Vous êtes sur la page 1sur 2

MP A quem interessa essa PEC?

Aos corruptos, principalmente aqueles que foram investigados pelo MP e que temem sua atuao.

A Polcia Civil e Federal NO tem estrutura para investigar privativamente crimes.

O MP no quer exclusividade na investigao, mas uma competncia concorrente. Afinal h espao para a investigao.

O MP vai ser um rgo passivo na atividade investigatria, esperando que outro rgo assim o faa, para ento poder agir.

POLCIA JUDICIRIA A pergunta que deveria ser feita a quem NO interessa essa PEC? Ao MP que ao investigar estaria compromissado com a acusao sem a devida preocupao de tornar claro os fatos (revelar o fato oculto) para a sociedade, mas apenas subsidiar exclusivamente sua denncia, podendo lanar pessoas diretamente num processo penal, violando o princpio da paridade de armas e sem o devido controle (freios e contrapesos) de seus atos. Assim como o Judicirio tambm tem seus problemas no elevado nmero de processos, bem como a superlotao dos presdios, na execuo penal. A culpa do sistema de persecuo penal e deve ser buscado a soluo em conjunto NO imputando apenas a um rgo o problema. perniciosa a pulverizao da atividade investigatria em diversos rgos. A despeito de resultados eficazes o estado no pode se valer a qualquer custo na busca da punio pelo processo penal atravs da investigao, mas deve se valer na garantia dos direitos fundamentais. Ademais a essa pulverizao gera insegurana na medida em que o indivduo que est sendo sujeito a ela, no sabe por quem, nem como vai ser investigado. Ressalta-se ainda o risco do indivduo ser alvo concomitantemente alvo por dois rgos sem qualquer cruzamento de informaes, ou ainda, no gasto do estado em aparelhamento simultneo de dois rgos, como o custo de sistema de interceptaes telefnicas- guardio e laboratrio de lavagem de dinheiro que so extremamente caros. Alm do mais a especializao de um nico rgo se demonstra mais eficiente do que a difuso da atividade investigatria, sob o ponto de vista prtico. No verdade, a concentrao da investigao em um nico rgo, no impede a fiscalizao do rgo ministerial pelo prprio sistema de freios e contrapesos previsto na CF, atravs do controle externo da atividade policial, alm de emanar recomendaes genricas para a investigao, como vem sendo feito pelo MP do Esprito Santo, na recomendao 03 de

2011