Vous êtes sur la page 1sur 15

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

Processo TC Nº 02771/03

Consulta formulada pelo Senhor José Marcos Navarro Serrano,


ex-Procurador-Geral de Justiça da Estado da Paraíba. Não co-
nhecimento da Consulta. Arquivamento do processo

Parecer PN - TC 07/2007

Vistos, relatados e discutidos os presentes autos do processo TC Nº 02771/03, referen-


te à consulta formulada pelo Senhor José Marcos Navarro Serrano, ex-Procurador-Geral de Justiça da Estado da Pa-
raíba acerca da aplicação de dispositivos da Lei de Responsabilidade Fiscal, especificamente sobre o Cômputo das
quantias descontadas da folha de pagamento a título de Imposto de Renda para fins dos limites de gastos com pes-
soal da referida Lei, DECIDEM os integrantes do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, por unanimidade, em ses-
são plenária realizada hoje, não tomar conhecimento da consulta e determinar o arquivamento do processo.

Assim decidem tendo em vista que a matéria já foi objeto de apreciação por parte deste Tribunal, respon-
dendo a consulta do Procurador Geral de Justiça, em exercício, à época, Sr. Antônio Batista da Silva Neto, tendo o
Tribunal decidido pela impossibilidade da Inclusão dos valores do IRRF nos conceitos de “despesa com pessoal” e de
“receita corrente líquida”.

Publique-se, registre-se e cumpra-se.


TC – PLENÁRIO JOÃO AGRIPINO, em 14 de fevereiro de 2007.

Conselheiro Arnóbio Alves Viana


Presidente

Conselheiro Flávio Sátiro Fernandes


Relator

Conselheiro Marcos Ubiratan Guedes Pereira


Conselheiro Antônio Nominando Diniz
Conselheiro Fábio Túlio Filgueiras Nogueira
Conselheiro Substituto Renato Sérgio Santiago Melo

Ana Terêsa Nóbrega


Procuradora Geral
RELATÓRIO

O presente processo trata de consulta formulada pelo Senhor José Marcos Navarro Serrano, ex-Procurador-
Geral de Justiça da Estado da Paraíba acerca da aplicação de dispositivos da Lei de Responsabilidade Fiscal, especifi-
camente sobre o cômputo das quantias descontadas da folha de pagamento a título de Imposto de Renda para fins
dos limites de gastos com pessoal da referida Lei.

Chamado aos autos, o assistente Especial da Presidência, José Francisco Valério Neto, após discorrer sobre
aos conceitos de receita corrente líquida e de despesas com pessoal, conclui que a parcela do imposto de renda reti-
do na fonte, incidente sobre rendimentos pagos, por ser tributo pertencente ao Estado deve integrar a Receita Cor-
rente Líquida.

É o relatório

VOTO

A matéria já foi objeto de apreciação por parte deste Tribunal, respondendo a consulta do Procurador Geral
de Justiça, em exercício, à época, Sr. Antônio Batista da Silva Neto, tendo o Tribunal decidido pela impossibilidade da
inclusão dos valores do IRRF nos conceitos de “despesa com pessoal” e de “receita corrente líquida”.

Assim VOTO no sentido de que este Tribunal, não tome conhecimento da consulta em virtude de já ter se
manifestado a respeito do assunto consultado e determine o arquivamento do processo.

CONSELHEIRO FLÁVIO SÁTIRO FERNANDES


RELATOR