Vous êtes sur la page 1sur 50

1

1 CURSO MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE MICRO COMPUTADOR Armazenamento Manut II

CURSO MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE MICRO COMPUTADOR

Armazenamento

Manut II

Mídias de Armazenamento 2 - HD – Disco Rígido -Padrões PATA (IDE),SATA,SCSI,SAS -SSDs -Raid Manut

Mídias de Armazenamento

2

- HD Disco Rígido -Padrões PATA (IDE),SATA,SCSI,SAS

-SSDs

-Raid

Manut II

HD Disco Rígido

3

HD – Disco Rígido 3 Manut II

Manut II

HD Disco Rígido

Disco rígido ou disco duro, no Brasil popularmente também HD (do

inglês Hard Disk; o termo "winchester" há muito já caiu em desuso),

é a parte do computador onde são armazenadas as informações, ou seja, é a "memória permanente" propriamente dita (não

confundir com "memória RAM"). É caracterizado como memória

física, não-volátil, que é aquela na qual as informações não são

perdidas quando o computador é desligado.

4

não-volátil, que é aquela na qual as informações não são perdidas quando o computador é desligado.
não-volátil, que é aquela na qual as informações não são perdidas quando o computador é desligado.

Manut II

HD Disco Rígido

5

Criador do Disco Rígido

HD – Disco Rígido 5 Criador do Disco Rígido Físico Alemão Peter Grünberg Manut II

Físico Alemão

Peter Grünberg

Manut II

História

O primeiro disco rígido (o IBM 350) foi

construído em 1956, e era formado por um

conjunto de nada menos que 50 discos de 24 polegadas de diâmetro, com uma

capacidade total de 4.36 MB (5 milhões de

caracteres, com 7 bits cada um), algo

espantoso para a época. Comparado com

os discos atuais, este pioneiro custava uma verdadeira fortuna: 35 mil dólares.

O gabinete tinha 1.70m de altura e quase o

mesmo de comprimento e pesava quase

uma tonelada. Na época ele era chamado de "unidade de disco"

6

Manut II

7

IBM 350

7 IBM 350 Manut II

Manut II

HD Disco Rígido

8

HD – Disco Rígido 8 * 1 - Prato, midia ou platter - aonde os dados

* 1 - Prato, midia ou platter - aonde os dados são gravados

* 2 - Atuador ou actuator - parte mecânica

responsável pelo posicionamento das cabeças de

leitura e gravação.

* 3 - Componentes internos de controle do atuador, ligados a placa controladora lógica externa

* 4 - Cabeças de leitura e gravação ou magnetic

heads - conectadas ao atuador, responsáveis pela

leitura e gravação de dados na mídia

* 5 e 6 - Hard Disk Assembly superficie aonde são montados os componentes de um hard disk

* 7 - Placa controladora lógica ou logic board -

responsável pela inicialização, controle mecânico e envio de dados do hard disk para o computador.

* 8 - Conectores externos padrão IDE - conexão por onde são enviados os dados para a placa-mãe e consequentemente ao processador

Manut II

HD Disco Rígido

9

O Disco Rígido por dentro:

HD – Disco Rígido 9 O Disco Rígido por dentro: Manut II

Manut II

HD Disco Rígido

10

HD – Disco Rígido 10 Manut II

Manut II

HD Disco Rígido

11

Trilhas: são círculos que

começam no centro do disco e

vão até a sua borda, como se

estivesse um dentro do outro. As trilhas são numeradas de fora

um dentro do outro. As trilhas são numeradas de fora para dentro. A trilha que fica

para dentro.

A trilha que fica mais próxima ao

centro é denominada ultima trilha,

Cada trilha é dividida em trechos regulares chamados de setor.

Cada setor possui uma

determinada capacidade de

armazenamento (geralmente, 512

bytes). Um agrupamento de

setores são denominados

Clusters

Manut II

12

Cilindro

O cilindro é a posição

das cabeças sobre as

mesmas trilhas de

seus respectivos discos. Ou seja: é o

alinhamento das

cabeças de leitura

sobre uma posição

Ou seja: é o alinhamento das cabeças de leitura sobre uma posição vertical sobre ou sob

vertical sobre ou sob uma mesma trilha

Manut II

Formatação

Depois é necessário preparar os discos para

receber dados. Isso é feito através de um

processo conhecido como formatação. Há

dois tipos de formatação:

Formatação física: é a "divisão" dos discos

em trilhas e setores. Esse procedimento é

feito na fábrica.

Formatação lógica: consiste na aplicação de

um sistema de arquivos apropriado a cada

sistema operacional. Por exemplo, o Windows

é capaz de trabalhar com sistemas de

arquivos FAT e NTFS. O Linux pode trabalhar

com vários sistemas de arquivos, entre eles,

13 ext3 e ReiserFS.

Manut II

HD Disco Rígido

PADRÃO IDE - Integrated Drive Eletronics ou Parallel ATA

Desenvolvido pela Quantum e a Western Digital, os primeiros HDs e interfaces IDE chegaram ao mercado em 1986. Em 1990 o padrão foi

ratificado pelo ANSI, dando origem ao padrão ATA. Como o nome "IDE" já estava mais difundido, muita gente continuou usando o termo

"IDE", e outros passaram a usar "IDE/ATA" ou

simplesmente “PATA", fazendo com que os dois

termos acabassem virando sinônimos.

14

Manut II

HD Disco Rígido

Na placa-mãe você encontra duas portas IDE

(primária e secundária). Mesmo com a

popularização das interfaces SATA, as portas

IDE ainda continuam sendo incluídas nas placas

15

recentes (muitas placas passaram a trazer

apenas uma porta IDE, mas deve demorar mais

um pouco até que elas desapareçam

completamente).

passaram a trazer apenas uma porta IDE, mas deve demorar mais um pouco até que elas

Manut II

HD Disco Rígido

Cada uma das portas permite instalar dois drives, de

forma que podemos instalar um total de 4 HDs ou CD-

16

ROMs na mesma placa.

Existem casos de placas-mãe com 4 portas IDE

(permitindo usar até 8 drives) e também controladoras

IDE PCI, que incluem duas portas adicionais, que

podem ser usadas em casos onde você precise usar

mais do que 4 drives IDE no mesmo micro.

em casos onde você precise usar mais do que 4 drives IDE no mesmo micro. IDE2

IDE2 - Secundário IDE1 - Primário

Manut II

HD Disco Rígido

17

As controladoras normalmente tem

um menu de configuração próprio, ver no manual como acessa-lo.

IDE4 – Quaternária
IDE4 – Quaternária

IDE3 Terciária

Manut II

HD Disco Rígido

HD – Disco Rígido 18 Cabo com 80 Vias Cabo com 40 Vias Manut II

18

HD – Disco Rígido 18 Cabo com 80 Vias Cabo com 40 Vias Manut II

Cabo com 80 Vias

Cabo com 40 Vias

Manut II

HD Disco Rígido

Conectando o Flat Cable e o cabo de força:

19

HD – Disco Rígido Conectando o Flat Cable e o cabo de força: 19 Manut II

Manut II

HD Disco Rígido

20

Vários Dispositivos em uma Interface IDE

IDE1 - primária

- Master = HD1

em uma Interface IDE IDE1 - primária - Master = HD1 - Slave = CDROM IDE2

- Slave = CDROM

IDE2 - secundária

- Master = DVD-RW

- Slave =

Sem

Master

Slave

Manut II

HD Disco Rígido

21

Selecionando os dispositivos Master e Slave

Vista traseira do gravador de DVD no padrão IDE

Disco Rígido 21 Selecionando os dispositivos Master e Slave Vista traseira do gravador de DVD no

Manut II

HD Disco Rígido

Selecionando os dispositivos Master e Slave

22

M

S

CS

LC

Manut II

HD Disco Rígido

23

Selecionando os dispositivos Master e Slave

Visualizando no Setup a Ordem dos Dispositivos IDE

Disco Rígido 23 Selecionando os dispositivos Master e Slave Visualizando no Setup a Ordem dos Dispositivos

Manut II

HD Disco Rígido

24

IDE Bus Mastering e Ultra DMA

Modo UDMA

Taxa de transferência

Conexão

Modo 0

16,6 MB/s

ATA-3

Modo 1

25 MB/s

ATA-4

Modo 2

33,3 MB/s

ATA-4

Modo 3

44,4 MB/s

ATA-5

Modo 4

66,6 MB/s

ATA-5

Modo 5

100

MB/s

ATA-6

Modo 6

133

MB/s

ATA-7

Manut II

HD Disco Rígido

25

Serial ATA

A partir de um certo ponto, ficou claro que o padrão IDE/ATA

estava chegando ao seu limite e que mudanças mais profundas

só poderiam ser feitas com a introdução de um novo padrão. Surgiu então o SATA (Serial ATA).

Assim como o PCI Express, o SATA é um barramento serial, onde

é transmitido um único bit por vez em cada sentido (Ful-

duplex). Isso elimina os problemas de sincronização e interferência encontrados nas interfaces paralelas, permitindo que

sejam usadas freqüências mais altas.

e interferência encontrados nas interfaces paralelas, permitindo que sejam usadas freqüências mais altas. Manut II
e interferência encontrados nas interfaces paralelas, permitindo que sejam usadas freqüências mais altas. Manut II

Manut II

HD Disco Rígido

Serial ATA Os cabos SATA são bem mais práticos que os cabos IDE e não

prejudicam o fluxo de ar dentro do gabinete. Os cabos podem ter

até um metro de comprimento e cada porta SATA suporta um

único dispositivo, ao contrário do padrão master/slave do

IDE/ATA. Por causa disso, é comum que as placas-mãe ofereçam 4 portas SATA (ou mais), com apenas as placas de mais baixo

custo incluindo apenas duas.

26

placas-mãe ofereçam 4 portas SATA (ou mais), com apenas as placas de mais baixo custo incluindo

Manut II

HD Disco Rígido

27

Existem três padrões de controladoras:

SATA, o SATA 150 (também chamado de SATA 1.5 Gbit/s ou SATA 1500)

SATA 300 (SATA 3.0 Gbit/s ou SATA 3000)

SATA 600 (ou SATA 6.0 Gbit/s).

Como o SATA utiliza dois canais separados, um para enviar e outro para receber dados, temos 150, 300 e 600 MB/s em cada sentido, e não 133 MB/s compartilhados, como no caso das interfaces ATA/133.

Manut II

HD Disco Rígido

Serial ATA

28

Manut II

HD Disco Rígido

29

Cabos e conexões SATA

HD – Disco Rígido 29 Cabos e conexões SATA Manut II
HD – Disco Rígido 29 Cabos e conexões SATA Manut II

Manut II

HD Disco Rígido

Compatibilidade ente o sata 150 e sata 300

30

Outra curiosidade é que muitas placas mãe antigas, equipadas com controladoras SATA 150 apresentam problemas compatibilidade com HDs SATA 300. Por causa disso, a maioria dos HDs atuais oferecem a opção de usar um "modo de

compatibilidade" (ativado através de um jumper), onde o HD

passa a se comportar como um dispositivo SATA 150, de forma a

garantir a compatibilidade. Veja a s instruções impressas na

etiqueta de um HD da Samsung:

SATA 150, de forma a garantir a compatibilidade. Veja a s instruções impressas na etiqueta de

Manut II

HD Disco Rígido

Ampliação das portas Serial ATA

No caso dos micros antigos ou que precisem de mais portas

SERIAL ATA, uma opção é instalar uma controladora SATA

Note que o uso do barramento PCI limita a velocidade da

controladora a 133 MB/s (um pouco menos na prática, já que o

barramento PCI é compartilhado com outros dispositivos), mas

isso não chega a ser um problema ao utilizar apenas um ou dois HDs.

31

Manut II

HD Disco Rígido

SCSI - Small Computer Systems Interface

32

Diferentemente do que temos em uma interface IDE, onde um

dispositivo é jumpeado como master e outro como slave, no SCSI

os dispositivos recebem números de identificação (IDs) que são

números de 0 a 7 (nas controladoras de 8 bits) ou de 0 a 15 nas de

16 bits. Um dos IDs disponíveis é destinado à própria controladora,

deixando 7 ou 15 endereços disponíveis para os dispositivos. O ID de cada dispositivo é configurado através de uma chave ou jumper, ou (nos mais atuais), via software. A regra básica é que dois dispositivos não

podem utilizar o mesmo endereço,

caso contrário você tem um conflito

similar ao que acontece ao tentar

instalar dois HDs jumpeados como master na mesma porta IDE.

Manut II

33

HD SCSI

Controladora SCSI

33 HD – SCSI Controladora SCSI Manut II

Manut II

HD SCSI

De uma forma geral, o padrão IDE tornou-se o

padrão nos desktops e também nos servidores

e estações de trabalho de baixo custo,

enquanto o SCSI tornou-se o padrão dominante

nos servidores e workstations de alto

desempenho.

34

baixo custo, enquanto o SCSI tornou-se o padrão dominante nos servidores e workstations de alto desempenho.

Manut II

35

HD SCSI

Tabela Evolutiva do padrão SCSI

35 HD – SCSI Tabela Evolutiva do padrão SCSI Manut II

Manut II

HD SAS

Assim como o SCSI conviveu com o padrão IDE

por mais de duas décadas, o SAS está destinado

a concorrer com o SATA, com cada um

entrincheirado em seu respectivo nicho: o SATA

nos micros domésticos e servidores de baixo

36

custo e o SAS em servidores maiores e estações

de trabalho.

As versões iniciais do SAS suportavam taxas de

transferência de 150 e 300 MB/s. Recentemente

foi introduzido o padrão de 600 MB/s e passou a

ser desenvolvido o padrão seguinte, de 1.2 GB/s.

A evolução é similar à do padrão SATA (note que as velocidades são as mesmas), porém o SAS tende a ficar sempre um degrau acima

Manut II

HD SAS

A maior velocidade é necessária, pois o SAS permite o uso de extensores (expanders), dispositivos que permitem ligar diversos discos SAS a uma única porta. Existem dois tipos de extensores SAS, chamados de "Edge Expanders" e "Fanout Expanders". Os Edge Expanders permitem ligar até 128 discos na mesma porta, enquanto os Fanout Expanders permitem conectar até 128 Edge

Expanders (cada um com seus 128 discos!),

chegando a um limite teórico de até 16.384 discos

por porta SAS.

37

Manut II

38

HD SAS

38 HD – SAS Manut II

Manut II

39

HD SSD

Além da popularização dos pendrives e cartões,

a queda no preço da memória Flash possibilitou

o surgimento dos primeiros SSDs ou "Solid State

Disks" (discos de estado sólido) de grande capacidade. Um SSD é um "HD" que utiliza chips de memória Flash no lugar de discos magnéticos. Eles são projetados para substituírem diretamente o HD, sendo conectados a uma porta SATA ou IDE.

Manut II

HD SSD

Há vantagens do SSD em relação aos HDs: por

não possuírem componentes eletromecânicos para

40

a leitura dos arquivos, ele se torna completamente

silencioso. Isso também facilita o acesso aos

dados, algo primordial para quem precisa de

velocidade (ao contrário dos discos rígidos, no

qual 'braço' mecânico de leitura precisa ir de uma

ponta a outra do disco para ler alguma informação,

o SSD tem tudo à mão). Ele também esquenta

menos e consome menos energia. Porém, a

capacidade de armazenamento é bem menor que

a dos HDs usados nos desktops, e seu custo final para o usuário é bem maior.

Manut II

HD SSD

HD – SSD 41 Manut II

41

HD – SSD 41 Manut II

Manut II

42

HD SSD

42 HD – SSD Manut II

Manut II

43

HD SSD

43 HD – SSD Manut II

Manut II

HD Discos Hibridos

Discos híbridos são uma mistura de um HD com um

SSD, combinando os pratos magnéticos e ampla

capacidade dos HDs com um SSD veloz mas de

pequena capacidade em uma única unidade.

44

Estes discos monitoram os dados que são lidos do HD, e armazenam uma cópia dos arquivos acessados mais

frequentemente no SSD. Na próxima vez em que eles forem necessários, serão lidos do SSD, com um desempenho muito maior Algumas das vantagens dos discos híbridos incluem o baixo custo, alta capacidade e facilidade de gerenciamento. Eles costumam custar um pouco mais que um HD tradicional, mas bem menos do que uma unidade de estado sólido

Manut II

HD Discos Hibridos

45

HD – Discos Hibridos 45 Manut II

Manut II

HD Sistema RAID

46

HD – Sistema RAID 46 Manut II

Manut II

HD Sistema RAID

RAID (Redundant Array of Independent Disks ou em

português Conjunto Redundante de

Discos Independentes) é uma tecnologia utilizada em

armazenamento de discos que permite conectar dois

ou mais HDs no sistema, duplicando os dados

automaticamente (daí que vem o conceito de

redundância) para backup em tempo real e garantir

ganhos de desempenho e segurança.

47

Manut II

HD Sistema RAID

Temos várias opções de configuração de

RAID, onde os principais são:

RAID 0, os discos são considerados como

48

apenas 1, na gravação dos dados, o sistema RAID divide o arquivo em duas

partes, sendo dividido nos 2 HDs, ganha-

se desempenho, aumentando em até 2x a performance do conjunto!

Manut II

HD Sistema RAID

RAID 1, cada HD apresenta um paralelo e são identificados como sendo apenas 1

49

disco, porem tudo que acontece no

primeiro disco e enviado ao segundo

disco, criando um espelho do HD

principal.

Manut II

50

50 FINAL DO CAPITULO 9 Manut II

FINAL DO CAPITULO

9

Manut II