Vous êtes sur la page 1sur 9

A INFLAÇÃO A inflação, palavra que vem de inflare, é um fenômeno moderno.

Embora exista há muito tempo, os dicionários não a mencionavam. Isso indica que não constituía uma questão crucial para a sociedade. Contudo, esse comportamento mudou, porque o aumento de preços tendeu a acelerar-se com o uso generalizado do papel-moeda e a expansão do sistema bancário. A inflação é um dos fenômenos econômicos mais perversos, porque subtrai parte das rendas dos consumidores, afetando mais os que recebem rendimentos fixos e a população pobre, que não consegue se resguardar de seus efeitos, nem mesmo parcialmente. A inflação é definida como sendo uma alta persistente e generalizada dos preços na economia, o que provoca a redução do poder de compra da moeda. A alta de preços deve ser persistente. Assim, uma economia que apresente num determinado semestre um crescimento de preços da ordem de 4% e que, no semestre seguinte, apresente uma queda de preços da ordem de 2% não pode ser caracterizada como uma economia inflacionária. A alta de preços deve ser generalizada, ou seja, todos os produtos da economia devem sofrer acréscimos em seus preços. Se apenas alguns dos bens e serviços produzidos na economia apresentam elevações de preços, enquanto outros apresentam redução, este fenômeno pode decorrer simplesmente do mecanismo de ajuste dos respectivos mercados em virtude de alterações da demanda ou da oferta. As maiores taxas de inflação ocorreram na Alemanha. Em janeiro de 1923, um dólar valia 18 mil marcos. Em novembro do mesmo ano a cotação passou a ser 1 dólar por 4,2 trilhões de marcos. O marco alemão deixou de servir de parâmetro para as trocas e as mercadorias passaram a ser trocadas por mercadorias. Tipos de inflação Para distinguir a velocidade com que os preços aumentam e com que se deteriora o valor da moeda, usam-se expressões adjetivadas como sopro inflacionário, inflação rastejante, inflação acelerada (ou, dependendo da intensidade, galopante e desenfreada), hiperinflação. Dependendo de sua resistência e de suas respostas aos mais variados tipos de tratamentos, as inflações caracterizam-se também como abertas, reprimidas, corretivas, recorrentes e crônicas. Mais ainda: estes adjetivos podem ser combinados para expressar movimentos inflacionários de maior especificidade. Estes vão desde inflação corretiva de custos até sopro inflacionário de procura e inflação rastejante reprimida. Já a adjetivação das causas diferencia a inflação de procura, da inflação de custos ou, ainda, das inflações mistas, resultantes da interação procura-custos. Além destas, há também a inflação estrutural e a inflação inercial. Todos esses tipos de inflação, simples ou combinados, têm, porém, uma característica comum. Só há inflação quando se verifica elevação do nível geral de preços, à qual corresponde uma redução de magnitude equivalente no valor da moeda corrente. Nos anos 70 foi criado um termo para definir uma situação em que se verifica a coexistência de elevado desemprego de fatores (estagnação) e de elevadas taxas de inflação. Trata-se da estagflação. A explicação para uma situação desse tipo encontra-se no fato de que, a partir do momento em que é deflagrado o processo inflacionário verifica-se uma resistência para que este termine. A inflação de demanda é causada por um aumento da demanda agregada (Anexo I) decorrente do crescimento dos meios de pagamento que não é acompanhado pelo crescimento do produto. Como a demanda é exercida através da moeda, pois é com dinheiro que as pessoas realizam suas compras, a inflação de demanda está diretamente vinculada ao excesso de dinheiro na economia. A inflação de demanda deve ser combatida por políticas monetária e fiscal restritivas, que venham a reduzir a demanda agregada. Através da política monetária visa-se diminuir a quantidade de dinheiro na economia, através de um rígido controle sobre as emissões de papel-moeda, limitações ao crédito (empréstimos e financiamentos) e aumento do encaixe dos bancos comerciais. A política fiscal consiste em aumentar os impostos sobre a renda e sobre os bens e serviços, para reduzir a renda disponível do setor privado e, como conseqüência, a demanda, ou, ainda, para

Outro fator que está associado à inflação de custos é o controle que uma ou mais empresas têm sobre o mercado. menor será a margem de lucro sobre os custos médios. segurando o câmbio ou desvalorizando a moeda. que se reflete no nível da firma: políticas tributárias. temos o oligopólio. com maiores níveis educacionais. Numa situação de monopólio ou de oligopólio. . Isso é causado pela evolução dos custos de produção. o Banco Central onera os exportadores ou os importadores nacionais. a existência de desemprego enfraquece as pressões dos sindicatos por melhorias salariais. a única forma de o empresário se manter em equilíbrio é repassar este aumento para o preço de seu produto. Nesses países. monetárias. Três causas básicas determinam a inflação de custos. como material de escritório. Nesse caso. Os keynesianos preferem enfatizar a utilização da política fiscal. A segunda causa básica da inflação de custos é a inflação de lucros. repassados para o consumidor através do aumento nos preços dos produtos. os métodos de produção rural e da crescente migração das populações rurais para as áreas urbanas. Os economistas monetaristas julgam mais adequado utilizar a política monetária para diminuir a demanda agregada. . A inflação de custos é provocada por uma diminuição da oferta agregada (Anexo I).A rigidez e a tendência expansionista dos orçamentos públicos. decorrente das pressões trabalhistas por salários mais altos. Isto é conseguido quando os preços dos produtos são aumentados bem acima de seu custo. com relação a determinado produto. decorrentes da estrutura de propriedade da terra. Quanto maior a procura de trabalhadores e menor a oferta de mão-de-obra. etc.reduzir os gastos do Governo em despesas correntes. Este poderia ser feito pelo Governo ou por uma comissão nacional que reunisse representantes do Governo. Altas taxas de juros desestimulam os investimentos e a produção. Quanto maior a concorrência. em síntese: . Inversamente. maiores as pressões de custo. temos ainda a inflação estrutural e a inflação inercial.A desigual distribuição da renda e da riqueza. As empresas definem as margens de lucro. Quando apenas uma empresa domina o mercado de um determinado setor de produção ou produto. pois assim o empresário teria prejuízos e abandonaria a atividade. cambiais e comerciais. ao afetar os cursos e a rentabilidade dos empreendimentos. o que alivia as pressões de custo das empresas. implicando desequilíbrios inflacionários. a estrutura da oferta agregada não se ajustaria aos novos padrões da demanda agregada. Essa margem de lucro dependerá do poder de mercado de cada firma. Embora pareça o caminho mais lógico. o preço tende a ser determinado pelo mercado. A indexação consiste em se corrigir as rendas recebidas pelos agentes econômicos e o valor dos ativos de sua propriedade com base na . De fato. A terceira causa fundamental da inflação de custos é a inflação decorrente da política econômica do governo.A baixa elasticidade de oferta dos produtos agrícolas. A liberalização das importações reduz o custo das empresas que utilizam insumos importados. dadas as crescentes responsa bilidades infra-estruturais e sociais do governo. O meio aparentemente mais adequado para combater a inflação de custos seria o controle de preços e salários. pagamento de funcionários. não correspondidas pela expansão da capaci dade de tributação. A inflação inercial resulta da indexação da economia. Se o custo dos fatores de produção aumenta. Alta carga tributária onera o preço final dos produtos. retirando competitividade das firmas nacionais. mas diminui a margem de lucro de firmas concorrentes que produzem para o mercado interno. o preço de um bem não pode ser inferior ao seu custo. os conflitos de interesses inerentes a tal negociação geralmente a inviabilizam. de trabalhadores e de empresários. estabelecendo seus preços acima dos custos médios. de que resultam as lutas travadas pelos diversos grupos sociais para recomposição de seu poder de compra. Os custos salariais se elevam se as firmas necessitam de mão-de-obra especializada. caracteriza-se o que os economistas chamam de monopólio. Além destes dois tipos de inflação. Quando poucas empresas dominam o mercado de um determinado setor de produção ou produto. A inflação estrutural é típica dos países de baixa renda que adotam políticas deliberadas de aceleração do crescimento econômico. As causas da inflação estrutural são. A primeira é a inflação salarial. da mesma forma. pois não há perigo de concorrência. os empresários podem ter lucros extraordinários.

por exemplo. vamos supor que num determinado mês o Índice de Custo de Vida teve um aumento de 5%. O seu principal defeito é a perpetuação da taxa de inflação a níveis elevados. mas também matérias-primas e equipamentos. o que provoca uma inflexibilidade para baixo da taxa de inflação.Índice da Construção Civil (ICC): é um índice que acompanha apenas a evolução dos preços dos materiais.2% 6+3+1 10 Como a taxa de inflação é obtida por uma média ponderada. a inflação pode ser caracterizada como rastejante (aquela com taxa inferior a 10% ao ano). Assim. entre outros. o capital emprestado pelo poupador. Para entendermos melhor o IGP.Índice Geral de Preços (IGP): É a medida oficial de inflação no Brasil. . alta (taxa acima de 20% ao ano) e hiperinflação (taxa acima de 50% ao mês) Desinflação e deflação A inflação é o crescimento dos preços. adotadas isoladamente. A taxa de inflação mede o ritmo desse crescimento. por exemplo. os aluguéis de imóveis.variação de um índice de preços que reflita a taxa de inflação no período de tempo entre os reajustes. . o ICV peso 3 e o ICC pelo 1. os títulos da dívida pública emitidos pelo Governo. habitação. O cálculo do Índice Geral de Preços seria dado pela fórmula: IGP = 6 x IPA + 3 x ICV + 1 x ICC ⇒ IGP = 6 x 4 + 3 x 5 + 1 x 3 ⇒ IGP = 4. etc. o Índice de Preços por Atacado aumentou 4% e o Índice da construção Civil apresentou uma evolução de 3%. estas medidas. transporte. No Brasil. Nesse caso. Outra diferença entre esses índices é que o IPA acompanha um número bem maior de bens. Desse modo. . são usados mais comumente os seguintes Números-Índices: . Entretanto. equipamentos e mão-de-obra empregados na construção civil. a taxa de câmbio da economia. Este índice é a média ponderada dos índices anteriores. tais como alimentação. A indexação é adotada como forma de convivência da economia com a inflação crônica. Segundo o valor do índice inflacionário. sendo que o IPA atem peso 6. alguns preços pode não aumentar ou se reduzir. percebe-se que os preços de alguns produtos aumentam mais do que o de outros. Mesmo que todas as causas possíveis de inflação não estejam mais presentes na economia (não haja pressões da demanda agregada e nem de custos). os salários dos trabalhadores. A inflação é medida através de Números-Índices. vestuário. o Governo poderia tomar medidas duras para tentar conter a inflação inercial. permitindo que os mecanismos de mercado funcionem mesmo na presença de taxas elevadas de inflação. que são fórmulas matemáticas que dizem qual a porcentagem de aumento nos preços dos bens e serviços num determinado período de tempo. os agentes econômicos continuam reajustando seus preços com base na inflação passada. pois considera não apenas aqueles usados pelas famílias. A sua principal virtude reside em possibilitar esta convivência.Índice do Custo de Vida (ICV): mede a evolução dos gastos de famílias com renda de até 5 salários mínimos com as despesas realizadas para suprir suas necessidades básicas. o IPA considera a evolução dos preços a nível de comercialização no atacado. são reajustados periodicamente com base na inflação passada. se for medida a evolução do nível geral de preços e os resultados estiverem sumarizados na tabela a seguir: MESES JAN NÍVEL GERAL DE PREÇOS – JAN = 100% 100 TAXA DE INFLAÇÃO - . podem provocar uma recessão na economia e um aumento na taxa de desemprego. A mensuração da inflação. enquanto os demais crescem. tais como a adoção de políticas fiscal e monetária extremamente restritivas que reduzam drasticamente a demanda agregada.Índice de Preços por Atacado (IPA): enquanto o ICV considera os preços dos bens e serviços ao nível do consumidor.

9 bilhões e os investimentos.Distorções dos preços relativos. ou seja. pode haver uma tendência de achatamento da renda dos agricultores no longo prazo. Nesse caso. Assim. Esta é uma das principais conseqüências do processo inflacionário. por meio da compra e venda de produtos ou tabelamentos. em favor da indústria.8% em maio e junho (3. porque os preços variam com taxas diferentes. No mesmo período. segundo o padrão monetário vigente.1. 4.5%.8% 3. O efeito resultante é a depressão econômica. Em julho.FEV MAR ABR MAI JUN JUL 102 105 110 114 116 115 2. a lucratividade das empresas vai se deteriorando até tornar-se nula ou negativa.Perda do poder aquisitivo dos salários e outras rendas fixas. dentro da categoria assalariada. os preços por atacado não variam no mesmo ritmo daqueles dos bens de consumo final. vão ficando com seus orçamentos cada vez mais reduzidos. diz-se que as relações de troca pioram para a agricultura.7 bilhão. denomina-se reflação. Isto ocorre porque a inflação provoca um grande número de distorções na economia de mercado. quando. De outra parte. que serão expostas a seguir: .9% em março. . Foi assim com a grande depressão do início dos anos 30. respectivamente).0% A taxa de inflação foi crescente de fevereiro a abril (2% em fevereiro. expandindo-se a oferta monetária. A volta à estabilidade da economia como um todo. assim como os preços agrícolas não crescem necessariamente na mesma velocidade dos preços industriais. a quantidade de bens e serviços que eles podem adquirir com seu salário.2 bilhões (1929) para US$ 55. O aperto geral de liquidez é corrigido. recuaram ainda mais.0% 2. 2. Ademais. Com a deterioração dos termos de troca contra a agricultura por períodos prolongados. os preços diminuíram. indústrias mais oligopolizadas (com maior poder de mercado) aumentam sua participação no mercado em prejuízo de setores mais concorrenciais e com menor poder de barganha. Quando a taxa de inflação é decrescente. O preço do cimento pode subir mais do que o preço do ferro para construção. pois a elevação continuada dos preços reduzirá paulatinamente seu salário real. Como todo o salário . No decorrer desse processo recuperam-se os níveis de ociosidade.6% e 1. Note-se que. após períodos deflacionários. Em julho. Os preços voltam para a linha da estabilidade. diz-se que ocorreu deflação. Em um processo inflacionário. o índice geral de preços recuou 24.6% 1. em geral. Entretanto.5 bilhões para US$ 45.1%). Os dispêndios de consumo caíram de US$ 77. os que mais sofrem são as famílias de baixo nível de renda. em termos relativos.6 bilhões (1933). Os assalariados que não sofrerem reajustes nominais em seus vencimentos perderão com a inflação. os salários podem crescer menos do que os preços dos produtos alimentares. Consequências da inflação Os governos contemporâneos colocam o combate à inflação entre as principais metas de sua política econômica. Os efeitos sobre os preços relativos pioram a distribuição de renda em detrimento de determinadas classes sociais e setores econômicos. diz-se que está ocorrendo uma desinflação. pela expansão dos dispêndios de investimento e de consumo. haverá um efeito-renda perverso contra os agricultores. pois os preços da economia aumentaram.8%. nos Estados Unidos.9% 4. Os assalariados. recuperando-se as perdas registradas e restabelecendo-se a estrutura relativa do valor dos bens e serviços. o ritmo de crescimento dos preços foi decrescente. a taxa foi negativa (. Nessa situação. O PNB recuou de US$ 103. A política econômica pode aumentar essa distorção ao tentar conter a elevação dos preços dos alimentos. pois os preços dos insumos industriais usados na produção agrícola crescem mais do que os preços dos produtos agropecuários.7 bilhões para US$1.8% . até a chegada de um novo reajuste. com o passar do tempo. de US$ 16. em maio e junho houve inflação. A deflação é uma queda do nível geral de preços da economia Caso o processo deflacionário persista por muito tampo. A distorção mais séria provocada por altas taxas de inflação é a redução do poder aquisitivo da classe trabalhadora.

Com a inflação.00 cobrando uma taxa de juros de 10% a. É bem verdade que.000. o que pode causar déficits na balança comercial. entretanto.00 que efetivamente ele receberá a títulos de amortização do empréstimo e de juros. Como é fácil perceber. como existe um intervalo de tempo entre a ocorrência do fato gerador do imposto e seu recolhimento pelo contribuinte. o preço dos bens e serviços produzidos internamente tendem a ficar mais caros que os importados.a.Surgimento de déficits na balança comercial. O Setor Público da economia tem as receitas tributárias como principal fonte de financiamento de seus gastos.00 = R$11. uma vez que praticamente inviabiliza financiamentos de prazos médios e longos. Por exemplo. . a tendência dos poupadores é a de fazerem aplicações em ativos reais (ativos tangíveis com valor intrínseco). pois os mais pobres são os principais atingidos. mais os juros de R$1. um tributo altamente regressivo.000.Dificuldades para o financiamento do setor público. Normalmente.00 de restituição do principal. rendas que não sejam reajustadas nominalmente. A indexação atenua bastante as distorções da inflação sobre o sistema econômico. isto implica dizer que. Em economias com altas taxas de inflação que tendem a permanecer no tempo (inflação crônica). Isto faz com que o Governo tenha de recorrer à emissão de papel-moeda para financiar seu déficit. na tentativa de proteger o seu patrimônio contra a desvalorização da moeda. a existência da inflação torna muito difícil a operação do mercado de capitais. por exemplo. a desorganização total da economia de mercado é impedida pela adoção da indexação das rendas e dos ativos da economia. Ocorrendo. . fato que inclusive pode comprometer a restituição do principal emprestado. dos proprietários de imóveis de aluguel. o Governo tem dificuldades de obter financiamento para seu déficit. devido à profunda diferença que passa a existir entre as taxas nominais e reais de juros. que uma determinada pessoa empreste a outra. o credor não conseguirá nem reaver o principal emprestado. o valor do principal. Isto reduz drasticamente o valor dos investimentos privados e compromete o crescimento de longo prazo da economia.00 correspondentes a R$10. assim. no prazo de um ano. nesse caso. a importância de R$10. . no final do ano.00 + 15% x R$10. uma inflação de mais de 10% no ano. fazendo com que as pessoas aumentem suas compras de mercadorias no mercado externo. .000.que recebem destina-se a sua subsistência. Políticas de combate à inflação no Brasil. o credor receberá do devedor R$11. O mercado de intermediação financeira fica seriamente abalado em inflações prolongadas. tais como ouro e imóveis.000. por exemplo. Esta erosão da receita tributária é denominada de Efeito-Tanzi (alusão ao economista italiano Vito Tanzi que foi o primeiro a chamar a atenção para este efeito) e contribui para que surjam déficits nos orçamentos governamentais quando a inflação é crônica. ou seja. pois os agentes econômicos sempre tenderão a reajustar os rendimentos pela inflação passada.00. que também é uma conseqüência de surtos inflacionários prolongados.000. se a inflação for 15%. É o caso.000. Por outro lado. Choque ortodoxo: Política econômica de combate à inflação que consiste em realizar um corte brusco na expansão monetária e redução intensa do déficit público. uma vez que os poupadores não comprarão títulos da dívida pública em virtude do juro nominal desses papéis ser inferior à taxa de inflação do período.000. que deveria ser entregue ao credor seria de: R$10. elas não têm meios de aplicar seu dinheiro de forma a se defender da inflação (não têm condições de indexar a moeda em seu poder).00 que é superior aos R$11.A indexação. Por essa razão. acompanhado de uma liberalização . Suponhamos. O imposto inflacionário é. porém apresenta a desvantagem de perpetuá-la. a receita dos tributos diminui bastante em termos reais. impedindo que a taxa de inflação venha a cair no futuro. corrigido em termos do poder aquisitivo da moeda. A mesma perda será sentida por todos os indivíduos que recebem rendas fixas durante a inflação.Desorganização do mercado de capitais e aumento da procura por ativos reais. Ao mesmo tempo. a perda do poder aquisitivo dos aluguéis tende a ser compensada pela elevação dos preços dos imóveis. costuma-se afirmar que a inflação é um “imposto sobre o pobre”.500. o que realimenta a inflação.

salários. a redução dos gastos públicos (investimentos). Choque heterodoxo: Política econômica de combate à inflação que consiste em aplicar o congelamento de preços em todos os níveis durante um período determinado de tempo e liberar as políticas monetária e fiscal. para um mesmo objetivo –avaliar a valorização ou desvalorização de um patrimônio. Assim é comum se imaginar que se um produto teve um aumento de preço da ordem de 5%. temos uma quantidade enorme de índices. a contenção do consumo e. é preciso avaliar a sua composição e tentar escolher aquele que mais se adapta aos seus objetivos.podem ser usadas faixas de renda distintas. Antigamente havia o ouro como principal referência de valor. a Fipe entrou também nesse processo. juros. Na relação entre preços de produtos e resultado dos índices de inflação. Para medir a inflação os institutos de pesquisa utilizam fórmulas e bases diferentes. É difícil medir continuamente o preço de uma mercadoria.dos preços para que estes encontrem livremente seu ponto de equilíbrio no mercado. inflação. atualmente podem representar gastos expressivos para as famílias. professor de Econometria da Faculdade de Economia e Administração da PUC-Campinas. um aumento no seu preço tem um impacto muito reduzido no resultado mensal do índice. custo de vida.) e surgiram da necessidade que as pessoas tem de melhorar a percepção sobre alguns fenômenos econômicos e seus reflexos sobre a realidade. Na década de 50 o Dieese começou a verificar o comportamento de renda e salários e. Esta política tem como resultantes a elevação da taxa de juros. As despesas com comunicação. em seu significado genérico. há um fator muito importante a todos eles. já que cada um deles tem uma metodologia diferente e atende a determinados objetivos. Quando se tem uma cesta de mercadorias é mais difícil ainda. como 0. entretanto. As primeiras tentativas nesse sentido surgiram no século XIX. sinalizam perspectivas de alta ou baixa no futuro”. considera que o período máximo para a reestruturação dos componentes de um índice e seus pesos na composição deve ser de dez anos. Etienne Laspeyres (estatístico e matemático francês) questionou o índice de média geométrica usado por Jevons e adotou um índice agregativo criando um indicador de variações de preços na mesma forma praticada até hoje. se constituem em médias de variações relativas (de preços. também foi criticado pouco depois por Paasche. ou seja. coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). que no passado tinham pouca importância. etc. calculados por institutos distintos. com a Fundação Getúlio Vargas. quando William Stanley Jevons (em 1883. assim como áreas e fórmulas matemáticas diferentes. . a política do choque heterodoxo foi aplicada em vários países. o princípio é sempre o mesmo e os resultados são muito próximos. Metodologias e variações dos índices de inflação Os índices. Não se pode dizer qual é o índice ideal. Existem no Brasil diversos índices usados como referência de inflação. Na hora de fazer a escolha pelo índice ideal. Isso porque o valor atribuído a determinado gasto hoje certamente é bem diferente do que se percebia há cinqüenta anos. Trata-se da reavaliação constante dos componentes usados para a sua formação e do peso atribuído a cada um deles no cálculo final do índice. Isso significa que. De acordo com Heron do Carmo. que começaram a surgir a partir de 1940. No Brasil. Mas. “Mesmo que os índices não tenham resultados iguais. a recessão econômica. posteriormente. explica. Gonçalves explica que o peso desse produto no índice pode ser muito baixo. destacando-se a Argentina. Desse modo. por exemplo. que lançou uma nova metodologia para tentar medir as variações do poder aquisitivo. como principal objetivo. Gonçalves destaca a idéia errônea que as pessoas têm. na Inglaterra) utilizou uma forma particular para estimar a queda do valor do ouro em consequëncia da abertura de novas minas nos Estados Unidos e na Austrália. consequentemente. verificar de fato qual o poder aquisitivo do dinheiro. também o índice de inflação deveria apresentar essa elevação. apesar das variações metodológicas. mostrar a tendência para a inflação. salários e preços. Diante da inflação intensa que diversos países sofreram a partir do final dos anos 70. Porém. Isso mudou a partir dos séculos XVI e XVII com as descobertas de novas minas nas Américas provocando a sua desvalorização. Renaldo Gonçalves. vinculada à USP.001. Israel. Seu modelo. os índices de inflação são indicadores que têm. Bolívia e Brasil.

aumento das exportações. (Variações de preços de produtos que os trabalhadores consomem em grandes quantidades.) Anexo 1: Demanda Agregada e Oferta Agregada.aumento dos gastos do governo. seria o do IBGE porque é uma média das médias e o único que serve nacionalmente. Os pesos são. pois resulta da média ponderada de índices de preços de grandes agregados e serve para o cálculo da variação real dos agregados nacionais. O quadro do anexo II mostra indicadores de variação de preços utilizados no Brasil. O que é Demanda Agregada? Demanda agregada é a quantidade de bens ou serviços que a totalidade dos consumidores deseja e está disposta a adquirir em determinado período de tempo e por determinado preço. pois desce ao nível microeconômico. Causas do aumento da demanda agregada: . assim como os critérios de cálculo e sua utilização. O índice mais adequado vai depender do que se quer avaliar. enquanto o índice de preços ao consumidor (IPC) é o mais desagregado. . uma vez que atendem aos objetivos de maneiras diferentes. portanto. o melhor índice é o do Dieese.O melhor índice é aquele que é feito sob medida para quem vai utilizá-lo. Nas diversas capitais. então. . localização geográfica e composições diferentes. . o mais preciso seria o índice regionalizado. O deflator implícito do PIB (DI-PIB) é o índice mais agregado. como arroz e feijão. usando faixas de renda. para determinar o peso de cada bem e serviço nos gastos totais das famílias. Pesquisas periódicas envolvem amostras representativas de trabalhadores. a demanda agregada de um produto somando-se todas as demandas individuais desse produto. Caso contrário. Ele é obtido pela variação dos preços dos bens e serviços que compõem a cesta de consumo de grupos de famílias de certas classes de assalariados de determinada região. Para uma família que tem renda mensal até 15 salários. variações de passagens aéreas e automóveis novos não afetam esse índice. terão impacto maior sobre o índice de preços. Indicadores de inflação. Obtém-se. quando existir.aumento dos investimentos. Inversamente. utilizados para determinar a importância das variações dos preços de cada produto no índice total daquele período.

aumentos autônomos das margens de lucros das empresas em mercados monopolistas ou oligopolistas.redução das importações .38). IGP-FGV: Índice de Preços ao CRITÉRIOS DE CÁLCULO Média ponderada dos índices de variação de preços da agricultura (peso 1.redução dos tributos. transportes e comunicações (peso 0. .elevação autônoma de preços de produtos importados que sejam matérias-primas importantes na produção de bens na economia (exemplo: quadruplicação dos preços do petróleo em 1973 pe lo cartel dos países produtores. Anexo II .aumentos de preços agrícolas em função de intempéries climáticas (geadas. Compreende a média ponderada do IPA (peso 6). IPC-RJ (peso 3) e INCC (peso 1).¹ Calculado pela FGV-RJ. . temporais. ela depende de todos os fatores que influenciam a oferta individual. é a quantidade de bens ou serviços que o conjunto dos ofertantes produz e oferece no mercado. .77) Calculado pela Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro entre 1 a 30 de cada mês. As principais causas da diminuição da oferta agregada são as elevações de custo provocadas por: . Mede a inflação para famílias com rendimentos entre 1 e 33 salários mínimos. comércio (peso 2. Todos estes fatores concorrem para o deslocamento da curva da demanda agregada para a direita de sua posição original. Negociações salariais. . Correção de valores nos contra tos em geral. O que é Oferta Agregada? Conhecida também por oferta de mercado ou oferta global.52). Em função disso.desvalorização real da taxa de câmbio (quando a taxa de câmbio se desvaloriza nominalmente mais do que o diferencial entre as taxas de inflação interna e externa). além do número de ofertantes no mercado.aumentos de salários acima de aumentos da produtividade. Exclui a variação de preços dos produtos exportados.33). indústria (peso 5. em determinado período de tempo e por determinado preço.) ou de outros fatores que reduzam a produção da agricultura. INDICADORES DI-PIB: Deflator Implícito do PIB IGP-DI: Índice Geral de Preços Disponibilidade Interna.. .aumento da oferta de moeda. em função de pressão de sindicatos trabalhistas fortes. por indicar os efeitos da inflação no or- . Determina-se a oferta agregada somando-se as ofertas individuais a cada nível de preço.Principais indicadores de inflação utilizados no Brasil. de modo que todos os in sumos importados aumentem de preço em termos reais. etc. nas regiões metropolitaUTILIZAÇÃO OU OBJETIVO Determinação no deflacionamento dos agregados das contas nacionais.

INPC: Índice Nacional de Pre ços ao Consumidor.83%. Rio de Janeiro. vestuário. 7.73%. 3. veículos. Calculado pela FGV-RJ. 9.asp. Calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estu dos Sócio-Econômicos (DIEESE). máquinas e equipamentos). Chamadas: 1. Correções de títulos do Tesouro Nacional e depósitos bancários com renda pós-fixada e acima de um ano. saúde e habitação (Município de São Paulo. Mede a variação dos preços dos grupos alimentação. e divulgado no início da segunda quinzena do mês seguinte. A coleta de preços é feita entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês corrente. Determinação das planilhas de custos das firmas.52%. ICVM: Índice Calculado pela Ordem dos Economistas do Brasil. Reajustar os salários dos servidores do Município de São Paulo.61% e Belém. transportes. Calculado pela FGV-RJ. entre o dia 12 e 30 do mês. Corrigir as demonstrações finan ceiras das companhias abertas e servir de referência para o estabelecimento de metas de inflação do Banco Central do Brasil Posicionamento dos trabalhadores nas negociações salariais.² IPA: Índice de Preços por Atacado IGP-M: Índice Geral dos Preços do Mercado IPC-FIPE: Índice de Preços ao Consumidor. Média ponderada da variação dos preços por atacado de bens duráveis e não duráveis de consumo. mas as famílias pesquisadas são as com rendas entre um e quarenta salários mínimos. 12. É um dos índices mais utilizados no Brasil. 30% e INCC. IPC (30%) e INCC (10%). Contratos de longo prazo.tesouro. saúde. Vida da Classe mês imediatamente anterior. transporte. INCC: Índice Na cional do Custo da Construção Civil. 2. calculado pelos sindicatos da construção civil de cada estado e usado no financiamento dos imóveis e no cálculo dos custos da construção civil.92%. IPC. alimentação. É composto por: IPA (60%).20%. 32.10%. Mede a variação mensal de preços de um conjunto de produtos e serviços residenciais (como mão-de-obra).br/serviços/glossario/glossario_i.30%. IPCA: Índice de Preços ao Consumidor Ampliado ICV-SP: Índice do Custo de Vida Calculado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da USP.79%. obras públicas de engenharia civil e infra-estrutura em 18 dos principais municípios do País. Ponderação: São Paulo. çamento dos trabalhadores. bens de produção (matérias-primas.46%. Calculado pelo IBGE nas mesmas áreas do INPC. como aluguéis. 7.10%. Recife. Fonte: http://www.O IPC-RJ é calculado com base na estrutura de despesas das famílias da cidade do rio de Janeiro com rendimento entre 1 e 33 salários mínimos mensais e seu período de coleta de preços é de 1º a 30 do mês de referência. Fortaleza.gov. Orientar os reajustes de salários dos trabalhadores dos setores público e privado. Ponderação: habitação.Consumidor nas de São Paulo e Rio de Janeiro. 11. 6. pegando todas as faixas de renda) do 1º ao último dia do mês. 22.36%. produtos da indústria de transformação. entre 1º e 30 de cada mês. 7.29% e educação. 28.Outro índice muito utilizado é o Custo Unitário Básico (CUB).08%. . 5.fazenda. com divulgação no dia 30. 605. 4. 12. O índice com Determinar o índice de custo de do Custo de para os preços médios do mês atual com os preços médios do vida da classe média.78%. Brasília. Município de São Paulo e as despesas das famílias com renda mensal entre dez e quarenta salários mínimos. Calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) entre 1º e 30 de cada mês (famílias das regiões metropo litanas com rendas entre um e oito salários mínimos). Belo Horizon te. Planilhas de custos do setor de construção civil. Porto Alegre. 16. 5. Mede a variação dos preços de produtos e serviços na Região Metropolitana de São Paulo (um e cinco salários mínimos). (Ponderação: IPA. despesas pessoais. Contratos de aluguel e reajuste de tarifas de energia elétrica. A pesquisa de preços envolve o Média. produtos agrícolas. 10%). Calculado pela FGV.03%. Salvador.