Vous êtes sur la page 1sur 32

Profissão

Perpétua
da Irmã
Cristiane
No dia 02/02/09 aconteceu a escolhido, bem como me chamado família, vivenciada e partilhada pelo
abertura à semana vocacional da para segui-lo nos passos de São povo de Val de Serra.
Profissão Perpétua da Ir. Cristiane de Francisco de Assis e no carisma de A minha vocação nasceu aqui
Oliveira Iensen, em Val de Serra com madre Madalena. em Val de Serra, não poderia deixar
o envio de aspirantes, postulantes, Agradeço a fé recebida por minha de compartilhar com todos esse
noviças, irmãs junioristas e irmãs de momento único e especial de minha
votos perpétuos como missionárias vida.
para as 23 comunidades da paróquia Agradeço a Deus por ter me
de Ivorá. concedido a graça de estar próxima
A experiência vivida por cada ao meu povo e sentir o carinho, a
missionária foi sentir a fé, a cidadania, amizade e o apoio de todos.
a acolhida, a simplicidade de cada Expresso meu agradecimento
família, na qual TODAS sentiram- ao padre Artêmio que acolheu a
se em casa e puderam fazer uma proposta da missão nas comunidades.
profunda experiência de Deus Obrigado pelo apoio a amizade,
no meio do povo. Obrigada pelo a atenção e dedicação de como a
testemunho em cada comunidade. acolheu todas as irmãs em sua casa.
Nos dias 04, 05 e 06 de fevereiro Saúdo a todos com paz e Por fim, obrigado Senhor pela
ocorreu o tríduo, no qual cada dia bem e com grande alegria vocação que destes e por sua
houve uma reflexão sobre a vida compartilho com todos a fidelidade em minha vida. Amém.
religiosa. experiência feita na semana
A partir dessa experiência, sinto do dia 02/02/09 a 07/02/09, Irmã Cristiane de Oliveira Iensen
meu coração muito grato por Deus, na paróquia de Ivorá. Congregação das Irmãs Franciscanas
primeiro pela vida, por ter me da Penitência e Caridade Cristã

Jornal O Santuário 10 mil Assinaturas para 2.010


Fique por dentro do que está acontecendo na Diocese de Santa Maria
O Jornal O Santuário é um informativo oficial da diocese, com 28 páginas dirigidas às comunidades e a toda sociedade. Traz as notícias
do dia-a-dia, as atividades que serão realizadas e a cobertura dos fatos. Conta com uma equipe de leigos, padres e profissionais,
correspondentes do jornal, que escrevem sobre liturgia, bíblia, teologia, saúde, psicologia e outros temas da atualidade.

FAÇA SUA ASSINATURA R$ 20,00


R
Preencha a ficha abaixo e envie para: Avenida Rio Branco, 793 – 2º andar
PARA 2009! CEP: 97010-423 - Centro – Santa Maria – RS Fone: 55 3223 8035 - jornalsantuario@terra.com.br


Ficha para assinatura
Nome: ..................................................................................................................... Endereço: .........................................................................................................................
Bairro: .....................................................................................................................CEP: .....................................................................................................................................
Cidade e Estado: ................................................................................................Paróquia: ...........................................................................................................................
Comunidade: .......................................................................................................Telefone: ..................................................E-mail: ...........................................................
O Santuário

Março • Ano XXXII • 2009 • Diocese de Santa Maria • Rio Grande do Sul • Venda avulsa: R$ 2,00
2

Palavra de Vida Agenda do Bispo


para março de 2009
“Se pedirdes ao Pai alguma coisa em 3 – Conselho Presbiteral.

meu nome, ele vos dará.” (Jo 16,23b) 5 – 2º ano de falecimento de D. José Ivo
Lorscheiter.
7 – Encontro do jornal “O Santuário”.
A coisa mais absurda que você pode obser- revelam dia após dia a paternidade de Deus 10 a 13 – Conselho Permanente em Brasília.
var neste mundo é, de um lado, a presença que os acompanha, atenta e amorosa.
de homens desorientados, sempre em busca 15 – Encontro dos Religiosos no Colégio
de alguma coisa, os quais, nas inevitáveis “Se pedirdes ao Pai alguma coisa Santa Maria.
provações da vida, sentem a angústia das em meu nome, ele vos dará.” 16 a 18 – Mutirão das Comunicações e Re-
privações, a necessidade de ajuda e a sensa- união dos Organismos em Porto Alegre.
ção de orfandade; e, de outro lado, Deus, Pai A esta altura pode ser que você me diga:
de todos, que nada mais quer do que usar da “Mas eu pedi, tornei a pedir em nome de
20 – Encontro dos Provinciais.
sua onipotência para satisfazer os desejos e Cristo, e nada obtive”. 22 – Ordenação Episcopal na Catedral de
as necessidades de seus filhos. Pode ser. Eu lhe disse acima que Jesus, em Porto Alegre.
É como o vazio que busca a plenitude. É outras passagens do Evangelho, nos convida a 23 – Convivência do Clero na Área de Júlio
como a plenitude que anseia pelo vazio. Mas, pedir, e dá outras explicações que talvez lhe de Castilhos.
esse encontro não se realiza. tenham passado despercebidas.
A liberdade de que o homem é dotado Ele disse, por exemplo, que só obtém 25 e 26 – Interdiocesano Centro-Oeste em
pode provocar também esse sofrimento. quem “permanece” nele, ou seja, na Sua Santo Ângelo.
Mas, Deus não deixa de ser Amor e vontade. 28 – Formação litúrgica no Seminário São José.
aqueles que o reconhecem sabem disso. Pode acontecer, então, que você peça
Ouça o que diz Jesus: alguma coisa que não se enquadra no plano
29 – Encontro Diocesano dos Ministros Ex-
de Deus para você e que Deus não considere traordinários.
“Se pedirdes ao Pai alguma coisa oportuna para a sua existência nesta terra
em meu nome, ele vos dará.” ou na outra Vida; ou, até mesmo, a julgue
prejudicial.
Agora você pode considerar uma daquelas Como é que ele, sendo seu Pai, pode PADRES
palavras cheias de promessas que, de vez em atender você nesses casos? Ele enganaria ANIVERSARIANTES
quando, Jesus repete no Evangelho. Com elas, você. E isso jamais ele fará.
ensina-lhe, com maior ou menor força e com Então, será conveniente que, antes de orar,
Março
diferentes explicações, como obter aquilo de você se coloque de acordo com Deus e diga:
que você necessita. “Pai, eu gostaria de lhe pedir isto em nome Nascimento:
Só Deus pode falar assim. Para ele, tudo é de Jesus, se achar oportuno”. 04/03/1960 – Frei Luis Antonio Reis
possível. Todas as graças estão em poder dele: E, se a graça pedida se conciliar com o 04/03/1948 – Pe. Edson T. Damian
tanto as terrenas como as espirituais, tanto as plano que Deus, no seu amor, concebeu para 11/03/1971 – Pe. Gildo José Brandt
possíveis como as impossíveis. você, haverá de se concretizar a frase: 13/03/1933 – Frei Vicente Pasinatto
Mas, preste bem atenção. 18/03/1958 – Pe. Gilberto Barbosa da
Ele sugere como você deve apresentar-se “Se pedirdes ao Pai alguma coisa Cunha
ao Pai para fazer o seu pedido. Ele diz: “Em em meu nome, ele vos dará.” 29/03/1959 – Pe. Salvador Tomio
meu nome”.
Se você tem um pouco de fé, essas três Pode ser também que você peça alguma Ordenação:
breves palavras devem abrir-lhe perspectivas graça, mas não tenha a menor intenção de 03/03/1995 – Pe. Amauri Alexandrino Ferreira
enormes. viver de acordo com aquilo que Deus pede. 19/03/1999 – Pe. Gildo José Brandt
Veja só: Jesus, que viveu aqui entre nós, Também, nesse caso, seria justo que ele
conhece as infinitas necessidades de cada atendesse você? Ele não quer lhe dar somente
pessoa e também as de você, e se compadece uma graça, mas igualmente a felicidade plena.
de nós. Por isso, no que diz respeito à ora- E esta felicidade se obtém procurando viver os CALENDÁRIO
ção, ele veio em nossa ajuda e é como se mandamentos de Deus, as suas palavras. Não MARÇ0 2009
lhe dissesse: “Procure o Pai em meu nome é suficiente apenas pensar nelas, nem limitar-
e peça-lhe isto, isso e mais aquilo”. Ele sabe se a meditá-las; é necessário vivê-las.
que o Pai não pode dizer não. Ele é seu filho, Se você assim fizer, conseguirá obter
D S T Q Q S S
e é Deus. tudo.
Não se apresente em seu próprio nome ao Concluindo: quer obter graças? Peça 1 2 3 4 5 6 7
Pai, mas em nome de Cristo. Lembre-se de qualquer coisa em nome de Cristo, colocando
que um mensageiro não sofre penalidade. em primeiro lugar a vontade dele, com a 8 9 10 11 12 13 14
Dirigindo-se ao Pai em nome de Cristo, decisão de obedecer à Lei de Deus.
você desempenha a função de um simples Deus fica muito feliz em poder doar graças.
mensageiro. Infelizmente, na maioria das vezes, somos nós 15 16 17 18 19 20 21
Os negócios são tratados entre as partes quem lhe amarramos as mãos.
interessadas. Chiara Lubich 22 23 24 25 26 27 28
É assim que muitos cristãos fazem a
própria oração. E eles podem testemunhar as Esta Palavra de Vida foi publicada 29 30 31
inúmeras graças que receberam. Graças que originalmente em novembro de 1978.

Fundado em 1º de janeiro de 1977 • Publicação da Diocese de Santa Maria e do Santuário da Medianeira • Av. Rio Branco, 793 •
expediente

CEP 97001-970 • Caixa Postal: 17 • Fone: 3223.8035 www.diocesesantamaria.org.br • jornalsantuario@terra.com.br • Fundadores:


Pe. Afonso Koerbes S.J., Moacir F. Nogueira e Taylor Fagundes • Jornalista Responsável: Renato Soares de Oliveira/RG 5874 • Redator: Pe. Silvio
Weber (silvioweber@terra.com.br) - Ro teiros: Pe. Ruben N. Dotto • Cir culação Dirigida - Tiragem: 10.000 exemplares
Revisão: Mons.Atayde Busanello • Edit. Eletrônica/Produção Gráfica: Paulo Santos - Contato - Setor de Comunicação: jornalsantuario@terra.com.br
CTP / Impressão: Gráfica Editora Pallotti / Santa Maria / (55) 3220.4500. Os textos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores.
3

Palavra do Pastor
+ Hélio Adelar Rubert
Bispo Diocesano de Santa Maria – RS

Fraternidade e Segurança Pública


A Campanha da Fraternidade começou de dezembro de 2008, fez um dia de estudos segurança no mundo do trabalho, na moradia,
oficialmente na Igreja do Brasil, na Quarta- sobre a Campanha da Fraternidade (CF) com saúde, alimentação, paz na cidade e no campo,
Feira de Cinzas, dia 25 de fevereiro e o seu os agentes presbíteros, religiosos (as), leigos das trânsito e liberdade religiosa.
término será no Domingo de Ramos, dia 5 de paróquias, movimentos e pastorais. Cremos que Somos um povo que quer ser uma grande
abril, quando acontecerá a Coleta Nacional da todas as paróquias se organizaram para realizar família. Participemos, deixemos-nos converter,
Solidariedade promovida pela CNBB. uma bela CF 2009 com o tema: “Fraternidade façamos a nossa parte com empenho e oremos
A Igreja do Brasil quer, com a CF deste ano, e Segurança Pública” e o lema: “A Paz é fruto pedindo a ajuda do bom Deus, que é Uno e
“suscitar o debate sobre a segurança pública e da justiça” (Is 32,17). Trino. Somente com seu poder e com sua graça
contribuir para a promoção da cultura da paz A CF tem uma dimensão comunitária muito poderemos construir um mundo fraterno, justo
nas pessoas, na família, na comunidade e na forte, porque é uma experiência longa que se faz e solidário.
sociedade, a fim de que todos se empenhem pela Igreja no Brasil no período da Quaresma. O
efetivamente na construção da justiça social, período da Quaresma é muito propício para a Somos convidados a orar diariamente
que seja garantia de segurança para todos” (cf. conversão e o fortalecimento da solidariedade. a Oração da CF 2009:
Texto Base, p. 15). A segurança começa com a Segurança Públi-
Segundo o Texto Base, todos nós sabemos ca, mas é preciso trabalhar também no aspecto “Bom é louvar-vos, Senhor, nosso Deus, que
que existe uma paz negativa e uma paz posi- da construção da paz, da justiça, da solidarieda- nos abrigais à sombra de vossas asas, defendeis
tiva. A paz negativa é aquela que se alcança, de e da misericórdia em todos os níveis. e protegeis a todos nós, vossa família, como
ou se pretende alcançar, através das armas e A CF 2009 une dois aspectos: há uma urgên- uma mãe, que cuida e guarda seus filhos.
da força, tentando deter a violência. Por outro cia de olhar o indivíduo e fazer uma conversão Nesse tempo em que nos chamais à con-
lado, a paz positiva é aquela que provem da dele, mas há uma necessidade simultânea de versão, à esmola, ao jejum, à oração e à peni-
construção de uma sociedade mais harmoniosa olhar a sociedade e fazer a conversão dela. Por tência, pedimos perdão pela violência e pelo
e busca da justiça social. isso, o processo é este: olhar a realidade que ódio que geram medo e insegurança. Senhor,
A paz positiva se constrói com ações soli- se está vivendo e olhar quais os caminhos que que a vossa graça venha até nós e transforme
dárias e com práticas fraternas. Nesse sentido, a Igreja, enquanto Igreja, pode fazer. A obra, nosso coração.
o apóstolo São Paulo nos ensina a amar com portanto, é de todos e de toda sociedade. Abençoai a vossa Igreja e o vosso povo, para
gestos concretos, amar os pobres, os humilha- A Campanha da Fraternidade 2009 não que a Campanha da Fraternidade seja um forte
dos, os perseguidos, a visitar os prisioneiros, a traz respostas prontas. É, antes de tudo, um instrumento de conversão. Sejam criadas as
cuidar dos doentes, a promover a vida em toda desafio para toda a sociedade. Ninguém pode condições necessárias para que todos vivamos
a dimensão que esta palavra possui. ficar indiferente, pois a realidade da Segurança em segurança, na paz e na justiça que desejais.
Nossa Diocese de Santa Maria, no dia 18 Pública atinge a todos. Todos necessitamos da Amém”.

Direito Cadastro Nacional de Informações Nacionais


Observamos com felicidade as os vínculos de emprego e o montante informações constantes no CNIS, com
inovações que o Instituto Nacional que foi recolhido. Através do cadastro a apresentação de documentos com-
do Seguro Social – INSS encontra-se chega-se ao valor da renda mensal probatórios do período divergente,
realizando, mais especificamente em inicial – RMI (valor do benefício) que como, por exemplo, o caso de vínculos
relação à possibilidade de concessão o segurado terá direito. existentes na Carteira de Trabalho e
de benefícios previdenciários em trinta Em outras palavras, o INSS utiliza, Previdência Social e não constantes
minutos. Mas isso somente ocorre se as para fins de cálculo do salário-de- no CNIS.
Advogado informações previdenciárias estiverem benefício, as informações sobre as re- Portanto, o aconselhável seria que
Roberto atualizadas e em sincronia com os de- munerações dos segurados constantes os segurados procurassem as agências
O. Weber mais documentos apresentados. Dessa do Cadastro Nacional de Informações do INSS um pouco antes do momento
forma, o local onde esses dados são Sociais. da aposentadoria, pois dessa forma
Mestrando em coletados denomina-se de Cadastro Assim, necessitando, o segurado, de evitariam inúmeras surpresas desa-
Políticas Públicas
OAB/RS 62.962 Nacional de Informações Nacionais informações sobre as suas remunera- gradáveis, como no caso de negativa
– CNIS. ções que se encontram cadastradas no administrativa do benefício por falta
Rua Floriano
Peixoto, 577 Esse cadastro é o local onde os sistema da Autarquia, esta terá o prazo de informações em seu cadastro. E
Térreo segurados encontrarão seu histórico de cento e oitenta dias para fornecê- mais: a solicitação do cadastro é um
Telefone: de contribuições realizadas ao INSS, las. O segurado poderá, a qualquer serviço gratuito, sendo devido a todos
(55) 3217 9342 a partir de julho de 1994, constando momento, solicitar a retificação das os cidadãos brasileiros.
4
Paróquias
São José São João
Ivorá Evangelista
Frederico Marcon - Correspondente Santa Maria
Nossa Senhora da Saúde Paulo – apóstolo missionário –
atual em nossas Comunidades
Em setembro passado, a Comunidade S. Maria Goretti teve um momento
importante, o que considera graça especial do carinho de Deus: o Pe. Marins
e Ir. Theolide celebrando com eles.

Quem são os dois? São bra-


sileiros que, com mais algumas
pessoas de outros países, formam
uma Equipe missionária que viaja
pelo mundo levando a mensagem
do Reino de Deus. Pe. Marins é
de São Paulo, sacerdote de 75
anos. Irmã Theolide é Trevisan,
de S. Maria, da Congregação do
Ela é a padroeira da 4ª Colô- gem permaneceu na igreja até às
Coração de Maria. Há mais de
nia. Já há mais anos, precedendo 16h. Muitas pessoas fizeram suas
35 anos são cidadãos do mun-
a romaria da Saúde na Linha 4ª preces individuais. Às 16h30min
– Silveira Martins – a imagem visita partimos em carreata, conduzindo do, dando cursos em diversas
todas as paróquias da 4ª Colônia, N. Senhora até a capela dos Três línguas e escrevendo muitos livros
o que aconteceu também este ano Mártires. No caminho houve uma sobre a caminhada da Igreja,
nos dias 14 e 15 de novembro, em parada na comunidade São João especialmente em pequenas
Ivorá. A imagem conduzida pelos Maria Vianei, e outra no pórtico comunidades.
paroquianos de Pinhal Grande até de entrada do Mosteiro dos Car-
Ivorá, mais precisamente chegando tuxos. Em Três Mártires, o Pe Ênio Quando passaram
à capela de N. Sra. do Caravágio, e um grupo de seminaristas da na S. Maria Goretti, era
no Sítio Alto, dia 14, houve missa paróquia dirigiram as orações na véspera de Pe. Marins
às 18h. Após, conduzida pelo capela, e após, na procissão a pé, seguir para a Índia, onde
“Pelotão Mirim”, até a Matriz. Sua 1 ½ km até Linha Quarta, capela iria percorrer diversos
chegada foi saudada pelo toque de da costumeira romaria. Ao chegar, países (Irmã Theo ficou
sinos e foguetes. O povo aguardava grande número de devotos aguar- em tratamento de saú-
em frente à igreja e, em seguida, davam para participar da Santa de). A Comunidade lhe
foi rezado o terço. Missa, que aconteceu. impôs as mãos, com a
No sábado, às 9h houve a mis- (Gentileza da Ministra Idite bênção de envio. Ele,
sa da saúde às 14h30min. A ima- R. Barichello) emocionado, prometeu
voltar e contar sobre sua
Bodas de Prata viagem. O que aconte-
ceu em janeiro.
No dia 08 de novembro último,
comemorou as Bodas de Prata o
casal Nilton e Elizete Tonel de Ivorá. Falou alguma coisa dos diversos países onde deu cursos e animou as Co-
A cerimônia foi presidida pelos pa- munidades. Comoveu o relato sobre a Coréia, donde ele trazia um tijolinho
dres Olinto Cremonese e Artêmio da primeira Igreja Católica daquele país. Lá ainda a maioria é muçulmana. A
Luiz Santi. O casal comemorou religião católica não entrou através de padres e bispos, mas de leigos que fize-
junto com os filhos Aline e Janine, ram curso em outro país onde conheceram a Igreja. Ficaram tão impressionados
também familiares e amigos. O com esta religião que quiseram conhecê-la melhor e levá-la ao seu país. Assim
jornal O Santuário junta-se à alegria fizeram. Por quinze anos foi se difundindo o catolicismo só através dos leigos.
e parabeniza o casal, esperando Pediram e foram os primeiros padres com um bispo. Em pouco tempo houve
que a paz esteja sempre presente a perseguição e todos foram martirizados. De novo ficaram sem padres. Mas
abençoando a vida da família.
o catolicismo continuou crescendo. Até hoje, já com presença de padres e
religiosos, a cada dez anos, os católicos dobram de número. E ninguém passa
para outras igrejas...
Variedades: dizeres, ditados, humor... Por que é assim? Pergunta o Padre Marins. É o que também queremos saber,
porque entre nós vivemos numa época em que tão facilmente os católicos
“Fazer bem, sem saber a quem, seus perigos tem.” (adágio popular)
pulam de igreja em igreja...
“Fazei o bem, mas olhai a quem.” (Monteiro Lobato)
“Cale o que deu, fale o que recebeu”. (adágio popular) “Porque lá acontece primeiro a conversão, depois o batismo. Aqui acontece
o batismo e talvez nunca a conversão. Então, estes católicos, não convertidos,
Humor: “Uma pesquisadora do IBGE bate à porta de um pequeno nunca assumem o compromisso do batismo que é ser apóstolo missionário.”
sítio e pergunta: Estas e outras colocações destes missionários nos fazem refletir diante de
- Senhor, essa terra dá mandioca? nosso ano missionário. Para eles, nem idade, nem distância, nem línguas e
– Não Senhora. costumes diferentes são impedimento para sua disposição de anunciar, de ir
– Dá batata? ao encontro. Porque, como dizia D. Ivo, eles têm “ardor missionário”. Seu
– Também não. exemplo seja estímulo para nós que facilmente nos justificamos diante das
– E feijão? solicitações de servir e anunciar.
– De jeito nenhum. No próximo número falaremos mais sobre a passagem destes missionários
– E milho? em outras Comunidades de nossa Paróquia.
- Nem brincando. A eles desejamos bênção em suas andanças missionárias.
– Então quer dizer que por aqui não adianta plantar nada?
– Ah, se plantar é diferente!” Ir. Teresinha Hoffmann – Correspondente
5

Formação Litúrgica Padre Ênio Rigo


e- mail - ejrigo@terra.com.br

Crismandos evangelizando(-se)?! Com novas tecnologias?!


1. Para não falar do óbvio câmera, entre outros1. • O Papa declara sua visão positiva da
Bento XVI em sua Mensagem para o 42º dia Comunicação e não de condenação, fazendo
Como evangelizar os adolescentes para Mundial das Comunicações Sociais, fala que uma projeção destes meios a se tornarem
receberem o Sacramento da Crisma? Quem o os Meios de Comunicação estão “Na encru- instrumentos a serviço do Evangelho para as
faz? Com que método, com quais meios, qual zilhada entre o protagonismo e o serviço”. E, novas gerações;
linguagem? Com quanto de perseverança? diz o Papa, que são parte constitutiva: • O Papa faz uma nova leitura, para além
Não tenho respostas. Mas, multiplico as • das relações inter-pessoais; dos Meios, pensando em sua finalidade, alcan-
perguntas e procuro pistas, buscando ajudar • dos processos sociais e religiosos; ce, velocidade, acessibilidade. Pois, onde o(a)
voluntariosos(as) que, sem aplausos, persistem • da informação e formação dos ideais da catequista não chega sozinho(a), para além da
na ordem de Jesus, “Ide!” solidariedade, paz, justiça social; campainha, poderá chegar e à viva-voz e com
Pensando no tema, recordei o dia 9/3/1993, • da construção do bem, da formação ética um grupo de ajudantes para trabalhar nas casas
quinze anos atrás, quando João Paulo II, con- e do homem interior; e condomínios;
clamava a América Latina e o Caribe a uma • da criação da consciência frente ao • O livro e o giz (exceto o(a) catequista), ce-
nova evangelização. Foi numa Assembléia de relativismo ético, verdadeira praga de nosso dem espaço para um web(rede) site(sítio, lugar
Bispos (CELAM), em seu discurso de abertura tempo2. de visita), onde catequizandos navegadores vi-
e com a autoridade de um Papa, dizia: “é • Evidente que o Papa alerta sobre suas sitam, leem, veem e se encantam com a beleza;
preciso evangelizar com novo ardor, novos contradições. aprendem com o conteúdo e repassam uns aos
métodos e com novas expressões”. Dom Cláudio Maria Celli3, comenta “não outros em segundos on-line; ou deletam!
Muito já se comentou sobre o significado creio que exagere se afirmo que nos encontra- • João Paulo II chama tudo isso de “novo
destas palavras, tanto nos bastidores ou em mos frente a um autêntico giro”. Isso poderá aereópago” (expressão paulina)5, do qual “a
pequenos grupos, quanto em estudo e em significar: própria evangelização da cultura moderna
assembléias. • uma virada, uma abertura oficial da depende de sua influência “ num tempo de
Saber, já sabemos e até estamos convenci- Igreja, uma nova relação da fé com o mundo missão e não mais de conservação”6 .
dos! Querer, e poder pôr em prática a intuição da comunicação; um girar o foco da pastoral Continua na próxima edição
do Papa é o “x”, da questão que se defronta para esta direção;
• um “voltar-se” para, ou focar uma nova 1 Web (rede) site (sitio,lugar de estar), e-mail (carta),
com a insistente “conversão pastoral” proposta outras nomenclaturas são armazenadores de dados para
na V Conferência de Aparecida n. 365; 366; geração com fastio de discursos e ideias; para comunicação com os quais você expõe suas mensagens
e (interage) conversando com as pessoas.
368; 370. interpretar linguagens, comportamentos e
2 Os meios de comunicação social: na encruzilhada
novas formas de agregação; falar em grupos de entre o protagonismo e o serviço. Buscar a Verdade para
2. Uma proposta, jovens com linguagem dos anos 60, hoje?; partilhá-la, em 04/05/2008.
• um valorizar essa “gente pequena” e mes- 3 Presidente do Conselho Pontifício para as Comuni-
a exame e apreciação mo fora da vida eclesial, que não quer estudar
cações, (CPCs ), até agora secretário da administração do
patrimônio da Sé Apostólica. D. Celli, de 65 anos, substitui
Forme pequenos grupos, pós-primeira religião mas quer viver religião construindo o Arcebispo norte-americano John Patrick Foley, nomeado
como Grão-Mestre da Ordem Equestre do Santo Sepulcro
comunhão, e apresente-lhes o desafio: evan- em si e por si os sagrados valores evangélicos. de Jerusalém. D. Foley liderava o CPCS há 23 anos. Tam-
gelizarem(-se) por meio das novas tecnologias Lembre-se que, até bem pouco tempo, lidar bém, este ano, pela primeira vez, foi nomeado pelo Papa
um português como Consultor do Pontifício Conselho para
da comunicação. A linguagem do computador com religião era coisa só para adultos. as Comunicações Sociais: o Pe. Antonio Rego, diretor do
e seu uso, o sabem melhor que nós. Então, por Secretariado Nacional das Comunicações Sociais.
que não envolver os crismandos nesta moda- Dom Celli, percebe que “através do mundo 4 Cf. http://.zenit.or (23.01.2009) “Primeira Mensagem
de um Papa aos jovens da geração digital”.
lidade e levá-los ao caminho do discipulado da Comunicação o Santo Padre oferece um 5 At 17,19 (retrato da experiência de Paulo em Atenas).
via mundo da comunicação: Web-site, e-mail, panorama amplo da vida e dos comportamen- 6 Discurso do Papa João Paulo II aos participantes no
blogs; PowerPoint, Internet, wireless; CD-R; tos de uma realidade juvenil cada vez mais à Congresso promovido pela Conferência Episcopal Italiana
DVD-R; VOIP; MP3,4,5; chips, fone com vontade com as novas tecnologias”4. Assim: para os Operadores nos campos da Comunicação e da
cultura, em Palermo, Itália, em 09/11/2002.

Vestuário de Coroinha
• sugere-se que este seja o mo- R$11,00. Ministros trazerem todos a consciências, educadora da fé,
delo de vestuário para uso dos(as) Opa para uso durante a celebração católica apostólica romana!
coroinhas em nossa Diocese e aos Eucarística. Será no auditório I. • Em 2009 em cada final de se-
poucos os grupos possam ir se mana um grupo de alunos do Insti-
adaptando; Seminário São José e Instituto tuto São José, participará do Projeto
• Lembro-lhes que dia 29 iniciam suas atividades Conviver, isto é, alunos externos
de março de 2009 acontece a • No dia 24 de fevereiro che- fazendo a experiência de residir
3ª Assembleia Diocesana de Co- garam os seminaristas novos e por dois dias com os seminaristas
roinhas. Será no Seminário São antigos para o ano letivo escolar. dentro do Seminário, não somente
José, com início às 8h e 30min e O número é menor que em 2008. na Escola. É uma forma de ajudá-
término às 16h; Almoço e lanche Não deve passar de 20, mas a los a conhecer uma outra face do
R$ 8,00. Trazer as vestes para uso qualidade será melhor; viver. Se isto os encantar e alguém
na Celebração Eucarística. Será no • No dia 02 de março iniciaram desejar estudar como interno, sendo
auditório III. as aulas pela manhã e tarde na seminarista, será bem-vindo.
Escola de Ensino Fundamental e • Sua Escola ou comunidade
39ª Assembleia Diocesana Médio da Diocese (Instituto São também poderão enviar um grupo
de Ministros da Sagrada Co- José). Estamos nos aproximando de até 5 adolescentes, basta con-
munhão de 450 alunos. Será que todos tatar com os padres do Seminário
• No dia 29/03/2009 acontece sabemos que a Diocese tem uma pelos telefones (55) 3211 21 25 /
a Assembleia Diocesana de Mi- Escola? Aliás, uma das poucas no 3211 4141. Não há custos com
nistros Extraordinários da Sagrada Rio Grande do Sul. Razão? Acredi- hospedagem e alimentação.
Comunhão. Será no Seminário São ta que muda-se a sociedade pela
José, com início 8h e 30 min e tér- educação. Escola com disciplina, Pe. Enio José Rigo-Diretor do Insti-
mino às 16 horas. Almoço e lanche humanizadora, formadora de tuto São José e Reitor do Seminário
6
Paróquias
Sagrado Coração de Jesus Santo Antônio
Restinga Seca Patronato
Eldiro Ceolin - Correspondente Adelmo Jacomo Sarturi - Correspondente

Mãe Peregrina Catequese


Em Restinga Sêca, mais é nesta comunidade onde No próximo dia 07 de março (sábado), às 15 horas,
propriamente, na comunidade se encontra a maior concen- haverá um Encontro Celebrativo para a Catequese da
São Paulo, Bairro São Luiz, ao tração de “capelinhas” da Primeira Eucaristia e Crisma (1º Ano), com a participação
lado da igreja, foi construída, Mãe e Rainha na Paróquia, dos pais e catequizandos, na Igreja Matriz. As atividades
com ajuda espontânea daque- diariamente peregrinando de preparação da catequese (1º e 2º anos) iniciar-se-ão no
la comunidade, uma “ermida” nas famílias. Uma vez por dia 14 de março, em horários próprios de cada turma.
dedicada à Mãe Rainha Três mês, as zeladoras frequen- É muito importante a participação e o acompanha-
Vezes Admirável de Schoens- tam a Escola de Maria e, mento dos pais e familiares no processo de formação
tatt. A referida “ermida” foi no dia 18 de cada mês, religiosa e espiritual das crianças, jovens e adultos.
inaugurada em 03 de agosto às 18 horas, é celebrada a Catequese não é ensino religioso. Catequese é
de 2008, com a presença de autoridades reli- renovação da Aliança de Amor com a parti- um caminho que se faz com aqueles que desejam
giosas e civis, inúmeras pessoas propagadoras cipação das missionárias/zeladoras e pessoas ser educados na fé em Jesus Cristo, que precisam de
e devotas à Mãe e Rainha. A benção foi feita da comunidade. Maria, ainda hoje, continua a palavras, de testemunhos e de vivências, sempre num
pelo frei Adelar de Santa Maria que deixou a sua missionariedade através das pessoas que a clima muito humano de fraternidade e de paz.
seguinte mensagem: “A partir deste momento, zelam e a conduzem, diariamente, até o seio A catequese não deve ser uma formação de apenas
a Mãe Peregrina se estabeleceu nesta “ermida” das famílias. dois anos! Mas deve ser uma educação permanente
e deverá ser centro de chegada e de partida Diante dos desafios do mundo atual, que e progressiva, que nos leve a sermos discípulos mis-
de romeiros”. Maria nos alimente com a sua coragem e con- sionários de Jesus!
Diariamente, o local é frequentado por fiança na palavra de Deus e também dizermos:
devotos que fazem orações de súplicas e/ou “Eis aqui a(o) serva(o) do Senhor. Faça-se em Ação Social
de gratidão à Mãe e Rainha. Destaca-se que mim segundo a Tua palavra”(Lc.1,38)
Ação Social reiniciará seus trabalhos no dia 18 de
março. O Serviço de Ação Social na Matriz é realizado
História das Comunidades todas as quartas feiras, das 14 às 17 horas, por um
grupo de senhoras voluntárias que desenvolvem esse
De agosto de 2007 – na aber- cada grupo/comunidade com
trabalho social há mais de 10 anos, em benefício de
tura do ano jubilar, 70 anos da e do seu jeito de ser, participa
famílias cadastradas, da Vila Renascença. São admi-
instalação da Paróquia Sagrado integralmente da rede de co-
nistrados cursos de Pintura em tecido, Bordado, Tricô,
Coração de Jesus – até esta munidades/grupos, formando a
Crochê, Tapeçaria, Artesanato, Confecção de Acolcho-
edição, colocamos um pouco Paróquia. Os desafios de Evan-
ados e outros. A finalidade dos cursos visa capacitá-las
da história de cada uma das 25 gelizar e continuar construindo
para o mercado de trabalho, para que possam auxiliar
comunidade/capelas que com- comunidades são-nos postos
na renda familiar e, através de palestras, ajudarem na
põem a Paróquia. Além dessas, por Ele, todos os dias: “Ide,
valorização da auto-estima.
também são celebradas missas pois, ensinai a todas as nações;
É importante a colaboração e o apoio da Comu-
no Hospital São Francisco, na batizai-as em nome do Pai e
nidade para fortalecimento da nossa Ação Social,
Escola Prof. Edwaldo Hoffmann do Filho e do Espírito Santo.
inclusive auxiliando-nos com doações de alimentos
(Vila Felin 2), e no meio rural: Ensinai-as a observar tudo o
e utensílios domésticos!
Três Ilhas, nas casas de Maria Jussara D’Ávila e que vos prescrevi”(Mt.28, 19-20). E o bonito
AJUDEM-NOS NESTA PASTORAL SOCIAL!
de Ana Tomás. Quis-se, com isso, reafirmar a de tudo isso é a garantia que Ele nos deu e
QUE SANTO ANTÔNIO INTERCEDA A DEUS
importância de se manter viva a memória da no compromisso que Ele mesmo se colocou:
POR NÓS!
caminhada do povo de Deus – muitas comu- “Eis que estou convosco todos os dias, até o
nidades surgiram bem antes desta Paróquia; fim do mundo”.
Pastoral de Liturgia
Pe. Nelson, parabéns a você! A Equipe de Liturgia e Canto se reúne na Matriz,
quinzenalmente, nas segundas e quartas-feiras, às
No dia 25 de fevereiro, o nosso Pároco, Pe. Nelson Luiz 19h30min, para preparar as celebrações litúrgicas. As
Pappis, completou mais um ano de vida. A comunidade reuniões são momentos de reflexão bíblica, partilha
paroquial, além de homenageá-lo, uniu-se ainda mais em e providências sobre as celebrações, sempre à luz
oração, rogando a Deus em favor de sua plena saúde. Há mais do Evangelho de Jesus. Para cada fim de semana, há
de um ano, Pe. Nelson encontra-se na boa luta para debelar equipes responsáveis pelas celebrações. Convidamos
o problema que lhe nega a boa saúde. Por outro ínterim, os Paroquianos que queiram fazer parte da Liturgia e
alegremo-nos, pois, progressivamente, ele está retornando às Canto, que entrem em contato com a Secretária ou
suas atividades. Não deixemos de muito orar por ele. Parabéns, no fone 3221-5711. VENHAM! ESPERAMOS VOCÊS
Pe. Nelson, e um abração de toda a Paróquia. PARA MAIS ESSA MISSÃO!
7

Política Quem são os governantes das


cidades da nossa Diocese
Nesta edição, o Santuário traz os prefeitos, vereadores e secretários das cidades que fazem parte da nossa Diocese.
Os municípios que não estão sendo publicados nesta matéria, não entregaram o material até o fechamento da edição.

DILERMANDO DE AGUIAR DONA FRANCISCA FAXINAL DO SOTURNO

Prefeito: Paulo de Oliveira Prefeito Municipal: Saul An- Prefeito: Clovis Montagner – PP
Huffel tonio Dal Forno Reck Vice-Prefeito: Ivan Cherubini - PP
Vice-Prefeito: Jaime Lima Vice-Prefeita: Maria do Car-
da Silva mo Tronco de Vargas Vereadores:
Dirceu José Casarin
Secretários Municipais Secretários Municipais Volnei Colvero Savegnago
Administração = Cassiana Clovis Vicente Benetti
Administração, Planeja- Elisa Vendrusculo Paulo Ricardo Marzari
mento e Recursos Hu- Agricultura e Meio Ambiente = Álvaro do Couto Paulo Pio Soldera
manos: Jaime Wagner Rampelotto Elcindo Cherubini
Duarte Obras e Urbanismo = Luiz Felipe Soares Fogliarini Carmem Gutheil Zacarias
Agricultura e Pecuária: Saúde = Simone Lorenzoni Sidnei Calegaro
Rubem Brasil Assistência Social = Diva Possel João Adalberto Schorn
Assistência, Desenvolvi- Educação = Nilza Fiss Scapin
mento Social e Cidadania: Inácio Paim da Rosa Cultura, Turismo e Desporto = Cláudio Fernando Carmem Dellaméa Marzari
Teixeira Tessele
Educação, Cultura, Turismo, Desporto e Lazer: Vereadores:
Carla Adriana Duarte Huffel Fabrício do Couto Ram- Dorli Elso Barichello
Fazenda e Desenvolvimento Econômico: José pelotto Roberto Fantinel
Claiton Sauzem Ilha Diogo Migotto Roberto Augusto Pro-
Obras e Meio Ambiente: José Maciel Renato Célio Hoppe chnow
Edaléo Dalla Nora Odir Paulino Sari
Saúde: Claúdio Flores
Carlos Fantinel

IVORÁ JÚLIO DE CASTILHOS JARI

Prefeito Municipal: José Fernando Marim Prefeito: João Vestena Prefeito: Pedrolivio
Vice-prefeita: Profª Véra Beatriz Rossato Porto Prado
Vereadores: Vice-Prefeito: Milto
Vereadores: Jorge Basílio de Siqueira Bolzan Taschetto
Enio Luiz Simonetti Vanderlei Moro Carlos Alberto Pedroso Rezende
João Fernandes Padilha Luci Maria Ferigollo João Horário dos Santos Aquino Secretários Muni-
Flávio Tonel Dalmolin Marcos Somavilla cipais:
Neimar Bottega Ademar Valentim Binotto Antonio Aristides Avozani Saúde e Assistência
Saulo Piccinin Igor C. Belinasso Arnaldo Coelho Bertoldo Social: João Lucas
Paulo César Turra Konzen
Remir Turra Pigatto Fazenda: Luiz Carlos Wagner
Dartagnan da Silva Portella Administração e Planejamento: Milton Leandro Tas-
chetto
Obras Viação e Serviços Públicos: Plínio Porto Filho
Agricultura, Indústria, Comercio e Meio Ambiente:
Mercilio Veslei Campos de Souza
Educação, Cultura, Desportos e Turismo: Neuza Mat-
tioni Prado

Vereadores

Euclezio Roque Ludwig Lucidio Moreira Goulart


Léo Muller Rodrigues Jardomiro Moreira
João Lucas Konzen Jocelir Teixeira Mucha
Osmar Rech Righi Vanderlei Souza Oliveira
Zeno Almeida da Silva
JAGUARI

Prefeito: João Mário Cristofari Planejamento - Luziane Flo-


Vice-prefeito: Milton José Bolzan res Guerra MATA
Turismo e Desporto - João
Secretários: Roberto da Fonseca Prefeito: Sergio Roni Bruning
Chefe de Gabinete - Sedinei Rodri- Desenvolvimento Agrope- Vice-prefeito: Serafim José Spo-
gues dos Santos cuário – Luiz Fernando Flores laor
Assessor Jurídico – Eduardo da Fon- de Siqueira
seca Diefenbach Secretários
Gestão Administrativa - Renato Gaspar Mes- Vereadores: Norberto Fernandes da Silva:
quita Filho Eudo Callegaro Tambara Secretário de Agricultura
Educação – Milton José Bolzan Cátia Elizandra Siqueira Artur Orlandi Ruatt: Secretário
Finanças, indústria e comércio - Ilói Antônio Edgar Basto Carijo de Saúde
Nicola Bataglin Elida Terezinha Cattelan Ruffo Leomar Maurer: Secretário de Talita Militz: Secretária da Fa-
Saúde - Carmen Lúcia Turchetti Elisângela Piccoli Dri Planejamento zenda
Obras, Infraestrutura urbana e trânsito - Ézio Jocelito Silva Elton Bruning: Secretário de Andréa Cáfaro: Sec. de Tu-
Roberto Carlos Boff Turchiello Hélio Genésio Pivetta Educação rismo
Ação do Trabalho e da Cidadania - Marileda Hugo Derli Giacomelli Osmar Canabarro da Silva: Cláudia Marian Spolaor: Secre-
Fontoura Cristofari Tarciso Jesus de Oliveira Ferreira Secretário de Obras tária de Assistência Social
8

NOVA ESPERANÇA DO SUL NOVA PALMA


Política
Prefeito: Delvi Luiz Segatto
Vice-Prefeito: José Jucelino Franco PINHAL GRANDE

Prefeito: Nilvo Anto-


nio Lago
Vice-prefeito: Selmar
Roque Durigon

Secretários Munici-
pais
Administração: Ruy
Rubin
Agricultura: Mauro
Vereadores Prefeito: Elder José Grendene (PDT) José Rubin
Paulo Giovani Angonese Vice-Prefeito: André Luiz Rossato (PMDB) Planejamento: Lisete
Ivori Antonio Guasso Junior Tânia Böck
Eugênio Francisco Manenti Vereadores: Educação: Rosemari Saldanha Fernandes
Sadi Cogo João Alberto Ghisleni Jossandro Marion Obras e Serviços Públicos: Laurindo Gabriel
Rogê Carlos Vencato. Maria Lisete Pesamosca Waldemir Rossato Hoppe
Marcelo de Moura Alexandre Pesamosca Fazenda: Denize de David
Secretários e Assessoria Tiago Uliana Leonaldo Fiori Saúde e Bem-Estar Social: Julio César Aguilar
Assessora Jurídica - Eliete Deponti Mulazzani Odilo Stefanello Rubin
Fazenda e Planejamento - Luis Henrique Medeiros Diretora de Cultura e Turismo: Cristina Dalmolin
Administração e Gestão Pública - Janete Maria Cogo Secretários Municipais: Assessor Jurídico: Guilherme Böck
Angonese Administração - Madalena Cerezer Arend
Saúde e Assistência Social - Olga Oliveira Manzoni Agricultura e Meio Ambiente - Valcenir Giovelli Vereadores:
Educação e Cultura - Clóvis Ben-Hur de Bastos Brasil Educação - Sandro Turra Ademar Voss Darci Ferreira dos Santos
Agricultura, Produção Animal e Meio Ambiente Turismo, Cultura e Desporto - Maria Neli Donato Célio José Garlet Joanilso Antonio Dalmolin
- Rogê Carlos Vencato Pippi Eleanir Luiz Facco Laurindo Gabriel Hoppe
Obras, Habitação e Serviços Urbanos - Otélvio Obras e Viação - Gilberto Secretti Euzébio dos Santos Lourenço Scapin
Antonio Michelon Saúde e Assistência Social - Magda Facco Pio Scapin

QUEVEDOS RESTINGA SECA SÃO JOÃO DO POLÊSINE

Prefeito: Aldori Flores Vieira Prefeito: Tarcizo Bolzan Prefeita: Denise Predebon Milanesi
Vice-prefeito e Secretário Vice-Prefeito: Altair Fernandes Pauletto
Secretários: da Cultura: Paulo Ricardo

site polesine.com.br
Obras e Serviços Públicos Salerno
- Ari Rosa Peixoto;
Finanças - Vanderli Martins Secretários
Aquino; Administração: Janone
Educação, Cultura, Desporto Santos
e Turismo - Maria Geni Alves Administração Geral e
Bueno; Planejamento: José Luiz
Agricultura, Meio Ambiente e Cavalheiro
Desenvolvimento Econômico - Clóvis Heinen; Saúde: Jorge Cremonese Secretários
Chefe dos Serviços Urbanos - Nilton Lemos; Agricultura, Pecuária e Agricultura, Indústria e Comércio: Assis Cadore
Chefe da Unidade de Saúde - Angela da Luz e Silva; Meio Ambiente: Eli Sebas- Obras Públicas: Júlio César Dotto
Chefe dos Serviços Rodoviários - Rudemar Prunzel; tião Foletto Saúde e Assistência Social: Claiton Müller
Assessor de Comunicação - Benhur Elgart; Obras: Claudiomiro França da Costa Administração: Marcos Antônio Cera
Assessor de Finanças e ICMS - Airton Atilio Alessio; Educação: Ledi Sartori Educação, Cultura, Desporto e Turismo: Maria
Chefe de Gabinete - Jaqueline Nágera; Claci Bortolotto
Vereadores: Dpto Pessoal: Delisete Maria Benetti Vizzotto
Vereadores Valderi Otto Paul Tesoureiro: Jaime Luiz Vizzotto
Alcemar Silveira de Lima Carmen de Mello Foletto Assessor Jurídico: Diogo Zanella
Carolina de Camargo Nagera Márcio Ercilio Rohde
Claudio Chaves Maia Valter Lemos da Silva Vereadores:
Terezinha Cavalheiro Da Rosa Elisandro Libreloto Elisabeth Alves dos Santos Edison Pozzebon
Hélio Duarte Menezes Jorge Cremonese Gilberto Bisognin Irton Benetti
Cintia Letícia da Silva Copetti José Carlos Turba Maria Inês Pilecco Piveta Oni Nardi
Cleber Antonio Vargas da Silva Marcilio Zimmer Pedro Pritsch Sidnei Luiz Rosso
Saulo Salles
Aparecida Eliane da Silva Vanderlei Bisognin
Dinarte Nascimento

SÃO PEDRO DO SUL SÃO SEPÉ

Prefeito: Dr. Marcos Senger Prefeito Municipal – Arno Cleri Reinstein


Vice-Prefeita: Profª. Elaine Pereira Schröder
Vice-prefeito – Luiz Fernando Dockhorn
Vereadores eleitos: Walter Renato Menezes, Tonetto
Ângelo Parcianelo, Fábio Polenz Parnov, Moacir
Ramos de Oliveira, Marcelo Dutra, Claudiomiro de Secretários
Moraes Weber, José Cláudio Goulart, Maria Ceci Administração – Luiz Carlos Scherer
Binato de Souza e Everton Flores Vieira. Agricultura – Edson Bagolin
Finanças - Jonas Lopes Vereadores:
Secretários Municipais: Educação e Cultura - Paula Ferreira Wolney Vasconcelos
Administração: Cheryl Susan Dressler Machado Adão Felisbino de Rosso
Fazenda: Luis Antônio Freitas da Silva Saúde e Assistência Social – Marcelo Gilvane Moreira
Saúde: Arezoli Pinheiro Faria Ellwanger Clarimundo Costa
Ação Social: Celeste Rodrigues Obras – Edmar Eri Oliveira Antônio Carlos Araújo Pinto
Assuntos Extraordinários: Iraci Maria Anesi Planejamento, Indústria, Comércio e Nassif Simões Schmidt
Educação e Cultura: Enildo Diniz Turismo – Liane Block Friedrich Luiz Otávio Picada Gazen
Secretário de Obras: Loreni Maciel Werter Vargas
Planejamento: Liana Trost Ebling. Lucas Paulesky
9

Política
SÃO VICENTE DO SUL SILVEIRA MARTINS TOROPI

Prefeito: Jorge Martins Prefeito:


Vice-prefeito: Roberto Nagera Prefeito: Adair Braz
Erli Pozzebon
Vice-prefeito:
Vice-Prefeito: Vandir Oesterreich
Dair Dellaméa
Vereadores:
Pedro Carlos Sauter
Helton Adriano Haas
Secretários Municipais: Fernando Baier
Zolmar Kantorski – Finanças e Administração Eli Plautz Moraes
Jandir Weber – Obras e Infraestrutura Eloi Atesler de Almeida
Celito Dalmolin – Cultura, Turismo, Desporto e Adão da Silva
Secretários Municipais Eventos Sidinei de Fátima da
Marlei De Mello Rumpel - Administração Célia Pontelli – Saúde e Assistência Social Silveira Marques
Terezinha Dos Santos Martins – Desenvolvimento João Candido Pereira – Agricultura e Desenvolvi- João Antonio Silveira de Moura
Social mento Econômico Reinaldo Soares da Silva.
Celso Flores - Desenvolvimento Agropecuário Marisa Schreiner – Educação
Ilena Zuquetto Flores – Indústria, Comércio e Secretários:
Turismo Vereadores Fazenda - Antonio Osmar Dutra de Melo.
Lidia Lemos Lopes – Educação Rozimar Bolzan Jairo Nicoloso Administração - Arizoli Braz.
Vagner Toti Martins - Finanças Evandro Gai Julio Bianchi Agricultura, Industria, Comércio e Meio Ambien-
José Arão Bernardi Pereira -Obras Julio Piveta Marco Duara te - Helton Adriano Haas.
Carlos de Matos Ortiz – Saúde Renata Dalla Favera Educação e Cultura - Karine Franzen Batista.
Luiz Paulo Flores – Assessor Jurídico Municipal Jandir Weber - cedeu cadeira para o suplente Néri Saúde e Assistência Social - Helena Emília
Saulo Freitas Costa – Engenheiro Municipal Balen Pfluck.
Ari Nunes Rodrigues – Administrador do Hospital João Candido Pereira – cedeu cadeira para o su- Obras e Trânsito - Irineu Nass da Silva.
Marcelo Dubal Doyler – Chefe do Setor de Compras plente Almeci Gai

CACEQUI TUPANCIRETÃ ITAARA

Prefeito: Flávio Dornelles Machado Prefeito: Luis Adolfo


Vice-prefeito: Francisco Mathias Fonseca Bitencourt Dias Prefeito:
Chefe de Gabinete: Jorge Adão Teixeira Vice-prefeito: Cristiano Rodri- Candido Franco
gues Aquino Moraes
Secretários Vice-Prefeito:
Administração: Bacharel Bráulio Evangelista Falcão Secretários Nilo Nunes Martins
Santos Luis Alcides Albrecht Kruel -
Fazenda: João Batista Luzardo Ramos Administração.
Obras: Valdoci Piveta Cristiano Rodrigues Aquino - Secretários
Saúde: Francisco Mathias Fonseca (Franco) Coordenação, Planejamento e Trânsito. Obras, Viação e Serviços Públicos: Antonio Carlos
Cultura, Desporto e Turismo: Damião Sabino Henrique Gendelsky Neto - Fazenda. dos Santos
Educação: Patrícia Vargas Paz Cléo Antonio Machado Salles - Obras e Viação. Administração e Recursos Humanos: Rogério Rosa
Planejamento: Cléo Ricardo da Silva Pinto Cléber Francisco Oliveira - Agricultura. de Paula
Agricultura: Rui Ragagnin Dalila Batista Nonnenmacher - Educação. Finanças: Alaor Souza Raymundo
Secretária de Assistência Social: Marianela Bena- Viviane Soares Rodrigues - Industria e Comércio. Agricultura, Indústria e Comércio: Eduardo Nogueira
vides Souza Iracema de Fátima Pilecco Pirotti - Serviços Sociais. da Rosa
Vera Lúcia Bitencourt Barcellos - Saúde. Saúde e Assistência Social: Elieze Machado
Roger Pagel Soares - Meio Ambiente. Mensch
Procurador Jurídico: Luis Carlos Dalla Picola
Vereadores Turismo: Tiago Costa Martins
Gustavo Simões Lírio Educação, Cultura e Desporto: Gervásio Backes
Claudiomiro Cordeiro Dos Santos
Ronaldo Machado Salles
Vereadores:
Valdomiro Moura
Cléo Vieira do Carmo Cleci Gay de Oliveira
Felipe Prado Lima
Eduardo Claro da Silva Dari Ribeiro Leite
Luis Valmor Da Silva França
Miguel Chiapeta Cardoso Odacir Gonçalves Nunes Luiz Deloni Segatto
Carlos Augusto Oliveira Dos Santos Paulo Gilmar Garcia Vitor Lopes de Sá
Benezer José Cancian Rogério Rosa de Paula

SÃO MARTINHO DA SERRA SANTA MARIA

Prefeito: Gilson de Almeida Prefeito: Cezar Augusto Schirmer


Vice-prefeito: Gilceu Roque Cassenote Farias Vice-Prefeito: José Haidar Farret

Secretários Municipais Vereadores


Saúde: Ivan Schieffelbein Admar Pozzobom
Administração e Finanças: Cláudia Lara do Jorge Ricardo Xavier
Amaral João Carlos Maciel
Assistência Social: Sandra Maria de Almeida Cláudio Rosa
Agricultura, Desenvolvimento e Meio Ambiente: Maria de Lourdes Castro
João Carlos Camargo Flores Sérgio Cechin
Educação, Cultura e Turismo: João Nildo de Sandra Rebelato
Vargas Paulo Denardin
Helen Cabral
Jorge Trindade
Marion Mortari
Luis Carlos Ávila da Silva
Manoel Badke
Werner Rempel
10
Paróquias
Nossa Senhora São Vicente de Paulo
da Piedade Vila Nova do Sul
ALGUNS FATOS DE 2008
Júlio de Castilhos
Grupos de Família
Encontramos!... No desejo de colocar em prática o Plano
O ano civil tem começo e fim. Embora, convencional, porque Diocesano, a Paróquia São Vicente de Paulo
o tempo é corrido. vem incentivando e fortalecendo os grupos
A Igreja também tem seu ano, chamado Ano Litúrgico, que de família ou casa principalmente dentro da
se identifica com a Vida e a Obra de uma Pessoa: Jesus Cristo. cidade de Vila Nova do Sul. Deste modo se
Que vai do Nascimento, Natal, à Festa de Cristo Rei, sua glori- descentralizaram as missas e momentos de
ficação. espiritualidades da Igreja Matriz e se criaram
Esse exercício litúrgico de fazer MEMÓRIA e Celebrar, tem por 5 novos locais de encontros comunitários. São
finalidade manter viva a fé no Mistério da Encarnação, e conhecer salas ou garagens cedidas pelas famílias.
e seguir a Pessoa de Jesus Cristo, testemunhando a sua obra.
Ato religioso e devoção Popular
O SINAL – JESUS É O SINAL
VIVO E VISÍVEL de Deus entre Em novembro de 2008 foi inaugurado um
nós. Pena que a gente para no pequeno oratório em honra a Santo Expedito na
visual da sua Humanidade. propriedade do Sr. João Pedro Santos. Motivado
Não sabemos reconhecer os pelo filho Assis Santos na localidade denominada
sinais que lampejam da sua “Potreiros”, famílias se organizaram e foram até lá
Divindade. em procissão (percurso de 6 km) levando a imagem.
Deus está tão perto de nós, Chegando no local, se rezou a missa e deu-se a
que Jesus chega dizer: “Quem bênção. A família expressou os sentimentos que
me viu, viu o Pai” – Jo 14, 9. os levou a construir o pequeno oratório a toda
comunidade Paroquial para orações, momentos
Jesus é a Revelação de tudo.
penitenciais e celebrações nesta localidade.
Como Deus é Espírito, e os
olhos do nosso corpo não po-
dem ver um espírito, Deus to- Nossa Senhora da Saúde
mou um sinal, a nossa carne “E
o Verbo se fez carne e habitou No segundo domin-
entre nós” – Jo 1, 14 go de dezembro já é
Desde então, Deus tem um rosto humano e caminhou aqui na tradicional a Romaria
terra entre nós. O Senhor visitou o seu povo, na figura da ovelha de Nossa Senhora da
perdida, do filho pródigo, do ferido à beira da estrada. Saúde na comunidade
das Laranjeiras. No ano
OS PASSOS – Os filhos de Adão e Eva puderam ouvir de novo de 2008 foi a Romaria
os passos do Senhor e o chamado: filho, onde estás? de número 27 e conta-
Aqui estou, meu Senhor, na terra do pecado! O Senhor do mos com a participação
céu veio nos visitar?! de 3 mil fiéis.

EXPERIÊNCIA – Nós somos discípulos de Jesus pelo Batismo.


Mas, permanecemos frios e indiferentes. O visual que temos de Caminhada Catequética
Jesus é sua Humanidade. Somente uma experiência profunda de
intimidade com a Pessoa de Jesus, é que nos faz discípulos mis- Iniciada em 2007, teve seu ápice em dezem-
sionários, seguidores e anunciadores. Como diziam os Apóstolos bro de 2008 onde aproximadamente 60 crianças
às Autoridades de Jerusalém: “Não podemos nos calar sobre o e adolescentes e mais alguns adultos receberam
que ouvimos” – Atos 4, 20 o sacramento da 1ª Eucaristia, os quais eram
oriundos das comunidades: Igreja Matriz, Passo
A FÉ – A Fé é mais que um conhecimento. É a experiência dos Leites, Laranjeiras, Passo do Rocha. Algumas
de um acontecimento, a Ressurreição, e o encantamento de comunidades realizarão a primeira eucaristia nos
uma Pessoa, Jesus Cristo. É o incontido que explode para fora: meses de março e abril de 2009.
encontramos!...
Belo exemplo nos dão André e Filipe. Tendo encontrado Jesus,
não puderam guardar para si o que sentiram no coração. Saíram Agradecemos as graças derramadas
e comunicaram aos outros: “Encontramos o Messias, é Jesus de sobre nossa Paróquia no ano de 2008 e
Nazaré” – Jo 1, 35-46 pedimos que Deus sempre nos abençoe no
As Missões Populares querem despertar esse encontro pessoal ano de 2009 em todas as atividades.
com Jesus, que mexe com a gente, e a necessidade de ir e gritar
para os outros: ENCONTRAMOS!...
Pe Joselino Serafini Pe. Alcione Carvalho da Silva
11

Liturgia Pe. Rodrigo da Rosa Cabrera


pe.rrcabrera@gmail.com
Paróquia São Pedro Apóstolo - S. Pedro do Sul

Leituras bíblicas dominicais


I Domingo da Quaresma (1º/03) sas do mesmo Deus. O sacrifício de Isaac nha, mas para os cristãos é salvação.
é uma prefiguração do sacrifício do Filho 3. O lugar do encontro e da comunhão
Tema: Convertei-vos e crede Unigênito, da entrega que o Pai é capaz de com Deus por meio dos sacrifícios era o
no Evangelho. fazer para a salvação da humanidade. templo de Jerusalém. Jesus ensina que o
Leituras: Gn 9,8-15; Sl 24; 1Pd 3, “Por isso oferto um sacrifício de louvor novo templo, o “lugar” onde se encontra
18-22; Mc 1,12-15. invocando o santo nome do Senhor” (Sl Deus agora é Ele mesmo. Em seu próprio
115, 17). corpo acontece o sacrifício definitivo, Ele
1. Deus realiza uma aliança com a huma- 2. O amor do Pai pela humanidade não mesmo oferece e Ele mesmo é a vítima. Por
nidade para restabelecer a comunhão con- pode ser superado de forma alguma. Não isso dizemos que ele é o altar, o sacerdote
sigo. O dilúvio é sinal da nova humanidade há tribulação, sofrimento ou dificuldade que e o cordeiro. Por isso rezamos: Por Cristo,
surgida da nova e eterna aliança selada no seja maior que o amor de Deus. “...Ele que com Cristo e em Cristo.
sacrifício da cruz. Ao construir a arca Noé não poupou seu próprio Filho...como não
crê na Palavra do Senhor e na sua fidelidade. nos daria tudo junto com ele?” (Rm 8, 32).
Deixa para trás o que não está de acordo Dessa forma compreende-se que Deus em IV Domingo da Quaresma (22/03)
com a vontade de Deus, mesmo tendo que sua fidelidade jamais retira sua Palavra, a
enfrentar o dilúvio. garantia de seu amor. Poderá sim o homem Tema: Deus é fiel à Aliança.
“O Senhor é piedade e retidão e recon- excluir o amor de Deus de sua vida e ainda Leituras: 2Cr 36,14-16.19-23; Sl 136;
duz ao bom caminho os pecadores” (Sl Ele permanece amando, pois não pode Ef 2,4-10; Jo 3,14-21
24,8). negar o que é.
2. Na leitura da carta de S. Pedro está 1. A humanidade pode ser infiel à Alian-
claro que a antiga aliança alcança em Cristo 3. A promessa da Nova Aliança e da sal- ça. Ainda na infidelidade Deus sempre vai à
sua plena realização comparando o batismo vação se realiza na entrega do Filho, daquele procura porque tem compaixão. Mesmo as-
à arca na qual devem entrar os que esperam que deve ser escutado e que é acima de tudo sim a humanidade é capaz de fazer escolhas
a salvação. A nova humanidade nascida amado. Assim como o pai da fé, Abraão, ouviu que inevitavelmente trazem consequências
das águas do batismo também deixa para a voz de Deus, muito mais deverá ser ouvido e muitas delas irreversíveis. Também nesses
trás as atitudes do “velho homem”, deixa o Filho Amado, pois já não fala em nome de momentos mais difíceis podemos ter a cer-
estruturas, modelos de vida, pensamentos Deus, mas é a própria Palavra de Deus. Entre teza do amor de Deus que está à espera de
e vícios que não correspondem à vontade tantas vozes e até mesmo ruídos de nosso tem- nosso retorno.
de Deus. po permanece o imperativo: “Escutai-o”. “Que se cole minha língua e se prenda
ao céu da boca se de ti não me lembrar”
3. A Quaresma é o tempo especial em (Sl 136, 6).
que se anuncia: “O tempo já se completou
e o Reino de Deus está próximo. Convertei- III Domingo da Quaresma (15/03) 2. De uma humanidade decaída passa-
vos e crede no Evangelho” (Mc 1,15). De mos a uma nova humanidade que pela res-
fato é um imperativo não somente mudar Tema: Jesus o novo templo. surreição com Cristo pode “sentar nos céus”
a direção, o rumo da vida, mas crer. Caso Leituras: Ex 20,1-17; Sl 18; (Ef 2,6). De uma humanidade afastada da
contrário estaríamos promovendo apenas 1Cor 1, 22-25; Jo 3,14-21 presença de Deus passamos a uma humani-
um conjunto de normas éticas, mas ainda dade que possui Deus em sua natureza. Essa
assim longe daquilo para o qual somos cha- 1. Os mandamentos da Lei da Deus são a é a humanidade elevada em sua natureza
mados, a comunhão com Deus. O caminho, concreta expressão da Aliança que culmina porque já nessa vida pode vislumbrar o que
a direção é o Evangelho. Para seguir nesse no sacrifício do cordeiro. Fica claro que será de modo infinito a vida futura, a vida
caminho é indispensável nele crer. quem faz a Aliança é o “Deus que fez sair do com Cristo que Deus nos dá porque é “rico
Egito”, ou seja, um Deus que se manifesta na em misericórdia” (Ef 2,4).
história e na vida de seu povo eleito.
II Domingo da Quaresma (8/03) “O mandamento do Senhor é brilhante, 3. A serpente de bronze foi levantada no
para os olhos é uma luz” (Sl 18,9). deserto para cura dos feridos e para que
Tema: Este é o meu Filho Amado, 2. O sinal da redenção não é mais a sa- fosse possível continuar a peregrinação. Je-
escutai o que ele diz. ída do Egito, mas a passagem de Jesus pela sus é erguido também para sanar as feridas
Leituras: Gn 22,1-2.9-10.1315-18; morte para a ressurreição. Não é mais o mais profundas da humanidade e também
Sl 115; Rm 8,31-34; Mc 9,2-10. sangue do cordeiro que sela a Aliança mas o para que possamos continuar a peregrinação
sangue do cordeiro de Deus que se entrega rumo à casa do Pai, a verdadeira terra pro-
1. Na leitura do livro do Gênesis Abraão para o perdão dos pecados de todos os que metida. Por amor Deus dá o seu Filho para
não duvida da Palavra de Deus que lhe exige reconhecem a sua ação salvífica. Para muitos que “não morra todo o que nele crer, mas
o sacrifício do único filho, fruto das promes- é loucura admitir a cruz, para outros, vergo- tenha a vida eterna” (Jo 3, 16).
12

Renovando Paróquia
comunidades
Santíssima Trindade
2009 - Ano Nova Palma
forte para O Jornal “O Santuário” chega mais uma vez aos parte para a construção de um mundo sem violência
as Missões nossos lares. A Campanha da Fraternidade deste ano
já está em pleno andamento. A abertura aconteceu
mais justo e fraterno afim de que esteja sempre pre-
sente, em nossa vida, a paz e a esperança.
Populares dia 25 de fevereiro, 4ª Feira de Cinzas, início da Qua-
resma. Com o objetivo de “suscitar o debate sobre a
Após as merecidas férias, chegou a hora de assumir-
mos, com entusiasmo, a caminhada paroquial. Além
segurança pública e contribuir para a promoção da da Campanha da Fraternidade, temos as prioridades
A Diocese de Santa Maria tem 2 cultura da paz nas pessoas, na família, na comunida- aprovadas na Assembleia Paroquial de Planejamento:
motivos em destaque para se procla- de e na sociedade, afim de que todos se empenhem Formação Integral e Permanente, Juventude e Cuidado
mar “em clima de Missões”: efetivamente na construção da justiça social que seja com a Vida, tendo como eixo central as Missões Popu-
Primeiro: atende ao pedido da garantia de segurança para todos” (cf. texto Base). O lares, já em andamento, que serão destaque, este ano
Igreja da América Latina e Caribe na tema: “Fraternidade e Segurança Pública”; o lema: “A em três momentos: a) na Penitência Quaresmal a 3ª
Conferência de Aparecida. Segundo: Paz é fruto da Justiça” do Profeta Isaias 32,17. A Igreja etapa das missões, “o Agir” dentro da nossa proposta;
Celebração do Primeiro Centenário nos desafia a uma busca constante pela paz, como b) na Penitência Vocacional, a 4ª Etapa, com visita e
da Fundação da Diocese(1910) em consequência da solidariedade, fraternidade, diálogo, bênção das famílias, celebração na comunidade com
2010. respeito aos irmãos e não a busca da paz pelo uso da renovação do Sacramento do Batismo e do Matrimô-
Missões não são uma atividade força das armas. Vamos aprofundar este tema no dia 6 nio; c) em outubro o 16º Encontro Diocesano dos
pastoral isolada da caminhada que de março das 19 às 22horas, no Salão Paroquial, com Grupos de Família. Portanto temos um ano cheio de
se faz e sim, uma fonte de novos ares palestra proferida pelo Pe Tarcísio Rech, Coordenador bons propósitos. Para isso contamos com as orações
para toda a Igreja, como expressa o do Regional Sul 3. Portanto, cabe a cada um fazer sua de todos e as bênçãos de Deus.
próprio Documento de Aparecida:
“Esperamos um Novo Pentecostes
que nos livre do cansaço, da desilu-
Atividades de nossa caminhada
são, da acomodação ao ambiente.
Esperamos uma Vinda do Espírito 51ª Peregrinação à Gruta de Lourdes Romaria da Terra
que renove nossa alegria e nossa Neste ano, a pe- Este ano, a 32º Romaria da Terra, realizou-se no
esperança.”(DA nº362) regrinação à Gruta município de Sapucaia do Sul, Arquidiocese de Porto
No nosso Plano Diocesano de de Lourdes foi um Alegre, dia 24 de fevereiro, terça-feira de carnaval.
2009, aprovamos como diretriz geral: dos momentos for- Organizada pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) do
“As Santas Missões Populares são o tes da caminhada regional Sul 3. É um dos compromissos comuns, da
eixo de toda a Ação Evangelizadora paroquial. Cele - Igreja do Rio Grande do Sul. O Sindicato dos Trabalha-
rumo ao Centenário-2010.” brando os 90 anos dores Rurais de Nova Palma e a Paróquia mobilizaram
Isso não se improvisa. Exige oração, da Paróquia da SS. os agricultores lotando um ônibus. A Romaria da Terra
estudo, aprofundamento. Entre as Trindade de Nova é um espaço importante para a conscientização dos
3 Prioridades para executar o Plano Palma. Aconteceu cristãos a um tema específico ligado aos agricultores.
está a da Formação Integral e Perma- a novena de pre- Este ano o tema abordado foi a questão da água com
nente. E Santa Maria oferece muitas paração com a ca- o tema: “água sangue da terra”.
oportunidades. Entre estas,o CURSO minhada diária dos
OSCAR ROMERO, sempre em inícios romeiros até a Gruta Ação Social Paroquial
de janeiro de cada ano, na Casa de e a visita da imagem Em março reiniciam as atividades da Ação Social
Retiros, em Santa Maria. Eu participei de N. S. de Lourdes Paroquial. O atendimento ao público será de 2ª a 5ª
integralmente da 10ª Edição de janeiro às comunidades do feira, no horário das 13h30min às 17 horas. Além do
último. Fui confrontando a temática interior, iniciando expediente normal, nas terças, haverá plantão para
abordada pelas Assessorias com a pela comunidade atender as necessidades de remédios caseiros e às
dimensão missionária da nossa Fé e da Salette, dia 19 quartas, plantão para os que necessitam de massagem.
Pastoral. Partilho com vocês algumas de janeiro e encer- Este ano, a Ação Social vai organizar mais uma etapa
anotações que fiz: 1. O Espírito se rando dia 31 na co- da Feira da Solidariedade, o Café da Solidariedade,
manifesta aí onde grupos se reúnem munidade de Linha Três. Esta visita foi um momento cursos de Tricô, Crochê e Pintura em Tecido. Vai
em seu nome. Éramos mais de 100. 2. de encontro, reflexão e oração para a Mãe, que visita também continuar com mutirão para confecção de
É indispensável conhecer, por dentro, seus filhos e como Mãe carinhosa os abençoa. Dia 1º acolchoados e a fabricação de detergente e sabão,
a Sociedade na qual vivemos para de fevereiro, dia da festa, foi celebrada a Missa Festiva reaproveitando o óleo de cozinha.
ajudar a transformá-la, a modo de que teve início em frente à Igreja Matriz em cami-
fermento. (Dinart Berlato.) 3. É longo nhada até a Gruta de Lourdes, com a participação de
o caminho, porque é processo edu- Pastoral Vocacional
grande número de romeiros. A Missa foi também em
cacional a construção de uma NOVA Ação de Graças, pelos 90 anos da Paróquia, presidida
SOCIEDADE.( Enio Valdir da Silva) 4. pelo Pároco Pe José Mário Angonese e a homilia foi
Nossa Igreja, entre avanços e recuos, pregada pelo Pe Luiz Sponchiado, que falou sobre a
tem projeto com base sólida para uma história da Paróquia, encerrando com a Benção de
Sociedade de Irmãos e Irmãs. É preciso São Brás. Logo após aconteceu a benção dos carros,
acreditar e pôr em prática o que vamos em frente da Igreja Matriz, sendo abençoados mais
aprendendo. (Demétrio Valentini) 5. de 500 veículos. E ao meio dia, foi servido almoço no
O Projeto de Deus de inversão da Salão Paroquial Pe Otávio Ferrari.
Pirâmide ( poucos em cima e muitos
em baixo), revelado nas páginas da
Bíblia, necessita ser bem compreen- Penitência Quaresmal
dido e priorizado no agir diário. Caso
contrário, de nada serve ler a Bíblia. Quaresma é tempo de conversão, penitência e de
(Marcelo Barros) 6. Os testemunhos preparação para a Páscoa, a principal festa dos Cris-
de vida falam por si e incentivam na tãos. O Padre José Mário juntamente com a Equipe Aconteceu no dia 29 de janeiro o Encontro dos
teimosia de que há caminhos para Missionária estão visitando todas as comunidades, Vocacionados tendo como local a Paróquia de Nova
“outra Sociedade Possível” ( Pe. José para oportunizar o Sacramento da Reconciliação. Palma. Os que estão nas casas de formação e os in-
Marins e Ir. Antônio Cechim). Já temos O tema da Campanha da Fraternidade e a 3ª Etapa teressados em ingressar futuramente para uma troca
data para a 11ª Edição deste Curso das Missões Populares fazem parte da pregação de experiências e expectativas com relação às opções
(7a10 de janeiro de 2010). penitencial. vocacionais.
Pe. Ireneu Stertz Hermes Bertoldo – correspondente
13
Paróquias
Nossa Senhora Nossa Senhora
do Rosário de Fátima
Santa Maria Santa Maria
Por solicitação da Paróquia Nossa Senhora de Fátima de Santa Maria,
Festa de Santo Antão
a Equipe dos Freis Missionários Capuchinhos da Província do Rio
Grande do Sul aceitou o convite para realizar as Missões Capuchinhas
nas 24 comunidades que formam a Paróquia.

Quem são os Objetivos da Missão Popular


Freis Capuchinhos?
A missão popular capuchinha tem como
Somos uma Ordem fundada por São objetivo colaborar com as comunidades
Francisco de Assis e nossas raízes se encon- em sua caminhada no processo de sal-
tram em Sabóia na França, donde vieram, vação, incentivando e fortalecendo tudo
em 1896. o que já existe de bom, abrindo novas
Os primeiros frades aqui chegados perspectivas para a vida comunitária, de
trabalharam basicamente em três frentes: conformidade com os tempos e lugares,
paróquias, missões populares e Meios de levando em consideração o plano pastoral
Comunicação Social (MCS). da diocese e da paróquia. Os párocos e as
Precedida da descida do Santo, e do Olhando a história da nossa província, lideranças das comunidades também têm
tríduo, aconteceu a festa de Santo Antão as missões populares tem sido uma cons- seus objetivos ao solicitarem as missões.
de número l61. Uma grande multidão de tante preocupação. Para nós, Frades Capu- Estes serão sempre levados em conta pelos
devotos compareceu e participou da parte chinhos, é um serviço pastoral franciscano: missionários.
religiosa, missa com pregação de Dom Hélio, simples, humilde, fraterno e eclesial de
bispo diocesano, procissão e muitas bênçãos evangelização prestado às paróquias e Nosso Jeito de trabalhar
durante o dia. Na parte social, a comunidade comunidades que o solicitam. Por isso
com o coordenador Alfeu Borim e membros o missionário é um simples colaborador A Missão Capuchinha tem como
do conselho, não mediram esforços para servir ocasional e temporário na evangelização acentuação maior a pastoral de massa.
a todos com bom almoço e boa programação das comunidades, segundo os objetivos Desperta, convoca, mobiliza, anima e
festiva. Parabéns. destas. entusiasma a massa popular. Não exclui
Vivemos em novos tempos com novas a pastoral de base e nem a ela se opõe.
mentalidades numa sociedade pluralista Pelo contrário, a supõe, exige e reforça.
Início do ano pastoral com a reunião do onde está presente o ateu, o indiferente, Destina-se à comunidade como um todo
Conselho pastoral paroquial na paróquia. o praticante ocasional, o cristão convicto e não a classes, movimentos, pastorais ou
Participaram todas as lideranças, dentro e comprometido, movimentos religiosos instituições sociais. Estes devem ser mo-
da dinâmica das Santas Missões Populares. autônomos. Diante de toda essa realidade tivados a se integrarem na programação
Estamos muito animados e acreditamos que heterogênea (pluralismo cultural e religio- missionária da comunidade.
tudo vai concorrer para a animação da vida so) e diante da relativização de valores A Paróquia Nossa Senhora de Fátima
da comunidade, para sermos discípulos mis- outrora intocáveis, a tônica e imperativo está em fase de organização das missões.
sionários. Que Deus abençoe a todos. das missões populares são a EVANGELI- A partir do mês de maio de 2009 iniciará a
ZAÇÃO. preparação para as missões com a presença
Pároco regressa das férias junto a seus A Igreja solicita que toda pastoral mis- de dois missionários que vão dar as primeiras
familiares. Pe Dotto já em pleno vapor sionária popular deve primar pela evange- orientações. A organização é tão importante
reassumiu as atividades pastorais junto à lização. O Papa João Paulo II nos convocou quanto a missão propriamente dita. Busque
paróquia. Seja bem vindo! para uma “nova evangelização” quanto ao informar-se junto a Paróquia, faça parte
método, ao vigor e as expressões. dessa caminhada e boa missão!

Maria de Fátima G. dos Santos


- Secretária da Paróquia Freis Missionários Capuchinhos Província do Rio Grande do Sul.
14
Paróquias
Dízimo
O que é a Pastoral
São Caetano
Boca do Monte
do Dízimo?
Peregrinação à Terra Santa
pois não há como medi-la. É o
único lugar do mundo onde o
ser humano não afunda.

1. Nossa viagem foi planeja- 6. Cafarnaum: Jesus nasceu


Pe. Jair de Bairros Gomes* da para o período de 19 a 31 em Belém, morou quando
de outubro de 2008, incluindo criança em Nazaré, e escolheu
É o processo pelo qual, graças a uma Israel e Roma. viver em Cafarnaum porque era
catequese sistemática sobre a impor- um cruzamento de caminho
tância da oferta durante as celebrações muito importante. Desta forma, 11. The Sanctuary of the
eucarísticas, e o compromisso mensal os seus ensinamentos seriam Dominus Flevit ( O senhor
com Deus e a comunidade pelo dízimo, levados a todas as partes. chorou). Visto do alto a cúpula
se cria o compromisso de cada pessoa tem formato de gota, pois dizem
entregar, como reconhecimento e grati- que Jesus chorou ao olhar para
dão pelos benefícios recebidos, parte de Jerusalém: “Ai de ti, Jerusalém”.
seus bens, seu tempo e dons, colocados a E, realmente, no ano 70 d.C
serviço da Igreja, tornando-nos partícipes 2. No vale do Armazedon ou houve a revolta e Jerusalém foi
de sua missão de evangelizar. Apocalipse surge o Monte Tabor destruída.
Dízimo deve ser entendido, em ter- com 338 metros de altitude. É
mos bíblicos, como parte de toda renda também chamado de monte da
recebida por uma pessoa e entregue Aparição, pois nesse local Jesus 7. Esta igreja foi construída
resplandeceu e apareceu a Elias sobre as ruínas da casa de Pedro.
na comunidade de que participa, onde
e Moisés, na presença de Pedro, O Pe. Corvo encontrou restos
celebra sua fé (Deut. 12,11-14; 14,28). Tiago e João. de uma rede de pesca no local.
Costuma-se, por força da origem da pa- Situa-se entre a Sinagoga e o
lavra dízimo, estabelecer como norma Mar da Galileia.
10% dos ganhos. Mas a Igreja, consciente
da situação da maioria de nosso povo, 12. Jardim das Oliveiras é
privado muitas vezes de poder satisfazer a única árvore que pode ser
as necessidades básicas, estabelece que gigante, mas oca, por possuir
cada um contribua, de forma consciente pouca madeira. Existem oliveiras
e livre, conforme o seu coração, como com mais de 2000 anos que
diz São Paulo na segunda carta aos Co- 3. O Rio Jordão é fronteira ainda dão frutos. Foram aqui
ríntios 9,7. entre Israel e Jordânia. Região os últimos momentos da vida
Para isto é necessário formar bem militar. Nesse rio, Jesus foi bati- 8. O Mar da Galileia fica a de Jesus.
os corações das pessoas, ajudando-as zado por João Batista. 210m abaixo do nível do mar.
a darem conforme o coração, mas um Passeamos de barco nesse local.
coração generoso, aberto, consciente e Aqui, Jesus realizou os seguintes
agradecido. Este trabalho deve ser feito milagres: pesca milagrosa, acal-
pela equipe da Pastoral do Dízimo, cons- mou a tempestade e caminhou
cientizando cada pessoa e, ao mesmo sobre as águas.
tempo, prestando-lhe as devidas contas,
mostrando com transparência a aplicação
dos recursos nas dimensões Religiosa,
Social e Missionária da Paróquia. 4. O Rio Jordão é pequeno e
único em Israel. O Mar da Gali-
Objetivo principal leia é considerado a barriga do
Rio Jordão e única fonte de água
Fortalecer a identificação e o compro-
potável no país. A água é vida ou 13. Parque Nacional da Mas-
misso cristão dos leigos, convidando-os a morte, guerra ou paz. 9. Deslocamo-nos de ônibus sada: nos anos 60 d.C, judeus e
uma maior participação na vida da Igreja. durante uma hora e meia, de romanos entraram em guerra.
Fazer com que a paróquia, através da Tibiríades até o Mar Morto pelo Depois de 3 anos de luta e
catequese permanente sobre a genero- deserto. na iminência da vitória grega,
sidade, leve cada pessoa a descobrir que Elíazar sugeriu que todos se
o desprendimento de parte dos bens é suicidassem para não serem
elemento essencial da vida cristã, que seu escravizados. Entretanto esta
dízimo a leva a participar concretamente proposta não foi aceita, pois
na missão da Igreja. para os judeus o suicídio é a pior
A catequese deve conscientizar cada coisa que pode acontecer. En-
pessoa de que os bens que temos, foi de 5. Quando Jesus soube da tão, ele pediu para cada homem
Deus que os recebemos. Entregar parte decapitação do seu primo João matar seus familiares, cortando
desses bens a Deus, através da comuni- Batista, saiu para o deserto, 10. O Mar Morto fica a 417m a jugular e, desses, um seria
dade, é caminhar na alegria, na liberdade porém cinco mil homens foram abaixo do nível do mar, é a sorteado para matar os outros e
e na graça de Deus. persegui-Lo. Não tinha o que parte mais profunda da terra. depois se suicidar. Apenas uma
comer. Havia ali uma criança É também a maior reserva de mulher e duas crianças ficaram
com 5 pães e 2 peixes, represen- minerais do mundo, sendo com- escondidas e se entregaram aos
* Coordenação da Pastoral do Dizimo tando que o número 7 significa posto por 34% de minerais. Sua romanos para contar a história.
Paróquia Mãe de Deus - pjairbairros@hotmail.com monoteísmo. profundidade é desconhecida, Remi Pivetta
15

Roteiros Pe. Ruben Natal Dotto

CF 2009 – ENCONTROS DOS GRUPOS DE FAMÍLIAS


LEMA: “A PAZ É FRUTO DA JUSTIÇA”
TEMA: “FRATERNIDADE E SEGURANÇA PÚBLICA”
Estamos em clima de Santas Missões Po- ORAÇÃO FINAL PARA fatores. Esta legítima preocupação deve
pulares em nossa Diocese de Santa Maria. TODOS OS ENCONTROS nos levar a uma reflexão sobre a questão,
Com toda a Igreja vamos preparar a Páscoa, buscando identificar suas dimensões e suas
vivendo uma quaresma frutuosa. Que a pe- Animador(a):Agradeçamos a Deus por causas.
nitência, a oração, a vida em fraternidade se- esse nosso encontro, pois o Senhor, nosso Animador(a) – A pessoa se sente segura
jam as marcas deste tempo e que realmente Deus, cuida de nós com amor de Pai. Con- quando tem garantida a ausência de riscos
nos renovem. A maneira de concretizarmos fiantes renovemos nosso carinho filial: e de perigos para si e para os seus. Cabe ao
esta dinâmica quaresmal é assumirmos a Todos - Pai nosso... Estado, em primeiro lugar, oferecer condições
campanha da Fraternidade, que a CNBB nos Animador(a): Maria, a Rainha da Paz, de segurança pública aos cidadãos, usando os
propõe. Para os nossos encontros, buscamos acompanha nossa vida. No seu colo de Mãe meios e recursos de que dispõe para isso.
o material no manual da CF da CNBB. São coloquemos nossa segurança: Todos - Mas todos precisam zelar mais e
dois encontros para os grupos, uma celebra- Todos - Ave Maria ... melhor pela segurança pessoal e a dos outros.
ção pela Paz, e para as demais semanas, a Animador(a): Irmãos e irmãs, cremos de
Via-Sacra como preparação para as confis- verdade no Deus da vida que professamos III – CONVERSANDO COM A BÍBLIA
sões. Pode ser feita em cada grupo ou mesmo como Santíssima Trindade. Ela é a melhor Animador(a): A Palavra de Deus que
com todos os grupos juntos. Desde já, santa comunidade, infinitamente generosa de si: iremos ouvir agora, mostra-nos que nos
e abençoada quaresma e uma feliz Páscoa. Deus Pai, fonte de toda vida; Deus Filho, momentos de dificuldade podemos recorrer
Pe. Ruben Natal Dotto nosso irmão; Deus Espírito Santo, animador a Cristo e dele recebermos força e segurança
da caminhada! para superar os obstáculos da vida.
ACOLHIDA E ORAÇÃO INICIAL Todos - Glória ao Pai... CANTO: “Pela Palavra de Deus, sabere-
(para todos os encontros) Animador(a): O Senhor nos abençoe e mos por onde andar. Ela é luz e verdade,
nos guarde. Que nos mostre sua face e se precisamos acreditar...”
Animador(a): Em clima de Santas Mis- compadeça de nós. Que volte seu rosto para Leitor(a) 2 – Leitura do Evangelho de Je-
sões Populares, sejam bem-vindos! Nos nós e nos dê a segurança de sua paz. sus Cristo segundo São Mateus (11, 25-30).
encontramos neste tempo da quaresma para Todos - Em nome do Pai, do Filho e do (momento de silêncio e reflexão pessoal)
refletir sobre a Campanha da Fraternidade Espírito Santo. Amém. Todos - Senhor, ajudai-nos a ser sinais de
que, neste ano, traz o tema: “Fraternidade e (Todos se cumprimentam enquanto se can- fortaleza e segurança para todos!
Segurança Pública” e o Lema: “A paz é fruto ta o Hino da Campanha da Fraternidade).
da justiça”. Rezemos para que, vivendo com REFLEXÃO
maior segurança, vejamos nosso sonho de Animador(a): A Campanha da Frater-
paz se concretizar. Iniciando nosso encontro,
invoquemos o Deus da paz:
1º ENCONTRO nidade vem nos alertar, também, para a
necessidade de valorizarmos nossa vida
Todos - (cantando) Em nome do Pai... POR UMA VIDA comunitária. Estamos inseridos em uma
Animador(a): Iniciemos rezando a oração MAIS SEGURA realidade com dimensões: social, política,
da CF 2009. cultural, econômica e religiosa.
I – ACOLHIDA E ORAÇÃO INICIAL (ver Todos - Estamos todos num mesmo mun-
Todos: no início) do inseguro.
Bom é louvar-vos, Senhor, nosso Deus,/ Leitor(a) 1 – Nós não estamos sós. Faze-
que nos abrigais à sombra de vossas asas, II – CONVERSANDO COM A VIDA mos parte de uma sociedade que tem uma
defendeis e protegeis a todos nós, vossa Animador(a): Viver com segurança é uma organização própria, mas que também tem
família,/ como uma mãe, que cuida e guarda das aspirações fundamentais do ser huma- seus problemas.
seus filhos. no. Durante nove meses, o útero materno Todos - A participação faz uma grande di-
Nesse tempo em que nos chamais à garantiu ao bebê segurança e proteção. Não ferença e nos ajuda a livrar da insegurança.
conversão,/ à esmola, ao jejum, à oração e muito raro, ao vir ao mundo, esse ser inde- Leitor(a) 2 – Esse nosso grupo, por exem-
à penitência, feso e totalmente dependente, depara-se plo, se constitui num instrumento muito
pedimos perdão pela violência e pelo com uma realidade assustadora. Aquela paz valioso, pois favorece a reflexão e a partilha
ódio/ que geram medo e insegurança. e tranquilidade de antes já não existe mais. A das nossas experiências, e nos ajuda a en-
Senhor, que a vossa graça venha até nós/ violência e a agressividade tornam as pessoas contrar formas de tornar melhor a nossa vida
e transforme nosso coração. inseguras para o resto da vida! em sociedade.
Abençoai a vossa Igreja e o vosso povo,/ Leitor(a) 1 – Além dessa insegurança psi- Todos – Para juntos crescermos em se-
para que a Campanha da Fraternidade cológica, existe ainda a insegurança causada gurança!
seja um forte instrumento de conversão. pela realidade social em que vivemos. Há Animador(a): Ninguém pode querer re-
/Sejam criadas as condições necessárias uma expressão que está sendo cada vez mais solver os problemas do mundo sozinho. Nem
para que todos vivamos em segurança,/ na usada entre nós: “Nos dias de hoje, ninguém Jesus conseguiu fazer isso. Aliás, ele preferiu
paz e na justiça que desejais. Amém mais está seguro”. Infelizmente, essa é uma formar o grupo dos Apóstolos, para que eles
grande e lamentável verdade. levassem adiante o projeto do Reino que
Leitor(a) 2 – Todos estão preocupados consiste, fundamentalmente, numa vida com
CANTO com a falta de segurança pública que se mais segurança, justiça e paz para todos.
Todos – “Nosso encontro será abençoado, manifesta concretamente na violência, no Todos – Com Deus e com os irmãos po-
pois o Senhor vai derramar o seu amor. trânsito, nos cárceres, no tráfico de drogas, demos enfrentar e vencer a insegurança!
Derrama, ó Senhor, derrama, ó Senhor, de armas e de pessoas, desigualdades sociais,
derrama sobre nós o teu amor”. fome, miséria, corrupção e muitos outros
16

Roteiros
PARTILHA CANTO coragem pela superação da violência através
Animador(a) – Que este momento de Leitor(a) 2 – Leitura do Evangelho de da implementação de políticas públicas de
partilha faça crescer nossa comunhão fra- Jesus Cristo segundo São João (14, 27-29). segurança, que nos garantam uma convivên-
terna e nos ajude a lutar em favor de um Todos: Senhor, dá-nos a paz! Não a paz cia pacífica e harmoniosa. Como podemos
mundo mais justo. do mundo, mas a vossa paz! fazer isso em nossa comunidade?
1. O que é necessário para se viver com Combinar os encontros com a Via-Sacra.
mais segurança? REFLEXÃO Não esquecer a coleta dos envelopes no
2. Em sua opinião, o que mais gera inse- Animador(a) – A Igreja é a continuadora domingo de Ramos.
gurança nas pessoas nos dias de hoje? da missão de Cristo. Isso quer dizer que ORAÇÃO FINAL - no início.
3. Como a insegurança se reflete em todos são conduzidos pelo Espírito Santo
nossas famílias e comunidade? e enviados a evangelizar, tornando-se os
pregadores e construtores da paz. A paz é CELEBRAÇÃO DA PAZ
CANTO: O Hino da Paz (ver no final) fruto do amor, expressão da real fraternidade
entre as pessoas humanas. Onde a paz social TODOS OS GRUPOS JUNTOS
IV – O QUE FAZER? COMPROMISSO não existe, onde há injustiças, desigualdades “TRANSFORMAI ESPADAS EM ARADOS”
Animador(a): A CF tem um gesto concre- sociais, políticas, econômicas e culturais,
to: a coleta do domingo de Ramos. Quem rejeita-se o Senhor e o seu dom da paz.. Acolhida (espontânea).
vai providenciar os envelopes? Leitor(a) 1 – Todos devem colaborar na Animador(a) – Sejam todos bem-vindos.
ORAÇÃO FINAL - no início. criação e construção de uma ordem justa, sem Vamos acolher no coração o convite de
a qual a paz é ilusória. Isso só é possível a partir Deus para que haja transformação em nossa
da formação da consciência para os valores vida: De espadas, façamos arados, para que
que fundamentam a paz como a responsa- da justiça frutifique a paz. Iniciemos nossa
2º ENCONTRO bilidade, a solidariedade e a dimensão social
da própria fé, que leva à luta pela superação
celebração cantando:
Todos: Em nome do Pai...
POR UMA CULTURA DE PAZ das causas da perda da paz social. Assim, to-
dos poderão construir uma nova ordem que SÚPLICAS
assegure a paz para todas as pessoas. Animador(a) – A Campanha da Frater-
I – ACOLHIDA, ORAÇÃO E CANTO Leitor(a) 2 – É no seio da família que o nidade nos guia para um aprofundamento
- Ver no início. ser humano aprende a ser “verdadeiramen- especial a respeito da segurança pública no
te humano”. A experiência do perdão, da Brasil. Sentimos que precisamos de muita
II – CONVERSANDO COM A VIDA partilha, da correção, das alegrias e tristezas conversão e, diante dessa necessidade,
Animador(a): A paz, mais do que um vividas em família forma o ambiente privi- apresentemo-nos diante de Deus para pedir
discurso ou um conjunto de propostas, legiado e insubstituível para desenvolver a perdão.
deve constituir-se numa mentalidade que paz. As relações familiares, embora muitas Leitor(a) 1 – Senhor, pedimos perdão por
determine o modo de pensar e de agir de vezes não sem dificuldades, devem con- todas as vezes que caímos na tentação de
todas as pessoas, ou seja, deve ser expressão tribuir eficazmente para o aprendizado da deixar de lado a grave situação de insegu-
de uma cultura. Essa responsabilidade é superação de problemas e conflitos, e o rança que toma conta do nosso mundo e só
colocada à frente de todos pela Campanha desenvolvimento de uma mentalidade em cuidamos de livrar a nossa pele e da nossa
da Fraternidade deste ano. Criar um mundo favor da paz. família. Por isso, suplicamos: Senhor, tende
de paz é tarefa de todos. Animador(a) – Um dos critérios funda- piedade de nós!
Todos: Não basta desejar; é preciso cons- mentais para a construção da paz é a não- Todos: Senhor, tende piedade de nós!
truir um movimento de solidariedade! violência, mas esta não pode ser entendida Leitor(a) 2 – Cristo, pedimos perdão por-
Leitor (a) 1 – Vendo a realidade que nos como omissão ou não ação. Não violência que às vezes nos entregamos nas tentações.
cerca, onde a injustiça parece triunfar e o não significa passividade diante das agres- Quando isso acontece, fechamos nosso
mal quer suplantar o bem, querer a paz sões ou injustiças sofridas. Significa não coração à sua presença que dá segurança
parece um sonho impossível. Mas o cristão pagar com a mesma moeda, mas agir a partir em nossa caminhada para chegar à Ressur-
não perde a esperança, pois ela se alicerça de outros critérios como recusa na partici- reição. Por isso, suplicamos: Cristo, tende
na Palavra de Jesus: “Eu vos deixo a paz, eu pação social, desobediência cívica, greves piedade de nós!
vos dou a minha paz”! pacíficas, passeatas e protestos pacíficos. Todos: Cristo, tende piedade de nós!
Leitor(a) 2 – Precisamos aprender a não Todos – Para quebrar a cultura da guerra, Leitor(a) 3 – Senhor, pedimos perdão por
compactuar com situações que promovem abracemos a não-violência! tudo que fizemos contra a justiça que gera
a violência. Os crimes contra a ética, a a paz e a fraternidade em nossa sociedade;
economia e as gestões públicas não são vio- PARTILHA por nossas omissões, palavras e gestos contra
lentos em si, mas causam os demais crimes Animador(a) – Um sonho sonhado em a paz. Por isso, suplicamos: Senhor, tende
violentos. Esse tipo de crime, em geral, é conjunto acaba tornando-se realidade. piedade de nós!
mais tolerado por toda a sociedade do que Partilhemos nossos sonhos. Todos: Senhor, tende piedade de nós!
os demais crimes. A sociedade age assim 1. Você entendeu o que é uma cultura Animador(a) – Que o Reino de Deus co-
porque não é capaz de perceber a gravidade de paz? mece com o nosso combate ao demoníaco
deste tipo de crime e das consequências que 2. O que podemos fazer para promovê-la e com a presença do Ressuscitado em nossa
gera. A denúncia é uma arma poderosa que na realidade em que nos encontramos? vida. Que ele transforme nosso coração para
temos em nossas mãos para desmascarar 3. Qual o papel da família e da escola na viver a justiça.
essa realidade. construção de uma cultura de paz? Todos – (cantando) “Lutar e crer, vencer
Todos: A esperança cristã é o que nos a dor/ Louvar ao Criador/ Justiça e paz hão
motiva na luta por uma cultura de paz! CANTO – Hino da Paz, ver no final. de reinar/ E viva o amor!”

LOUVAÇÃO AO DEUS DA PAZ


III – CONVERSANDO COM A BÍBLIA IV – O QUE FAZER? COMPROMISSO? Animador(a) – Louvemos o Deus da Paz
Animador(a): Jesus aponta o caminho da Animador(a) – Ao encerrarmos nossa ca- verdadeira. Ele nos dá a segurança e a paz,
caridade, do amor fraterno, do perdão, da minhada para a Páscoa com estes encontros que é fruto da justiça e nasce da fraternida-
solidariedade, do resgate do pecador e da da Campanha da Fraternidade, nosso com- de. A ele, nosso louvor, agora e pelos dias
reintegração dos excluídos. promisso só pode ser o de lutar com mais sem fim.
17

Roteiros
Leitor(a) 1 – Louvem o Senhor pelo segurança de viver em paz! Mas, para isso, é necessário que tenhamos
universo; louvem a ele no seu poderoso Animador(a) – Somos discípulos mis- coragem de lutar pela paz. Dai-nos a vossa
firmamento! Louvem o Senhor por suas sionários de Jesus Cristo para implantar o paz!
maravilhas; louvem a ele por sua imensa Reino da Vida. Vamos juntos refletir sobre Todos – Livrai-nos da omissão e do
bondade! nossa missão para construir uma sociedade comodismo; da corrupção e da falsa espi-
Todos – (cantando) Por nós fez maravi- mais segura. ritualidade!
lhas, louvemos o Senhor. 1. Somos verdadeiramente pessoas pa- Animador(a) – Confiantes em vosso
Leitor(a) 2 – Louvem o Senhor com músi- cíficas, dispostas a anunciar a paz e viver amor, queremos viver na justiça para acolher
ca; louvem a ele com alegria e festa! Louvem com amor? vosso Reino de Vida:
o Senhor com dança e ritmos; louvem a ele 2. O que podemos fazer para exigir mais Todos – Pai nosso...
com poesia e arte! segurança para nossa comunidade? Animador(a) – Maria é a mulher pacífica
Todos – (cantando) Por nós fez maravi- 3. Que ação política falta em nossa comu- e pacificadora, pois sua vida está segura nas
lhas, louvemos o Senhor. nidade para que haja mais segurança? mãos do Pai! Que a mãe de Jesus e nossa
Leitor(a) 3 – Louvem o Senhor com a CANTO – “ O Reino de Deus chegou...” mãe seja nossa perpétua segurança pelas
tecnologia; louvem a ele com nossa inte- (ou outro). estradas da vida.
ligência! Tudo o que somos, tudo o que Todos – Ave Maria...
temos, louvem o Senhor, nosso Deus! ORAÇÃO PELA PAZ COMPROMETIDA
Todos – (cantando) Por nós fez maravi- Animador – Senhor Deus, nosso Pai, COMPROMISSO DE PAZ
lhas, louvemos o Senhor. olhai por nós, vossos filhos e filhas! Dai-nos Animador(a) – É preciso que façamos um
a verdadeira segurança que só encontra- gesto concreto para ajudar nossa conversão
PALAVRA DE DEUS mos em vossas mãos. Em vós está nossa pessoal e comunitária. O que podemos
Animador(a) – A falta de segurança em segurança, pois nos destes Jesus, o Príncipe assumir e fazer como compromisso de paz
nossa sociedade é produzida por causa da da Paz! de nossa comunidade? (o grupo decidirá o
injustiça e da falta de políticas públicas. Mas Leitor(a) 1 – Senhor, que compreenda- que fazer de gesto concreto para finalizar a
a Palavra de Deus é a grande orientação para mos a partir de vossa Palavra nossa missão Campanha)
nossa vida! Ela nos dá a segurança compro- de paz: cristãos comprometidos com a
metida de quem busca o Reino de Deus. conversão pessoal para viver o amor e a BÊNÇÃO E RITO DA PAZ
Acolhamos a Santa Palavra cantando: fraternidade! Animador(a) – A Paz de Deus nos co-
CANTO – “É como a chuva que lava, é Todos – Senhor, vós sois nossa segurança; rações das pessoas: segurança pública em
como o fogo que queima. Vossa Palavra é em vós, paz e salvação! uma sociedade justa e fraterna! A Paz de
assim, não passa por mim sem deixar um Leitor(a) 2 – Senhor, que saibamos lutar Deus em nossas famílias e por todo o nosso
sinal”. por políticas públicas para construir uma país: paz que luta pelo Reino; paz a serviço
Leitor(a) 1 – Leitura do Evangelho de sociedade mais justa: vida digna para que da vida; paz pela qual morreu e ressuscitou
Jesus Cristo segundo São Lucas (10, 1-11). todos possam viver em paz e harmonia! Jesus Cristo, nossa paz!
Todos – Senhor, queremos ser construto- Todos – Senhor, vós sois nossa segurança; Todos – Oração da CF-2009 ( no início).
res da paz e anunciadores de vosso Reino! em vós, paz e salvação! Animador(a) – Que o Deus da paz nos
Leitor(a) 3 – Senhor, que todos os respon- abençoe e nos guarde em seu amor! Que o
PARTILHA sáveis pela segurança pública vivam com- nome bendito de Deus nos anime a trans-
Animador(a) – Irmãos e irmãs, o tema prometidos com a paz: corações pacíficos formar a sociedade, a partir da conversão
da Campanha da Fraternidade deste ano, e pessoas irmanadas; políticos desafiados e do nosso coração. E que o Senhor, nosso
Fraternidade e Segurança Pública, toca cobrados pelo povo; policiais bem assala- Deus, nos anime numa vida abençoada para
profundamente nossa vida. Mas é necessário riados e responsáveis com a vida! transformar nossas armas em arados.
que todos saibam: a Paz é fruto da justiça! A Todos – Senhor, vós sois nossa segurança; Todos – Em nome do Pai, do Filho e do
Palavra de Deus nos chama à conversão! em vós, paz e salvação! Espírito Santo.
Todos – Senhor, queremos construir Animador(a) – Senhor, Pai de bondade, Canto (finalizar o encontro com o abraço
uma sociedade justa, onde todos tenham a vos pedimos segurança em nossa vida. da paz).

via - sacra
Acolhida (espontânea) Eu venho a ti, sou tua força e teu alento./ (Jó 8, 14)/De quem confia só nas armas,
Animador(a) – Nesta Via-Sacra, queremos, Vou te mostrar caminho novo para a paz. no poder.
com Jesus, percorrer o caminho do Calvário, Onde pões tua confiança?/ Segurança, Não é violência, não são grades ou vingan-
caminho no qual Ele continua sendo condena- quem te traz? ça/Que irão fazer paz e justiça florescer.
do à morte, através da violência, da injustiça e É o amor que tudo alcança;/ Só a justiça 6. Eu desposei-te no direito e na justiça/
da falta de segurança pública. Que a graça de gera a paz! Com grande amor e com ternura te escolhi.
Deus nos acompanhe durante toda esta Qua- 2. Quando o direito habitar a tua casa,/ (Os 2,18)
resma no caminho da vida e da ressurreição. Quando a justiça se sentar à tua mesa, Como aceitar o desrespeito, a injustiça,/ A
Todos – Em nome do Pai... A segurança há de brincar em tuas pra- intolerância e o desamor que vêm de ti?!
Animador(a) – Acolhamos a Santa Cruz! O ças;/Enfim, a paz demonstrará sua beleza.
Brasil pede perdão pelas mortes e agressões. 3. A segurança é vida plena para todos:/
Diante da Cruz de Jesus, nos comprometemos Trabalho digno, moradia, educação; Primeira Estação:
em lutar por mais segurança pública, mais É ter saúde e os direitos respeitados;/É
justiça e vida plena para todos. construir fraternidade, é ser irmão. JESUS É CONDENADO À MORTE
4. É vão punir sem superar desigualda-
CANTO: HINO DA CF 2009 des;/É ilusão só exigir sem antes dar. Animador(a) - Nós vos adoramos, Se-
1. Ó povo meu, chegou a mim o teu Só na justiça encontrarás tranquilidade;/ nhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
lamento,/ Conheço o medo e a insegurança Não-violência é jeito novo de lutar. Todos – Porque, pela vossa Santa Cruz,
em que estás. 5. É como teia de aranha, a segurança remistes o mundo!
18

Roteiros
Animador(a) – “Pilatos perguntou: ‘Que diferentes tipos, entre outros. to a você, uma espada há de atravessar-lhe a
farei com Jesus, que é chamado Cristo?’. Todos – Senhor, vos pedimos por todos alma. Assim serão revelados os pensamentos
Todos gritaram: ‘Seja crucificado’. Pilatos aqueles que sofrem por causa da violência. de muitos corações” (Lc 2, 34-35).
falou: ‘Mas que mal ele fez?’. Eles, porém, Ave Maria... Leitor(a) 1 – Maria Santíssima chorou a
gritaram com mais força: ‘Seja crucificado!’. dor de seu Filho. Hoje muitas mães sofrem
Pilatos viu que nada conseguia e que pode- CANTO e choram a perda e o desaparecimento de
ria haver uma revolta. Então mandou trazer Todos – Com a cruz é carregado/ Vai seus filhos. Em nossa sociedade, sempre é
água, lavou as mãos diante da multidão, e sofrendo resignado,/ Vai morrer por teu o pobre que mais sofre. Como ele não tem
disse: ‘Eu não sou responsável pelo sangue amor. (bis). poder aquisitivo, não tem direito a nenhum
deste homem! A responsabilidade é vossa!’. Ó Senhor, Caminho e Vida, /o Brasil pede tipo de privilégios, fica desprovido de recur-
O Povo todo respondeu: ‘Que o sangue dele perdão, /pelas mortes e agressões.(bis) sos essenciais.
recaia sobre nós e sobre nossos filhos.’ En- Leitor(a) 2 – Assim, quem desviou verbas
tão Pilatos soltou Barrabás, mandou açoitar públicas escandalosamente, tem oportuni-
Jesus e entregou-o para ser crucificado” (Mt Terceira Estação: dade de se defender e recorrer a várias ins-
27, 22-26). tâncias, do judiciário para se defender. Isso
Leitor(a) 1 – O nosso país é marcado por JESUS CAI PELA sem contar as imunidades. Enquanto que a
grandes escândalos. Corrupção, tráfico de PRIMEIRA VEZ pessoa que rouba, mesmo um chocolate,
influências, desvios de verbas, entre outros, pode ficar na cadeia um longo tempo para
estão sempre presentes no nosso noticiário. Animador(a) - Nós vos adoramos, Se- ser punida “de forma exemplar”.
São crimes que trazem trágicas consequên- nhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. Todos – Senhor, ouvi o grito e o lamento
cias para a nossa sociedade, como fome, de- Todos – Porque, pela vossa Santa Cruz, de todas as mães do nosso Brasil que pro-
semprego, doenças, analfabetismo, recessão remistes o mundo! curam dar a seus filhos condições de uma
da economia e outros malefícios. Animador(a) – “Vejam! Tão desfigurado vida digna. Ave Maria...
Leitor(a) 2 – No entanto, dificilmente estava que já não parecia mais gente, ti-
alguém é condenado pela prática de tais cri- nha perdido toda a sua aparência humana. CANTO
mes. O pobre é quase sempre preso, mas as As nações numerosas levaram um susto. Todos – Vê a dor da Mãe amada/Que
pessoas que pertencem às altas rodas do cri- Diante dele os reis vão fechar a boca” (Is se encontra desolada,/com seu Filho em
me, estão apenas respondendo processos e 52, 14-15). aflição. (bis)
recorrendo às instâncias diversas do sistema Leitor(a) 1 – Uma sociedade que se Ó Senhor, Caminho e Vida, /o Brasil pede
judiciário, e muitas vezes até conseguindo fundamenta apenas em critérios econômi- perdão, /pelas mortes e agressões. (bis)
da opinião pública a aprovação de seus atos, cos acaba por se tornar uma sociedade de
com a expressão: “esse rouba mas faz!” privilégios, garantidos pelo poder aquisitivo.
Todos – Senhor, tende piedade de nós. Assim, todos têm direito à saúde, porém Quinta Estação:
Pai Nosso... alguns têm direito à clinicas especiais e hos-
pitais de primeiro mundo, enquanto outros O CIRENEU AJUDA JESUS
CANTO não têm nada por causa da precariedade A CARREGAR A CRUZ
Todos – A morrer crucificado, teu Jesus da saúde pública.
é condenado, por teus crimes, pecador! Leitor(a) 2 – O mesmo acontece em rela- Animador(a) - Nós vos adoramos, Se-
(bis) ção à justiça pois, embora todos sejam iguais nhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
Ó Senhor, Caminho e Vida, o Brasil pede perante a Lei, alguns têm foro privilegiado, Todos – Porque, pela vossa Santa Cruz,
perdão, pelas mortes e agressões. (bis) como militares, deputados, senadores, presi- remistes o mundo!
dente e ministros de Estado. Esse tratamento Animador(a) – “Enquanto levavam Jesus
diferente, embora em muitos casos seja ne- para ser crucificado, pegaram certo Simão,
Segunda Estação: cessário e legítimo, também pode tornar-se da cidade de Cireneu que voltava do cam-
um meio para burlar a justiça, e garantir a po, e o forçaram a carregar a cruz atrás de
JESUS CARREGA A CRUZ impunidade diante de determinados tipos Jesus. Uma grande multidão do povo seguia”
de crimes. (Lc 23, 26).
Animador(a) - Nós vos adoramos, Se- Todos – Senhor, tende piedade de nós. Leitor(a) 1 – Nesta estação, recordamos
nhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. Pai Nosso... os homens e as mulheres que assumem as
Todos – Porque, pela vossa Santa Cruz, atitudes de Cireneu e se colocam ao lado
remistes o mundo! CANTO dos que sofrem, dos excluídos e dos margi-
Animador(a) – “Pilatos, então lhes entre- Todos – Sob o peso desmedido,/ Cai Jesus nalizados. Diversas entidades e organizações
gou Jesus para ser crucificado. Eles tomaram desfalecido,/ Pela tua salvação. (bis) sociais têm-se preocupado com a questão da
conta de Jesus. Carregando a sua cruz, ele Ó Senhor, Caminho e Vida, /o Brasil pede prevenção da violência e da solidariedade
saiu para o lugar chamado Calvário (em perdão, /pelas mortes e agressões.(bis) com suas vítimas.
hebraico: Gólgota). Lá, eles o crucificaram Leitor(a) 2 – Outros grupos trabalham
com outros dois, um de cada lado, ficando basicamente através da solidariedade com as
Jesus no meio.” (Jo 19, 16-18). Quarta Estação: vítimas da violência. Em nossa comunidade,
Leitor(a) 1 – Assim como Jesus, hoje mui- quem são os Cireneus?
tos são condenados a morrer. A sociedade JESUS SE ENCONTRA Todos – Senhor, fazei com que, no meio
em que vivemos não tem como fundamento COM SUA MÃE das aflições deste mundo sejamos Cireneus nos
principal a pessoa humana. A busca do lucro entregando mais ao serviço solidário junto aos
a qualquer custo se faz presente diante de Animador(a) - Nós vos adoramos, Se- irmãos e irmãs desanimados. Pai Nosso...
todas as situações, como uma grande força nhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
devoradora que submete tudo a si. Todos – Porque, pela vossa Santa Cruz, CANTO
Leitor(a) 2 - O medo tornou-se hoje, remistes o mundo! Todos – No caminho do Calvário/
também, uma fonte de lucro. Criou-se uma Animador(a) – “Simeão disse a Maria, Um auxílio necessário,/ não lhe nega o
falsa ideia de segurança, que inclui sistemas mãe de Jesus: ‘Eis que este menino vai ser Cireneu.(bis)
de defesa, alarmes, vigilância, escolta, mo- causa de queda e elevação de muitos em Is- Ó Senhor, Caminho e Vida, /o Brasil pede
nitoramentos, blindagens, seguros dos mais rael. Ele será um sinal de contradição. Quan- perdão, /pelas mortes e agressões. (bis)
19

Roteiros
Sexta Estação: CANTO em questões de compreensão da realidade,
Todos – Novamente desmaiando,/ Sob e hierarquia de valores e de linguagem. Por
VERÔNICA ENXUGA O a cruz que vai levando,/ Cai por terra o isso a questão racial também é causa de
ROSTO DE JESUS Salvador. (bis) violência.
Ó Senhor, Caminho e Vida, /O Brasil pede Todos – Senhor, ensinai-nos a acolher a
Animador(a) - Nós vos adoramos, Se- perdão, /pelas mortes e agressões. (bis) todos para termos paz em nossa terra.
nhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
Todos – Porque, pela vossa Santa Cruz, CANTO
remistes o mundo! Oitava Estação: Todos – Cai exausto o bom Senhor,/
Animador(a) – “Ele não tinha aparência Esmagado pela dor,/ Dos pecados e da
nem beleza para atrair o nosso olhar, nem JESUS CONSOLA AS cruz.(bis)
simpatia para que pudéssemos apreciá-lo. MULHERES DE JERUSALÉM Ó Senhor, Caminho e Vida, /O Brasil
Desprezado e rejeitado pelos homens, pede perdão, /pelas mortes e agressões.
homem do sofrimento e experimentando Animador(a) - Nós vos adoramos, Se- (bis)
a dor; como indivíduo de quem a gente nhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
esconde o rosto” (Is 53, 2-4). Todos – Porque, pela vossa Santa Cruz,
Leitor(a) 1 – Quem toma a atitude de remistes o mundo! Décima Estação:
enxugar o rosto de Jesus é uma mulher, Animador(a) – “Uma grande multidão de
Verônica. Assim como essa mulher que se povo o seguia. E mulheres batiam no peito, e JESUS É DESPIDO
aproxima de Jesus, existem entidades e or- choravam por Jesus. Ele, porém, voltou-se, e DE SUAS VESTES
ganizações que trabalham com a formação disse: ‘Mulheres de Jerusalém, não chorem
da consciência das pessoas, e com a orga- por mim! Chorem por vocês mesmas e por Animador(a) - Nós vos adoramos, Se-
nização da sociedade, para que aconteça a seus filhos! nhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
luta por direitos e por uma nova sociedade, Leitor(a) 1 – Nesta estação queremos Todos – Porque, pela vossa Santa Cruz,
fundamentada em uma nova hierarquia de recordar a violência que acontece dentro remistes o mundo!
valores que tem no topo a pessoa humana de nossas famílias. Os lares estão cada vez Animador(a) – “Depois que crucificaram
e a sua dignidade. mais violentos, e esta realidade pode ser Jesus, os soldados pegaram suas vestes e as
Todos – Senhor, livrai-nos do preconcei- vista através das mais diferentes formas de dividiram em quatro partes, uma para cada
to, da discriminação. Pai Nosso... violência, tais como: acidentes domésticos; soldado. A túnica era feita sem costura, uma
maus tratos; excesso na punição física ou peça só de cima abaixo. Eles combinaram:
CANTO simbólica; brigas entre casais; agressão aos ‘Não vamos rasgar a túnica. Vamos tirar sorte
Todos– Eis o rosto ensanguentado,/ filhos; alcoolismo e outros tipos de depen- para ver de quem será’. Assim cumpriu-se a
Por Verônica enxugado,/ que o pano dência química; pedofilia e abuso sexual. Escritura: ‘Repartiram entre si as minhas vestes
apareceu.(bis) Leitor(a) 2 – Pensemos nas mães e pais e tiraram a sorte sobre minha túnica” (Jo 19,
Ó Senhor, Caminho e Vida, /o Brasil pede que choram por seus filhos. 23-24).
perdão, /pelas mortes e agressões.(bis) Todos – Senhor, tende piedade de nós. Leitor(a) 1 – Ao lembrarmos que Jesus foi
Ave Maria... despido de suas vestes, lembramos também
da violência contra os defensores de direitos
Sétima Estação: CANTO humanos.
Todos – Das mulheres que chora- Leitor(a) 2 – A presença do crime na
JESUS CAI PELA SEGUNDA VEZ vam,/ que fiéis o acompanhavam,/ É Jesus sociedade é sinal de que precisamos lutar
consolador.(bis) pela defesa dos direitos humanos de todas
Animador(a) - Nós vos adoramos, Se- Ó Senhor, Caminho e Vida, /O Brasil pede as pessoas, sejam quais forem as suas con-
nhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. perdão, /pelas mortes e agressões. (bis) dições sociais ou econômicas.
Todos – Porque, pela vossa Santa Cruz, Todos – Senhor, tende piedade de nós.
remistes o mundo! Pai Nosso...
Animador(a) – “Era o mais desprezado Nona Estação:
e abandonado de todos, homem do sofri- CANTO
mento, experimentado na dor, indivíduo de JESUS CAI PELA Todos – Já das vestes despojado,/ As san-
quem a gente desvia o olhar, repelente, dele TERCEIRA VEZ grentas, pobres vestes,/ vão tirar do bom Jesus.
nem tomamos conhecimento” (Is 53, 3). (bis)
Leitor(a) 1 – Basicamente, temos dois Animador(a) - Nós vos adoramos, Se- Ó Senhor, Caminho e Vida, /O Brasil pede
tipos de violência, a violência física e a violên- nhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. perdão, /pelas mortes e agressões. (bis)
cia simbólica. A violência física é facilmente Todos – Porque, pela vossa Santa Cruz,
perceptível por todas as pessoas, vê-se a remistes o mundo!
toda hora e em todos os lugares. Diante Animador(a) – “ Eram na verdade os nos- Décima Primeira Estação:
dela, a reação da sociedade é quase sempre sos sofrimentos que ele carregava, eram as
contrária, chegando a causar diversos tipos nossas dores que ele levava às costas. E a gente JESUS É PREGADO NA CRUZ
de mobilização. achava que ele era um castigado, alguém por
Leitor(a) 2 – A violência simbólica é Deus ferido e massacrado” (Is 53, 4) Animador(a) - Nós vos adoramos, Se-
menos perceptível no meio social, mas com Leitor(a) 1 – Jesus é preso, torturado e nhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
muitos efeitos na nossa vida. Trata-se da condenado à morte porque denunciou a Todos – Porque, pela vossa Santa Cruz,
violência através de constrangimento, ame- maldade, o pecado e anunciou o Reino remistes o mundo!
aças, exploração de fatos ou de situações, de Deus. Um dos problemas mais sérios e Animador(a) – “Quando chegaram ao cha-
negação de informações ou de um bem de que não foi superado pela nossa sociedade mado ‘lugar da caveira’, aí crucificaram Jesus
necessidade imediata ou irrevogável, chan- é o do racismo. Este problema tem raízes e os criminosos, um à sua direita e outro à sua
tagens, a cultura do medo, entre outras. históricas e é de difícil superação. esquerda. Todos os conhecidos de Jesus, assim
Todos – Ajuda-nos a recomeçar a cada Leitor(a) 2 – A dificuldade de convivência como as mulheres que o acompanhavam
dia a sermos discípulos missionários, carre- com o diferente, principalmente no que diz desde a Galileia, ficaram à distância, olhando
gando vossa cruz. Pai Nosso... respeito às diferenças culturais, implicam essas coisas” (Lc 23, 33-49).
20

Roteiros
Leitor(a) 1 – Nesta estação, lembramos Animador(a) – “Junto à cruz de Jesus Décima Quinta Estação:
que Jesus continua sendo pregado na cruz estavam de pé sua mãe e a irmã de sua mãe,
naqueles que estão condenados a morrer de Maria de Cléofas, e Maria Madalena. Jesus JESUS RESSUSCITOU
forma degradante: crianças, adolescentes e ao ver sua mãe, ao lado dela, o discípulo
jovens, vítimas da exploração e do turismo que ele amava, disse à mãe: Mulher, eis aí Animador(a) - Nós vos adoramos, Se-
sexual; adultos e idosos, maltratados no o teu filho! Depois disse ao discípulo eis a nhor Jesus Cristo, e vos bendizemos.
seu direito à vida e à saúde, esmagados tua mãe! A partir daquela hora, o discípulo Todos – Porque, pela vossa Santa Cruz,
pela violência do poder econômico, que a acolheu no que era seu” (Jo 19, 25-27) remistes o mundo!
fragmenta e explora a família, seus costumes Leitor(a) 1 – Maria recebe em seus braços Leitor(a) 1 – Leitura do Evangelho segun-
e valores. o Filho de Deus, descido da cruz. Lembra- do São João (12,24).
Todos – Senhor, tende piedade de nós. mos a profecia de Simeão: “uma espada de Leitor(a) 2 – A ressurreição de Jesus é
Pai Nosso... dor vai transpassar o seu coração”. nossa vitória de esperança e paz. Jesus doou
Leitor(a) 2 – Hoje, fazemos memória de sua vida para que pudéssemos ter mais vida
CANTO tantas pessoas feridas profundamente pela nele. Assim, a lógica do grão de trigo que
Todos– Sois por mim à cruz pregado,/ dor e pelo sofrimento, na perda de parentes morre para produzir fruto deve transformar
Insultado, blasfemado,/ Com cegueira e e amigos, vítimas da violência e de acidentes a nossa vida e nossa sociedade.
com furor.(bis) de todo tipo. Animador(a) – Neste momento em que
Ó Senhor, Caminho e Vida, /O Brasil Todos – Senhor, sustentai as pessoas e recordamos a ressurreição do Senhor, lem-
pede perdão, /pelas mortes e agressões. grupos que lutam pela justiça e pela paz. Pai bramos a ação pastoral da Igreja em vista da
(bis) Nosso... segurança pública e que exige também a nossa
participação: Formação da nova consciência
CANTO para novos valores – que tem em seu início
Décima Segunda Estação: Todos – Do madeiro vos tiraram,/ E com o processo catequético e acompanha
à mãe vos entregaram,/ com que dor e o cristão na sua vida eclesial. Esta formação
JESUS MORRE NA CRUZ compaixão.(bis) tem por finalidade gerar comportamentos
Ó Senhor, Caminho e Vida, /O Brasil compatíveis com os valores do reino de Deus,
Animador(a) - Nós vos adoramos, Se- pede perdão, /pelas mortes e agressões. elemento fundamental para que haja uma
nhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. (bis) sociedade de paz; Busca da superação da
Todos – Porque, pela vossa Santa Cruz, justiça comutativa – para superar, com isso,
remistes o mundo! as relações de ódio e vingança através de
Animador(a) – “Então Jesus deu um forte Décima Quarta Estação: relações fundamentadas na misericórdia e
grito: ‘Pai, em tuas mãos entrego meu espí- que visam, não a punição, mas a superação
rito’. Dizendo isso, expirou. O centurião viu JESUS É SEPULTADO do mal e de suas causas; Ação das Pastorais
o que tinha acontecido, e glorificou a Deus, Sociais – com suas ações, as pastorais sociais
dizendo: ‘De fato! Esse homem era justo!’ Animador(a) - Nós vos adoramos, Se- procuram enfrentar os grandes desafios que
E todas as multidões que estavam aí, e que nhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. estão presentes no nosso meio e que geram
tinham vindo para assistir, viram o que havia Todos – Porque, pela vossa Santa Cruz, carências, sofrimentos e violência.
acontecido e voltaram para casa, batendo remistes o mundo! Todos – “A paz é fruto da justiça!”.
no peito” (Lc 23, 46-48) Animador(a) – “Havia um homem bom Animador(a) – Entreguemos estes com-
Leitor(a) 1 – Jesus continua sua paixão e justo, chamado José. Ele era de Arimatéia. promissos ao nosso Deus, confiantes em sua
hoje, quando há desprezo e preconceitos José foi a Pilatos, e pediu o corpo de Jesus. ação transformadora em nosso meio:
com a idade, gênero, classe social, etnia, etc. Desceu o corpo da cruz, enrolou-o num Todos – Pai Nosso...
Ele morre hoje na ganância e na concentra- lençol, e o colocou num túmulo escavado CANTO – Vitória, tu reinarás...
ção dos bens que, pelo poder e desejo dos na rocha, onde ninguém ainda tinha sido
que querem ter sempre mais, esmagam a colocado” (Lc 23, 50-53).
vida. Leitor(a) 1 – Solidário com Jesus, José de HINO DA PAZ
Leitor(a) 2 – Ele morre no subempregado, Arimatéia pede a Pilatos o corpo do Senhor
cujo salário não permite viver dignamente. e o coloca num túmulo novo. No final de Quando o sol da esperança brilhar,/
Jesus morre, quando perdemos a memória nossa Via-Sacra, queremos lembrar ainda a Eu vou cantar!/ Quando o povo nas
de nossa história e de nossas raízes. violência promovida pelo narcotráfico, cujas ruas sorrir
Todos – Senhor, tende piedade de nós. redes permeiam todo o planeta, movimen- E a roseira de novo florir,/ Eu vou
Pai Nosso... tando valores incalculáveis. cantar!/ Quando os muros que cercam
Todos – Senhor, cremos que muitos irmãos os jardins,
CANTO e irmãs passam da morte para a vida por causa Destruídos, então, os jasmins/ Vão
Todos – Por meus crimes padecestes,/ da opção pelo projeto do Pai que é de vida perfumar!
Meus Jesus por nós morrestes,/ quanta an- plena. Ajudai-nos a ser instrumentos de Paz. Vai ser tão bonito se ouvir a canção,/
gústia, quanta dor. (bis) Cantada de novo.
Ó Senhor, Caminho e Vida, /O Brasil CANTO No olhar do homem a certeza do
pede perdão, /pelas mortes e agressões. Todos – No sepulcro vos puseram,/ Mas irmão:/ Reinado do Povo.
(bis) os homens tudo esperam,/ do mistério da Quando as armas da destruição/ Des-
paixão.(bis) truídas em cada nação,/ Eu vou sonhar!
Ó Senhor, Caminho e Vida, /O Brasil E o decreto que encerra a opressão,/
Décima Terceira Estação: pede perdão, /pelas mortes e agressões. Assinado só no coração/ Vai triunfar!
(bis) Quando a voz da verdade se ouvir/ E
JESUS É DESCIDO DA CRUZ a mentira não mais existir,
Será, enfim,/ Tempo novo de eterna
Animador(a) - Nós vos adoramos, Se- justiça,
nhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. Sem mais ódio, sem sangue ou cobi-
Todos – Porque, pela vossa Santa Cruz, ça:/Vai ser assim!
remistes o mundo!
21
Filhas do Amor Divino
Fé e muita alegria para
Um trabalho voltado festejar as Bodas de Ouro
para a caridade Com a ideia já há anos em
mente, o casal Ilídio e Léa
Biacchi conseguiram realizar o
sonho de levar toda a família
para um cruzeiro a bordo do
navio Costa Mediterrânea.
Esta viagem se deu para come-
moram as Bodas de Ouro do
casal, que no dia 17 de janeiro
de 2009 completou 50 anos
de casado, comemorando este
dia com um grande e animado
jantar em um salão especial do navio, moderno e luxuoso, que ofereceu à
reservado antecipadamente para tal família conforto, estilo e segurança,
ocasião. O mais interessante é que a através de seus jantares impecáveis,
rota seguida pelo navio os levou no noites repletas de danças e magia,
mesmo dia 17 a cidade de Buenos piscinas disponibilizando o melhor do
Aires, na Argentina, onde Ilídio e Léa lazer que se pode usufruir e também
passaram mais de 20 dias de lua de atividades de entretenimento eram
mel assim que concretizaram a união, realizadas todos os dias em diversos
em 1959. salões, atendendo as necessidades de
A missão das Filhas do Amor Divino pode ser com- Uma missa no próprio Costa Medi- todas as idades, inclusive do neto mais
parada a um leque aberto. A finalidade fundacional terrânea também renovou os votos de novo, Pedro, de quatro anos, que pas-
foi a de amparar e atender a mulher desamparada e amor, fidelidade e companheirismo sava o dia todo aproveitando o Clube
a criança abandonada. Gradativamente o leque foi se deste casal, que possui motivos de “Mini” dedicado a sua idade.
abrindo e novos espaços foram incorporados pela própria sobra para ser imitados por todos, Foram convidados com muito ca-
Fundadora Madre Francisca Lechner. Ela própria e suas uma vez que nunca faltou paixão, rinho pelo casal seus quatros filhos,
primeiras companheiras se tornaram educadoras, cate- respeito, admiração e amizade por três genros, uma nora, oito netos,
quistas, artesãs, missionárias... sempre voltadas para o parte de ambos. A benção de Deus bem como duas irmãs de Ilídio e seus
bem das pessoas. foi transmitida pelo Padre italiano esposos, totalizando 23 pessoas.
Elas estão em Santa Maria, RS, desde o dia 09 de Luca, capelão do navio. Percebe-se que não faltou disposi-
março de 1967 com a Sede Provincial à rua Silva Jardim, Porém a comemoração não se ção e entusiasmo por parte da família
2020; desde o dia 01 de março de 1991 no Serviço So- restringiu apenas à data festiva das para aproveitar cada segundo a bordo
cial da Mitra Diocesana através do Banco da Esperança bodas, foram dez dias de festa e con- deste cruzeiro dos sonhos.
e do Projeto Esperança/cooesperança situado à rua Silva fraternização a bordo de um navio Carla Biacchi Correa –Neta
Jardim 1705; desde o dia 15 de dezembro de 2002 no
Bairro Nova Santa Marta, à rua Irmã Teresina Werner
desenvolvendo um trabalho pastoral e social; desde o dia
04 de fevereiro de 2009 no Bispado à rua Silva Jardim,
2029 como presença religiosa feminina no acolhimento
às pessoas que ali chegam.
O início desta missão aconteceu com a oração das
Vésperas na capela do Bispado pedindo a bênção e a
proteção de Jesus, de Nossa Senhora Medianeira e de
Santa Ana.
As religiosas que ali estão a serviço são as Irmãs M. Ca-
tarina Dalla Rosa e M. Sérgia Caye. (foto) A elas o desejo
de que possam ser como Santa Ana, uma expressão de
aconchego maternal e uma bênção aos moradores desta
casa e a cada pessoa que ali chegar e por ali passar.

Irmã Zoeli Maria Pletsch, FDC


22

Psicologia Nossas Crianças


Organizar a mochila, os
materiais, a rotina:
volta às aulas
Nas férias os com- retomados paulatinamen-
promissos vinculados te, já que é comum que o
ao estudo para muitas organismo como um todo
crianças e adolescen- acostume-se mais rápido
tes ficam suspensos, com o que lhe é mais pra-
pois, neste período zeroso. Ou seja, para muitas
o estudante passa a crianças e adolescentes é
relaxar; após o ano mais fácil acostumar-se ao
letivo da escola em lazer do que ao estudo.
que se deparou com Leticia Assim, veja o que você
avaliações, trabalhos, Lorenzoni pode fazer para auxiliar seu
desafios, cobranças, Lasta* filho na volta às aulas:
responsabilidades e horários. • Regular o horário: estimular
Desse modo, sua rotina se aos poucos que as crianças e os
altera, os cadernos são deixados adolescentes durmam mais cedo
de lado para darem espaço ao e não fiquem na cama até muitas
lazer, ou seja, afazeres prazero- horas depois do amanhecer. Isto
sos como fazer uma viagem, sair ajuda muito para que quando as
com os amigos (sem se preocupar aulas iniciem, o impacto do sono
com a prova ou trabalho do dia não seja tão grande.

Mantenha o
seguinte), ler um livro (sem que • Retomar as regras e os
este seja uma leitura obrigatória deveres (muitas vezes deixados
para o vestibular), passar horas no de lado nas férias), bem como
MSN ou no Skype com os amigos a importância de que sejam bom humor Pesquisa:
Elaine Godinho
e parentes, ir dormir mais tarde, cumpridos.
bem como, acordar em um horá- • Auxiliar na retomada da NO HOSPITAL
rio diferente do habitual... rotina (organização do material Dizia o médico à esposa do paciente:
Todavia, se sabe que as férias escolar) deixando as crianças - Muito bem, minha senhora. Seu marido está indo muito bem.
não irão durar para sempre; elas e os adolescentes seguros para Dentro de uma semana estará bom e trabalhando!
têm um tempo para serem apro- iniciarem o ano letivo. - Deus seja louvado, doutor. Será um verdadeiro milagre, pois
veitadas; assim, deve haver um • Planejar com as crianças e os ele nunca trabalhou...
período prévio de preparo para adolescentes os horários de estu-
que a volta às aulas não causem do, bem como os horários para EXTREMA UNÇÃO
forte impacto para as crianças, os atividades de lazer ou esporte. O velhinho está nas últimas. O padre que está a seu lado para
adolescentes, tão pouco aos pais. Lembrem-se: a participação e o dar-lhe a extrema unção, lhe diz ao ouvido:
Para isto, os pais devem ficar auxílio da família são fundamen- - Antes de morrer, reafirme sua fé em nosso Senhor Jesus Cristo
atentos para que esta mudança tais para as crianças e os adoles- e renegue ao Demônio!
seja gradativa, de modo que a volta centes encararem a maratona de Mas o velhinho fica quieto. O Padre insiste:
aos padrões do dia-a-dia sejam mais um ano de estudo. - Vamos lá... Quando se deixa este mundo, é preciso se prepa-
rar e renegar o mal para poder juntar-se ao Senhor o mais rápido
* Pós-graduada em Saúde da Família – IBPEX/Facinter possível... Por que você não quer renegar o Demônio?
Mestranda em Educação - UNISC Então o velhinho, com uma voz trêmula:
Contato: Policlínica Sampar - Enquanto eu não souber para onde eu vou, não quero ficar
Rua Mal. Floriano Peixoto, 915. Sala 21 - Fone: 32223144 mal com ninguém!

Seminário Maior Início das atividades


Nossa comunidade deu início às ativida- fará um ano de estágio, na paróquia de
des no dia 27 de fevereiro, com a chegada Rio Bonito, no Rio de Janeiro. Morará junto
dos Seminaristas Maiores da Diocese de com um padre e um grupo de seminaristas,
Santa Maria e Cruz Alta. Neste primeiro certamente será um momento de cresci-
momento aproveitamos para fazer nosso mento na sua vocação.
planejamento para o ano, estudamos a Desejamos a todos um bom ano e que
Campanha da Fraternidade e o Plano Pas- todos se sintam bem em nossa comunida-
toral da Diocese. de. Pedimos que todas as família continuem
Neste ano nossa comunidade tem a ale- rezando pelo nosso seminário, e que neste
gria de contar com 22 seminaristas, sendo ano das Santas Missões possamos nos sen-
que um deste encontra-se em estágio, mais tir cada vez mais comprometidos com o
o Pe. Olinto – Reitor, Pe. Gilberto – Diretor anúncio do Reino de Deus. Rogamos a Mãe
Espiritual e Neusa – Cozinheira. Somos em Medianeira as mais preciosas Bênçãos.
18 da Diocese de Santa Maria e quatro da
Diocese de Cruz Alta. Cristiano Quatrin e Roni de Almeida Mayer
Nosso colega Gilcemar Hohemberger Setor de Comunicações do Seminário
23

Como fazer

Cruzadas
Porta-lápis de garrafa PET
Materiais: 3 garrafas pet
(verde) de 2l; 2 garrafas de pet
(branca) de 2l ;régua; pincel
atômico azul; tesoura; barra
redonda para perfuração com
2,5 cm de diâmetro e chapa
de metal com espessura de 1
cm, de 17 x 17 cm.

Execução:
1 - Retire os rótulos de todas as garrafas. Em uma das
garrafas verdes, marque, com a régua, 10 cm de com-
primento a partir do gargalo. Marque também o fundo,
acima da marca da parte inferior. Recorte-os;
2 - No fundo recortado da garrafa, use a técnica One
Deck para fazer o acabamento parcial. Veja essa técnica
neste link;
3 - Faça o acabamento total do bico e marque-o, com Resposta na pág. 30
o pincel atômico, dividindo-o em quatro partes. Esquente
a barra e faça um furo no centro de cada linha marcada.
Se preferir, faça os furos com a tesoura;
A nossa
receita
4 - Recorte os gargalos das garrafas restantes. Aqueça
a chapa e utilize a técnica One Deck para dar acabamen-
to;
Frango em camadas
5 - Para montar o porta-lápis, primeiro coloque os
gargalos no bico pela parte de baixo e os lacres pela parte Ingredientes
de cima;
• 2 peitos de frango, tempera-
6 - Encaixe o bico no fundo para compor a peça.
dos, cozidos e desfiados
• 3 colheres (sopa) de salsa
picada
• 1 cebola picada
• 1/2 xícara (chá) de azeitonas
verdes picadas
• 1/2 litro de leite
• 1 lata de milho verde
• 1 colher (sopa) de amido de
milho

Volta às aulas 2009 • Sal e pimenta a gosto


• 1 lata de creme de leite
• 250 g de mussarela fatiada
Conheça as virtudes de uma boa escola • 50 g de queijo parmesão
ralado
Os anos do ensino fundamen- atributo fundamental.
tal visam o domínio básico da Segundo a Organização das
leitura, da escrita e do cálculo e a Nações Unidas para a Educação, Modo de preparo de leite. Em um refratário, coloque
formação de atitudes e valores do a Ciência e a Cultura (Unesco), camadas do frango reservado, cre-
aluno para o exercício da cidada- uma boa escola é aquela em me e mussarela. Polvilhe o queijo
nia e da vida em comunidade. Este que: Em um recipiente, misture o fran-
é um resumo simples do que uma - existe um clima favorável à go, a salsa, a cebola e a azeitona. ralado e leve ao forno preaquecido
escola deve oferecer. aprendizagem; Reserve. No liquidificador, bata o a 220ºC até dourar.
Uma boa escola deve ofer- - os professores e gestores são leite, o milho, o amido de milho, o Dica: Se quiser variar, faça uma
ecer a possibilidade de aquisição líderes animadores; sal e a pimenta. Leve ao fogo bran- camada com fatias de presunto.
de conhecimento ao estudante - a violência é substituída pela do, mexendo sempre até engrossar.
em um lugar onde ele se sinta cultura de paz; Desligue o fogo e misture o creme Conteúdo do site AnaMaria.
bem e, por isso, tenha mais - existe um bom currículo
disposição para aprender, fazer Ao oferecer afeto, lazer e
amigos, se relacionar e explorar ensino, com conhecimentos,
a diversidade de experiências à
sua disposição. Uma instituição
brincadeiras, cuidados com a
saúde e práticas de formação março
que proporcione este contexto à artística, cultural e esportiva, 08 – Dia da Mulher 14 – Dia da Poesia
criança e ao jovem será um bom essa escola investe na formação Cristiane G. 10 – Dia do Sogro 27 – Dia do Teatro
lugar para eles. A qualidade do integral do aluno. Barbosa 12 – Dia do Bibliotecário 27 – Dia do Circo
ensino oferecido também é um Fonte: site Terra. Colaboradora
24
Paróquias
Nossa Senhora da Glória Nossa Senhora da
Camobi Conceição Aparecida
Um pequeno testemunho do terço Tancredo Neves
em família, com a Mãe Três Vezes
Admirável de Schoenstatt Posse do Padre Alcenir João Garlet

É a partir de uma experiência de dor profunda que nós,


do grupo de famílias do movimento de Schoenstatt (que
se reúne quinzenalmente na Paróquia Nossa Senhora
da Glória – Camobi), para formação de outras famílias e
membros, peregrinamos pelas famílias das comunidades
rezando o terço todas as noites, levando conosco uma
Imagem da Mãe Três Vezes Admirável de Schoenstatt
(Mãe Peregrina).
Como iniciou esta caminhada?
Nosso amigo e dirigente do grupo, professor Juarez
Martins Hoppe, foi acometido de uma doença grave no
dia 29 de março de 2005. O diagnóstico não poderia
ser pior: leucemia em estado irreversível. A sua reação No dia 24 de janeiro de 2009 em teve conosco neste ano que findou
num gesto de confiança na Mãe de Deus foi: “rezem o uma Missa solene celebrada pelo e que, apesar de suas inúmeras fun-
terço e a novena do diácono João Luiz Pozzobon nos Reverendíssimo Bispo Dom Hélio ções como Vigário Geral da Diocese,
Santuários-lares” (pequenos oratórios da Mãe Três Vezes Adelar Rubert, aconteceu a Posse sempre se fez presente em nossas
Admirável de Schoenstatt nos lares). E assim iniciou a do Padre Alcenir João Garlet como Comunidades, acolhendo a todos
reza do terço nas famílias que tinham Santuário-lar e, pároco da Paróquia Nossa Senhora com muito carinho. Que Deus o
aos poucos, outras famílias se somaram, oferecendo suas da Conceição Aparecida. abençoe sempre!
casas para a reza do terço. O cerimonial contou com a pre- Ao Padre Alcenir, desejamos boas
Ele sabia que precisava revestir-se de força espiritu- sença do Monsenhor Atayde, Padre vindas e que sinta em seu coração
al, pois a sua luta seria árdua. Ele nunca desanimou e Carlos Ivo Menegais e Padre Lean- a alegria da nossa acolhida e a dis-
enfrentou a doença com muita fé, confiança e entrega dro Santiago, representantes das posição de trabalharmos juntos na
total à Mãe de Deus. comunidades que fazem parte desta construção do Reino de Deus.
Antes de partir desta vida, pediu para que não parás- Paróquia e uma grande representação Neste ano, dia 02 de fevereiro,
semos de rezar o terço, nas famílias, pelos enfermos e de fiéis de Restinga Seca também se em que nossa Paróquia completou
pela canonização do diácono João Luiz Pozzobon. fizeram presentes neste importante seu primeiro aniversário de criação,
Aceitamos a vontade de Deus e da Mãe e correspon- acontecimento. queremos agradecer a Deus que nos
demos ao seu pedido, rezando o terço nas famílias, todas Após a Missa cumulou com suas
as noites, às 20h, levando a Imagem da Mãe Três Vezes aconteceu uma bênçãos e nos deu
bonita confraterni- força e coragem para
Admirável e a Palavra de Deus.
zação no Salão da lutarmos por aquilo
É gratificante sentir que as famílias acolhem com amor
Igreja que acreditamos!
a Mãe de Deus e sentem-se agraciadas com a visita e Agradecemos ao
a oração. Monsenhor Atayde Márcio Zanella
Sabemos que Juarez caminha conosco espiritualmen- Busanello que es- Correspondente
te, pois costumava dizer: “Maria vai a nossa frente com
seu Filho, abrindo caminhos; nós precisamos apenas
segui-los”.
Nos seus últimos dias, deixou-nos alguns testemunhos
de amor, como os citados a seguir:
“Entreguei-me totalmente à Mãe de Deus. Estou intei-
ramente à sua disposição. Não peço nada a Ela, apenas
lhe digo: Tu tens que me sustentar, porque sozinho não
aguento”.
“Em momentos difíceis como estes, quem não tem
Deus e Maria viveria, com certeza, a mais absoluta
solidão”.
Grupo de famílias de Schoenstatt.
25
Paróquias
São José São Vicente Ferrer
Nova Esperança do Sul São Vicente do Sul
Historiando os Carismas “Eis a Serva do Senhor, faça-
se em mim segundo a tua
Continuação palavra”.
A Paróquia realizou festivi-
Desde tempos imemoriais, costumes, devoções, tradi- dades em homenagem a Nossa
ções trazidas em suas bagagens culturais, de além-mar, do Senhora Imaculada Conceição,
outro século, alguns perduram até hoje. Mais um, quero no período de 11 a 14 de de-
historiar neste artigo: italianos, de alguma das províncias, zembro de 2008. Nossa Senhora
(estados para nós) da Itália, povo profundamente religioso; Imaculada Conceição, Mãe do
muitas tradições, algumas únicas; maioria extintas. Criança- Redentor, é o caminho para
da pobre (tosatei) na esperança de ganhar de seus padrinhos abater o ódio, encontrar a paz
(santuli) alguma moedinha (lire) saiam cedo de suas casas e amenizar os males que afli-
no dia 1º do ano e desejavam o “Bom princípio del ano” a gem os homens e as mulheres. Na festa da Imaculada Conceição, fomos
seus padrinhos, tios ou vizinhos. Estes, já prevenidos, reser- convidados a celebrar com todo o nosso entusiasmo de filhos e filhas. A
vavam doces, moedas e, ante a saudação, presenteavam, comunidade vicentina reuniu-se num espírito de fraternidade, alegria e
especialmente os afilhados (fiossi) ou sobrinhos (nevodi). oração para louvar a essa Mãe querida.
As mamães, no final do ano, faziam uma fornada de
doces de massa (bolachas que não existiam no comércio Nas celebrações que antece-
daqueles tempos) para este fim. Estes saiam contentes com deram a festa, o tríduo, estiveram
o pouco que ganhavam. Outros preparavam em suas casas presentes o Pe. Rodrigo Cabrera, Ir-
um ninho (nharo) caixote, gamela, sacolinha, bacia, sapati- mãs de Schoenstatt e o Pe. Gilberto
nho, esperando que, naquela noite, início de ano, o fictício Barbosa da Cunha, acompanhado
personagem do Papai Noel, que, em nossa ingenuidade pelo grupo de semeninaristas. No
piamente criamos, nos trouxesse algo. Ao amanhecer, a dia 14 de dezembro houve a grande
surpresa, a alegria em receber alguma coisinha com qual celebração da Primeira Eucaristia
nos contentávamos e com ela se passava o ano imaginando presidida pelo Pe. Flávio Somavilla.
o que se ganharia no 1º de janeiro do ano seguinte. Ou Que Nossa Senhora Imaculada
a decepção em não ganhar nada. Alguém (toseto) teve a Conceição ajude essas crianças, pais
genial ideia de, em lugar do sapatinho, pôr as botas do pai e padrinhos a permanecerem com Cristo em suas vidas. A comunidade
na ambição de ganhar mais. O dito fictício imaginou que católica de São Vicente do Sul mais uma vez acolhe esses fiéis com carinho
adulto não precisa de presentes. Decepção ao amanhecer e espera o comprometimento na vida cristã.
encontrando as botas vazias. As meninas ganhavam uma
simples bonequinha de pano, e com ela brincavam com
O Pe. Flávio Somavilla
suas irmãs ou colegas o ano todo.
agradece a dedicação dos fes-
Hoje, entra-se no quarto de uma menina, depara-se com
teiros e festeiras, ao Grupo de
uma coleção de bonecas e bichos de todos os tamanhos e
Apoio, aos celebrantes con-
matizes. Para quem ficam depois? (Chi massa, chi nhente!)
vidados e à comunidade em
Que dizer das crianças de hoje que: por qualquer pretex-
geral pela alegria de trabalhar
to (aniversário, páscoa, natal, ano novo, dia da criança), pela construção de nossa casa,
abarrotam a casa com a mais sofisticada parafernália de e deseja que a paz e a união
presentes eletrônicos, elétricos, automáticos, coloridos etc. em Jesus Cristo permaneçam
que a criatividade e o sistema consumista criou. Logo mais entre nós no ano de 2009.
não lhes interessa, e ambicionam mais, criando assim um Feliz e Abençoado Ano Novo.
círculo vicioso. Na foto, o Grupo de festeiros
Voltando à antiga tradição, em algum lugar (Nova Espe- (as) e Pe Flávio
rança do Sul) ainda perdura, mas bem diferente do original;
hoje são grupos de crianças pobres, pequenas hordas que,
desde a madrugada correm, esmurrando as portas das Nossa Home - Mas se a gente se
casas gritando “Bom princípio do ano novo!” e vem com nagem – Não se entende e permite
as sacolas abertas para receber balas, naquela competição tem dúvida que o olhar o outro e o
de ver quem ganha mais. Maioria sem princípios de boa grande presente na mundo com gene-
educação; não sabem agradecer, até exigem: “Só isto? E vida é olhar para rosidade, as coisas
dinheiro?” Alguns têm comportamento de vândalos. E saem trás e sentir orgulho ficam diferentes.
correndo para, aos gritos, esmurrar a porta seguinte. Muitos de sua história. E é Acredita- se que
durante o ano só sabem pedir; se em troca dum prato de exatamente isso que este é o olhar do Pe
comida ou uma doação maior se oferece um trabalho, é nós, paroquianos de Flávio para nossa
até uma ofensa. Nas escolas, um terror. Religião, nenhuma São Vicente Ferrer, comunidade. De-
noção. Igreja? Se pudessem levá-la, de bom nada o fariam. queremos que o Pe Flávio Soma- sejamos que o ano de 2009 torne-se
Por que tudo isto? Está faltando a missão dos pais. Que pais villa sinta neste primeiro ano como especial, pois cada ano pode-se me-
têm em casa? São os principais catequistas, professores, grande líder em nossa igreja. Sabe-se lhorar se entendermos nossas fragili-
padres, mestres, conselheiros. Ali tem início tudo; pela que foi um ano cheio de coisas boas dades. Queremos agradecer e pedir
palavra, pelo exemplo, desde a geração da vida, as linhas e realizações, mas também de pro- bênçãos e muita proteção a São Vi-
mestras da moral, da educação, da religião, faltando ali, blemas e talvez desilusões. Normal cente Ferrer para sua vida e trabalho.
pouco se poderá esperar de positivo desta geração. em todas as caminhadas, pois erros e Paroquianos São Vicente Ferrer
acertos fazem parte do ser humano.
Pe. Egídio Peripolli Padre Flávio Somavilla
26

Destaque
9º Fórum Social Mundial Marista!
Irmã Lourdes Dill - Projeto Esperança / Cooesperança  Um grande e especial reconheci-
mento aos Irmãos Maristas do Brasil e
em especial ao Colégio Marista Nª Srª
Nazaré de Belém do Pará, que acolheu
mais de 1.000 pessoas gratuitamente
de todo Brasil e do Mundo inteiro.
Os que foram hospedados entre os
quais 46 pessoas do Projeto Esperan-
ça/Cooesperança, são muito gratos pela
generosidade Marista. Que Deus os
abençoe e recompense por tudo.
 O Encontro Mundial de Eco-
nomia Solidária, durante o 9º FSM
com a presença de milhares pessoas
do mundo inteiro.
 Feira Internacional de Economia
Solidária no 9º FSM com a presença de
mais de 1.500 Empreendimentos de
Economia Solidária entre os quais os gru-
pos do Projeto Esperança/Cooesperança
da Diocese de Santa Maria.
De: 27 de janeiro a contraposição ao Fórum Mundial representantes do Projeto Esperan-  Acampamento da Juventude
1º de fevereiro de 2009. de Davos que projeta apenas a Eco- ça/Cooesperança de Santa Maria. com a presença de milhares de jovens
BELÉM DO PARÁ nomia do Mundo e gera cada vez Os Delegados do Projeto Espe- do mundo inteiro.
PAN - AMAZÔNIA mais excluídos, pela concentração rança/Cooesperança participaram
 Encontro com os 5 Presidentes
de renda e desigualdades sociais. de diversas Conferências, Debates
do Mercosul, Pan - Amazônia (Equador,
ABERTURA DO 9º FSM Do Projeto Esperança da Dioce- e Seminários, bem como da Feira
Paraguai, Venezuela, Colômbia e do
(Fórum Social Mundial) se de Santa Maria e de outras Enti- Internacional de Economia So-
Brasil, no 9º FSM e com a presença de
BELÉM DO PARÁ COM dades partiram no dia 21/01/2009, lidária e o Encontro Mundial de
mais de 10 mil pessoas neste Evento.
MAIS 100 MIL PESSOAS com 46 pessoas. Eles chegaram lá Economia Solidária.
NO DIA 27/01/2009 no dia 25/01/2009 às 19 horas. Entre as prioridades do debate es-  Um grande destaque do 9º
Ao todo, de Santa Maria e da tão: A Economia Solidária, Agricultu- FSM, foi a presença de mais de 3.000
O 9º FSM – Fórum Social Mun- região central fomos em torno de ra Familiar, Comércio Justo, Questões representantes dos Povos Indígenas
dial de 27 de janeiro a 01 de feve- 60 pessoas na participação da 9º Ambientais, Projetos de Reciclagem, de muitas tribos do Brasil e de outros
reiro de 2009, em Belém do Pará, FSM (Fórum Social Mundial) em Povos Indígenas, os Mártires do Pará, Países da América Latina e Caribe. Es-
realizou-se em Belém do Pará, o Belém do Pará. Políticas Públicas entre muitos outros, tes índios presentes, falam ainda mais
9º FSM (Fórum Social Mundial), O Projeto Esperança/Cooespe- temas que tem a ver com inovadora de 110 línguas Indígenas afirmado na
na construção de “UM OUTRO rança teve 4 Stands para expor os experiência no 9º FSM. abertura do 9º FSM.
MUNDO POSSÍVEL”. seus trabalhos de Economia Soli- Essa contraposição ao Fórum  O Espaço dos Mártires durante a
O 9º FSM foi um grande espaço dária, material sobre a 5ª Feira de Econômico de DAVOS, o 9º FSM, 9º FSM. A Irmã Adelaide Molinari, Fi-
de debate, reflexão e troca de ex- Economia Solidária do Mercosul e fez uma grande Plantaforma de lha do Amor Divino, Mártir da Justiça
periências, na construção de “ UM da 16ª FEICOOP que realizar-se-á debates e discussões que propõe foi morta no Pará há quase 25 anos.
OUTRO MUNDO POSSÍVEL” e de de 10 a 12 de julho de 2009, em este “OUTRO MUNDO POSSÍ- Ela e tantos outros Mártires, tiveram o
“UMA OUTRA ECONOMIA QUE Santa Maria. O lançamento da Fei- VEL”. seu Documentário exposto no espaço
ACONTECE”. ra foi realizado no dia 28/01/2009 dos Mártires no 9º FSM, um espaço
Trata-se de construir um Novo no Palco do 9º FSM. O lançamen- Mais informações pelos sites: de silêncio e reflexão, a beira de um
Modelo de Gestão do Planeta Ter- to da 5ª FEIRA DE ECONOMIA www.forumsocialmundial.org.br riacho e no meio de um matinho
ra, a grande “CASA COMUM DA SOLIDÁRIA DO MERCOSUL foi www.fsm2009amazonia.org.br. muito aconchegante, que convidava
HUMANIDADE”. O FSM é uma feito pela Irmã Lourdes Dill e os para um grande silêncio.

Pastoral da Pessoa Idosa


dade e a valorização integral das pessoas idosas, através da promoção
humana e espiritual, respeitando seus direitos, num processo educativo
de formação continuada destas, de suas famílias e de suas comunidades.
A Pastoral tem uma proposta de capacitação para seus Líderes, Capacita-
dores e Multiplicadores. “Que cada comunidade acompanhe com uma
compreensão amorosa todos os que envelhecem.” (João Paulo II).
Nos dias 11 e 12 de março de 2009, acontecerá um Projeto Piloto
PPI - A Pastoral da Pessoa Idosa nasceu dentro da Igreja Católica, no da P.P.I. na Diocese da Santa Maria. Estão sendo convocados todos os
ano de 2004, na Assembleia dos Bispos do Brasil, em Itaici/ SP, no mês coordenadores paroquiais mais um líder para participar. Então marquem
de abril, como gesto concreto da Campanha da Fraternidade do ano em suas agendas.
anterior. Os Bispos aprovaram a sua criação e designaram a Dra. Zilda Parabéns para todos vocês, nossos queridos coordenadores, líderes,
Arns Neumann para organizar e coordenar esta nova Pastoral. capacitadores, voluntários e apoiadores da PPI.
A Pastoral da Pessoa Idosa dá seus primeiros passos no Rio Grande Ir. Marciana Schlosser-ICM
do Sul. Na Diocese de Santa Maria está presente em 13 paróquias, nos Coord. Diocesana da PPI
municípios de Nova Palma, São João do Polêsine, Jaguari, Mata e São
Pedro do Sul, São Martinho da Serra e Nova Esperança do Sul na cidade
de Santa Maria estão nas paróquias: Nossa Senhora da Glória, Santuário
Basílica da Medianeira, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, São José
do Patrocínio, Nossa Senhora das Dores, Ressurreição, Nossa Senhora
Aparecida e Catedral. São atingidas com este trabalho 2.100 pessoas
idosas. A Pastoral da Pessoa Idosa tem como objetivo assegurar a digni-
27
Paróquias
São Martinho São José
São Martinho da Serra Pinhal Grande
Festa do Padroeiro Aos 31 de janeiro de 2009 Pe.
Arnaldo manifestou-se ao povo
da paróquia de Pinhal Grande, di-
zendo que aceitou com carinho e
de coração o pedido do Bispo para
o trabalho na Paróquia de Mata.
Agradeceu o povo, lideranças e as
comunidades em geral e que leva
no coração cada um e cada uma que
junto cresceu espiritualmente. Após
fez uma benção especial para todo
o povo presente.

No dia 1º de fevereiro Senhor jamais vai esquecer


aproximadamente 120 de nós e tenha a certeza
pessoas de Pinhal Grande que a luz de sua passagem
Aconteceu um tríduo luminoso em preparação à Festa prestigiou a cerimônia em nós jamais se apagará.
de São Martinho de Tours, padroeiro do município que de posse de Pe. Arnaldo Pe. Arnaldo a nossa mais
traz este nome. Foram três noites de muita participação, como Pároco na Paróquia profunda gratidão. Te de-
de crianças, jovens e adultos. A cada noite, os cristãos de Mata. Uma homena- sejamos êxito neste novo
se reuniram num ponto estratégico, portando velas, o gem especial a Pe. Ar- trabalho pastoral a ti con-
cartaz das Santas Missões Populares, o estandarte de São naldo pelos oito anos de fiado para a construção do
Martinho repartindo o MANTO COM O POBRE, cantos, carinho e dedicação ao Reino de Deus. Muita paz
orações e reflexões sobre Martinho missionário e a nossa povo de Pinhal Grande e que o Espírito Santo seja
missão como batizados, amigos de São Martinho. foi prestada por Marivane Pesamosca. luz e grande animador de seus passos. Nosso
A Festa no Domingo, dia 16 de novembro, foi a cul- Nós povo Pinhalgrandense só temos muito obrigado!
minância dessa caminhada de fé e solidariedade. O dia a agradecer , pois temos a certeza que o Correspondente Irma C. Liberalesso
foi cheio de emoções positivas, encontros de amigos,
oração da Igreja Matriz e a Santa Missa celebrado pelo
Pe. Aldoir Ceolin.
Posse do Pe. Pablo Righi Zanini
Santas Missões Populares No dia 31 de janeiro de 2009,
No dia três de na presença do Bispo D. Hélio
dezembro de 2008 Adelar Rubert, tomou posse
aconteceu, no Salão como Pároco na Paróquia de
Paroquial de São Pinhal Grande o Pe. Pablo Righi
Martinho, um encon- Zanini. Contando com a pre-
tro-formação com sença de muitos fiéis e amigos das
a presença do Pe. Paróquias de Tupanciretã, Nova
Ruben Dotto. O en- Palma, Santa Maria, Formigueiro
contro foi muito forte, e seus familiares. Com estas pala-
pois os participantes vras Pe. Pablo deixou gravado nos
fazem memória do registro da Paróquia a sua nova
mesmo em diversas ocasiões. Neste dia de formação houve missão como Pároco.
representantes da Matriz e de quase todas as capelas. O “ Queridos irmãos e irmãs,
objetivo maior é a preparação dos missionários (as) para quando Dom Hélio me pediu para as- Padre significa Pai e desejo exercer no
dinamizar as Santas Missões no ano de 2009. Acontecerão sumir esta Paróquia confesso que senti meu ministério esta paternidade de Deus
outros encontros-retiro com este mesmo objetivo. A gratidão
medo; não imaginava ser pároco agora, no meio deste povo querido, construindo
da comunidade ao Pe. Ruben que assessorou e encontro com
sabedoria e inteligência.
porém senti que nisto consiste a obediên- minha vida para que Jesus seja cada vez
cia, em ser livre, desapegado para fazer a mais conhecido e amado e para que
vontade de Deus. Senti uma grande paz todos encontrem o caminho do Céu.
Coroinhas também se preparam ... e alegria interior de dizer Sim a Deus na Quero continuar aprender a ser Padre,
pessoa do Bispo. aprendendo agora a ser Pároco. Conto
Um grupo de No dia de minha ordenação, Dom com vocês!
crianças e joven- Hélio, num abraço me falou: “Pe. Pablo, Ouso tomar as mesmas palavras do
zinhos assumiram seja um Padre Santo; o melhor presente Santo Padre Bento XVI em seu primeiro
a missão de serem que podes dar à igreja é a tua santidade, discurso com Papa: “Rezem por mim,
coroinhas em São um sacerdócio Santo”. Nunca vou es- para que eu aprenda a amar o Senhor
Martinho. O gru-
quecer tais palavras e as retomo para mais e mais. Rezem por mim, para que
po tem encontros
mensais de forma-
dizer que quero viver a minha santidade eu aprenda a amar o seu rebanho como
ção, celebração sacerdotal como instrumento para que o Bom Pastor, em outras palavras, a vocês
dos aniversários, este povo aqui de Pinhal Grande viva a a Santa Igreja do Senhor”.
do Natal e outros sua vocação, à sua santidade que rece- Concluo com a Oração de Salomão
momentos, como beram no seu Batismo. pedindo a Sabedoria:
também para juntos fazerem a escala das Celebrações e Sou um Padre jovem, cheio de son- “ Fazei-a, pois descer de vosso Santo
Missas. Os coroinhas assumem com amor e dedicação hos, convido a todos para sonharmos Céu, e enviai-a do trono de Vossa Glória,
sua missão junto à comunidade. juntos o sonho de Deus para cada um para que, junto de mim, tome parte em
DEUS SEJA LOUVADO E GLORIFICADO NAQUELES de nós, meus trabalhos, e para que eu saiba que
QUE O SERVEM EM SUA IGREJA. Apesar de ser jovem, 28 anos, um ano vos agrada”. ( Sab, 9,10 ).
e dois meses de Padre, peço que todos
Irmãs Filhas do Sagrado Coração de Jesus me chamem de Padre, Pe. Pablo; pois Correspondente Irma C. Liberalesso
28

CURSO OSCAR ROMERO


A Casa de Retiros de Santa
Maria completa 60 Anos OPINIÕES DOS PARTICIPANTES
Iria Maria Balzan
“O Curso Oscar Romero possibilita aos integrantes
Continuação conhecimento, partilha de experiências e uma profunda
espiritualidade libertadora. Também concretiza uma
Pe Claudino Magro forte relação de convivência entre os participantes. O
curso tornou-se uma opção que faço anualmente na
Como não era possível con- minha agenda”. Marisa Prates Fortes – Diocese de
tinuar com os retiros fechados, Cachoeira do Sul
por falta de uma casa para esta
“O curso é aberto, acolhedor, dinâmico, traz pales-
finalidade, padre Celestino trantes com grande vivência, aborda temas atuais, inte-
Trevisan (1906-1983) adotou ressantes que a mídia esconde ou mascara. Para mim é
o programa dos retiros fe- um momento de parada, reflexão, encontro, formação,
chados, que versavam sobre conhecimento, renovação.” Cláudia Righi – Jaguari
as Verdades Eternas, para as
missões populares, chamadas “O curso proporcionou uma reflexão, um momento
também retiros abertos, para de análise da sociedade em que estamos inseridos, uma
matriz e capelas. Os partici- compreensão do mundo em que vivemos, uma análise
pantes deviam tomar parte de igreja nos dias de hoje buscando novas conquistas,
nas conferências, meditações celebrando a vida e somando novos amigos.”
e outras práticas, como missa, Adelize, Cledi e Volmir – Nova Esperança do Sul
comunhão, terço, via sacra,
mas não eram obrigados ao “Para o conhecimento da realidade contemporânea
silêncio. À noitinha, voltavam através do estudo e da reflexão nos seus mais diversos
para suas casas. A revista “Rai- aspectos, isto é, política, econômica, social, religiosa e
nha dos Apóstolos” de 1937 deu notícias sobre práticas ardorosas do padre Celestino e a palavra cultural. É um importante espaço que é oferecido às lide-
esses retiros abertos. persuasiva do padre Rafael Pivetta encontraram ranças e a quem tem interesse no aprofundamento dos
mesmos.” João Gilberto Rodrigues - União da Serra
A primeira capela a ser missionada pelo pa- eco em todos os que as ouviram!
dre Celestino foi a de Três Vendas, na paróquia Como se tornou realidade a casa de reti- “É um ambiente em que podemos buscar forças
de Vale Vêneto, a partir de 28 de setembro de ros? para reafirmar nosso compromisso com o social, no
1936. Ele tinha recém chegado de São Leopol- A construção de uma casa de retiros, na Dio- sonho de construção da nova sociedade.” Júnior Eckert
do, onde acabara os seus estudos de Teologia. cese de Santa Maria, foi uma ideia que partiu, – Lajeado
O povo da capela atendeu prontamente ao con- como já foi dito, do padre Frederico Schwinn,
vite. Dividiu em séries de três dias cada classe: em 1933. Ele também deu a ideia de que de- “O curso alimenta nossa certeza de um mundo mais
homens, senhoras, moços e moças e também veria localizar-se dentro de uma paróquia dos humano. O projeto libertador exige nossa disponibilida-
crianças. O horário era das 7 até às 11h e das Palotinos. Por seis anos a ideia ficou esquecida. de e compromisso do social ao divino.” André Moura
14 às 18 h. Vendo os bons frutos, o missionário Ela reviveu, em janeiro de 1939, no Congresso – Pelotas
pregou também missões nas capelas de Santa de Retiros de São João do Polêsine, em que
Lúcia e de Santa Teresinha, na paróquia de Vale participaram paróquias de Vale Vêneto, Nova “É um estudo e união de pessoas para ver estratégias
Vêneto. Em novembro, pregou em Val Veronês Palma, Novo Treviso, Dona Francisca, Silveira para a transformação da sociedade. Para olhar atencio-
e, em dezembro, em Novo Treviso. E, em 1937, Martins, Ivorá, Arroio Grande e Agudo. No en- samente as nossas práticas em nossas comunidades. É
dando continuidade aos retiros abertos, padre cerramento, antes do sermão de Dom Antônio um curso com muita participação de todos.” Vagner
Celestino pregou missões na capela de Faxinal Reis, o padre Celestino Trevisan, por ordem do – Rincão dos Cabrais
do Soturno, Três Vendas (pela segunda vez) e mesmo, leu as resoluções do Congresso:
prosseguiu em Nova Palma e respectivas capelas. - “1ª Intensificar a obra dos retiros paloti- “O curso é um momento forte de reflexão e revitali-
zação de lideranças, para que em nossas comunidades
Na matriz foram atingidas 1.165 pessoas, entre nos;
possam ser reacendidas as chamas do amor, da justiça
homens, senhoras, moços, moças e crianças. - 2ª construir, em algum lugar desta zona e da fraternidade.” Luis Antonio Rosa Melo – Júlio de
Em Polêsine, padre Celestino pregou para 510 colonial, uma casa para retiros fechados; Castilhos
retirantes. Em toda a parte, o povo, em geral, - 3ª organizar a congregação da Doutrina
mostrou-se sedento da Palavra de Deus. Cristã em todas as paróquias; “Participar do curso foi uma graça de Deus, pois
Em fevereiro de 1937, foi criada a terceira - 4ª Fundar a Ação Católica nas respectivas pude conviver com mentes abertas, ouvir palestras que
paróquia de Santa Maria a de Nossa Senhora das paróquias. reafirmam meu ideal de cristão que crê na verdade e na
Dores, sendo seu primeiro pároco padre Caetano - 5 A realização do II Congresso Apostólico dignidade do ser humano. O curso além de uma excelen-
Pagliuca (1874-1957). Em novembro daquele ano, de Retiros”. te organização, temática, proporciona o crescimento de
já estava formado o corpo missionário palotino, com Após a santa missa do Congresso de Polêsine, seus participantes na dimensão político-religiosa, conhe-
os padres Celestino Trevisan e Rafael Pivetta. Ambos assistida por uma multidão de mais de 5 mil pes- cendo a fundo a história da Igreja e o projeto de Deus a
pregaram retiro aberto na matriz a 330 retirantes. O soas, o grande tribuno, Adroaldo Mesquita da todo o ser humano.” Neuri Villa Verde – Alegrete
confrade Pedro Luís Bottari ajudou. Nesse tempo, Costa, leu o telegrama do Papa Pio XI, que dizia:
após curta experiência, já estava comprovado o “O Santíssimo Padre, abençoando esse Congres-
temário das missões populares. Silveira Martins foi so de retiros espirituais, implora sobre eles os
a terceira paróquia palotina a ser missionada. mais abundantes frutos de santificação”.
A primeira paróquia não palotina a receber O telegrama era assinado pelo Cardeal Eugê-
nossos missionários foi a catedral de Santa Maria, nio Pacelli, então Secretário de Estado e depois
com frutos extraordinários. As 5.000 comunhões só Papa Pio XII.
na catedral e as 1.400 no domingo de páscoa foram Dom Antônio Reis, ao constatar os frutos do
uma prova eloquente de catolicidade de Santa Ma- Congresso, levou dentro de si o sonho de uma
ria, escreveu padre Rafael Iop, na revista “Rainha casa de retiros.
dos Apóstolos”. Seis mil pessoas acompanharam a
procissão do Cristo morto, na sexta-feira santa. As Continua na próxima edição.
29
Março
Calendário Pastoral
01 Reunião da Comissão Regional Pastoral Familiar 12 Reunião Comire - Secretariado
02 Reunião da Equipe Colegiada de Coordenação Pastoral 14 RCC – Reunião Diocesana
CDP – Santa Maria 14 II Fórum Estadual da 12ª Romaria do Trabalhador
02 Reunião da Equipe Diocesana de Articulação de CEBs e Trabalhadora – Sem. São José - Gravataí
CDP – 19h 14 - 15 Encontro Regional de Formação para Equipes
03 Reunião de Área - Faxinal de Soturno de Coordenação Diocesana e dos Vicariatos da Pastoral
03 Conselho Presbiteral Diocesano da Saúde – CDP – Santa Maria
03 Encontro de Catequistas da Área de Santa Maria 17 Encontro de Área – Pastoral da Criança – CDP – Santa Maria
CDP – Santa Maria 17 - 18 Reunião dos Organismos – Betânia – Porto Alegre
04 Reunião da Área de São Pedro 18 - 19 Gestão Administrativa: Ecônomos, contadores,
04 1ª Reunião Ordinária com Coordenações Paroquiais Vigários Gerais e Coord. de Pastoral – Betânia, PA
e de Áreas da Pastoral da Saúde – CDP - SM 19 Encontro Diocesano de Catequese
05 Reunião do CPC - Conselho Pastoral da Cidade 19 Ecumenismo – CNBB Sul 3
Santa Maria - CDP 19 - 20 1ª Reunião Ampliada do SAV Regional Sul 3 - Capuchinhos
07 Encontro de Correspondentes e Agentes de Comunicação 20 - 21 Primeira Etapa IDPC – Centro Diocesano de Pastoral
Jornal O Santuário - CDP 21 - 22 RCC - Experiência Diocesana de Oração em Santa Maria
07 - 08 Curso de Teologia – Casa de Retiros – Santa Maria 21-22 Instituto Diocesano de Pastoral Catequética – IDPC - CDP
09 Reunião Semestral dos Coordenadores Diocesanos 21 - 22 Seminário Regional de Formação dos/as delegados/as
da Pastoral Litúrgica – CNBB – Porto Alegre para o Interclesial de CEBs – Santa Maria
10 Encontro Regional de Catequese – Santa Cruz do Sul 23 Reunião da Equipe Colegiada de Coordenação Pastoral – CDP
10 I Encontro dos Coordenadores Paroquiais da Pastoral 25 - 26 Reunião do Interdiocesano Centro Oeste em Santo Ângelo
da Pessoa Idosa – CDP – Santa Maria 28- 29 Atualização em Massagem Neuromuscular – CDP – Santa Maria
10 Encontro Regional Bíblico- Catequético – Santa Cruz do Sul 28 -29 Reunião do CRPJ
11 Encontro dos Setores/Serviços e Pastorais – 16h – CPC 29 Assembleia Geral dos Ministros Extraordinários
11 Reunião da Infância Missionária - Secretariado da Sagrada Comunhão – Santa Maria
11 Encontro Coordenadores Pastoral Criança – CDP – Santa Maria 30 Reunião CRD - CNBB
11 a 13 Conselho Permanente – Brasília 31 Conselho Presbiteral – Seminário São José

Calendário de atividades
Curso de Formação Religiosa e Catequética
10ª Novena Móvel e
Festa de São José – Itaara 60 vagas
Período de Inscrição: Janeiro a março de 2009 no Centro Dio-
As comunidades de Itaara realizarão de 13 a 22 de março a cesano de Pastoral ou no e-mail pastoral.diocese@yahoo.com.br
10ª Novena Móvel e festa do padroeiro do município. Dia 22 Informações e Contatos:
acontecem a 3ª Romaria de São José e a festa. A missa nos dias IDPC: (55) 3028-3842 (Centro de Pastoral)
da novena será sempre no horário das 19h30min. FAPAS: (55) 3223-4575

Dia 13 (sexta-feira): Comunidade São Luiz, Km 29. Lançamento da obra Elogios e Vôos
Dia 14 (sábado): Km 23, comunidade São Geraldo.
Dia 15 (domingo): Capela Santo Expedito, na Estação do Pi- Dia 5 de março, às 17 horas, no hall
nhal. do Prédio da Reitoria da Unifra, em Santa
Maria-RS, ocorre a apresentação e lança-
Dia 16 (segunda-feira): Capela Santo Antônio, na Vila Etel- mento da obra Elogios e Vôos, de irmã Ida
vina. Tereza Ceron.
Dia 17 (terça-feira): Rincão do Canto, comunidade Mãe A obra, que tem um capítulo em ho-
Rainha. menagem a Dom Ivo, neste segundo ano
de seu falecimento, encontra-se à venda
Dia 18 (quarta-feira): Boa Vista, comunidade Nossa Senhora no Shopping Medianeira - nas secretarias
da Saúde. das paróquias da Basílica e de Fátima, na
Dia 19 (quinta-feira): Comunidade Nossa Senhora de Fáti- CESMA e na Livraria da Mente.
ma.
Contato:
Dia 20 (sexta-feira): Capela São José de Itaara, no centro de 55 - 8412 0044
Itaara. idaterezaceron@yahoo.com.br
Dia 21 (sábado): Santuário Nossa Senhora de Lourdes, no
Parque Serrano.
16º Encontro Diocesano de Cebs
Dia 22 (domingo): 3ª Romaria de São José – Saída às 9h30min
do Santuário Nossa Sra. de Lourdes, a pé, até a igreja São José. Às Dia 17 e 18 de outubro de 2009 em Nova Palma – Área de
10h30min missa seguida de almoço, mateada, escolha da Boneca Faxinal do Soturno.
e Rainha de Festas e show com Janu Uberti e convidados. Aguardem maiores informações. Participem!
30

PACTO/SM Escola Diocesana


DEPOIMENTOS: da Pastoral
da Juventude
Nessa edição gostaríamos de dar conhecimento aos nossos
leitores, de alguns depoimentos de pessoas que realizaram
ou que estão realizando tratamento em nossa Comunidade
Terapêutica – Fazenda do Senhor Jesus – Ivorá-RS:

- “Aceitar a derrota. Ter humil- deia, experimentei um pedaço do


dade para pedir ajuda e saber que inferno. Aqui conheci o sofrimento
somente nós fomos os culpados de Deus, vi que é possível passar
pela nossa drogadição, é o caminho por dificuldades e ter paz e alegria
da recuperação. Qualquer pessoa no coração, experimentei um Pe-
(alcoólatra ou dependente químico), daço do Céu”.
que queira buscar a recuperação (LUIZ FERNANDO P. DA SILVA
saiba que ela está ao seu alcance, – 46 anos – Graduando – 9 meses
basta ter boa vontade, perseverança na Comunidade).
e força para enfrentar as dificuldades
de uma abstinência. Eu conheci a - “Não conseguia parar de usar
derrota, passei pelas dificuldades de drogas. Tinha perdido completa-
uma conscientização em relação ao mente o domínio da minha vida.
meu problema (álcool-droga). Hoje Minha mente tornava-se mais
passados DOZE ANOS, colho os fru- insana a cada dia e minha família
tos da recuperação, graças à família, tentava frustradamente me por
amigos e principalmente a Deus e a limites. Eu pensava que era livre e
Fazenda do Senhor Jesus, que me poderia fazer tudo o que eu que- Aconteceu nos dias 07 a 13 de fevereiro de 2009, a tra-
deu as armas para que eu pudesse ria. Não apenas me destruía, mas dicional EDPJ, na Chácara dos Padres e Irmãos Palotinos,
lutar contra o meu inimigo (álcool- também a eles, na verdade tornei- no Município de Itaara-RS. Esta Escola que é sementeira de
droga). Obrigado Senhor e que Jesus me um adicto. Ao final não me lideranças juvenis em meio a juventude nas comunidades da
e Maria mostrem o caminho a todos restavam escolhas, era caminhar Diocese de Santa Maria, reuniu cerca de 30 jovens de quatro
que ainda estão perdidos no vício” rumo à destruição ou aceitar um áreas pastorais: Faxinal do Soturno, São Pedro do Sul, Júlio de
(HÉLIO MACHADO – Mo- tratamento na Fazenda do Senhor Castilhos e Santa Maria.
nitor - Supervisor de Produção Jesus-Ivorá. Então descobri que ser Num clima bastante descontraído a Juventude Diocesana
da Fazenda do Senhor Jesus de livre é a arte de viver em harmonia rezou, estudou e trocou experiências a partir de suas realida-
Ivorá-RS). com as regras e normas da casa ou des.
ambiente em que vive. Hoje me Os temas tratados foram Relações Humanas, Espiritualidade,
- “Hoje é o primeiro dia da sinto orgulhoso de fazer parte da Mística e Metodologia da pastoral da juventude, assim como
minha Nova Vida. Só por hoje equipe de trabalho da mesma Casa atividades permanentes da Pastoral da Juventude, Leitura
estou feliz e sou grato a Deus por que salvou a minha vida e sou grato Orante da Bíblia, CF 2009 e Santas Missões Populares.
estar tendo esta oportunidade de pelo que o Amor Exigente fez por Nestes dias contamos com a assessoria da Secretária Estadual
Mudança. Tenho consciência que minha família”. da PJ, Aparecida Montana, Jonas Camargo (POA), Maicon Mo-
sou um escolhido, pois estou neste (DIEGO CASSOL CELLA – 22 lacarne (Diocese de Erexim), Marcelo Dorneles (Santa Maria),
lugar abençoado, tendo a chance anos – Monitor da Fazenda do Clauciane e Cassiano (PJR- Nova Palma).
de encontrar o sentido de minha Senhor Jesus-Ivorá). De forma muito significativa tivemos a presença de Dom
vida. No início foi difícil, tive mui- Hélio que animou a juventude com suas palavras e refletiu
tas dificuldades, precisei ter muita - “A força de Deus – Não foi fácil sobre o plano Diocesano de Pastoral.
força, fé em Deus e perseverança, passar esses dois primeiros meses Lembramos de maneira especial, a presença de represen-
para estar hoje firme no propósito na Comunidade. Somente com a tantes da PJR de Nova Palma e da Pastoral da Juvenil Marista
que é: ser um “Novo Homem”. Aos força dos meus pais e de Deus é que em diversos momentos puderam relatar suas experiências
irmãos de caminhada desejo força que consegui. Hoje posso dizer que
de trabalho pastoral com a juventude em seus meios especí-
e muitas 24 horas.” meu sentimento é de muita alegria
ficos.
(ALEX JULIO M. DA SILVA – 18 por estar recebendo uma Nova
O ponto alto do Encontro foi a Celebração Eucarística que
anos - Residente – quatro meses e Vida. A todos, força, esperança e
foi presidida pelo Padre Dalvino, Assessor do Setor Juventude,
treze dias na Comunidade). fé em Deus, pois Ele é tudo e tudo
onde com muita criatividade e clima de oração pôde-se sabo-
pode.
rear a presença de Jesus, o jovem de Nazaré que se doa por
- “Quando cheguei aqui há nove (ALISSOM DE MORAES RA-
meses, conhecia o sofrimento do MOS – 28 anos – Residente – 2
nós e nos convida a sermos seus discípulos-missionários.
Mundo; drogas, prostituição, ca- meses e 3 dias na Comunidade) Esperamos que a Escola da juventude produza os devidos
frutos e que as bênçãos de Deus recaiam sobre a juventude
Pedro de Alcântara Gonçalves Ramos de nossa diocese.
Coordenador Terapêutico
Mateus Lesina - Paróquia da Catedral

Resposta das Cruzadas da Pág. 23


31
40 anos de casamento
Fatos e Fotos
Nova Palma

BODAS DE OURO: Milvo e


Iraci Cancian – Nova Palma.

No dia 24 de janeiro de 2008, Valentim e Inês Bernardi


comemoraram seus 40 anos de casamento com uma bela Completaram 50 anos
missa de Ação de Graças na capela Santo Anselmo, na de Casamento Arcângelo e
comunidade de Linha Base - Silveira Martins. Logo após, Theresa Bullegon, em Nova
familiares e amigos foram recepcionados no Salão da Palma, no dia 11 de outubro
Comunidade. Parabéns ao querido casal! de 2008. O casal tem 9 filhos,
16 netos e 2 bisnetos.
Encontro da FAMILIA ROSSA-
TO em 18 de janeiro.
Movimento de Cursilho
O Movimento de Cursilho Júlio de Castilhos
da Cristandade (MCC) de
S. Sepé desempenhou um
belo trabalho em 2008. Seu
dinamismo e doação fez com
que o grupo de cursilhistas de
nossa comunidade tivesse um
bom crescimento através das 1ª Comunhão
escolas muito bem elaboradas de 20 crianças
e apresentadas. São elas, da da Comuni-
esquerda para direita: Elisete dade Nossa
S. Garcia, Diana S. Camargo, Senhora de
Ana E. Pinheiro e Cristina Fátima, em 19
M. Cardoso. Foram acesso- de outubro de
radas pelos esposos e alguns 2008.
membros do grupo do MCC.
Juraci Martins.

Itaara
1ª Comu-
nhão de seis
crianças da
Comunidade
de Santa Cla-
ra, em 09 de
outubro de
2008.

Parabéns às crianças

Os pais Eloir e Belchior


Liberalesso do município
de Pinhal Grande para-
benizam seus filhos: Bru-
no Luige Liberalesso que
Foi realizada a 1ª Eucaristia na Igreja de Santo Expedito, na completou 6 anos, no dia
comunidade da Estação do Pinhal. Na foto, catequizandos, 10/01/09 e Maria Eduarda
catequista Letícia Ramires Correa, Diácono Davi e Padre Liberalesso que completou
Serafin Serafini 4 anos, no dia 13/01/09.