Vous êtes sur la page 1sur 3
 
   

JUN./1992

NBR 5752

ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas

Materiais pozolânicos - Determinação de atividade pozolânica com cimento Portland - Índice de atividade pozolânica com cimento

Sede:

     

Rio deJaneiro Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar CEP 20003 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (021) 210-3122 Telex: (021) 34333 ABNT - BR EndereçoTelegráfico:

     

NORMATÉCNICA

     
 

Método de ensaio

   

Copyright©1990,

ABNT–AssociaçãoBrasileira de NormasTécnicas Printed in Brazil/

Origem: Projeto MB-1153/91 CB-18 - Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados CE-18:105.01 - Comissão de Estudo de Métodos de Ensaio de Materiais Pozolânicos NBR 5752 - Pozzolans - Determination of pozzolanic activity with Portland cement - Method of test Descriptors: Pozzolan. Esta Norma substitui a NBR 5752/77

Impresso no Brasil Todos os direitos reservados

Palavra-chave: Material pozolânico.

 

3 páginas

1 Objetivo

Esta Norma prescreve o método para determinação do índice de atividade pozolânica com cimento Portland.

2 Documentos complementares

Na aplicação desta Norma é necessário consultar:

NBR 5732 - Cimento Portland comum - Especifi- cação

NBR 6474 - Cimento Portland e outros materiais em pó - Determinação da massa específica - Método de ensaio

NBR 7214 - Areia normal para ensaio de cimento - Especificação

NBR 7215 - Cimento Portland - Determinação da resistência à compressão - Método de ensaio

NBR 7224 - Cimento Portland e outros materiais em pó - Determinação da área específica - Método de ensaio

NBR 8952 - Coleta e preparação de amostras de materiais pozolânicos - Procedimento

NBR 9202 - Cimento Portland e outros materiais em pó - Determinação da finura por meio da peneira 0,044 mm (nº 325) - Método de ensaio

3 Aparelhagem

3.1 Balança

A balança empregada nas determinações de massa

requeridas por esta Norma deve apresentar resolução de 0,1 g.

3.2 Moldes

Os moldes para os corpos-de-prova empregados na determinação do índice de atividade pozolânica com o cimento devem estar de acordo com as recomendações

da

NBR 7215.

3.3

Mesa para índice de consistência

O

índice de consistência deve ser obtido a partir do

equipamento (mesa) recomendado pela NBR 7215.

3.4 Misturador mecânico

O misturador mecânico para o amassamento da arga-

massa usada na moldagem dos corpos-de-prova cilín- dricos deve atender às recomendações da NBR 7215.

4 Execução do ensaio

4.1 Materiais

4.1.1 Cimento Portland

4.1.1.1 O cimento a ser utilizado nos ensaios deve estar de

2

NBR 5752/1992

acordo com a NBR 5732 e ser preparado em quantidade suficiente para todos os procedimentos de ensaio.

4.1.1.2 Devem-se determinar a área específica do cimento

e a sua finura na peneira 45 µm (nº 325) de acordo com as

recomendações das NBR 7224 e NBR 9202, respecti- vamente.

4.1.2 Material pozolânico

4.1.2.1 A amostra de material pozolânico a ser utilizada,

coletada de acordo com a NBR 8952, deve ser seca em estufa a 110°C até constância de massa, não sendo per- mitido nenhum outro tipo de beneficiamento antes do ensaio.

4.1.2.2 Deve-se determinar a área específica e a finura na

peneira 45 µm (nº 325) do material pozolânico de acordo com as recomendações das NBR 7224 e NBR 9202, respectivamente.

4.1.3 Areia normal

A areia utilizada deve atender às prescrições da

NBR 7214.

4.2 Preparação dos corpos-de-prova

4.2.1 Proporcionamento dos materiais

4.2.1.1 Devem ser preparadas argamassas com dois tra-

ços diferentes:

a) a argamassa A deve conter somente cimento Port- land;

b) a argamassa B deve ter parte (35%) do seu volume absoluto de cimento substituído por material pozolânico.

4.2.1.2 Para cada tipo de argamassa, é recomendada a

moldagem de três corpos-de-prova cilíndricos de 50 mm x 100 mm.

4.2.1.3 As quantidades de materiais necessárias para a

moldagem dos corpos-de-prova recomendados em 4.2.1.2 constam na Tabela 1.

4.2.2 Mistura dos materiais

A mistura dos materiais para a obtenção das argamassas desejadas deve seguir as recomendações da NBR 7215.

Tabela 1 - Quantidades em massa necessárias para a moldagem de três corpos-de-prova cilíndricos

Material

Massa necessária (g)

 

Argamassa A

Argamassa B

Cimento Portland

312,0

202,8

Material pozolânico

-

109,2 x

δp (A)

δc (A)

Areia normal

936,0

936,0

Água

x (B)

y (B)

(A) Representam as massas específicas do material pozolânico e do cimento, respectivamente, determinadas de acordo com a NBR 6474.

(B) Representam as quantidades de água necessárias para produzir argamassas com índices de consistência de (225 ± 5) mm, determinados de acordo com a NBR 7215.

4.2.3 Moldagem dos corpos-de-prova

A moldagem dos corpos-de-prova deve ser feita ime-

diatamente após o amassamento, de acordo com as recomendações da NBR 7215.

4.2.4 Condições de cura

4.2.4.1 Logo após a moldagem, ainda nos moldes, os cor-

pos-de-prova cilíndricos devem ser colocados em câma-

ra úmida à temperatura de (23 ± 2)°C, durante (24 ± 2) h,

com as faces superiores expostas ao ar úmido, mas pro- tegidas de respingos de água.

4.2.4.2 Após a desmoldagem, colocar os corpos-de-pro-

va em recipientes com capacidade mínima para armazenamento de três corpos-de-prova de argamassa.

Notas: a) Estes recipientes, hermeticamente fechados e estan- ques, devem assegurar aos corpos-de-prova uma temperatura de (38 ± 2)°C, durante 27 dias.

b) Para o ensaio à compressão, os corpos-de-prova, ainda dentro dos recipientes fechados, devem ser resfriados ao ar até (23 ± 2)°C.

4.3 Determinação da carga de ruptura à compressão

4.3.1 Os corpos-de-prova devem ser retirados cuidadosa-

mente do recipiente onde se realizou a cura, entre meia

hora e uma hora antes do ensaio.

4.3.2 Após a retirada dos corpos-de-prova do recipiente

de cura, realizar o seu capeamento, de acordo com a NBR 7215.

NBR 5752/1992

3

4.3.3 Realizar a ruptura por compressão dos corpos-de- prova de acordo com as recomendações da NBR 7215.

5 Resultados

5.1 Cálculos

Calcular a resistência à compressão individual, a média da resistência à compressão dos três corpos-de-prova cilíndricos e o desvio relativo máximo, conforme prescre- ve a NBR 7215.

Nota: Caso o desvio relativo máximo seja superior a 6%, o en- saio deve ser repetido.

5.2 Determinação do índice de atividade pozolânica com cimento Portland

O índice de atividade pozolânica com cimento Portland é definido por:

f cB

f cA

Onde:

. 100 ( % )

f cB = resistência média, aos 28 dias, dos corpos- de-prova moldados com cimento e material pozolânico (argamassa B)

f cA = resistência média, aos 28 dias, dos corpos- de-prova moldados só com cimento (argamas- sa A)

5.3 Determinação da água requerida

A água requerida é uma relação que pode ser expressa em porcentagem pela seguinte relação:

B

A

Onde:

. 100 ( % )

B e A = quantidades de água necessárias para a obtenção de índices de consistência nor- mais de (225 ± 5) mm para as argamassas B e A, respectivamente

5.4 Expressão dos resultados

No certificado de ensaio devem constar os resultados expressos do seguinte modo:

a) índice de atividade pozolânica com cimento Portland, em porcentagem, com aproximação até os décimos;

b) água requerida, em porcentagem, com aproxima- ção até os décimos;

c) área específica do cimento e do material pozolâ- nico, em m 2 . kg -1 ;

d) finura por meio da peneira 45 µm (nº 325), em por- centagem.