Vous êtes sur la page 1sur 4
I doAlto dePinheiros, constrangem Eduardo Giannetti da Fonseca, formado pela USP, com doutorado em Cambridge,
I doAlto dePinheiros, constrangem Eduardo Giannetti da Fonseca, formado pela USP, com doutorado em Cambridge,
I doAlto dePinheiros, constrangem Eduardo Giannetti da Fonseca, formado pela USP, com doutorado em Cambridge,
I doAlto dePinheiros, constrangem Eduardo Giannetti da Fonseca, formado pela USP, com doutorado em Cambridge,
I doAlto dePinheiros, constrangem
I
doAlto dePinheiros, constrangem
I doAlto dePinheiros, constrangem Eduardo Giannetti da Fonseca, formado pela USP, com doutorado em Cambridge, prepara-se
Eduardo Giannetti da Fonseca,
Eduardo Giannetti da Fonseca,
formado pela USP, com doutorado em Cambridge,
formado pela USP, com doutorado em Cambridge,
prepara-se para explicar economia na televisão
prepara-se para explicar economia na
televisão
POR HUMBERTO WERNECK FOTO ROBERTA DABDAB
POR HUMBERTO WERNECK
FOTO ROBERTA DABDAB
s vésperas de se tornar cinquentão, em fevereiro passado, Eduardo Giannetti da Fonsecatinha planos para
s vésperas de se tornar cinquentão, em fevereiro passado, Eduardo
Giannetti da Fonsecatinha planos para uma nova fase em sua vida: es-
À.rever mais. Para isso, teria de fugir da dispersão paulistana - quem
sabe isolando-semais frequentemente em Tiradentes, cidade histórica de Minas
onde, em regime de "absoluta clausura", sem telefone ou internet, escreveu dois
livros -; dar menos entrevistas; fazer menos palestras - só em 2006, calcula, fo-
ram umas 120.Ao mesmo tempo, porém, Giannetti preparava-se para estrelar,
como apresentador, uma série de dez programas de dez minutos, O ValordoAma-
nhã,que oFantásticovai mostrar a partir destemês.Oescritorpegava, assim,uma
contramão que certamente o fará, convertido em celebridade televisiva, ainda
maisrequisitado,comoaconteceucom omédicoDráuzioVarellaeofísicoMarcelo
Gleiser,protagonistas de sériessemelhantes nas noites de domingoda TV Globo.
Giannetti pop star? Não passava por aí o projeto desse intelectual re-
finado cuja formação, de tão diversificada, tornaria difícil a escolha do que es-
crever sob o seu nome num cartão de visitas. Formado em economia e ciên-
cias sociais pela Universidade de São Paulo (USP),doutor pela universidade
inglesa de Cambridge, onde lecionou durante três anos, ex-professorda USP
que hoje ensina história do pensamento econômico nas Faculdades Ibmec
(InstitutoBrasileiro de Mercado de Capitais) São Paulo, o saber polivalente de
Eduardo Giannetti se espraia muito além desses rótulos, aos quais se soma o
de filósofo.Talvezseja o caso de ficar com o de pensador,que de resto abarca to-
dos os demais, permitindo-lhe enveredar pelas mais improváveis picadas.
abril o007 ÉPOCA N~GÓC~OS137
abril o007
ÉPOCA
N~GÓC~OS137
ALBUMDE FAM~LIA Atrajetória pessoal entre o Brasil e a Inglaterra 1- -Com a mulher. ChristinaWhiting.
ALBUMDE FAM~LIA Atrajetória pessoal entre o Brasil e a Inglaterra 1- -Com a mulher. ChristinaWhiting.
ALBUMDE FAM~LIA Atrajetória pessoal entre o Brasil e a Inglaterra
ALBUMDE FAM~LIA
Atrajetória pessoal entre o Brasil e a Inglaterra
FAM~LIA Atrajetória pessoal entre o Brasil e a Inglaterra 1- -Com a mulher. ChristinaWhiting. brasileirafilha de
1- -Com a mulher. ChristinaWhiting. brasileirafilha de inglês
1- -Com
a mulher.
ChristinaWhiting.
brasileirafilha de inglês
desculpando-se por não saber ler uma partitura, Gian- netti encantou exigente platéia em São Paulo
desculpando-se por não saber ler uma partitura, Gian-
netti encantou exigente platéia em São Paulo com afina-
díssima palestra sobreMozart.A música, aliás,e não s6a
erudita, éuma desuaspaixões,edela sabe extrair mais do
que prazer estético. Criticando o governo Lula num pai-
nel, meses atrás, ele sacou versos de Noel Rosa em OOr-
valho VemCaindo - "A minha terra dP banana e aipim / o
meu trabalho é achar / quem descasquepra mim" - para
mAos5anos.
na prb-escola Guarnieri.
em Sao Paulo
calçar uma hilariante conclusão:
"co Bolsa-Família!"
Mineiro de Belo Horizonte transplantado para
São Paulo com meses de idade,irmão caçula dos também
economistasMarcose RobertoGiannetti da Fonseca,ele
vem construindouma obra que alcançapicos de best-sel-
ler. Auto-engano, de 1997,já vendeu 47 mil exemplares.
fora as traduções na Inglaterra, Itália, Holanda, Iugos-
lávia e no Japão. Felicidade (2002) anda pelos 33 mil. E o
mais recente, O Valordo Amanhã, que dá nome 2 série da
Globo, em menos de dois anos bateu nos 32 mil exempla-
res. Nas livrarias, Giannetti jP topou consigomesmo na
estante de auto-ajuda. Vê nisso um equívoco, mas con-
sola-se com Shakespeare,em Hamlet: "Os nossos pensa-
mentos são nossos, mas os seus fins não nos pertencem".
A limpidez do texto ajuda a explicar a gorda venda-
gem. "Meustemas são áridos", avalia,"e, se eu não seduzir
o leitor pela linguagem, ele vai me abandonar." A clareza é
uma das qualidades que fariam de Giannetti "o pensador
brasileiro contemporilneomais interessante",na opinião
dofilósofoe poeta AntonioCicero."Vocêturvar a água do
seupensamentoéuma formadedesonestidadeintelectual
muito comum hoje no Brasil': observao ensaísta de OMun-
dodesdeoFim.TambémCaetano Veloso,leitor de comprare
distribuir, seencantacoma capacidadede Giannettidedi-
zer limpidamente o que pensa. "É um oPsis no panorama
da cultura acadêmicabrasileira", defineCaetano,mais de
uma vez citadonos textos do escritoreque na série O Valor
doAmanhã vai cantar um trecho de sua Oragãoao Tempo.
Os programas, informa a roteirista e diretora Isa
Grinspum Ferraz. vão seguiar pela preocupaçãoem "sim-
plificar,mas sem tirar a complexidade das questões".Isa
- responsPve1pela série de TV OPovo Brasileiro (2000)e
pelos conteúdoseroteirosdo Museu da Língua Portuguesa,
deSãoPaulo- adiantaqueopropósitodeOValordoAmanbã
é "pensarsobreo tempo,sobrecomoa genteageno tempo".
Na telinha, ganhará redobrada ressonância a tese que Gian-
netti desenvolveno livro- grossomodo. a de quejuros não
sãoapenasaquiioquesangramos numa compra a prazo ou
num empréstimobancário, mas algoque perdemosou ga-
nhamosnasescolhasdocotidianoeque,espelhandoa fábu-
la da cigarra e da formiga, no fundo consisteem optar entre
"viver agora. pagar depois"e "pagar agora,viver depois".
Amiga de "Edu" desde a faculdade, Isa garante
que a ele não falta cancha para seduzir o telespectador.
Quem diria: até os 16,17anos, Giannetti,que viria a me-
dir 1,93metro, era o baixinho da turma no Colégio San-
ta Cruz e morria de medo de abrir a boca na sala de aula.
pois um dia o professor viu gozação na sua voz fina de
pré-adolescente. A lerdeza na chegada dos hormônios,
acha ele, concorreu para que fosse buscar compensação
no terreno jP familiar da literatura e das idéias - a mãe, a
psicanalistaYone Giannetti da Fonseca, époeta e teve um
livro contemplado,em 1976,com o mesmo Prêmio Jabu-
ti que, mais adiante, o filho ganharia em duas ocasiões.
Adescoberta deSartre,deKafka, sobretudodo Dos-
toievskide OsIrmãosKaramazov,num curso de metafísica no
colégio, foi para Eduardo
um decisivo alumbramento. Na
hora do vestibular, s6não optoupor filosofia porque ofale-
cidopai,JustoPinheiroda Fonseca,engenheiroeexecutivo
debanco,oalertou para asincertezasdacarreira. Giannetti
admitequeacaboufazendo"umaescolhaprudencial': mas
não guardou frustração - anosmais tarde, deu força quan-
do o filho finico,Joel. hoje com 21 anos, quis cursar filosofia.
Até porque Eduardo veio a descobrir,na leitura dos clás-
sicos, que s6 de um séculopara cá o estudo da economia se
desmembrou da filosofia,nada impedindoque se restaure
a unidade noAmbitoda história dopensamentoeconômico.
138 ÉPOCA N~G~C~OSabril ao07
138 ÉPOCA
N~G~C~OSabril ao07
FOTOS-ARQVIVO PESSOAL
FOTOS-ARQVIVO PESSOAL
19<n»>Em Tiradentes (MG), onde costuma se isolar paraescrever 2007 Nagravaçao do primeiro episódio da
19<n»>Em Tiradentes (MG), onde costuma se isolar paraescrever 2007 Nagravaçao do primeiro episódio da
19<n»>Em
Tiradentes
(MG), onde costuma se
isolar paraescrever
2007
Nagravaçao
do primeiro episódio
da série para a TV,
em Sáo Paulo
"IINTaECTZfAL
NASCIDO DOS
para a TV, em Sáo Paulo "IINTaECTZfAL NASCIDO DOS de repenteveioa revoluçãoiraniana - exatamenteo contrá-
de repenteveioa revoluçãoiraniana - exatamenteo contrá- rio daquilo que imaginávamos estar prestes a acontecer."
de repenteveioa revoluçãoiraniana - exatamenteo contrá-
rio daquilo que imaginávamos estar prestes a acontecer."
Não foi o único motivo dedesencantamento:"Pensávamos
que com a redemocratizaçãono Brasil as idéiasmarxistas
e ospartidos operários ganhariam força e presença na po-
lítica, mas o que se viu foi algo muito diferente".Chocado,
descobriu que o discurso marxista era mais convincente
sob um regime autoritário do que numa democracia. "In-
telectual nascido dos sonhos da revolução",descreve Cae-
tano Veloso, "Giannettitornou-seum realista docee solar."
Seteanos de Cambridge,já ao lado de Christina Whi-
ting,brasileirafilha deinglês,arquiteta,comquemsecasou
em1982,haveriamdesolidificarastransformaçõesporquevi-
nhapassando.Até então,rememora,vivia embusca deum fi-
lósofocomoqualpudesseidentificar-se,parapensaramanei-
ra dele."EmCambridgeaprendiquenão existeum pensador
que vai resolver os problemas do pensamento por alguém, e
queomaisimportanteéaprenderapensarpor contaprópria."
Ascorreçbesderumo causaramperplexidadeentre
antigospares. "Houveum queme acusou de ter passado para
o ladoda burguesia
",
diverte-seEduardo. Oqualificativo
queosadversárioslhepespegaméodeneoliberal.Não sere-
conhecenele - e aproveitapara puxar orelhas: "Aspessoas
conhecenele - e aproveitapara puxar orelhas: "Aspessoas 1986 »>Piquenique em Cambridge. Inglaterra, ao lado
1986 »>Piquenique em Cambridge. Inglaterra, ao lado do filho Joel.cornlano
1986 »>Piquenique
em Cambridge.
Inglaterra, ao lado do
filho Joel.cornlano
Antes disso, porém, o bem-comportado Giannetti - que hoje pode ser vistopasseando nas imediaçõesde sua
Antes disso, porém, o bem-comportado Giannetti
- que hoje pode ser vistopasseando nas imediaçõesde sua
casa,no bairro doAlto de Pinheiros,com os doisbuldogues
Ichabode Quincas,pai efilho- foium radical de esquerda,
militante da Libelu, a organizaçãotrotskista Liberdade e
Luta. Passou uma noite em cana quando a polícia da dita-
dura
invadiu o campusda PUC de São Paulo, em 1977.Tam-
bém aos 20, trocou o bem-bom da casa paterna por uma
república de estudantes proclamada numa rua de terra,
depois de conseguir o primeiro emprego,comopesquisa-
dor da Fipe, a Fundaçáo Instituto de Pesquisas Econômi-
cas,da USP. Era, define-se,um "marxista de carteirinhan.
Desse tempo a amiga Isa guardou a estampa de
um moço "lindo,cabeludaço",que "arrasava quarteirões".
Ainda enchia os ouvidoscom o rock progressivodos anos
70 - Jethro Tull, Yes, Gentle Giant -, que diz ter sido "a re-
ligião" de sua adolescência e que até hoje, vez por outra,
revisita. Mas gostaria de esquecer que na juventude pu-
blicou dois livros de poesia,Adolescênciae Órbitaspedestres.
Quando seguiu para a pós-graduação em Cam-
bridge, aos24 anos,já começara a apear do marxismo. Ele
e vários companheiros."Nósacreditávamosna iminência
de uma revolução proletária internacional': reconstitui, "e

EZ1E

ÉPOCA ~eoócios 139 abril 2007
ÉPOCA ~eoócios 139
abril 2007
iminência de uma revolução proletária internacional': reconstitui, "e EZ1E ÉPOCA ~eoócios 139 abril 2007 I
I AS IDÉIAS DE GIANNETTI TRECHOS DOS TRÊS LIVROS MAIS VENDIDOS DO PENSADOR POLIVALENTE usam
I AS IDÉIAS DE GIANNETTI TRECHOS DOS TRÊS LIVROS MAIS VENDIDOS DO PENSADOR POLIVALENTE
I
AS IDÉIAS DE GIANNETTI
TRECHOS DOS TRÊS LIVROS MAIS VENDIDOS DO
PENSADOR POLIVALENTE
usam esserótulosemteramenorn@o doqueestgoMandow. Seu colega e primo Paulo Nogueira Batista Jr. o vê comoum liberal,
usam esserótulosemteramenorn@o doqueestgoMandow.
Seu colega e primo Paulo Nogueira Batista Jr. o
vê comoum liberal, e a si mesmo como um desenvolvi-
mentista. Diretor-executivodo Brasil no Fundo Mme-
tfirio Internacional (FMI),em Washington, e professor
da Fundaçso GetulioVargas em São Paulo,BatistaJr. diz
que, "com nomes diferentes,essa sempre bi a grande po-
larização na hist6ria do pensamento econ8micobrasi-
leiro". Vai no mesmo sentido a avaliação do economista
Márcio Pochmann, professor da UniversidadeEstadual
de Campinas (Unicamp),para quem Giannetti "15repre-
sentante do que de mais sofisticadotemos no Brasil em
matéria depensamentoliberal, prosseguidordeuma tra-
dição que passa por Eugênio Gudin e RobertoCampos".
Giannetti,quenãogostaderótuios,sente-semais
identificadocom o quepoderia ser chamadodeiluminis-
mo cético. Nada a ver, adverte, com certo iluminismo "en-
tusilstico, exaltadon."Amaioriadoseconomistasacredita
140 ~POCA~ecócios abril rrooq
140 ~POCA~ecócios abril rrooq
numa noção deprogressoenuma convergênciaentretec- nologia, bem-estar,felicidade. Eu acho que as coisas tem um custo.
numa noção deprogressoenuma convergênciaentretec-
nologia, bem-estar,felicidade. Eu acho que as coisas tem
um custo. Nem todasascoisasboas, desejáveis,sãocompa-
tíveisentresi. Quasesempre.para ter uma delas. vocêvai
ter de abrir mão de outra. A condirãohumana c?tragica."
DsuíEduardoGiannetticonsiderar"profundamente
amarga e corrosiva"a mensagem que desfia em seus escri-
tos. "Tentodelinearproblemasqueprovavelmentenãotem
soluç50,façoperguntasquenãotêmrespostau,explica.Para
dar o seu recado indigesto,recorreàsabedoriadofi16sofo
epoeta romano Lucrécio,com quemaprendeu o"método
agridoce",que consisteem passar mel na borda do copo
-

"quando a pessoa percebe. engoliu o remédio amargou. Amargo? Pode ser. Mas o sucesso de livraria e o interesse da Globo não deixam dúvida de que a po- çãointelectual de Eduardo Giannetti está agradando.^ Leia trechosdos principais livrosdeGi nnetti

/ + em www. emane~oc~os.corn.~r
/
+
em www. emane~oc~os.corn.~r
Eduardo Giannetti está agradando.^ Leia trechosdos principais livrosde Gi nnetti / + em www. emane~oc~os.corn.~r