local. Por sua bondade e afeto, ele fez uma ação
muito poderosa no lugar. Agora, o referencial pedagógico implantado por
Eurípedes não existe mais no atual Colégio Allan Kardec, perdeu-se com a nova
direção. Porém, entendo que a presença de um espírito evoluído como Eurípedes
Barsanulfo deixou sementes pedagógicas que germinarão algum dia.

Notas: (Extraído da revista Cristã de Espiritismo 20, páginas 36-39)

Página 5