Vous êtes sur la page 1sur 6

Diego dos Anjos – Medicina UFPB

Diego dos Anjos – Medicina UFPB Anatomia e Fisiologia do Sistema Tegumentar Resumo baseado no Livro

Anatomia e Fisiologia do Sistema Tegumentar

Resumo baseado no Livro Sampaio e em Assuntos abordados em sala de aula.

A pele é um manto de revestimento (ácido) que constitui mais de 15% do peso corpóreo e é um órgão composto por 3 camadas:

Epiderme – epitélio estratificado

Derme – denso fibro elástico (onde encontram-se os vasos, nervos, glândulas e folículos pilosos)

Hipoderme ou TSSC – tec. Adiposo

Possui variação em sua extensão; é rica em sulcos e saliências, possuindo também pregas articulares e musculares, orifícios pilosebáceos e sudoríparos.

Embriologicamente a pele origina-se de folhetos ectordérmicos (unhas, epiderme, folículos pilosos, glândulas apócrinas e écrinas); neuroectoderme (nervos e melanócitos) e mesoderme (músculos, vasos, fibras colágenas e eláticas, tecido adiposo.

Desmossomas possui desmogleína e desmocolina. Na doença pênfigo vulgar há a presença de um anticorpo antidesmogleína.

Epiderme

Formada por 4 tipos celulares e 4 camadas

Tipos celulares: queratinócitos; melanócitos, células de langerhans e células de Merkel.

- Queratinócitos (ceratinócitos): 90% da população celular da epiderme; determina

características dos estratos epidérmicos promovendo a queratinização da pele. Liberam interleucinas e

promovem ativações linfocitárias.

- Melanócitos: contém melanossomas -> normalmente a nível de camada basal, são

dopa-positivos e de natureza dendrítica. Síntese e deposição de melanina através do armazenamento de tirosinase sintetizada pelos ribossomos. Os melanossomas com melanina são injetados nos queratinócitos. Alguns fatores estimulam a produção de melanina: queratinócitos através do FGF, MSH, hormônios sexuais, mediadores da inflamção e Vit. D3. Coloração para melanina: Fanton-masson e prata.

- Células de Langerhans: células dendríticas, desprovidas de tirosina (dopa-negativas).

Presença de grânulos característicos denominados Bierbeck. Estão principalmente na camada espinhosa. Função nas reações imunitárias cutâneas (captar antígenos, processá-los e apresentá-los aos linfócitos T). Também são encontradas na derme, linfáticos da derme, timo, linfonodos. Origem: a partir da medula óssea; mas uma parcela de sua população tem atividade mitótica, originando novas células.

Diego dos Anjos – Medicina UFPB

Diego dos Anjos – Medicina UFPB - Células de Merkel – células não dendríticas a nível

- Células de Merkel – células não dendríticas a nível da camada basal. Contém grânulos elétron-densos que contém subst. Neurotransmissoras. São estruturas receptivas de sensações táteis.

Camadas: basal, espinhosa (malphigui), granulosa e córnea

CAMADA BASAL

É germinativa e a mais profunda e constituída por células com núcleo hipercromáticos, grandes (células basais e melanócitos), k5 e k14. Entre as células basais estão estruturas de aderência que unem as células entre si – os desmossomas – dando suporte ao epitélio. Além disso, estas células estão unidas a lâmina basal por hemidesmossomas.

Atenção: “1 desmossomas = 2 hemidesmossomas” – simples assim!

Essa camada origina as demais camadas da epiderme por diferenciação celular. O tempo de uma queratinócito ir da camada basal até a córnea é de 26-42 dias (tempo de maturação)

Abaixo da camada basal tem-se uma estrutura constituída por mucopolissacarídeos neutros, que é a Membrana Basal. A junção dermo-epidérmica (ou zona da membrana basal) é formada por 4 porções:

1 – membrana plasmáticas dos queratinócitos, vesículas plasmalêmicas, hemidesmossomas.

2 – lâmina lúcida ou espaço membranoso – espaço por onde passam os componentes dos hemidesmossomos para ancorar na derme; glicoproteínas não colagênicas.

3 – lâmina densa ou lâmina basal – composição fibrilar pelo componentes dos hemidesmossomos.

4 – zona da sublâmina densa – compostas pelas fibrilas de ancoragem, feixes de microfibrilas e fibras colágenas.

Dentre as funções da membrana basal, podemos citar:

- manter coesão e aderência dermo-epidérmica

- suporte mecânico: ação estabilizadora da lâmina densa sobre Mem. Plasmática das cél. Basais.

- função barreira: barreira à penetração de moléculas de peso molecular elevado, e barreira a

penetração de células (em processos invasivos proliferativos). Obs: processos infecciosos ou neoplásicos

podem lisar a lâmina densa – comprometimento da função barreira.

- facilitar a comunicação entre derme com epiderme.

CAMADA ESPINHOSA ou malphigiana

Formada por células escamosas ou espinhosas. Células separadas por espaços cruzados por finos filamentos – pontes intercelulares. K1 e k10. Cél de langerhans encontram-se especialmente aqui.

Diego dos Anjos – Medicina UFPB

Diego dos Anjos – Medicina UFPB CAMADA GRANULOSA Células granulosas com grande quantidade de grânulos de

CAMADA GRANULOSA

Células granulosas com grande quantidade de grânulos de querato-hialina. K2 e k11

Em áreas de queratinização imperfeita a camada granulosa pode estar ausente (mucosas). Também está ausente na ictiose-vulgar.

CAMADA CÓRNEA

Formada por células epidérmicas anucleadas, com membranas celulares espessas e cujo citoplasma é repleto de queratina.

Sist. Bifásico -> filamentos de queratina + matriz amorfa

Os queratinócitos são transformados em placas sem vida e descamam continuamente

*nas regiões planto-palmares (pele espessa), podemos evidenciar a presença da CAMADA LÚCIDA, que nada mais é que uma característica da camada córnea mais espessa. Encontra-se entre camada granulosa e camada córnea, sendo composta por células anucleadas, planas, de aspecto homogêneo e transparente.

***Os ks (k5, k14, k1, k10, k2, k11) – usa-se em casos que necessita-se verificar se as células estão em seus respectivos locais esperados. “se célula certa está no local certo”

ESTRUTURAS DOS ANEXOS CUTÂNEOS

Glândulas Sudoríparas Écrinas: estão dispersas por toda a pele, porém em alta quantidade nas regiões palmares, plantares e nas axilas. Ausentes no lábio, face interna do prepúcio, pequenos lábios. São glândulas tubulares que desembocam na superfície através da epiderme. Sua porção secretora encontra-se na junção dermo-hipodérmica. A secreção é inodora e incolor, relacionada com o stress e emoção. Mediadores parassimpaticomiméticos estimulas a sudorese: acetilcolina, pilocarpina, acetilbetametialcolina. Mediadores parasimpatolíticos inibem a sudorese: atropina. *adrenalina estimula a sudorese

Glândulas Sudoríparas Apócrinas: desembocam, em geral, nos folículos pilosebáceos. São tubulares com uma porção secretora e uma ductal. Presentes na axila, área perimamilar e anogenital. Sua secreção tem um aspecto leitoso pós decaptação da célula. Surgem na puberdade e destaca-se que adrenalina, noradrenalina e metacolina promovem secreção apócrina. MODIFICADAS: ouvido externo (glândulas ceruminosas); pálpebras (gl. De moll); mama (gl. Mamárias).

Glândulas Sebáceas: em toda a pele, menos nas regiões palmares e plantares. Desembocam no folículo pilosebáceo. É constituída por vários lóbulos e sua secreção é do tipo holócrina ( célula se rompe liberando todo seu conteúdo), o sebum. Mostram-se ativadas pelos andrógenos.

Pêlos

Estruturas filiformes com células queratinizadas.

Diego dos Anjos – Medicina UFPB

Diego dos Anjos – Medicina UFPB 2 tipos: velus (pêlo pouco desenvolvido) e terminal (cabelos, barba,

2 tipos: velus (pêlo pouco desenvolvido) e terminal (cabelos, barba, pilosidade pubial e axilar). Possuem uma parte livre (haste) e uma porção intra-dérmica (raiz)

Alta flexibilidade e elasticidade (aumenta quando está molhado)

Função: reduzir atrito e funcionar como aparelho sensorial cutâneo. (abundante inervação)

TRICROGRAMA NORMAL

85% na fase anágena – 2/5 anos (alta mitose)

1% na fase catágena – 3 semanas

14% na fase telógena – 3/4 meses

UNHAS

 

Lâminas queratinizadas que recobrem a última falange dos dedos.

Porções: raiz + lâmina + dobras laterais + borda livre

DERME

Aloja estruturas anexiais da pele: glândulas sudoríparas écrinas e apócrinas, músculo eretor do pêlo e folículo piloso.

Formada por um GEL de mucopolissacarídico e de fibras colágenas, elásticas e reticulares.

Derme papilar – camada pouco espessa com fibras colágenas, elásticas, fibroblastos e subst. Fund. É onde se formam as papilas dérmicas.

Derme perianexial – est. Idêntica a derme papilar.

Derme reticular – se estende até o subcutâneo com feixes colágenos mais espessos, menor quant. De fibroblastos, menor quant. De subst. Fundamental.

Esse GEL promove resistência mecânica da pele a compressões e estiramentos.

Células da derme: eosinófilos, neutrófilos, plasmócitos, linfócitos e macrófagos.

INERVAÇÃO

Nervos sensitivos - > formam órgãos terminais específicos

- corpúculos de Vater-Pacini - > sensíveis à pressão; nas regiões palmares e plantares.

- corpúculos de Meissner: polpas dos dedos (derme papilar). Sensibilidade Tátil

Diego dos Anjos – Medicina UFPB

Diego dos Anjos – Medicina UFPB - Corpúsculos de Krause: área de transição entre pele e

- Corpúsculos de Krause: área de transição entre pele e mucosas (glande, prepúcio, clitóris,

lábios vulvares, lábio, língua, pálpebras). Sensibilidade ao frio. À nível de derme papilar ou subpapilar.

- Meniscos de Merkel-Ranvier –

- Corpúsculos de Ruffini – sensibilidade térmica, particularmente numerosos na superfície

plantar.

- Disco Pilar – est. Discóide rica em células de Merkel.

VASOS SANGUÍNEOS

Plexo profundo (arteríolas) em conexão com plexo superficial (capilares) promovendo nutrição e condução de moléculas e células inflamatórias.

Glômus – localizados na derme reticular são corpos vasculomusculares que unem diretamente arteríola e vênula com função de manter a termorregulação (proteger do frio extremo – ponta do nariz, orelhas e leito ungueal) e a homeostasia.

VASOS LINFÁTICOS

Dispostos em alça ao longo da derme papilar, reunindo-se num plexo linfático subpapilar que desemboca num plexo linfático profundo, de localização dermo-hipodérmica.

MÚSCULOS DA PELE

Predominantemente liso: os eretores do pêlo, dartos do escroto e a musc. da aréola mamária

Estriado: pescoço (platisma) e face (musculatura mímica)

HIPODERME

Camada mais profunda da pele constituída de tecido adiposo e de espessura variável

- funções: depósito de reserva nutritiva; isolamento térmico, proteção mecânica do organismo a

pressões e traumatismo externo; facilita a motilidade da pele em relação a estruturas adjacentes.

- junções dermo-hipodérmicas: onde encontram-se as porções secretoras das glândulas apócrinas e écrinas.

FUNÇÕES GERAIS DA PELE

- proteção: barreira contra agentes externos e impede saída excessiva de água e eletrólitos

- proteção imunológica: imunidade humoral e celular

- termorregulação: sudorese; contração e dilatação da rede vascular cutânea.

Diego dos Anjos – Medicina UFPB

Diego dos Anjos – Medicina UFPB - secreção: secreção sebácea (evita perda de água na camada

- secreção: secreção sebácea (evita perda de água na camada córnea, sebum é antimicrobiano e contém substâncias precursoras da vitamina D)

CURIOSIDADES:CURIOSIDADES:CURIOSIDADES:CURIOSIDADES:

Dermatóglifos – Impressão Digital. Enfermidades Genéticas podem ser detectadas a partir do estudo da Impressão digital. Ex: Síndrome de Down (prega simiesca e trirrádios), trissomia 13,15 e

17,18.

Numa família de risco pode-se fazer a diagnose pré-natal de doenças genéticas por biópsia através de fetoscopia. Avalia-se: doenças genéticas, albinismo, fetoalerquim (queratinização precoce), síndrome de Sjogren-Larsson (hipergranulose e hiperqueratose) e epidermólise bolhosa. Na psoríase o processo de diferenciação dos queratinócitos se encurta, aparecendo queratinócitos com núcleo na camada córnea. Célula com paraceratose (o normal seria ortoceratose) Descamação da pela leva em geral 14 dias para acontecer por ação enzimática da esteróide sulfatase Diferenciação racial da cor da pele não está no número de melanócitos, mas sim , na função destes e capacidade de produção de melanina. A exposição solar única promove aumento da função dos melanócitos. A exposição solar contínua promove aumento do número dos melanócitos. Quando a pessoa vai à praia, a radiação UV do sol promove apoptose das células de langerhans. Como as mesmas estão relacionadas a processos imunológicos, a pessoa tende a ter baixa de imunidade, podendo ter herpes. O uso de corticóides também promove diminuição do número dessas células. Processos alérgicos e micoses fungóides promovem aumento do número destas células.

A ruptura das fibras elásticas que compõem o GEL da derme causa as estrias tão temidas nas

mulheres do curso de medicina.

A elasticidade dos cabelos aumenta quando os mesmos estão molhados. Então cuidado, se vai

ao cabeleireiro e este vai cortar seu cabelo molhado

voltará ao tamanho “normal” e será mais curto do que aparentava quando molhado.

tenha em mente que quando o cabelo secar,

A alopecia é provocada por excesso de 5 alfa redutase ou por transformação do pêlo terminal

em pêlo velus.

O ferastinide e o 5 alfa estradiol ocupam os lugares dos receptores da 5 alfa redutase, evitando

a perda de cabelo.

O quimioterápico diminui a mitose, ou seja, baixa prol na fase anágena > queda de cabelo.

Se arrancar pêlo com pinça ou cera, está arrancado desde a raiz, e o pêlo nascerá novamente

com ponta fina. Se arrancar pêlo com gilete está cortando a parte fina, pêlo continua a crescer, evidenciando a parte grossa restante. O laser destrói o pêlo , mas não é definitivo.

A suvaqueira (bromoibrose no medicinês) é devido a proliferação de bactérias no sítio de

desembocamento de glândulas sudoríparas, pois a excreção da mesma é incolor e inodora.

Para peritos, é muito interessante saber que o pêlo humano é composto de aminoácidos característicos: a cisteína, arginina e citrulina.

“Na vida procurei aprender tudo que me ensinaram, por isso ensinei tudo que aprendi” SAMPAIO