Vous êtes sur la page 1sur 10
DISCIPLINA MEDICINA LEGAL Dra Syomara P C Melo Médica Legista
DISCIPLINA
MEDICINA LEGAL
Dra Syomara P C Melo
Médica Legista
MEDICINA LEGAL • CONCEITO: Ciência; conhecimentos médicos e afins; a serviço da justiça • Classificação:
MEDICINA LEGAL
• CONCEITO: Ciência; conhecimentos médicos e
afins; a serviço da justiça
• Classificação:
Antropologia
Psicologia Forense
Trauamtologia
Asfixiologia
Psiquiatria Forense
Vitimologia
Criminologia
Policiologia científica
Sexologia forense
Infortunística
Tanatologia
Medicina Legal social
Genética forense
Toxicologia forense
MEDICINA LEGAL – Peritos e Pericias • POLÍCIA TÉCNICA • PERITOS: – Oficiais – Não
MEDICINA LEGAL – Peritos e Pericias
• POLÍCIA TÉCNICA
• PERITOS:
– Oficiais
– Não oficiais ou nomeados ou louvados
– Perito judicial
– Assistentes Técnicos
• PERÍCIAS:
– NÃO-MÉDICAS
– MÉDICAS
• Perícias médico-legais
MEDICINA LEGAL – Perícias • Corpo de Delito – Conceito – Exame Pericial direto ou
MEDICINA LEGAL – Perícias
• Corpo de Delito
– Conceito
– Exame Pericial direto ou indireto
• Perícias não médicas
– Coisas e animais
• Perícias médicas
– Corpo humano vivo e morto
• Lesão corporal
• Estupro; determinação do sexo; da idade; da gravidez e parto
• Exame no morto: cadavérico; exumação; ossada
• Exame clínico de Embriaguez
• Exames complementares
• Ad cautelam
MEDICINA LEGAL - Legislação • Código Processo Penal – Arts. 158 a 184 – Arts.
MEDICINA LEGAL - Legislação
• Código Processo Penal
– Arts. 158 a 184
– Arts. 275 a 281
– Arts. 342 e 343
• Código Processo civil
– Arts. 420 a 439
Obs.: Lei 9099/95
# Diferenças:
MEDICINA LEGAL – Documentos médicos • DOCUMENTOS MÉDICOS – Atestados ou Certificados: oficiosos;
MEDICINA LEGAL – Documentos médicos
• DOCUMENTOS MÉDICOS
– Atestados ou Certificados: oficiosos; administrativos;
judiciários; graciosos
– Notificações
– Relatórios: auto e laudo
– Pareceres x consulta
– Documentos orais
• Partes do relatório
– Preâmbulo; quesitos; histórico ou comemorativo; Descrição;
discussão; conclusão; respostas aos quesitos, assinatura
MEDICINA LEGAL – Antropologia • CONCEITO: Trata das questões relativas a Identidade e identificação •
MEDICINA LEGAL – Antropologia
• CONCEITO: Trata das questões relativas a Identidade e
identificação
• Identidade: caracteres que individualizam o ser ou a coisa
como única
• Identificação: Processo científico para se determinar a
identidade
• Reconhecimento: conhecer de novo
MEDICINA LEGAL - Identificação • Identificação de espécie • Identificação médica – Corpo vivo ou
MEDICINA LEGAL - Identificação
• Identificação de espécie
• Identificação médica
– Corpo vivo ou morto e partes humanas (dentes e pelos)
• Identidade médico-legal
– Raça (Classificação de Ottolenghi) ; sexo (bacia); idade (ossos longos)
– Peso; estatura; malformações; grupo sanguíneo
– Impressões papilares; DNA
– Tatuagens; cicatrizes; sinais particulares
• Identificação Criminal
– Identificação datiloscópica
– Fotografia frente e perfil
– Boletim de vida pregressa
MEDICINA LEGAL- Identificação • Métodos de Identificação: – Requisitos: • Praticabilidade •
MEDICINA LEGAL- Identificação
• Métodos de Identificação:
– Requisitos:
• Praticabilidade
• Reprodutibilidade
• Unicidade
• Imutabilidade
• Perenidade
• Classificabilidade
MEDICINA LEGAL- Identificação • Principais métodos – Método datiloscópico de Vucetich Tipos Polegar Demais
MEDICINA LEGAL- Identificação
• Principais métodos
– Método datiloscópico de Vucetich
Tipos
Polegar
Demais dedos
Arco
A
1
Presilha Interna
I
2
Presilha Externa
E
3
Verticilo
V
4
Indeterminado
X
X
Ausente
0
0
MEDICINA LEGAL - Identificação • Sistema Antropométrico de Bertillon • Fotografia sinaléptica de Bertillon •
MEDICINA LEGAL - Identificação
• Sistema Antropométrico de Bertillon
• Fotografia sinaléptica de Bertillon
• Método biométrico (caracterizções e medidas,
escaneamentos, termografias, e DNA)
• Método de DNA ( PCR – Reação em Cadeia da
polimerase)
– Vivo: sangue
– Morto: sangue ou swab oral; músculo ( + 1g); dente (pp.
Molares) ou osso (longos, pp. Fêmur)
MEDICINA LEGAL – LOCAL DE CRIME • Conceito: local de ocorrência dos fatos de interesse
MEDICINA LEGAL – LOCAL DE CRIME
• Conceito: local de ocorrência dos fatos de interesse policial ou
judiciário
– Preservado: indícios preservados desde a ocorrència até o completo
registro
– Contaminado: alteração por adição ou subtração
– Referido: mais de uma área se associa para o delito
Obs.: Reponsabilidade de preservação do local: autoridade policial.
Exceção: necessidade de socorro a vítimas
• Achados importantes
– Impressões digitais: coloridas; moldadas; latentes
– Manchas de ( probabilidade)
– Outras manchas
• Leite e colostro; Líquido amniótico; Pelos; Saliva
MEDICINA LEGAL – LOCAL DE CRIME • Achados importantes – Manchas de sangue: • Provas
MEDICINA LEGAL – LOCAL DE CRIME
• Achados importantes
– Manchas de sangue:
• Provas de orientação: teste sensíveis e pouco específicos. Luminescentes
– Produto fenolftaleína (Kastle-Meyer) – positivo (róseo)
– Produto benzidina (Adler-Ascarelli) – positivo (azul)
– Luminol ( 5-amino-2,3-di-hidro-ftalazinadona) – reage com ferro (azul).
» Prejudicado em superfícies metálicas
» Vantagem, mesmo em locais que foram limpos, reage com quantidades mínimas
de sangue
» Torna o material que entrou em contato imprestável para outros testes; exceto o
DNA
• Provas de certeza
– Negativas: certificam a inexistência
– Positivas: identificar a espécie
• Provas de específicas
• Provas individuais: sistema ABO e RH, entre outras
• Impressões digitais: coloridas; moldadas; latentes
MEDICINA LEGAL – Traumatologia • Aspectos médico-legasi da Lesão corporal – Quantificação do dano –
MEDICINA LEGAL – Traumatologia
• Aspectos médico-legasi da Lesão corporal – Quantificação do dano
– Lesões Leves
– Lesões graves (art. 129 § 1º, do CP)
– Lesões gravíssimas (art. 129 § 2º, do CP)
– Lesão corporal seguida de morte
• Classificação geral – causalidade do dano
– Energia de ordem mecânica
– Energia de ordem física
– Energia de ordem química
– Energia de ordem Bioquímica
– Energia de ordem Físico-química
– Energia de ordem biodinâmica
– Energia de ordem mista
MEDICINA LEGAL – Traumatologia • Agentes Mecânicos Instrumento Lesão Modo de ação Perfurante Punctória e
MEDICINA LEGAL – Traumatologia
• Agentes Mecânicos
Instrumento
Lesão
Modo de ação
Perfurante
Punctória e ovalada
Pressão e afastamento
Cortante (com gume)
Incisa
Secção e deslizamento
Contundente
Contusa
Pressão
– Instrumentos de ação mista;
• Perfurocortante: ponta e gume
• Perfurocontundente: ponta ou cilíndrico e “força”
• Cortocontundente: gume e peso
MEDICINA LEGAL – Traumatologia • Lesão por ação de instrumento perfurante – Lei de Filhós
MEDICINA LEGAL – Traumatologia
• Lesão por ação de instrumento perfurante
– Lei de Filhós e Langer:
MEDICINA LEGAL – Traumatologia • Lesão por instrumento cortante * Observar número de gumes e
MEDICINA LEGAL – Traumatologia
• Lesão por instrumento cortante
* Observar número de gumes e de entradas
Formas especiais de lesão incisa
•Esgorja:
•Degola e
•Decapitação
MEDICINA LEGAL – Traumatologia • Agentes contundentes – Naturais: mãos, pés, cabeça, joelho, etc –
MEDICINA LEGAL – Traumatologia
• Agentes contundentes
– Naturais: mãos, pés, cabeça, joelho, etc
– Armas propriamente ditas: cassetete, soco-inglês
– Armas eventuais: barras de ferro, cadeira, bengala
– Animais:
– Outros meios: queda; abarroamento, etc
• Lesões contusas
– Petéquias; sugilação; equimose; hematoma
– Escoriações; fraturas; amputações
** Tortura e maus tratos
MEDICINA LEGAL – Traumatologia
MEDICINA LEGAL – Traumatologia
MEDICINA LEGAL – Traumatologia • Projéteis de arma de fogo: ação mecânica por força expansiva
MEDICINA LEGAL – Traumatologia
• Projéteis de arma de fogo: ação mecânica por força expansiva produzida
pelos gases da combustão da pólvora.
– Armas: alma do cano lisa ou raida; * outras classificações
• A raia propicia a rotação do projétil
– Armas longas: o atirador precisa utilizar as duas mãos
– Único
• Orifício de entrada: redondo ou oval, regular, orlas de equimose, enxugo e escoriação;
zonas de tatuagem, esfumaçamento e queimadura
• Orifício de saída: irregular, bordos evertidos, maior que a entrada
– Múltiplo: Cone de dispersão
– Alta energia: orifício de saída de grandes proporções
*Sinal de Benassi- deposição de fumaça na tábua óssea abaixo da pele
*Câmara de mina de Hoffman- Orif. Entrada estrelada,de bordos evertidos,
queimados e esfumaçados
*Sinal de Werkgaetner: impressão do cano no tiro encostado
MEDICINA LEGAL – Traumatologia • Projéteis de arma de fogo
MEDICINA LEGAL – Traumatologia
• Projéteis de arma de fogo
MEDICINA LEGAL – Traumatologia • Projéteis de arma de fogo Sinal de Werkgaetner Câmara de
MEDICINA LEGAL – Traumatologia
• Projéteis de arma de fogo
Sinal de Werkgaetner
Câmara de mina de Hoffman
MEDICINA LEGAL – ASFIXIA • Energia de ordem físico-quimica: ASFIXIA – Por ação mecânica de
MEDICINA LEGAL – ASFIXIA
• Energia de ordem físico-quimica: ASFIXIA
– Por ação mecânica de
constrição do pescoço:
- Enforcamento: força-peso do
próprio corpo
- Esganadura: uso das mãos
- Estrangulamento: força-peso
externa
– Por sufocação direta: obstrução
boca e nariz ou vias aéreas; soterramento;
Confinamento;
– Por sufocação indireta: compressão do tórax
– Ambientes irrespiráveis: afogamento; gases irrespiráveis
MEDICINA LEGAL – ASFIXIA • Sinais gerais externos – Cianose da pele – Equimose das
MEDICINA LEGAL – ASFIXIA
• Sinais gerais externos
– Cianose da pele
– Equimose das conjuntivas
– Escuma da boca
• Sinais gerais internos
– Petéquias de mucosa (Manchas de Tardieu)
– Equimoses viscerais ( Manchas de Paltauf)
– Congestão viscerais
– Sangue fluido e escuro. Exceção: Afogamento: róseo e
intoxicação por monóxido de Carbono: vermelho vivo
MEDICINA LEGAL – ASFIXIA • Enforcamento: – Morte: por inibição neural; obstrução circulatória; asfixia
MEDICINA LEGAL – ASFIXIA
Enforcamento:
– Morte: por inibição neural; obstrução circulatória; asfixia
mecânica
– Sulco:
• Forma do meio mecânico – corda, corrente, cadarço;
• Oblíquo ascendente, violáceo ou apergaminhado
• Descontínuo e de profundidade desigual
MEDICINA LEGAL – ASFIXIA • Estrangulamento: por laço; por mão/braço/pé – Sulco transversal e horizontal;
MEDICINA LEGAL – ASFIXIA
• Estrangulamento: por laço; por mão/braço/pé
– Sulco transversal e horizontal; contínuo e de profundidade homogênea
• Esganadura
– Marcas das pontas digitais. Sem sulco
– Fratura do hióide.
– Morte por inibição neural
• Sufocação
– Acidental: corpo estranho (engasgos)
– Soterramento ( partículas de areia em vias áereas)
– Confinamento (sangue vermelho vivo)
– Compressão torácica (acidental; homicida)
MEDICINA LEGAL – ASFIXIA • AFOGAMENTO: Afogado azul e afogado branco de Parrot (falso afogado)
MEDICINA LEGAL – ASFIXIA
• AFOGAMENTO: Afogado azul e afogado branco de
Parrot (falso afogado)
– Fase: de resistência; de exaustão; de asfixia
– Sinais externos: cianose da face; pele anserina (sinal de
Bernt); maceração da pele; placton em unhas; Lesões de
arrasto (sinal de Simonin); retração de mamilos e testículos;
procidência da língua; cabeça de negro (putrefação
avançada); cogumelo de espuma*
– Sinais internos: diluição do sangue(rosado); edema
pulmonar; Manchas de Paltauf; plancton intraviscerais;
líquido no ouvido médio
MEDICINA LEGAL – Causalidade do dano • Energia de ordem Física – Calor: Termonoses; Queimaduras;
MEDICINA LEGAL – Causalidade do dano
• Energia de ordem Física
– Calor: Termonoses; Queimaduras; Oscilações de
temperatura e Frio
– Eletricidade:
• Cósmica: Fulminaçao (Sinal de Lichtenberg – arboriforme);
Fulguração;
• Doméstica: Eletroplessão (sinal de Jellineck – branca, endurecida e
bordos elevados)
– Pressão: aumento e diminuição
– Radiação: Raio X; Rádio; Energia atômica
– Luz: lesão visual
– Som: lesão auditiva
MEDICINA LEGAL – Causalidade do dano • Energia de Ordem química – Ação externa •
MEDICINA LEGAL – Causalidade do dano
• Energia de Ordem química
– Ação externa
• Vitriolagem: substâncias cáusticas ou corrosivas
• Agem liquefazendo os tecidos
• Comumente dolosas: intenção de estigmatizar a vítima
– Ação interna
• Venenos ou tóxicos: qualidade e quantidade da substância
• Morte por edema pulmonar e parada respiratória.
• Causa jurídica é principalmente tipo suicida, podendo ser
acidentária
MEDICINA LEGAL - Tanatologia • Conceito: Estuda a morte e o morto e os fenômenos
MEDICINA LEGAL - Tanatologia
• Conceito: Estuda a morte e o morto e os fenômenos decorrentes
• Conceito de morte: sucessão de fenômenos gradativos no corpo que culminam
com a cessação das vida
• Diagnóstico de morte:
– Parada cardio-respiratória
– Parada cortical cerebral
• Tipos de morte:
– Quanto a certeza
• Real (morte encefálica)
• Aparente (Ex. : catalepsia)
– Tríade de Thoinot – imobilidade; ausência aparente da respiração; ausência de circulação
– Quanto a velocidade de instalação
• Rápida ou súbita (período pre-mortal; estado prévio de saúde; aspecto de morte natural)
• Lenta ou agônica
• Docimásias hepática de Lacassagne e Martin (glicogênio) e Docimásia suprarenal de Leoncini e
Cevidalli (adrenalina)- a presença das substâncias indicam morte rápida
– Anatômica e histológica
– Relativa e Progressiva
MEDICINA LEGAL - Tanatologia • Sinais diagnósticos morte encefálica – Sujeito em respirador e em
MEDICINA LEGAL - Tanatologia
• Sinais diagnósticos morte encefálica
– Sujeito em respirador e em coma profundo
– Ausência de hipotermia primária
– Ausência de efeitos atuais por drogas paralizantes
– Ausência de desequilíbrio hidroeletrolítico
– Causa de coma conhecida
• Sinais de coma arreativo
– Como profundo e ausência total de movimentos espontâneos
– Ausência de resposta neural dos nervo cranianos
– Ausência de reflexos cefálicos
– Apnéia
MEDICINA LEGAL - Tanatologia • Causas de morte: – Natural – Violenta – Suspeita –
MEDICINA LEGAL - Tanatologia
• Causas de morte:
– Natural
– Violenta
– Suspeita
– Jurídica: homicídio; suicídio; acidente
• Lesões intra vitam e post mortem
– Reação vital : hemorragia; coagulação; retração tecidual; Inflamação;
reação vascular;
– Cogumelo de espuma; Fuligem nas vias respiratórias; Aspiração de
materiais; embolias; galos;
– Prova de Verderau: afluxo de células inflamatórias e hemácias
– Prova histológica (sem indicação cronológica)
– Prova histopatológica (Raekallio) , no mínimo 4h de produção da lesão
MEDICINA LEGAL - Tanatologia • Fenômenos abióticos – Imediatos: perda da consciência; cessação da respiração;
MEDICINA LEGAL - Tanatologia
• Fenômenos abióticos
– Imediatos: perda da consciência; cessação da respiração; cessação da
circulação; insensibilidade; imobilidade; abolição de tônus muscular; palidez e
midríase
– Mediatos: desidratação tegumentar; esfriamento do corpo; livores
hipostáticos; rigidez
• Fenômenos transformativos
Destrutivas
Conservativas
Autólise
Saponificação
Putrefação
Mumificação
Maceração
Petrificação
Coreificação
MEDICINA LEGAL - Tanatologia • DESIDRATAÇÃO – Mais rápida em fetos, RN e crianças: 8g/kg
MEDICINA LEGAL - Tanatologia
• DESIDRATAÇÃO
– Mais rápida em fetos, RN e crianças: 8g/kg de epso/dia
– Adultos: 10 a 18g/kg peso/dia
– Sinal de Stenon-Louis: possível deformar a pupila
– Sinal de Sommer e Larcher: mancha azul na esclera
• ESFRIAMENTO DO CADÁVER
– 0,5ºC nas primeiras 3H e em seguida 1°C (Croce)
– 1,5°C por hora (Fávero, Zarzuela)
– Formula: Temp. retal média (37°C) – Temp. retal ao exame/ 1,5
• LIVORES HIPOSTÁTICOS
– Acúmulo de sangue nos vasos das áreas de maior declive – ação gravitacional
– Início: 20 a 30 min após a morte
– Mutáveis: até 12 h horas
– Pico: 12 a 15 horas, tornam-se fixas
MEDICINA LEGAL - Tanatologia • RIGIDEZ CADAVÉRICA – Início: media de 2 horas (de 30min
MEDICINA LEGAL - Tanatologia
• RIGIDEZ CADAVÉRICA
– Início: media de 2 horas (de 30min a 6 h)
– Regra de Niderkorn
• Precoce: antes de 3horas
• Normal: 3 a 6 horas
• Tardia: entre 6 e 9 horas
• Muito tardia: após 9 horas
– Completa: 12 horas
– Desaparecimento: 36 horas (podendo alcançar 2-3dias)
– Lei de Nysten (Progressão e regressão descendente )
• Músculos (sentido da cabeça para pés): mandibulares > Pescoço >
Tórax > MMSS >Abdome > MMII
MEDICINA LEGAL - Tanatologia • FENÔMENOS TRANSFORMATIVOS - Destrutivos – Autólise: auto-destruição celular –
MEDICINA LEGAL - Tanatologia
• FENÔMENOS TRANSFORMATIVOS - Destrutivos
– Autólise: auto-destruição celular
– Putrefação: decomposição da matéria orgânica – atuação
de bactérias e fungos – certeza de morte
• Produção : gás sulfídrico; escatol; indol ( decomposição proteinas)
• A decomposição de lipídios e acúcares ( não exalam odor)
• Fatores que alteram a velocidade de putrefação
– Mais acelerada: corpo na água ( 2 x maior que no ar); expostos; solo leve
e poroso; umidade elevada
– Temperatura ( 21°C a 38°C) , além desses limites há alteração da
multiplicação de microrganismos;
– Enumados (retardo de 8x); solo argiloso, compacto e pouco permeável;
umidade baixa; venenos que inibem o crescimento bacteriano ( cianureto
e arsênico)
MEDICINA LEGAL - Tanatologia • FASES DA PUTREFAÇÃO – Período cromático: início 18 a 24horas
MEDICINA LEGAL - Tanatologia
• FASES DA PUTREFAÇÃO
– Período cromático: início 18 a 24horas
• Duração em média de 7 a 12 dias
• Primeiro sinal: mancha verde abdominal
– Exceção: no RN e no afogado - Tórax
• Estrias vermelhas abdominais (circulação póstuma de Brouardel)
– Período enfisematoso: início 1ª semana(2 a 7dias)
• Duração média de 30 dias (7 a 30 dias)
• Sinais: Agigantamento; protrusão da língua; aumento dos genitais; extrusão dos olhos
• Vísceras mais resistentes: Útero e Próstata
– Período coliquativo: início 1º mês
• Duração: 1 mês a 2-3anos
• Fase da Desintegração do corpo: massa de putrilagem
• Órgãos mais resistentes à destruição: dentes, cabelos e ossos
– Esqueletização:
• Duração: variável
MEDICINA LEGAL - Tanatologia • FENÔMENOS TRANSFORMATIVOS - destrutivos – Maceração • Submersos em líquido
MEDICINA LEGAL - Tanatologia
• FENÔMENOS TRANSFORMATIVOS - destrutivos
– Maceração
• Submersos em líquido
• Asséptica (intrautero) ou Séptica
• Sinal: “luvas”
• FENÔMENOS TRANSFORMATIVOS - conservativos
– Saponificação ou adipocera: parcial ou total
• Ocorrência em cadáveres já em putrefação, comumente em ambientes úmidos e pouco aerados
– Mumificação : natural ou artificial
• Ocorrência: rápida desidratação; ambientes secos (cerca de 6% de umidade), temperatura elevada
(acima de 40°C), abundante ventilação
– Calcifacação ou petrificação: infiltração dos tecidos do cadáver por sais de cálcio
• Ocorrência: óbitos fetais intra-utero
– Courificação: cadáveres conservados em urnas metálicas (zinco); após 1º ano
• Embalsamamento natural
– Congelação:
MEDICINA LEGAL - Tanatologia • CRONOTANATOGENESE – Crescimento do pelo; 21 micra/hora – Esvaziamento do
MEDICINA LEGAL - Tanatologia
• CRONOTANATOGENESE
– Crescimento do pelo; 21 micra/hora
– Esvaziamento do conteúdo gástrico
– Fauna entomológica (Legiões – sucessões de Mégnin0
– Cristais de Westenhöfer-Rocha-Valverde:
• achado nas hemácias do cadáver :ferrocianeto- azul e iodo- castanha
• Aparece no 3º dia; não mais visto após o 35° dia
– Nível de potássio no humor vítreo
• Aumenta com o tempo de morte
• Precisão nas primeiras 12H
• Regiões frias: precisão em até 24H
• LAPSO ENTRE AS MORTES (morte simultânea)
– Premoriência: avaliação da natureza, intensidade, local das lesões, idade e
condições físicas das vítimas. Morte rápida e lenta
– Comoriência: figura jurídica e não um conceito médico-legal