Vous êtes sur la page 1sur 20

Módulo 1 - Direito do Trabalho

1.1 - Introdução geral Módulo 5 - Férias e 13º salário


1.2 - Direito do Trabalho - Conceitos básicos 5.1 - Introdução geral
1.3 - Fontes do Direito do Trabalho 5.2 - Férias
1.4 - Convenção e Acordo Coletivo de Trabalho 5.3 - 13º salário
1.5 - Jornada de Trabalho 5.4 - Conslusão
1.6 - Conclusão 5.5 - Desafio 5
1.7 - Desafio 1
Módulo 6 - Rescisão contratual
Módulo 2 - Remuneração 6.1 - Introdução geral
2.1 - Introdução geral 6.2 - Rescisão contratual
2.2 - Princípios de proteção ao salário 6.3 - Conclusão
2.3 - Tipos de remuneração 6.4 - Desafio 6
2.4 - Participação nos lucros e resultados
2.5 - Desafio 2 Módulo 7 - Obrigações trabalhistas
7.1 - Introdução geral
Módulo 3 - Admissão do Empregado e o Contrato de Trabalho 7.2 - Salários de contribuição e segurados da
3.1 - Introdução geral Previdência Social
3.2 - Relação de emprego 7.3 - Obrigações mensais e periódicas
3.3 - Contrato de Trabalho 7.4 - Conservação e guarda de documentos
3.4 - Admissão do empregado 7.5 - Higiene e segurança do trabalho
3.5 - Contratação de Portadores de Necessidades Especiais 7.6 - Conclusão
3.6 - Conclusão 7.7 - Desafio 7
3.7 - Desafio 3

Módulo 4 - A contribuição sindical e o afastamento do empregado


4.1 - Introdução geral
4.2 - Contribuição sindical
4.3 - O afastamento do empregado e sua repercussão no
contrato de trabalho
4.4 - Trabalho do menor
4.5 - Trabalho da mulher
4.6 - Conclusão
4.7 - Desafio 4

DEPARTAMENTO PESSOAL – Resumo Geral

01) Admissão: - CTPS; - Registro de Empregados; - Exame Médico; - CAGED


(Cadastro Geral de Empregados e Desempregados); - Declaração de Opção
do FGTS; - Vale-Transporte; - Cadastro no PIS/PASEP; - Acordo de
Compensação e Prorrogação; - Salário Família.

02) Contrato de Trabalho: - Por Prazo Determinado; - Por Prazo


Indeterminado; - De Aprendizagem.

03) Admissão de Menores: - Idade, - Jornada de Trabalho; - Prorrogação; -


Compensação; - Aprendiz (Proibições; Jornada de Trabalho).

04) Admissão de Aposentados

05) Jornada de Trabalho: - Quadro de Horário de Trabalho; - Assinalação do


Ponto; - Ponto de Serviço Externo; - Jornada Normal; - Jornada Especial.

06) Prorrogação-Adicional de no Mínimo 50% : - Compensação; - Força Maior.

07) Horas-Extras: - Fórmula de Cálculo; - Supressão.

08) Trabalho Noturno: - Hora Noturna; - Adicional Noturno; - Hora Extra


Noturna.

09) Hora Extra – Alimentação

10) D.S.R (Descanso Semanal Remunerado) e Feriados

11) Trabalho aos Domingos e Feriados


12) Licença Maternidade

13) Acidente de Trabalho e Doença

14) Férias: - Férias Individuais; - Férias Coletivas; - Abono Pecuniário; -


Empregado Contratado em Regime de Tempo Parcial.

15) Remuneração

16) Salário Profissional

17) Adicional de Insalubridade: - Obrigatoriedades em Trabalhos Insalubres.

18) Adicional de Periculosidade

19) Salário Complessivo: - O que é; - Exemplo.

20) Reajuste Salarial: - Data Base; - Categorias Diferenciadas.

21) Negociação Coletiva: - Acordo; - Convenção; - Dissídio.

22) Redução do Salário

23) 13º. Salário – Gratificação Natalina: - Pagamento; - Faltas Injustificadas; -


Afastamento; - Rescisão Contratual; - Pagamento da 1ª. Parcela; - Salário
Variável; - Salário Misto; - Pagamento da 2ª. Parcela.

24) Salário “IN NATURA” (Salário Utilidade): - O que é.

25) Alimentação Gratuita – Força da Lei

26) Paradigma

27) Descontos do Salário

28) Alteração Contratual

29) Suspensão e Interrupção do Contrato de Trabalho: - Exemplos; -


Caracterização.

29 A) Faltas Justificadas

30) Rescisão Contratual: - Documentos.

31) Seguro-Desemprego: - Quem tem Direito; - No. De Parcelas.

32) Homologação: - Documentos; - Formas de Pagamento; - Prazo para


Pagamento.

33) Verbas Rescisórias: - Aviso Prévio: Indenizado; - Renúncia / Recusa / Falta


Grave no Aviso Prévio do Empregado; - Contribuição para o FGTS; - Aviso
Prévio Domiciliar; - 13º. Salário; - Férias; - Indenização Adicional; - Salário
Família; - Estabilidade; - Estabilidades Provisórias; - Indenização; - Rescisão
do Contrato de Trabalho por Justa Causa com Iniciativa do Empregador e
com Iniciativa do Empregado.

34) Direitos na Rescisão: - Contrato por Prazo Determinado – Experiência; -


Contrato por Prazo Indeterminado; - Pedido de Demissão; - Justa Causa.
35) Encargos e Contribuições: - Encargos Sociais (INSS, IRRF, FGTS); -
Contribuições Sindicais (Meses de Admissão, Situações Especiais); -
Profissional Liberal Empregado; - Categoria Diferenciada; - Relação de
Empregados; - Recolhimento; - Contribuição Confederativa; - Contribuição
Assistencial.

36) Horas “IN ITINERE”: - O que é; - Enunciados do TST; - Comentários /


Decisões; - Previsto em Acordo Coletivo; - Validade.

37) Pensão por Morte: - Quem tem Direito; - Classes de Dependentes.

38) Estabilidade do Acidentado: - Redação Antiga; - Redação dada pela


Medida Provisória; - Redação Atual; - Auxílio-Doença Acidentário; - Auxílio-
Acidente.

39) Horário de Intervalo: - Marcação de Ponto.

40) Minutos que Antecedem / Sucedem a Jornada Normal de Trabalho

41) Empregador X Empregado – Definições: - Características do Empregador;


- Características do Empregado.

42) Espécie de Trabalhadores: - Trabalhador Avulso; - Trabalhador Eventual; -


Trabalhador Autônomo.

43) Aposentadoria por Invalidez (Rescisão)

44) Banco de Horas: - O que é; - Como é Utilizado.

45) Escala de Revezamento

46) Piso Salarial: - Como é Fixado.

47) Abandono de Emprego: - Base Legal; - Configuração do Abandono de


Emprego; - Rescisão.

48) Regime de Sobreaviso: - Descrição; - Detalhes / Comentários; O que é; -


Escala de Sobreaviso; - Tempo Máximo.

49) Trabalho em Domicílio: - Relação de Emprego; - Subordinação; - Vínculo


Empregatício; - Salário; - D.S.R. (Descanso Semanal Remunerado); - 13º.
Salário; - Férias; - Aviso Prévio / FGTS; - Obrigações.

50) Ajuda de Custo: - O que é.

51) Irredutibilidade Salarial: - Dados para Registro de Empregado; - Relação


de Dependentes; - Documentos à Apresentar.

ROTINAS E OBRIGAÇÕES DO DEPARTAMENTO PESSOAL

MENSAIS: - Rotinas Mensais; - SEFIP (Sistema Empresa de Recolhimento ao


FGTS e Informações à Previdência Social): Validação, o que é Necessário para Rodar
o Sistema; Manual Básico do SEFIP; - GFIP (Guia de Recolhimento do FGTS e
Informações à Previdência Social); - Conectividade Social: O que é necessário para
utilizá-la; Dúvidas mais freqüentes; - CAGED (Cadastro Geral de Empregados e
Desempregados): Para que fim são utilizadas pelo Governo; as informações do
CAGED.

TRIMESTRAIS: - Anexo da CIPA.


SEMESTRAIS: - Caderneta de Vacinação (Maio e Novembro).

ANUAIS: - Escala de Férias Anual (Janeiro); - Informe de Rendimento (Janeiro);


- DIRF (Março); - RAIS (Relação Anual de Informações Sociais – Abril); - 13º. Salário
(1ª. Parcela até o dia 30 de Novembro); - 13º. Salário (2ª. Parcela até o dia 20 de
Dezembro).

GUARDA DE DOCUMENTOS (Documentos; Prazo de Guarda e Fundamento


Legal).

ADMISSÃO

REGISTROS / LIVROS / QUADRO DE HORÁRIO E CARTÃO DE PONTO: –


Cuidados na Admissão; - Salário Complessivo; - Emprego Desdobrado; - Empregos
em mais de uma Empresa; Livros ou Fichas de Registro; - Autenticação das Fichas -
Registros; - Anotações na CTPS; - Livros de Inspeção do Trabalho; - Sistema
Informatizado; - Quadro de Horário de Trabalho; - Livros ou Relógio de Ponto.

DOCUMENTOS DA EMPRESA: - Quais os Documentos que devem ficar


Arquivados no Prontuário do Empregado; - Exames Médicos.

DOCUMENTOS DO EMPREGADO: - Quais os Documentos que devem ser


Apresentados pelo Candidato no Ato de sua Admissão.

CONTRATO DE TRABALHO: - Tipos de Contratos de Trabalho (de


Aprendizagem; de Experiência; por Prazo Determinado e por Prazo Indeterminado);
- Modelo de Contrato de Trabalho (Contrato de Experiência).

DOCUMENTOS DE AFIXAÇÃO OBRIGATÓRIA: - Quadro de Horário; - Registros


Manuais, Mecânicos ou Eletrônicos; - Trabalho Externo; - Empregados Menores; -
Escala de Revezamento; - Reembolso Creche; - Guia da Previdência Social – GPS; -
Acordos e Convenções Coletivas; - Segurança e Saúde no Trabalho; - Empresas
Optantes pelo SIMPLES; - Contratos por Prazo Determinado; - Férias Coletiva; -
Fundamentos Legais.

FOLHA DE PAGAMENTO

VENCIMENTOS: - Salários; - Adicional de Tempo de Serviço; - Adicional


Noturno; - Adicional de Periculosidade; - Adicional de Insalubridade; - Adicional de
Transferência; - Horas Extras; - Gorjetas; - Comissão e DSR; - Repouso Semanal
Remunerado; - Salário Família; - Salário Maternidade; - Salário In Natura.

DESCONTOS: - Faltas e Atrasos; - Adiantamento; - Vale-Transporte; -


Contribuições Sindicais; - INSS; IRRF.

BANCO DE HORAS

BENEFÍCIOS

PRÓ-LABORE

FÉRIAS
LEGISLAÇÃO: - Artigos.

PRESCRIÇÃO DAS FÉRIAS: - Artigos; - Aviso de Férias; - Período Aquisitivo


(Extinção e Continuação); - Início de um Novo Período Aquisitivo; - Período de Gozo;
- Ausências Justificadas e Injustificadas; - Remuneração: - Salários e Adicionais; -
Férias em Dobro; - Abono Pecuniário; - Férias Proporcionais.

TABELA DE FÉRIAS PROPORCIONAIS

FÓRMULA DE CÁLCULO DA TABELA

ENUNCIADOS: - Férias Comissionista; - Férias por Peças; - Férias Coletivas; -


Anotações de Férias na CTPS / Livro ou Ficha de Registro.

RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO

LEGISLAÇÃO SOBRE RESCISÃO CONTRATUAL: - 13º. Salário (Gratificação


Natalina); - Aviso Prévio (Artigos).

CÁLCULOS DE RESCISÃO: - Salário Família; - Horas Extras; - Adicionais; -


Indenizações (Artigos); - Outras Indenizações; - FGTS na Rescisão; - Previdência
Social.

DIREITOS DOS EMPREGADOS: - Dispensa sem Justa Causa (com Menos de 1


ano de Serviço e com Mais de 1 ano de Serviço); - Dispensa com Justa Causa (com
Menos de 1 ano de Serviço e com Mais de 1 ano de Serviço); - Pedido de Demissão
(com Menos de 1 ano de Serviço e com Mais de 1 ano de Serviço); - Falecimento do
Empregado (Contrato com Menos de 1 ano e Contrato com Mais de 1 ano); -
Falecimento do Empregador, Falência ou Concordata (Contratos com Menos de 1
ano e com Mais de 1 ano); - Aposentadoria (Iniciativa do Empregador e Iniciativa do
Empregado); - Contrato de Experiência (Iniciativa do Empregador e Iniciativa do
Empregado); - Trabalhador Temporário (Término do Contrato ou Iniciativa do
Empregador e Pedido de Demissão); - Homologação do Termo de Rescisão; - Seguro-
Desemprego (Valor do Benefício; Como Requerer; Locais de Entrega; Prazo de
Entrega; Suspensão do Benefício; Cancelamento; Histórico; O que é; Quantidade de
Parcelas; A quem se Destina).

ENCARGOS SOCIAIS

TABELA DE INCIDÊNCIAS E NÃO INCIDÊNCIAS DO FGTS, DO INSS E DO IRFF

RECOLHIMENTO DO INSS: - Formas de Apuração de Cálculo; Desconto dos


Empregados; Salário Família; 13º. Salário; Salário de Dezembro + 13º. Salário; Para
Empregados que Trabalham em Mais de 1 empresa; Desconto sobre Pró-Labore;
Contribuição da Empresa; Empresas da Construção Civil.

TABELA MENSAL DE DESCONTOS DE INSS: - INSS – Contribuições; Tabela de


Salário Família; Tabela de Salário Base para os Segurados; Códigos mais Usados
para Preenchimento da GPS.

RECOLHIMENTO DE IRRF: - IRFF (Tabela do Imposto de Renda Pessoa Física


2004; Deduções); - Cálculos (IRRF Cálculo Simples); - Códigos mais usados para
preenchimento do DARF.

RECOLHIMENTO DE FGTS: - As Parcelas que Integram a Remuneração do


Trabalhador; - Casos de Interrupção do Contrato de Trabalho em que o Depósito é
Obrigatório; - Parcelas que não tem Incidências; - Documentos de Arrecadação do
FGTS; - Recursos do FGTS; - o FGTS na Rescisão; - Quando Poderá ser Movimentada
a Conta Vinculada; - Saques.

TABELA DE PAGAMENTO DO PIS / PASEP: - Calendário do Pis 2003; - Como


sacar as Quotas; - Quem tem Direito a Sacar as Quotas do Pis.

QUANTO CUSTA SEU FUNCIONÁRIO: - Determinação da Taxa de Encargos


Sociais; - Cálculo da Taxa Mensal de Encargos Sociais.

CUSTOS COM FUNCIONÁRIOS DAS EMPRESAS OPTANTES PELO SIMPLES


FEDERAL: - Encargos Trabalhistas (Encargos sobre Salários; Outros Encargos
Trabalhistas; Total Geral dos Encargos).

CUSTOS COM FUNCIONÁRIOS DAS EMPRESAS NÃO OPTANTES PELO SIMPLES


FEDERAL: - Encargos Trabalhistas (Encargos sobre Salários; Outros Encargos
Trabalhistas; Total Geral dos Encargos).

TABELA DE MULTAS TRABALHISTAS: - CTPS; - Livro / Ficha Registro de


Empregados; Férias; - Trabalho do Menor; - Contrato Individual de Trabalho; -
Salário; - Rescisão; - 13º. Salário; - Vale-Transporte; - CAGED; - Duração do Trabalho;
- Salário Mínimo; - Segurança do Trabalho; - Medicina do Trabalho; - Duração e
Condições Especiais do Trabalho; - Trabalho da Mulher; - Contribuição Sindical; -
Fiscalização; - FGTS; - Seguro Desemprego; - RAIS; - Trabalhador Rural.

MODELOS DE CORRESPONDÊNCIA DO DEPARTAMENTO PESSOAL

- Abandono de Emprego; - Advertência por Atrasos; - Autorização; - Carta de


Suspensão; - Certidão de Tempo de Serviço; - Declaração de Tempo de Serviço; -
Comunicação de Férias Coletivas; - Pedido de Referência Pessoal; - Recibo de
Pagamento por Serviços Prestados; - Solicitação da 1ª. Parcela do 13º. Salário por
Ocasião das Férias; - Modelo de Carta de Solicitação de Vale-Transporte; -
Declaração de Optante para Fins de Vale-Transporte.

DICAS DO DEPARTAMENTO PESSOAL

GUARDA DE DOCUMENTOS E PRAZO PARA ARQUIVAMENTO DOS


DOCUMENTOS

CÁLCULO DE PROVISÕES / COMO SE CALCULA: - Provisões de Férias; -


Provisões para o 13º. Salário.

NEGOCIAÇÃO SALARIAL: - Passo-a-Passo; - Como Deveria ser a Negociação


Ideal; - Características de um Bom Diálogo; - Características de um Bom Mediador.

AUTENTICAÇÃO DOS LIVROS E FICHAS DE REGISTRO DE EMPREGADOS

SEGURANÇA & MEDICINA DO TRABALHO

EPI (Equipamento de Proteção Individual): -Definição; - Obrigações da


Empresa; - Obrigações do Empregado).
CIPA (Comissão Interna de Prevenção a Acidentes do Trabalho): - Objetivo; -
Constituição; - Empresas com Vários Estabelecimentos; - Empresas Instaladas em
Centro Comercial ou Industrial; - Organização; - Mandato; - Estabilidade Provisória; -
Garantias; - Presidente; - Posse; - Secretário; - Protocolo no MTE; - Atribuições da
CIPA; - Obrigações dos Empregados, do Vice-Presidente; - Atribuições do Secretário;
- Funcionamento; - Reuniões Extraordinárias; - Decisões; - Perda do Mandato; -
Treinamento dos Membros da CIPA; - Requisitos Necessários; - Carga Horária; -
Eleições dos Representantes; - Condições; - Denúncias sobre o Processo Eleitoral; -
Membros Titulares e Suplentes; - Contratantes e Contratadas; Fundamentos Legais.

PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional): - Empresas


Obrigadas ao PCMSO; - Finalidade do Programa; - Prestadores de Serviço; - Relatório
Anual; - Responsabilidades da Empresa; - Empresas Desobrigadas a Indicar Médico
Coordenador; - Atribuições do Médico Coordenador; - Exames Médicos (Admissional,
Periódicos; De Retorno ao Trabalho; De Mudança de Função e Demissional); -
Atestado de Saúde Ocupacional; - Doenças Profissionais; Primeiros Socorros.

PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais)

FISCALIZAÇÃO

TERCEIRIZAÇÃO

Seleção

Requisitos

Parceria entre Contratante e Contratado

DEPARTAMENTO PESSOAL

Os Principais Objetivos da Terceirização dos Serviços

Rotinas Trabalhistas Mensais

Obrigações Trabalhistas

Outros Serviços

Módulo I - Processo Admissional


Providências da Empresa, Documentação Exigida, Exame Médico na
Admissão, CAGED, Registro de
Empregado, Declaração Para o IRF, Salário-Família etc...
Contrato de Trabalho
Módulo II - Contrato de Trabalho – Regularidade
Partes
Objeto
Remuneração
Formas de Salário: Fixo, Variável, misto; horário, diário, mensal
Periodicidade do Pagamento
Adicionais: Horas Extras, Adicional Noturno, Insalubridade, Periculosidade,
outros
Repouso Semanal Remunerado: Casos em que é devido: Identificação
Pisos de Categoria, Pisos profissionais previstos em Lei, Pisos Salariais
Estaduais: Existência, Aplicação
Alterações Contratuais
Jornada de Trabalho
Controle do Horário de Trabalho
Intervalos
Módulo III – Folha de Pagamento
Requisitos Mínimos
Parcelas Salariais: Discriminação
Salário Indireto, ou in natura
Adiantamentos Salariais: Limite
Salário Complessivo: Constatação
Valor do Salário Hora Normal dos Mensalistas, de acordo com as Jornadas
Contratadas
Valor do Salário Dia Normal dos Mensalistas
Faltas e Atrasos: Descontos
Adicionais: Horas Extras, Noturno, Insalubridade, Periculosidade: Apuração
e Discriminação
Repouso Semanal Remunerado: Apuração e Discriminação: Casos
Férias: Direito; Antecipação e Fracionamento: Casos; Menores de 18 e
Maiores de 50 anos; Aviso de
Férias; Remuneração: Integração dos Adicionais; Abono Pecuniário: Direito e
Valor; Data de Pagamento;
Adiantamento do 13º Salário nas Férias: Requerimento: Data; Pagamento
em Rescisão; Incidências
Legais na Vigência do Contrato e na Rescisão
13º Salário: Direito; 1ª e 2ª Parcelas: Valor, Integração dos Adicionais,
Apuração da Proporcionalidade;
Pagamento em Rescisão; Incidências Legais
Vale-Transporte: Custeio: Base de Cálculo; Tratamento nos casos de Faltas,
Admissão e Rescisão
Salário-Família: Direito; Proporcionalidade nos casos de Admissão e
Demissão; Cessação do Direito
Salário-Maternidade e respectivo Abono Anual: Lançamento em Folha-de-
Pagamento para efeitos de
Incidências de INSS e FGTS
Descontos Previstos e não Previstos em Lei: Tratamento
Descontos por Danos Causados
Férias na Folha de Pagamento
13º Salário na Folha de Pagamento
Verbas Rescisórias na Folha de Pagamento
Identificação das Parcelas Legais para efeitos de Incidências Legais de
INSS, FGTS e IRF
FGTS: Afastamentos com Depósito Mensal; Diretores: Opção e
Obrigatoriedade: Casos; Recolhimento do
FGTS e Informações à Previdência Social: GFIP/SEFIP
Módulo IV - Rescisão Contratual
Motivo da Rescisão
Justa Causa: Princípios; Condições; Estabilidades
Contrato por Prazo Determinado ou Indeterminado
Existência, ou não, nos Contratos por Prazo Determinado, da Cláusula
Assecuratória de Direito Recíproco
de Rescisão antecipada
Vigência do Contrato: Mais ou Menos de 12 meses
Compensações
Contratos Especiais de Trabalho
Estabilidades
Aposentadorias e Conseqüências nos Contratos de Trabalho
Falecimento
Verbas Rescisórias
Incidências Legais
Data de Pagamento e Homologação
Módulo V - Segurança e Saúde no Trabalho e Gerenciamento de Riscos
Ocupacionais
Inspeção Prévia-NR 2
SESMT-Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho-NR 4
CIPA-Comissão Interna de Prevenção de Acidentes-NR 5
PCMSO-Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional-NR 7
Módulo VI - Enquadramentos da Empresa
FPAS
Grau de Risco: Custeio de 1%, 2% ou 3% - Atividade Preponderante -
Enquadramento: Critérios - Custeio
Benefícios decorrentes de Acidente de Trabalho, conforme Relação Anexo V
do RPS
FAP – Avaliação do Fator Acidentário de Prevenção
Aposentadoria Especial: Custeio de 6%, 9% ou 12% - Empregados sujeitos
Agentes Nocivos que dão
Direito à Aposentadoria Especial aos 25, 20 ou 15 anos.
Módulo VII - Contribuições em Espécie
Contribuições dos Segurados Empregados
Contribuição dos Segurados Contribuintes Individuais
Contribuições da Empresa
Módulo VIII - Competências e Recolhimentos das Contribuições e Benefícios
Empregados
Contribuintes Individuais
Empresas
13º Salário
Rescisão Contratual
Salário-Maternidade
Folha de Pagamento: Obrigação e Requisitos; Identificação das Parcelas
Remuneratórias, Incidências e
não Incidências, Competências
Escrituração Contábil
GFIP/SEFIP – GRF / GRRF
GPS: Cópia: Envio ao Sindicato
IRF
Salário-Família: Pagamento, Dedução, Condições
Salário-Maternidade: Incidências; Abono Anual: Incidências
Acidente do Trabalho: CAT: Prazo; Benefícios
Auxílio-Doença: Conseqüências nos Contratos de Trabalho
Aposentadorias: Por Idade, Por Tempo de Contribuição, Por Invalidez,
Especial: Conseqüências nos
Contratos de Trabalho
Exercícios
DESENVOLVIMENTO

Os direitos e deveres do funcionário e da empresa são assuntos que deve ser discutido
detalhadamente.Primeiramente, será dado a definição de empregado, empregador e Trabalhador Autônomo.

Empregado:

Empregado é toda pessoa física que presta serviços de natureza não-eventual a empregador, sob dependência
deste e mediante salário

Principais características da relação de emprego:

• Pessoalidade,

• Serviço não-eventual

• Subordinação jurídica e hierárquica,


• Pagamento de salário.

Empregador:

Empregador é a empresa, individualmente ou coletiva, que assumindo os riscos da atividade econômica,


admite, assalaria e dirige a prestação de serviços.

Equiparam-se ao empregador, para os efeitos exclusivos da relação de emprego:

• Os profissionais liberais,

• As instituições de beneficência,

• As associações recreativas,

• Outras instituições sem fins lucrativos.

Trabalhador Autônomo:

É a pessoa física que exerce, habitualmente e por conta própria, atividade profissional remunerada e/ou presta,
sem relação de emprego, serviço remunerado de caráter eventual a empresas e pessoas físicas.

Principais características:

• Atividade profissional habitual,

• Prestação de serviços eventuais a empresas e pessoas físicas,

• Desvinculação de horário ou subordinação.

Depois de definido esses três ítens, discutiremos as funções básicas relacionadas ao Departamento Pessoal,
sempre explicando cada um de seus tópicos.

A definição dos assuntos do Departamento Pessoal vão ser melhor visualizados através de divisões por
módulos.

3. MÓDULO 1
3.1 Exame Médico Admissional / Demissional

Os empregadores que admitirem, demitirem, mudar a função, retornar ao trabalho, ou manter a periodicidade
dos atestados de seus empregados, tem que o objetivo de promoção e preservação da saúde do conjunto dos
seus trabalhadores.

A avaliação clínica é definida pelo médico do trabalho, onde , contatando a regularidade do funcionário, emitirá
o Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) em duas vias. Esses exames tratam da avaliação clínica (exame físico
e mental).

3.2 Apresentação de documentos

Os documentos necessários para o registro do empregado são os seguintes:

• Carteira de Trabalho e Previdência Social,

• Cédula de Identidade (CI), Cadastro de Pessoa Física (CPF), e Título de Eleitor,

• Certificado de Reservista,

• Exame Médico,

• Fotografia,

• Certidão de casamento,
• Certidão de Nascimento dos filhos menores de 14 anos ou inválidos de qualquer idade, necessário
para o pagamento do salário-família, e Cartão da Criança dos filhos menores de 7 anos de idade,
• Comprovante de freqüência à escola dos filhos a partir dos 7 anos.

3.3 Contrato de Trabalho

O contrato de trabalho é o acordo, correspondente à relação de emprego, onde pode ser determinado ou
indeterminado. O contrato por prazo determinado é considerado, quando a vigência depende de termo
prefixado. Esse contrato só será válido quando se tratar de serviços cuja natureza justifique a determinação do
prazo, quando as atividade da emprese forem de caráter transitório, ou quando for em contrato de experiência.
Quando for neste caso, não poderá exceder 90 dias.

4. Módulo 2

4.1 Encargos de família

Para cálculo do Imposto de Renda na fonte sobre os rendimentos do trabalho assalariado, a legislação tributária
admite a dedução dos encargos de família, dentre outros valores. O valor para a dedução mensal por
dependente, desde 1-1-96, é de R$ 90.00.

4.2 Dependentes

O contribuinte pode considerar como seus dependentes as pessoas relacionadas a seguir:

• Cônjuge;
• o companheiro ou a companheira, desde haja vida em comum por mais de 5 anos, ou por período
menor se da união se resultou filho;
• a filha, o filho, ou a enteada, até 21 anos, ou de qualquer idade quando incapacitado física ou
mentalmente para o trabalho.
• Menor pobre até 21 anos, que o contribuinte crie e eduque e do qual detenha guarda judicial.
• O irmão, neto ou bisneto, sem arrimo dos pais, até 21anos, desde q2eu o contribuinte detenha guarda
judicial, ou de qualquer idade quando incapacitado física ou mentalmente para o trabalho.
• Os pais, avós ou bisavós, desde que não aufiram rendimentos, tributáveis, ou não, superiores ao
limite de insenção mensal;
• O absolutamente incapaz, do qual o contribuinte seja tutor ou curador.

Os dependentes citados nas letras "c" e "e" poderão ser assim considerados, até 24 anos de idade, desde que
estejam cursando estabelecimento de ensino superior ou escola técnica de segundo grau.

Para efeitos fiscais, considera-se menor pobre o menor abandonado, o órfão ou aquele cujos pais não possam
prover sua subsistência por incapacidade financeira ou econômica, segundo os preceitos da lei comum.

O sobrinho ou primo do contribuinte, enquanto de idade, pode ser considerado como menor pobre, desde que
obedecidas as condições necessárias.
Em qualquer caso, o menor pobre somente pode ser considerado como dependente do contribuinte se este
mantiver o pátrio poder, guarda, tutela ou adoção simples.

5. MÓDULO 3

5.1 Cadastro Geral de empregados e desempregados - CAGED

Todas as empresas que admitirem ou desligarem empregados ficam obrigadas a fazer a respectiva comunicação
ao Ministério do Trabalho e Emprego - MTE.

Essa apresentação chamada CAGED tem que ser feita através de formulários ou pela internet até o décimo
quinto dia útil do mês subsequente ao da ocorrência do fato.

5.2 Contribuição Sindical

A contribuição Sindical são dividas em patronal (parte da empresa) e empregados (parte devida dos
funcionários).

Toda a empresa (agentes ou trab. Autônomos) ou empregados, tem que recolher uma contribuição ao seu
sindicato, todo ano, onde é calculado em cima do valor do capital social da empresa ou em cima dos salários
dos funcionários.

5.3 Jornada de trabalho

A hora normal trabalhada por dia são de 8 horas. O que exceder esse limite será considerado hora extra. Além
disso, poderá ser feito uma compensação de horários, reduzindo ou aumentando a hora em um dia e
compensando em outro. A duração normal do trabalho poderá ser acrescida de duas horas suplementares, em
número não excedente de 2 (duas), mediante acordo escrito entre empregador e empregado, ou mediante
contrato coletivo de trabalho.

A duração de 6(seis) horas initerruptas de trabalho só poderá existir mediante prévio acordo com a entidade
sindical representativa dos seus empregados, homologado pela Delegacia Regional do Trabalho, não podendo
exceder três meses, prorrogável nas mesmas condições, sendo que a redução do salário não poderá ser
superior a 25% (vinte e cinco por cento) do salário contratual, respeitando o salário mínimo regional.

5.4 Descanso semanal remunerado

Todo empregado, inclusive os rurais e domésticos, tem direito ao repouso remunerado, que consiste em um dia
de descanso semanal de 24 horas consecutivas, preferencialmente nos domingos e, nos limites das exigências
técnicas das empresas, também nos feriados civis e religiosos.

O repouso remunerado é também obrigatório nos dias feriados locais, até o máximo de quatro, desde que
declarados por lei municipal.

5.5 Trabalho Noturno

O trabalho noturno terá sempre a remuneração superior à do diurno e, para esse efeito, sua remuneração terá
um acréscimo de 20% (vinte por cento), pelo menos, sobre a hora diurna.

Considera-se trabalho noturno, o trabalho executado entra as 22 horas de um dia e as 5 horas do dia seguinte.

6 . MÓDULO 4

6.1 Salário-Família

O salário família é devido mensalmente ao segurado empregado, exceto o doméstico, e ao trabalhador avulso
que se encontrar em atividade ou em gozo de benefício, independentemente de período de carência, e ao
aposentado, por filho ou equiparado de qualquer condição, até 14, anos ou inválido de qualquer idade.

Equiparam-se aos filhos, mediante declaração escrita do segurado:

• o enteado;

• o menor que esteja sob sua tutela e não possua bens suficientes par5a o próprio sustento e educação.

O filho de criação somente poderá ser incluído entre os filhos do segurado mediante apresentação de termo de
guarda ou tutela.

6.2 Salário-Maternidade
É proibido o trabalho da mulher grávida no período de 4 semanas antes e 8 semanas depois do parto.

Com a promulgação da Constituição Federal em 5-10-88, o período da licença à gestante passou a Ter duração
de 120 dias. O início do afastamento da empregada de seu trabalho, nesse caso, deve ser determinado por
atestado médico. Em casos excepcionais, mediante atestado médico, é permitido à mulher grávida mudar de
função, sendo-lhe, ainda, facultado romper o compromisso resultante de qualquer contrato de trabalho, desde
que esteja prejudicial à gestação, mediante comprovação através de atestado médico. Para amamentar o
próprio filho, até que este complete 6 meses de idade, a mulher tem direito, durante a jornada de trabalho, a 2
descansos especiais, de meia hora cada um.

O salário-maternidade é devido à segurada empregada, trabalhadora avulsa e empregada doméstica, vinculada


a um ou mais empregadores durante 8 dias antes e 92 dias depois do parto, indecentemente de período de
carência.

O salário - maternidade não pode ser pago cumulativamente com benefícios por incapacidade. Assim, nos casos
em que a empregada estando em gozo de auxilio - doença, iniciar-se o período de licenciamento em virtude de
parto, o benefício por incapacitação laborava deve ser suspenso e, em seu lugar, concedido o salário -
maternidade.

Se após o decurso do licenciamento, razão do parto, ainda perdurar a incapacidade para o trabalho, reiniciar-
se-á o pagamento do auxílio - doença.

O valor do benefício do salário - maternidade para a segurada empregada consiste numa renda mensal igual a
sua remuneração integral e será pago pela empresa.

O salário - maternidade é uma prestação de que escapa à regra da Previdência Social, no que diz respeito a
limites, pois é um benefício previdenciário que não sofre restrições quanto ao teto do salário - de - benefício
nem ao limite máximo do salário - de - contribuição. Isto significa que o salário percebido pela empregada,
ainda que superior ao limite máximo previdenciário, será mantido durante o licenciamento compulsório.

Quando a empregada perceber salário variável, o valor do salário - maternidade não deve exceder ao do salário
inicial das empregadas com atividade equivalente na empresa.

6.3 Licença-Paternidade

Os empregados urbanos, rurais e domésticos terão direito constitucional à licença - paternidade, em caso de
nascimento de filho, sem prejuízo do emprego e do salário.

Enquanto a legislação ordinária não definir o prazo da Licença - paternidade, ela será transitoriamente de
CINCO DIAS.

7. MÓDULO 5

7.1 Auxilio - Doença

O auxílio-doença é um benefício previdenciário devido ao segurado da Previdência Social que ficar incapacitado
para seu trabalho ou para a sua atividade habitual por mais de 15 dias consecutivos. Durante os primeiros 15
dias consecutivos de afastamento da atividade por motivo de doença, incumbe à empresa pagar as segurado
empregado o seu salário ou, ao segurado empresário, a sua remuneração. O auxílio-doença depende da
verificação da incapacidade, mediante exame médico-pericial, a cargo da Previdência Social.

7.2 Adicional de Periculosidade

Atividades ou operações perigosas são aquelas que, por sua natureza ou métodos de trabalho, impliquem o
contato permanente do trabalhador com inflamáveis ou explosivos, em condições de risco acentuado. Quando o
trabalhador trabalha nessas condições, é assegurado a percepção do adicional de 30% sobre o respectivo
salário, sem os acréscimos resultantes de outros adicionais, tais como gratificações , prêmios ou participação
nos lucros da empresa.

As profissões onde exerce muitos riscos são:

Atividades de construção civil, Operação e Manutenção de redes aéreas ou subterrâneas; atividades de


inspeção, testes, ensaios, calibração, etc.

Para ser concedido o adicional de periculosidade, tem que ser requerido uma perícia da ação fiscalizadora do
Ministério do Trabalho.

7.3 Adicional de Insalubridade

São consideradas atividades ou operações insalubres aquelas que se desenvolvem:


• Acima dos limites de tolerância nas atividades que envolvam ruído contínuo ou intermitente, ruídos de
impacto,
• Abaixo dos níveis mínimos de iluminamento estabelecidos pelo Ministério do Trabalho e Emprego -
TEM, exceto nos trabalhos de extração de sal (salinas).
• Nas atividades sob pressões hiperbáricas, agentes químicos específicos agentes biológicos,
• Atividades de radiações não ionizantes, de vibrações, de frio e de humildade, comprovadas através de
laudo de inspeção do local de trabalho.

7.4 Vale-Transporte

O Vale-Transporte é o benefício pelo qual o empregador antecipa e custeia parte das despesas de seus
empregados realizadas com o deslocamento residência-trabalho, e vice-versa. Aos funcionários que
comprovarem que moram perto do trabalho, ou que possuam condução própria, não será necessário de
descontar o vale-transporte. O valor do Vale-Transporte é correspondente a 6% do seu salário-base.

8. MÓDULO 6

8.1 Férias

Todo empregado terá anualmente ao gozo de um período de férias sem prejuízo da remuneração, recebendo
ainda, um terço de abono pecuniário sobre o valor do salário.

Terá direito a férias o empregado que:

• Por 30 (trinta) dias corridos, não tenha faltado ao serviço mais de 5 (cinco) vezes;

• Por 24 (vinte quatro) dias corridos, tenha somente de 6 (seis) a 14 (quatorze) faltas;

• Por 18 (dezoito) dias corridos, tenha somente de 15 (quinze) a 25 (vinte cinco) faltas;

• Por 12 (doze) dias corridos, tenha somente de 24 (vinte quatro) a 32 (trinta e duas) faltas.

Não terá direito a férias o empregado que:

• Deixar o emprego e não for readmitido dentro de 60 (sessenta) dias subsequente a sua saída;

• Permanecer em gozo de licença, com percepção de salários, por mais de 30 (trinta) dias;
• Deixar de trabalhar, com percepção do salário, por mais de 30 (trinta) dias, em virtude de paralização
parcial ou total dos serviços da empresa; e
• Tiver percebido da Previdência Social prestações de acidente de trabalho ou de auxilio doença por
mais de 6 (seis) meses descontínuos.

Poderão ser concedidas férias coletivas a todos os empregados de uma empresa ou de determinados
estabelecimentos ou setores da empresa. Para isto, o empregador comunicará ao Ministério do Trabalho com
antecedência mínima de 15 (quinze) dias.

8.2 13º Salário

A gratificação de Natal denomina-se 13º salário, tratando-se de um benefício legal, que foi fruto dos
movimentos de trabalhadores, e que agora constitui um direito assegurado a todos os empregados.

A gratificação salarial referente ao 13º salário, deverá ser paga sob forma de adiantamento, e poderá ser das
seguintes formas:

• Entre os meses de fevereiro a novembro de cada ano, dependendo do contrato coletivo de sua
categoria profissional, metade do salário recebido pelo funcionário, no mês anterior;
• adiantamento poderá ser pago ao ensejo das férias do empregado, desde que o mesmo requeira a
empresa no mês de janeiro do correspondente ano.
• Ocorrendo a extinção do contrato de trabalho;

O Empregador deverá obrigatoriamente efetuar o pagamento do 13º salário da seguinte forma:

• Deverá ser feito até o dia 20 de dezembro do corrente ano, tendo como base a remuneração do mês
de vigência e o tempo de serviço do empregado no ano em curso. Sendo calculado o percentual de
1/12 (um doze avos) da remuneração recebida até o mês de dezembro do corrente ano, sendo que se
for superior ou igual a 15 dias de trabalho será pago como um mês integral;
• Para os empregados que recebem salário variável, será calculado o percentual de 1/11 (um onze
avos) da soma das importâncias recebidas até o mês de novembro do corrente ano, e a ela serão
acrescentadas o valor correspondente a parte do salário contratual fixo;
• A importância recebida a titulo de adiantamento será devidamente deduzida do valor da gratificação;

• As que forem legais e justificadas ao serviço não deverão ser deduzidas da gratificação;
• Ocorrendo a extinção do contrato de trabalho, salvo na hipótese de rescisão com justa causa, o
empregado receberá a gratificação calculado sobre a remuneração do mês;
• As contribuições devidas ao INSS que incidem sobre a gratificação do 13º salário, deverão ser
descontadas na parcela vencível no mês de dezembro, e recolhidas até o dia 20 de dezembro do ano
corrente.
• abono anual será calculado, no que couber, da mesma forma que a Gratificação de Natal dos
trabalhadores, tendo por base o valor da renda mensal do benefício do mês de dezembro de cada ano.

9. MÓDULO 7

9.1 Folha de Pagamento

A folha de pagamento, é computada todo mês, onde é feito o cálculo mensal do salário do funcionário. Na folha
de pagamento, entra todos as despesas , cálculos para o INSS, IRRF, etc. Pode ser feita em formulário próprio
chamado contra-cheque ou em folha normal, onde contenha os dados pessoais do mesmo, e tem que estar
devidamente assinada. É muito importante para a contabilidade, pois é de onde vem os dados para ser lançado
nos balanços mensais, demonstrativos, etc. Alguns dados do Ativo e Passivo da empresa vem da folha de
pagamento.

9.2 Rescisão do Contrato de Trabalho

Os contratos individuais de trabalho que estão vigorando há mais de um ano, deverão ser homologados
obrigatoriamente no sindicato relativo à sua categoria profissional ou no Ministério do Trabalho; que poderão
ser através de dispensa sem justa causa, ou dispensa com justa causa, quando houver um reconhecimento por
parte do empregado, e pedido demissão do mesmo.

Quando se tratar de menores de 18 anos, a rescisão só terá validade com a presença do Pai, Mãe ou
responsável legal.

O valor proveniente da rescisão de contrato do funcionário deverá ser efetuado através de cheque
administrativo, em dinheiro, comprovante de depósito bancária efetuado no nome do mesmo, ou ordem
bancária, desde que seja dentro da mesma cidade ou local de trabalho do mesmo. Caso o empregado seja
analfabeto, ou de menor, deverá ser feito em dinheiro.

Com relação a indenização do funcionário que for despedido arbitrariamente ou sem justa causa, além das
parcelas salariais devidas, o empregado receberá:

1) As parcelas de depósitos de FGTS (fundo de garantia por tempo de serviço), que por ventura não tiverem
sido recolhidas, além do mês da rescisão e do mês anterior da rescisão;

2) Indenização de 40% (quarenta por cento) sobre os depósitos do FGTS;

3) Caso o empregado já tenha sacado o saldo do FGTS, os 40% (Quarenta por cento) da indenização, incidirão
sobre o total que a conta possuía, corrigida, como se não houvesse saque nenhum na mesma.

Quando constar no contrato de trabalho que o empregado tem prazo determinado, e que este for reincidido por
ambas as partes, deverá ser pago, tanto por parte do empregador, bem como empregado, o pagamento do
aviso prévio, de 30 (trinta) dias. Não existindo este disposto, a indenização será equivalente a metade dos
salários devidos até o final do contrato.

Caso o funcionário seja dispensado no período de 30 (trinta) dias que antecede a data base da categoria,
deverá ser indenizado em um salário mensal.

O empregado receberá ainda:

a) o saldo salarial correspondente aos dias trabalhados e não pagos, inclusive horas extras e outros adicionais;

b) demais vantagens, que rege a convenção coletiva ou sentença normativa;

Quando o empregado receber por tarefa ou peça, a remuneração será baseada no cálculo da média dos ganhos
obtidos no período aquisitivo. Tratando-se de comissões, levar-se à média dos últimos doze meses, ou período
inferior.

O demonstrativo das médias pagas na rescisão deverão constar no verso da Rescisão Contratual.
O empregado que for demitido por justa causa, ou por pedido de demissão com período aquisitivo, menor do
que 12 meses de serviço, não terá direito a férias proporcionais .

Já os empregados que forem demitidos sem justa causa, terão direito de receber proporcional ao tempo que
ficou na empresa, mesmo que seja inferior a 12 (doze) meses.

O pagamento das férias será convertido em 1/3 (um terço), caso as férias sejam proporcionais, serão
calculadas na base de 1/12 por mês de serviço ou fração superior a 14 dias.

A Fração de 13º salário paga na rescisão de contrato será igual ou superior à 15 dias de trabalho, é havida
como mês integral para fins de pagamentos, incluindo os 30 dias do aviso prévio indenizado pelo empregador.

Qualquer uma das partes, tanto empregador, quanto empregado poderão reincidir o contrato de trabalho, sem
motivo justo, desde que seja feita com antecedência mínima de 30 (trinta) dias.

A falta do aviso prévio por parte do empregador dá direito ao empregado de integrar 1/12 a mais no 13º
Salário e 1/12 a mais nas férias.

Na falta do aviso prévio por parte do empregado da direito ao empregador de descontar os salários
correspondentes ao prazo respectivo, a não ser que o mesmo expresse no pedido de demissão os seus motivos
e o empregador de seu parecer favorável.

Se a rescisão for promovida pelo empregado, seu horário permanece inalterado, mas se tiver sido feito pelo
empregador, lhe dará o direito de uma redução de duas horas diárias de seu horário normal de trabalho, ou o
mesmo poderá optar pelo período de 7 (sete) dias corridos, sem prejuízo do salário integral.

Uma vez o aviso prévio assinado só poderá ser reconsiderado se houver uma aceitação por ambas as partes .

9.2.1 Rescisão por pedido de dispensa antes de completar um ano de serviço:

O empregado tem direito à:

• Saldo de salário

• 13º salário ;

• FGTS - termo da rescisão de contrato de trabalho sem mencionar o código;

• Depósito do FGTS do mês anterior da rescisão e do mês subsequente;

O empregado não tem direito à:

• Aviso prévio.

• Férias proporcionais;
• 40% FGTS.

9.2.2 Rescisão por pedido de dispensa com mais de um ano de serviço:

O empregado tem direito à:

• Saldo de salário;

• 13º salário;

• FGTS - termo da rescisão de contrato de trabalho sem mencionar o código;

• Depósito do FGTS do mês anterior da rescisão e do mês subsequente;

• Férias vencidas, se ainda não tiver gozado;

• Férias proporcionais;

• Acréscimo sobre férias.

O empregado não terá direito à:

• Aviso prévio;

• 40% FGTS.

9.2.3 Rescisão por dispensa sem justa causa, antes de completar um ano:
O empregado terá direito à:

• Aviso prévio;

• Férias proporcionais;

• Acréscimos sobre férias;

• 13º salário;

• FGTS - termo da rescisão de contrato - com o código 01;

• Saldo de salário;

• Depósito do FGTS do mês anterior ao da rescisão, e mês subsequente;

• 40% do FGTS.

9.2.4 Rescisão por dispensa sem justa causa com mais de um ano de serviço:

O empregado terá direito à:

• Aviso prévio;

• Férias proporcionais indenizadas;

• Férias vencidas se ainda não as tiver gozado;

• Acréscimo sobre férias;

• 13º salário;

• Depósito do FGTS referente ao mês anterior da rescisão e o subsequente a ela;

• Saldo de salário;

• 40 do FGTS ;

• FGTS - termo da rescisão de contrato de trabalho com o código 01.

9.2.5 Rescisão por término do contrato de experiência:

O empregado terá direito à:

• Saldo de salário;

• Férias proporcionais;

• Acréscimo sobre férias;


• 13º proporcional ;

• Extinção normal de contrato a termo da lei;

• FGTS - termo da rescisão de contrato com o código 04

• Cópia do instrumento contratual.

9.2.6 No termo da rescisão de contrato de trabalho no caso de Morte do Empregado.

Antes de completar um ano de serviço:

Os dependentes, terão direito à:

• Saldo de salário;

• 13º salário;

• FGTS - termo da rescisão de contrato com o código 23

Os dependentes, não terão direito à:

• Aviso prévio;

• Férias proporcionais;

• 40% do FGTS.

Depois de completar um ano de serviço:


Os dependentes, terão direito à:

• Saldo de salário;

• 13º Salário;

• FGTS - termo da rescisão de contrato com o código 23

• Férias vencidas, se não foram gozadas em vida;

• férias proporcionais;

• Acréscimos sobre férias.

Os dependentes, não terão direito à:

• Aviso prévio;

• 40% do FGTS.

9.2.7 No termo da rescisão de contrato de trabalho no caso de Demissão por justa causa:

Será considerado demissão por justa causa, aquelas em que o empregado comete atos ilícitos, ou seja :

• Ato de Improbidade (Furto, alteração do cartão de ponto, apropriação indébita);


• Incontinência de conduta ou mau procedimento (relacionado ao comportamento sexual diretamente
ligado ao emprego) ou que impossibilite o vínculo empregatício;
• Desidia no desempenho das funções;

• Embriaguez habitual ou em serviço;

• Ato de indisciplina ou de Agressão;

• Abandono de emprego;
• Ato lesivo de honra ou da boa fama, praticado no ambiente de trabalho, seja com o empregador ou
contra qualquer outro funcionário, salvo em caso de legitima defesa, própria ou de outrem;
• Quando não cumpre as normas de segurança e higiene do trabalho, especialmente em setores de
inflamáveis e explosivos.

Somente serão homologadas pelo Sindicato ou Ministério do trabalho, quando houver reconhecimento expresso
da culpa por parte do empregado.

9.2.8 No caso da demissão com justa causa antes de completar um ano de serviço.

O empregado terá direito a:

• Saldo de salário;

• FGTS, termo da rescisão de contrato sem mencionar o código;

• Depósito do FGTS do mês da rescisão e o anterior.

O empregado não terá direito a:

• Aviso prévio;

• Férias proporcionais;

• Acréscimo sobre férias;

• 13ª Salário

• 40% do FGTS;

9.2.9 No caso da demissão com justa causa, com mais de um ano de serviço.

O empregado terá direito a:

• Saldo de salário;

• FGTS, termo da rescisão de contrato sem mencionar o código;

• Depósito do FGTS do mês da rescisão e o anterior;


• Férias vencidas se ainda não tiver gozado;

• Acréscimo sobre férias vencidas e não gozadas;

O empregado não terá direito a:

• Aviso prévio;

• Férias proporcionais;

• 1/3 sobre férias proporcionais;


• 13º salário

• 40º do FGTS.

9.2.10 Os documentos necessários a serem apresentados no ato da rescisão:

• Atestado médico demissional;

• Termo da rescisão de contrato de trabalho em 4 (quatro) vias;

• Carteira de trabalho - CTPS, devidamente atualizadas;


• registro do empregado, em livro ou ficha, devidamente atualizados, conforme obrigatoriedade do
Ministério de Trabalho;
• Comprovante de aviso prévio ou se for o caso pedido de demissão;

• Cópia de acordo coletivo ou convenção coletiva;

• As seis últimas guias de recolhimento do FGTS, ou extrato semestral;

• requerimento do Seguro-Desemprego, caso seja demissão sem justa causa;

• Cheque administrativo ou dinheiro;

• Multa indenizatória de 40% sobre saldo do FGTS, depositados na conta do mesmo.

9.3 Seguro-Desemprego

A finalidade do Seguro-Desemprego é de promover uma ajuda financeira temporária ao trabalhador em virtude


de dispensa sem justa causa, ou indireta.

Auxiliar os trabalhadores na busca de um novo emprego, promovendo ações integradas de orientações.

Só terá o direito de receber o Seguro-Desemprego, os empregados que comprovarem:

a) Que não tiverem recebido salários consecutivos de 6 (seis) meses no últimos 36 (trinta e seis) meses
anteriores à data de sua dispensa, de uma ou mais pessoas jurídicas, ou físicas equiparadas às jurídicas;

b) Que não estar em gozo de qualquer benefício previdenciário de prestação contínua, exceto o auxílio acidente
e abono de permanência em serviço;

c) Que não possuírem renda própria de qualquer natureza.

Essas comprovações deverão ser feitas mediante anotações na carteira de trabalho, pelo termos apresentados
na rescisão de contrato, levantamento dos depósitos de fundo de garantia por tempo de serviço, a comprovação
dos demais itens será feita pelo próprio trabalhador em declaração firmada pelo mesmo.

O Seguro-Desemprego será concedido ao trabalhador que estiver desempregado pelo período variável de 03
(três) a 05 (Cinco) meses, de forma alternada ou contínua, a cada período aquisitivo de 16 (dezesseis) meses,
observando a seguinte relação, de vínculo empregatício, com pessoa jurídica ou física a ela equiparada:

a) Em 03 (três) parcelas, se o trabalhador comprovar o vínculo empregatício de no mínimo 06 (seis) meses e


no máximo 11 (onze), nos últimos 36 (trinta e seis) meses;

b) Em 04 (quatro) parcelas, se o trabalhador comprovar o vínculo empregatício de no mínimo 12 (doze) meses


e no máximo 23 (vinte e três) meses;

c) Em 05 (cinco) parcelas, se o trabalhador comprovar o vínculo empregatício de no mínimo 24 (vinte e quatro)


meses.

Para fins de apuração do benefício, será levado em consideração os 03 (três) últimos meses de trabalho.
Não poderá ser inferior ao valor do salário mínimo.

O Seguro-Desemprego é pessoal e intransferível, salvo nos casos de:

a) Morte do segurado, para efeito de parcelas vencidas, que será pago mediante apresentação de alvará
judicial;

b) Doença grave, comprovada por perícia médica do INSS, que será pago ao procurador admitido pela
previdência social.

A concessão poderá ser retomada a cada novo período aquisitivo, desde que seja satisfeitas todas as condições
expostas acima.

No ato da dispensa o empregador deverá fornecer ao empregado o requerimento do Seguro-Desemprego, com


a Comunicação de Dispensa - CD, que deverão constar todas as informações do trabalhador necessárias, para
que o mesmo habilite-se junto ao seguro.

O empregador poderá a partir do 7º (sétimo) e até o 120º (centésimo vigésimo) dia subsequente à sua
dispensa, encaminhar o requerimento ao Ministério do Trabalho, por intermédio de delegacias e do Sistema
Nacional de Emprego - SINE.

No ato do requerimento o Ministério do Trabalho enviará o documento de pagamento do Seguro-Desemprego -


DSD, no domicilio bancário escolhido pelo empregado.

O benefício será pago mediante a apresentação dos documentos abaixo:

a) Carteira de identidade;

b) Carteira de Trabalho e Previdência Social;

c) Documento de Identificação no PIS/PASEP;

d) Comunicação de Dispensa;

e) Termo da rescisão de contrato devidamente quitada;

O benefício poderá ser suspenso, ou cancelado nas seguintes situações:

a) Admissão do empregado em novo emprego;

b) Inicio de percepção de benefício de prestação contínua da Previdência Social;

c) Pela recusa, por parte do trabalhador de outro emprego que condiz com sua qualidade e remuneração
anterior;

d) Comprovação de falsidade na prestação de informações na hora da habilitação do seguro;

c) Por comprovação de fraude visando o recebimento indevido do benefício;

d) por morte do segurado.

10. CONCLUSÃO

Conforme visto e estudado, conhecer seus direitos e deveres de trabalhador são importantes. E a relação entre
a área contábil e Pessoal é de uma interligação intensa. Concluindo e afirmando novamente, que o estudo de
leis trabalhistas e que o conhecimento e o interesse das normas e formas de trabalho sejam sempre seguidas
conforme o demonstrado, e que o objetivo de crescimento do conhecimento da área seja atendido.

11. BIBLIOGRAFIA

- SANTOS, Dr. Armênio Ribeiro dos "DEPARTAMENTO DE PESSOAL" 8ª Ed. São Paulo: Ed. Conhecimento,
1999
- OLIVEIRA, Aristeu de "Manual da Prática Trabalhista" 31ª Ed. São Paulo: Ed. Atlas, 1997
- CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE Guia de Prática Trabalhista 1ª Ed. Brasília Ed. Pallotti, 1993. 1 v